quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Pintec 2008 avalia desempenho na área de pesquisa e desenvolvimento

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a Pesquisa de Inovação Tecnológica (Pintec 2008), com informações que visam à construção de indicadores nacionais e regionais das atividades de inovação tecnológica nas empresas industriais, de telecomunicações, de informática e de pesquisa e desenvolvimento (P&D) brasileiras.

De acordo com o documento, a taxa de inovação somando indústria, serviços (edição, telecomunicações e informática) e P&D foi de 38,6%, contra 34,4% em 2005, num universo de 106 mil empresas.

Entre as atividades, a área de P&D apresentou o melhor desempenho, com uma taxa de inovação de 97,5%, seguida dos serviços selecionados, com 46,2%, e da indústria, com 38,1%.

Apesar do setor industrial ficar abaixo, este resultado é o melhor desde 2000, quando teve início a primeira pesquisa, e o número chegou a marca de 31,5%, passando por 33,3% em 2003, e 33,4% em 2005.

Em relação ao percentual gasto em atividades inovativas, o total somando indústria, serviços e P&D foi de 2,9%, ficando novamente à frente a atividade de pesquisa e desenvolvimento, com 71,15%.

Alguns dos principais problemas e obstáculos apontados para inovar são os elevados custos da inovação, os riscos econômicos excessivos, a falta de pessoal qualificado, e a escassez de fonte de financiamento.

A Pintec conta com o apoio da Finep e do MCT. Figuram ainda no documento informações sobre o esforço empreendido para inovação de produtos e processos; identificação do impacto das inovações no desempenho e competitividade das empresas; fontes de informação e relações de cooperação estabelecidas com outras organizações; apoio do governo para as atividades inovativas; entre outros dados.

Adquira o cd com as informações completas no site.

Fonte: Gestão CT

Fórum conjunto Confap e Consecti acontece em dezembro

Está marcado para os dias 2 e 3 de dezembro o fórum conjunto dos conselhos nacionais de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti) e das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap). O evento será realizado em Fortaleza (CE) e terá a participação do ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende.

A pauta do evento conta com debates sobre como a relação entre o governo, empresas e universidades pode contribuir para a inovação tecnológica; as perspectivas da ciência, tecnologia, inovação (CT&I) e educação superior para os próximos quatros anos; e o plano nacional do segmento para o desenvolvimento sustentável. O evento terá, ainda, a participação do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Municipais de CT&I.

Fonte: Gestão CT

CNPq divulga resultados dos editais Universal 2010 e biodiesel

O CNPq divulgou o resultado de dois editais, Universal 2010 e de apoio à pesquisa na área de biodiesel. No primeiro foram aprovadas 3,5 mil propostas com um investimento de R$ 120 milhões, distribuídos em três faixas.

O edital Universal tem como objetivo selecionar propostas que visem contribuir para o desenvolvimento científico e tecnológico do país, em qualquer área do conhecimento.

O edital 3/2010, que tem como finalidade promover o desenvolvimento da cadeia produtiva do biodiesel, divide-se em duas linhas de pesquisa. A primeira, Cadeia de Produção e Uso do Biodiesel, aprovou 14 propostas. Já a segunda linha, Cadeia Produtiva do Biodiesel – Sustentabilidade Ambiental teve dez projetos selecionados.

Os investimentos somam R$ 15 milhões. Os projetos terão o valor de financiamento de acordo com a linha de pesquisa, sendo o máximo de R$ 900 mil e mínimo de R$ 600 mil para a linha 1, e R$ 600 mil e R$ 400 mil para a linha 2.

Fonte: Gestão CT

Ser moderno e multitarefa pode prejudicar sua saúde

Na vida diária, com a modernidade e tecnologia acelerada é comum percebermos excesso de informações e acúmulo de tarefas. O tempo é dividido entre responder dezenas de e-mails, atualizar-se com as últimas notícias, bate-papos on-line e ao vivo, atender telefonemas, assistir aos programas de televisão, ler livros, fazer as tarefas domésticas e, mais recentemente, twitar, atualizar e responder os recados nas redes sociais. A partir disso, acontecem com maior incidência problemas de concentração e acúmulo de estresse devido aos excessos no dia a dia.

Todas essas tarefas, tão comuns na rotina da geração Y e dos interessados em tecnologia, afetam de forma negativa e, às vezes, quase imperceptível, a saúde, visto que julgamos o estresse como algo normal na vida de uma pessoa informatizada, atarefada e moderna. Porém, estar estressado ou ter dificuldades de concentração pode provocar diversos problemas e nos tornar pessoas menos saudáveis.

