sexta-feira, 7 de novembro de 2008

OEA aprova a Declaração México: Ciência, Tecnologia, Engenharia e Inovação como instrumentos para a prosperidade humana

De 27 a 28 de outubro, os países membros da Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovaram a Declaração do México: Ciência, Tecnologia, Engenharia e Inovação como Instrumentos para a Prosperidade Humana. Ministros e autoridades das 34 nações que integram o grupo se reuniram na capital mexicana.

O documento é composto por três partes, além das considerações iniciais: 1) C&T, engenharia, inovação e políticas públicas para o desenvolvimento integral; 2) C&T, engenharia e inovação para a gestão sustentável dos recursos naturais; e 3) C&T, engenharia e inovação elevar a produtividade.

Durante o encontro, os países se comprometeram a unir esforços para atingir os objetivos traçados em cada uma das partes. A primeira parte da declaração inclui, entre outros pontos: envidar esforços para aumentar significativamente o investimento público em C&T e estimular os investimentos do setor privado para promover a P&D e a inovação tecnológica; apoiar a criação e o fortalecimento de sistemas nacionais de inovação orientados para os setores produtivos a fim de melhorar sua produtividade, seu desempenho e sua competitividade; e promover a geração e a divulgação do conhecimento em CT&I e sua apropriação social como ferramentas para a inclusão e a coesão social nos Estados membros.

Já a segunda parte do documento, que é dedicada à gestão sustentável dos recursos naturais, alinha os seguintes compromissos: colaborar na formulação e implementação de políticas e programas sobre o manejo sustentável dos recursos naturais; promover a P&D de tecnologias que contribuam para a segurança alimentar e a melhor nutrição dos nossos povos; e promover o melhor aproveitamento e a diversificação de fontes renováveis; entre outros pontos.

A terceira parte, sobre como elevar a produtividade, faz recomendações como promover o fortalecimento dos vínculos de empresas com universidades e institutos de pesquisas para preparar, atrair e reter pessoal qualificado, incluindo engenheiros e inovadores, que colaborem no desenvolvimento de novos produtos.

Também constam propostas como: promover a capacitação das micro, pequenas e médias empresas (MPEs), facilitando a produção de bens e serviços necessários e geradores de novas atividades econômicas e emprego decente; e promover a criação da cultura empreendedora para o desenvolvimento de novos negócios e empreendimentos de base tecnológica mediante redes e mecanismos de incubação de empresas, acesso ao crédito e disponibilidade de capital de risco para novos negócios como estratégia para melhorar a prosperidade humana.

Em artigo publicado sobre a declaração na edição do JC e-mail 3.633, do dia 4, o chefe da Assessoria de Assuntos Internacionais do MCT, José Monserrat Filho, lembra que a 1ª Cúpula das Américas, reunida em Punta Del Este, Uruguai, em 1967, reconheceu pela primeira vez a importância da C&T para o desenvolvimento econômico e social dos países do hemisfério. “Isto significa que a visão da C&T como fator de desenvolvimento entre os países americanos já tem 50 anos. Caberia examinar por que ela não gerou os frutos necessários”, afirma.

Na reunião realizada no México, o Brasil foi representado pelo secretário executivo do MCT, Luiz Antonio Elias. Durante a sua intervenção, ele destacou que mesmo com a crise financeira mundial, o presente momento corresponde a uma oportunidade histórica para que os países das Américas enfrentem com sucesso o desafio de fortalecer, cada vez mais, seus sistemas de CT&I, com o objetivo de dar suporte ao desenvolvimento integral, “pois há o reconhecimento da importância de se contar com um sistema nacional e de se intensificar a cooperação e, mais importante, há o desejo coletivo, demonstrado por esta reunião”.

Informações sobre as ações do MCT podem ser obtidas no site www.mct.gov.br. (Com informações do JC e-mail 3.633)

Projeto Grid Educacional é lançado pela FAPESP

Laboratório distribuído
Um laboratório virtual voltado para atividades de pesquisa e qualificação de recursos humanos na área de computação de alto desempenho foi lançado na manhã desta quinta-feira (6/11), na sede da FAPESP, na capital paulista.

Nomeado Grid Educacional, o projeto reúne seis universidades paulistas por meio de uma infra-estrutura comum de processamento de dados que permitirá a estudantes e pesquisadores fazer treinamentos de construção e operação de sistemas computacionais interligados.

