terça-feira, 12 de abril de 2011

Reunião do IPCC acontece no INPE

Pela primeira vez, o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC) promove reuniões regionais com pesquisadores que devem contribuir para a elaboração do seu quinto relatório de avaliação (AR5).

Para discutir as questões relacionadas às Américas do Sul e Central com climatologistas da região, o IPCC realiza um encontro, que termina na quarta-feira (13/4), no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos (SP).

Participam autores do Grupo de Trabalho 2 (WGII) do AR5, responsável por analisar os impactos, adaptações e vulnerabilidade às mudanças climáticas, e também pesquisadores não filiados ao IPCC, com o objetivo principal de discutir aspectos do processo de avaliação.

“Em muitos países ainda não há a tradição de realizar avaliações. Em função disso, alguns cientistas e profissionais desses países não tinham certeza de como efetivamente contribuir para a elaboração de seus capítulos. As reuniões regionais servem como uma orientação para garantir que toda a experiência e conhecimento desses autores sejam efetivamente aproveitados no AR5”, disse José Marengo, climatologista do Inpe e membro do IPCC, que coordena a reunião.

Para Marengo, além de melhorar a qualidade das avaliações do IPCC, fóruns e reuniões regionais são importantes para reforçar os estudos voltados à adaptação e mitigação às mudanças climáticas e fomentar políticas e ações mais específicas para cada país ou região.

O acesso à reunião é restrito aos participantes que representam os seguintes países: Costa Rica, Argentina, Peru, Colômbia, Chile, Guatemala, Paraguai, México, Equador, Cuba, Bolívia, Nicarágua e Venezuela, além de Espanha, Estados Unidos e Brasil.

O IPCC é o painel da Organização das Nações Unidas (ONU) encarregado de avaliar a informação científica sobre os efeitos das mudanças climáticas, destacar seus impactos ambientais e socioeconômicos e traçar estratégias de mitigação.

Para elaborar seu quinto relatório, que será divulgado entre 2013 a 2014, o IPCC destacou 831 especialistas do mundo todo, sendo 25 representantes do Brasil. Desses, seis são do Inpe.

Fonte: Agência FAPESP

Nenhum comentário: