sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Facepe: aprovados 13 projetos do convênio com a Fiocruz

A Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe) divulgou o resultado do edital 6/2010 – Apoio a Projetos de Pesquisa do Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães (APQ-CPqAM). Ao todo, foram selecionados 13 projetos.

Serão concedidas quotas de bolsas de pesquisa na modalidade Bolsa de Cooperação Técnica (BCT) com a duração de até 24 meses. A relação aprovada compreende duas bolsas BCT-4, oito bolsas BCT-8 e três BCT-11, com valor total de R$ 398 mil.

De acordo com a Facepe, os coordenadores de cada projeto aprovado tem até o dia 1º de setembro para implementação da bolsa. Passado esse prazo, as bolsas não implementadas serão concedidas a projetos ainda não contemplados.

O resultado pode ser conferido neste link.

Relatório
A Facepe também informou que a entrega dos relatórios parciais dos bolsistas de mestrado e doutorado, referentes à 2ª rodada dos editais de Concessão de Bolsas de Pós-Graduação, deve ser feita até o dia 16 de agosto. O relatório parcial deve vir acompanhado de um parecer do orientador. Toda a documentação deverá ser entregue eletronicamente, por meio do Sistema AgilFAP.A Facepe é uma instituição associada à ABIPTI.

Fonte: Gestão CT

Estudo indica que a exposição à luz intensa pode reduzir a sonolência de jovens universitários que estudam à noite

Luz produtiva
Jovens trabalhadores universitários sofrem déficit crônico de sono, decorrente da jornada dupla que envolve trabalho durante o dia e estudo à noite. Além do sono, alguns hábitos e estilos de vida – como dieta rica em gorduras, consumo de álcool e falta de atividade física – contribuem ainda mais para o quadro preocupante.

As conclusões são de uma pesquisa conduzida na Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP), que tem investigado as repercussões na saúde e na qualidade de vida de universitários. Um dos trabalhos do grupo avaliou os efeitos da exposição à luz para reduzir a sonolência durante as aulas noturnas em tal público.

De acordo com Frida Marina Fischer, professora titular da FSP-USP, estudos realizados anteriormente avaliaram a privação de sono decorrente da dupla jornada (trabalho e estudo) entre jovens estudantes do ensino médio em escola pública, que trabalham e estudam à noite. Entre esses jovens, a sobrecarga decorrente da longa vigília e da redução de sono é um problema de dimensões mais severas, pois há milhões de jovens brasileiros nessa condição.

“O problema com os jovens no ensino médio em dupla jornada é mais grave quando comparados aos jovens adultos, por atingir indivíduos em formação, menores de 18 anos. Estima-se que uma parte dos jovens trabalhadores que desistem do ensino médio o fazem devido à intensa fadiga e sonolência associadas à dupla jornada de trabalho e estudo”, disse a coordenadora do estudo.

A partir desses estudos anteriores – que tiveram apoio da FAPESP e do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) –, o grupo coordenado por Frida desenvolveu outro projeto para avaliar se a luz intensa poderia resultar na diminuição da sonolência durante ao período noturno das aulas, que vai das 19 horas às 22h30.

A pesquisa mostrou que quando os jovens universitários trabalhadores foram expostos à luz com intensidade de 8 mil lux, por 20 minutos, às 19 horas e às 21 horas, houve redução dos níveis da sonolência após a exposição à luz às 21 horas.

O trabalho, intitulado “Jovens universitários e as jornadas duplas de trabalho: repercussões na saúde e na qualidade de vida”, recebeu apoio da FAPESP por meio da modalidade Auxílio à Pesquisa – Regular. Os resultados do estudo foram apresentados na 26th Conference of the International Society for Chronobiology, ocorrida em Vigo, na Espanha, em julho, e no 10º Latin American Symposium on Chronobiology, em Natal (RN), em outubro de 2009.

Participaram da pesquisa 27 jovens, entre 21 e 24 anos, provenientes da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) e de outras unidades da USP na capital paulista.

Os jovens foram submetidos a uma exposição intensa de luz durante um dia. O experimento durou três semanas, sendo a primeira de referência, e na segunda e terceira semanas os jovens foram expostos à luz.

“Adaptamos uma sala na FEA com fontes de luz semelhantes a luminárias. Cada estudante ficou em frente à fonte por 20 minutos e foi exposto a uma intensidade de 8 mil lux às 19h ou às 21 horas”, explicou Frida.

Na primeira semana, chamada de referência, os jovens permaneceram em um dia, das 19 às 22 horas – período em que a melatonina começa a ser secretada – vendo um filme em uma sala com iluminação muito reduzida. A melatonina é um hormônio produzido pela glândula pineal, um marcador circadiano, que tem forte influência na regulação do ciclo vigília-sono.

“Coletamos amostras de saliva para analisar a quantidade de melatonina circulante. Durante as três horas os alunos permaneceram na sala escura. Somente poderiam tomar água, mas não comer. Se tivessem que ir ao banheiro, colocavam óculos escuros”, disse.

“Também foram coletadas amostras de saliva antes e após a exposição à luz para determinar a quantidade de melatonina, que é muito pequena, da ordem de picogramas por mililitro. Se houvesse qualquer resíduo de alimentos, por exemplo, poderia interferir nos resultados”, completou.

Na segunda e na terceira semana, os alunos foram submetidos à luz intensa de 8 mil lux durante 20 minutos, às 19 horas ou às 21 horas. A exposição não poderia prejudicar o sono nas 24 horas subsequentes, ou seja, o propósito da intervenção era reduzir a sonolência apenas durante o período escolar. “Uma das dificuldades para a realização do estudo se deu porque havia muitos critérios de exclusão”, afirmou Frida.

Hábitos do sono
Os participantes do estudo não podiam ter distúrbio de sono. Além disso, 24 horas antes dos testes não podiam ingerir café, chocolate, chá ou bebida alcoólica. Também não poderiam fumar nas 12 horas anteriores ao experimento.

“Não podiam ingerir substância alguma que pudesse contribuir com o aumento da síntese de melatonina, nem com a redução da sonolência”, disse Frida, acrescentando que o experimento não era um protocolo de fácil aplicação.

Além de preencher protocolos de atividade diária durante os 21 dias, os estudantes usaram um actímetro, instrumento que registra duração de períodos de atividade e repouso e é utilizado para avaliar a duração do sono.

O actímetro, do tamanho de um relógio, é utilizado no punho da mão não dominante, isto é, se o estudante fosse destro usava na esquerda. “O aparelho registra a atividade motora. Quando os movimentos diminuem muito, provavelmente o indivíduo está dormindo. Os estudantes o utilizaram o tempo todo, exceto no momento do banho”, disse.

“Nossos resultados mostraram que quando a luz foi aplicada às 21 horas a concentração de melatonina caiu e houve redução na sonolência”, disse a professora da FSP-USP.

Outro dado significativo da pesquisa apontou que os resultados foram mais robustos entre os indivíduos que têm hábitos mais vespertinos, ou seja, pessoas que dormem mais tarde e acordam mais tarde.

“Isso provavelmente está associado às características presentes no gene Per3, que está relacionado a hábitos e preferências entre os indivíduos. Uma das características da pessoa vespertina é que a melatonina começa a ser secretada posteriormente, quando comparado com as pessoas mais matutinas, o que pode explicar o fato de as pessoas vespertinas conseguirem ficar acordadas até mais tarde”, disse Frida. Os resultados da pesquisa estão sendo submetidos para publicação.

Apesar da redução observada na sonolência com a exposição à luz, o estudo destaca que a dupla jornada de trabalho e estudo "interfere negativamente na nutrição, no tempo dedicado às aulas e também em outras atividades diárias, comprometendo o desempenho acadêmico e o tempo livre dos estudantes para se dedicar a atividades extracurriculares e atividades físicas".

“Ao analisarmos sintomas de saúde, tais como dores no corpo, fadiga acentuada, sonolência excessiva diurna e durante as aulas, observamos vários fatores associados a estilos de vida e condições de trabalho como desencadeadores ou agraventes desses sintomas”, disse Frida.

Fonte: Alex Sander Alcântara / Agência FAPESP

Sect - DF: Programa Bolsa Universitária Integral beneficia alunos no Distrito Federal

Na segunda-feira (2), foi realizado em Brasília (DF), o ato formal de concessão de benefícios do Programa Bolsa Universitária Integral, uma iniciativa da Secretaria de Ciência e Tecnologia (Sect) e da Fundação de Apoio à Pesquisa (FAP-DF), garantindo a mais de dois mil universitários a inclusão no programa.

O objetivo da iniciativa é oferecer bolsas de estudo a estudantes que não tem condições de custear sua formação, matriculados em cursos de graduação e sequenciais de formação específica nas instituições privadas de ensino superior.

O governo do Distrito Federal arca com 80% da semestralidade ou da anuidade efetivamente praticada, e os 20% restantes cabem à instituição. Como contrapartida, os alunos prestam serviços, com a duração de 20 horas semanais em regime de estágio, prioritariamente nas escolas públicas.

