quinta-feira, 18 de novembro de 2010

MCT e UNESCO: cinco projetos de cooperação técnica internacional tem inscrições abertas

Abertas as inscrições para cinco projetos de cooperação técnica internacional

Estão abertas as inscrições, até o dia 23 de novembro, para cinco processos seletivos de cooperação técnica internacional envolvendo o MCT e a Organização para a Educação, a Ciência e a Cultura das Nações Unidas (Unesco).

Os interessados devem encaminhar currículo para o endereço Esplanada dos Ministérios, Bloco E, Sala 155, CEP: 70.067-900, Brasília/DF, indicando o número do edital e o perfil ao qual se candidata.

O Edital 1/2010 oferece uma vaga destinada a profissionais graduados em ciências econômicas ou administração, com especialização ou titulação superior em finanças. As atividades englobam análise da legislação dos fundos setoriais de C&T, especificamente do CT-Petro, CT-Energia, CT-Transporte Aquaviário e de Construção Naval, entre outros.


O edital destina uma vaga a profissionais com curso superior completo em ciências econômicas ou administração, com especialização ou titulação superior em gestão de negócios. O aprovado deverá levantar os fundos públicos em operação no Brasil, buscando informações na web site e na legislação, além de obter informações sobre a arrecadação e execução dos fundos CT Transportes e CT Espacial, entre outras atividades.

Edital 3/2010
    
Será oferecida uma vaga para candidatos com curso superior em economia, administração pública, finanças ou orçamento público. Entre as atribuições estão realizar um diagnóstico dos instrumentos e mecanismos por meio dos quais se realiza, no âmbito do MCT, o acompanhamento da aplicação dos recursos do FNDCT/Fundos Setoriais, especialmente no que diz respeito à necessidade de cumprimento da obrigação legal de destinação de percentual mínimo anual desses recursos às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.
 
Edital 4/2010O candidato a vaga deve ter curso superior completo em ciências humanas, letras ou áreas afins, ou administração pública. As atividades englobam a realização de levantamento da legislação e de documentos oficiais relacionados a políticas de incentivo à CT&I no Brasil, bem como a realização de revisão bibliográfica de estudos e pesquisas relacionados à avaliação de políticas de incentivo à CT&I.
 
Edital 5/2010
     O edital traz uma vaga para profissionais com curso superior completo em ciências humanas ou afins, administração pública, finanças ou orçamento público. O aprovado irá realizar diagnóstico sobre o processo de gestão da informação relativa à aplicação dos recursos do FNDCT/Fundos Setoriais, além de organizar reuniões com usuários e provedores das informações para colher subsídios para aprimoramento desse processo de gestão.

Fonte: Gestão CT

Carlos Nobre: Instituições de pesquisa tecnológica são importantes na superação das mudanças climáticas

O conhecimento científico sobre a relação das mudanças climáticas com a atividade humana é muito robusto hoje. O diagnóstico foi feito: se a sociedade quiser seguir na direção da trajetória de sustentabilidade, já sabe o caminho a percorrer. Redução das emissões, adaptação às mudanças climáticas que se tornaram uma realidade, um novo modelo de desenvolvimento da Amazônia.

A ideia é do chefe do Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CST - Inpe), Carlos Afonso Nobre. Ele participará do Congresso ABIPTI 2010, a ser realizado nos dias 24 e 25 deste mês, na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em Brasília (DF).

Nobre ministrará a palestra “Contribuição das instituições de pesquisa tecnológica na superação das mudanças climáticas”. De acordo com o pesquisador, o conhecimento científico atual aponta para a busca rápida de soluções sobre a questão.

“Quem pensa em soluções é a inventividade tecnológica, é a inovação tecnológica. Portanto, qualquer caminho que o Brasil queira seguir, quem vai oferecer os meios para se saber o que de fato significa uma trajetória de sustentabilidade são os institutos de pesquisa tecnológica num primeiro momento”, disse.

Desafios
Nobre elencou alguns desafios que acredita serem essenciais para que as instituições de pesquisa tecnológica se alinhem ao desenvolvimento sustentável. Segundo o pesquisador, o olhar deve estar voltado às cadeias produtivas, seja de energia a bens duráveis, ou bens de consumo. Para ele, é preciso uma análise integrada dessas cadeias no sentido da redução das emissões.

“A principal no Brasil é a cadeia relacionada com a produção agrícola e pecuária. Esse é o principal fator nos próximos 20 anos, como melhorar a agricultura, como não avançar sobre os ecossistemas, como desenvolver a bioindústria. Em segundo lugar eu diria as energias renováveis. Quer dizer, na segunda metade do século pelo menos 50% da energia elétrica será painéis solares, fotovoltaica, diretamente energia solar convertida em eletricidade”.

