quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Sebrae patrocina programas dedicados à inovação tecnológica no Globo Ciência


No próximo dia 30 de agosto, o programa Globo Ciência abre espaço para uma série de 20 programas semanais patrocinados pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pela Fundação Roberto Marinho. Todos são dedicados ao tema inovação tecnológica.

Cada programa terá a duração de 30 minutos, com apresentação aos sábados, na TV Globo, às 6h30; e aos domingos, no canal Futura, às 14h. Os programas terão reprises em diferentes horários no Futura e ainda exibição na Globo Internacional, emissora que atinge 40 países. Com esse espectro de exibidoras, estima-se que a produção contará com um público potencial de mais de 100 milhões de espectadores.

Em cada programa, haverá a apresentação de três casos de sucesso de novos produtos que estão no mercado. Todos foram viabilizados por micro e pequenas empresas a partir de projetos desenvolvidos por jovens de universidades, escolas técnicas e centros de pesquisa. Junto com os casos de sucesso, haverá depoimentos de cientistas e autoridades ligadas à inovação e às micro e pequenas empresas.

Em texto do Sebrae, o gerente da Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia, Paulo Alvim, reflete que o uso da televisão para divulgar produtos inovadores provocará efeito direto nas micro e pequenas empresas. Alvim disse que se valer de um programa como o Globo Ciência para veicular a série permitirá ao Sebrae levar o tema da inovação aliada ao empreendedorismo a acadêmicos e estudantes.

Ainda em texto do Sebrae, a supervisora de Conteúdo do Canal Futura, Débora Garcia, adianta que a série mostrará que a inovação não precisa dar grandes saltos como a praticada nas grandes corporações. Garcia disse que a série patrocinada pelo Sebrae se adapta ao perfil do programa Globo Ciência, de viés tecnológico e embasado em processos científicos. A supervisora de Conteúdo do Futura vê na inovação um caminho capaz de trazer grandes benefícios como gerar recursos para o país e aumentar a empregabilidade. Na opinião da supervisora, as micro e pequenas empresas constituem o espaço ideal para a inovação.

Na série de 20 programas, o espectador verá inovações como um protetor solar criado por um aluno de uma escola técnica e uma máquina de passar roupas em que se colocam as peças molhadas e elas saem secas e passadas. Garcia comentou que a presença do Sebrae na série reforça a credibilidade dessas experiências, pois o nome da instituição se associa à inovação e ao empreendedorismo.

Informações adicionais podem ser obtidas pelo site www.sebraego.com.br ou pelos telefone (61) 3348-7494 e 2107-9362. (Com informações do Sebrae)

Fonte: Gestão CT

Prêmio de Artes Marcantonio Vilaça

No dia 13 de agosto, o presidente da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Celso Frateschi, tornou público, pelo Diário Oficial da União, o edital do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça que tem o objetivo principal de realizar, em parceria com o Departamento de Museus e Centros Culturais (Demu) do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça.

A premiação visa a favorecer a complementação de acervos de arte e sua exibição pública em instituições museológicas, estimulando a reflexão nacional das artes visuais. Instituições museológicas privadas sem fins lucrativos ou instituições museológicas públicas das esferas federal, estadual ou municipal, que mantenham acervo de artes visuais poderão participar da seleção.

As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 1° de outubro. Elas devem ser enviadas somente pelos Correios para Funarte. Rua da Imprensa, 16 – 6° andar – Castelo. Rio de Janeiro (RJ). CEP: 200330-120.

Fonte: Gestão CT

Cetai - Centro de Excelência em Tecnologia de Automação Industrial, fruto do convênio Petrobras e USP, é inaugurado hoje


Através de convênio firmado com a Universidade de São Paulo (USP), a Petrobras inaugurou hoje (21/08), em São Paulo, o Centro de Excelência em Tecnologia de Automação Industrial (Cetai). O objetivo é favorecer atividades de pesquisa e desenvolvimento do setor, além de fomentar o ensino de tecnologias de automação industrial visando a produtividade, qualidade e segurança dos processos industriais nas refinarias da estatal.

Com suas instalações localizadas na Poli – Escola Politécnica da USP em São Paulo, o Cetai toda infra-estrutura necessária fornecida pela Petrobras, incluindo as obras civis, equipamentos de informática e de comunicação. Já a Poli é a responsável pela elaboração dos projetos de pesquisa e desenvolvimento individuais, além da coordenação de projetos multi-institucionais no âmbito acadêmico, por meio do seu Laboratório de Simulação e Controle de Processos (LSCP), do Departamento de Engenharia Química da EPUSP.

O público-alvo é formado por funcionários da Petrobras, alunos e professores da Poli, que utilizarão o espaço para projetos de pesquisa e treinamento em sistemas de automação industrial de interesse da Petrobras. Suas instalações contam com computadores e outros equipamentos em que serão desenvolvidos softwares de última geração para controlar os processos necessários às atividades de produção das refinarias. Também serão realizados treinamentos avançados, que ocorrerão em diferentes módulos e terão duração entre uma semana e seis meses.

