sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Pesquisadora do Adolfo Lutz recebe o Prêmio Puglia

Pesquisadora do Adolfo Lutz é premiada na Itália
Todos os anos, o Consiglio Generale Pugliese nel Mondo escolhe cinco pessoas nascidas na região italiana de Puglia, ou seus descendentes, para conceder o Prêmio Puglia, sendo uma de cada continente.

Este ano, recebeu o prêmio pela América Latina a biomédica Adele Catarino de Araújo, pesquisadora em Imunologia do Instituto Adolfo Lutz e professora da Universidade de São Paulo. Filha de italianos, Adele foi escolhida pela sua carreira em pesquisa científica.

A pesquisadora é uma das pioneiras na pesquisa do vírus HIV no Brasil, tendo integrado o primeiro programa de Aids no país. Foi bolsista da FAPESP em dois pós-doutorados feitos no exterior e coordenou cinco projetos apoiados pela modalidade Auxílio à Pesquisa – Regular. Em 2006, recebeu o Prêmio de Incentivo em Ciência e Tecnologia para o SUS.

Os premiados são escolhidos por uma comissão composta por 60 membros, cada um representando um país em que a Associação Pugliese está presente.

O objetivo do prêmio é homenagear cidadãos da região ou seus descendentes que se destacaram em suas respectivas áreas profissionais. No Brasil, a entidade italiana é representada pela Associação Pugliese de São Paulo.

Fonte: Agência FAPESP