O projeto tem coordenação do Centro Regional de Análise de São Paulo (Sprace), entidade localizada no Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP) que reúne profissionais de várias instituições de ensino e pesquisa do país no estudo da física de altas energias.

Participam do Grid Educacional as universidades Estadual Paulista (Unesp), de São Paulo (USP), Estadual de Campinas (Unicamp), Federal do ABC (UFABC) e Federal de São Carlos (UFSCar), além da Universidade Internacional da Flórida, nos Estados Unidos. Os equipamentos utilizados pelo projeto foram doados pelas empresas Intel, Kingston, Seagate e SGI. A importação do maquinário foi financiada pela FAPESP.

O projeto prevê a instalação de dois servidores em cada uma das seis instituições de ensino. O diferencial do Grid Educacional, no entanto, é a otimização do uso desses servidores a partir de técnicas modernas de virtualização.

“Cada dois servidores físicos serão virtualizados para simular todos os serviços oferecidos por um cluster [aglomerados de computadores] visando a beneficiar amplamente a comunidade científica do Estado de São Paulo“, disse Sérgio Ferraz Novaes, coordenador do Sprace e professor do Instituto de Física Teórica da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

“Essas máquinas não irão rodar processos pesados, por isso não necessitam de alta capacidade de processamento e armazenamento. Por serem virtuais, elas devem apenas representar o funcionamento de um cluster”, explica. “A área de processamento de alto desempenho é relativamente nova e ainda conta com pouquíssima capacitação no Brasil.”

Segundo Novaes, a idéia de permitir que cada servidor acomode diversos outros “servidores virtuais”, multiplicando a quantidade total de máquinas disponíveis, que poderão ser acessadas em sites na internet, foi baseada no conceito conhecido como Grid-in-a-box.

“Com essa arquitetura simulada, o objetivo do projeto é treinar estudantes para a criação de uma base sólida de recursos humanos, de modo a possivelmente ampliar essa estrutura computacional para outras universidades do Estado”, explica Novaes.

Sabe-se que o uso dessa metodologia de compartilhamento de infra-estrutura computacional para fins de treinamento é mais econômica à medida que evita a aquisição e manutenção de um conjunto maior de servidores físicos, reduzindo o custo total do sistema.

Toda essa arquitetura de processamento envolverá inicialmente cinco sites no Estado de São Paulo, que são conectados com a rede KyaTera, apoiada pela FAPESP. A conexão da comunidade científica paulista com a dos Estados Unidos ocorrerá por meio do WHREN-LILA, mantida por uma parceria entre a National Science Foundation e a FAPESP.

Sérgio Novaes contextualiza a computação de alto desempenho mencionando as análises realizadas no maior acelerador de partículas do mundo, o Large Hadron Collider (LHC), localizado em um túnel circular com 27 quilômetros de extensão no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern, na sigla em francês), em Genebra.

“Os estudos vinculados ao LHC sempre demandaram processamento de alto desempenho. Foram os pesquisadores vinculados ao acelerador de partículas que impulsionaram as tecnologias de computação em grid pelo mundo”, explica Novaes. “Devido aos processamentos dos dados gerados pelo LHC conduzidos pela Unesp, nos sentimos na obrigação de disseminar o conhecimento adquirido para outras universidades do Estado de São Paulo”, conta.

A primeira iniciativa em prol da disseminação desses conhecimentos obtidos no LHC foi a criação, em junho deste ano, do Programa de Integração da Capacidade Computacional da Unesp (GridUnesp) GridUnesp.

Um dos estudos realizados na Unesp se deu por conta do projeto temático Física experimental de anéis de colisão: SP-Race e HEP Grid-Brasil, desenvolvido pela equipe de Sérgio Novaes com apoio da FAPESP, por meio de um Projeto Temático, trabalho cujos resultados deram origem ao Projeto Grid Educacional agora lançado.

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

BB lança primeiro cartão com certificação digital

O Banco do Brasil lançou, na última terça-feira (4), durante a 6ª edição do Fórum de Certificação Digital (CerfForum), em Brasília, o primeiro cartão do país que combina, em um mesmo plástico, as funções de débito e crédito com a possibilidade de armazenar certificados digitais da ICP-Brasil, emitidos por empresas vinculadas à essa infra-estrutura de chaves públicas.