Já estão programados alguns projetos de pesquisa e desenvolvimento patrocinados pelo Prorec (Programa de P&D em Otimização e Confiabilidade) do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), como Controladores Preditivos Robustos, Avaliação de Controladores e Simulação de Processos de Refino, que contarão com a participação de professores da universidade e engenheiros da companhia petrolífera.

Com a finalidade de otimizar investimentos relativos à pesquisa desenvolvam o conhecimento brasileiro na área de petróleo e energia, foi criado pela Petrobras este modelo de parceria tecnológica, que funciona por meio de Redes Temáticas. Elas garantem o repasse de, pelo menos, 1% da receita bruta gerada em campos de grande rentabilidade ou grande volume de produção. Metade deste valor é destinado às universidades e instituições de pesquisa nacionais, o que, no caso do Cetai, representa um investimento inicial na ordem de R$ 4 milhões por parte da Petrobras.

Fonte: Agência Petrobras

Impa abre inscrições para os programas de mestrado profissional, mestrado, doutorado e bolsas de verão

O Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa/MCT), instituição associada à ABIPTI, está com inscrições abertas para os programas de mestrado profissional, mestrado, doutorado e bolsas de verão. As candidaturas online para os programas devem ser apresentadas até 31 de outubro. Candidaturas recebidas após esta data somente serão analisadas em fevereiro.

O pedido de admissão aos programas de mestrado, mestrado profissional, doutorado e bolsas de verão é analisado pela comissão de ensino e deve ser feito por meio do site acima

O contemplado com bolsa de verão deve confirmar a aceitação até 15 dias após a data da carta na qual será comunicada a aprovação do pedido. O não recebimento desta confirmação dentro do prazo será interpretado como desistência.

Informações adicionais pelos números (21) 2529-5016/5024 e pelo e-mail .(Com informações do Impa)

Fonte: Gestão CT

Iniciada a segunda fase de consulta pública sobre telecomunicações


Teve início, no dia 18, a segunda fase da consulta pública sobre telecomunicações. A iniciativa está sendo conduzida pelo Ministério das Comunicações. Em sua primeira fase, o órgão recebeu 2,6 mil contribuições sobre 21 questões específicas e uma de caráter geral. As propostas vão orientar a elaboração da nova política pública para o setor e estarão disponíveis para a avaliação da sociedade por meio da internet e por carta.

“Queremos construir uma política pública para o setor de telecomunicações que trate os reais interesses e necessidades da sociedade. Além desta fase de validação das sugestões que já recebemos, teremos no final do ano uma rodada de audiências públicas em todas as regiões do país”, disse o ministro Hélio Costa, em notícia publicada pelo ministério.

Em sua segunda etapa, a consulta traz um novo texto base, com comentários às contribuições da primeira fase, consolidando-se em grandes temas. O ministério pretende mapear as posições e convergir idéias a partir das quais serão formuladas propostas de implementação de políticas públicas.

Os interessados em participar deverão encaminhar as sugestões até o dia 16 de setembro, por meio de formulário eletrônico que está disponível no site do ministério. Também podem ser enviadas cartas para o endereço: Ministério das Comunicações – Secretaria de Telecomunicações – Esplanada dos Ministérios, bloco “R”, 7º andar, gabinete, CEP 70.044-900 – Brasília/DF.

Fonte: Gestão CT

Centro Nacional de Pesquisa do Pantanal terá sede em Cuiabá


Primeira unidade de pesquisa do MCT no Pantanal será em Cuiabá

O Centro Nacional de Pesquisa do Pantanal terá como sede a capital mato-grossense, Cuiabá. A Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) cedeu, em regime de comodato, um terreno de 20 mil metros quadrados, no campus, onde será erguido o edifício, que terá o projeto arquitetônico ecologicamente sustentável. “Isso significa que o imóvel será construído de modo a reaproveitar, por exemplo, a água e o lixo, diminuindo o impacto no meio ambiente”, explica Maria Luiza Alves, coordenadora geral de Gestão de Ecossistemas do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

O centro será a primeira unidade de pesquisa do MCT no bioma do Pantanal e é uma ação do Plano Plurianual (PPA) 2008-2011, que prevê a criação de um instrumento de estudo e desenvolvimento científico na região. O objetivo é promover a formação de redes temáticas, articulando órgãos de fomento, instituições de ensino e pesquisa governamentais ou privadas, assim como empresas e organizações da sociedade civil. Tudo isso sem esquecer a formação de recursos humanos especializados.

Além disso, o centro implementará ações estratégicas, coordenará projetos de pesquisas nas diversas áreas temáticas voltadas para o bioma Pantanal, organizará um banco de dados sobre as informações geradas a partir dos trabalhos científicos e tecnológicos e promoverá a capacitação de recursos humanos e a disseminação de conhecimento.

Para isso, foram reservados R$ 8 milhões para sua construção e implementação até 2011. “Para este ano estão destinados R$ 1,5 milhão”, destaca Maria Luiza Alves. A UFMT será responsável pela licitação da obra, mas os recursos serão do MCT. (Fabio Lino - Assessoria de Comunicação do MCT)

Fonte: Agência CT

Parque Tecnológico Capital Digital poderá ter apoio de empresa israelense

No dia 15 de setembro, a empresa israelense Alvarion, líder mundial do mercado de comunicação sem fio, deverá oferecer seus serviços para a região Centro-Oeste com o propósito de evoluir o processo do Parque Tecnológico Capital Digital.

