sábado, 7 de fevereiro de 2009

“Coherent light incidence in semen: an optical approach to evaluate spermatozoa surviving"

Estudo da UFLA sobre avaliação da fertilidade de touros ganha prêmio em simpósio internacional

O trabalho “Coherent light incidence in semen: an optical approach to evaluate spermatozoa surviving” (Incidência do laser no sêmen: um método para avaliar o índice de sobrevivência do espermatozóide) ganhou o prêmio de 3º melhor resumo apresentado no II International Symposium on Animal Biology of Reproduction. O evento, que aconteceu em São Paulo – SP, foi promovido pelo Colégio Brasileiro de Reprodução Animal (CBRA).

Desenvolvido pelos estudantes Roberto de Sousa Macedo e Tatiany Fernandes e Silva, do curso de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Lavras (Ufla), o estudo foi orientado pelos professores João Bosco Barreto Filho, do Departamento de Medicina Veterinária e Giovanni Francisco Rabelo e Roberto Alves Braga Junior, do Departamento de Engenharia.

Fértil ou não?
Basicamente, o objetivo do trabalho é avaliar os aspectos cinéticos do esperma (como por exemplo a porcentagem de espermatozóides que se movimentam) através de um método de visão artificial a laser chamado Biospeckle Laser, projeto desenvolvido e patenteado pelos Departamentos de Engenharia e de Medicina Veterinária da Ufla.

De acordo com os acadêmicos Tatiany e Roberto, essas características móveis do sêmen são um dos aspectos utilizados para apontar o potencial de fertilidade de um touro. Os estudantes explicam, ainda, “que através do método de avaliação utilizado nesse trabalho, os resultados tornam-se muito mais precisos, especialmente quando comparados às avaliações realizadas através de outros métodos tradicionais”, afirmam.

Portanto, embora as pesquisas ainda estejam em andamento, “o método utilizado nesse trabalho tem demonstrado resultados animadores, podendo ser considerado uma alternativa para análises de rotina em centrais e laboratórios que trabalham na área reprodutiva, inclusive a um custo menor quando comparado a alguns métodos automatizados utilizados”, finalizam eles.

Fonte: UFLA