Em texto do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), o certificado digital é um documento eletrônico utilizado para identificar pessoas físicas ou jurídicas em transações eletrônicas. Os cartões emitidos pelo Banco do Brasil passam a adotar a chamada funcionalidade PKI (sigla para Public Key Infrastructure), ou sistema de chaves públicas, simultaneamente à utilização do padrão EMV Standard (criado há 15 anos numa parceria entre os principais sistemas de pagamento: Europay, Mastercard e Visa).

Segundo o texto, essa funcionalidade será oferecida inicialmente aos portadores do novo Ourocard Empresarial Comércio Exterior (Mastercard), destinado às empresas exportadoras e importadoras brasileiras e do Cartão de Pagamento do governo Federal (Visa), habituais usuários da certificação digital.

Os novos cartões do BB virão com um chip que permite ao usuário, que possua o certificado digital armazenado, realizar as transações tradicionais nos terminais de auto-atendimento do Banco do Brasil e na internet, e também as diversas aplicações já existentes na Infra-estrutura de Chaves Públicas Brasileira (ICP-Brasil).

Informações adicionais, no site www.iti.gov.br.(Com informações do ITI - Boletim Digital nº 109)

Fonte: Gestão CT

Lançado software público voltado para a gestão educacional municipal

Os municípios já podem ter acesso gratuito, no Portal do Software Público Brasileiro, ao primeiro sistema de gestão educacional livre desenvolvido no país. É o I-educar, iniciativa que foi desenvolvida no município de Itajaí (SC) e trata-se de um sistema de gestão escolar que permite centralizar informações de todas as escolas municipais em um único banco de dados.

O sistema ainda permite gerir matrículas, transferências, emissão de certificados e diplomas, suspensões e quadro de horários de forma integrada. O I-educar foi lançado durante a 5ª Conferência Latino-Americana de Software Livre (Latinoware 2008), realizada de 30 de outubro a 1º de novembro, em Foz do Iguaçu (PR).

De acordo com o coordenador do Centro Tecnológico de Informação e Modernização Administrativa da Prefeitura de Itajaí, Jean Carlos Sestrem, com o I-educar todos os relatórios gerenciais e dados exigidos pelo Ministério da Educação para liberação de recursos podem ser obtidos em tempo real.

Em notícia publicada no site do Ministério do Planejamento, Sestrem informou que a iniciativa também conta com um módulo de biblioteca que faz a gestão de bibliotecas de cada escola. “Uma das principais vantagens do I-educar é a centralização das informações de todas as escolas municipais em um banco de dados único, controlando o cadastro de alunos, com seus dados pessoais, familiares e pedagógicos”, disse.

Ele ainda destacou que uma gestão escolar eficaz diminui a carga de trabalho do corpo administrativo da escola e resulta em mais tempo livre para o desempenho de outras atividades.

Durante a Latinoware 2008, também foi lançado o ambiente Colaboração, Comunidade, Conhecimento e Compartilhamento (4 CMBR), que é a primeira comunidade temática do Portal do Software Público (www.softwarepublico.gov.br/4cmbr). A iniciativa é voltada para as administrações públicas municipais brasileiras e já disponibiliza documentos úteis ligados à tecnologia da informação municipal, bem como soluções livres de interesse das gestões municipais, como é o caso do I-educar. O ambiente disponibiliza ferramentas para a interação entre os usuários como fóruns, chats e ambientes de colaboração.

Portal
O Portal do Software Público é administrado pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento. Em notícia publicada no site do órgão, o ministério destaca que o portal está inaugurando um novo modelo de licenciamento e de gestão de soluções desenvolvidas na Administração Pública ao compartilhar soluções que podem ser úteis aos mais diferentes órgãos públicos e também à sociedade.

Para conhecer o Portal do Software Público Brasileiro, acesse www.softwarepublico.gov.br.

Fonte: Gestão CT

Visões da Terra: Entre Deuses e Máquinas – Qual o lugar da humanidade no mundo que vivemos?

A Estação Ciência está trazendo para São Paulo a exposição Visões da Terra: Entre Deuses e Máquinas – Qual o lugar da humanidade no mundo que vivemos?. Com abertura marcada para o dia 18 de novembro, a mostra busca proporcionar aos visitantes, de forma dinâmica, uma reflexão sobre como o homem se relaciona com o mundo em que vive.

A idéia é que o público possa fazer uma viagem através da história do planeta em vários módulos, com minuciosidade de dados e acompanhado de obras de arte. Numa tentativa de reconstituir de forma ilustrada e completa a evolução da vida na Terra, os módulos apresentam uma trajetória que vai desde o período pré-cambriano, passando pelo surgimento do homem e suas interpretações sobre o planeta através dos tempos.

