sexta-feira, 20 de junho de 2008

Direct Detection of Kaluza-Klein Particles in Neutrino Telescopes

Direct detection of supersymmetric particles in neutrino telescopes

Teraeletronvolts GZK cutoff distortion due to the energy error distribution shape

Modelos em expansão
Estudos realizados por cientistas brasileiros estão mostrando que algumas partículas exóticas, previstas por modelos que fogem do padrão da física de partículas, podem ser detectadas por telescópios de neutrinos.

As descobertas são fruto de um projeto de pesquisas coordenado pela professora Ivone Albuquerque, do Instituto de Física da Universidade de São Paulo (USP). O mais recente trabalho relacionado ao projeto, que teve apoio da FAPESP na modalidade Auxílio a Pesquisa, acaba de ser publicado na revista Physical Review D.

No artigo, o grupo, que também incluiu pesquisadores das universidades de Maryland e do Arizona, nos Estados Unidos, revelou que as partículas previstas pela teoria Kaluza-Klein – um modelo que procura unificar as forças fundamentais da gravitação e eletromagnetismo – podem ser detectadas por telescópios de neutrinos.

De acordo com Ivone, a física de partículas tem à disposição um modelo padrão que descreveu com sucesso todos os achados experimentais e confirmou todas as previsões teóricas, representando com fidelidade o que acontece na natureza. Mas isso ocorre apenas até uma certa ordem de energia.

“É esperado, por vários motivos teóricos, que esses modelos não funcionem mais na escala dos trilhões de elétrons-volts. Uma das questões importantes na área de física de partículas é que o modelo padrão precisa ser estendido a essa escala de energia. Por isso, interessa o estudo das partículas que fogem do padrão”, disse Ivone.

Segundo a pesquisadora, esse tipo de partícula exótica será estudado no Large Hadron Collider (LHC), o maior acelerador de partículas do mundo, que funcionará na ordem de energia dos trilhões de elétrons-volts. O LHC está instalado em um túnel de 27 quilômetros no Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern), próximo a Genebra, na fronteira entre França e Suíça.

“A importância de poder dispor do telescópio de neutrinos também para essas pesquisas é que há uma complementaridade: se elas forem encontradas no telescópio de neutrinos, mas não no LHC, por exemplo, conseguiremos uma região de quebra de supersimetria, que é importante por se tratar de uma região que determina a massa das partículas supersimétricas”, afirmou.

Segundo Ivone, os cientistas ainda estão buscando o modelo ideal para expandir o modelo padrão. Dos vários modelos propostos até agora, um dos mais populares é o de supersimetria. “Há outros, como os de extradimensões universais. Uma das questões fundamentais da área é verificar qual deles se insere na natureza com mais pertinência”, disse.

Com a definição de novos modelos, segundo ela, os fenômenos de altíssimas energias serão mais bem descritos, com uma melhor representação da dinâmica da natureza em escalas de altas energias. “Além de levar a uma expansão do conhecimento, isso deverá nos aproximar de uma unificação entre as forças da natureza: a eletrofraca, a forte e a gravitacional”, afirmou.

Origem das novas partículas
O modelo padrão já dava conta da descrição dos neutrinos, segundo Ivone. Mas o projeto demonstrou que essas partículas, que vêm de fora da galáxia com uma imensa energia, interagindo apenas fracamente com a Terra, podem produzir partículas exóticas ainda pouco conhecidas.

“O trabalho sobre detecção de partículas Kaluza-Klein com telescópios de neutrinos mostrou, pela primeira vez, que é possível detectá-las em telescópios desse tipo”, disse a professora. O mesmo foi feito em um artigo anterior, publicado também na Physical Rewiew D, sobre a detecção de partículas supersimétricas.

“Basicamente, mostramos que as partículas previstas por modelos supersimétricos, que prevêem as partículas de Kaluza-Klein, ao atravessar a Terra perdem muito menos energia do que as partículas usuais. Por outro lado, mostramos que elas podem ser produzidas por neutrinos, propagando-se pela Terra em uma distância muito maior do que os léptons normais."

Léptons são partículas elementares que atuam nas interações fracas e eletromagnéticas e que consistem em elétron, múon e tau, bem como nos três tipos de neutrinos associados e nas antipartículas correspondentes.

O volume de produção dessas partículas é muito maior dentro da Terra do que o de léptons normais e isso compensa o fato de que o número de partículas produzidas é mais baixo do que o desses léptons.

“A chave do trabalho foi perceber que a perda de energia pequena compensa a produção baixa de partículas. Mostramos que esses telescópios de neutrinos vão detectar com número razoável tanto as partículas supersimétricas como as partículas de Kaluza-Klein”, declarou.