“Brasília tem o maior percentual de mestres e doutores, por metro quadrado, do Brasil. E se fizermos uma pesquisa de mercado no Distrito Federal veremos que a grande maioria de nossas indústrias atua na área da informação e do conhecimento”, disse o secretário de Ciência e Tecnologia.A FAP-DF é uma instituição associada à ABIPTI.(Com informações da Sect)

Fonte: GestãoCT

Sect - Tocantins: Edital PAPG fortalece a pós-graduação

A Secretaria de Ciência e Tecnologia do Tocantins (Sect) lançou o edital nº 4/2010, para fortalecer a área de pós-graduação no Estado. Trata-se do Programa de Apoio a Pós-Graduação (PAPG), que ofertará 30 vagas para servidores públicos matriculados em cursos de mestrado ou doutorado. As inscrições podem ser feitas de 9 a 24 de agosto.

Serão concedidas bolsas nas áreas de ciências exatas e da terra; engenharias; ciências biológicas; ciências agrárias; ciências da saúde; ciências humanas; ciências sociais aplicadas; entre outras. Do total disponibilizado, são 16 para estudantes de mestrado e 14 para os que cursam doutorado.

As bolsas serão financiadas pelo Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia (Fect) e têm valores entre R$ 800 e R$ 3,2 mil. Podem participar servidor efetivo da administração pública estadual ou municipal. Os interessados não podem acumular bolsas de outras agências oficiais de fomento ou de qualquer organismo nacional ou internacional.

O resultado final do processo seletivo será divulgado no dia 3 de novembro.O edital está disponível neste link

Fonte: Gestão CT

Fapesb recebe propostas no âmbito do PPSUS - Gestão Compartilhada em Saúde

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) está recebendo propostas no âmbito do Programa Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde (PPSUS). As inscrições podem ser feitas até 1º de setembro.

O objetivo é apoiar atividades de pesquisa que visem promover o desenvolvimento científico, tecnológico ou de inovação da área de saúde, em temas prioritários para a Bahia.

Poderão apresentar propostas pesquisadores com titulação mínima de doutor e que possuam vínculo empregatício com instituição científica e/ou tecnológica situada no Estado. As propostas aprovadas serão financiadas com recursos da ordem de R$ 2,3 milhões.

O edital contempla os seguintes temas: gestão democrática, solidária e efetiva do SUS; vigilância de riscos e agravos à saúde individual e coletiva; gestão do trabalho e da educação permanente em saúde; atenção à saúde com igualdade e integridade; e expansão, intervenção e inovação tecnológica em saúde.A Fapesb é uma instituição associada à ABIPTI.

O edital está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

Fapesc: Seminário Estadual de Pesquisa e Produção de Biodiesel

A Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc) realiza nos dias 19 e 20 de agosto, o Seminário Estadual de Pesquisa e Produção de Biodiesel.

O evento, que conta com o apoio do MCT, discutirá, por exemplo, a situação atual e as perspectivas do programa nacional voltado para este combustível, o potencial de produção do biodiesel de origem vegetal no Estado, além de apresentar alguns resultados sobre os processos para produção do produto.

O seminário será realizado no auditório da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), localizada na capital do Estado. O evento conta ainda com o apoio da Petrobras, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Universidade de Santa Catarina (UFSC), entre outros. A Fapesc é uma instituição associada à ABIPTI.

Informações sobre o seminário podem ser obtidas pelo telefone (48) 3215-1236 ou pelo e-mail .(Com informações da Fapesc)

Fonte: Gestão CT

Fundação Araucária: novo edital para apoiar a participação de pesquisadores em eventos técnico-científicos

A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná lançou nesta semana uma chamada pública para apoiar a participação de pesquisadores em eventos técnico-científicos. A submissão das propostas institucionais pode ser feita até 20 de agosto. Já os pedidos mensais seguirão um cronograma específico que tem início em 15 de setembro deste ano e segue até 1º de agosto de 2011.

O objetivo do edital é apoiar docentes na apresentação de trabalhos de sua autoria em eventos no Brasil e no exterior, que ocorram no período de 1º de outubro de 2010 a 30 de setembro de 2011. A iniciativa prevê o aporte de R$ 2,5 mil para eventos no país e de R$ 6 mil para eventos no exterior.

Poderão ser submetidas propostas desenvolvidas em áreas do conhecimento como administração e economia; arquitetura e urbanismo; ciências agrárias; ciências biológicas; ciências da saúde; geociências; química; entre outras. A Fundação Araucária é uma instituição associada à ABIPTI.

O edital está disponível neste link.