Em texto da Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), instituição associada à ABIPTI, o diretor da empresa israelense, Ricardo Pence, apontou a importância da construção de um parque científico e tecnológico, além da posição geográfica e estratégica da capital no mercado latino-americano, como fatores essenciais para a possível instalação da Alvarion em Brasília.

O secretário de Ciência e Tecnologia do Distrito Federal, Izalci Lucas, aprovou a idéia e afirmou que esse interesse de empresas líderes mundiais é apenas um pequeno exemplo da grandiosidade que terá o Parque Tecnológico Capital Digital. Ainda em texto da FAP-DF, Lucas citou outros fatores que motivam a entrada de empresas, como a criação do pólo microeletrônico e da Lei de Inovação à pesquisa, além do atrativo fiscal tributário da capital.

Com uma antena definida como estação base, a Alvarion afirma que oferecerá, por meio da solução Wimax, serviços de comunicação sem fio numa extensão de 45 km. Entre os serviços que serão disponibilizados estão o de telefonia e mobilidade, vídeo segurança, controle de tráfego, segurança pública, cobertura indoor (dentro de empresas e casas) e acesso público. Pence afirmou, também, que a Alvarion tem como objetivo entrar no mercado de rádio, com o Voip Gateway.

Campinas e Curitiba são cidades brasileiras que receberam os serviços da Alvarion. Em Campinas, a Alvarion estabeleceu o CimCamp, que de acordo com Pence, foi muito bem recebido pela cidade paulista. Uma das aplicações adotadas em Campinas foi o controle de segurança pública móvel, que consiste em uma van adaptada com várias câmeras de vídeo no teto. As imagens são analisadas por especialistas, que informam à polícia sobre qualquer irregularidade.

Mais informações por meio do site www.fap.df.gov.br.(Com informações da FAP-DF)

Fonte: Gestão CT

Insa reúne entidades para programar a Semana Nacional de C&T

O Instituto Nacional do Semi-Árido (Insa/MCT) e a Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq) reúnem hoje (20), às 14h, na sede do Instituto, em Campina Grande (PB), instituições interessadas em participar das atividades a serem realizadas na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, em outubro próximo.

A Semana é uma realização do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), com o apoio dos governos estaduais, municipais e instituições afins, no intuito de mobilizar a população, especialmente crianças e jovens, em torno de temas e atividades de ciência e tecnologia, valorizando a criatividade, a atitude científica e a inovação.

A iniciativa também pretende chamar a atenção para a importância da C&T no desenvolvimento do País, bem como contribuir para que a sociedade possa conhecer e discutir os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas e suas aplicações.

A coordenação executiva da Semana é do diretor do Departamento de Popularização e Difusão da Ciência e Tecnologia do MCT, Ildeu de Castro Moreira. O evento ocorre de 20 a 26 de outubro. Neste ano, o tema é "Evolução e Diversidade". (Aline Guedes - Departamento de Comunicação do Insa)

Fonte: Agência CT

Fapemat relança edital do PPP para atender jovens pesquisadores

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Mato Grosso (Fapemat) está relançando o edital nº 006/2008 - Programa Primeiros Projetos de Pesquisa (PPP) para atender jovens pesquisadores. O objetivo do relançamento está pautado na participação do CNPq/MCT que aportou R$ 1 milhão para incentivar a criação de infra-estrutura básica para os jovens pesquisadores em Mato Grosso.

Desta forma, a Fapemat, que é uma instituição associada à ABIPTI, juntamente com o CNPq/MCT, estão propondo aumentar os recursos financeiros por projeto no intuito de proporcionar aos jovens pesquisadores melhores condições de infra-estrutura nas suas unidades de trabalho.

Os pesquisadores que já encaminharam seus projetos poderão reestruturá-los segundo suas necessidades.


Mais informações no site www.fapemat.gov.br.

Funarte divulga edital do Programa Rede Nacional Artes Visuais 2008

Durante todo o mês de novembro de 2008, a Fundação Nacional de Artes (Funarte) vai promover um intenso debate em torno das artes visuais no Brasil, por meio de seminários, conferências, ciclos e outros eventos. O edital do Programa Rede Nacional Funarte Artes Visuais foi divulgado no dia 13 deste mês, no Diário Oficial da União.

As instituições devem enviar as suas propostas à Funarte pelos Correios, até 1º de outubro de 2008

A rede é voltada para a reflexão sobre as artes visuais e as políticas públicas para o setor. Serão concedidos 27 prêmios de R$ 25 mil, um em cada Estado brasileiro, para que instituições culturais promovam eventos em seu próprio Estado, sempre com entrada franca.

As propostas devem conter objetivos, justificativa, descrição do formato e da temática abordada, plano de divulgação e cartas de anuência dos profissionais envolvidos. Os projetos devem ser acompanhados de um relatório com as atividades mais recentes da instituição e da ficha de inscrição, e serão julgados por uma comissão formada por cinco membros de reconhecida atuação no setor das artes visuais. Os principais critérios da avaliação são o histórico da instituição proponente, a originalidade e a relevância da proposta apresentada

Fonte: Gestão CT

Ministro destaca ações do PACT&I na Uerj

O ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, destacou na quarta-feira (20), na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), as ações do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação (PACT&I 2007/2010). O ministro também ressaltou a inserção dos programas de pós-graduação e pesquisa da Uerj nas estratégias do PACT&I.