Outro resultado do projeto foi uma publicação na revista Astroparticle Physics Journal, em 2006, na área de raios cósmicos de altíssimas energia. Em co-autoria com George Smoot, do Laboratório de Ciências Espaciais da Universidade de Berkeley, nos Estados Unidos, a pesquisadora verificou até que ponto erros na medida de energia de telescópios de fluorescência distorcem o espectro medido da energia dos raios cósmicos

“Fizemos toda uma simulação para constatar se observatórios de raios cósmicos de altíssima energia, como o Pierre Auger, são capazes de detectar partículas que não são as usuais, mas que são previstas por modelos de extensão ao modelo padrão”, apontou.

O projeto teve como objetivo fundamental estudar a propagação de raios cósmicos de altas energias por meio de simulações – o que exigiu a aquisição de um aparato computacional adequado.

“O processo de propagação de raios cósmicos pelo fundo de microondas cósmico não é, em si, uma novidade, mas é uma ferramenta básica para os estudos de raios cósmicos quando eles entram na atmosfera”, explicou Ivone.

Segundo ela, os computadores permitiram fazer as simulações desse processo. “Com essa ferramenta procuramos verificar uma possível componente dos raios cósmicos que não são as partículas já conhecidas, mas as que são apenas previstas pelos modelos de extensão ao modelo padrão. O projeto nos deu ferramentas computacionais para estudar esses processos de propagação e também para fazer estimativas de como medir partículas supersimétricas em telescópios de neutrinos”, disse.

Para ler o artigo Direct detection of Kaluza-Klein particles in neutrino telescopes, de Ivone Albuquerque e outros, publicado na Physical Review D, clique aqui.

Para ler o artigo Direct detection of supersymmetric particles in neutrino telescopes, de Ivone Albuquerque e Gustavo Burdman, publicado na Physical Review D, clique aqui.

Para ler o artigo Teraeletronvolts GZK cutoff distortion due to the energy error distribution shape, de Ivone Albuquerque e George Smoot, publicado na Astroparticle Physics Journal, clique aqui .

Fonte: Fábio de Castro / Agência FAPESP

Capes publica aumento das bolsas de mestrado e doutorado

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação (Capes-MEC) publicou, na edição do dia (19) do Diário Oficial da União, a portaria nº 80 de 16 de junho de 2008. A medida define o reajuste de bolsas de mestrado e doutorado em cerca de 30%.

As novas bolsas - R$ 1,2 mil para mestrado e R$ 1,8 mil - para doutorado, estão valendo desde o dia 1º de junho, ou seja, os novos valores serão recebidos pelos bolsistas a partir de julho. Na semana passada, o CNPq publicou portaria semelhante reajustando os valores das bolsas, que será o mesmo para as duas instituições. Alguns Estados têm acompanhado o reajuste e equiparam os valores aos das agências de fomentos federais, como é o caso do Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Estados como o Amazonas e São Paulo praticam valores de bolsas maiores do que os concedidos pela Capes e CNPq. No Amazonas, por exemplo, as bolsas de mestrado podem variar de R$ 1,3 mil a R$ 1,7 mil. Já as bolsas de doutorado ficam em torno de R$ 2 mil a R$ 2,6 mil.

Fonte: Gestão CT

Finep modifica contrapartidas de edital de subvenção

A Diretoria Executiva da Finep, divulgou ontem (19), a decisão de reconhecer como despesas de contrapartida em projetos de Subvenção Econômica à inovação aquelas realizadas a partir da data de divulgação dos resultados do edital no site da financiadora.

Segundo informações da Finep, a decisão vale para o edital do programa de Subvenção que está aberto e para os projetos já contratados. Este ano, a seleção pública MCT/Finep/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação – 01/2008 vai investir R$ 450 milhões em iniciativas inovadoras. As empresas de qualquer porte podem ser candidatar aos recursos não-reembolsáveis até o dia 30 de junho. Os projetos deverão ter um valor mínimo de R$ 1 milhão.

Confira os detalhes do edital neste link.

Fonte: Gestão CT

Iberoamerican Workshop on Hydrogen and Fuel Cell


O evento Iberoamerican Workshop on Hydrogen and Fuel Cell, sobre células a combustível e hidrogênio será realizado em dezembro, em Ubatuba, São Paulo.

Nesse encontro acontecerá uma reunião extraordinária da Red Iberoamericana de Pilas a Combustible e Hidrógeno, assim como uma série de palestras de convidados integrantes da RIPCH.

