terça-feira, 21 de outubro de 2008

Aumenta o número de acidentes com escorpiões no Rio de Janeiro

Mais picadas no Rio de Janeiro
Um estudo recém-concluído por pesquisadores do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), na capital fluminense, aponta para um aumento considerável no número de casos de acidentes com escorpiões no Estado do Rio de Janeiro.

Os resultados mostram um crescimento de 88% no número de acidentes em relação aos dados do estudo anterior, que são de 2000. Os números do novo levantamento levaram os pesquisadores a concluir que “os acidentes com escorpiões são considerados um grande problema da saúde pública fluminense”.

De acordo com a pesquisa, o Tityus serrulatus, conhecido como escorpião amarelo, é o mais comum nos casos de maior gravidade registrados não apenas no Rio de Janeiro, mas também na Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo, Paraná e Goiás.

O fato de a população desse escorpião ser formada apenas por fêmeas, cuja reprodução se dá por partenogênese (independe do macho), pode explicar a sua expansão, segundo os cientistas da Fiocruz, que integraram o projeto Escorpionismo no Estado do Rio de Janeiro: aspectos epidemiológicos, ambientais e socioeconômicos.

Além da grande incidência de ocorrências em determinadas regiões do Estado do Rio de Janeiro, a pesquisa da Fiocruz foi impulsionada pela potencialidade dos casos que têm ocasionado quadros graves, alguns deles fatais, principalmente em crianças.

A incidência foi destacada em um levantamento epidemiológico realizado anteriormente no Centro de Controle de Intoxicação (CCI), vinculado ao Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

O trabalho também mostra a alta incidência de acidentes com escorpião envolvendo crianças: dos 29 casos graves atendidos no Hospital das Clínicas entre janeiro de 1994 e dezembro de 2005, 28 eram de pacientes com menos de 14 anos.

Ainda de acordo com o estudo da Fiocruz, os acidentes mais freqüentes ocorrem nos centros urbanos e a maioria das picadas se localiza nos membros superiores dos indivíduos. Além da intensa dor na hora da picada, as principais complicações são arritmias cardíacas e edema pulmonar, que podem levar a vítima ao óbito ainda que seja medicada a tempo.

O projeto da Fiocruz foi financiado pelo Programa de Indução à Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Icict e contou com a participação de uma equipe multidisciplinar formada por profissionais do próprio Icict, da Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), da presidência da Fiocruz, do Instituto Vital Brazil e da Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro.

O estudo foi coordenado pela pesquisadora Rosany Bochner.

Fonte: Agência FAPESP

Programa de Estágios 2009 do LNLS recebe inscrições

Estágio no LNLS

As inscrições para o Programa de Estágios 2009 do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS) estão abertas até o dia 24 de outubro.

As oportunidades são destinadas a estudantes que estejam matriculados em instituições de ensino técnico da região de Campinas (SP) nos cursos de bioquímica, eletrônica, eletrotécnica, eletroeletrônica, mecatrônica, telecomunicações, eletromecânica, mecânica, química e radiologia.

As vagas, de nível universitário, são nas áreas de administração, eletrônica, física, informática, mecânica, química e comunicação.

Serão admitidos apenas alunos que, em 2009, estejam regularmente matriculados a partir do terceiro semestre. Para se candidatar, os interessados devem enviar e-mail para estagio2009@lnls.br com currículo e histórico escolar atualizados.

Após uma triagem inicial, os selecionados passarão por prova escrita e entrevista. O resultado do processo de seleção será divulgado no dia 1º de dezembro e o estágio, com duração de seis meses, prorrogáveis por mais seis, começa no dia 5 de janeiro. Além da bolsa, o estagiário contará com transporte fretado, refeição, seguro de vida e assistência médica.

Além do Programa de Estágios, o Bolsas de Verão, outra iniciativa do LNLS voltada a estudantes universitários, também está com as inscrições abertas até 31 de outubro. Ao todo, 15 universitários serão selecionados para se dedicar à pesquisa científica e tecnológica.

O Bolsas de Verão, que será realizado de 5 de janeiro a 20 de fevereiro de 2009, oferecerá auxílio com transporte, hospedagem, refeições e seguro-saúde.

Podem participar estudantes de cursos de ciências exatas, biológicas e engenharias (exceto civil), matriculados regularmente a partir do quinto semestre em instituições universitárias do Brasil e de outros países da América Latina e Caribe, além de Austrália e África do Sul.

Mais informações: www.lnls.br

Fonte: Agência FAPESP

DNOCS comemora 99 anos

O Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) comemora no dia 21, 99 anos de sua criação. As comemorações serão realizadas, das 8h às 10h, na sede do órgão, em Fortaleza (CE).

As festividades serão abertas com o hasteamento das bandeiras do Brasil, do Ceará, do DNOCS e dos Estados da área de atuação do departamento no Semi-Árido.

Um vídeo especial sobre as ações da autarquia nesses 99 anos será exibido; será apresentando o folder sobre o projeto "DNOCS - 100 Anos"; e lançados dois livros técnicos: "Patologia dos Solos nas Barragens de Terra" e "A Salinização de Solos Aluviais em Perímetros Irrigados no Estado do Ceará", respectivamente de autorias do engenheiro civil Luiz Hernani de Carvalho e do engenheiro agrônomo Evandro Bezerra.

O diretor-geral do DNOCS, Elias Fernandes Neto, lançará a programação referente ao centenário da instituição que transcorrerá em 2009.

O Dnocs foi criado em 21 de outubro de 1909 sob o nome de Inspetoria de Obras Contra as Secas (IOCS). Em 1919, passou a denominar-se Inspectoria Federal de Obras Contra as Secas (IFOCS), recebendo o nome atual em 1945. Sua área de atuação abrange todos os Estados do Nordeste e o norte de Minas Gerais.Informações adicionais, no site www.dnocs.gov.br. (Com informações do DNOCS)

Fonte: Gestão CT

4º Seminário e 2º Encontro Técnico Fundação Mapfre Gestão de Risco, Saúde e Meio Ambiente

Com o tema “Poluição da água e gerenciamento de recursos hídricos”, o 4º Seminário e o 2º Encontro Técnico Fundação Mapfre Gestão de Risco, Saúde e Meio Ambiente serão realizados no dia 22 de outubro no campus Leste da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista.