Para explorar o assunto, o Olhar Vital entrou em contato com Marco Py, neurologista e coordenador da Neuro-UTI do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), e com Allan Gonçalves Dias, médico psiquiatra da UFRJ e diretor adjunto de assistência do Instituto de Psiquiatria (IPUB) da UFRJ, abaixo as opiniões dos especialistas sobre o que o excesso de informações e tarefas pode causar nos dias de hoje:

Marco Py
Neurologista e coordenador da Neuro-UTI do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ)

“Tem sido descrito que o excesso de informações, geralmente muito superficiais, pode, sim, causar dificuldade da atenção e da concentração. A memória é afetada de forma secundária, pela alteração da atenção.

Assim, como a pessoa não fixa a atenção, não consegue reter as informações na memória. Além disso, há maior ansiedade e uma sensação de frustração, pela impossibilidade de cumprir todas as tarefas assumidas e responder todas as solicitações.

Outro fator é a superficialidade das informações, que gera a impressão de estar atualizado sobre tudo, porém sem a profundidade necessária para um juízo crítico das informações.”

Allan Gonçalves Dias
Psiquiatra diretor adjunto de assistência do Instituto de Psiquiatria (IPUB/UFRJ)

“Embora no passado a medicina acreditasse que o número crescente de estímulos externos levasse a um incremento das capacidades cognitivas de cada indivíduo, alguns estudos recentes têm demonstrado que a capacidade do ser humano de manter tarefas paralelas é mais limitada do que imaginávamos. Em suma, embora o cérebro humano possa executar tarefas simultâneas, a performance decresce à medida que mais estímulos vão surgindo.

Somos menos ‘multitarefa' do que se pensava. A atenção de todos nós se divide em vigilância ― que é a capacidade de se manter ligado ao meio ―; e a tenacidade, que é nossa capacidade de manter o foco em uma atividade.

Atualmente, esse ambiente sobrecarregado de estímulos carrega nossa vigilância e reduz nossa tenacidade. Estar em um desktop com quatro aplicativos rodando reduz nossa capacidade de ler um texto de forma concentrada na tela.

Fonte: Luiza Ramos e João Marcelo Minhava / Olhar Vital - UFRJ

Alfândega compromete pesquisas de oito em cada dez cientistas brasileiros

Um levantamento realizado pelo Laboratório Nacional de Células-Tronco Embrionárias do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB-UFRJ) revela o quadro alarmante vivido pela comunidade científica do país em relação às dificuldades de importação de equipamentos e reagentes científicos. O estudo afirma que 76% dos cientistas brasileiros já perderam algum reagente na alfândega e 88% relatam que apesar das novas resoluções da Receita Federal e Anvisa, a situação continua a mesma.

Os dados coletados dão continuidade a pesquisas anteriores, realizadas em 2004 e 2007, sobre as dificuldades de importação de equipamentos e reagentes científicos no Brasil. Desta pesquisa participaram 165 cientistas de 35 instituições científicas de 13 estados brasileiros. Um dos organizadores do levantamento, publicado no dia 26 de outubro, foi o doutor Steven Kastrup Rehen, professor e diretor adjunto de Pesquisa do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de janeiro que fala ao Olhar Vital sobre as conquistas das primeiras pesquisas e dos desafios que ainda precisam ser superados.

Rehen explica que a partir da divulgação dos levantamentos anteriores e de uma grande mobilização da comunidade científica, houve mudanças na legislação com o objetivo de desburocratizar a importação de reagentes, entretanto a melhora efetiva não foi percebida pelos cientistas. “Essa nova pesquisa ratifica que infelizmente não houve melhora no processo de importação de reagentes científicos, apesar das novas instruções normativas da Receita Federal e da Anvisa", afirma o docente.

O especialista diz não acreditar na culpa exclusiva de nenhuma organização e que o governo se esforça para reduzir a carga burocrática. "Apesar dos esforços do governo, são tantos os entraves que somente uma ação conjunta dos Ministérios da C&T, Saúde, CNPq, FAPs, Anvisa e Receita poderá reverter a situação", explica Rehen, que lamenta o fato das resoluções já aplicadas não terem obtido sucesso.

