quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Finep seleciona 801 propostas para concorrer à Subvenção Econômica

A chamada pública do Programa de Subvenção Econômica da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT) pré-qualificou 801 empresas para a próxima fase do processo de seleção, de um total de 2.612 propostas de empresas convidadas.

As empresas selecionadas foram comunicadas e têm até o dia 1º de setembro para encaminhar, por meio eletrônico, o projeto detalhado à Financiadora. O resultado final, com a divulgação da lista das empresas contempladas, está previsto para o dia 17 de outubro. Ao todo, estão sendo disponibilizados R$ 450 milhões para apoio a projetos inovadores em todo o País. O financiamento é não reembolsável.

A chamada pública da Subvenção Econômica de 2008 contempla seis áreas estratégicas. A área 1, de Tecnologias da Informação e Comunicação, foi a que mais recebeu propostas, um total de 1.104, das quais 319 foram pré-qualificadas. O segundo lugar em número de inscrições ficou com a área 3, da Saúde, com 382 projetos, sendo 117 selecionados na fase 1. No segmento de Programas Estratégicos – área 4, a Finep contabilizou 345 inscrições, das quais 88 aprovadas. Com 337 projetos inscritos, a área 6, de Desenvolvimento Social, teve 110 propostas selecionadas. A área 2, de Biotecnologia, ficou com 107 projetos pré-qualificados em um universo de 287 inscrições. Em último lugar vem a área 5, de Energia, com 157 propostas, das quais 60 aprovadas. A demanda qualificada até agora soma R$ 1,8 bilhão.

Além do enquadramento do projeto nos temas específicos das seis áreas definidas no edital, na fase de pré-qualificação, a comissão julgadora levou em consideração o grau de inovação da proposta em relação a outras soluções existentes, o impacto no mercado, a importância para a sociedade e a capacidade técnica da equipe envolvida no desenvolvimento do produto, serviço ou processo. Os R$ 450 milhões previstos no edital da Subvenção serão distribuídos entre as seis áreas, que receberão R$ 80 milhões para apoio a projetos inovadores cada uma, com exceção apenas do setor de Desenvolvimento Social, que contará com R$ 50 milhões.

O valor mínimo de cada projeto será de R$ 1 milhão, com prazo de execução de 36 meses. Haverá, ainda, uma contrapartida que ficará entre 5% e 20% do valor total do projeto, no caso de empresas menores, e entre 100% e 200%, para empresas de médio e grande porte. (Assessoria de Imprensa da Finep)

Veja a lista de empresas selecionadas no link.

Fonte: Agência CT

Termina amanhã a inscrição para o Edital Universal

Encerra-se amanhã (7) a inscrição para o Edital Universal de 2008. Com R$ 100 milhões para apoiar atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação em todas as áreas do conhecimento, esta é considerada uma das maiores ações de fomento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT).

O edital é voltado para apoiar projetos relacionados a atividades de pesquisa que visem contribuir significativamente para o desenvolvimento científico e tecnológico do País, abrangendo propostas de qualquer área do conhecimento.

Os recursos, oriundos do CNPq e dos Fundos Setoriais, serão distribuídos em três faixas de financiamento. A Faixa A, que recebe projetos de até R$ 20 mil; Faixa B, para propostas acima de R$ 20 mil e abaixo de R$ 50 mil; e Faixa C, para projetos de R$ 50 mil a R$ 150 mil. A criação de faixas para financiamento das propostas ocorre desde 2007 para possibilitar o apoio a pesquisadores mais jovens, não concorrentes com os grupos consolidados, que tendem a solicitar recursos na maior faixa.

Regiões
Uma parcela mínima de 30% do total de recursos será destinada para projetos de pesquisadores vinculados a instituições sediadas nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, incentivando a expansão e a consolidação do Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação.

Em 2007, o Edital teve uma demanda de R$ 700 milhões, com aproximadamente R$ 300 milhões de demanda qualificada. Foram aprovados cerca de 4 mil projetos.

Os interessados podem inscrever seus projetos por meio do Formulário online de Propostas, disponível na Plataforma Carlos Chagas do CNPq. O resultado está previsto para ser divulgado na primeira semana de novembro, e as contratações terão início no dia 18 de novembro próximo.