No auditório da reitoria, ao lado do reitor, Ricardo Vieiralves, e da vice-reitora, Christina Maioli, o ministro fez uma apresentação das quatro Prioridades Estratégicas do Plano que são: Expansão e Consolidação do Sistema Nacional de C,T&I, Promoção da Inovação Tecnológica nas empresas, Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Áreas Estratégicas, C,T&I para o Desenvolvimento Social. Ele disse que considera o momento desafiador para a área, lembrando que o setor passou por uma acentuada crise no início dos anos 90.

O ministro também destacou a importância do envolvimento e das parcerias da universidade com o setor produtivo nas áreas de petróleo e energia. "O Rio de Janeiro, por abrigar segmentos importantes da cadeia produtiva do petróleo, tem grandes contribuições a dar no sentido da pesquisa e do desenvolvimento tecnológico destas áreas", disse.

A sub-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa, Mônica Heilbron, falou sobre a atuação da Uerj e das potencialidades para inserir projetos da universidade no Programa de Aceleração do Crescimento. Já a vice-diretora do Instituto de Biologia (Ibrag), Leila Lopes Bezerra, enfatizou a importância da pesquisa translacional, ou seja, o percurso do conhecimento gerado no laboratório até chegar ao paciente. Nesse caminho, enfatiza a professora, outro ator fundamental para o processo é o sistema produtivo, representado no Brasil pelas indústrias farmacêuticas, mas que ainda é um setor incipiente. "É preciso pensar em uma política que possa efetivamente possibilitar a transferência de conhecimento gerado na área básica de biologia ao sistema de saúde", disse. Após as apresentações, o ministro respondeu a perguntas de pesquisadores da Uerj. (Com informações da Assessoria de Comunicação da Uerj / Assessoria de Comunicação do MCT)

Fonte: Agência CT

KMBrasil 2008 será realizado na próxima semana em SP

Nos dias 27 a 29 deste mês, será realizado o KMBrasil 2008, congresso anual promovido pela Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento (SBGC). O evento acontece no Hotel Century Paulista, em São Paulo (SP).

O tema da edição deste ano é a Capacidade de se agregar valor a uma organização por meio do conhecimento. Entre os palestrantes, já estão confirmados alguns estrangeiros, como a portuguesa Ana Neves, que irá falar sobre Redes Sociais, e David Gurteen, que voltará suas reflexões para as chamadas Pessoas 2.0.

Informações adicionais  pelos telefones (11) 3063-4360 e 3082-9098.

Fonte: Gestão CT

Blogs de personalidades da área de C&T serão indicados pelo Gestão CT

O Gestão CT passará a indicar, em suas edições, blogs de personalidades da área de C&T. O objetivo é mostrar conteúdos de qualidade e de interesse da comunidade científica e tecnológica fora dos meios institucionais.

Com isso, o Gestão C&T abre espaço para as motivações e interesses pessoais daqueles que ajudam no desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação no país. Nesta edição serão indicados dois blogs: Blog Odenildo Sena e Blog Lynaldo Cavalcanti.

Odenildo Sena é presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam) e do Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap). Em seu blog, Odenildo disponibiliza artigos e crônicas, dicas de livros e ponto de vista.

Lynaldo Cavalcanti de Albuquerque é diretor de Relações Institucionais da ABIPTI e, entre outros cargos, foi presidente do CNPq (1980-1985). Em seu blog, Lynaldo Cavalcanti aborda a “transposição do conhecimento” como algo que engloba todos os seus ideais e o que vem norteando suas ações em âmbito profissional e pessoal.

Os interessados em divulgar seus blogs, ou indicar algum blog de interesse da comunidade científica e tecnológica, enviem mensaagem para o e-mail para com assunto: Dica de blog.

Conaes integra a Rede de Agências Nacionais de Acreditação do Setor Educacional do Mercosul

A Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) foi designada pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, para integrar, pelo lado brasileiro, a Rede de Agências Nacionais de Acreditação (Rana) do Setor Educacional do Mercosul (SEM). A designação foi publicada por meio de portaria no Diário Oficial da União, do dia 14 de agosto.

A Conaes foi indicada por reunir os atributos requeridos pelo “Acordo sobre a criação e a implementação de um sistema de acreditação de cursos de graduação para o reconhecimento regional da qualidade acadêmica dos respectivos diplomas no Mercosul e Estados associados”.

O acordo foi uma das decisões tomadas durante a 35ª Reunião do Conselho do Mercado Comum, realizado em junho deste ano em San Miguel de Tucumán, Argentina.

Fonte: Gestão CT

Decreto inclui dois ministérios no Comitê Nacional de Biotecnologia

O Decreto de nº 6.538, publicado no Diário Oficial da União (DOU), no dia 14 deste mês, inclui os ministérios da Defesa e da Pesca de Aqüicultura no Comitê Nacional de Biotecnologia. O comitê passou de 19 membros para 21.

