terça-feira, 18 de maio de 2010

FAPESP e MIT lançam chamada de intercâmbio

English Version

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e o Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, publicam chamada de propostas para intercâmbio de pesquisadores.

Podem participar pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior ou pesquisa, públicas ou privadas, no Estado de São Paulo, que sejam pesquisadores responsáveis por auxílios apoiados pela FAPESP e vigentes nas modalidades Auxílio à Pesquisa – Regular, Auxílio à Pesquisa – Projetos Temáticos, Apoio a Jovens Pesquisadores ou Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid).

A chamada está aberta a propostas em todas as áreas do conhecimento. As propostas serão recebidas pela FAPESP até o dia 15 de setembro de 2010.

A execução de cada proposta deverá ocorrer no período de vigência do projeto ao qual está vinculada.

FAPESP e MIT apoiarão as propostas selecionadas com recursos combinados de até US$ 30 mil (US$ 20 mil para pesquisadores e US$ 10 mil para bolsistas), pela vigência estabelecida na concessão, destinados necessariamente e exclusivamente a despesas de mobilidade (passagens, diárias e seguro-saúde) e nos termos do acordo entre as instituições.

As propostas devem ser apresentadas simultaneamente pelo pesquisador do Estado de São Paulo à FAPESP e pelo seu colaborador nos Estados Unidos ao MIT, dentro do Programa MISTI Global Seed Funds. Cada uma das partes efetuará a seleção das propostas segundo sua sistemática de análise. Somente as propostas aprovadas por ambas as partes serão financiadas. As propostas deverão ser submetidas em inglês.

Mais informações sobre a chamada: www.fapesp.br/mit

Fonte:Agência Fapesp

Intercâmbio de bolsistas com Universidade de Coimbra

O prazo de inscrições para o Programa de Intercâmbio Inde Bolsistas de Doutorado-Sanduíche com a Universidade de Coimbra (UC), de Portugal, para o período 2010/2013, está aberto e segue até o dia 22 de junho. Serão apoiadas as áreas de direito, neurociências, biologia celular e molecular. As propostas devem ser encaminhas sob forma de projeto ao CNPq, por meio da Plataforma Carlos Chagas, no endereço http://carloschagas.cnpq.br.

Entre os benefícios estão inclusos, para proponentes dos dois países, passagem aérea de ida e volta em classe econômica, seguro saúde, mensalidades e auxílio-instalação. Serão exigidos requisitos como ter vínculo com universidade brasileira pertencente à Associação Grupo Coimbra de Dirigentes de Universidades Brasileiras, currículo atualizado na Plataforma Lattes, razão e justificativa da proposta de parceria, descrição das atividades e relevância da pesquisa, tanto para o Brasil quanto para Portugal, entre outros.

De acordo com o edital, podem ser aprovados até dez pedidos de parcerias compostos por um grupo de pesquisa brasileiro e um da UC. Para cada proposta contemplada, o grupo de pesquisa brasileiro será apoiado com até três bolsas do CNPq e o grupo português será contemplado com até três bolsas da UC. As bolsas terão vigência de seis a doze meses.

O objetivo da iniciativa é apoiar o intercâmbio entre grupos de pesquisa brasileiros e portugueses, por meio da participação de estudantes de doutorado em estágios de doutorado-sanduíche. Os estudantes terão acesso à infraestrutura, equipamentos e corpo docente da instituição anfitriã para a complementação de sua tese de doutorado a ser defendida no Brasil, no caso dos brasileiros, e em Portugal, no caso dos portugueses.

O edital na íntegra pode ser acessado neste link.
Fonte: Gestão CT

Projetos de C&T em saúde podem receber até R$ 15 mil em prêmio

Estão abertas até o dia 28 de junho as inscrições para a nona edição do Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o Sistema Único de Saúde (SUS). A iniciativa do Ministério da Saúde premiará trabalhos científicos que tenham potencial de serem incorporadas na rede pública. As inscrições podem ser efetuadas pelo site www.saude.gov.br/premio e a premiação soma R$ 55 mil.

Serão premiadas pesquisas em cinco categorias de pós-graduação. A primeira prevê prêmio de 15 mil para teses de doutorado; a segunda R$ 10 mil para dissertações de mestrado; a terceira R$ 10 mil para trabalhos científicos publicados; a quarta R$ 5 mil para monografia de especialização ou residência; e por fim R$ 15 mi para trabalhos de incorporação de conhecimentos científicos no SUS.

As propostas vencedoras serão divulgadas na cerimônia de entrega do prêmio, prevista para dezembro de 2010, em Brasília (DF). As pesquisas vitoriosas serão publicadas, na íntegra, no portal do Ministério da Saúde e na Biblioteca Virtual de Saúde do ministério.

O prêmio é um estímulo, um reconhecimento do SUS aos pesquisadores e aos profissionais de saúde que contribuem para a melhoria da qualidade dos serviços e da saúde da população brasileira, defende o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do ministério, Reinaldo Guimarães.