O objetivo principal é a elaboração de um documento com propostas concretas, de atuação em âmbito nacional, para a utilização eficiente da água e a prevenção contra sua contaminação.

Entre os palestrantes confirmados estão Francisco Graziano Neto, secretário do Meio Ambiente de São Paulo, Ana Paula Fracalanza, professora da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, Ângelo Lima, da WWF-Brasil, e Marcelo Nolasco, professor do Curso de Gestão Ambiental na EACH.

A USP Leste fica na saída 17 da rodovia Ayrton Senna. As inscrições são gratuitas, mas as vagas são limitadas.

Mais informações pelo e-mail ou (11) 3846-1321.

Fonte: Agência FAPESP

Rio Grande do Sul tem novo secretário de Ciência e Tecnologia

Novo secretário de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul destaca prioridades da sua gestão

O Rio Grande do Sul conta com um novo secretário de Ciência e Tecnologia. É o engenheiro civil Artur Lorentz, que foi empossado pela governadora Yeda Crusius no dia 10. Em entrevista ao Gestão C&T online, ele destaca que uma de suas prioridades será o apoio ao desenvolvimento tecnológico das empresas do Estado. “Isso logicamente vai representar para elas uma maior competitividade em nível mundial”, afirma.

Nesse sentido, Lorentz destaca a importância de o Estado contar com uma lei de inovação, a exemplo do que ocorre em outras unidades da Federação. De acordo com ele, a criação de uma legislação desse tipo já foi demandada pela governadora Yeda Crusius. “Essa lei de inovação precisa necessariamente unir e aproximar a academia ao setor produtivo”, avalia.

Artur Lorentz substitui Paulo Maciel.

Audiência pública
Na semana passada, o secretário representou a governadora em uma audiência pública realizada na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro que teve o objetivo de debater a Lei de Inovação daquela unidade da Federação. “Lá também há uma discussão, não que seja um embate, mas há uma discussão de posicionamentos, que são legítimos, entre o que pensa mais o setor de pesquisa e o setor produtivo. O nosso desafio é exatamente conciliar esses interesses”, diz.

Ele lembra que o Rio Grande do Sul já conta com uma minuta do seu projeto de lei de inovação, que é resultado de um ano de trabalho, estudos e discussões com a comunidade gaúcha, tanto do setor acadêmico, quando do setor produtivo. Segundo o secretário, as principais entidades envolvidas já receberam o texto e a idéia é que essa discussão seja finalizada em, no máximo, 60 dias para que o documento possa ser enviado à Assembléia Legislativa do Estado. “Essa minuta está disponibilizada no site do governo, ou seja, há uma transparência nesse sentido”, afirma.

O texto foi elaborado com base na lei de inovação federal, sendo que também foram buscados os exemplos de outros Estados que contam com as suas legislações, como São Paulo e Paraná. “Por isso que trouxe, quando retornei do Rio de Janeiro, uma cópia do projeto de lei do Estado, porque eles estão na mesma fase de discussão que nós”, lembra.

Minuta
A minuta estabelece medidas de incentivo à inovação e à pesquisa científica e tecnológica em ambiente produtivo, e define mecanismos de gestão aplicáveis às instituições científicas e tecnológicas, visando estimular a formação de parcerias estratégicas voltadas à busca de autonomia tecnológica, capacitação e competitividade no processo de desenvolvimento industrial e social no Estado do Rio Grande do Sul.

Entre outros pontos, o texto dispõe que observada a legislação pertinente, fica o Poder Executivo autorizado a instituir uma política de incentivos financeiros e fiscais, fundos ou linhas especiais de créditos com vistas à consecução dos objetivos estabelecidos na lei.

Poderão ser beneficiárias desses incentivos financeiros e fiscais as universidades federais ou estaduais e outras entidades públicas ou privadas para tanto expressamente autorizadas, nos termos da legislação aplicável, desde que sediadas no Rio Grande do Sul, bem como pesquisadores e cientistas domiciliados no Estado, credenciados e no âmbito de projeto aprovado por agências de fomento à ciência, tecnologia e inovação.

Setor público
Outra prioridade será o uso da secretaria, enquanto governo do Estado, com uma gestão melhor, qualificada, mais moderna, para que a instituição possa aprimorar o serviço que presta à comunidade. Lorentz aponta que a secretaria conta com três instituições que integram a sua estrutura. Uma delas é a Fundação de Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (Cientec), que é uma instituição associada à ABIPTI. “Essa instituição atende mais o setor produtivo, o setor industrial, com pesquisa, desenvolvimento, testes, laboratório e assim por diante”, explica.

A Fundação Estadual de Pesquisa Agropecuária (Fepagro), que atua dentro da cadeia agropecuária, também integra a estrutura da secretaria. De acordo com o secretário, essa é uma área que precisa ser reforçada, já que o Rio Grande do Sul é muito forte no setor de carnes, de grãos, de leite, entre outros. “É importante que a gente tenha mecanismos porque hoje para vender carne para a China, para a Rússia, essas pessoas vêm aqui e querem saber de ter sanidade, de um controle que passa por uma estrutura que nós temos na Fepagro”, destaca.

A estrutura da secretaria também conta com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs).

A íntegra da minuta do projeto de lei de inovação do Rio Grande do Sul está disponível neste link.

Fonte: Bianca Torreão / Gestão CT

Imunologia Clínica na Prática Médica

Orientação para o consultório
Médicos de várias especialidades lidam com doenças mediadas pelos complexos mecanismos imunológicos, mas é comum que eles enfrentem dificuldades para acompanhar e saber aplicar os rápidos avanços científicos da área. Orientar esses profissionais em seu cotidiano de trabalho é o principal objetivo do livro Imunologia clínica na prática médica, que será lançado nesta terça-feira (21/10).

