sábado, 16 de outubro de 2010

Convênio permite intercâmbio de estudantes brasileiros em escolas técnicas canadenses

Convênio assinado na última sexta-feira (8) permitirá o intercâmbio de estudantes da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica em escolas técnicas canadenses. A iniciativa é do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) e da Association of Canadian Community Colleges (ACCC).

As áreas de maior interesse são turismo, gastronomia, agricultura, aeronáutica, telecomunicações e meio ambiente. As instituições terão autonomia para assinatura de termos de cooperação entre si e para promover o intercâmbio de alunos.

Rede
A rede conta com 38 institutos federais de educação, ciência e tecnologia, dois centros federais de educação tecnológica (Cefets), além da Universidade Tecnológica Federal do Paraná e escolas técnicas vinculadas a universidades.(Com informações do MEC) 

Fonte: Gestão CT

UFRJ: Pesquisa sobre enzimas pode ajudar no controle de infecções por fungos e protozoários (Candida albicans e parapsllosis)

Estudo de enzimas pode ajudar no controle de infecções por fungos e protozoários
Cientistas ao redor do mundo procuram entender os processos de infecção que causam as mais variadas doenças, para que possam elaborar os tratamentos adequados. É o que faz o professor José Roberto Meyer Fernandes, do Instituto de Bioquímica Médica (IBqM-UFRJ), que realiza pesquisas com protozoários parasitas e fungos patogênicos. Ele estuda ecto-enzimas, tipos de enzimas que são as primeiras moléculas dos organismos invasores a entrarem em contato com o hospedeiro. Recentemente, o professor analisou essas estruturas nos fungos Candida albicans e Candida parapsllosis, o que lhe rendeu duas publicações em periódicos internacionais.

As enzimas são, em sua maioria, biomoléculas proteicas que aceleram reações químicas dentro das células. Segundo José Roberto, ecto-enzimas são enzimas que expõem seus sítios catalíticos (locais onde ocorrem as reações químicas) para fora da célula de um organismo unicelular ou um tecido. O estudo de Candida albicans, fungos que podem causar infecções orais e vaginais, foi focado em um tipo de ecto-enzima, a ecto-fosfatase. "Nós temos trabalhado com a caracterização destas enzimas com os patógenos vivos, íntegros, nas condições de infecção", conta o professor.

Ele constatou que a Candida albicans isolada, quando obtida de pacientes HIV positivo, apresenta maior atividade da ecto-fosfatase. "Assim, o tratamento destes fungos com inibidores específicos desta enzima é eficaz contra a infecção", concluiu ele. O trabalho foi divulgado na Oral Diseases.

O grupo do professor também estudou outra ecto-enzima, a ecto-ATPase, em um fungo patogênico, a Candida parapsllosis, que acomete indivíduos imunocomprometidos, principalmente os infectados pelo HIV. A pesquisa originou um artigo publicado recentemente no FEMS Yeast Research, cujos resultados mostram que inibidores para essa enzima reduzem drasticamente a infecção de células epiteilais pela Candida parapsllosis.

O professor e seu grupo de alunos de doutorado, mestrado e iniciação científica propõem, desde 2001, que as ecto-enzimas são mecanismos que permitem a invasão do hospedeiro. Esta descoberta tem sido comprovada por outros pesquisadores em diversos países e já é assunto de várias revisões publicadas. "No caso das ecto-ATPases, nós temos evidências tanto em fungos, quanto em protozoários como a Leishmania, de que existe a participação delas no processo de resistência a drogas", revela o cientista.

Em um artigo publicado na Experimental Parasitology, em 2006, por exemplo, ele mostrou que a Leishmania amazonensis (agente causador da Leishmaniose cutânea) com maior atividade ecto-ATPásica infecta muito mais a célula hospedeira do que aqueles com menos atividade nesse sentido. O trabalho ainda apontou que o bloqueio desta enzima com anticorpos específicos diminui a infecção de macrófagos (células de grandes dimensões do tecido conjuntivo).