Veja o edital aqui. (Assessoria de Comunicação do CNPq)

Fonte: Agencia CT

Indústrias de cosméticos e fitoterápicos da Amazônia aliam inovação e sustentabilidade


Inovadores e sustentáveis
Um estudo analisou parte do desenvolvimento industrial da Amazônia e constatou que, ainda que esse processo seja fortemente baseado na exploração predatória dos recursos naturais – sobretudo no caso das indústrias madeireiras e de mineração –, dois setores em particular têm desempenhado atividades produtivas em bases sustentáveis, mantendo sólida articulação de pesquisa e desenvolvimento (P&D) com centros e instituições de pesquisa.

De acordo com a dissertação de mestrado da geógrafa Laís Mourão Miguel, apresentada na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), as responsáveis pela adoção desse modelo de negócio inovador de exploração dos recursos naturais são as bioindústrias de cosméticos e de fitoterápicos atuantes na Amazônia.

Laís pesquisou 12 bioindústrias, de diferentes portes, instaladas nas regiões metropolitanas de Manaus e Belém. O trabalho envolveu visitas técnicas e entrevistas com dirigentes e outros representantes das bioindústrias e de centros de pesquisa tecnológica da região.

O objetivo da pesquisa, orientada por Wanderley Messias da Costa, professor do Departamento de Geografia da FFLCH, foi traçar um panorama geral desses dois segmentos industriais, de modo a abordar suas experiências atuais e perspectivas futuras.

“Não foi um estudo quantitativo, mas podemos dizer que a maioria das indústrias analisadas busca a sustentabilidade desde o início da cadeia produtiva, comprando matérias-primas certificadas, seja para desenvolver apenas um insumo ou para chegar ao produto final. Esse foi um dos critérios para a conclusão de que o processo produtivo das bioindústrias da região é sustentável do ponto de vista ambiental”, disse Laís.

“As pequenas indústrias que ainda não trabalham com certificação de matérias-primas estão tentando se adequar a esse sistema de selo verde que garante o uso sustentável da biodiversidade regional. Isso porque as indústrias que ainda não certificam suas matérias-primas têm dificuldade, por exemplo, para exportar seus produtos. O problema ainda são os altos custos para essa adequação”, explicou.

Outro critério utilizado para a afirmação de que as empresas valorizam a sustentabilidade foi o processo de beneficiamento dos produtos naturais. “Essas bioindústrias introduziram novas bases técnicas em suas linhas de produção, de modo a valorizar a inovação tecnológica em seus produtos e processos”, afirmou.

Segundo a pesquisadora, esses empreendimentos podem ser considerados como modalidades produtivas alternativas se comparados aos demais setores ligados à exploração dos recursos naturais amazônicos, como os modelos empregados nas atividades de mineração e da indústria madeireira.

Parceria universidade-empresa
A geógrafa, que teve bolsa de mestrado da FAPESP, também analisou a interação das 12 indústrias com os centros de pesquisa da região e com os pequenos empreendimentos apoiados por programas de incubação de empresas de base tecnológica.

Na perspectiva das atividades produtivas sustentáveis destaca-se, segundo o trabalho, a experiência dos empresários com o Programa Brasileiro de Ecologia Molecular para Uso Sustentável da Biodiversidade da Amazônia (Probem) do Ministério do Meio Ambiente (MMA), que estimulou significativamente o desenvolvimento da cadeia produtiva regional.

“Apesar de já ter sido encerrado, o Probem foi fundamental para alavancar o setor bioindustrial e as redes de pesquisa em bioprospecção. Outra meta do Probem foi a implantação do Centro de Biotecnologia da Amazônia, em Manaus”, disse Laís.

O trabalho aponta ainda uma integração entre o desenvolvimento da bioindústria e as atividades de P&D exercidas pelas principais instituições de pesquisa da Amazônia, no que se refere aos processos de inovação para o aproveitamento do potencial da biodiversidade local.

As instituições que mais participam, segundo o estudo, do esforço de P&D em parceria com a indústria para a geração de tecnologias e bioprodutos a partir dos recursos naturais são o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o Museu Paraense Emilio Goeldi (MPEG) e a Universidade Federal do Pará (UFPA).

“O desenvolvimento de produtos inovadores nas bioindústrias pesquisadas está fortemente vinculado às universidades e instituições de pesquisa locais, além das indústrias também manterem parcerias com laboratórios de outros estados para análise e agregação de valor a novos produtos”, disse Laís.

“Essas instituições têm prestado apoio especializado na inovação tecnológica de produtos ou processos a um número cada vez maior de empreendimentos da área de biotecnologia na Amazônia. Todas as indústrias analisadas mantinham, durante a coleta dos dados, pelo menos um projeto de pesquisa em parceria com alguma instituição de ensino e pesquisa do país”, destacou.