Destacam-se a reprodução da cidade de Çatal Huyuk, do período neolítico, do mapa-mundi imaginado por Anaximandro na Grécia Antiga, de pinturas da era cristã que identificavam o Paraíso como se fosse um continente, bem como também de reflexões mecanicistas surgidas com a Revolução Industrial.

A exposição tem curadoria geral de Rualdo Menegat, Doutor em Geociências e professor do Departamento de Paleontologia e Estratigrafia da UFRGS, e curadoria artística de Ana Albani de Carvalho, professora do Instituto de Artes, também da UFRGS. Visões da Terra estreou no museu da própria UFRGS, por onde passaram mais de 50 mil visitantes. Nas palavras do professor Menegat "poucas histórias são tão arrebatadoras como aquelas que dão conta da origem e evolução da Terra, da vida e da humanidade". "A idéia é fazer uma relação entre ciência e arte para proporcionar toda uma experiência estética e visual" completa Ana Carvalho.

O responsável por trazer a exposição para São Paulo, e curador da montagem paulista, foi o Dr. Wilson Teixeira, professor titular do Instituto de Geociências da USP e ex-diretor da Estação Ciência. Teixeira conta que "o que me chamou a atenção ao conhecer a exposição foi seu caráter interdisciplinar e didático, além dos aspectos cenográficos impactantes. Também me impressionou muito a linguagem adotada bem como a pesquisa histórica realizada. Em função disso, a exposição poderá interessar aos mais variados perfis de público e daí a grande importância de trazermos essa oportunidade para os paulistas".

Serviço:
Exposição: "Visões da Terra: Entre Deuses e Máquinas – Qual o lugar da humanidade no mundo em que vivemos?"
18 de novembro de 2008 a 18 de janeiro de 2009
Estação Ciência – USP (Rua Guaicurus, 1394, Lapa, São Paulo)
Informações: (11) 3673 7022 / www.eciencia.usp.br
Horários de funcionamento: terça a sexta: das 8h às 18h / finais de semana e feriados: 9h às 18h.
Ingressos (incluindo todas as exposições permanentes da Estação Ciência):
R$ 2,00 (grátis para menores de 6 anos, maiores de 60 e para todos no primeiro sábado e terceiro domingo de cada mês)

Fonte: Estação Ciência - USP

Amazonas Film Festival (AFF) começa amanhã em Manaus

No próximo dia 12 de novembro, “Documentarismo no Amazonas: a experiência do projeto documentos da Amazônia” é o tema da palestra que será proferida durante a 5ª edição do Amazonas Film Festival (5°AFF), que tem início amanhã (7) e irá até o dia 13, pelo pesquisador Gustavo Soranz, bolsista do Programa Comunicação Científica da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), instituição associada à ABIPTI. O evento acontece no Centro Cultural Palácio da Justiça (AM).


Durante o evento, Soranz vai mostrar a análise desenvolvida em seu projeto de pós-graduação “Documentos da Amazônia”, que teve forte repercussão nos anos 70 pela TV Educativa, envolvendo produções cinematográficas feitas no Amazonas. Em texto da Fapeam, o pesquisador disse que a idéia de fazer os documentários, na época, surgiu quando Renan Freitas Pinto estava na direção de produção na TV Educativa do Estado do Amazonas, que montou um núcleo de cinema com participação de artistas e acadêmicos.

Ainda segundo texto da Fapeam, Soranz afirmou que o projeto propunha um discurso original em oposição a, pelo menos, dois discursos, o do governo militar vigente e o da denúncia contra os programas desenvolvimentistas para a Amazônia.

Na avaliação de Soranz, a 5ª edição do Amazonas Film Festival traz oportunidade de aproximar a produção de conhecimento sobre a Amazônia e recuperar a memória esquecida do cinema local. As inscrições podem ser feitas no site www.amazonasfilmfestival.com.br.

Festival
A 5ª edição do Amazonas Film Festival promoverá além das sessões de cinema, o “3° Concurso Amazonas de Roteiro Inédito para a Produção de Curta-Metragem 35 mm”. Promovido pelo governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura, o 3° concurso tem como objetivo valorizar e estimular a criação e a produção de obras de cinema no Amazonas. Nesta 3ª edição, o concurso recebeu 12 roteiros inéditos, incluindo os gêneros ficção, experimental e documentário.

