sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

MCT e Unesco - Brasileiro tem mais interesse por ciência

 Um estudo realizado pelo MCT e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) mostrou que a percepção e a curiosidade da população brasileira pela ciência melhoraram nos últimos anos. O número de pessoas interessadas pela temática passou de 41% para 65%, entre 2006 e 2010. Para o MCT, esse resultado é reflexo de iniciativas como a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

Realizada entre junho e julho do ano passado, a pesquisa Percepção Pública da Ciência e Tecnologia no Brasil, ouviu homens e mulheres com idade igual ou superior a 16 anos, num total de duas mil entrevistas. Para 82% dos entrevistados, a ciência trouxe mais benefícios para a sua vida. Em 1987, 52% diziam que a ciência brasileira estava atrasada e hoje 50% consideram que a situação é intermediária.

Baixo conhecimento
Embora o interesse e o acesso à informação tenham crescido, os brasileiros ainda têm pouco conhecimento sobre o tema. Somente 15% das pessoas abordadas foram capazes de citar uma instituição científica importante no país e poucos puderam indicar o nome de um cientista famoso.

“Isso significa que nós não estamos sabendo contar a história da ciência no Brasil, nem na escola e nem nos meios de comunicação”, avaliou o coordenador do estudo, Ildeu Moreira, que também é diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia do MCT.(Com informações do MCT) 

Fonte: Gestão CT

Centro Celso Furtado e BNB - bolsas de mestrado e doutorado


O Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento e o Banco do Nordeste (BNB) estão selecionando candidatos para a concessão de bolsas de auxílio à conclusão da dissertação de mestrado e da tese de doutorado. As solicitações devem ser apresentadas até 4 de fevereiro de 2011.

Os benefícios se destinam ao apoio de pesquisas que tratem de um dos seguintes temas: agricultura, recursos naturais e desenvolvimento; aspectos políticos e institucionais do desenvolvimento; desenvolvimento e mudança estrutural; desenvolvimento local e regional no Nordeste; desenvolvimento, política industrial e inovações tecnológicas; emprego, distribuição de renda e pobreza; financiamento do desenvolvimento; integração regional e desenvolvimento; o pensamento de Celso Furtado; restrição externa, crescimento e inflação; e teorias do desenvolvimento.

A bolsa de mestrado é dirigida aos alunos que tenham completado pelo menos o 1º ano do curso até o início de vigência da bolsa, e estejam regularmente matriculados no 2º ano de programa de pós-graduação stricto sensu, em instituições de ensino superior brasileiras. O valor do benefício é de R$ 1,4 mil.

Já a bolsa de doutorado é destinada aos alunos que tenham completado pelo menos o 2º ano do curso de pós-graduação stricto sensu, e até o início da vigência da bolsa estejam regularmente matriculados em instituições de ensino superior brasileiras. Os selecionados receberão R$ 2,5 mil mensais.
Fonte: Gestão CT

Abiquim - lançada a edição 2010 do Anuário da Indústria Química Brasileira

A relação de cerca de 360 projetos de investimentos que, até 2015, somam US$ 24,7 bilhões e estudos específicos sobre a indústria química, como projetos de investimentos, balança comercial, custo da mão de obra e análise de balanços estão reunidos na edição 2010 do Anuário da Indústria Química Brasileira.

A publicação, editada pela Abiquim em português e inglês, divulga dados de produção, vendas internas, principais segmentos consumidores, exportações e capacidade instalada de mais de 200 produtos químicos de uso industrial fabricados no Brasil, relativos ao período de 2005 a 2009.

Fonte:TN Petróleo

CNI - Corte no orçamento não pode afetar programas de estímulo à C&T

Para a Confederação Nacional da Indústria (CNI), os cortes no orçamento da União não podem comprometer as iniciativas de estímulo às empresas de base tecnológica. A entidade defende um enxugamento de R$ 40 bilhões no valor já aprovado pelo Congresso Nacional. A medida, na avaliação da instituição, é fundamental para controlar a inflação sem precisar elevar a taxa de juros no médio prazo.

“A política fiscal expansionista dos últimos anos precisa ser revista. Caso esse caráter não seja alterado, o esforço da política monetária para conter um excesso de demanda que pressione a inflação será maior e irá comprometer o crescimento da economia”, advertiu por meio de nota técnica divulgada nesta segunda-feira (10).

Além das empresas de base tecnológica, a entidade também sugere que fiquem fora dos cortes 28 projetos e programas, nas áreas de logística de transporte, energia, infraestrutura social e urbana e política industrial. Segundo a instituição, essas iniciativas são essenciais para a garantia da competitividade futura da indústria.(Com informações da CNI)

Fonte: Gestão CT