Segundo o estudo, as matérias-primas da Amazônia analisadas demonstraram viabilidade para o desenvolvimento de um extenso grupo de insumos e produtos, entre os quais medicamentos provenientes de plantas medicinais, produtos de higiene pessoal, perfumaria, insumos e extratos padronizados, produtos alimentícios, enzimas de interesse industrial, corantes e conservantes derivados de plantas, animais e microrganismos.

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

UERJ e OEA firmam parceria para discutir políticas de segurança pública para os Estados Americanos

UERJ e OEA discutem políticas de segurança pública
Numa parceria inédita, o Reitor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Ricardo Vieiralves, e o embaixador brasileiro e secretário de Segurança Multidimensional da Organização dos Estados Americanos (OEA), Alexandre Addor-Neto, definiram os procedimentos do pacto firmado entre ambas as instituições para discutir e propor políticas de segurança pública para os Estados Americanos.

A primeira ação da Universidade na OEA já está agendada. No dias 6 e 7 de agosto, a Universidade estará presente no encontro da sociedade civil na Guatemala. O encontro faz parte da prévia de discussões que antecederá a 1ª Reunião de Ministros de Segurança Pública, representada pelo professor e pesquisador Jorge da Silva. Essa é a primeira vez que ministros encarregados da segurança pública se reúnem para tratar sobre os problemas de segurança dos países membros da OEA.

O embaixador ressaltou que o objetivo é aproximar a UERJ e a OEA para que haja uma contribuição do componente intelectual da Universidade nas políticas públicas do continente. Atualmente, a Organização dos Estados Americanos tem um orçamento de US$ 150 milhões, sendo que deste montante, US$ 70 milhões são destinados a financiamentos de projetos. “Não podemos pensar em políticas públicas para a resolução dos problemas do Hemisfério Sul sem a presença do Brasil, afirma o embaixador.

Para o Reitor, com essa parceria, a UERJ inicia os trabalhos de formação de redes específicas para participação de projetos. “Nós vamos criar redes permanentes entre os setores da Universidade para que estejam sintonizados com as questões de políticas públicas”, enfatiza Ricardo Vieiralves.

Fonte: Mônica Sousa / UERJ

Brasil joga fora 64% do alimento que planta, afirma estudo da FAO

Relatório da FAO aponta que até 70 mil toneladas de alimentos plantados por ano no país são jogadas no lixo. Agência alerta que comida desperdiçada poderia ajudar a combater fome na América Latina, problema que afeta 62 milhões de pessoas.

Grande parte da comida produzida na América Latina é desperdiçada entre o produtor e o consumidor, adverte a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Em um novo relatório, a FAO salientou que na região, cerca de 62 milhões de pessoas passam fome e 9 milhões de crianças sofrem com desnutrição crônica.

Uma grande quantidade de resíduos alimentares é gerada pela falta de sensibilidade dos consumidores, diz Andrew Pascoe, porta voz da “América sem Fome”, iniciativa da FAO na região, e um dos autores deste relatório.

“Em países como o Brasil, por exemplo, quase 64 por cento do que é plantado termina no lixo. E que atinge, segundo os dados que temos, até 70.000 toneladas de alimentos em cada ano, que poderiam ser explorados de outra forma e acabam desperdiçados. O México, de acordo com a Associação Mexicana Food Banks, perdeu 23.000 toneladas de alimentos, quando têm 19 milhões de mexicanos, numa situação de grave insegurança alimentar, que é extremamente grave “, disse Andrew Pascoe.

Pascoe explicou que muitos consumidores compram mais do que consomem. Além disso, o excesso de consumo tem desencorajado a rápida reciclagem de alimentos.(Com informações do Boletim Diário ONU-Brasil nº 289)

Veja o estudo completo no site

Para conocer este documento viste la siguinte dirección de Internet:
www.rlc.fao.org/iniciativa/pdf/nim1.pdf


Fonte: EcoDebate

2º Encontro Nacional de Pesquisa em Educação do Campo

Pesquisadores abordam desafios e soluções da Educação no Campo
Os desafios enfrentados na educação no campo serão debatidos no II Encontro Nacional de Pesquisa em Educação do Campo e no II Seminário sobre Educação Superior e Políticas para o Desenvolvimento do Campo Brasileiro, que começam nesta quarta-feira, dia 6 de agosto.