O livro foi editado por Julio Cesar Voltarelli, chefe da Divisão de Imunologia Clínica da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP), com a colaboração de outros cinco professores do mesmo departamento. O lançamento ocorrerá durante o 33º Congresso da Sociedade Brasileira de Imunologia, em Ribeirão Preto (SP).

Os outros editores – Eduardo Donadi, Ivan de Carvalho, Karla Arruda, Paulo Louzada Jr. e Willy Sarti – são professores da disciplina de imunologia da FMRP. A obra de 1.070 páginas é composta por artigos de dezenas de especialistas na área.

“Tentamos selecionar os principais especialistas em cada doença mediada por mecanismos imunológicos. O resultado é um tipo de tratado, na tradição dos livros norte-americanos, mas escrito só por brasileiros”, disse.

Segundo Voltarelli, que é também o coordenador da Unidade de Transplante de Medula Óssea da FMRP, o livro se divide em três partes. A primeira enfoca aspectos gerais e a imunologia dos vários sistemas orgânicos. As outras duas tratam da imunologia das doenças reumáticas e das doenças alérgicas.

“Há centenas de doenças imunológicas reumáticas e algumas dezenas de alérgicas. Por isso, o livro tem um foco especial em reumatismo e alergias – essas áreas são o cerne da imunologia clínica”, disse.

Na primeira parte são abordados também muitos aspectos relacionados às doenças infecciosas freqüentes no país. “A parte introdutória inclui tópicos como vacinas, tumores e transplante, Aids e doenças genéticas, além de tratar da imunologia de cada sistema orgânico: olhos, cérebro, fígado, pulmão e assim por diante”, explicou.

Voltarelli aponta que o público-alvo são os médicos que encontram dificuldades na compreensão dos fenômenos imunológicos, que são extremamente complexos e cujo conhecimento tem evoluído com muita velocidade. Segundo ele, embora centenas de doenças sejam causadas por mecanismos imunes, ainda há poucos bons cursos de imunologia no país.

“É uma disciplina que se desenvolveu há pouco tempo e não há muitos especialistas oferecendo cursos. Com isso, o currículo da maior parte das faculdades não contempla a imunologia clínica, limitando-se apenas à imunologia básica”, disse.

Segundo ele, a complexidade da imunologia também contribui para limitar a qualidade dos cursos. “Os alunos não gostam de imunologia, porque é um tema extremamente complicado. É muito difícil acompanhar uma área em que há novidades todos os dias. Além disso, é trabalhoso entender todos os mecanismos, como as cascatas de inflamação e a atuação das citocinas”, afirmou.

Voltarelli conta que o livro foi bastante orientado pelas especialidades dos editores. O resultado, no entanto, extrapola os limites do curso. “O livro reúne muitos tópicos que não chegam a ser tratados no curso de graduação. Está em um plano mais próximo ao que é abordado na especialização oferecida no período de residência médica, que aborda alergias, reumatismos, transplantes e outros tópicos”.

A Divisão de Imunologia Clínica da FMRP foi criada em 1975, sob a liderança do professor Ivan Carvalho, um dos editores do livro. “A FMRP foi uma das pioneiras do Brasil na área e, desde sua criação, desenvolve atividades assistenciais, de ensino de graduação, de pós-graduação e de investigação médica”, explicou Voltarelli.

Mais informações: www.atheneu.com.br

Fonte: Fábio de Castro / Agência FAPESP

Grupo de Trabalho de Estatísticas e Indicadores Culturais é criado através de portaria

O Ministério da Cultura criou, por meio de portaria publicada na edição do dia 17 do Diário Oficial da União, o Grupo de Trabalho de Estatísticas e Indicadores Culturais com o objetivo de viabilizar o Sistema Nacional de Informações Culturais (SNIC).


A instância será coordenada pela Secretaria de Políticas Culturais do ministério e contará com representantes de unidades administrativas e entidades vinculadas ao órgão, como a Agência Nacional de Cinema (Ancine), a Coordenação-Geral do Livro e da Leitura (CGLL), o Departamento de Patrimônio Imaterial do Instituto Nacional do Patrimônio Artístico e Histórico Nacional (Iphan), a Secretaria de Articulação Institucional (SAI), a Secretaria de Incentivo e Fomento à Cultura, entre outras.

Participarão das reuniões e fóruns de discussão todos os integrantes da equipe responsável, além de mediadores e especialistas convidados. As deliberações do grupo de trabalho deverão ser consolidadas em relatório final, indicando as etapas necessárias para a consolidação do SNIC. A íntegra da portaria está disponível neste link. O Iphan é associado à ABIPTI.

Fonte: Gestão CT

Designados membros da comissão de julgamento do Programa Observatório da Educação

Foi publicada, na edição do dia 15 do Diário Oficial da União, uma portaria da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que designa os membros que irão integrar a comissão para a análise e julgamento das propostas do Programa Observatório da Educação.

A instância conta com a participação de representantes da Capes, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade (Secad) do Ministério da Educação (MEC) e de diversas instituições de ensino superior, como a Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade de São Paulo (USP), entre outras. A portaria está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

Edital CNPq e CAPES disponibiliza R$ 5 milhões para periódicos científicos

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançaram edital para apoiar a editoração de periódicos científicos brasileiros em todas as áreas do conhecimento.

Estão disponíveis R$ 5 milhões, sendo 50% provenientes do CNPq e 50% da Capes. As propostas devem ser encaminhadas até 10 de novembro por meio do preenchimento do formulário de propostas on-line do CNPq, disponível na Plataforma Carlos Chagas.

O objetivo do edital é incentivar a publicação de periódicos impressos, que devem ser mantidos e editados por instituição ou sociedade científica brasileira, sem fins lucrativos, de âmbito nacional e que contribuam para elevar o nível da qualidade, forma e conteúdo das revistas nacionais dedicadas à ciência, tecnologia e inovação.

Segundo o CNPq, o periódico deve ter vínculo com indexadores relevantes e reconhecidos pela comunidade científica, tais como a base de dados Scientific Electronic Library Online (SciELO), ou estar classificado como A-Nacional no Qualis da Capes na área ou subárea do conhecimento para a qual esteja se candidatando.

Além disso, o periódico deve possuir abrangência nacional e internacional quanto a autores, corpo editorial e conselho científico, ter mais de 80% de artigos científicos ou técnico-científicos publicados e gerados a partir de pesquisas originais, ter circulado de forma regular nos três anos imediatamente anteriores à data da solicitação e apresentar periodicidade de pelo menos dois fascículos ao ano.

O editorial irá ainda considerar prioritário propostas de revistas que sejam divulgadas simultaneamente por meio eletrônico na internet.

Mais informações: www.cnpq.br/editais/ct/2008/058.htm

Fonte: Agência FAPESP

7ª Oficina para Inclusão Digital

Oficina de inclusão digital acontece em novembro no Pará

Nos dias 4 a 7 de novembro, será realizada a 7ª Oficina para Inclusão Digital, no Hangar - Centro de Convenções & Feiras da Amazônia, em Belém (PA). O evento discutirá, entre outros temas, os desafios da inclusão digital na Amazônia, a diversidade cultural e o desenvolvimento sustentável.

A 7ª Oficina para Inclusão Digital é uma realização da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação do Ministério do Planejamento (SLTI/MPOG) em parceria com a Secretaria de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (Sedect) do Pará. O evento é um espaço de discussão e proposição de estratégias, políticas públicas e diretrizes de acesso e uso das tecnologias da informação e da comunicação (TICs).

As inscrições, que são gratuitas, podem ser feitas por este link.

Fonte: Gestão CT

Bahia terá atividades da Semana Nacional de C&T até sábado

Até o dia 25, a capital do Estado da Bahia, Salvador, e os municípios do interior Feira de Santana, Jequié, Juazeiro, Vitória da Conquista e Ilhéus terão atividades voltadas à Semana Nacional de C&T.

Segundo texto da Secretária de CT&I do Estado (Secti), entidade associada à ABIPTI, entre os principais eventos programados destacam-se teatro científico, portas abertas em instituições, réplica gigante de uma célula para demonstrar como o organismo funciona, mostra de robótica, exposições e a mostra de filmes Ver Ciência. Haverá também mesas temáticas para discutir temas como evolução, astronomia, educação e ciência lúdica, além de uma programação cultural com música e poesia.

Este ano, as principais atividades a serem realizadas em Salvador acontecem no Colégio Central da Bahia, em Nazaré, de segunda à quarta-feira, das 8h às 17h30, e de quinta a sábado no Jardim Zoológico. A abertura foi realizada hoje (20), às 10h, no auditório daquela instituição de ensino.

Como parte das atividades haverá exposição de parasitoses e uma réplica de uma célula gigante inflável, por parte da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz-BA), jogos matemáticos inteligentes e interativos, mostra de resultados das Olimpíadas de Matemática, Física e Química, exposição de astronomia, à cargo da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e até um museu de anatomia comparada, montado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Veja a programação da Semana de C&T da Bahia por este link.A Fiocruz também é associada à ABIPTI. (Com informações da Secti-BA)

Fonte: Gestão CT

Ceará é campeão no Nordeste em eventos na 5ª SNCT

Foi aberta, na manhã de hoje (21), as atividades da Semana Nacional de C&T do Estado do Ceará. A solenidade foi realizada na Universidade Estadual do Ceará (Uece), no campus do Itaperi, em Fortaleza, pelo reitor Assis Araripe. A solenidade marcou também o lançamento da 13ª Semana Universitária da UECE, que reúne 11 eventos.

São 82 instituições de 25 municípios do Ceará que participam da Semana em 2008 com 769 eventos cadastrados no site http://semanact.mct.gov.br. Segundo texto da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), o Estado lidera a participação no Nordeste, seguido por Pernambuco com 450 eventos agendados em 25 municípios, a serem realizados por 27 instituições, e pela Bahia com 357 eventos em 25 cidades, cadastrados por 33 instituições. A mais expressiva participação cearense foi organizada no município de Limoeiro do Norte, que cadastrou 255 eventos.

A Secitece elaborou a programação estadual da Semana com apoio do MCT e em colaboração com o Instituto Dragão do Mar, Centro de Tecnologia da UFC, Unifor, Funceme, Seara da Ciência, Centro de Formação de Instrutores do Instituto Centec, Cefetce, prefeitura de Sobral, prefeitura de Limoeiro do Norte, Cefet Cedro, Urca, Campus Cariri da UFC, Cefet Cariri, Centec Cariri e Senai Cariri.

O Instituto Centec é associado à ABIPTI. Informações adicionais, no site www.sct.ce.gov.br/

Fonte: Gestão CT

Estação Cabo Branco terá apresentação de cerca de 20 trabalhos de Estações Digitais

Durante toda esta semana, de 20 a 26, alunos dos cursos de informática básica, matriculados nas 19 Estações Digitais instaladas em João Pessoa (PB) vão apresentar trabalhos de pesquisa científica na Semana Nacional de C&T, na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes. O evento é uma realização da Prefeitura de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Ciência e Tecnologia, além da participação de diversas secretarias municipais.

As apresentações vão ocorrer no auditório da Estação Cabo Branco e cada Estação Digital terá dez minutos para apresentar os trabalhos. A proposta é que sejam apresentados 19 trabalhos em três dias e os demais dias dedicados à programação da Estação Cabo Branco, que também estará em parceria com a Secretaria de Educação e Cultura (Sedec), com o objetivo de envolver os alunos das escolas municipais na programação. Durante os três dias, antes das apresentações dos trabalhos, serão realizadas palestras de 30 minutos, relacionadas ao tema central. No encerramento, haverá a entrega de certificados de conclusão do curso básico de informática das Estações Digitais.
O tema central do evento é Evolução e Diversidade, tema da 5ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, mas os trabalhos desenvolvidos pelos alunos abordam os seguintes subtemas: Clonagem, Diversidade Ambiental, Diversidade Biológica, Diversidade Cultural, Diversidade Ética, Diversidade Social, Evolução da Vida, Globalização, Mudanças Climáticas, Projeto Genoma, Políticas Públicas, Política de Gênero, Revolução Tecnológica, Seleção Natural e Transgênicos.

Estações Digitais
O Projeto das Estações Digitais é uma iniciativa da Prefeitura de João Pessoa em convênio com o MCT, e objetiva o combate à exclusão digital. Cada unidade possui 11 computadores conectados à internet, uma impressora e um scanner, para facilitar o acesso da população às tecnologias da informação e da comunicação (TIC), ou seja, um lugar público onde as pessoas aprendem a usar o computador, acessar a internet e mandar e receber mensagens, pesquisar informações e usar diversos serviços e facilidades disponíveis.

Já foram implantadas 19 Estações Digitais na Capital. Em cada uma são oferecidos quatro cursos de informática básica, com turmas de dez alunos, ou seja, 40 alunos por unidade. Em nove delas são oferecidos cursos noturnos, formado assim seis turmas e contabilizando 60 alunos por Estação, onde funciona o curso noturno. Em relação ao acesso livre à internet, cerca de 2.700 pessoas são atendidas mensalmente em cada unidade.

Informações, no site www.joaopessoa.pb.gov.br.Com informações da Prefeitura de João Pessoa)

Fonte: Gestão CT

Fapemig divulga resultado do Pappe-MG

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) divulgou, na semana passada, o resultado do Programa de Apoio a Pesquisa em Empresas (Pappe-MG). No total, foram aprovadas 70 propostas, que somam um investimento de mais de R$ 20 milhões. A Fapemig é uma instituição associada à ABIPTI.

De acordo com a fundação, a contratação das propostas já está em andamento e o pagamento dos projetos será feito em duas parcelas: a primeira, imediatamente após a publicação do Termo de Outorga, e a segunda, após decorrido metade do prazo de execução. Em notícia publicada no seu site, a Fapemig lembrou que, antes do pagamento da 2ª parcela poderá ser feita uma visita técnica às empresas, para verificar o andamento dos projetos.

A fundação destacou que o número de propostas recebidas, 244, superou as expectativas dos parceiros. “O sucesso do edital é um indicativo da percepção dos empresários sobre a importância de se investir em inovação para garantir a competitividade”, afirmou o diretor científico da Fapemig, Mario Neto Borges.

Também foi disponibilizada, no site da fundação, a relação dos projetos não aprovados. Borges lembra que esses projetos terão uma segunda chance ainda em 2008, quando será lançado um novo edital do Programa Pappe. O programa tem como objetivo estimular a inovação em empresas por meio da interação com pesquisadores e instituições de pesquisa. A iniciativa pode financiar projetos que apresentem soluções tecnológicas de impacto social ou comercial, que possam ser inseridos no mercado e tenham sido desenvolvidos por empresas de Minas Gerais.

Nesta edição, o Pappe-MG contou com a parceria da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), que participou efetivamente na composição dos recursos do edital. De acordo com a Fapemig, essa parceria foi pioneira no país para fins de apoio financeiro direto às empresas. A lista dos projetos aprovados está disponível neste link. (Com informações da Fapemig)

Fonte: Gestão CT

3º Evento Brasileiro de Créditos Ambientais

Evento Brasileiro de Créditos Ambientais acontece no início de novembro

Nos dias 3 e 4 de novembro, no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, será realizado o 3º Evento Brasileiro de Créditos Ambientais.

O objetivo do evento é fomentar aos participantes informações relevantes quanto às ações e desenvolvimento de negociações do mercado de créditos ambientais (créditos de carbono e non-CO2).

O evento é uma realização da MAR Assessoria Ambiental, empresa especializada em consultoria e negociação para créditos ambientais. O evento terá como foco os projetos e commodities sócio-ambientais (água, energia, reciclagem, biodiversidade, reflorestamento, minerais, sustentabilidade e emissões de poluentes), créditos de carbono, créditos non-CO2 (créditos de energia, créditos de água, créditos de metano, créditos NOx, créditos SOx, carbono social) e transferência de tecnologia.

São esperados economistas, engenheiros, consultores, administradores (setor público e privado), gestores, investidores de mercados, executivos da área bancária, corretores e analistas de mercado de capitais, advogados, biólogos, executivos e técnicos de empresas, psicólogos, químicos.

Também são esperados representantes de bancos, corretoras de investimentos de mercado de capitais, indústrias (cerâmica, têxtil, metalurgia, papel e celulose, siderurgia e alimentos), mineradoras, agronegócio (suinocultura, sucroalcooleiro, orizicultura), (re)florestamento (desenvolvimento florestal), co-geração, comercialização, infra-estrutura (saneamento, óleo, gás, energia e aterros sanitários), órgãos governamentais; entre outros.

Informações adicionais podem ser obtidas no site: creditosambientais.com.br/.

Fonte: Gestão CT

Presidente da Fapepi é homenageado pelo governador do Piauí

No dia 16, o governador do Piauí, Wellington Dias, deu início às comemorações do Dia do Piauí. Na data, diversas personalidades foram homenageadas durante uma cerimônia realizada no Salão Branco do Palácio de Karnak. Entre elas, o diretor presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi), Acácio Veras.

Ele foi contemplado com a medalha da Ordem do Mérito Renascença do Piauí no grau Comendador, sendo que esta homenagem é a mais alta comenda do Estado, onde o Grão-Mestre é o governador do Piauí. No total, foram 29 homenageados. Eles foram representados pelo secretário estadual de Fazenda, Antônio Neto, que revelou que a medalha ao mesmo tempo em que é um reconhecimento ao trabalho e dedicação, aumenta a responsabilidade de cada um em prol do desenvolvimento do Estado.

De acordo com a Fapepi, a Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí é uma láurea destinada a agraciar personalidades e entidades nacionais e estrangeiras que, por relevantes serviços prestados ao Estado, tenham se tornado dignas da gratidão, admiração e reconhecimento do povo e do governo piauienses.

As personalidades podem ser homenageadas nos graus: Grande Colar, Grã-Cruz, Grande Oficial, Comendador, Oficial e Cavaleiro. A insígnia da Ordem traz, no verso, o Brasão de Armas do Estado do Piauí, montado sobre uma estrela reversa, com a legenda histórica “Ordem Estadual do Mérito Renascença do Piauí – Teresina 1973”. A medalha foi criada pelo governador Alberto Silva, sob a inspiração intelectual dos jornalistas e escritores Armando Madeira Basto e José de Arimathea Tito Filho, considerados homens de sábia participação na educação e cultura piauienses.

Informações sobre a Fapepi podem ser obtidas no site www.fapepi.pi.gov.br. (Com informações da Fapepi)

Fonte: Gestão CT

Anatomia das paixões: um reencontro das artes e das ciências nas formas plásticas e musicais

Em homenagem aos 200 anos de criação da Cátedra Anátomo-Cirúrgica do Brasil, a Casa da Ciência da Universidade Federal do Rio de Janeiro apresentará, dia 29 de outubro, o simpósio “Anatomia das paixões: um reencontro das artes e das ciências nas formas plásticas e musicais”.

O encontro, que será realizado das 13h30 às 19h30, envolverá artes, ciência e história. Organizada e coordenada por Maira Monteiro Fróes, professora e pesquisadora do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) e do Programa Avançado de Neurociências da UFRJ, a palestra estará acoplada à exposição “Anatomia das paixões: a criação do som”, que será apresentada entre os dias 29 de outubro e 16 de novembro.

“Dissectos humanos (sistema da audição) são contextualizados em ciência, mas também em arte, em torno da lógica e da emoção humana. A mostra guarda algumas analogias (não intencionais) com a exposição “O corpo humano”, no momento apresentada no Museu Histórico Nacional, ao mesmo tempo em que carrega grandes e interessantes contrastes”, destacou Maira.

Entre as palestras programadas estão “Memórias: Há 200 Anos na Cátedra Anátomo-Cirúrgica no Rio de Janeiro”, com José Marcus Eulálio, vice-diretor da Faculdade de Medicina da UFRJ, “Arte, ciência e tecnologia: o humano”, com Diana Domingues, coordenadora do Laboratório de Novas Tecnologias nas Artes Visuais da Universidade Caxias do Sul (RS), e “As bailarinas de Degas e o tempo subjetivo na música”, com José Lino Oliveira Bueno, professor da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto.

Os eventos serão realizados na Casa da Ciência da UFRJ, R. Lauro Muller 3, Botafogo, Rio de Janeiro.

Mais informações: www.icb.ufrj.br, /www.casadaciencia.ufrj.br ou (21) 2542-7494.

Fonte: Agência FAPESP

ABIPTI participa da 5ª SNCT

A ABIPTI está, de hoje (20) a domingo (26), com um stand na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, local onde está concentrada a maior parte das atividades da Semana Nacional de C&T do Distrito Federal.

Além de informações sobre a associação, que completa 28 anos em dezembro, o stand terá informações sobre o projeto Agente Locais de Inovação (ALI), desenvolvido em parceria pelo Sebrae-DF, pela ABIPTI, pela Acic - Associação Comercial, Empresarial, Industrial de Ceilândia, cidade satélite de Brasília, e pelo Banco do Brasil.

Outra atração do stand da ABIPTI é o Museu Interativo do Semi-Árido (Misa), que veio com uma equipe de Campina Grande (PB), a convite da Associação, com uma exposição sobre a temática do Semi-Árido.

A organizadora do espaço, a gerente do Núcleo de Projetos da ABIPTI, Maria Elisabete Ferreira, disse que o stand da Associação está dentro do tema Diversidade, uma das temáticas desta 5ª Semana, pois une, em um único espaço, informações sobre a associação, que representa o setor tecnológico brasileiro, traz um programa voltado para os micro e pequenos empreendedores e também uma exposição ligada ao desenvolvimento regional.

A ABIPTI também participou este ano, mais uma vez, do Tablóide A Semana C&T, publicação especial do MCT, feita em parceira com a SBPC e jornalistas de instituições como a Embrapa e a ABIPTI. Este ano, duas jornalistas da Agência Gestão C&T colaboraram com a edição. Informações adicionais, pelos telefones (61) 3348-3113 e 3348-3114.

Fonte: Gestão CT

CETEC inaugura o 1º Entreposto de Resíduos Químicos de Minas Gerais

No dia 17, a Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais (Cetec), instituição associada à ABIPTI, inaugurou o primeiro Entreposto de Resíduos Químicos do Estado. A cerimônia de inauguração contou com a participação do chefe de Serviço de Gestão Ambiental da Fundação Ezequiel Dias (Funed), Sérgio Silveira Rocha, que representou o presidente da instituição, Carlos Alberto Pereira Gomes, do presidente do Cetec e vice-presidente da ABIPTI pela região Sudeste, Alfredo Gontijo de Oliveira, entre outros.

O entreposto foi inaugurado prevendo o reaproveitamento de produtos químicos residuais junto a instituições públicas de ensino e contando com uma estação de fototratamento de rejeitos para redução de seu perigo e volume. Durante a inauguração, o representante da Funed manifestou a sua satisfação pela assinatura do convênio entre a Ezequiel Dias e o Cetec.

Por meio da parceria, forami viabilizadas às duas instituições a troca e a permuta de resíduos de maneira correta na natureza. Na ocasião, Rocha lembrou que a Funed possui atualmente 300 produtos químicos, contabilizando mil itens, que estarão disponíveis na Bolsa de Resíduos das duas instituições.

Gontijo destacou que o Brasil está no começo dos trabalhos na questão de gestão de resíduos sólidos. Ele lembrou que em países como a Alemanha já existe há quase 50 anos a preocupação com a reciclagem do lixo e o meio-ambiente. “Os brasileiros achavam que podiam violar as leis da natureza e sair impunes, mas atualmente sabemos que tudo que é feito aqui possui impacto global e precisamos refletir a respeito do ambiente como um todo”, disse.

Funcionamento
Após os pronunciamentos, a pesquisadora Debora Vallory Figueredo, apresentou o entreposto e explicou como funcionará o Programa de Gestão Ambiental na instituição. O entreposto foi viabilizado com recursos oriundos da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

O local foi projetado especialmente para receber produtos químicos que já não são mais utilizados nos laboratórios da instituição e serão acumulados lá para serem reaproveitados no próprio Cetec e em outros órgãos públicos ou para o descarte de maneira ecologicamente correta na natureza. De acordo com informações divulgadas pelo centro, há mais de seis anos a instituição discute a importância de se ter um controle dos resíduos químicos utilizados nas pesquisas e serviços tecnológicos realizados pela instituição.

Desde que iniciou o inventário de produtos residuais do Cetec, a pesquisadora Débora Vallory Figuerêdo, do setor de Medições Ambientais, percebeu imediatamente a necessidade de um local físico para seu depósito temporário. “Eu ia aos depósitos do Cetec para cadastrar quais produtos químicos estavam fora de uso e as pessoas ficavam na expectativa de que eu pegasse os produtos e liberasse espaço para usos mais nobres. Percebi, então, a necessidade urgente do entreposto”, disse.

O entreposto será o local para onde os produtos químicos serão encaminhados temporariamente. A construção teve como base critérios rigorosos de segurança para garantir o manejo e a estocagem segura de produtos perigosos. No âmbito dos próprios setores do Cetec onde esses produtos serão utilizados, haverá uma organização para que eles sejam definidos como produtos que podem ser reaproveitados ou rejeitados para disposição final.

Após essa etapa, eles serão levados ao entreposto e poderão ter dois destinos. “Eles serão integrados na Bolsa de Produtos Químicos Residuais e ficarão à disposição de outros setores do Cetec ou de instituições públicas. Mas isso só se puderem ser reaproveitados”, afirmou Débora.

Caso os produtos sejam considerados rejeitos, eles serão pré-tratados dentro dos próprios setores de origem e encaminhados posteriormente para tratamento ou disposição final. A idéia é que não haja mais passivos ambientais, materiais que não tiveram gestão adequada no passado e são acumulados de forma inadequada.

Informações sobre o Cetec podem ser obtidas no site www.cetec.br.

Audiência pública debate necessidade de mais recursos para os cursos profissionalizantes

No dia 15, a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados realizou uma audiência pública para debater o Projeto de Lei nº 3.775/08, de autoria do Poder Executivo. A proposição, que está na pauta do Plenário da Casa e tramita em regime de urgência, institui uma nova rede de escolas de ensino profissional e tecnológico.

Na ocasião, representantes do governo Federal, gestores e funcionários dos centros de ensino profissional e tecnológico (Cefets) destacaram a necessidade de garantia de mais recursos orçamentários para a implantação e ampliação dos institutos federais de educação, ciência e tecnologia, que está prevista na proposição apresentada pelo Executivo.

Durante a audiência, o diretor de Desenvolvimento da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Getúlio Marques Ferreira, lembrou que o governo federal já garantiu na proposta orçamentária os recursos necessários para a reestruturação e expansão da rede de ensino profissional e tecnológica, que deverá criar 214 novas escolas até 2010. Além disso, Ferreira afirmou que outras propostas, já aprovadas pelo Congresso Nacional, vão garantir a realização dos concursos para professores e técnicos administrativos para essas novas instituições.

Na ocasião, o diretor-geral do Centro Federal de Educação Tecnológica de Pernambuco, Sérgio Gaudêncio Portela de Melo, e a representante do Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica e Profissional, Eliza Magna de Souza Barbosa, destacaram que, somente por meio da transformação do novo modelo de escolas técnicas em política de Estado será possível evitar interferências a cada novo governo.

Para Gaudêncio, uma das soluções seria vincular um percentual do orçamento, como está previsto no Projeto de Lei 274/03, do senador Paulo Paim (PT-RS). A proposição, que está em tramitação no Senado Federal, cria o Fundo de Desenvolvimento do Ensino Profissional e Qualificação do Trabalhador (Fundep).

Já o deputado Paulo Rubem Santiago (PDT-PE), um dos parlamentares que propôs o debate, destacou a necessidade de, ao expandir a rede, assegurar recursos para novos professores, técnicos, expansão física e equipamentos. Ele defendeu que o Congresso analise o veto presidencial ao dispositivo do Plano Nacional de Educação, que previa que 7% do Produto Interno Bruto fosse aplicado em educação pública no país. “Se já estivéssemos aplicando, teríamos mais condições de fortalecer os institutos federais, a educação básica e o ensino público superior e gratuito”, afirmou.

A íntegra do Projeto de Lei nº 3.775/2008 está disponível neste link.(Com informações da Agência Câmara)

Fonte: Gestão CT

Fapeam divulga resultado do Pappe Subvenção do Amazonas

No dia 16, o presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Odenildo Sena, anunciou os nomes das 23 empresas contempladas no edital do Programa Amazonas de Apoio à Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação em Micro e Pequenas Empresas (Pappe Subvenção/Finep/Fapeam).

O programa financia, com R$ 6 milhões, em recursos não-reembolsáveis, projetos que apresentem inovações tecnológicas em produtos, processos ou serviços oferecidos por empresas instaladas no Estado. Desse total, R$ 1 milhão será investido pela Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan/Am) e pela Fapeam, respectivamente, além de R$ 4 milhões da Finep.

