segunda-feira, 14 de junho de 2010

CNPq: Doutores 2010 - Estudos da demografia da base técnico-científica brasileira

Livro traz dados sobre a demografia da base técnico-científica brasileira

Na última quarta-feira (9), o CNPq realizou um encontro para apresentar o livro Doutores 2010 - Estudos da demografia da base técnico-científica brasileira, que reúne dados como formação, emprego e características demográficas dos doutores no país.

De acordo com o livro, o número de doutores cresceu 278% entre 1996 e 2008, o que corresponde a uma taxa média de 11,9% de aumento ao ano. Para o organizador da publicação, o consultor legislativo do Senado Federal para Política Científica e Tecnológica, Eduardo Baumgratz Viotti, o país ainda precisa aperfeiçoar políticas que visem melhorar a posição do Brasil no ranking dos países desenvolvidos.

“Temos pontos negativos como a menor participação relativa nas áreas de maior tradição como é o caso das ciências exatas e da terra, engenharias e ciências biológicas. E essa defasagem prejudica e muito o desenvolvimento pleno do país”, destacou.

Já o presidente do CNPq, Carlos Aragão, disse que, apesar de ainda ser uma parcela muito pequena da população, os doutores são protagonistas do desenvolvimento do país. “São eles que realizam as grandes pesquisas e contribuem para o avanço e a difusão de conhecimentos e tecnologias”.

Sobre a publicação, a presidente do Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), Lúcia Mello, acredita que será um importante instrumento de identificação de carências no campo da pós-graduação, sendo um catalisador de estratégias e políticas para aperfeiçoar e amadurecer a pós-graduação brasileira e o desenvolvimento do Brasil.

O estudo contou com a colaboração do CGEE, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), dos ministérios do Trabalho e Emprego (MTE) e da Previdência Social, além do CNPq.

O livro pode ser acessado gratuitamente no site do CGEE, no site. (Com informações do CNPq)

Fonte: Gestão CT

Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia 2010 - Nanotecnologia - abre inscrições

Estão abertas até o dia 23 de agosto as inscrições para o Prêmio Mercosul de Ciência e Tecnologia 2010. Com o tema “Nanotecnologia”, a iniciativa está dividida nas categorias Iniciação Científica, Estudante Universitário, Jovem Cientista e Integração. A proposta é reconhecer e premiar os melhores trabalhos que contribuam para o desenvolvimento científico e tecnológico dos países membros do bloco econômico.

As propostas serão avaliadas de acordo com a atualidade do tema, inovação e criatividade, metodologia, pertinência e aplicabilidade dos trabalhos. A premiação varia de US$ 2 mil a US$ 10 mil e os trabalhos devem ser elaborados em português ou espanhol. As inscrições podem ser feitas neste link.

O prêmio é uma iniciativa da Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia ( Recyt) do Mercosul e conta com o patrocínio do MCT e parceria da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

Informações sobre o prêmio podem ser obtidas no site ou pelo telefone (61) 3317-7811. (Com informações da Unesco)

Fonte: Gestão CT

CAPES: Prodocência recebe propostas até agosto

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) está com as inscrições abertas para o edital do Programa de Consolidação das Licenciaturas (Prodocência). A data limite para a submissão das propostas é 9 de agosto.

O objetivo é selecionar projetos institucionais que visem contribuir para a elevação da qualidade dos cursos de licenciatura, na perspectiva de valorizar a formação e a relevância social dos profissionais do magistério.

Poderão submeter propostas as instituições federais de ensino superior. Além destas, as instituições com projetos do Prodocência finalizados de editais anteriores também poderão apresentar propostas de ampliação ou continuidade, bem como aquelas com projetos do programa em andamento.

O prazo de execução dos projetos aprovados é de no máximo 24 meses. Cada proposta poderá ser contemplada com um valor máximo de R$ 130 mil de custeio. A chamada estima o apoio a 60 projetos institucionais.

O edital está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

INPE: Mapeamento indica que a região Sul do Brasil enfrenta períodos de estiagem com intensidade e frequência acima do normal

Estiagem no Sul
Um mapeamento realizado por pesquisadores do Centro Regional Sul do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CRS/Inpe), em Santa Maria (RS), aponta que a região Sul do país tem enfrentado períodos de estiagem com intensidade e frequência acima do normal.

Os pesquisadores do Núcleo de Aplicação e Pesquisa de Geotecnologias em Desastres Naturais e Eventos Extremos (Geodesastres) utilizaram imagens de satélites para mapear as áreas atingidas pela estiagem no Sul brasileiro no período de dezembro de 2000 a junho de 2009.

O levantamento aponta que, nos verões de 2005 e 2009, foram comprometidas por intensa estiagem áreas correspondentes a 187.726 km² e 198.857 km², respectivamente, o que corresponde a 33,3% e 34,3% da região Sul. Os resultados mostram que os estados do Paraná e do Rio Grande do Sul foram os mais afetados.

As imagens EVI (Enhanced Vegetation Index, ou Índice de Vegetação Melhorado), obtidas pelos sensores Moderate Resolution Imaging Spectroradiometer (Modis), a bordo dos satélites Aqua e Terra, permitem identificar as variações no verdor da vegetação (estado de sanidade) causadas por eventos climáticos, como a estiagem.