Fonte: Cília Monteiro / Olhar Vital-UFRJ

INPE: Curso sobre o uso de imagens de satélite em sala de aula dentro do 6ºEUsISSeR

Está marcada para o próximo dia 26 a realização de um curso sobre o uso de imagens de satélite em sala de aula. Voltada para os professores da rede pública de ensino de São José dos Campos (SP), a oficina será ofertada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O objetivo é mostrar aos alunos as ferramentas de exploração e monitoração de florestas, o uso da terra e dos recursos naturais do planeta.

As aulas serão ministradas no 6º Encontro com Usuários de Imagens de Satélites de Sensoriamento Remoto (6ºEUsISSeR). Com duração de quatro horas, o curso abordará os fundamentos de sensoriamento remoto, os conceitos básicos para a formação de imagens de satélite, o comportamento espectral dos objetos terrestres, os diferentes sensores e seus produtos, entre outras pautas.

A oficina será realizada no campus do parque tecnológico da cidade e conta com o apoio do Programa AEB Escola, da Agência Espacial Brasileira (AEB).O Inpe é uma entidade associada à ABIPTI. (Com informações do Inpe)

Fonte: Gestão CT

IEA: ciclo "Idosos do Brasil: Estado da Arte e Desafios"

IEA inicia ciclo sobre os problemas dos idosos no Brasil

"Demografia e Referência Legal" é o tema da mesa-redonda que acontece segunda-feira, 18 de outubro, às 14h30, na abertura do ciclo "Idosos do Brasil: Estado da Arte e Desafios". Os objetivos do ciclo são organizar uma agenda dedicada aos idosos, estudar um modelo para sua atenção integral e identificar ações que contribuam com as diretrizes da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, aprovada pela Portaria 2.528/06 do Ministério da Saúde.

Os debatedores dessa primeira atividade do ciclo serão: Salete Maccalóz, desembargadora federal do Tribunal Regional Federal da 2ª Região e professora da UFRJ e da Uerj, com experiência na área de direito privado; e Marília Louvison, mestre em saúde pública e médica da Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo, com experiência em saúde coletiva, com ênfase em gestão, planejamento e epidemiologia de serviços de saúde e em regulação, controle, avaliação e auditoria.

A coordenação do ciclo e da mesa estará a cargo de David Braga Jr., do Centro de Estudos e Pesquisa do Projeto Mais (Modelo de Atenção Integral à Saúde) do Hospital Premier — instituição apoiadora do ciclo —, ex-secretário da Saúde de Campinas e ex-diretor do Hospital dos Servidores Públicos.

Os temas das outras 12 mesas-redondas serão:

* políticas públicas relacionadas;
* fisiologia e fisiopatologia do envelhecimento;
* modelos de atenção e de organização das redes de serviços e linhas de cuidados, financiamento, estrutura, processos e impactos;
* formação e capacitação profissional;
* sistema de informação;
* trabalho, renda, previdência e assistência social;
* empreendedorismo, lazer, entretenimento, cultura e arte;
* aspectos urbanos e habitacionais;
* hospitais, casas de repouso, asilos, residências protegidas;
* questões jurídicas, custódia, interdição, tutela, herança, testamento;
* questões relacionadas à bioética, a biologia x a biografia;
* o direito relacionado à imagem, à linguagem e à memória; de decisão sobre a terminalidade da vida.

A partir desses debates, pretende-se constituir uma agenda voltada à melhoria da qualidade de vida dos idosos e vinculada aos seguintes aspectos:

* promoção do envelhecimento ativo e saudável;
* atenção integral, integrada à saúde da pessoa idosa;
* estímulo às ações intersetoriais, visando à integralidade da atenção;
* provimento de recursos capazes de assegurar qualidade da atenção à saúde da pessoa idosa;
* estímulo à participação e fortalecimento do controle social;
* formação e educação permanente dos profissionais de saúde do SUS na área de saúde da pessoa idosa;
* divulgação e informação sobre a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa para profissionais de saúde, gestores e usuários do SUS;
* promoção de cooperação nacional e internacional das experiências na atenção à saúde da pessoa idosa;
* apoio ao desenvolvimento de estudos e pesquisas.

LOCAL
Auditório Alberto Carvalho da Silva, sede do IEA, Rua da Reitoria, 374, térreo, Cidade Universitária, São Paulo (mapa).