O Pappe/Subvenção 2008 vai financiar projetos em empresas instaladas em municípios do interior do Amazonas.

Veja por este link as 23 empresas contempladas. A Fapeam é associada à ABIPTI. (Com informações da Fapeam)

Fonte: Gestão CT

Grupo de avaliação dos impactos econômicos do pré-sal em São Paulo se reúne pela primeira vez

No último dia 14, foi realizada, em São Paulo, a primeira reunião do Grupo de Trabalho Impactos Econômicos e Fiscais da Comissão Especial de Petróleo e Gás do Governo do Estado de São Paulo. O grupo foi criado por meio de decreto estadual, publicado no Diário Oficial de SP, no dia 9 de setembro, para tratar dos impactos econômicos e fiscais do pré-sal no litoral paulista.

Segundo informações do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), o vice-governador e secretário de Desenvolvimento, Alberto Goldman, que presidiu o encontro, destacou a importância e abrangência dos trabalhos realizados pela Comissão. “Esse trabalho é importante não apenas para o Estado de São Paulo, mas para todo o país”, afirmou, em texto do informativo IPT E-Flash. Ele fez questão de ressaltar, também, que o objetivo desse trabalho não está na arrecadação estadual, mas sim no desenvolvimento econômico de São Paulo com o melhor aproveitamento das oportunidades apresentadas por essa atividade em favor da população paulista.

Já o coordenador de Infra-Estrutura e Logística da Secretaria de Desenvolvimento e secretário executivo da Comissão, José Roberto dos Santos, abriu a reunião com uma apresentação que analisou exemplos internacionais de aplicação dos recursos oriundos da exploração de reservas de petróleo. Ele destacou os países que utilizaram o desenvolvimento trazido por essa atividade para atingir aumentos em seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). “Esse é o tipo de exemplo que devemos seguir”, disse.

O grupo voltará a se reunir no próximo dia 4 de novembro. Hoje, estão reunidos os grupos de Infra-Estrutura Geral e de Escoamento e o de Pesquisa e Inovação Tecnológica, também na sede da Secretaria de Desenvolvimento.

A Comissão Especial de Petróleo e Gás Natural do Estado de São Paulo foi criada com o objetivo de analisar os impactos positivos e negativos da exploração da Bacia de Santos na costa litorânea de São Paulo e propor ações para o desenvolvimento desta atividade no Estado. A Comissão atua por meio de nove eixos estruturantes, divididos em Grupos de Trabalho que terão calendários próprios de reuniões e workshops. A meta é tornar o Estado de São Paulo referência mundial em bioenergia, petróleo e gás natural. Fazem parte da Comissão representantes das secretarias de Desenvolvimento, Economia e Planejamento, Fazenda, Casa Civil, Transportes, Meio Ambiente, Ensino Superior e Saneamento e Energia, além de especialistas das três universidades estaduais – Unicamp, USP e Unesp – e de instituições da sociedade civil.

Informações adicionais sobre o grupo podem ser obtidas no site: www.desenvolvimento.sp.gov.br/. O IPT é uma instituição associada à ABIPTI. (Com informações do informativo IPT e-flash)

Fonte: Gestão CT

Conselho Estadual de C&T da Paraíba tem novos membros

Amanhã (21), os membros do Conselho Estadual de C&T da Paraíba tomarão posse às 9h, no auditório do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS) da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

O presidente do Conselho, o secretário de Estado, de Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente, Aguinaldo Velloso Borges Ribeiro, é quem dará posse aos membros nomeados no último dia 2, durante a solenidade de desapropriação do terreno para construção do Centro de Inovação Tecnológica Telmo Araújo (Citta), em Campina Grande.

O Conselho é formado por 15 membros titulares e 15 suplentes, representantes do Poder Executivo Estadual, Poder Executivo Municipal, Poder Legislativo, de Institutos de Pesquisa e de Instituições Educativas de Formação Científica e Tecnológica, Representantes de Associações Acadêmicas e Científicas, e Representantes de Entidades Sindicais Patronais e de Trabalhadores.

Após a instalação, será iniciada a primeira reunião do grupo, ocasião em que será discutido pelos membros o encaminhamento da elaboração do Plano Estadual de C&T e a utilização dos recursos do Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia (FECT) para o ano de 2008.

Informações adicionais, no site www.fapesq.rpp.br/web/ da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq), que compõe o conselho como suplente da Secretaria de C&T, e é associada à ABIPTI.(Com informações da Fapesq)

Fonte: Gestão CT

Pernambuco realizará mais de 200 atividades dentro da 5ª SNCT

Hoje (20), às 10h, o governador do Estado de Pernambuco, Eduardo Campos, abriu a 5ª Semana Nacional de C&T (SNCT) do Estado. Durante todo este mês o Espaço Ciência realizará visitas especiais envolvendo a SNCT 2008. Como novidade, a partir de hoje, os visitantes poderm conferir a exposição Diversidade: a beleza das orquídeas, com exemplares do orquidário de Gravatá. Também será montado um ninho de dinossauros na entrada do parque (construído com material reciclado) e uma nova área no pavilhão de exposições exibirá vídeos educativos do projeto Golfinhos Rotadores, do arquipélago de Fernando de Noronha.

Passeios pela trilha ecológica e pelo portal do Big Ban, exposições artísticas sobre diversidade, ciclo de palestras sobre o lançamento da teoria evolucionista e fotos ao lado do boneco gigante de Charles Darwin são mais alguns, entre vários outros atrativos para os visitantes conhecerem o Espaço Ciência durante a SNCT 2008.

Além disso, o Espaço Ciência também estará coordenando a caravana na ciência que visitará várias cidades, institutos e universidades de Pernambuco.

Acesse este site www.espacociencia.pe.gov.br para mais informação sobre as atividades. (Com informações do Espaço Ciência e da Sectma)

Fonte: Gestão CT