Até a sexta-feira, 8, pesquisadores, educadores, representantes de órgãos públicos e de movimentos sociais vão divulgar experiências concretas, em andamento ou concluídas, sobre a educação no campo.

A abertura será às 9h, com a presença do secretário de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade do Ministério da Educação, André Luiz Figueiredo Lázaro, e do reitor pro tempore da UnB, Roberto Aguiar. O acesso é exclusivo a quem vai apresentar pesquisas e se inscreveu previamente, mas as noites culturais e a mostra de vídeo serão abertas ao público. Veja a programação em www.encontroobservatorio.unb.br.

Maiores informações pelos telefones 3340 6760 ou 3307 2604 ou pelo site www.encontroobservatorio.unb.br.

Fonte: UnB

Partidos políticos brasileiros se deslocam continuamente para a direita

Transição ideológica
A cada ano, desde 1990, o norte-americano Timothy Power, do Centro de Estudos Brasileiros da Universidade de Oxford, na Inglaterra, envia religiosamente um questionário a todos os congressistas brasileiros. A partir das opiniões dos parlamentares que se dispuseram a responder (cerca de 20%, no último ano), o pesquisador traçou um panorama sobre a percepção da ideologia dos partidos políticos.

O trabalho foi encerrado no ano passado e apresentado pela primeira vez no Brasil na última quinta-feira (30/7), durante o 6º Encontro da Sociedade Brasileira de Ciência Política, na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Power, que é autor de diversos livros sobre política brasileira e foi presidente da Associação de Estudos Brasileiros (Brasa), sediada nos Estados Unidos, detectou uma convergência ideológica dos partidos políticos, com as siglas de esquerda se alinhando às posições de centro e de direita.

Esse movimento, segundo ele, foi particularmente notório em 1995, quando o PSDB assumiu o poder federal, e em 2003, quando foi a vez de o PT subir a rampa do Palácio do Planalto.

“Quando esses partidos assumiram o poder, imediatamente suas reputações ideológicas se deslocaram para a direita”, observou Power. Cabe dizer que, nessa questão, os parlamentares não puderam opinar a respeito do próprio partido.

Enquanto PSDB e PT se afastaram da esquerda, na percepção dos parlamentares, o PFL (atual DEM), que nunca assumiu diretamente o governo federal, teve sempre os mesmos índices de percepção, com a maioria dos entrevistados o relacionando com a direita. Outro ponto identificado pelo pesquisador foi a semelhança ideológica entre PSDB e PMDB: ambos tiveram índices próximos, que os situaram como partidos de centro-direita.

A evolução da percepção ideológica dos partidos brasileiros ao longo de quase duas décadas foi registrada em gráficos. No início da década de 1990, o PT se encontrava praticamente isolado na esquerda nacional. Com o passar do tempo, ele foi se deslocando para o centro, com o topo da trajetória sendo atingido em 2003, no primeiro ano do governo de Luiz Inácio Lula da Silva.

Forças Armadas
A composição do congresso entre liberais e socialistas também fez parte do trabalho de Power, que observou uma hegemonia de congressistas liberais no ano de 1997, durante o governo Fernando Henrique Cardoso, considerado por ele a época de ouro do liberalismo.

Apesar de ser menor nos dias de hoje, a presença do pensamento liberal é verificada em novos nichos. “Em 2005, encontrei seis parlamentares do PT que disseram que o Estado não deveria ter papel algum na economia. Isso era algo impensável há 20 anos”, disse.

Os congressistas também foram questionados sobre o papel das Forças Armadas e sobre o regime militar. Atualmente, só 20% apóiam a idéia de que o ministro da Defesa deva ser um militar, enquanto na época do governo de Itamar Franco, em 1993, esse índice era próximo de 70%.

Apenas metade do Congresso Nacional considera legítima a intervenção das Forças Armadas para manter a ordem, como prevê a Constituição Federal. Ao todo, Power usou cinco perguntas para criar o que chamou de “índice de nostalgia do governo militar”.

O pesquisador norte-americano detectou que a nostalgia vem caindo entre os congressistas ao longo do tempo, notoriamente no PFL, que apresentava os maiores índices nos anos 1990.

Ao ser questionado sobre o porquê do movimento de convergência se dar sempre para a direita, Power disse que “a direita não precisaria mudar, porque já pratica as políticas que os mercados querem”.

Democracia latino-americana
A mesa-redonda no 6º Encontro da Sociedade Brasileira de Ciência Política contou ainda com a participação do embaixador do Chile na Argentina, Luis Maira, que traçou mudanças no conceito de democracia no continente nos últimos 50 anos.