FNMC
Em relação ao Fundo Nacional sobre Mudanças Climáticas (FNMC), criado por meio do decreto nº 7.343, Nobre ressalta que uma parte dos recursos deve ir para os institutos de pesquisa tecnológica com uma missão: programas direcionados. Para ele, esse é o momento de o país deslanchar, tendo em vista o avanço da ciência, do conhecimento científico, da projeção do que pode acontecer no futuro, os riscos e a busca de soluções.

“Os institutos de pesquisa tecnológica, as organizações como a ABIPTI devem ser importantes debatedores sobre o uso do Fundo Nacional de Mudanças Climáticas”, destaca. O objetivo do FNMC é assegurar recursos para projetos que visem à mitigação da alteração do clima e à adaptação aos seus efeitos.

Fonte: Isadora Lionço / Gestão CT

2º Prêmio Ciser de Inovação Tecnológica vai para a UDESC

Universidade, aluna e professor faturam, juntos, R$ 32 mil

A estudante da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) Anezka Popovski Kolaceke e seu professor Luis César Fontana são os grandes vencedores do 2º Prêmio Ciser de Inovação Tecnológica, entregue na noite de quarta-feira, 17 de novembro, em Joinville/SC. O projeto “Fixadores com Atrito Seletivo” garante à acadêmica do curso de Licenciatura em Física um prêmio de R$ 12 mil. Seu professor e a universidade também conquistam R$ 10 mil cada, em dinheiro e material didático, respectivamente. A proposta de Anezka prevê a criação de parafusos que contenham coeficientes diferentes para apertar e soltar, facilitando o uso.

Giuliano Bergamin e Carlos Alves de Oliveira (orientador), da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) ficaram em segundo, com o projeto “Trava Mista de Aperto). Giuliano ganha R$ 6 mil, e seu professor, R$ 5 mil. O terceiro lugar ficou com Dalton Wolgrand da Silveira Rocha e o orientador Marcio Rodrigo de Araujo Souza, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com “Parafuso com Galerias para Penetração de Lubrificante: Uma Proposta para Auxiliar o Desparafusamento”. Eles recebem R$ 3 mil e R$ 2 mil, respectivamente. A Menção Honrosa, que recebe troféu, foi para Alex Sandro Viel Pulici e Fernando de Medeiros Diório (orientador), da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), com o projeto “Dispositivo Bipartido de Fixação para Barras Lisas e Roscadas”.

O Prêmio Ciser de Inovação Tecnológica foi criado para fomentar a pesquisa e estreitar os laços entre o meio acadêmico e a empresa, estudantes e mercado. “Estamos convictos de que a parceria academia-empresa é um vetor importante para o crescimento de uma nação. É um dos pilares do desenvolvimento sócio-econômico sustentável, e para as empresas, é um fundamento para a competitividade global. O prêmio é também a forma inovadora de a Ciser incentivar jovens empreendedores, cumprindo seu papel social”, sublinha o Carlos Rodolfo Schneider, vice-presidente da Ciser Porcas e Parafusos.

Vencedores do 2º Prêmio Ciser de Inovação Tecnológica

Projeto
Estudante
Orientador
Universidade
Fixadores com Atrito Seletivo
Anezka Popovski Kolaceke
Luis César Fontana
Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc – Joinville/SC)
Trava Mista de Aperto
Giuliano Bergamin
Carlos Alves de Oliveira
Pontifica Universidade Católica do Paraná (PUCPR – Curitiba/PR)
Parafuso com Galerias para Penetração de Lubrificante: Uma Proposta para Auxiliar o Desparafusamento
Dalton Wolgrand da Silveira Rocha
Marcio Rodrigo de Araujo Souza
Universidade Federal da Paraíba (UFPB – João Pessoa/PB)
Menção Honrosa
Dispositivo Bipartido de Fixação para Barras Lisas e Roscadas
Alex Sandro Viel Pulici
Fernando de Medeiros Diório
Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR – Cornélio Procópio/PR)


O 2º Prêmio Ciser de Inovação Tecnológica tem a parceria das empresas Gerdau e SAP, além de apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia, da Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica de Santa Catarina (Fapesc) e da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento de Empresas Inovadoras (Anpei). Em 2011, o prêmio distribuirá R$ 72,5 mil.

Fonte: Assessoria de Imprensa Ciser

Ministério da Saúde: R$ 1 milhão para eventos científicos

O Ministério da Saúde lançou uma chamada pública para apoiar a realização de eventos científicos. A submissão das propostas pode ser feita até o dia 6 de dezembro. Será destinado R$ 1 milhão para atividades que ocorram no próximo ano.

O escopo do edital são eventos em saúde pública, no tema ciência, tecnologia e inovação em saúde para facilitar a disseminação de novos conhecimentos e tecnologias que apresentem impacto nas soluções para a área.