WEB
O evento terá transmissão ao vivo pela internet.

INFORMAÇÕES
Com Sandra Sedini  tel. (11) 3091-1678.

Fonte: IEA

Os blogs e a credibilidade da informação

Como nosso primeiro tema é credibilidade na informação, vamos iniciar apimentando a conversa. Para isso, tratemos de relembrar um fato recente, que foi motivo de barulho nas mídias sociais; a liminar judicial – provocada pelo jornal Folha de S. Paulo, que determinou a retirada do site paródia “Falha de S. Paulo” da web.

Para justificar a ação judicial, o jornal alegou o uso indevido da marca, o que provocou o surgimento de inúmeros debates. Entre eles, a censura, os limites da liberdade de expressão e a imparcialidade dos veículos de comunicação.

A pergunta que fica no ar é: Até que ponto um blog, ou site, é capaz de formar e catequizar a opinião de leitores a ponto de se tornar ameaça a um grande jornal? A resposta é: até o ponto em que conquista a confiança do leitor.

Para a social media Raquel Recuero a construção da credibilidade acontece quando autoridade, popularidade e reputação relacionam-se entre si. Nessa linha de raciocínio, visualizo a formação de um ciclo, onde a reputação é difundida a partir da confiança gerada no leitor. O que gera popularidade e por conseqüência autoridade. O fato é que não há segredo para fidelizar leitores, basta que se construa textos bem fundamentados, com apresentação de fatos e fontes seguras.

Essas três palavras mágicas – autoridade, popularidade e reputação – já foram conquistada pelos grandes jornais. Mas a web trouxe novas tendências que estão aos poucos reconstruindo paradigmas e aumentando a concorrência quando a questão é ‘informação de qualidade’. A facilidade em adquirir e trocar conhecimento, participar de debates, informar e sair do anonimato estão entre elas.

No caso da censura acima citada, o site Falha de S. Paulo veiculou fortes críticas à Folha, apresentando fatos em cada post, o que fundamentava o tema apresentado; por consequência, passou a conquistar a confiança do público, e convencer. Efeito dominó: A credibilidade tem o dom de fidelizar. E com o advento das mídias sociais, ficou fácil divulgar e compartilhar conteúdos de qualidade.

Esse gráfico ilustra a dinâmica de disseminação das informações na internet:

A internet trouxe a possibilidade de participar de calorosas discussões e debates paralelamente às atividades diárias, o que contribui com a assiduidade dos internautas. São nos ciberespaços, nas mídias sociais, que trocamos conhecimentos e colaboramos com a divulgação de possíveis manobras que desafiam a imparcialidade. Tornou-se fácil fiscalizar, informar e ser informado. Quem divulga a boa informação é o próprio leitor.

O grupo Nielsen desenvolveu uma pesquisa para medir o grau de confiança de variadas formas de publicidade. De acordo com o estudo, 90% das pessoas confiam em recomendação de pessoas conhecidas. E a opinião dos consumidores postadas na web tem aceitação de 70% dos entrevistados.


É isso, qualidade e credibilidade são a chave para conquistar bons leitores. Se o conteúdo que produz é denso, dificilmente ficará vagando solitariamente pela rede. Logo encontra leitores famintos pelas esquinas da web e o boca a boca garante a divulgação. Não exige capital nem muita infra-estrutura. É sentar, redigir, sempre lembrando-se de fundamentar. E não se esqueça de abrir o canal para interatividade com o público, que estará sempre disposto a contribuir com sugestões, críticas e elogios.

Fonte: Olhar Digital

Primeiro ciclo de acompanhamento do Sistema UAB

Já está em andamento pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), o primeiro ciclo de acompanhamento do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB), que se encerra em dezembro. O objetivo é oferecer subsídios ao planejamento, execução e evolução dos cursos, impulsionando a qualidade dos mesmos.

O acompanhamento é feito por meio de análise da infraestrutura dos polos e dos recursos acadêmico-didático-pedagógicos dos cursos. As etapas do processo compreendem visita às instituições de ensino superior (IES) e polos, com o objetivo de mapear as condições de oferta de cursos a distância.

