terça-feira, 5 de outubro de 2010

Capes - Fundación Carolina: selecionados 52 pesquisadores para estágio na Espanha

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) selecionou 52 candidatos para bolsa do Programa Estágio de Curta Duração na Espanha (Capes / Fundação Carolina). A iniciativa é voltada para docentes, pesquisadores e estudantes de pós-graduação nas modalidades doutorado-sanduíche e pós-doutorado.

Cada bolsa terá duração de no mínimo três e no máximo 12 meses, improrrogáveis, e as atividades serão iniciadas no ano de 2011. Além das bolsas de doutorado-sanduíche e pós-doutorado, os candidatos selecionados recebem mensalidade no valor de 1,3 mil euros para doutorado sanduíche e 2,1 mil euros para pós-doutorado, paga exclusivamente nos meses de efetiva permanência no território espanhol. Os selecionados recebem ainda seguro saúde e auxílio instalação, pago em uma única parcela no Brasil; e passagem aérea de ida e volta.

O resultado foi divulgado na sexta-feira (1º), no Diário Oficial da União.

Fonte: Gestão CT

USP: Bolsa de Pós-Doutorado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo

O Projeto Temático “Classificação e geometria de singularidades de conjuntos e aplicações”, apoiado pela FAPESP, tem uma vaga de Bolsa de Pós-Doutorado no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da Universidade de São Paulo (ICMC-USP), em São Carlos.

A oportunidade é para doutor em matemática com formação em teoria de singularidades. O objetivo do projeto é o desenvolvimento de métodos de classificação de singularidades reais e complexas, com ênfase no estudo de invariantes e condições de equisingularidade de famílias de conjuntos e aplicações.

Os candidatos serão pré-selecionados por meio do exame da documentação encaminhada (curriculum vitae, projeto resumido com plano de atividades, carta indicando a razão do interesse e breve relato da expertise).

Os interessados podem enviar, até 30 de dezembro de 2010, a documentação para a coordenadora do Projeto Temático, professora Maria Aparecida Soares Ruas pelo e-mai.

A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da FAPESP, no valor de R$ 5.028,90 mensais.

Fonte: Agência FAPESP

FEA-USP: 4º Prêmio Econoteen de Ensaios

Estão abertas até 15 de outubro as inscrições para o 4º Prêmio Econoteen de Ensaios, destinado a alunos de segunda e terceira séries do ensino médio que estudam em escolas públicas no Estado de São Paulo.

O prêmio é uma iniciativa do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP).

Os objetivos principais são apresentar o pensamento econômico a alunos do ensino médio, dar informações sobre a graduação em economia e mostrar os caminhos que o profissional na área pode seguir.

Para participar, os alunos devem apresentar um texto inédito sobre o tema “O que você pensa sobre o papel do economista na sociedade brasileira atual?”.

O texto deve conter entre sete e 12 doze páginas e ser, obrigatoriamente, uma dissertação. A avaliação não levará em consideração o ponto de vista do autor, mas o desenvolvimento do texto e a coerência dos argumentos utilizados, que devem incluir também alguns conceitos de economia.

Os autores dos sete melhores trabalhos serão convocados para uma apresentação oral no Departamento de Economia da FEA. Os ensaios premiados serão anunciados até 15 de fevereiro de 2011.

Os cinco melhores ensaios sobre o tema receberão de R$ 1,5 mil (primeiro lugar) a R$ 500 (4º e 5º colocados). O 6º e o 7º colocados receberão menção honrosa.

A entrega dos prêmios será feita na Aula Magna da FEA de 2011.

Fonte: Agência FAPESP

Físico brasileiro Carlos Moysés Graça Araújo ganha o prêmio Benzelius

Físico brasileiro recebe prêmio Benzelius
O físico brasileiro Carlos Moysés Graça Araújo é um dos ganhadores da edição de 2010 do prêmio Benzelius, concedido pela Sociedade Real de Ciências de Uppsala (Kungl. Vetenskaps-Societeten i Uppsala), a mais antiga das academias de ciência da Suécia.

A distinção foi concedida pelo “destacado trabalho em física de materiais, em particular no desenvolvimento de materiais para armazenamento de hidrogênio”. Araújo recebeu o prêmio de 20 mil coroas suecas, o equivalente a R$ 5 mil, em cerimônia no dia 31 de agosto.

As pesquisas desenvolvidas por Araújo estão relacionadas com problemas de conversão e armazenamento de energias renováveis a partir do hidrogênio.

“O trabalho deu contribuições em diferentes partes desses processos explicando mecanismos de reação química, transporte de íons em sólidos e transições de fase. Propomos novos materiais com propriedades mais adequadas para essas aplicações”, disse .