Confira abaixo como ficou o grupo após o novo decreto:
• Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, que o coordenará;
• Casa Civil;
• Ministério da Saúde;
• MCT;
• Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;
• Ministério do Meio Ambiente;
• Ministério da Educação;
• Ministério do Desenvolvimento Agrário;
• Ministério da Justiça;
• Ministério da Defesa;
• Ministério da Pesca e Aqüicultura;
• Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI);
• Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa);
• CNPq;
• Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa);
• Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES);
• Finep;
• Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);
• Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI);
• Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro); e
• Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Fonte: Gestão CT

Korean Air Lines é autorizada pela Anac a operar no Brasil

A Decisão de nº 334 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), publicada no Diário Oficial da União de hoje (21), autoriza a empresa estrangeira Korean Air Lines CO.LTD., de nacionalidade coreana, a operar serviços aéreos regulares de passageiros, carga e mala postal no território brasileiro.

A empresa fica sujeita a manter, obrigatoriamente, representante legal no Brasil, com plenos e ilimitados poderes para tratar e, definitivamente, resolver as questões que venham a surgir, quer com o governo, quer com os particulares, podendo ser demandado e receber citação inicial pela empresa.

Todos os atos praticados no Brasil ficarão sujeitos, unicamente, às leis e aos tribunais brasileiros, não podendo, a referida empresa, fundada em seu estatuto, reclamar qualquer exceção. É, ainda, proibida a realização, no Brasil, de atividades vedadas às sociedades estrangeiras, ainda que constantes do respectivo estatuto, somente podendo ser exercidas as que dependam de prévia aprovação da Anac depois de obtida essa e sob as condições autorizadas.

A empresa fica também obrigada a cumprir, fielmente, o disposto no Acordo Aéreo firmado entre Brasil e Coréia do Sul, principalmente no que respeita aos direitos de pouso, trânsito e de tráfego, em todos os serviços para os quais tenha sido a sociedade empresária designada, de acordo com o estabelecido no Quadro de Rotas constante do referido acordo; entre outras regulamentações.

Fonte: Gestão CT

12° Salão do Inventor Brasileiro

Nos dias 11 a 14 de novembro, acontecerá o 12º Salão do Inventor Brasileiro. O evento será realizado no ginásio da Escola de Medicina Santa Casa de Misericórdia (Emescam), em Vitória (ES).

A novidade para esta edição é o concurso online de invenções. Desta forma, inventores de diferentes lugares do Brasil podem concorrer ao Prêmio Talento Brasileiro na categoria online, além da tradicional premiação aos melhores participantes do evento.

Com o tema interatividade, o evento além dos tradicionais inventores, apresentará palestras sobre tecnologia assistiva, tecnologia de produção de produtos orgânicos e ainda uma gama de trabalhos relacionados à experiência científica nas instituições de ensino de primeiro e segundo grau.

Informações e inscrições podem ser feitas pelo  telefone (27) 3225.7092. (Com informações do Inventar)

Fonte: Gestão CT

Tecnologias utilizadas para a reutilização, reciclagem e valorização energética de pneus no Brasil


Borracha difícil de apagar
Em 2006, foram reciclados no Brasil 48,1 milhões de pneus que não prestam mais para uso em automóveis, o equivalente a 240,6 mil toneladas. No mesmo ano foram produzidas no país cerca de 54,5 milhões de unidades. Outras 28,6 milhões foram importadas, sendo parte comprada para reforma e venda como pneus meia-vida.

Considerando que 18,7 milhões de peças foram exportadas no mesmo ano, fica evidente a existência de um preocupante passivo ambiental de, pelo menos, 16,3 milhões de pneus de automóvel que teriam sido dispensados na natureza naquele ano.

É o que destaca um estudo feito por Carlos Alberto Lagarinhos e Jorge Alberto Tenório, do Departamento de Engenharia Metalúrgica e de Materiais da Escola Politécnica (METMAT - Poli) da Universidade de São Paulo (USP). O trabalho, que apresenta as tecnologias utilizadas no Brasil para a reutilização, reciclagem e valorização energética do produto, foi publicado na revista Polímeros.

O estudo também avaliou o passivo ambiental de 2002 a 2006, com base em dados coletados em instituições como a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip), o Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

“Ao calcular o número de pneus produzidos, importados, exportados e reciclados nesse período, temos uma média de 14,9 milhões de pneus que teriam sido gerados e descartados na natureza anualmente, uma vez que supostamente não houve coleta e destinação correta desse material”, disse Lagarinhos.

O estudo lembra que em 1999 foi aprovada no Brasil a resolução nº 258 do Conama, que instituiu a responsabilidade do produtor e do importador pelo ciclo total do produto. De acordo com a resolução, desde 2002 os fabricantes e importadores de pneus no Brasil devem coletar e dar a destinação final para as peças usadas, sendo os distribuidores, revendedores, reformadores e consumidores finais também co-responsáveis pela coleta dos pneus servíveis e inservíveis (que não têm mais uso em veículos). Estima-se que um pneu leve mais de 500 anos para se decompor na natureza.

Segundo Lagarinhos, um dos pontos positivos da resolução foi a criação do cálculo que permite estabelecer o objetivo para a reciclagem de pneus, cujo percentual precisa estar acima do nível de produção a fim de eliminar o passivo ambiental existente.