Também é realizada uma coleta online da percepção dos alunos, tutores, professores e coordenadores. Inicialmente, serão acompanhadas as 30 IES participantes do primeiro edital (UAB 1) que ofertam 60 cursos de licenciatura em 341 polos de apoio presencial da UAB.

Informações podem ser obtidas pelo telefone (61) 2022-6380 ou pelo e-mail (Com informações da Capes) 

Fonte: Gestão CT

Itep: vaga para diretor de Pesquisa e Pós-Graduação

O Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep) seleciona candidatos ao cargo de diretor de Pesquisa e Pós-Graduação da instituição. As candidaturas deverão ser formalizadas até o dia 30 de novembro. Os interessados deverão apresentar de forma escrita e oral um plano preliminar de gestão, concebido para ser executado por um período de três anos.

Poderão se candidatar brasileiros natos ou naturalizados, com título de doutor e experiência comprovada no setor público ou privado em atividades de pesquisa e pós-graduação, e com atuação profissional mínima de quatro anos na área.

Serão permitidas visitas ao Itep, agendadas com o diretor presidente, Frederico Montenegro, para obtenção de informações sobre a realidade técnica, organizacional, financeira e outras que contribuam para melhor entendimento da instituição.

Compete à diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação: dirigir as atividades das unidades a ela subordinada; assistir a diretoria presidente em suas funções; substituir o diretor presidente; e exercer as funções recebidas por delegação, delas prestando contas.

Fonte: Gestão CT

Fundect: edital para apoiar programas de pós-graduação

A Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) está recebendo propostas, até o dia 27 de outubro, para o edital 19/2010.

O objetivo é conceder apoio financeiro com vistas a proporcionar melhores condições na formação de recursos humanos, na produção e no aprofundamento dos projetos de pesquisa desenvolvidos no âmbito dos Programas de Pós-Graduação Stricto Sensu no Estado.

As instituições devem estar localizadas no Mato Grosso do Sul e serem de ensino superior, de direito público, federal ou estadual, ou privada. Além disso, devem oferecer cursos vinculados a Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) com nota igual ou superior a três.

Já o candidato deve residir no Estado, ter título de doutor, e ser servidor efetivo de instituição de ensino superior do Mato Grosso do Sul. As propostas deverão ser executadas em um período de 12 meses e enquadradas em uma das seguintes faixas de solicitação: até R$ 10 mil para os cursos de mestrado; até R$ 15 mil para os cursos de doutorado; e até R$ 25 mil para programas de pós-graduação com curso de mestrado e doutorado.A Fundect é uma instituição associada à ABIPTI.

Fonte: Gestão CT

Fapeg: bolsas de estudo para docentes da UEG

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Goiás (Fapeg) lançou edital (10/2010) para selecionar candidatos para a concessão de bolsas de mestrado e doutorado. Serão beneficiados docentes que ocupam cargos efetivos na Universidade Estadual de Goiás (UEG). As propostas poderão ser submetidas de 25 de outubro a 24 de novembro.

Serão concedidas até 25 bolsas, sendo no mínimo dez para doutorado. O investimento soma R$ 1,2 milhão. Para concorrer, o candidato não pode receber outra bolsa da mesma natureza. Serão selecionados pesquisadores matriculados em cursos de pós-graduação stricto sensu, recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação (Capes).

O valor da mensalidade da bolsa é de R$ 1,8 mil para doutorado e de R$ 1,2 mil para mestrado, concedidas pelo prazo máximo de 12 meses. Os prazos poderão ser prorrogáveis. Mas, a instituição lembra que a renovação ou manutenção da bolsa dependerá do desempenho acadêmico do bolsista.

Fonte: Gestão CT

Faperj: 4 novos editais contam com R$ 13,5 milhões

A Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) lançou quatro novos editais, que juntos aplicarão R$ 13,5 milhões na CT&I fluminense. As chamadas apoiarão pesquisas sobre a biodiversidade do Estado; estudos clínicos em hospitais universitários; incubadoras de empresas; e melhoria do ensino em escolas públicas.