Araújo é pesquisador do Departamento de Física e Astronomia da Universidade de Uppsala. No fim de 2009, recebeu o Prêmio Angstrom por trabalhos desenvolvidos na universidade sueca. E, no ano anterior, recebeu o prêmio Bjurzons de melhor tese de doutorado.

De acordo com o professor Antonio Ferreira da Silva, do Instituto de Física da Universidade Federal da Bahia (FIS-UFBA) e orientador de Araújo no mestrado, os trabalhos desenvolvidos estão relacionados com problemas de conversão e armazenamento de energias renováveis.

“Todos os estudos estão baseados em cálculos e requerem a solução de uma variedade de problemas em escala atômica. A ideia central é utilizar o hidrogênio como um novo combustível para aplicações em automóveis substituindo os combustíveis fósseis”, disse Ferreira.

Segundo Ferreira, a nova “economia do hidrogênio” é composta de três partes. “Primeiro envolve a produção, armazenamento e utilização em células a combustível. O hidrogênio em gás pode ser produzido por meio da fotodissociação das moléculas de água utilizando catalisadores e luz solar”, disse.

Na segunda etapa, o hidrogênio é armazenado na rede cristalina de metais leves para que possa ser transportado facilmente. Por fim, reage com oxigênio nas células a combustível formando novamente água e transformando a energia química em energia elétrica.

Atualmente, Araújo também é colaborador do Grupo de Física Básica e Aplicada em Materiais Semicondutores do Laboratório de Propriedades Ópticas da UFBA, que é coordenado pelos professores Ferreira e Iuri Muniz Pepe.

Fonte: Alex Sander Alcântara / Agência FAPESPV

52ª edição do Prêmio Jabuti premia cientistas

Cientistas ganham Jabuti
As obras vencedoras da 52ª edição do Prêmio Jabuti – uma das principais premiações culturais no país – foram anunciadas na última sexta-feira (1º/10), pela Câmara Brasileira do Livro.

Cada uma das 21 categorias teve três livros escolhidos e a cerimônia de premiação será realizada no dia 4 de novembro, na Sala São Paulo, na capital paulista.

Na data da premiação serão revelados também os vencedores dos dois prêmios especiais: Livro do Ano – Ficção e Livro do Ano – Não-Ficção. Entre os dias 5 e 31 de outubro, ocorrerá ainda a votação, pela internet, do prêmio “Voto Popular” nas subcategorias “Ficção” e “Não-Ficção”.

Na categoria Ciências Naturais e Ciências da Saúde, o primeiro lugar ficou com o livro Clínica Médica, um projeto editorial da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).

A obra, centrada na experiência médica conjunta de médicos do Hospital das Clínicas (HC) da FMUSP, foi coordenada por seis professores da instituição: Milton de Arruda Martins, Flair Carrilho, Euclides Ayres de Castilho, Chao Lung Wen, Giovanni Guido Cerri e Venâncio Avancini Ferreira Alves.

Cerri é diretor da Divisão de Diagnóstico por Imagem do HC e um dos coordenadores da Cooperação Interinstitucional de Apoio a Pesquisas sobre o Cérebro (CInAPCe), da FAPESP. Alves coordena dois projetos que têm apoio da FAPESP nas modalidades Auxílio à Pesquisa – Regular e Programa Pesquisa para o SUS.

De acordo com Alves, o livro foi uma iniciativa da direção da faculdade. “O objetivo é passar ao médico brasileiro a visão da equipe da FMUSP sobre os principais problemas da prática médica com ênfase na experiência brasileira. Procuramos transformar a experiência cotidiana do HC em um livro com forte conteúdo acadêmico”, disse.

O enfoque brasileiro é o principal diferencial da obra. “Em outros países há excelentes livros de clínica médica com forte base acadêmica. Mas, nessa obra, procuramos mostrar as peculiaridades que cada doença adquire no Brasil. É uma obra nacional, que nasce do atendimento e, por isso, reflete a integração entre as várias disciplinas”, afirmou.

Na categoria “Economia, Administração e Negócios”, o primeiro lugar ficou com Trabalho flexível, empregos precários? Uma comparação Brasil, França, Japão, de Nadya Guimarães – professora titular do Departamento de Sociologia da USP –, Helena Hirata e Kurumi Sugita, ambas pesquisadoras do Centre Nacional da Pesquisa Científica (CNRS, na sigla em francês). Helena esteve no Brasil por um ano, como professora visitante, com apoio da FAPESP.

Nadya é pesquisadora do Centro de Estudos da Metrópole (CEM), um dos Centros de Pesquisa Inovação e Difusão (Cepids) da FAPESP, com sede no Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), e que é também um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT).