“De 2002 a 2006, apenas no primeiro ano foi atingido o objetivo de reciclagem do Conama. Ou seja, de cada quatro pneus produzidos, um foi reciclado, atingindo o índice de 25% estabelecido pela resolução”, disse.

Para 2003, 2004 e 2005, a resolução nº 258 estabeleceu que o índice aumentaria, respectivamente, para 50%, 100% e 125%, porcentagem que se mantém até hoje. Ou seja, atualmente, de cada quatro pneus produzidos em todo o país, teoricamente é preciso reciclar cinco unidades, deixando de jogá-las no meio ambiente.

Economia com a reciclagem
O estudo aponta ainda que, de 2002 a 2006, foram recicladas 805,2 mil toneladas de pneus inservíveis no Brasil, o equivalente a 161 milhões de peças.

A quantidade reciclada, em unidades ou peso, é reportada anualmente pelas empresas de reciclagem e associações ao Ibama por meio do Relatório Anual de Atividades do Cadastro Técnico Federal (CTF). No caso dos pneus importados, a reciclagem de pneus antecede a liberação dos pneus novos importados.

“A resolução nº 258, apesar de estar em vigor e subsidiar a aplicação de multas pelo Ibama aos fabricantes de pneus e empresas que não cumpriram as metas de reciclagem, está desde 2005 em avaliação pelo instituto, seguindo o cronograma previsto no documento que a criou”, explicou Lagarinhos.

Entre as vantagens da recapagem e recauchutagem de pneus estão o emprego de apenas 25% do material utilizado na fabricação de um pneu novo e a economia de 57 litros de petróleo por pneu reformado. “Isso representa uma economia de 798 milhões de litros de óleo diesel por ano ao Brasil”, disse.

Segundo o pesquisador, na Europa 20% dos veículos de passeio e utilitários, 50% da frota de caminhões e 98% dos aviões das linhas aéreas internacionais utilizam pneus remoldados. No Brasil esse mercado está crescendo e, em 2006, foram produzidos 2,4 milhões de pneus remoldados.

Ainda são escassos, segundo Lagarinhos, os estudos sobre o volume de pneus produzidos, reciclados e dispensados na natureza no Brasil. “Calcula-se, segundo dados da literatura científica, a existência de pelo menos 100 milhões de unidades descartadas no meio ambiente. Esse número leva em conta toda a produção da indústria de pneus, desde sua implementação no país no fim da década de 1930”, apontou.

O descarte de pneus usados chega a atingir, anualmente, a marca de quase um bilhão de unidades em todo o mundo, segundo dados da Associação Japonesa dos Fabricantes de Pneus Automotivos.

Para ler o artigo Tecnologias utilizadas para a reutilização, reciclagem e valorização energética de pneus no Brasil, disponível na biblioteca on-line SciELO (Bireme/FAPESP), clique aqui.

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

Prêmio Werner von Siemens de Inovação Tecnológica

Siemens lança prêmio de inovação
A Siemens lançou a terceira edição do Prêmio Werner von Siemens de Inovação Tecnológica, que leva o nome do fundador do conglomerado alemão. As incrições podem ser feitas até 10 de outubro.

O prêmio tem duas categorias e três modalidades: “Indústria”, “Energia” e “Saúde”. Na categoria “Estudante – Novas Idéias”, o prêmio é aberto à participação de estudantes dos cursos de nível técnico e superior em tecnologia, graduação e pós-graduação (lato sensu).

Já a categoria “Ciência & Tecnologia” destina-se à participação de pesquisadores e empresas incubadas, com os seguintes perfis: pesquisadores formados a partir de 2006 ou estudantes nos níveis mestrado, doutorado ou pós-doutorado e empresas incubadas.

O programa também concederá o prêmio especial Contribuição Socioambiental para todos os trabalhos inscritos nas duas categorias e três modalidades que, além de apresentar em sua proposta o caráter inovação tecnológica, estejam associados a uma contribuição à sociedade e ao meio ambiente

Os primeiros colocados receberão prêmios em dinheiro (R$ 10 mil para a categoria Estudante e R$ 15 mil para a categoria Ciência & Tecnologia), além de telefones Gigaset Siemens para segundo e terceiro lugares e para professores orientadores nas duas categorias. O prêmio especial Contribuição Socioambiental será de R$ 10 mil.

O terceiro Prêmio Werner von Siemens de Inovação Tecnológica é uma contribuição da empresa ao desenvolvimento de inovações no Brasil e faz parte do programa mundial Siemens Generation 21, voltado para a educação.

Fonte: Agência FAPESP

Inovação faz empresas mais competitivas

Massa de bolo congelada em sache, paçoca de soja e toalha ecológica. Esses são alguns dos exemplos de novos produtos criados a partir de processos de inovação dentro de empresas brasileiras e apoiados pelo Senai. Os produtos foram apresentados no III Simpósio Senai de Inovação Tecnológica, em Curitiba, evento paralelo à programação da Olimpíada do Conhecimento, maior torneio de educação profissional das Américas.

