quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Espírito Santo - Vem aí a Lei de Inovação Estadual

O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, anunciou hoje (24), que nos próximos meses o Estado contará com uma lei de inovação. O anúncio foi feito durante a abertura do Fórum do Conselho Nacional das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap), que acontece em Vitória (ES), até esta sexta-feira (25).

“Vamos aprovar a nossa legislação. Um grupo já está discutindo a lei. Ela não será a solução para todos os nossos problemas, mas dará um passo à frente”, disse. Na avaliação dele, é fundamental incentivar a inovação no Estado e somente a lei nacional não foi suficiente para fortalecer a cultura inovativa local.

“Aprovamos a lei de inovação nacional. Ela foi importante, mas teve um efeito menor do que esperávamos. O instrumento deveria provocar mais integração entre a academia e o setor empresarial, mas há excesso de burocracia”, criticou.

Casagrande lembrou que a ciência, tecnologia e inovação (CT&I) têm um papel estratégico para o desenvolvimento econômico e sustentável do país, mas pontuou que o conhecimento ainda está muito concentrado na academia e é preciso mostrar o seu valor prático.

“Os nossos editais têm que representar a necessidade real e pragmática da vida das pessoas. Eles têm que apontar na direção que nós desejamos e sabemos que CT&I é o caminho para que possamos ter uma produção com menor gasto de energia”, exemplificou.

Atuante na área de CT&I, Casagrande acompanhou de perto o crescimento e a estruturação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (SNCTI), iniciado, na opinião dele, no governo do Fernando Henrique Cardoso e fortalecido na gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“No governo Lula tivemos um salto de investimento e hoje quase todos os Estados contam com secretarias de C&T”. Casagrande já participou das comissões de ciência e tecnologia da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, além da Frente Parlamentar. Ele também presidiu a Frente Plurissetorial.

Fonte: Cynthia Ribeiro Gestão CT

56º Prêmio Fundação Bunge divulga temas

Oceanografia” e “Defesa Sanitária Fito-Zootécnica” são os temas selecionados para a 56ª edição do Prêmio Fundação Bunge.

O prêmio é concedido anualmente a brasileiros ou estrangeiros com permanência definitiva no país que tenham se destacado nas áreas de ciências, letras ou artes. Os vencedores serão anunciados em julho.

A cada ano, o prêmio é concedido a um das áreas do conhecimento, em duas categorias: “Vida e Obra”, em reconhecimento à obra consolidada de um especialista, e “Juventude”, que premia jovens talentos cujos trabalhos representem um novo paradigma para suas áreas.

Os candidatos não são inscritos, mas sim indicados por representantes de universidades e entidades culturais e científicas. Uma comissão pré-seleciona os profissionais em cada ramo do conhecimento na categoria “Vida e Obra”, indicando-os para a decisão do grande júri. No caso dos jovens talentos, a comissão escolhe diretamente os homenageados.

O grande júri, formado por representantes de entidades científicas e culturais, reitores de universidades e ministros de Estado, sob a direção do presidente do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, escolhe os contemplados.

Criada em 1955, a Fundação Bunge, entidade social das empresas Bunge no Brasil, tem atividades focadas na área da educação, com ênfase no ensino fundamental. Valoriza o conhecimento, incentiva o voluntariado e promove ações educativas e de preservação da memória empresarial.

Dentre as iniciativas realizadas, destacam-se o programa de voluntariado corporativo Comunidade Educativa, o Centro de Memória Bunge, o Prêmio Fundação Bunge e o Prêmio Professores do Brasil, além do ReciCriar – A Pedagogia do Possível.

O presidente do conselho administrativo da Fundação Bunge é Jacques Marcovitch, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP. Entre os integrantes do conselho estão Celso Lafer, Eduardo Moacyr Krieger e Carlos Henrique de Brito Cruz, respectivamente, presidente, vice-presidente e diretor científico da FAPESP.

Fonte:Agência FAPESP

Unesp - vaga para professor

O Instituto de Biociências da Universidade Estadual Paulista (IB-Unesp), no campus de Rio Claro (SP), abriu concurso para preencher vaga de professor assistente doutor no Departamento de Botânica. As inscrições poderão ser feitas até o dia 31 de março – com exceção do período entre 4 e 10 de março.

O profissional selecionado deverá atuar no conjunto de disciplinas “Reprodução em Angiospermas” e "Análise de Colunidades Vegetais", trabalhando em regime de dedicação integral à docência e à pesquisa. Para concorrer, o profissional deverá ter titulação mínima de doutor.

A remuneração será de R$ 7.574,75. A seleção incluirá prova de títulos – considerando os últimos cinco anos –, prova didática e prova prática.

Fonte: Agência FAPESP