Maira destacou alterações que qualificou como “assombrosas” na democracia desde a década de 1960, época em que foi usada como ferramenta tática para tentar chegar ao poder. Nos anos 1970, ela praticamente desapareceu do continente sul-americano: apenas Colômbia e Venezuela mantiveram governos civis e democráticos.

A abertura política nos anos 1980 levou, segundo Maira, à instalação de governos neoliberais que provocaram o aumento da pobreza e a conseqüente crítica da sociedade em relação aos regimes democráticos. No novo século, o atentado terrorista de 2001 aos Estados Unidos teria mudado radicalmente o panorama do continente.

Segundo Maira, os países da América do Norte aderiram a uma política mais ligada à segurança. As demais nações americanas, como não ofereciam riscos, acabaram se distanciando dessa política e ganhando um grau de autonomia jamais visto.

“Quanto tempo demoraria, na década de 1970, para os Estados Unidos derrubarem um chefe de estado como Hugo Chávez, que chamou o presidente norte-americano de demônio? Naquela época eles invadiam países por muito menos”, disse o diplomata chileno.

Fonte: Fábio Reynol / Agência FAPESP

Vaga na Engenharia da USP em São Carlos

A Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da Universidade de São Paulo (USP) tem vaga aberta para um professor titular no Departamento de Engenharia Elétrica. As inscrições poderão ser feitas até o dia 24 de novembro.


O docente selecionado trabalhará em Regime de Dedicação Integral à Docência e à Pesquisa e terá remuneração de R$ 9.092,35 mensais.

O programa da seleção será elaborado com base nas disciplinas Análise de Máquinas de Corrente Alternada, Fluxo de Potência Ótimo, Controle H-infinito, Sistemas Inteligentes, Processamento de Vídeo Digital: Técnicas e Arquiteturas, Fundamentos Físicos dos Processos de Formação de Imagens Médicas, Sistemas de Comunicações Ópticas e Óptica de Fourier.

Os candidatos deverão apresentar memorial circunstanciado comprovando trabalhos publicados, atividades realizadas pertinentes ao concurso e as demais informações que permitam avaliação de seus méritos.

O título de livre-docente é exigido. A seleção consistirá ainda de prova pública oral de erudição, prova pública de argüição e julgamento dos títulos.

Mais informações: www.usp.br/drh/novo/recsel/eescconc722008.html

Fonte: Agência FAPESP

9ª ENANCIB

A IX ENANCIB, que ocorrerá entre os dias 08/09 a 01/10 no Senac Santo Amaro, São Paulo e terá como tema "Diversidade Cultural e Políticas de Informação".

A IX ENANCIB é uma realização do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da ECA USP.

Maiores informações pelo site: www.enancib2008.com.br

PROGRAMAÇÃO
28 de setembro (Domingo)
Local: Auditório do Museu de Arte Contemporânea - MAC/USP.
14h00-18h00 Atividades Culturais
19h00-19h30 Cerimônia de Abertura
Representantes das Pró-Reitorias de Pesquisa e de Pós-Graduação da USP
Prof. Dr. Luis Augusto Milanesi, Diretor da ECA/USP
Profa. Dra. Marisa Bräsher, Presidente da ANCIB
Profa. Dra. Marilda Lopes Ginez de Lara, Presidente do IX ENANCIB
Jeanne dos Reis Passos, Centro Universitário SENAC
19h30-21h00 Conferência de Abertura:
“Diversidade Cultura e Políticas de Informação”
Miguel Angel Réndon Rojas, UNAM
21h00 Audição musical e coquetel de confraternização

29 de setembro (Segunda-feira)
Local: Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro
08h00-10h00 Credenciamento
10h00-19h00 Exposição permanente de pôsteres
10h00-13h00 Apresentação de trabalhos dos GTs
15h00-17h00 Apresentação de trabalhos dos GTs
17h15-19h00 Apresentação de trabalhos dos GTs
19h00 Lançamentos de livros
19h30
- Reuniões dos Coordenadores de GTs e do Fórum de Coordenadores de PPGCIs
- Reunião dos estudantes de pós-graduação em Ciência da Informação
30 de setembro (Terça-feira)
Local: Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro
10h00-19h00 Exposição permanente de pôsteres
10h00-13h00 Apresentação de trabalhos dos GTs
15h00-17h00 Apresentação de trabalhos dos GTs
17h15-19h00 Apresentação de trabalhos dos GTs
19h30 Coquetel de confraternização