Na avaliação do diretor de Inovação do Senai, Hans Gerhard Schorer, investir em inovação dá resultado e isso deve ser prioridade número um no Brasil. Os cases de sucesso participaram do edital Senai de Inovação, que alia programas de pesquisa aplicada em parceria com indústrias. As empresas El Shadai Indústria de Alimentos, de Chopinzinho (PR); Só Soja do Brasil, de Caldas Novas (GO), e Buettner, de Brusque (SC), receberam consultoria tecnológica do Senai para o desenvolvimento de processos e produtos.

Pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mostra que as empresas inovadoras representam apenas 1,7% das indústrias brasileiras, mas são responsáveis por 25,9% do faturamento e 13,2% dos empregos gerados.

Na opinião dos especialistas, introduzir a inovação na política da empresa e garantir sua continuidade é mais importante que inovar um produto ou processo. Para o diretor geral da Sociedade Brasileira Pró-inovação Tecnológica (Protec), Roberto Nicolsky, somente o mecanismo de inovação continuada é capaz de impulsionar o desenvolvimento de uma empresa e do País. (Jornal de Curitiba)

Fonte: Anpei

15º Congresso Brasileiro de Meteorologia

“A meteorologia e a cidade” é o tema central do 15º Congresso Brasileiro de Meteorologia, da Sociedade Brasileira de Meteorologia (SBMET), que será realizado de 24 a 29 de agosto, em São Paulo.

Realizado no ano em que a SBMET comemora 50 anos de fundação, o tradicional encontro pretende reunir a comunidade científica para apresentar e discutir resultados de novas descobertas em meteorologia e áreas correlatas.

Os principais objetivos serão: avaliar o conhecimento atual sobre o clima urbano e seus controles; explorar as aplicações da meteorologia urbana na energia, esportes, turismo, lazer e cultura, saúde, meio ambiente, economia, indústria, comércio, transporte, comunicações e defesa civil; reunir especialistas ligados aos temas das Câmaras Técnicas da Comissão de Coordenação de Meteorologia, Climatologia e Hidrologia para promover debates e a participação da comunidade em suporte às suas decisões; e discutir os temas básicos da meteorologia, incluindo questões de ensino.

Fonte: Agência FAPESP

América Latina inova mais

América Latina na rota da inovação
A globalização, a difusão da internet e a acelerada transformação de matéria-prima em produtos de consumo estão forçando companhias do mundo inteiro - incluindo as da América Latina - a agilizar o ritmo de suas inovações e a reinventar continuamente seus modelos de negócio. Este processo evolutivo recebe o nome de Inovação do Modelo de Negócio.

Pela primeira vez na história, quase todos os países e indústrias da região estão desenvolvendo modelos inovadores de negócios, de monetização e de oferta diferenciada de produtos e serviços. Países como Brasil e Chile, por exemplo, constituem o melhor exemplo de nações que se converteram em atores relevantes na economia global, graças ao uso inteligente das inovações tecnológicas.

Durante um seminário realizado na Assembléia Anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o secretário de Assuntos Exteriores do Ministério do Planejamento do Brasil, José Carlos Miranda, afirmou que o País empregou com êxito as inovações tecnológicas ao seu alcance e dirigiu, de forma estratégica, suas fontes de financiamento para se converter em um dos principais produtores agrícolas do planeta.

Já o vice-presidente do departamento de desenvolvimento econômico do Chile (CORFO), Carlos Alvarez, enfatizou o sucesso alcançado por seu país na integração de redes que incluem desde pequenas empresas até gigantescas companhias de importação, assim como o estabelecimento de uma integração vertical que permitiu ao Chile se converter em um dos dois maiores exportadores de salmão no mundo¹.

No entanto, embora o Brasil e o Chile sejam modelos de economias bem-sucedidas, a região latino-americana em geral ainda tem um longo caminho a percorrer em seus esforços para competir em escala global e aproveitar de forma adequada as inovações tecnológicas.

Confirmando essa visão, o recente Estudo sobre a competitividade da América Latina conduzido pelo Fórum Econômico Mundial, ressaltou a necessidade da região em melhorar sua capacidade de assimilar as tecnologias e inovar com a finalidade de consolidar o progresso alcançado nos últimos anos.

Para que consigam ser realmente competitivas em nível global, as companhias latino-americanas terão que perceber a inovação como parte integrante de suas estratégias de negócios e não como um processo a parte. Hoje estas empresas estão muito mais posicionadas do que nunca para fazê-lo, já que, por um lado, a região está vivendo uma fase extraordinária de crescimento e, por outro, a tecnologia amadureceu a ponto de promover níveis profundos de colaboração e permitir que as redes de negócio e inovação conjunta sejam atividades bem mais viáveis em termos econômicos.

Neste sentido, o último Estudo Sobre Inovação conduzido pelo Boston Consulting Group qualifica a América Latina como uma Economia de Rápido Desenvolvimento (RDE, na sigla em inglês), posicionando-a no mesmo nível de economias como China, Índia e Europa Oriental. As economias RDE são aquelas nas quais as companhias globais estão investindo na busca por inovação. O estudo ouviu 2.864 entrevistados de 58 países diferentes, sendo que 38% dos participantes afirmaram que suas respectivas empresas tinham aumentado o gasto em inovação dentro de economias RDE em 2007. Além disso, 26% dos respondentes afirmaram que este gasto aumentaria especialmente na região latino-americana.

