quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Brasil adere ao ESO - Observatório Europeu do Sul

MCT assina acordo com Observatório Europeu
No dia 29 de dezembro, o então ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, e o diretor-geral do Observatório Europeu do Sul (ESO), Tim de Zeeuw, assinaram, em Brasília (DF), um acordo para a adesão do Brasil à pesquisa astronômica no hemisfério austral.

O convênio permite a participação do país na construção do futuro superobservatório, o E-ELT, com previsão de inauguração em 10 anos, no Chile, e terá 42 metros de abertura. Outra vantagem do acordo é a possibilidade de empresas brasileiras disputarem as licitações ligadas à instituição. A entrada do país no consórcio custará cerca de 250 milhões de euros em 11 anos.

O Brasil é o primeiro país de fora da Europa a se associar à ESO. O Chile apenas abriga as instalações para a construção do telescópio devido às vantagens geográficas de montanhas e clima seco.

O acordo atende a uma das recomendações da Comissão Especial de Astronomia (CSA), inserida no Plano Nacional de Astronomia (PNA), no que se refere à continuada inserção da comunidade astronômica brasileira na sociedade internacional. O PNA prevê também a associação do Brasil ao projeto de construção e nova geração de telescópios gigantes.(Com informações do MCT)

Fonte: Gestão CT

CNPq: R$ 9,5 milhões em editais de CT&I

O CNPq lançou duas chamadas públicas que juntas prevêem um aporte de R$ 9,5 milhões em ações na área de ciência, tecnologia e inovação (CT&I). Os editais financiarão, por exemplo, bolsas de estudo para centros e unidades de projeto de circuitos integrados e pesquisas realizadas em parceria com grupos sediados na Alemanha, em importantes áreas do conhecimento.

Centros Integrados
O edital 64/2010 objetiva promover a absorção de projetistas e técnicos na área de circuito integrados, num aporte de R$ 8 milhões. A submissão das propostas pode ser feita até 8 de fevereiro. Podem participar instituições que tenham CNPJ próprio, infra-estrutura já implementada e experiência prévia com projetos de circuitos integrados anteriormente desenvolvidos, além de não ter impedimento legal para a comercialização dos produtos e serviços.


Convênio bilateral Brasil e Alemanha
Já a chamada 72/2010 prevê o investimento de R$ 1,5 milhão, provenientes do Programa de Capacitação de Recursos Humanos para Pesquisa, em projetos que estejam sendo desenvolvidos em parceria com grupos sediados na Alemanha, em importantes áreas do conhecimento. As propostas devem ser enviadas até o dia 28 de fevereiro.

A ideia é apoiar a mobilidade de cientistas com atuação em projetos de CT&I, por sua relevância estratégica, os quais, preferencialmente, apresentem contrapartida financeira de fontes nacionais ou internacionais. Terão prioridades projetos nas áreas de biotecnologia, nanotecnologia, tecnologias da informação e comunicação, ciências da saúde e desenvolvimento sustentável.

O edital apresenta dois prazos de execução: 24 meses para pesquisas em parceria com a Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG), na qual os projetos irão receber o valor máximo de até R$ 70 mil ou 36 meses em pesquisas desenvolvidas com a Bundesministerium für Bildung und Forschung/ Deutsches Zentrum für Luft-und Raumfahrt e.V (BMBF/ IB-DLR), na qual terão o apoio de até R$ 100 mil.

O proponente responsável pela apresentação da proposta deve ser obrigatoriamente brasileiro ou estrangeiro com visto permanente, residente no Brasil, possuir o título de doutor e experiência em projetos de cooperação internacional ou qualificação preferencialmente equivalente à de pesquisador na primeira categoria do CNPq.

Fonte:Gestão CT