sábado, 21 de agosto de 2010

Brasil conquista medalhas na Olimpíada Internacional de Biologia

Conquista do Brasil na Olimpíada Internacional de Biologia
A Olimpíada Internacional de Biologia ocorrida no último mês de julho foi a prova de que é possível obter sucesso, mesmo com poucos recursos. O Brasil conquistou duas medalhas de bronze, resultado inédito até então, apesar de contar com quase nenhum apoio financeiro. Os alunos Leo Benevides (CE), Rafaell Lima (CE), Luis Usier (SP) e Jean Carlos dos Santos (CE), formaram a delegação brasileira juntamente com Cláudia Russo, coordenadora da Olimpíada Brasileira de Biologia e professora associada da UFRJ, e Rubens Oda, professor do Colégio Pedro II.

Segundo Claudia, o CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) não possui recursos para apoiar todas as Olimpíadas científicas realizadas no país. “Conseguir apoio estatal tem sido cada vez mais difícil, o que nos leva a tentar buscar um financiamento privado. Este ano, tivemos apoio da empresa Pioneer, que custeou uma das passagens aéreas, e das escolas dos alunos participantes, que forneceram as passagens de seus estudantes”, lamenta a professora.

O apoio das Instituições de Ensino às Olimpíadas é muito importante, pois incentiva os alunos. “O principal objetivo das Olimpíadas de Biologia é motivar os alunos na carreira científica e integrar estudantes e professores das mais diferentes áreas do Brasil” afirma Claudia Russo.

Na região Sudeste, especialmente no Estado do Rio de Janeiro, a participação das escolas tem sido baixa. “Enquanto, em Fortaleza, há duas escolas que sempre participam, no Rio, as escolas de maior tradição não se encaixam no perfil das Olimpíadas, por serem contra a competição. A divulgação do evento também é baixa, o que faz com que muitas escolas nem fiquem sabendo do acontecimento”, informa a coordenadora das Olimpíadas Nacionais.

No entanto, a questão da competição tem importância secundária para as Olimpíadas. O objetivo principal é incentivar o interesse pela Biologia e pelas ciências, de um modo geral. “Geralmente, os alunos que participam já decidiram por Medicina, então, o objetivo de motivar os alunos na carreira científica não ocorre. Estamos pensando em um modo de despertar o interesse dos alunos não apenas pela área clínica, mas também pela pesquisa e pelo ensino”, afirma a professora.

A Biologia tem perdido espaço na grade horária do Ensino Médio, o que revela a necessidade de maior divulgação de eventos científicos como as Olimpíadas. “A carga horária da Biologia tem diminuído de quatro horas por semana para duas horas por semana. Isso denota diminuição da importância da Biologia num futuro em que questões como Genética e Ecologia se mostram cada vez mais iminentes”, informa Claudia.

Com tudo isso, o desempenho do Brasil este ano nas Olimpíadas Internacionais de Biologia foi animador e pode ser superado, se as Instituições de Ensino participarem mais. A seleção para as Olimpíadas Internacionais ocorre através das Olimpíadas Nacionais de Biologia (OBB), que este ano tiveram início em março e finalizaram em julho. As escolas precisam se cadastrar no site da OBB e credenciar seus professores, que receberão a prova e farão a inscrição de seus alunos.

A prova tem trinta questões e é aplicada por professores cadastrados, em um dia determinado pela OBB e seleciona os alunos para a segunda etapa. A segunda prova tem 120 questões e seleciona os quatro primeiros para a Olimpíada Internacional e os quatro seguintes para a Olimpíada Iberoamericana de Biologia, que ocorreu entre os dias 8 e 15 de agosto.

Para mais informações, acesse o site acima ou os telefones 2562-6397, 2562-9104 e 2562-2148.

Fonte: Stephanie Tondo /Olhar Vital -UFRJ

PROMINP: pedido de insenção de taxa de inscrição encerra-se terça-feira

Termina na próxima terça-feira (24), o prazo para pedido de isenção da taxa de inscrição no processo seletivo que oferecerá quase 28 mil vagas em cursos gratuitos de qualificação profissional para o setor de petróleo e gás. Os cursos são oferecidos pelo Prominp - Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural.

Podem pedir a isenção da taxa as pessoas que tiverem Número de Identificação Social (NIS) e comprovem ter renda familiar mensal de até três salários mínimos. Os pedidos devem ser feitos no momento da inscrição no processo seletivo, através do site do Prominp  ou da Cesgranrio . Não há necessidade de envio de documentos para solicitar a isenção: basta inserir no formulário eletrônico as seguintes informações:

a) Número de Identificação Social (NIS) no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), nos termos do Decreto nº 6.135/2008

b) comprovação de que é membro de “família de baixa renda”, ou seja, que possui renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo, ou que possui renda familiar mensal de até três salários mínimos (Decreto nº 6.135/2008).