Diante deste cenário promissor, vemos algumas companhias da América Latina começando a desfrutar dos benefícios que trazem as inovações tecnológicas, aproveitando-as de forma efetiva para liderar no mercado global.

Um bom exemplo desses é a companhia chilena de mineração de cobre Codelco, que recentemente atraiu a atenção dos pesquisadores da Universidade de Harvard. Esta organização é um exemplo a ser seguido, pois representa muito bem as empresas que aproveitaram as oportunidades vindas com a tecnologia da informação. O sucesso alcançado pela Codelco é mais significativo quando se leva em conta que a indústria de mineração é constantemente submetida às flutuações ditadas por um mercado de alta volatilidade.

De acordo com a Escola de Negócios da Universidade de Harvard, a transformação da mineradora chilena iniciou-se em 1996, quando seu presidente mudou o foco de negócios da empresa, transferindo a ênfase colocada na redução de custos para a maximização do valor econômico, empregando, para isso, a tecnologia como protagonista da estratégia de negócios da companhia.

A execução da estratégia assumida pela Codelco com relação à tecnologia da informação inclui até as vantagens competitivas da companhia, assim como os serviços oferecidos a seus empregados. Além disso, a companhia cunhou o termo "Codelco Digital", baseado em um conceito de integração entre a tecnologia da informação e a estratégia corporativa, validando o uso da TI como fonte de valor substancial para os empregados e acionistas da empresa.

O aproveitamento efetivo da tecnologia da informação pela Codelco conseguiu posicionar a companhia como uma das mais bem sucedidas organizações da região. O sucesso alcançado pela empresa chilena é resultado da consolidação efetiva de sua vantagem competitiva, acelerando níveis de inovação e agilizando a execução de estratégias, dois dos fatores de sucesso mais importantes para se triunfar em um ambiente de negócios cambiante e vertiginoso.

Esse exemplo comprova que a capacidade da tecnologia da informação de ajudar as companhias a adaptar seus modelos de negócio existentes ou adotar novos modelos foi o que a converteu em um componente vital nas atividades estratégicas para crescimento das empresas. Em conseqüência, as companhias latino-americanas têm, agora, a oportunidade para responder eficazmente ao ritmo acelerado da mudança global, e a resposta se encontra na inovação. Hernán Mariño é vice-presidente de Marketing da SAP na América Latina (Portal Decision Report)

Fonte: Anpei

Fórum Permanente Energia e Ambiente da Unicamp


O Ano Internacional do Planeta Terra é o foco central do Fórum Permanente Energia e Ambiente da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), que ocorrerá no dia 2 de setembro no Centro de Convenções da universidade.

Pesquisadores de diversas instituições debaterão os temas “Megacidades”, “Agricultura” e “Saúde”, escolhidos entre os principais tópicos do Ano Internacional do Planeta Terra, proclamado pela Assembléia das Nações Unidas, em dezembro de 2005, com o objetivo de estimular atividades de difusão e de pesquisa científica.

A programação será aberta pelo professor Diógenes de Almeida Campos, da Academia Brasileira de Ciências (ABC). Daniel Hogan, da Unicamp, pesquisador do Núcleo de Estudos de População (Nepo) e do Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam), apresentará a conferência “Megacidades, cidades médias e o crescimento populacional no século 21”.

“Ciências da Terra e megacidades: experiências na cidade de São Paulo” será o tema debatido pelo geólogo Ronaldo Malheiros Figueira, da Prefeitura de São Paulo.

O tema “Agricultura e Saúde” será abordado por Arnaldo Alves Cardoso, professor do Instituto de Química de Araraquara, da Universidade Estadual de São Paulo (Unesp).

Fonte: Agência FAPESP

3° Simpósio Nacional de Enfermagem - UERJ/ 2008

A Faculdade de Enfermagem da UERJ realiza, de 22 a 24 de setembro, o 3° Simpósio Nacional: “O Cuidar em Saúde e Enfermagem – ENFCUIDAR/ 2008”, que irá atrair profissionais, técnicos e estudantes de graduação e pós-graduação das áreas de enfermagem e saúde para um debate. O evento acontece das 8h às 17h, na Av. 28 de Setembro, n° 157, em Vila Isabel – Rio de Janeiro.

O Seminário promove uma comunicação científica desenvolvida por profissionais e estudantes, discutindo as concepções teóricas que orientam as práticas do cuidar, educar e pesquisar em saúde e enfermagem. O Simpósio pretende refletir sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE) orientada por concepções teóricas – filosóficas enfocando a autonomia do enfermeiro e sua capacitação para desenvolver a SAE. Além disso, pretende gerar um intercâmbio científico e cultural entre a comunidade acadêmica das Instituições de Ensino e Saúde.

O 3° Simpósio Nacional aborda três eixos temáticos: fundamentos teóricos para as práticas de enfermagem, tecnologias aplicadas ao cuidado de enfermagem e experiências e vivências de cuidado de enfermagem. Além disso, contará com a presença da professora Maria Thereza Leoparde da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC/SC) e da professora Marineli Joaquim Meier da Universidade Federal do Paraná (UFPA). (Rodrigo Marinho - Assessoria de Imprensa/ UERJ)

Mais informações: 2587-6335

Fonte: UERJ