Ações Ecológicas
Este ano, práticas ecológicas vão integrar a programação oficial do 5º AFF: um painel ecológico vai reunir ambientalistas, representantes de órgãos governamentais, não governamentais e intelectuais convidados ligados à área ambiental, com o objetivo de discutir temas relacionados ao desenvolvimento da Amazônia de forma sustentável, sem prejuízo ao meio ambiente. Também vão ser realizadas atividades em parceria com os órgãos de pesquisa ligados ao meio ambiente.

Mais informações, no site www.amazonasfilmfestival.com.br, ou pelo telefone (92) 3622-4927.

Fonte: Gestão CT

Dia Mundial da Ciência : divulgada programação das comemorações

Nos próximos dias 10 e 11, será comemorado o Dia Mundial da Ciência pela Paz e pelo Desenvolvimento. O evento será realizado em Brasília, a partir das 9h, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e parceiros. O local do evento é o Senac, localizado na 903 Asa Sul.

Nos dois dias haverá apresentação de filmes, mesas-redondas, entrega de prêmios, lançamento de livros, oficinas e outras atividades.

A ABIPTI apóia o evento e terá estande no local das comemorações, onde serão vendidos livros publicados pela Associação.

Mais informações sobre a programação pelo site: www3.unesco.org.br/diadaciencia.

Fonte: Gestão CT

FAPESP e CNRS - Centre National de la Recherche Scientifique - lançam nova chamada

A FAPESP e o Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS, na sigla em francês) lançaram nova chamada para seleção de propostas de intercâmbio de pesquisadores entre Brasil e França, no âmbito do Convênio de Cooperação Científica entre a FAPESP e o CNRS, firmado em 2004 e renovado em junho de 2008.

Pela FAPESP, poderão se inscrever pesquisadores responsáveis por projetos vigentes nas modalidades Auxílio a Pesquisa Regular e Projetos Temáticos ou por auxílios desenvolvidos no âmbito dos programas Apoio a Jovens Pesquisadores e Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid). Pelo lado francês, poderão participar pesquisadores trabalhando em instituições de pesquisa daquele país e que possam receber apoio do CNRS.

Serão considerados como de interesse da FAPESP e do CNRS nesta chamada projetos nas áreas de astrofísica e astronomia, biologia molecular e genômica, geociências, informática, materiais e nanotecnologia, química, engenharias, fontes renováveis de energia, agrotecnologia, matemática pura e aplicada, física, fotônica, óptica, ciências humanas e sociais, bem como em outras áreas nas quais haja colaborações em atividades de pesquisa e desenvolvimento entre pesquisadores no Estado de São Paulo e pesquisadores na França.

Cada projeto deverá ter a duração de, no máximo, 36 meses. As propostas serão recebidas até o dia 19 de dezembro e devem ser apresentadas simultaneamente pelo pesquisador do Estado de São Paulo à FAPESP e pelo seu colega da França ao CNRS.

Texto integral da chamada de propostas FAPESP/CNRS 2008:
www.fapesp.br/cnrs2008.

Fonte: Agência FAPESP

Prominp: inscrições abertas para 21,1 mil vagas em 12 estados

De 12 de novembro a 19 de dezembro, estarão abertas as inscrições para preenchimento de 21.175 vagas em cursos gratuitos oferecidos pelo Plano Nacional de Qualificação Profissional do Prominp (Programa de Mobilização da Indústria Nacional de Petróleo e Gás Natural). O edital da seleção pública será lançado na próxima segunda-feira, 10/11.

Os cursos de formação, todos voltados para atividades no setor de petróleo e gás, oferecem capacitação em variadas profissões de níveis básico, médio, técnico e superior, em 12 estados do país: Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Do total de vagas, 16.808 são para cursos de nível básico, 3.487 para cursos de nível médio, 460 para nível técnico e 420 para cursos de nível superior. Veja aqui a Tabela de Vagas. A prova nacional será realizada em todas as localidades com oferta de vagas e está agendada para o dia 18 de janeiro.

As inscrições podem ser feitas através do site do programa – www.prominp.com.br –, ou nos postos de inscrição credenciados, listados no edital. Além desses, serão criados mais postos no decorrer do período de inscrições, que serão divulgados por meio do site do Prominp e da imprensa, ou pelo telefone da Cesgranrio (0800 701 2028).