Podem participar instituições, associações ou sociedades científicas sem fins lucrativos, religiosos ou político-partidários. A instituição proponente deve ter sido fundada e estar em plena atividade há pelo menos três anos e produzir pesquisas científicas na área da saúde, entre outros requisitos.

Serão selecionados eventos considerados relevantes para o Sistema Único de Saúde (SUS) e que estejam em consonância com a Política Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde e com a Agenda Nacional de Prioridades de Pesquisa em Saúde. O programa está na 15ª edição e desde 2003 já contemplou 266 eventos.(Com informações do Ministério da Saúde)

Fonte: Gestão CT

Biota-FAPESP: chamada de propostas nas áreas relacionadas à taxonomia, sistemática e filogeografia

O programa Biota-FAPESP lança chamada de propostas com o objetivo de promover o avanço do conhecimento nas áreas relacionadas à taxonomia, sistemática e filogeografia de grupos de organismos que ocorram no Estado de São Paulo.

A chamada visa também as Unidades de Gerenciamento Hídrico do Estado identificadas como pouco estudadas no Science Plan and Strategies for the next decade e as áreas insulares.

O foco da chamada inclui, entre outros: revisões taxonômicas de grupos; morfologia e anatomia; sistemática e filogenética; inventários biológicos; formação de recursos humanos nas áreas de taxonomia e sistemática e projetos na área de educação visando à produção de material didático para os ensinos fundamental e médio.

Será considerado relevante para a análise o uso de estratégias experimentais inovadoras. Embora sejam esperadas propostas de estudo da biota paulista, a chamada não se restringe às fronteiras do Estado de São Paulo.

Os inventários devem ser cuidadosamente planejados por especialistas, incluindo coletas, obtenção de amostras para análise molecular, quando possível, técnicas de preservação e depósito em museus/herbários ou coleções indexadas internacionalmente para assegurar sua fixação.

Projetos com potencial de aplicação na área de conservação e recuperação da biodiversidade, utilizando os conhecimentos gerados, principalmente pela determinação de espécies novas e ameaçadas e de hot-spots de biodiversidade, também são estimulados.

As propostas devem ser apresentadas nas linhas de fomento de Auxílio à Pesquisa – Regular, Auxílio à Pesquisa – Projeto Temático e no Programa Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes.

Para propostas do Programa Jovens Pesquisadores, poderão ser consideradas propostas enviadas por pesquisadores residentes em outros estados brasileiros ou no exterior (brasileiros ou não) que desejam desenvolver pesquisa no Estado de São Paulo.

As propostas serão recebidas até o dia 14 de fevereiro de 2011.


Instituto Virtual da Biodiversidade
Os objetivos do programa Biota-FAPESP são inventariar, mapear e caracterizar a biodiversidade do Estado de São Paulo, incluindo fauna, flora e microrganismos, avaliar as possibilidades do uso sustentável de plantas, animais ou outros organismos com potencial econômico e subsidiar a formulação de políticas de conservação.

O Programa foi denominado Instituto Virtual da Biodiversidade por sua forma de organização, integrando pesquisadores de várias instituições e estudantes por meio da internet. Envolve mais de 1,2 mil profissionais (900 pesquisadores e estudantes das principais universidades públicas paulistas, institutos de pesquisa e organizações não-governamentais, 150 colaboradores de outros estados brasileiros e 80 do exterior).

Além do avanço do conhecimento fundamental e aplicado sobre a caracterização, conservação e uso sustentável da biodiversidade do Estado de São Paulo, o Biota-FAPESP vem contribuindo significativamente para a formação de recursos humanos altamente qualificados em pesquisa e desenvolvimento nessas áreas.

Fonte: Agência FAPESP

International Workshop on Long-term Studies on Biodiversity

Pesquisa sobre biodiversidade
Com o objetivo de sensibilizar a comunidade científica a respeito dos chamados programas de estudos de longa duração sobre biodiversidade, o Programa Biota-FAPESP realizará, no próximo dia 23 de novembro, em São Paulo, o International Workshop on Long-term Studies on Biodiversity.

Tendência em vários países, os chamados estudos de longa duração sobre biodiversidade possibilitam entendimento – em escalas espacial e de tempo mais amplas – dos processos biológicos e humanos que determinam o padrão de distribuição e abundância de espécies.

Ainda são poucos no Brasil e em São Paulo os programas de pesquisa que durem mais de dois ou três anos. Além disso, a falta de integração dos estudos, a sobreposição de projetos em um mesmo sítio e ausência em outros limitam o entendimento dos impactos que as mudanças ocorridas em determinado local podem provocar em outros.