Mais informações sobre o prêmio assim como o edital completo podem ser obtidos neste link.(Com informações do Ministério da Saúde)

Fonte: Gestão CT

Berinjela contra a obesidade e doenças cardiovasculares

Farinha de berinjela pode evitar obesidade e doenças cardiovasculares
Nutricionistas do Instituto de Nutrição Josué de Castro (INJC-UFRJ) dirigem suas pesquisas para um alimento ainda pouco conhecido, porém importante para reduzir fatores de risco de doenças cardiovasculares, e para regulação da gordura corporal e visceral: a farinha de berinjela. “O Centro de Pesquisa em Nutrição Clínica (Cepnuc-UFRJ) tem como principal objetivo o estudo de alimentos que possam atuar de forma eficaz no tratamento nutricional da obesidade. Com isso, esperamos que a perda de peso ocorra de forma mais acentuada e mais rápida com a inclusão de suplementos alimentares, como a farinha de berinjela, na dieta”, diz a nutricionista Wânia Lúcia Araujo Monteiro, colaboradora do INJC.

O estudo realizado pelo INJC é o primeiro do Brasil a relacionar a farinha de berinjela com tratamento contra a obesidade. “Há algum tempo atrás, muito foi falado sobre o provável benefício da berinjela no tratamento da hipercolesterolemia (colesterol alto), porém os resultados foram controversos”, relata Wânia.

A especialista explica por que o alimento possui tanta importância na pesquisa. “A farinha de berinjela se destaca por seu elevado teor de fibras e pelo baixo conteúdo em lipídios. Além disso, é popularmente conhecida pelas suas propriedades nutracêuticas (de caráter nutritivo e farmacêutico), auxiliando a redução do risco de doenças coronarianas. A coloração arroxeada da casca da berinjela é atribuída à grande quantidade de flavonóides, substâncias que possuem propriedades antioxidantes e contribuem para o sabor da berinjela.”

Segundo a nutricionista, o alto teor de fibras contido no alimento leva a redução da ingestão energética e ao aumento do tempo de esvaziamento gástrico, o que faz com que a farinha de berinjela esteja presente em dietas para redução da obesidade. Além disso, a farinha auxilia na prevenção de doenças, principalmente as relacionadas ao excesso de peso. “Vários estudos têm mostrado a importância da ingestão de flavonóides no combate a doenças cardiovasculares (DCV).”

O consumo da farinha de berinjela, porém, ainda é pouco comum e seu comércio bastante limitado. “No início do nosso estudo tentamos obter a farinha de berinjela pelo modo de extração da água através do seu aquecimento. Porém, isso não foi possível, pois a técnica não deu certo. Dessa forma, entramos em contato com uma empresa que comercializa a farinha de berinjela no mercado e fizemos uma parceria para utilização do alimento em nossa pesquisa. Mas a comercialização dessa farinha ainda é escassa. A empresa que nos doou é a única do mercado a comercializá-la. Seu preço, porém, não é caro, podendo ser comprado por várias classes sociais”, expõe a especialista.

A farinha de berinjela não é somente um importante auxiliar no combate à obesidade e uma importante fonte de fibras, mas também um alimento agradável para completar as refeições diárias. “A farinha de berinjela é bem gostosa. Ela tem o sabor bem característico da berinjela. Acho seu sabor muito melhor que a farinha de mandioca, por exemplo”, recomenda Wânia.

Fonte: Marlon Câmara /Olhar Vital - UFRJ

Acordo entre Brasil e EUA para programas educacionais

O acordo entre o governo brasileiro e o dos Estados Unidos para Programas Educacionais e de Intercâmbio Cultural, firmado em 2008, foi promulgado na última quarta-feira (12) pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. O decreto Nº 7.176 foi publicado no Diário Oficial da União do dia 13 de maio.

A ação visa expandir programas para promover o entendimento mútuo entre os povos dos dois países por meio de intercâmbio educacional, cultural, científico, técnico e profissional. De acordo com a publicação, a cooperação bilateral também deve ser fortalecida. Os fundos tornados disponíveis pelas partes, informa o decreto, devem ser destinados ao financiamento de estudos, pequisa, instrução e outras atividades educacionais de nível universitário.

O decreto foi publicado na Seção 1 do Diário Oficial da União da quinta-feira (13).

Fonte: Gestão CT

Estratégia nacional de normalização incentiva competitividade entre as empresas

A Estratégia Brasileira de Normalização tem proporcionado a criação de meios para uma maior oferta de produtos e serviços competitivos e eficientes no país. O documento criado no ano passado pelo Comitê Brasileiro de Normalização (CBN) e aprovado pelo Conselho Nacional de Normalização e Qualidade Industrial (Conmetro), propõe que os setores público e privado brasileiros compartilhem de uma visão estratégica sobre o tema normalização alinhada de forma coerente com as políticas industriais, tecnológicas e de comércio exterior.

As diretrizes da norma beneficiam também os consumidores, já que a tendência é que os produtos sejam colocados no mercado com qualidade e padronizados. Com essa iniciativa, o Brasil entra na vanguarda na América Latina, figurando na lista dos países que se preocupam com a qualidade dos bens e serviços, como Estados Unidos, Japão, China, Canadá, Alemanha, Reino Unido e França

A estratégia foi construída de maneira participativa, com a realização de oficinas de trabalho multissetoriais, em todas as regiões do país. As diretrizes estabelecidas devem ser implementadas pelos diversos atores envolvidos nas atividades de normalização no Brasil. Cabe ao CBN monitorar a implementação delas, além de promover a disseminação. O órgão também realizará a análise crítica da estratégia e fará a sua revisão, quando apropriado. A idéia é revisar o documento a cada cinco anos. O primeiro ciclo será realizado até 2014.

A estratégia completa está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT