segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Software Livre na SECTI

Programas da Secti serão migrados para software livre

A Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia da Bahia (Secti), instituição associada à ABIPTI, deu início ao programa Voe Livre. A iniciativa vai migrar os programas utilizados pela instituição para plataformas de softwares livres.

Em notícia publicada no seu site, a secretaria destaca que a opção está alinhada com a tendência mundial na administração pública de trabalhar com plataformas que sejam gratuitas e tenham código aberto. A Secti será a primeira secretaria a substituir totalmente os editores de texto e planilhas proprietários (de empresas que cobram pelas licenças) pelo BR Office, pacote desenvolvido de forma colaborativa.

“Este é um projeto muito importante, já que estaremos na vanguarda da gestão pública, aliando segurança, flexibilidade e economia”, afirma o secretário Ildes Ferreira.

A idéia é que outras secretarias e órgãos do governo da Bahia também adotem o procedimento. Os funcionários da Secti participaram, no dia 2, durante toda a manhã, de um seminário de sensibilização. A troca dos programas está prevista para começar hoje (8) e dentro de 15 dias a substituição deve ter sido completada.

“Vamos treinar todos os colaboradores e mostrar, num curso de imersão, as vantagens de usar os softwares livres”, diz o coordenador de Modernização da Secti, Diógenes Bento Filho.

De acordo com a secretaria, as aulas vão garantir que não haja dificuldade em manipular as novas ferramentas de escritório. O uso do BR Office na Secti vai ser a primeira experiência em grande escala com software livre no governo baiano. Hoje, os programas são utilizados em mais de 400 Centros Digitais de Cidadania (CDC). Além disso, a Secti foi a primeira secretaria a migrar de forma integral o gerenciador de e-mails e outras ferramentas de comunicação para o Expresso Livre, também desenvolvido de forma colaborativa.

Informações sobre as ações da Secti/BA podem ser obtidas no site www.secti.ba.gov.br.

Fonte: Gestão CT

Programa Anual de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Cemig / Aneel - 2009

Cemig lança edição 2009 da captação de projetos para programa de P&D

Será lançada, no próximo dia 10, a captação de projetos para o Programa Anual de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico Cemig/Aneel-2009. A iniciativa é da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) e da Federação das Indústrias do Estado de MG (Fiemg), por meio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL-MG).

Segundo texto da Cemig, a edição 2009 conta com novas diretrizes e procedimentos que visam estimular o desenvolvimento de tecnologias que contribuam para a inovação do setor elétrico nacional.

O programa anual tem como objetivo apoiar projetos de pesquisa e desenvolvimento em parceria com empresas e instituições científicas e tecnológicas que envolvam desenvolvimento de tecnologias sinérgicas com interesses da Cemig, do setor energético e da sociedade.

O lançamento ocorrerá no prédio da Fiemg, no auditório do 2º andar, às 16 horas.

Informações adicionais e inscrições podem ser obtidas pelo e-mail e pelo telefone (31) 3274.7267.

Fonte:Gestão CT

Fapergs e CNPq lançam edital do programa Ação Rede Guarani/Serra Geral

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), em parceria com o CNPq lançou, nesta quarta-feira (3), o edital para a execução do programa “Ação Rede Guarani/Serra Geral”. O edital é destinado às instituições de ensino superior e/ou centros de pesquisa públicos ou privados, sediados no Estado do Rio Grande do Sul.

As inscrições estarão abertas até 17 de outubro de 2008, devendo as propostas serem encaminhadas à Fapergs, por meio do representante legal da instituição e/ou centro de pesquisa interessado. Os projetos e documentação encaminhados serão examinados a partir do dia 22 de outubro de 2008.

O edital está disponível neste link.Informações adicionais, no site www.fapergs.rs.gov.br.(Com informações da Fapergs).

Fonte: Gestão CT

Finep destina R$ 10,6 milhões para Agricultura de Precisão


Agricultura de precisão terá recursos de R$ 10,6 milhões

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT) vai destinar recursos para o desenvolvimento de equipamentos e sistemas ligados à agricultura de precisão. A Chamada Pública tem o apoio do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), Finep e Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Para os projetos selecionados serão destinados até R$ 10,6 milhões, sendo R$ 10 milhões originários do FNDCT/CT-AGRO e R$ 600 mil do Mapa, em recursos não-reembolsáveis.
A chamada é dirigida a universidades e instituições de pesquisa, em parceria com indústrias de equipamentos, empresas de base tecnológica, especialmente aquelas dedicadas à eletrônica em máquinas agrícolas.

Os recursos se destinam ao desenvolvimento de soluções nacionais de componentes, produtos ou processos inovadores em todo contexto da agricultura de precisão. Será exigida a apresentação de contrapartida, financeira e/ou não-financeira nos convênios que vierem a ser firmados com instituições estaduais, municipais e do Distrito Federal, nos percentuais mínimos e máximos sobre o valor total concedido, conforme indicados no edital.

A seleção de propostas será realizada em duas fases: na primeira, a instituição interveniente executora/coordenadora deverá apresentar uma proposta preliminar até o dia 25 deste mês; na segunda, a instituição interveniente executora/coordenadora que tiver sua proposta preliminar selecionada, estará habilitada a apresentar um projeto nos termos da chamada. O prazo de execução do projeto deverá ser de até 36 meses, podendo ser prorrogado a critério da Finep. Recomenda-se que todas as instituições envolvidas tenham cadastro aqui no Portal Inovação. Veja aqui o edital.

Fonte: Agência CT

Efeitos de manejo florestal sobre peixes de igarapés

Estudo mostra efeitos de manejo florestal sobre peixes de igarapés

Por serem sombreados pela floresta, os igarapés e seus organismos dependem da matéria orgânica que cai da floresta

Igarapés localizados em áreas que passam por manejo florestal de baixo impacto (MFBI) registram maior quantidade de peixes. A conclusão é de um estudo desenvolvido por pesquisadores do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCT) que indica que este tipo de manejo provoca menos danos aos peixes em relação a outras atividades madeireiras.

Em um das áreas pesquisadas, a presença de um peixe popularmente conhecido como "acará" foi cinco vezes mais abundante nos igarapés após a área ser manejada. Em longo prazo, as espécies das áreas manejadas possuíram mais indivíduos quando comparadas às espécies de outras áreas controladas, apesar da composição de espécie presente em ambas as unidades se parecida.

O manejo florestal de baixo impacto (MFBI) é uma forma de exploração madeireira que visa diminuir a área de floresta danificada através de técnicas e critérios rígidos. Assim, as árvores remanescentes sobrevivem e são capazes de gerar indivíduos jovens que ocuparão a área onde a tora foi retirada.

Mas o que o manejo florestal tem a ver com os igarapés e os peixes? Os igarapés (ou riachos) são pequenos corpos d’água que drenam a água da floresta para os principais rios. Por serem sombreados pela floresta, os igarapés e seus organismos dependem da matéria orgânica que cai da floresta. Por causa dessa estreita relação, uma alteração na floresta é sentida também pelos organismos que vivem nos igarapés.

Pensando nisso, os pesquisadores do Inpa, Murilo Dias, William Magnusson e Jansen Zuanon realizaram um estudo para quantificar os danos causados pelo MFBI nos igarapés e seus possíveis efeitos sobre os peixes. Os autores compararam igarapés antes e depois do manejo (efeitos em curto prazo) e igarapés em áreas manejadas e não manejadas (efeitos em longo prazo). O trabalho, que faz parte dos projetos Igarapés, coordenado por Zuanon, e PPBio, coordenado por Magnusson.

Estudos em outros países revelaram que a remoção da floresta adjacente aos igarapés causa uma grande perda de espécies de peixes. Porém, o estudo realizado por Murilo e colaboradores evidenciou que o MFBI, se bem conduzido, minimiza os efeitos negativos da extração madeireira sobre os igarapés, pois os efeitos encontrados foram menos danosos comparados às outras práticas florestais comuns na região, como o desmatamento. (Assessoria de Comunicação do Inpa)

Fonte: Agência CT

Fortaleza ganha rede acadêmica de alta velocidade e núcleo de telessaúde

MCT inaugura rede acadêmica de alta velocidade e núcleo de telessaúde em Fortaleza - A GigaFor possibilitará a troca de grande volume de dados entre os principais centros de ensino e pesquisa do País

Um projeto que interliga, via internet, várias instituições de ensino superior e de pesquisa promete revolucionar o processo de desenvolvimento científico em Fortaleza (CE).

Nesta terça-feira (9), será inaugurada a Rede Metropolitana de Fortaleza (GigaFor), infra-estrutura de fibras ópticas de 1 Gbps de capacidade que possibilitará o uso de aplicações avançadas e a troca de grande volume de dados entre os principais centros de ensino e pesquisa do País. O evento de inauguração acontece no Auditório do Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Ceará (UFC), Campus do Pici, às 15h30.

Amanhã (10) também será inaugurado o Núcleo de Telessaúde da UFC, do qual fazem parte o Hospital Universitário Walter Cantídio e a Maternidade Escola Assis Chateaubriand, que estará totalmente equipada até o fim do ano. Tanto o hospital quanto a maternidade integram a Rede Universitária de Telemedicina (Rute), iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP/MCT). A Rute visa a aprimorar a infra-estrutura para telessaúde presente nos hospitais universitários e a promover a integração dos projetos existentes nesta área.

A GigaFor é fruto do projeto Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep). Assim como a Rute, a Redecomep é uma iniciativa do MCT coordenada pela RNP. Redes semelhantes à GigaFor já estão em operação em Belém (PA), Manaus (AM), Vitória (ES), Florianópolis (SC), Distrito Federal (DF), Natal (RN) e São Paulo (SP). A previsão é de que até o fim de 2008 mais seis redes metropolitanas estejam operacionais no País.

Com 15 instituições participantes e 54 km de extensão, a rede de Fortaleza foi implantada pela RNP com R$ 840 mil de investimentos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT) e auxílio de parcerias com o Governo do Estado do Ceará, a prefeitura de Fortaleza e a Companhia Energética do Ceará (Coelce). A GigaFor vai facilitar e ampliar a integração entre universidades e unidades de pesquisa. Instituições que participam da rede terão acesso mútuo à produção científica, podendo inclusive compartilhar projetos de educação a distância e interagir por meio de videoconferência.

A GigaFor propiciará um incremento das atividades do Brasil na área espacial ao permitir a transferência em alta velocidade de dados científicos gerados na estação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT), em Eusébio (CE). Com o aumento da largura de banda proporcionado pela rede, o Inpe poderá participar dos mais modernos experimentos de aplicações de Redes de Rádio Telescópios existentes hoje no mundo.

Na área de telessaúde, a UFC, integrante tanto da GigaFor quanto da Rute, realiza uma série de atividades que poderão ser melhoradas e expandidas. Dentre elas, destacam-se: a coordenação do SIG Teledermato, um dos Grupos Especiais de Interesse da Rute, que promove videoconferências periódicas entre médicos do Brasil e Miami, (Estados Unidos), para palestras e discussão de casos médicos de dermatologia; e o atendimento a distância, nas áreas de cardiologia e dermatologia, a pacientes em unidades de saúde do interior do estado, no âmbito do piloto do Ministério da Saúde (Telessaúde Brasil). (Assessoria de Imprensa da RNP)

Fonte: Agência CT

Unifesp e Ipen criam método para medir colesterol instantaneamente


Colesterol em tempo real
Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), em parceria com o Centro de Lasers e Aplicações do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen), desenvolveram um novo método laboratorial para detectar a quantidade de colesterol em tempo real no sangue de pacientes.

O sistema, que está em processo de patenteamento, também detecta o mau colesterol (LDL) com mais precisão do que os métodos convencionais. A pesquisa foi coordenada por Lília Coronato Courrol, professora da Unifesp, campus de Diadema, que desde 1986 desenvolve estudos na área de espectroscopia óptica.

O colesterol é uma substância complexa do tipo lipídio-esteróide que, em sua forma pura, é um sólido cristalino, branco e inodoro. Além de fazer parte da estrutura das membranas celulares, é também um reagente de partida para a biossíntese de hormônios como cortisol e testosterona, dos sais biliares e da vitamina D.

Mas o excesso de colesterol no sangue, resultado da grande ingestão de alimentos com gorduras saturadas, é considerado uma das principais causas de riscos para o desenvolvimento de doenças cardíacas.

O novo método consiste em adicionar o complexo európio-tetraciclina, que contém íons de terras raras (grupo de elementos químicos também chamados lantanídeos), a uma gota de sangue total ou fracionado do paciente. A molécula de tetraciclina, conhecido antibiótico usado para infecções bacterianas, nesse caso tem a função de fixar os íons de európio formando com eles um complexo solúvel em água.

O complexo európio-tetraciclina absorve luz no azul e emite no vermelho e os dados são tratados em um software. Para que seja possível relacionar a intensidade de luz emitida à concentração de colesterol total ou de LDL, uma fonte de excitação (LED) provoca luminescência de modo que o resultado possa ser medido por um sistema de detecção com o auxílio de um fotodiodo.

Com a medição da intensidade de luz emitida o resultado é conhecido em tempo real. Para as análises que utilizam métodos convencionais, o resultado chega a demorar até três dias úteis.

“O processo que acaba de ser desenvolvido é relativamente simples, rápido e de baixo custo. A determinação do colesterol, seja total ou fracionado, é feita pela adição da amostra contendo colesterol à solução európio-tetraciclina”, disse Lília.

Biossensor
Segundo a pesquisadora, vários trabalhos científicos têm sido propostos para a determinação de concentrações de colesterol. Mas, em geral, as medidas são baseadas em espectrofotometria, método que requer procedimentos de alto custo devido à utilização de enzimas caras em várias etapas do ensaio.

“No sistema desenvolvido o complexo európio-tetraciclina é utilizado como biossensor do colesterol. A tetraciclina é uma macromolécula que captura o íon em uma solução, absorve a energia de radiação incidente e transfere essa energia para o európio”, explicou.

Complexos európio-tetraciclina foram utilizados, conta Lília, por aumentar a sensibilidade e seletividade em bioanálises, devido a particularidades em suas características ópticas tais como grande intensidade de fluorescência. Os pesquisadores desenvolveram ainda o protótipo de um equipamento para determinação do colesterol utilizando o método.

“No equipamento, a medida da emissão do európio foi possível de ser realizada com um LED violeta como fonte de excitação. O fotodiodo apresentou sensibilidade para ser usado como sensor de colesterol total e de suas frações, convertendo a intensidade de luz emitida pelo európio. O protótipo é de fácil portabilidade, oferece rapidez nos resultados e têm elevada sensibilidade”, apontou.

Para os próximos passos do trabalho está prevista a criação de um sensor portátil, como os existentes para medição de glicose e pressão arterial, de modo que se possa medir o colesterol total e estimar o LDL em casa. “Pretendemos procurar um parceiro na indústria para viabilizar a produção do equipamento, que deverá custar, no máximo, R$ 100”, disse Lília.

Ela lembra que o mau colesterol está fortemente associado com o risco de doenças cardíacas, uma vez que, quando depositado na parede das artérias, é responsável por iniciar um processo chamado aterosclerose, caracterizado pelo acúmulo de lipídios dentro e ao redor das células, provocando o estreitamento dos vasos.

“Calcula-se que esse fenômeno seja responsável por cerca de 500 mil ataques cardíacos por ano em todo o mundo. O colesterol LDL mantém uma relação direta com a prevalência de enfermidade coronariana, incluindo aterosclerose e hipertensão. Valores elevados de colesterol LDL estão associados com risco aumentado dessas doenças”, disse.

De acordo com a Associação Norte-Americana do Coração, níveis normais de colesterol total sangüíneo se encontram abaixo de 200 miligramas por decilitro (mg/dl), enquanto que concentrações acima de 240 mg/dl são fatores de alto risco para doenças coronarianas. Por essas razões o colesterol se tornou um dos principais parâmetros em diagnósticos clínicos de rotina.

O projeto de desenvolvimento do método e do protótipo teve apoio da FAPESP por meio da modalidade Auxílio a Pesquisa, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e do Instituto do Milênio de Fluidos Complexos. Participaram pesquisadores do Instituto de Física e do Instituto de Ciências Biomédicas, ambos da Universidade de São Paulo (USP).

Fonte: Agência FAPESP

FAO advierte sobre las oportunidades y los retos del alza de los precios alimenticios

Representante de la FAO advierte sobre las oportunidades y los retos del alza de los precios alimenticios

“El mercado aún está muy sensible. Si bien están bajando los precios de los alimentos a nivel mundial, todavía hay fuertes factores de incertidumbre en los mercados, los cuales reaccionan ante las intervenciones que se han dado en diversos niveles. El impacto que este fenómeno tendrá sobre América Latina y el Caribe depende de una serie de factores, pero cómo Región tenemos condiciones favorables para aumentar la producción”, aseguró Margarita Flores, Representante Regional Adjunta de la FAO para América Latina y el Caribe, durante su participación en el Seminario “Crisis Alimentaria y Energética: Oportunidades y Desafíos para América Latina y el Caribe”, que se desarrolla en la CEPAL los días 4 y 5 de este mes.

La reunión analiza los retos que plantean la situación energética y alimentaria mundial, a nivel de regional y a nivel de los países. Según estimaciones preliminares de la CEPAL, un incremento del 15% de los precios de los alimentos provocaría un aumento de la pobreza de tres puntos porcentuales pasando del 35 % al 38 % de la población, y afectaría especialmente a aquellos ubicados en la frontera de la línea de pobreza.

Durante su presentación sobre el alza de los precios de los alimentos: Decisiones Globales para un Marco de Acción, la Representante destacó que se trata de un fenómeno que se volvió agudo a partir del 2008, pero que venía gestándose desde el 2000-2002. Con respecto al impacto positivo o negativo sobre la Región, Flores destacó que este dependerá de una serie de condiciones que varían de país en país: el nivel de dependencia y la capacidad de importación y exportación de alimentos y otros rubros importantes como petróleo y minerales; las condiciones de tipo de cambio y los términos de intercambio que disfrute el país; la capacidad fiscal para financiar programas, seguridad social y los niveles de pobreza y subnutrición que existan en el país.

“Será muy diferente la situación de países con gran capacidad para importar alimentos como Argentina o Chile. En el caso de algunos países de Centroamérica y del Caribe, se enfrenta un escenario más complejo”, señaló la Representante.

Para potenciar el efecto positivo de los precios altos y contribuir a contrarrestar el alza interna, Flores destacó el rol que puede jugar la agricultura familiar en la Región. Según un estudio realizado por la FAO y el BID, este sector de la agricultura responde por un 38 % de la producción agropecuaria en Brasil, un 41 en Colombia, un 45 en Ecuador y un 39 en México. A nivel de empleo, en Brasil responde por el 77 % del empleo en el sector, y en Chile y Colombia por un 57 %. “Debemos y necesitamos estimular la agricultura familiar, ya que contribuye mucho a la producción de alimentos,” señaló Flores.

La actual alza de precios ha tenido efectos sobre la inflación, las expectativas de crecimiento en la Región, la pobreza y la seguridad alimentaria de la población. La Representante destacó que se requieren de medidas para aumentar la producción y controlar la inflación, ya que esta repercute directamente sobre las condiciones de vida de los sectores más pobres, quienes gastan una mayor proporción de sus ingresos en alimentos.

Frente a dicho contexto, Flores se refirió a la propuesta de un Marco Ampliado de Acción del Grupo de Trabajo de Alto Nivel de las Naciones Unidas sobre la crisis de la seguridad alimentaria mundial. El enfoque fue presentado en la ultima Conferencia de Alto Nivel sobre la Seguridad Alimentaria Mundial, realizada en Roma, en junio de 2008, por la FAO, y se centra en dos líneas de acción: satisfacer las necesidades inmediatas de las poblaciones vulnerables, mejorando su acceso a la alimentación y aumentando la disponibilidad mundial de alimentos; y la construcción de la resiliencia de los sistemas alimentarios para contribución a la seguridad alimentaria y nutricional.

Con respecto a la primera línea, el Grupo sugirió estimular la asistencia alimentaria y las redes de protección para emergencias; impulsar la producción de los pequeños agricultores de alimentos; ajustes necesarios en el comercio y en las políticas fiscales y la gestión de las consecuencias macroeconómicas de la crisis. Con respecto a la segunda línea, se sugiere ampliar los sistemas de protección social estimular el crecimiento sostenido de la producción de alimentos de los pequeños agricultores; mejorar los mercados internacionales de alimentos y buscar un consenso internacional sobre biocombustibles. (Santiago de Chile, 5 de septiembre de 2008)

Fonte: FAO

Seminário do Piatam é destaque na IV Fiam em Manaus

Organizado pelo Piatam, o simpósio Alternativas para Proteger a Amazônia: Valoração e Instrumentos Econômicos Aplicados ao Meio Ambiente será realizado nos dias 11 e 12 de setembro durante a IV Jornada de Seminários Internacionais, no Centro de Convenções do Studio 5, em Manaus (AM). O seminário buscará identificar e discutir as possibilidades de políticas de desenvolvimento e proteção da Amazônia baseadas em instrumentos empregados na valoração econômica do meio ambiente.

Com a participação de integrantes da Área de Economia e Gestão do Piatam, o simpósio faz parte da programação da IV Feira Internacional da Amazônia (Fiam) organizada pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). As inscrições para os seminários pela internet se encerram no dia 7/9, porém poderão ser realizadas, caso a lotação permita, no Studio 5 antes do início do evento.

Durante o seminário serão divulgadas as principais conclusões das pesquisas Impacto Virtuoso do PIM sobre a Floresta Amazônica: Discurso ou Fato e Valoração e Instrumentos Econômicos Aplicados ao Meio Ambiente: Alternativas para Proteger a Amazônia. Ambos os trabalhos foram coordenados pelo projeto Piatam, em parceria com diversas instituições nacionais, e demonstram a contribuição do Pólo Industrial de Manaus (PIM) para o desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Financiado pela Petrobras e pela Finep, o Piatam (Inteligência Socioambiental Estratégica da Indústria do Petróleo na Amazônia) foi criado em 2000 pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e realiza, com outras instituições de ensino e pesquisa do Brasil, o estudo socioambiental e o monitoramento das atividades da indústria do petróleo e gás na Amazônia. Desenvolve ainda em conjunto com as comunidades pesquisadas projetos para melhoria da qualidade de vida dos ribeirinhos.

Para analisar as relações da economia com o ambiente amazônico estão previstos palestrantes de instituições renomadas como: Washington and Lee University, nos Estados Unidos, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Programa de Pós-Graduação em Economia da Universidade Federal do Pará (UFPA), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada de Brasília (Ipea/BSB) e Centro Clima da Universidade Federal do Rio de Janeiro (CentroClima/ Coppe/UFRJ) e Petrobras.

Além de criar um ambiente propício às parcerias, o objetivo da Jornada de Seminários é aumentar o conhecimento da sociedade amazônica e mostrar às conquistas conquistadas no meio técnico e científico. Em seu quarto ano, a Jornada de Seminários da Fiam consolida-se como um dos mais importantes eventos de valorização do conhecimento regional e, segundo a assessoria da Fiam, deve atrair para 16 seminários um público de aproximadamente 2.500 pessoas.

Mais informações: www.piatam.ufam.edu.br e
www.suframa.gov.br/fiam/sem_sem_01.cfm


Fonte: Piatam

Análise Desenvolvimental do Mercado Religioso Brasileiro

A igreja como empresa - Templos evangélicos adotam estratégias de mercado para crescer, afirma estudo da UnB

“As igrejas são frutos dos seus tempos”. É assim que o sociólogo Gamaliel da Silva Carreiro explica a vocação empreendedora das igrejas evangélicas criadas no Brasil durante o século XX. O assunto é tema da tese de doutorado Análise Desenvolvimental do Mercado Religioso Brasileiro, defendida pelo pesquisador em junho de 2007 no Departamento de Sociologia da Universidade de Brasília (UnB).

No trabalho, orientado pelo professor Eurico Antonio Santos, além de fazer uma revisão da história do mercado religioso no Brasil, Carreiro compara o modelo de gestão da Igreja Universal do Reino de Deus com o da Assembléia de Deus – mais especificamente da Convenção Geral das Assembléia de Deus do Brasil, que é considerada sua maior organização.

Para desenvolver a tese, o sociólogo que estuda os evangélicos há mais de dez anos, fez pesquisas de campo e analisou material das próprias instituições e dados existentes sobre os evangélicos no Brasil, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e do Centro de Estatística Religiosa e Investigações Sociais (Ceris).

Por meio das análises, ele percebeu que essas igrejas são geridas de acordo com a lógica da concorrência. “Elas batalham diariamente na busca de novos evangélicos. Ou elas crescem, ou definham. Ou engolem a concorrência ou são engolidas. E o dinheiro é fundamental para o crescimento”, revela Carreiro.

Conseqüentemente, a gestão dessas igrejas tende à racionalização. “O objetivo é sempre maximizar os ganhos, aumentar a taxa de crescimento da igreja. Por isso seus líderes compram redes de tevê e elegem-se deputados. Ao contrário de instituições mais antigas, elas não têm receio de lidar com o dinheiro”, explica o sociólogo, que em seguida ressalva: “essas igrejas são forçadas pelas demandas do mercado a racionalizarem cada vez mais seus processos administrativos”. Ou seja, ganhar dinheiro não é uma opção, faz parte de sua estrutura.

Carreiro lembra que a Igreja Universal do Reino de Deus nasceu em 1977, época de um Brasil já urbano, que consolidava sua industrialização. “Ela foi fundada por gente que vivia na cidade, acostumada à lógica do mercado. Portanto não é estranho para eles tratar o fiel como cliente”, diz Carreiro. É essa conjuntura de mercado que tem ajudado a Igreja Universal a crescer mais do que a Assembléia de Deus.

PATRIMONIALISMO
A Assembléia de Deus foi fundada oficialmente em 1911. A exemplo da Universal, ela absorveu as características de sua época e, apesar de respeitar a lógica do crescimento, mantém ainda hoje uma estrutura patrimonialista. “O pentecostalismo tem duas faces, uma democrática e outra autoritária. Por um lado, ele abriu espaço para todos se tornarem líderes e pastores. Por outro lado, o modelo administrativo e de comando era inteiramente subordinado a autoridade do pastor-fundador, que tocava a firma como um coronel nordestino que cuidava de suas terras”, esclarece o pesquisador.

Sobre a Assembléia de Deus, o pesquisador coloca que a falta de unidade também dificultou seu crescimento. “A Assembléia de Deus não é uma só, são milhares. Desde que ela foi fundada, vários pastores declararam independência e abriram suas próprias igrejas. Eles só não mudam o nome porque o rótulo atrai muitos fiéis”, explica. “A universal, por outro lado, é unitária. Tem um único líder e mantém um modelo organizacional rígido e bem administrado. Ela se adaptou melhor à situação de concorrência”, considera Carreiro.

MULTINACIONAL
É por essas e outras que a Universal é a primeira firma religiosa multinacional do Brasil, e tem sede em 172 países. “Ela soube se especializar, criar produtos. Hoje, o fiel é livre, e as instituições religiosas precisam ser cada vez mais racionais e eficientes”, diz o pesquisador. Isso implica em fazer concessões para se adaptar. “Eles precisam redefinir prioridades, relativizar conteúdos, repensar a idéia de identidade para poder se manter no mercado. Algumas dessas concessões têm, muitas vezes, caráter contraditório, e mudam suas estruturas administrativas assumindo novos formatos”, explica.

Além do mais, a Universal não se limita apenas à esfera religiosa. Em seu corpo estão integrantes que possuem preparo técnico para assumir cargos seculares. Segundo o pesquisador, esse é um elemento novo que aparece na composição das organizações religiosas neopentecostais. “Os bispos não são apenas pessoas de formação teológica ou religiosa, mas também pessoas de formação técnica com conhecimento para administrar um empreendimento”, explica. “As organizações religiosas deixaram de ser empreendimentos familiares, de simples administração, e se tornaram organizações complexas que demandam outros conhecimentos além do apenas religioso”, completa. E isso inclui a atribuição de posições pelo critério do mérito.

IGREJA CATÓLICA
Todas essas estratégias aumentaram de 1% para 15% a parcela de evangélicos no Brasil de 1890 a 2000 (IBGE). Quem sai perdendo nessa história são os católicos. “A igreja Católica mantém o discurso de que ela ‘não vai atrás de seus fiéis, são fiéis que vão atrás dela’. Enquanto isso, os evangélicos são estimulados a fazer proselitismo”, avalia o pesquisador. Carreiro afirma, entretanto, que a Igreja Católica tem demonstrado preocupação. “O papa não esteve aqui à toa. Só que a Igreja Católica não tem muito o que fazer. Ela vai continuar perdendo fiéis. Talvez não tanto quanto perdeu nas últimas décadas, mas é difícil vislumbrar uma reação católica”, opina.

Igreja Universal

Assembléia de Deus

Administração racional

Administração patrimonial

Valores modernos

Valores tradicionais

Administração mais centralizada

Administração mais descentralizada

Neopentecostal

Pentecostalismo clássico

Sede em 172 países

Concentrada no Brasil



PERFIL
Gamaliel da Silva Carreiro é doutor em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB). O professor é antropólogo e cientista político por formação e tem mestrado em Sociologia pela UnB. Contatos pelo e-mail

Fonte: UnB

Brasil terá a quinta ou a sexta maior capacidade do mundo para modelagens climáticas

Modelos próprios
O Brasil terá a quinta ou a sexta maior capacidade do mundo para modelagens climáticas a partir do primeiro semestre de 2009, quando está prevista a chegada de um novo supercomputador ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

A afirmação é de Carlos Nobre, pesquisador do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) do Inpe. De acordo com ele, o sistema computacional estará ainda entre os 50 maiores do mundo levando em conta todas as aplicações.

“Ele nos colocará em um clube de 15 países que têm essa capacidade de modelagem climática. Desses, apenas a China e a Coréia do Sul são nações em desenvolvimento”, disse Nobre.

O supercomputador será instalado no CPTEC, junto ao Centro de Ciência do Sistema Terrestre do Inpe, dirigido por Nobre. O sistema, que terá capacidade de processamento de 15 teraflops (15 trilhões de operações matemáticas por segundo), será adquirido por meio de uma parceria entre a FAPESP e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

“O valor total do investimento para o supercomputador é de R$ 37 milhões, sendo R$ 24 milhões provenientes do Fundo Nacional de Ciência e Tecnologia e R$ 13 milhões da FAPESP. Além disso, mais R$ 11 milhões para infra-estrutura virão do governo federal. Estamos iniciando o processo de licitação internacional para a compra”, disse Nobre.

Segundo ele, 30% do tempo do supercomputador será reservado para projetos apoiados pelo Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais, lançado no fim de agosto.

Atualização constante
Nobre lembra que o primeiro supercomputador brasileiro, modesto para os padrões atuais, foi adquirido em 1997. O segundo teve a sua primeira parte adquirida em 2001 e a segunda em 2004.

“Quando recebemos esse segundo, ele estava entre a 30ª ou 40ª posição entre as máquinas com mais capacidade voltadas para a área de meteorologia e clima. Hoje, já caímos para além do centésimo lugar”, disse.

O novo supercomputador incluirá o Brasil definitivamente na lista dos países mais bem equipados para modelagem climática. “Haverá uma mudança filosófica. Tenho certeza de que, depois de receber o novo computador em 2009, em 2013 teremos mais um. Vamos entrar nesse eixo e, como fazem outros países, começar a trocar de equipamentos a cada cinco anos para uma nova geração”, afirmou.

Segundo Nobre, com a nova capacidade computacional o Brasil terá papel central na elaboração do próximo relatório do Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC). “Finalmente poderemos desenvolver a modelagem de sistemas climáticos de forma autônoma. Com modelos próprios, que representarão melhor as condições locais, vamos ter autonomia para gerar cenários de mudanças climáticas. Isso é importante porque vamos ter mais certeza do que estamos fazendo”, explicou.

O cientista afirmou ainda que o supercomputador dá ao país uma possibilidade única para trabalhar possibilidades de adaptação às mudanças climáticas.

“Mais de 50% do PIB brasileiro têm a ver com recursos renováveis, como energia. Temos também a maior expressão de biodiversidade do mundo. São aspectos vulneráveis para as mudanças do clima e é nossa responsabilidade estudar as formas de cuidar desses recursos”, disse.

Fonte: Agência FAPESP

Patrimônio artístico de São Paulo está na internet

São Paulo tem patrimônio artístico na internet
O governo do Estado de São Paulo tem um tesouro escondido em secretarias, órgãos, fundações, autarquias e empresas com participação do Estado. São obras de arte, algumas de artistas famosos ou importantes, todas de inestimável valor histórico, que ficam dentro de gabinetes, escolas, saguões de prédios, enfim, espaços normalmente não destinados à visitação pública.

Desde o fim de agosto, a população pode ter acesso a parte dessas obras pela internet. O site Catálogo do Patrimônio Artístico do Estado foi lançado com 140 obras, das cerca de 3 mil que compõem o patrimônio estadual e não pertencem a museus ou ao Acervo Artístico-Cultural dos Palácios do governo paulista.

Segundo o governo de São Paulo, o portal continuará sendo alimentado até que todas elas estejam disponíveis na internet. Entre os tesouros que já podem ser vistos estão o óleo sobre tela Retrato de Benedito Calixto, de autoria de Bernardino de Souza Pereira, da segunda metade do século 20, localizado em uma escola no litoral.

Outro destaque é O tríptico, pertencente ao Instituto Florestal, de autoria de Hélios Seelinger, outro importante personagem da história da arte brasileira, fundador da Casa dos Artistas e das Sociedades Brasileira de Belas Artes e dos Artistas Nacionais. Diversas obras de Aldemir Martins, na maioria retratando animais de nossa fauna, que se encontram na Fundação Zoológico, também estão presentes.

Uma das obras de arte mais antigas encontradas durante a catalogação do patrimônio estadual e já disponível no site é a escultura em madeira Sant’Ana, de artista anônimo, encontrada no Palácio dos Campos Elíseos. “Talvez essa obra nem tenha sido feita por um artista profissional, mas seu valor decorre do fato de ter sido produzida no século 16, quando comumente obras desse tipo eram feitas, por exemplo, para catequizar os índios. Ela tem um valor histórico muito grande”, disse Pedro Jacintho Cavalheiro, coordenador do Patrimônio Artístico do Estado (Grupo de Catalogação e Divulgação do Acervo Artístico do Estado), órgão da Casa Civil.

Outra importante obra do patrimônio estadual é o painel Tiradentes, de Cândido Portinari, exposto no Memorial da América Latina.

O site foi pensado para permitir o acesso da população às obras de arte e como ferramenta para professores, estudantes, pesquisadores e demais interessados em arte. As imagens privilegiam detalhes das obras e, no caso de esculturas, permitem que se veja o objeto por vários ângulos.

Além das imagens das obras é possível encontrar informações sobre os artistas que as produziram, o período e o movimento artístico a que pertencem.

Pesquisadores, estudantes e professores também têm a possibilidade de solicitar, pelo site, uma visita individual à obra. O agendamento da visita, porém, dependerá da disponibilidade do ocupante do espaço onde a obra fica.

Algumas peças estão em local de acesso ao público. “O Metrô, por exemplo, tem muitas obras que podem ser vistas pela população nas estações. Outro espaço que também abriga obras do acervo do governo é o Memorial da América Latina, que tem painéis de Portinari, Poty e Caribé no salão de Atos Tiradentes. Essas obras, que estarão no site em breve, podem ser vistas por quem visita o Memorial”, disse Cavalheiro.

Ele explica que há muitos anos o governo paulista foi um grande mecenas. Comprou diversas obras de arte, que foram distribuídas em secretarias, órgãos, fundações e autarquias. Aquelas que não ficaram nos palácios (dos Bandeirantes, de Campos do Jordão e do Horto) ou museus, como a Pinacoteca, não foram catalogadas.

Cavalheiro lembra que há cerca de dois anos foi iniciada a identificação e catalogação de todo o patrimônio artístico-cultural que não pertence a museus ou ao Acervo Artístico-Cultural dos Palácios.

Foi um trabalho árduo, uma vez que o governo de São Paulo tem quase 90 órgãos subordinados às 26 secretarias, além de fundações, autarquias, empresas estatais e as cerca de 6 mil escolas espalhadas por todo o estado. “Foi um verdadeiro garimpo. Tivemos que identificar o que era obra de arte e o que não tinha nenhum valor artístico-cultural, já que não é possível ter uma pessoa especializada em arte em cada órgão do governo”, disse Cavalheiro.

Mais informações: www.saopaulo.sp.gov.br/patrimonioartistico

Fonte: Agência FAPESP

Boldrini inaugura serviço pioneiro para pacientes portadores de Doença Falciforme

O Centro Infantil Boldrini, de Campinas, é pioneiro no Estado de São Paulo na utilização do Doppler Transcraniano, exame de imagem não invasivo, empregado no diagnóstico de pacientes com Doença Falciforme, com risco de desenvolvimento de acidente vascular cerebral (AVC). A doença atinge cerca de 4 mil pessoas no país.

Estudos americanos revelam que 7% destes pacientes poderão ter AVC se não fizerem a avaliação do risco e tratamento preventivo. O Boldrini inaugura no dia 4, às 14 horas, o primeiro serviço do Estado de São Paulo que fará exames preventivos nesses pacientes, de maneira universal e sem custos ao paciente/familiares. Representante da Secretaria Estadual da Saúde estará presente.

O novo serviço exigiu investimentos de 82 mil reais, doados por um empresário campineiro (Antonio Carlos Coutinho Nogueira), para aquisição do aparelho Ecodoppler e acessórios.

O pioneirismo deste serviço é mais um reconhecimento para o Boldrini. Para a presidente do Boldrini, doutora Silvia Brandalise, “a recomendação do exame do Doppler transcraniano em pacientes portadores de Doença Falciforme é consensualmente aprovada mundialmente, há mais de uma década. Com essa doação teremos uma melhoria significativa na história destes pacientes, pois todos portadores de Doença Falciforme serão periodicamente avaliados, sem ônus e sem repressão da demanda”.

Segundo a hematologista do Boldrini, doutora Mônica Veríssimo, “estudo publicado na Califórnia mostra que desde que se instituiu o exame de ecodoppler houve uma diminuição progressiva dos casos diagnosticados de AVC, melhorando a qualidade de vida nessa população de pacientes pediátricos”.

A Doença Falciforme é uma anemia crônica. Segundo a doutora Mônica, o fluxo sanguíneo cerebral do doente falciforme sofre maior resistência para passagem nos vasos sanguíneos, quando comparado com pessoas da população em geral. Dessa maneira há um alto risco para AVC. “O doppler transcraniano detecta o aumento da velocidade do sangue nesses pacientes. Essa constatação prévia pode reduzir o risco do AVC.”

Quando o risco de ocorrência é detectado pelo exame, é indicada a realização de transfusão de sangue, em intervalos regulares. “A realização da transfusão de sangue no primeiro ano reduz em 70% o risco de recorrência do AVC. Quando isso não é realizado, aumenta-se o risco de recorrência”.

A transfusão de sangue faz com que nestes pacientes haja redução da velocidade sanguínea, pois melhora a anemia. “Recomenda-se assim realizar doppler transcraniano anualmente se o paciente tem resultados normais. Se o resultado for considerado condicional o intervalo deve ser encurtado para três a seis meses. Se o resultado for anormal deve ser repetido em 4 semanas e se confirmado deve-se iniciar regime de transfusão”, orienta a hematologista pediátrica.

Anemia falciforme
A anemia falciforme é a doença hereditária mais comum no Brasil e nos Estados Unidos. Ela é causada por uma mutação genética da hemoglobina, tornando-a anormal e dando aos glóbulos vermelhos o formato de uma foice, por isso a denominação. Na região Sudeste do Brasil, a prevalência do gene anormal é de 2,4% (traço). No Nordeste, atinge entre 4% a 6%, subindo para até 10% entre os negros. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), no Brasil existem mais de 2 milhões de brancos e negros portadores do traço da doença falciforme.

Em geral, os pais são portadores assintomáticos do gene da doença falciforme (possuem um gene alterado e não desenvolvem a doença), mas transmitem o gene alterado para o filho (quando o gene anormal vem em dose dupla, do pai e da mãe = homozigoto). A estimativa é de que a cada ano cerca de 1.000 bebês possam nascer com a doença (dois genes alterados). Os sintomas clínicos, como anemia e dores ósseas, só aparecem após seis meses de idade e normalmente não são reconhecidos pelo pediatra. Isso acaba retardando o diagnóstico de doença falciforme, em média, em quatro anos. No entanto, a doença pode provocar infecções fulminantes no primeiro ano de vida. Sem o diagnóstico precoce, utilização de medidas profiláticas para infecção e assistência médica integral, 25% dessas crianças correm o risco de falecer antes de completar 5 anos de idade.

Boldrini
O Centro Infantil Boldrini, hospital filantrópico de Campinas, referência latino-americana, há 30 anos atua no cuidado a crianças e adolescentes com câncer e doenças hematológicas (hemofilia, talassemia e anemia falciforme). Atualmente, o Boldrini trata cerca de 6 mil pacientes de diversas cidades brasileiras e alguns de países da América Latina, a maioria (80%) via SUS. É considerado como um dos centros mais avançados do País, que reúne alta tecnologia em diagnóstico e tratamento especializado, com índice de cura de 70% a 80% em alguns tipos de câncer. (Irani de Souza eAna Paula Giorgetti)

Mais informações pelo site:www.boldrini.org.br.

Fonte: Boldrini

Tratores a etanol e diesel

Tratores a etanol e diesel em 18 meses
A AGCO, fabricante de tratores Massey Ferguson no Brasil, espera trazer ao mercado, em 18 meses, equipamentos agrícolas com motores movidos por mistura de etanol e diesel. A inovação tecnológica, que já vem sendo testada com sucesso desde o início deste ano, por parceria com as empresas MWM International e a Delphi.

Segundo o diretor de Marketing da Massey Ferguson, Fábio Piltcher, resultados indicam bom desempenho do motor testado com mistura de até 60% de etanol e 40% de diesel.

Há expectativa de que a adição do combustível renovável seja viável em maiores proporções. O executivo disse que grande preocupação desse projeto relaciona-se ao desempenho da tecnologia, cuja performance, tem relevado -se excelente.

"Agora vamos refinar os testes no campo, em vários modelos com capacidades diferentes e esperamos que a produção em escala comercial seja possível em 18 meses", disse Piltcher.

Embora a fabricante da marca Massey Ferguson seja a maior exportadora de tratores da América Latina, a expectativa inicial da empresa é de que os produtos inovadores, com preços competitivos, abasteçam o mercado nacional, onde já existe oferta de etanol em larga escala e garantia de abastecimento do biocombustível.(Jornal do Commercio)

Fonte: Jornal da Cana

Unicamp sobe quase 100 posições em ranking de instituições de pesquisa conforme ranking da Shangai Jiao Tong University

Subordinada ao Ministério da Educação da China, a Shangai Jiao Tong University divulgou uma nova versão do ranking das 500 melhores universidades do mundo. O resultado mostra uma evolução da Unicamp no cenário mundial. Nos últimos cinco anos, a instituição paulista subiu quase 100 posições, passando do 381º lugar, em 2003, para o 287º em 2008.

O ranking da Shangai Jiao Tong University é totalmente baseado em indicadores de produção científica indexados no Institute for Scientific Information (ISI). Para o pró-reitor de Pesquisa da Unicamp, Daniel Pereira, evolução alcançada é resultado da consolidação dos cursos de pós-graduação, da capacidade de obtenção de financiamento que a Universidade possui junto às instituições de fomento governamentais e na iniciativa privada, além de realizar atividades de pesquisa na fronteira do conhecimento.

Entre as universidades brasileiras ranqueadas pela instituição chinesa, a Unicamp ocupa o 2º lugar desde 2004, atrás apenas da Universidade de São Paulo (USP) e acima da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp). Essa classificação, porém, leva em conta apenas os números absolsutos. Em termos de publicações per capita, a Unicamp continua liderando o ranking nacional, conforme balanço divulgado em julho pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Segundo o levantamento da Capes, os 1.741 textos publicados pela Universidade correspondem a uma produção per capta da ordem de 1,24 artigos por professor doutor, contra 1,22 da Universidade de São Paulo (USP) e 0,58 da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O balanço usa dados do Instituto para a Informação Científica (ISI, na sigla em inglês), dos Estados Unidos, que monitora dez mil revistas especializadas.

Veja o Ranking completo elaborado pela Shangai Jiao Tong University através do link.

Fonte: Unicamp

Estado, sociedade e formação profissional em saúde: contradições e desafios em 20 anos de SUS

Livro destaca 20 anos do SUS
O Sistema Único de Saúde (SUS) está completando duas décadas de inscrição na Constituição brasileira, período que é destacado no livro Estado, sociedade e formação profissional em saúde: contradições e desafios em 20 anos de SUS.

O lançamento será feito no último dia do seminário “Estado, sociedade e formação profissional em saúde”, que será promovido de 9 a 11 de setembro pela Escola Politécnica de Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Segundo a Fiocruz, a obra “busca atualizar as discussões sobre as relações entre Estado, políticas sociais e saúde, levantando questões que perpassam temas como democracia, participação social e gestão da saúde no Brasil contemporâneo. A discussão se organiza em torno das tensões existentes entre o que foi o projeto do SUS e o contexto social e político no qual ele está inserido”.

O livro reúne texto de Emir Sader, Sonia Fleury, Jairnilson Paim, Ligia Bahia, Sergio Lessa, Virginia Fontes, Nelson dos Santos, Ruben Mattos, Lúcia Neves e Isabel Brasil, que apontam contradições e desafios que estão postos para aqueles que trabalham por um SUS universal e democrático e por uma educação profissional em saúde de caráter emancipatório.

A obra é voltada a educadores, cientistas sociais e profissionais de saúde, entre outros.

Mais informações: (21) 3885-1658

Fonte: Agência FAPESP

Chamex conquista certificação florestal regulamentada pelo Inmetro (CERFLOR)

A International Paper (IP) acaba de lançar no mercado sua linha de papéis certificadas pelo Cerflor, certificação florestal gerenciada regulamentada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) e reconhecida internacionalmente pelo PEFC (Program for Endorsement on Forestry Certification), uma organização internacional que congrega sistemas de certificações florestais em todo o mundo.

A certificação da cadeia de custódia do Cerflor permite a rastreabilidade da matéria-prima, desde a origem da madeira até a etapa final da produção dos papéis da IP no Brasil, oferecendo ao consumidor a garantia de que seus produtos seguem critérios de sustentabilidade, ou seja, são ambientalmente corretos, socialmente justos e economicamente viáveis.

O selo Cerflor é obtido após auditorias detalhadas da área florestal, produção de celulose e papel até a comercialização dos produtos. Os padrões são definidos em normas elaboradas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas técnicas) e integradas ao Inmetro e ao Sistema Brasileiro de Avaliação de Conformidade. "A conquista desta certificação reforça nossa atuação sustentável e representa uma garantia de consumo consciente para quem utiliza a linha de papéis Chamex", afirma o diretor Comercial da International Paper, Nilson Cardoso.

A partir da segunda quinzena de agosto, as novas embalagens da linha Chamex - composta por Colors, Office, Multi, Super e Eco - estarão nos pontos de venda estampando o selo de certificação do Cerflor e do Inmetro, além de um selo metalizado, aplicado no centro da embalagem, que reforça a informação de que o papel Chamex é fabricado a partir de florestas 100% plantadas e renováveis, segundo os critérios de sustentabilidade. No verso do produto, o layout destaca os princípios de sustentabilidade da empresa, como a conservação de florestas nativas - atualmente a International Paper mantém 24 mil hectares de matas nativas protegidas como reserva legal.

Segundo o gerente de marketing da linha Chamex, Antônio Guedes, a demanda por produtos sustentáveis é um reflexo da preocupação da sociedade com as questões ambientais e sociais. Para Guedes, este comportamento do consumidor é positivo e representa uma oportunidade para que a marca Chamex seja reconhecida como opção de consumo consciente. "Pesquisas mostram que os consumidores já identificam Chamex como a marca de papel que respeita a natureza. Agora, queremos reforçar este posicionamento enfatizando a sustentabilidade em todas as etapas do processo de fabricação", afirma Guedes.

Todos os esforços da International Paper para levar ao mercado Chamex com os selos do Cerflor, do Inmetro e do PEFC, têm como objetivo mostrar aos consumidores que o seu papel branco para imprimir e escrever oferece uma opção de consumo consciente. Destacam-se a origem renovável da matéria-prima e os padrões rígidos de proteção ao meio ambiente aplicados ao processo de fabricação. "Mostrando nossa postura em relação ao meio ambiente, esperamos conquistar aqueles que buscam uma alternativa de consumo sustentável", declara Antônio Guedes. (Celulose Online)

Fonte: Sbef

Unesp abra vaga para docente

O Departamento de Economia da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Araraquara (SP), abriu concurso para a seleção de um professor assistente para as disciplinas de teoria microeconômica e econometria. As inscrições poderão ser feitas até o dia 17 de outubro.

Poderão inscrever-se graduados em curso de nível superior que tenham, no mínimo, título de doutor em economia ou áreas afins. O professor trabalhará em regime de dedicação integral à docência e à pesquisa, com salário de R$ 4.522,37. Caso o candidato tenha título de livre-docente, os salários serão de R$ 7.541,33.

O processo seletivo incluirá prova de títulos, prova didática e prova escrita. A prova de títulos consistirá no julgamento do curriculum vitae em que serão analisadas as atividades de formação didáticas e científicas, dos últimos cinco anos.

A prova didática constará de aula teórica em nível de graduação, cujo ponto será sorteado pelos candidatos com 24 horas de antecedência, de uma lista organizada pela banca examinadora.

A prova escrita terá a duração máxima de cinco horas, podendo uma hora ser destinada à consulta de material e organização de roteiro e as restantes destinadas à redação.

Mais informações: www.fclar.unesp.br/rh

Fonte: Agência FAPESP

Amazonian Symposium on Physics

No Amazonian Symposium on Physics, que ocorrerá de 9 a 12 de setembro, na Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, pretende-se abordar aspectos atuais da física, seus desafios científicos e aplicações, além de despertar o interesse e promover a formação de pessoal qualificado na área.

O evento, que prestará homenagens ao professor José Maria Filardo Bassalo, pioneiro da física no Pará, terá dezenas de seminários proferidos por palestrantes brasileiros e estrangeiros, entre eles George Fitzgerald, da Universidade da Califórnia em Berkeley, Estados Unidos, que falará sobre “Cosmic Microwave Background Radiation”.

Outros destaques são “Challenges of 21 century physics”, que será apresentado pelo físico brasileiro Roberto Salmeron, da Escola Politécnica, na França, “Synchrotron scalar radiation from a source orbiting a static chargeless black hole”, por Luís Carlos Crispino, da UFPA, e “Cold atoms physics”, por Vanderlei Salvador Bagnato, do Instituto de Física de São Carlos da Universidade de São Paulo (USP).

Mais informações: www2.ufpa.br/ppgf/ASP2008.htm

Fonte: Agência FAPESP

Colóquio de Filosofia Alemã na UFSCar

Conceitos de moral, ética e estética que provocam polêmica nos dias atuais são alguns dos temas que serão discutidos no Colóquio de Filosofia Alemã, de 10 a 12 de setembro na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

O evento reunirá pesquisadores de diversas universidades brasileiras, além da Universidade Mainz, na Alemanha.

Segundo os organizadores, a proposta do encontro é “problematizar o diálogo tenso entre Kant, Schopenhauer e Nietzsche, filósofos que influenciaram o estatuto da filosofia e do conhecimento na modernidade”.

O evento pretende proporcionar um espaço de troca de experiências entre pesquisadores que desenvolvem trabalhos com referência a esses autores.

Duas palestras marcam a abertura do colóquio. Fernando Costa Mattos, pesquisador do núcleo Direito e Democracia do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), falará sobre "Kant, Nietzsche e a coisa em si como pressuposto fundamental do pensamento crítico".

Em seguida, Edmilson Paschoal, professor do Departamento de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, abordará o tema "Nietzsche: a boa forma de retribuir ao mestre".

A abertura ocorrerá às 19h, no Auditório do Departamento de Ciências Sociais. O colóquio está sendo organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGFil) da UFSCar.

Programação:

Quarta-feira – 10/9/2008

19h - Abertura
- Fernando Costa Mattos (Doutor USP) - Kant, Nietzsche e a coisa em si como pressuposto fundamental do pensamento crítico
- Edmilson Paschoal (docente PUCPR) - Nietzsche: a boa forma de retribuir ao mestre
Local: Auditório do Departamento de Ciências Sociais

Quinta-feira – 11/9/2008

8h30
Edy Gianez Silva (Mestrando UFPR-PR) - Crianças arquitetas e fontes de areia: o mundo como fenômeno estético no Nascimento da Tragédia de Nietzsche
Local: Sala de Reuniões do Departamento de Filosofia e Metodologia das Ciências - DFMC

9:00
Stefan Krastanov (Doutorando UFScar) - Revolução Copernicana de Nietzsche
Local: Sala de Reuniões do DFMC

9h30 - Pausa

10h
Renato Fabrete Hasunuma (Mestrando UFSCar) - Hegel e Nietzsche: aproximações, incompatibilidades
Local: Sala de Reuniões do DFMC

10h30
Jelson R. de Oliveira (Doutorando UFSCar e professor da PUCPR) - Mitfreude, a alegria como virtude da ética da amizade em Nietzsche
Local: Sala de Reuniões do DFMC

13h30
Marcio Luiz Miotto (Doutorando UFSCar, Bolsista FAPESP) - A “Morte do Homem” na Tese Complementar de Michel Foucault
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

14h
Giovana C. Temple (Doutoranda UFSCar, Bolsista FAPESP) - Aufklärung e a Crítica kantiana no pensamento de Foucault
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

14h30
Ana Carolina Soliva (Doutoranda em Filosofia USP) - Imaginação e vida na Antropologia de Kant
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

15h - Pausa

15h30
Flamarion Caldeira Ramos (Doutorando USP) - Schopenhauer e a crítica à concepção kantiana de metafísica
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

16h
Valter José Maria Filho (Doutor USP) - Kant, Rousseau: ambas contemplações
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

16h30
Maurício Keinert (Doutor USP) - Vida, autonomia e sentimento moral em Kant
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

19h
- Thelma Lessa da Fonseca (docente UFSCar) - Transvaloração e niilismo
- José Carlos Bruni (Prof. Unesp) - Transgressão e transvaloração
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

Sexta-feira – 12/9/2008

8h30
Ivanilde Fracalossi (Mestre USP) - Kant, Reinhold e a representação
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

9h
Gladys Mariotto (PUCPR) - O belo, o sublime e a Terceira Crítica
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

9h30 - Pausa

10h
Diana Chao Decock (Mestranda PUCPR) - A intuição mística na filosofia de Nietzsche
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

10h30
João Paulo Simões Vilas Bôas (Graduando UFPR) - Nietzsche e a caracterização da modernidade: sobre as diferentes facetas do niilismo
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

11h
Thiago das Chagas Santos (Mestrando UFSCar) - Crítica e crítica da crítica – Friedrich Schlegel e a forma da Filosofia
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

14h
- Margit Ruffing (Docente Universität Mainz - Kant-Forschungsstelle) - Le sujet de la connaissance – l’objet de l’action: Le « passage », l’identité et la différence dans la philosophie de Arthur Schopenhauer
- Eduardo Brandão (Docente USP) - Coisa em si, Vontade e vontade de poder: considerações acerca de um limite da filosofia de Nietzsche
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

15h30 - Pausa

16h
- Heiner Klemme (Docente Universität Mainz) - The Origin and Aim of Kant’s Critique of Practical Reason
- Paulo Licht (Docente UFSCar) - Debatedor
Local: Sala de Projeções do CECH (AT-2)

Mais informações: www.ufscar.br, em Agenda/Eventos, ou (16) 3351-8368.

Fonte:Agência FAPESP