sábado, 18 de setembro de 2010

UFRJ: redução dos danos da asma através da implantação de células-tronco no pulmão

Responsável por grande parte das internações em hospitais do país, a asma atinge milhões de brasileiros e mata cerca de oito pessoas por dia. Porém, a partir de uma alternativa elaborada pelo Laboratório de Investigação Pulmonar do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF/UFRJ) esses números podem mudar.

A equipe criou um método que consiste na implantação de células-tronco retiradas da medula óssea do próprio paciente. Essas células podem regenerar e reforçar a área do pulmão, diminuindo os danos causados pela doença. De acordo com Patrícia Rocco, chefe do laboratório e professora da UFRJ, a coleta de células-tronco a partir do próprio paciente evita que ocorra incompatibilidade entre células.

A asma é uma doença inflamatória que atinge as vias aéreas dos pulmões causando dificuldade de respirar, tosse e outros sintomas. Segundo a pesquisadora, o tratamento com células-tronco visa a melhorar a qualidade de vida dos portadores de asma de difícil controle que não respondem ao tratamento convencional para a doença. Mas alerta que o procedimento não substitui a medicação, nem repara completamente os danos causados pela asma: “certamente, os pacientes continuarão utilizando a medicação. A terapia melhora o processo inflamatório e espera-se melhora na qualidade de vida e, quiçá, redução na quantidade da medicação utilizada”.

A pesquisa se iniciou há cinco anos e foi testada através da implantação da técnica em camundongos. Hoje, com resultado favorável, testes em humanos já podem ser planejados: “os testes serão realizados durante um ano em pacientes que não reagem à terapia com corticosteróide e broncodilatador. A ideia é que a terapia com células-tronco seja fornecida pelo SUS”, revela Patrícia.

Benefícios ao sistema de saúde e à sociedade
De acordo com dados do Ministério da Saúde, a asma é o quarto maior motivo de internações em hospitais públicos no Brasil e o terceiro maior custo para o SUS, com cerca de 250 mil internações por ano. Para a professora, a melhoria da qualidade de vida do paciente significa também a diminuição de custos do sistema de saúde: “essa melhora provavelmente propiciará um impacto socioeconômico, com a menor frequência dos asmáticos em internações e serviços de emergência, assim como o menor número de faltas ao trabalho”.

Fonte: Michelly Rosa/ Olhar Vital - UFRJ

9º Prêmio Fundação Conrado Wessel Ciência e Cultura

Até o final de novembro, a Fundação Conrado Wessel (FCW) deverá anunciar os vencedores da nona edição do Prêmio FCW Ciência e Cultura, um dos maiores do gênero no Brasil, nas categorias de Ciência, Medicina e Cultura.

Cada vencedor receberá um prêmio de R$ 300 mil, incluindo encargos fiscais – o que representa um aumento de 50% em relação ao deste ano.

Ao contrário das demais categorias, o Prêmio FCW de Arte terá três premiados em uma única especialidade, a de Ensaio Fotográfico – cujos valores vão de R$ 114 mil, para o primeiro colocado, e R$ 43 mil para o segundo e terceiros colocados. As inscrições, assim como a seleção dos três melhores trabalhos em Ensaio Fotográfico, deverão ocorrer no início de 2011.

Prêmios FCW
Criados em 2002 e promovidos anualmente, o Prêmio FCW de Ciência e Cultura e o Prêmio FCW de Arte reuniram, ao longo dos anos, uma coleção de grandes nomes em todas as categorias.

Em Medicina, já foram premiados Fúlvio Pileggi, Ivo Pitanguy, Ricardo Renzo Brentani, Adib Jatene, Maria Inês Schmidt, Ricardo Pasquini e César Gomes Victora.

Em Ciência, as premiações foram para nomes de grande destaque em diversos campos, entre os quais, Leopoldo de Meis, Ernesto Paterniani, Sérgio Mascarenhas de Oliveira, Ivan Izquierdo, Hisako Gondo Higashi, Wanderley de Souza, Carlos Henrique de Brito Cruz, Isaias Raw, Magno Antonio Patto Ramalho, Luiz Carlos Fazuoli, Jairo Vidal Vieira, Carlos Afonso Nobre, Aziz Ab’Saber, Philip Martin Fearnside, Aldo da Cunha Rebouças, José Galizia Tundisi, Dieter Carl Ernst Heino Muehe e Almirante Alberto dos Santos Franco. Também foram contemplados o Museu Paraense Emílio Goeldi e o Instituto Agronômico de Campinas.

Em Cultura, a premiação já foi destinada a Ruth Rocha, Fábio Lucas, Affonso Ávila, Lya Luft, Ferreira Gullar, Ariano Suassuna e Antônio Nóbrega.

No Prêmio FCW de Arte, a galeria de premiados é formada, entre outros, pelos fotógrafos André François, Francilins Castilho Lea, José Luiz Pederneiras Barbosa, Júlio Bittencourt, Alexandre Salgado, Gustavo Lacerda, Bob Wolfenson, Leonardo Vilela, Márcia Ramalho, Ricardo Cunha, Paulo Vainer, Felipe Hellmeister, Maurício Nahas, Andreas Heiniger, Ricardo de Vicq, Tiago Santana, João Castilho Leal e Lalo de Almeida

Sobre a FCW
A Fundação Conrado Wessel (FCW) foi criada em 1994, após o falecimento do fotógrafo Ubaldo Augusto Conrado Wessel, que explicitou em testamento seu desejo de criar uma fundação voltada para a filantropia, o fomento e apoio às atividades culturais, artísticas e científicas no Brasil. A Fundação distribui, anualmente, desde 2003, mais de R$ 1,2 milhão em prêmios, por meio do Prêmio FCW de Arte, Ciência e Cultura.

A FCW também contribui com cinco entidades indicadas pelo seu instituidor. São elas: Corpo de Bombeiros da Policia Militar do Estado de São Paulo, Exército da Salvação, Aldeias Infantis SOS Brasil, Fundação Antonio Prudente (Hospital do Câncer) e a Associação Escolar Benjamim Constant. Além disso,outras entidades de atendimento à criança carente, sob indicação do Ministério Público, são beneficiadas todos os anos.

Maiores informações pelo e-mail   ou  pelo tel.: (55 11) 5542-2655

Fonte: Daniel Padilha / FCW

4º Congresso Nacional de Arquivologia

Por exatos quatro dias, em outubro de 2010, Vitória será a capital da arquivologia no Brasil: vai sediar o IV Congresso Nacional de Arquivologia (CNA). Na última década, houve um aumento do reconhecimento dessa área por instituições públicas e privadas. O arquivista é um profissional indispensável para uma gestão de qualidade, baseada no conceito fase pós-custodial, que tem como pilares a gestão da informação e do conhecimento.

E o IV CNA terá temas atualizados que deverão atrair, além dos arquivistas, profissionais das mais diversas áreas informacionais, apoiados na temática “A Gestão de Documentos Arquivísticos e o Impacto das novas Tecnologias de Informação e Comunicação”. Para tanto, buscamos no Brasil o que há de mais renomado na área arquivística, pois sabemos que um Congresso Nacional não se faz apenas pela reunião de profissionais e estudantes de todo um país, mas também pela vanguarda acadêmica e profissional.

O nosso desejo é que todos aqueles que venham a Vitória, no Espírito Santo, conheçam uma capital que está em pleno desenvolvimento e as maravilhas naturais de um Estado com uma beleza turística inigualável. 

Incrições pelo site

Fonte: Win