Detalhes do edital
A taxa de inscrição do processo seletivo é de R$ 22 para nível básico, R$ 38 para os níveis médio e técnico e R$ 56 para nível superior. A inscrição só será confirmada após o pagamento da taxa. Existe a possibilidade de isenção da taxa de inscrição para candidatos que possuírem o Número de Identificação Social - NIS e declararem que não possuem recursos financeiros para pagamento do valor. Para fazer jus à isenção total da taxa, os candidatos devem atender às condições listadas no edital.

Para concorrer a uma das vagas oferecidas, o candidato deve ter idade igual ou superior a 18 anos, além de preencher os pré-requisitos do curso desejado. Os candidatos aprovados no processo seletivo, que estiverem desempregados durante o curso, receberão uma bolsa-auxílio no valor de R$ 300 mensais para nível básico, R$ 600 para níveis médio e técnico, e R$ 900 para nível superior.

A participação nos cursos do Prominp não garante emprego após a conclusão do curso. O objetivo é oferecer cursos para melhorar a qualificação dos profissionais que serão, eventualmente, aproveitados pelas empresas privadas fornecedoras de bens e serviços do setor de petróleo e gás natural. Todas as informações sobre os cursos oferecidos nesta etapa de seleção podem ser obtidas no Edital, que estará disponível para consulta e download, a partir do dia 10 de novembro, nos sites do Prominp (www.prominp.com.br) e da Cesgranrio (www.cesgranrio.org.br), e também nos locais de inscrição.

Fonte: Agência Petrobras

FAPESP e NSF divulgam resultado de IC em química

A FAPESP divulgou os bolsistas de iniciação científica selecionados na segunda chamada do Programa Piloto de Intercâmbio em Pesquisa para Bolsistas de Iniciação Científica da Área de Química, iniciativa conjunta da Fundação e da Divisão de Química da National Science Foundation (NSF), dos Estados Unidos.

Os oito selecionados realizarão estágio para desenvolver projetos de pesquisa durante dez semanas, sob supervisão de pesquisadores das universidades da Flórida, da Califórnia e da Virgínia Commonwealth, nos Estados Unidos, no período de 5 de janeiro a 13 de março de 2009.

Os estudantes selecionados para estágio na Universidade da Flórida, em Gainsville, são: Glauco Pilon, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), Vivian Estevam Cornélio, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), André Guimarães de Oliveira, da Universidade de São Paulo (USP), e Rafael de Matos Leite, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Para a Universidade Virgínia Commonwealth, em Richmond, foram selecionados os estudantes Paulo Ganef Slobodticov (USP) e Renan Lourenço Joviliano (Unicamp).

Na Universidade da Califórnia, em Los Angeles, estagiarão os bolsistas selecionados Ricardo Barroso Ferreira (Unicamp) e Sergio Augusto Jannuzzi (Unicamp).

A contribuição da FAPESP se dará por meio de bolsa no valor de US$ 800,00 por mês, custeada na forma de um aditivo especial ao valor da bolsa em andamento, no caso de bolsista da FAPESP, ou na forma de pagamento de diárias de viagem por meio do projeto de Auxílio a Pesquisa FAPESP de responsabilidade do orientador, se for bolsista de outra agência.

Passagem aérea, seguro-saúde e despesas de visto serão custeados pela Reserva Técnica de Projeto de Auxílio a Pesquisa de responsabilidade do orientador e/ou pelas instituições paulistas envolvidas.

Despesas de moradia (aluguel) serão custeadas pelo projeto financiado pela National Science Foundation e/ou pelas universidades americanas, em valor estimado de até US$ 1.500.

Mais informações sobre a chamada no link

Fonte: Agência FAPESP

IPT organiza o Workshop Nanobio

O workshop Nanobio, organizado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), será realizado no dia 11 de novembro, a partir das 8 horas, na Cidade Universitária, em São Paulo.

O objetivo do evento é apresentar um panorama da atuação em nanobiotecnologia – e suas aplicações em medicina, meio ambiente, agricultura e outras áreas –, com a discussão das possibilidades de elaboração de projetos e busca de sinergias adequadas entre as instituições participantes.

O evento terá a participação de especialistas do IPT, da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal do Paraná (UFRP), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

“Nanopartículas e nanoencapsulação”, “Nanomedicina e nanotoxicidade”, “Sondas marcadas com nanopartículas de ouro para detecção precoce de câncer humano em modelo animal” e “Aplicações da nanotecnologia no agronegócio” serão alguns dos temas debatidos.

Mais informações: (11) 3767-4918, ou pelo e-mail

Fonte: Agência FAPESP