Para aqueles que não atenderem os critérios de isentos a taxa é de R$ 24,00 para candidatos a cursos de nível básico; R$ 40,00 para níveis médio e técnico; e R$ 60,00 para as categorias de nível superior. O processo seletivo do Prominp encerrará o período geral de inscrições em 12 de setembro.

Prazos para deferimento
O simples preenchimento dos dados do pedido de isenção não garante que o candidato fique isento do pagamento da taxa de inscrição. As informações serão submetidas à analise da Fundação Cesgranrio, entidade responsável pela organização do processo seletivo. A relação dos que tiverem o pedido deferido será divulgada em 2 de setembro, nos sites da Cesgranrio e do Prominp. Nos dias 2 e 3 de setembro, os que não concordarem com a avaliação poderão pedir nova análise. Em 9 de setembro, sairá a relação final dos pedidos de isenção de taxa deferidos. A partir desta data, o pagamento da taxa se tornará condição obrigatória para que a inscrição seja aceita como válida.

Postos de inscrição
Serão oferecidas 27.915 vagas, em 13 estados, para cursos gratuitos em categorias profissionais de níveis básico, médio, técnico e superior. Para concorrer a uma das vagas oferecidas, o candidato deve ter idade igual ou superior a 18 anos, além de preencher os pré-requisitos do curso desejado.As inscrições para os cursos gratuitos do Prominp deverão ser feitas pela internet. Quem não tiver acesso a computador poderá se inscrever nos postos mencionados no edital.

Para esclarecimento de dúvidas sobre o edital, o candidato deverá entrar em contato com a Fundação Cesgranrio, das 9 às 17 horas, no telefone 0800 701 2028 ou por e-mail . Nos demais casos, a consulta deve ser encaminhada através da seção ‘Fale Conosco’ do portal do Prominp.

Fonte: Agência Petrobras

Economias emergentes mudam dinâmica da demanda de petróleo

Emergentes mudam dinâmica da demanda de petróleo
As economias emergentes derrubaram o antiquado padrão de consumo global do petróleo, de acordo com o órgão fiscalizador ocidental, em mais um sinal da forma como países como China e Índia estão transformando os mercados de commodities.

A Agência Internacional de Energia (AIE) avalia que a demanda por petróleo este ano foi maior no segundo trimestre, pela primeira vez, ficando em aproximadamente 86,6 milhões de barris ao dia (b/d), à frente do tradicional pico da temporada de inverno (no Hemisfério Norte), de janeiro a março, quando a demanda ficou em 86 milhões de b/d.

O padrão sazonal tradicional geralmente pressionava os preços para cima durante o inverno no Hemisfério Norte, antes que as temperaturas mais quentes reduzissem o consumo.

Mas com o crescimento da demanda por petróleo vindo cada vez mais de países como China, Índia, Arábia Saudita, Brasil e Indonésia, os padrões sazonais estão mudando, numa tendência que a AIE sediada em Paris acredita que deverá se acelerar.

"Esse padrão incomum reflete a nova dinâmica da demanda por petróleo no mundo", disse a AIE. "Essa sazonalidade que desponta provavelmente suscitará novos desafios em logística e refino."

No passado, a demanda por petróleo caia entre 1,5 e 2 milhões de b/d entre o primeiro e o segundo trimestre, permitindo às refinarias passar por manutenção. Períodos de baixa demanda ajudavam a acumular estoques para satisfazer o posterior pico de consumo.

Em contrapartida, a atividade econômica em muitos países em desenvolvimento tende a diminuir no primeiro trimestre, após as comemorações do Ano Novo - em especial na China, onde o Ano Lunar acontece em janeiro ou fevereiro, para depois subir, diz a AIE. Consequentemente, o consumo de petróleo é menor no primeiro trimestre e cresce acentuadamente no segundo. A tendência é bem diferente da da na maioria dos países ricos, onde os meses de inverno de janeiro e fevereiro experimentam um pico na demanda.

"Considerando que a demanda não proveniente da OCDE atualmente impulsiona o crescimento global, ela também começa a alterar a sazonalidade da demanda mundial por petróleo, que até agora seguia o molde da demanda da OCDE", disse a agência, no seu relatório mensal.

"Cedo ou tarde, à medida que a demanda não oriunda da OECD superar a da OCDE ao longo dos próximos anos, o primeiro trimestre poderá representar o mais baixo nível de demanda."

Alguns analistas disseram que, embora a sazonalidade tenha começado a mudar, a AIE se excedeu em prever que os padrões de consumo tenham mudado para sempre. Eles também observaram que os dados sazonais atuais foram encobertos pela crise econômica. (Valor Econômico / 20/08/2010)

Fonte: TN Petróleo