Para a análise, foram utilizadas 392 imagens e gerados 196 mosaicos, considerando as quatro estações do ano. As imagens de anomalias de vegetação foram calculadas pelo índice de vegetação padronizado para cada estação do ano no período estudado.

Segundo o Inpe, os resultados da análise das imagens foram integrados com dados de precipitação média, por estação do ano e dados de índice de precipitação padronizada mensal.

O mapeamento realizado teve como objetivo propor uma metodologia para monitorar a ocorrência de estiagem na região Sul do Brasil utilizando imagens índice de vegetação melhorado.

Após testada a metodologia, o Núcleo Geodesastres está criando o Laboratório de Estiagem da região Sul do Brasil (LESul) com a colaboração do Departamento de Engenharia Rural da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, com o objetivo de realizar pesquisas nessa área.

Mais informações: www.inpe.br

PUC-Campinas: vagas para docentes

A Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Campinas abriu processo seletivo para contratação de docentes em regime de tempo integral de 40 horas semanais. As inscrições variam de 16 de junho ou 10 de setembro, a depender do edital.

As vagas envolvem as áreas de educação (pós-graduação stricto sensu), psicologia (pós-graduação stricto sensu), medicina, direito, engenharia civil, engenharia elétrica, filosofia, ciência da computação e arquitetura e urbanismo.

O concurso será constituído de análise do currículo Lattes, da proposta de projeto de pesquisa adequado à linha de pesquisa especificada do edital, prova escrita e didática.

O candidato deve possuir título de doutor. Para as vagas correspondentes à categoria A1, o valor total correspondente à jornada integral de 40 horas semanais é de R$ 10.042,52. Já para as vagas da categoria B1 a remuneração total é de R$ 7.830,90.

As inscrições se encerram em 16 de junho para a maioria dos editais, mas há casos em que o prazo só termina em 10 de setembro, e devem ser feitas no site da PUC-Campinas. O candidato, ou seu procurador legal, deve entregar os documentos exigidos, no ato de inscrição, em um dos centros de cada área.

Mais informações pelo site .

Fonte: Agência FAPESP

Interleukin-33 attenuates sepsis by enhancing neutrophil influx to the site of infection

Recuperação molecular

Condição inflamatória sistêmica que se estabelece após infecções bacterianas, a sepse causa alta mortalidade em todo o mundo e tem possibilidades muito limitadas de tratamento. No entanto, um novo estudo realizado por cientistas brasileiros e britânicos desvendou importantes mecanismos fisiopatológicos da sepse, abrindo novas perspectivas terapêuticas.

O trabalho, publicado na semana passada na Nature Medicine, demonstrou que uma nova citocina – grupo de moléculas envolvidas na emissão de sinais entre as células durante o desencadeamento das respostas imunes – é capaz de preservar os mecanismos de defesa inatos do organismo, reduzindo a gravidade da condição inflamatória.

Camundongos com sepse experimental, tratados com a citocina IL-33, descoberta recentemente, tiveram um aumento no fluxo de neutrófilos – os primeiros leucócitos que migram para o local da infecção – e seus organismos combateram a infecção bacteriana com mais eficiência.

O estudo fez parte de um Projeto Temático apoiado pela FAPESP e coordenado por Sergio Henrique Ferreira, do Departamento de Farmacologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP).

O artigo mereceu um comentário na seção News and Views da revista, publicado na mesma edição. De acordo com um dos autores, Fernando Queiroz Cunha, professor titular do Departamento de Farmacologia da FMRP-USP, o trabalho chamou a atenção porque a ciência tem encontrado grandes dificuldades em diminuir a incidência da sepse.

“Os gastos mundiais com a sepse vêm aumentando anualmente e, mesmo assim, sua incidência não tem sido modificada significativamente. No Brasil, por exemplo, a mortalidade causada pela sepse grave varia entre 40% e 50% dos casos. Para tentar reverter esse quadro é fundamental entender melhor os mecanismos fisiopatológicos e abrir caminhos para novas terapias”, disse Cunha.

Parte do estudo foi desenvolvida durante o doutorado do primeiro autor do artigo, José Carlos Alves-Filho, concluído em 2007 na FMRP-USP sob orientação de Cunha, com Bolsa da FAPESP. Participaram também do trabalho cientistas da Universidade de Glasgow (Escócia) – onde Alves-Filho é pesquisador atualmente – e do Laboratório de Medicina Molecular do Conselho de Pesquisa Médica do Reino Unido, em Cambridge (Inglaterra).

Segundo Cunha, o grupo da USP publicou em 2009, na revista Proceedings of the National Academy of Sciences, um artigo que demonstrava, tanto em modelos experimentais como em pacientes, uma estreita relação entre a falência de mecanismos de defesa do organismo e a gravidade da sepse.

“Em particular, analisamos a falência da migração dos leucócitos da circulação para o foco infeccioso. Ou seja, nos casos de sepse, os leucócitos não migram e não combatem a infecção. Demonstramos como isso ocorre do ponto de vista molecular”, disse.