“Fazer pesquisa de longa duração em documentação e conservação da biodiversidade implica mudanças na maneira de fazer pesquisa, por parte do pesquisador, desde a escolha do bioma a investigar até a forma de sistematizar e compartilhar dados. Já por parte das agências de fomento, é necessário criar programas em que a dimensão temporal esteja formalmente prevista e planejada”, disse Luciano Verdade, professor da Universidade de São Paulo (ESALQ-USP) e membro da coordenação do Biota-FAPESP.

No workshop, Penelope Firth, da Divisão de Biologia Ambiental da National Science Foundation, dos Estados Unidos, apresentará a palestra Dimensions on Biodiversity, sobre o programa de documentação da biodiversidade financiado pela agência. O programa de longa duração sobre processos ecológicos National Ecological Observatory Network (NEON), também financiado pela NSF, será o tema da palestra de Michael Keller.

O programa Long-Term Ecological Research (LTER), de Portugal, será o tema da palestra de Margarida Santos-Reis, da Universidade de Lisboa e vice-presidente da Sociedade Portuguesa de Ecologia.

Flávia Costa, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), falará sobre o Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio), coordenado por ela. O programa do Ministério da Ciência e Tecnologia, de abrangência nacional, aborda um grande número de sítios de estudos de biodiversidade com padronização amostral e um banco de dados aberto à sociedade.

“Avaliação intermediária de programas de longa duração” será o tema de Rafael de Sa, da Divisão de Biologia Ambiental da NSF. “Banco de dados compartilhado” será o tema de Luiz Horta, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que apresentará a estrutura e funcionalidade do Banco de Dados do Programa de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera da Amazônia (LBA), do Inpa.

O workshop será realizado no Espaço APAS (Associação Paulista de Supermercados), rua Pio XI, 1.200, Alto da Lapa.

Fonte: Agência FAPESP

Sorbonne: Iheal lança chamada para professores convidados em Ciências Humanas e Sociais


Seleção para professores na França
O Instituto de Altos Estudos da América Latina (Iheal, na sigla em francês), ligado à Universidade Sorbonne Nouvelle – Paris 3, lançou uma chamada de candidaturas para as cátedras de professores convidados para o ano letivo 2011-2012. Os docentes interessados poderão se inscrever até o dia 15 de dezembro.

Há mais de uma década o Iheal atribui, anualmente, cátedras a professores e pesquisadores estrangeiros que trabalham em pesquisas sobre a América Latina na área das ciências humanas e sociais.

Instituídas pelo Ministério do Ensino Superior e da Pesquisa da França, essas cátedras são parte da política do país de cooperação científica com o continente latino-americano. O objetivo é que o Iheal possa tecer elos com as universidades latino-americanas e consolidar uma ampla rede científica.

Os objetivos das cátedras incluem: aumentar a colaboração em matéria de ensino e de pesquisa em ciências sociais entre a Europa e a América Latina e sensibilizar os estudantes para as questões e debates relativos a essa área nos campos político, econômico, social e cultural, além de promover intercâmbios de professores, pesquisadores, especialistas e estudantes.

As cátedras são exclusivamente reservadas a professores pesquisadores de diferentes continentes especializados no estudo das sociedades latino-americanas e vinculados a universidades dessas regiões.

A Cátedra Simón Bolívar é voltada a docentes de toda a América Latina. A Cátedra Antonio Nariño tem foco em professores da Colômbia e dos países andinos. A Cátedra Pablo Neruda é voltada para o Chile e países do Cone Sul. A Cátedra Alfonso Reyes é dedicada ao México, América Central e Caribe.

Os candidatos deverão ter menos de 65 anos durante seu período de ensino ou estada no Iheal e deverão ser titulares de um doutorado. O Iheal privilegia as candidaturas para estadas longas de um semestre ou de um ano, possibilitando uma real inserção dos professores convidados nas atividades de ensino e de pesquisa da universidade.

Os beneficiários das cátedras deverão ministrar duas formações por semestre: uma de 24 ou 26 horas, conforme o semestre (ou seja, duas horas semanais), a outra de 12 ou 14 horas conforme o semestre (ou seja, duas horas quinzenais).

Um desses cursos fará uma abordagem geral e didática sobre a América Latina e o outro terá foco nos estudantes do Master Pesquisa e Profissional. Os cursos deverão corresponder aos temas de pesquisa e competências do professor convidado.

O Iheal recebe candidaturas em todas as disciplinas das ciências humanas e sociais. Os professores e pesquisadores que se beneficiam da cátedra poderão realizar um de seus cursos em outras unidades da Universidade Sorbonne Nouvelle – Paris 3, bem como em outras instituições universitárias francesas ou europeias com as quais o Iheal mantém colaborações.

Fonte:Agência FAPESP