As três pesquisadoras trabalharam juntas, desde a fase inicial do CEM, em uma pesquisa sobre o desemprego e as novas formas das relações de trabalho em São Paulo, Paris e Tóquio. “Esse estudo comparativo tratava das três metrópoles entre 2000 e 2005, um período de intensas transformações no mercado de trabalho”, disse Nadya.

As equipes nas três cidades utilizaram questionários e entrevistas biográficas para produzir amostras representativas de cada caso. O grupo de pesquisadores seniores e estudantes trabalhou de forma integrada com um grupo de interlocutores e consultores formado por intelectuais proeminentes dos três países. O livro é fruto de um colóquio de encerramento que reuniu todas as equipes em torno da questão “A flexibilidade implica precarização no trabalho?”.

“Procuramos observar como as relações entre os processos de flexibilidade e precarização se colocam de forma distinta em relação às realidades de cada metrópole. A primeira parte da obra tem um ponto de vista ‘macro’, analisando os efeitos das mudanças de estrutura do mercado de trabalho sobre a dinâmica do processo de trabalho. Na segunda parte, avaliamos como essas transformações são vividas pelos atores”, explicou.

Auxílio a publicações
Na categoria “Ciências Humanas”, o primeiro lugar ficou com Viver em risco, de Lúcio Kowarick, professor titular do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP.

Entre 2001 e 2004, Kowarick coordenou o projeto “Viver em risco: moradia, desemprego e violência urbana na Grande São Paulo”, apoiado pela FAPESP na modalidade Auxílio à Pesquisa – Regular. Em 2009, publicou Viver em risco com apoio na modalidade Auxílio à Pesquisa – Publicações.

O primeiro lugar na categoria “Ciências Exatas, Tecnologia e Informática” ficou com Obra científica de Mario Schönberg: Volume 1 – 1936 a 1948, organizada por Amélia Império Hamburger, professora aposentada do Instituto de Física da USP.

O livro foi publicado com apoio da FAPESP na modalidade Auxílio à Pesquisa – Publicações, sob coordenação de João Steiner, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas e coordenador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Astrofísica – que é financiado pela FAPESP e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Na categoria “Educação, Psicologia e Psicanálise”, o primeiro lugar ficou com O Tempo e o cão, da psicanalista Maria Rita Kehl. O ganhador da categoria “Arquitetura e Urbanismo, Fotografia, Comunicação e Artes” foi Athos Bulcão, de Paulo Humberto Ludovico de Almeida. A Clave do poético, de Benedito Nunes, ganhou em “Teoria/Crítica Literária”.

Na categoria “Contos e Crônicas”, o primeiro prêmio ficou com Eu perguntei pro velho se ele queria morrer (e outras histórias de amor), de José Rezende Jr. O vencedor em “Reportagem” foi O Leitor apaixonado – Prazeres à luz do abajur, de Ruy Castro. O vencedor em “Romance” foi Se eu fechar os olhos agora, de Edney Silvestre.

Fonte: Fábio de Castro / Agência FAPESP

Capes: abertas as inscrições para o Programa Professor Assistente de Língua Inglesa

Estão abertas até o dia 16 de novembro as inscrições para o Programa Professor Assistente de Língua Inglesa. O Edital 61/2010 selecionará instituições públicas de ensino superior (IES) que queiram ser anfitriãs do programa para projetos institucionais. Trata-se de uma parceria entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos da América e o Brasil (Comissão Fulbright).

O programa apoiará 20 projetos que deverão contemplar ações voltadas para os cursos de graduação. Cada proposta terá até quatro anos de duração que contemplem a inserção de um falante nativo, na condição de assistente de ensino.

Serão aceitos projetos apresentados por pelo menos dois docentes vinculados a IES com cursos de bacharelado ou licenciatura em letras, língua inglesa. Os docentes deverão ser efetivos, um deles com grau de doutor anterior a 2005.

A proposta da chamada é contribuir para a elevação da qualidade dos cursos brasileiros de letras, inglês. A iniciativa pretende valorizar a formação e a relevância social dos profissionais do magistério da educação básica, por meio do fomento a experiências metodológicas e práticas docentes de caráter inovador.(Com informações da Capes) 

Fonte: Gestão CT

Triplicado o capital social da Finep

     O capital social da Finep passou de R$ 300,4 milhões para R$ 901,5 milhões. A ampliação foi divulgada na última sexta-feira (1º) e autorizada por meio do Decreto 7.322, de 30 de setembro. O texto altera a redação do Decreto 1.808 de 1996.

     O valor é totalmente subscrito e integralizado e está dividido em R$ 300 milhões de ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. O decreto foi publicado no Diário Oficial da União. 

Fonte:Gestão CT