De acordo com o estudo de 2009, os microrganismos ativam os chamados receptores toll-like nos leucócitos circulantes. Isso traz como consequência o aumento da expressão da enzima GRK.

“Essa enzima fosforila os receptores para quimiocinas envolvidos com a migração celular, como o CXCR2. Isso causa a internalização desses receptores nos leucócitos, impedindo que eles migrem para o foco infeccioso”, explicou Cunha.

No trabalho atual, o grupo demonstrou que a citocina IL-33 é capaz de se ligar ao receptor conhecido como ST2, impedindo que os receptores toll-like aumentem a expressão da enzima GRK.

“A consequência é que não há, então, a internalização dos receptores de fatores quimiotáticos, que provocam a migração celular. Isso preserva os mecanismos de defesa inatos, levando a uma redução da gravidade da sepse”, contou.

Terapias possíveis
Os experimentos utilizaram camundongos geneticamente modificados para não expressar o receptor ST2. “Os camundongos foram produzidos por nossos colaboradores no Reino Unido e todos os testes foram feitos em Ribeirão Preto”, disse Cunha.

O primeiro estudo mostrava que, na sepse, a enzima GRK tinha sua expressão aumentada, reduzindo a capacidade do mecanismo de defesa. Agora, com o novo trabalho, os pesquisadores descobriram que há uma maneira para impedir essa redução.

“O estudo abriu um caminho terapêutico que pode ter duas direções: usar a própria IL-33 – o que dependeria evidentemente de uma série de estudos clínicos e toxicológicos – ou empregar uma substância que, ao agir no receptor ST2, consiga impedir o aumento da expressão da enzima GRK”, afirmou Cunha.

O artigo Interleukin-33 attenuates sepsis by enhancing neutrophil influx to the site of infection, de José Carlos Alves-Filho e outros (doi:10.1038/nm.2156), pode ser lido por assinantes da Nature Medicine em www.nature.com/nm.

Fonte: Fábio de Castro / Agência FAPESP

Senado aprova Projeto de Lei sobre propriedade intelectual

O Senado Federal aprovou na última quinta-feira (10), o Projeto de Lei de Conversão nº 6, relativo à Medida Provisória nº 482 de 2010. O texto legal prevê medidas de retaliação sobre diversos direitos de propriedade intelectual tais como suspensão de direitos, subtração de prazo, licenciamento sem remuneração, bloqueio de remessa de royalties, aplicação de direitos de natureza comercial sobre a remuneração do titular, criação ou majoração dos valores de registros.

A legislação também torna possível a suspensão de obrigações decorrentes do Acordo sobre Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados ao Comércio (Acordo de Trips) contra os Estados Unidos no âmbito do contencioso “Estados Unidos - Subsídios ao Algodão”. Essa retaliação poderá atingir os setores de propriedade intelectual e serviços num montante calculado em US$ 238 milhões. O texto segue agora para sanção presidencial.

O Projeto de Lei de Conversão nº 6 está disponível neste link. (Com informações do MDIC)

Fonte: Gestão CT

Astronomia Espacial: Brasil e Itália trocam idéias

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) recebeu, na quinta-feira (10), uma delegação italiana especializada em astrofísica. O objetivo do encontro foi discutir os instrumentos científicos do Monitor e Imageador de Raios X (Mirax), a primeira missão astronômica espacial brasileira, destinada ao estudo do centro da galáxia e seus objetos, como buracos negros e estrelas de nêutrons.

Hoje o Mirax conta com uma câmara imageadora de raios X desenvolvida pelo INPE, em cooperação com outras instituições do Brasil e do exterior, mas poderá conter mais dois instrumentos italianos. De acordo com o vice-diretor do instituto e coordenador do monitor, João Braga, a parceria pode envolver ainda a formação de pessoas, com o intercâmbio científico entre o Inpe e as instituições italianas.

“Os dados gerados pela missão Mirax serão utilizados pelos pesquisadores brasileiros e também serão importantes em termos de cooperação científica internacional”, disse. O Mirax estará a bordo do Lattes, um satélite científico desenvolvido pelo Inpe, com lançamento previsto para 2014.

A delegação italiana foi composta por astrofísicos e engenheiros espaciais do Istituto Nazionale di Astrofisica (Inaf), Istituto di Astrofisica Spaziale e Fisica Cosmica (Iasf) e da Universidade de Ferrara. (Com informações do MCT)

Fonte: Gestão CT

Capes apoiará projetos na área de concorrência e regulação

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) assinaram na última quarta-feira (9) parceria para a seleção de projetos de pós-graduação stricto sensu na área de concorrência e regulação econômica.

A cooperação prevê investimentos da ordem de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 1,2 milhão da Capes para financiamento de bolsas de estudo e parte para recursos de custeio dos projetos, e R$ 300 mil do Cade para investimento de custeio de pesquisa na área da concorrência e regulação econômica. O edital com os procedimentos e critérios para envio e seleção de projetos será divulgado até o final do mês.

Informações sobre as ações da Capes podem ser obtidas no site www.capes.gov.br.

Fonte: Gestão CT