Cientistas relataram ter de alterar o objetivo original de suas pesquisas em virtude do risco de não conseguir completá-las pela demora no processo de importação de muitos reagentes. Atrasos e perdas como essas relatadas prejudicam a pesquisa no país, levam ao atraso científico em relação a outros países e inviabilizam projetos, como explica Steven. "Muitos projetos de pesquisa hoje no Brasil são inviabilizados pelos empecilhos na obtenção ágil de equipamentos e reagentes para a pesquisa. Enquanto um cientista nos Estados Unidos espera 24 horas pela chegada de um determinado reagente, nós aqui esperamos no mínimo um mês. Impossível gerar patentes ou competir em áreas de ponta ou estratégicas para o desenvolvimento do país”.

Outro problema gerado por essa burocratização é a chamada fuga de cérebros, que leva jovens e promissores cientistas a outros países em busca de melhores condições de pesquisa. "Claro que a burocracia que impede a rápida importação de material de pesquisa e reagentes contribui para a decisão de alguns cientistas brasileiros em migrar ou permanecer no exterior. Eu diria, inclusive, que uma das causas da baixa competitividade da pesquisa brasileira, principalmente na área biomédica, é a dificuldade de importação de material científico", afirma Rehen, que lamenta o quadro atual, mas diz acreditar que o novo estudo possa trazer consequências positivas e efetivas para a situação.

Fonte: Jamille Ribeiro / Olhar Vital - UFRJ

UNESP: vaga para Bolsa de Pós-Doutorado em zootecnia

O Grupo de Pesquisa em Exigências Nutricionais da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Jaboticabal, dispõe de uma vaga para Bolsa de Pós-Doutorado vinculada ao Projeto Temático “Metabolismo, exigências nutricionais e características de carcaça de caprinos em fase de crescimento”, apoiado pela FAPESP.

A oportunidade está aberta a portadores de título de doutor na área de zootecnia, com experiência em exigências nutricionais e fluência na língua inglesa. O bolsista selecionado desenvolverá trabalhos relacionados ao Projeto Temático e à formação de recursos humanos.

As inscrições deverão ser feitas com o professor Kléber Tomás de Resende, coordenador do Temático, pelo e-mail  ou e-mail  até o dia 15 de novembro de 2010.

A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros . O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP, no valor aproximado de R$ 5.028,90 mensais.

Fonte: Agência FAPESP

Instituto Butantan: pós-graduação em toxinologia

O Instituto Butantan lançou edital para as inscrições do processo seletivo de seu programa de pós-graduação em toxinologia.

Iniciado em 2010, o curso aborda de forma multidisciplinar o estudo de venenos e toxinas de diferentes espécies e seus efeitos em sistemas biológicos, englobando quatro linhas de pesquisa: toxinas e sistemas biológicos, toxinologia estrutural, envenenamento e terapêutica e bioprospecção e desenvolvimento.

O objetivo é formar profissionais capacitados para atuar em áreas básicas do conhecimento como bioquímica, biologia molecular, farmacologia, biologia celular, patologia e também para atuar em inovação e desenvolvimento.

O programa é direcionado a profissionais das áreas de ciências biológicas, biomédicas, químicas e afins.

Os interessados devem também apresentar comprovante de proficiência em língua inglesa. Além de certificados de instituições reconhecidas pelo edital, o Butantan também aceita o exame de proficiência aplicado na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo e as inscrições para essa prova vão de 8 a 21 de novembro.

As inscrições para o ingresso ao programa de pós-graduação vão de 10 a 21 de janeiro de 2011 e envolvem as modalidades mestrado, doutorado e doutorado direto.

Informações pelo e-mail .

Fonte: Agência FAPESP

Brasil e EUA: Planejamento Urbano e Construção Civil Sustentáveis com Eficiência Energética para Áreas de Baixa Renda nas Américas

Os governos do Brasil e dos Estados Unidos realizam dias 4 e 5, no Palácio Itamaraty, no Rio, o encontro Planejamento Urbano e Construção Civil Sustentáveis com Eficiência Energética para Áreas de Baixa Renda nas Américas.

Inspirado na Parceria das Américas sobre Energia e Clima, proposta pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, na Cúpula das Américas, em abril de 2009, o encontro tem o objetivo de criar uma rede de urbanistas voltada para o planejamento sustentável e a construção civil com eficiência energética.

A delegação americana é chefiada pela subsecretária do Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano, Ana Marie Argilagos.

A cerimônia de abertura está marcada para as 9h, e às 10h, haverá entrevista coletiva de representantes das delegações americana e brasileira, entre eles o ministro das Cidades, Marcio Fortes, e o subsecretário-geral para Energia e Alta Tecnologia do Itamaraty, embaixador André Amado.

Fonte: TN Petróleo