Podem participar das chamadas pesquisadores com vínculo empregatício ou funcional em instituições de ensino e pesquisa públicas ou privadas sediadas no Estado, com grau de doutor ou equivalente, com produção científica ou tecnológica de qualidade.

Edital 18/2010 – Incubadoras de empresas
A proposta da chamada, que está na segunda edição, é apoiar a infraestrutura física e administrativa de incubadoras de empresas de base tecnológica sediadas em instituições de ciência e tecnologia (ICTs) em operação no Rio de Janeiro. As inscrições podem ser feitas até 11 de novembro. O programa conta com R$ 3 milhões.

Edital 19/2010 – Biodiversidade
Inédito no Estado, o Programa para Apoio ao Estudo da Biodiversidade do Estado do Rio de Janeiro (Biota – RJ) está voltado a promover o mapeamento, a caracterização, a conservação, a recuperação e o uso sustentável da fauna, flora e microbiota fluminense. Estão disponíveis para esta chamada R$ 4 milhões, que serão pagos em duas parcelas. A submissão das propostas pode ser feita até 18 de novembro.

Edital 20/10 - Estudos clínicos em hospitais universitários
Em sua segunda edição, o programa de apoio a hospitais universitários sediados no Estado destinará R$ 5 milhões para a aquisição e manutenção de equipamentos, além de custear obras de infraestrutura que facilitem a execução de pesquisas clínicas, visando ao diagnóstico, prognóstico e tratamento de enfermidades. Os projetos devem ser encaminhados por pesquisadores do corpo clínico dos hospitais universitários fluminenses até 25 de novembro.

Edital 21/2010 – Melhoria do ensino em escolas públicas
O programa destinará R$ 1,5 milhão para projetos que abordem temas relevantes ao processo de ensino-aprendizagem e que permitam o aprimoramento da infraestrutura das escolas públicas de nível médio e fundamental. A submissão de projetos poderá ser feita até 25 de novembro.(Com informações da Faperj)

Fonte:Gestão CT

UFRJ: aplicações farmacológicas do ouriço do mar

Estudo descobre aplicações farmacológicas do ouriço do mar
Há algum tempo pesquisas vêm sendo realizadas com ouriços do mar, dentre elas, a importante descoberta de uma substância capaz de auxiliar no tratamento da trombose. De acordo com o professor Paulo Mourão, do Laboratório de Tecido Conjuntivo do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF/UFRJ), os ouriços são uma fonte abundante de polissacarídeos sulfatados, encontrados na matriz gelatinosa que envolve seus óvulos. “Tais polissacarídeos são estruturalmente análogos à heparina, um tipo de polissacarídeo sulfatado utilizado no tratamento da trombose e produzido comercialmente a partir de intestinos e pulmões de bovinos e suínos”, explica o professor.

Na trombose ocorre um desequilíbrio do sistema hemostático que, por sua vez, compreende o sistema de coagulação sanguínea. Os polissacarídeos encontrados no ouriço, assim como a heparina, podem interagir com diversas proteases e cofatores da coagulação sanguínea, possibilitando sua aplicação no tratamento contra a trombose. “No entanto, as galactanas e fucanas sulfatadas de organismos marinhos possuem mecanismos de ação anticoagulante distintos da heparina. O efeito destes compostos sobre as proteínas do sistema de coagulação depende do padrão de sulfatação do polímero e sua composição monossacarídea”, alerta Paulo Mourão.

Além de auxiliar no tratamento da trombose, estudos mostram que os polissacarídeos sulfatados encontrados nos ouriços podem também apresentar outras atividades farmacológicas, como anticoagulante, antitumoral e anti-inflamatória.

Segundo Paulo Mourão, estas substâncias permitem a possibilidade de diminuição do uso da heparina. “O uso substancial da heparina possui uma série de limitações, especialmente relativas aos efeitos colaterais e à possibilidade de contaminações. Existe uma necessidade pela busca de drogas alternativas”, conclui o pesquisador.

Fonte: Stephanie Tondo / Olhar Vital-UFRJ

Fundect: R$ 127 mil para pesquisas em políticas públicas

A Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso do Sul (Fundect) aprovou nove projetos de pesquisa voltados para a melhoria das políticas públicas do Estado. Os recursos que serão destinados para as propostas são da ordem de R$ 126,9 mil, sendo R$ 98,6 mil para custeio e R$ 28,3 mil para aquisão de equipamentos e material permanente.