01 de outubro (Quarta-feira)
Local: Centro Universitário Senac – Campus Santo Amaro
10h00-12h30 Mesa Redonda "Diversidade Cultural e Multiculturalismo Informacional"
Moderador: Profa. Dra. Maria de Fátima G. M Tálamo, USP
Debatedores:
Prof. Dr. Aldo de Albuquerque Barreto (IBICT)
Profa. Dra. Olga Pombo (Universidade de Lisboa)
14h00-14h30 Entrega do Prêmio ENANCIB de Dissertações e Teses de 2007
14h30-15h15 Relatos dos Coordenadores de GTs
15h15-16h00 Relato Geral do Evento
16h00-19h00 Assembléia Geral da ANCIB

SERVIÇO:
IX ENANCIB
28/09 a 01/10
Tema: Diversidade Cultural e Políticas de Informação
Realização: Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da ECA USP - site: www.enancib2008.com.br
Local do Encontro: Senac Santo Amaro - Rua Dr. Antônio Bento, 393 - Santo Amaro
São Paulo - SP CEP 04750-000

Fonte: InovaBrasil

7º Japan-Brazil Symposium on Dust Processing - Energy - Environment in Metallurgical Industries

A Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e a Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio de Janeiro promovem o 7º Japan-Brazil Symposium on Dust Processing - Energy - Environment in Metallurgical Industries e o 1º International Seminar on Self-Reducing and Cold Bonded Agglomeration.

Os eventos serão realizados em São Paulo entre os dias 8 e 10 de setembro, com a participação de pesquisadores da USP, da PUC-RJ, das universidades de Hokkaido, de Tohoku, de Kyushu, de Nagoya e de Osaka, do Instituto de Tecnologia de Tóquio, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, da Universidade Federal Fluminense, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e da Universidade Federal de Ouro Preto.

Alguns dos temas em debate: “View points and possibility for innovation of blast furnace ironmaking”, “Reduction and gasification behavior of the composite of coal and iron ores containing different concentration of combined water”, “Reaction behavior of single slurry droplet of zinc concentrate in high temperature gas flow” e “Influence of residual volatile matter on reduction of iron oxide in carbon composite pellets”.

Mais informações pelo site da ABM.

Fonte: Agência FAPESP

A Constitucionalidade do Casamento Homossexual

Autor aborda casamento homossexual
A união entre pessoas do mesmo sexo é o tema do livro A Constitucionalidade do Casamento Homossexual, do mestre em Direito pela UnB Jorge Luiz Ribeiro de Medeiros.

A publicação será lançada em Brasília nesta quarta-feira, 6 de agosto, às 19h no Restaurante Carpe Diem da 104 sul.

O autor aborda, em seu livro, o tratamento jurídico concedido na área de família aos relacionamentos afetivos homossexuais com base nos princípios constitucionais de liberdade e igualdade.

A publicação, de 152 páginas, é da editora LTr e está sendo vendida ao preço médio de R$ 30,00. Maiores informações pelo telefone 3325 5301.

Fonte: UnB

Simpósio: 100 anos de Imigração Japonesa

O Simpósio 100 anos de Imigração Japonesa será realizado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) nos dias 13 e 14 de agosto.

O objetivo do evento é reunir pesquisadores especialistas em imigração japonesa, comunidade nikkei, cultura japonesa e fenômeno dekassegui para uma série de debates. A organização é do Laboratório de Estudos Migratórios (LEM) da UFSCar.

O programa prevê cinco mesas-redondas com a proposta de divulgar as pesquisas recentes sobre o tema e mostrar as reflexões e perspectivas dos estudos que envolvem o Brasil e o Japão. Os debates serão no Teatro Universitário Florestan Fernandes, no primeiro dia, e no Anfiteatro Bento Prado Júnior, no segundo dia.

O simpósio contará também com eventos culturais para demonstrar as formas de expressão da cultura japonesa, como a tradicional arte japonesa de esgrima dos antigos samurais, que será apresentada pela Associação São Carlos de Kendo (ASCK).

A realização conta com o apoio dos programas de pós-graduação em Ciências Sociais, Antropologia Social e Ciência Política da UFSCar e da Coordenadoria de Eventos Culturais (CEC) da Pró-Reitoria de Extensão (ProEx) da Universidade

Mais informações: www.ufscar.br

Fonte: Agência FAPESP