Os projetos foram aprovados dentro do edital 01/2010, que recebeu ao todo 18 propostas. O objetivo da chamada foi implementar e incentivar ações relevantes em Mato Grosso do Sul, em qualquer área do conhecimento.(Com informações da Fundect) 

Fonte: Gestão CT

Fapergs: divulgado resultado final de três editais

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) divulgou o resultado final do edital 3/2010 - Programa de Interação Universidade/Empresa (IUE). Foram selecionadas 11 propostas. Os investimentos somam R$ 2 milhões.

O objetivo é financiar projetos que visem a inovação e a modernização tecnológica de produtos e processos, empreendidos por universidades, institutos e centros de pesquisa em cooperação com empresas, em todas as áreas do conhecimento.

A Fapergs também disponibilizou o resultado do edital que tem como objetivo apoiar a realização, no Rio Grande do Sul, de congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclos de conferências, de âmbito nacional ou internacional, relacionados à ciência, tecnologia e inovação.

Ao todo, 31 propostas foram classificadas. O edital prevê aplicação de recursos da ordem de R$ 750 mil. Alguns dos temas abordados são: arquitetura e urbanismo; artes e letras; ciências agrárias; ciências biológicas; engenharias; geociências; entre outros.

Também está disponível no site da Fapergs o resultado final do edital 10/2010, cujo objetivo é custear projetos que estudem a evolução da pesquisa científica, tecnológica e artística do Rio Grande do Sul. Foram aprovadas dez propostas. Os investimentos somam R$ 250 mil.

Fonte: Gestão CT

Faperj: criada bolsa de doutorado-sanduíche e assinados acordos com instituições estrangeiras

A Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) criou a modalidade de fomento para Estágio de Doutorandos no Exterior, ou bolsa doutorado-sanduíche.

A iniciativa permitirá à Faperj priorizar o fomento de redes cooperativas de ensino e de pesquisa entre instituições estrangeiras e estudantes de doutorado matriculados em programas de pós-graduação reconhecidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), sediados no Rio de Janeiro.

“Quem já utilizou a bolsa sanduíche sabe o valor que tem para um doutorando ser exposto a um ambiente diferente de pesquisa, em uma instituição de excelência no exterior. Além de incrementar o desenvolvimento da tese com novas metodologias, o impacto cultural é extremamente importante na formação do jovem pesquisador”, disse o diretor científico da fundação, Jerson Lima.

O regulamento do programa e a primeira chamada para a submissão de projetos deverão ser disponibilizados no próximo mês. A nova modalidade de bolsa terá duração mínima de quatro meses e máxima de um ano, contando também com um auxílio instalação e ajuda de custo para a aquisição de seguro saúde.

Cooperação
A Faperj também lançou programas de cooperação e intercâmbio com instituições estrangeiras, como o Institut National de Recherche en Informatique et Automatique (Inria), na França, o Centro de Estudos da População Economia e Sociedade (Cepese), em Portugal, a Fundação para Ciência e a Tecnologia (FCT), de Portugal, e o International Research Institute of Stavanger (IRIS), da Noruega.

O primeiro edital a ser lançado no âmbito dessas parcerias internacionais será com o Inria, a partir de dezembro. A cooperação entre Brasil e França na área de tecnologia da informação e comunicação (TIC) visa estimular o desenvolvimento de novas tecnologias e o aperfeiçoamento de pós-graduandos e docentes.

O mesmo princípio do acordo com o Inria rege os termos já firmados com o FCT e o Cepese, prevendo mobilidade de pesquisadores e estudantes de graduação e de pós-graduação para o desenvolvimento de projetos por temas induzidos de interesse de ambos os países.(Com informações da Faperj) 

Fonte: Gestão CT

4ª Conferência Regional sobre Mudanças Globais

"O Plano Brasileiro para um Futuro Sustentável" é o tema da 4ª Conferência Regional sobre Mudanças Globais, que acontecerá de 4 a 7 de abril de 2011, no Memorial da América Latina. A principal meta é contribuir para o aprimoramento do Plano Brasileiro de Mudanças Climáticas.

A iniciativa reunirá integrantes de instituições de pesquisa, do setor privado e de entidades da sociedade civil envolvidos na busca de entendimento e estabelecimento de sinergias e parcerias para a obtenção de soluções científicas, tecnológicas, economicamente sustentáveis e socialmente corretas para os grandes desafios interpostos pelas mudanças globais.

Os organizadores da conferência são o IEA, a Academia Brasileira de Ciências (ABC), o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas, a Rede Clima e o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas

OBJETIVOS
Os objetivos centrais da conferência são:

* discutir o progresso e as incertezas no estudo das causas, magnitude e consequências das mudanças globais;
* analisar as questões referentes à vulnerabilidade, adaptação e mitigação dos problemas ambientais, sociais, culturais e econômicos advindos das mudanças globais e às bases dos acordos internacionais;
* congregar estudantes, cientistas, empresários e profissionais de áreas relacionadas com as pesquisas sobre as mudanças globais em um evento de caráter multi e interdisciplinar, promovendo o intercâmbio de conhecimentos e informações de várias naturezas e o estabelecimento de sinergias, em especial entre as empresas e a academia;
* reunir conhecimento científico e sugestões para futuras ações dos tomadores de decisão do governo, das empresas e da sociedade civil em questões associadas às mudanças globais;
* fomentar a formulação de políticas públicas que possam rapidamente ser adotadas pelos governos das esferas federal, estadual e municipal, na busca da melhor convivência com os problemas advindos das mudanças globais e, se possível, que aproveitem as oportunidades que essas mesmas mudanças possam apresentar.

ANÁLISE
A organização da conferência prevê o exame de sete setores:

* cenários climáticos;
* conservação da biodiversidade;
* agricultura e segurança alimentar;
* energias renováveis e não-renováveis;
* segurança hídrica;
* vulnerabilidade das áreas costeiras;
* vulnerabilidade das áreas urbanas.

Os participantes avaliarão cada setor de acordo com: o impacto dos avanços e descobertas mais recentes das ciências (exatas, biológicas e sociais) no campo das mudanças ambientais globais; a importância das metodologias para inventários das emissões antrópicas e remoções de gases de efeito estufa (GEE); os impactos das mudanças ambientais, vulnerabilidades e eventuais adaptações factíveis no momento atual e no futuro próximo; as ações e tecnologias de redução das emissões e captura de GEE, incluindo os processos de mitigação apropriados para o setor, como o Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), a Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação (REDD), a recomposição da paisagem e outros.

Serão discutidas as possíveis mudanças de paradigmas, modelos de desenvolvimento e padrões de consumo necessários para a solução do desafio imposto pelas mudanças globais, especialmente as mudanças climáticas. Também serão abordados o papel de cada segmento da sociedade e a questão da pobreza nesse processo.

As oportunidades de negócios e pesquisas decorrentes das mudanças globais também serão objeto de análise, em particular, a emergência e evolução de políticas de transição para a economia de baixo carbono no Brasil e em outros países da América do Sul. Além disso, cada setor será analisado na perspectiva das negociações internacionais sobre o clima, de modo a oferecer o quadro das discussões, consensos e dificuldades para o estabelecimento de acordos.

RESULTADOS PREVISTOS
As exposições e debates do evento resultarão em quatro realizações:

* declaração "Brasil Sustentável — Carta da 4CRMG" (documento com as recomendações da conferência contendo principalmente orientações para a formulação de políticas públicas na direção do desenvolvimento sustentável);
* Relatório Técnico-Científico;
* livro eletrônico contendo contribuições selecionadas baseadas nas palestras e painéis;
* CD com os pôsteres apresentados no evento.

Os interessados em participar da exposição de pôsteres deverão submeter resumos sobre o conteúdo de seu trabalho até 10 de dezembro. Os pôsteres aprovados ficarão expostos durante toda a conferência, com premiação para os melhores de cada setor.

INFORMAÇÕES
No site www.mudancasglobais.com.br ou pelo e-mail 

Fonte: IEA