Esse evento integrará uma série de eventos que serão realizados em conjunto pela Universidade de Taubaté, Universidade Estadual Paulista (campus Guaratinguetá), Universidade Federal de Itajubá, San Diego State University (USA) e Università degli Studi di Perugia (Itália), quais sejam UNINDU, UNEM e Fórum sobre Matriz Energética Brasileira e Mundial.

Outras informações pelos sites: www.feg.unesp.br/iwhfc/ e www.unindu.org.

The Workshop entitled Iberoamerican Workshop on Hydrogen and Fuel Cell will be performed in December 7th - 10th, 2008 in the City of Ubatuba, Brazil.

This Workshop has as objective to increase the interaction among researchers of fuel cells and hydrogen production chains, and among interest people to install these technologies in any sectors of production in Latin America and Iberian countries. However this Workshop is able to designers of fuel cells, academia members, researchers, postgraduate students, and members of industries which design, commercialize and utilize fuel cells and accessories, emphasizing applications and practical experiences.

This workshop has also as an objective to show various researches performed by several research groups of the Iberoamerican countries, with exchange experiences, discussion of technical and scientific notes to promote the fuel cell chain with their clean and sustainable energy generation devices in the cited regions' market. This workshop is organizing in association with 3rd International Congress University Industry Cooperation and Iberoamerican Fuel Cell and Hydrogen Network (Red Iberoamericana de Pilas a Combustible e Hidrógeno


Fonte: Prof. Dr. Wendell de Queiróz Lamas

Desamparo

Desamparo contemporâneo
Problematizar a noção metapsicológica do desamparo (hilflosigkeit, em alemão) em Sigmund Freud (1856-1939), a fim de obter subsídios para melhor compreensão das manifestações clínicas atuais, bem como dos efeitos do mal-estar que marca, na contemporaneidade, a relação dos sujeitos com a cultura.

Essa é proposta geral do livro Desamparo, da psicanalista Lucianne Sant’Anna de Menezes, lançado nesta quarta-feira (18/6), na Livraria Casa do Psicólogo, em São Paulo. O livro é o segundo a ser publicado com base em trabalho de mestrado defendido no Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP) e nas reflexões teóricas durante o exercício clínico da autora.

O primeiro livro foi Pânico: efeito do desamparo na contemporaneidade. Um estudo psicanalítico, lançado em 2006 com apoio da FAPESP na modalidade Auxílio a Publicação.

A nova obra se caracteriza como uma releitura que aborda o tema do desamparo em sua origem, desde o nascimento do indivíduo, tratando questões como o ideal de ego e superego, passando pela discussão da origem da ética e da moral social. Para isso, a autora trafega por diversas obras de Freud em busca de referências que possam remeter à tragédia do desamparo.

“O livro promove reflexões sobre temas fundamentais da metapsicologia freudiana e da clínica atual. São inquietações a respeito de uma situação emocional marcante em vários analisantes, tanto em homens como em mulheres. De uma maneira geral, são abordados temas da clínica psicanalítica contemporânea, como o desamparo terrífico, que é um efeito da experiência de impotência ou desamparo elevada a um ponto radical”, explicou a autora.

Lucianne explica que a hilflosigkeit freudiana expressa a dimensão fundamental e insuperável sobre a qual repousa a vida humana: a condição de existência do sujeito nas civilizações é apoiada em uma condição de desamparo do psiquismo. “Construímos a civilização em uma tentativa de diminuir nossa hilflosigkeit diante das forças da natureza, dos enigmas da vida e sobretudo da própria morte”, destacou.

Sob esse prisma, continua a autora, que atualmente desenvolve doutorado também tendo no tema do desamparo um dos pilares fundamentais, a clínica psicanalítica implica um trabalho com o sujeito em face de seu desamparo, do exercício de reinventar para si novos destinos para seu desamparo e, assim, tornar sua existência possível.

“Possibilitar ao sujeito conviver com sua hilflosigkeit faz com que ele possa procurar destinos criativos para o desamparo. Essa é a direção da cura na clínica psicanalítica e, ao mesmo tempo, um dos maiores impasses no exercício de psicanalizar, principalmente na atualidade, tendo em vista que o sujeito contemporâneo, ao vivenciar uma subjetividade que privilegia processos psíquicos narcísicos, acaba por evitar o confronto com o desamparo”, aponta Lucianne.

Segundo ela, frente a sua situação de desamparo, o sujeito contemporâneo tece arranjos e negociações subjetivas que podem privilegiar três elementos: o masoquismo, a servidão e a violência. O livro lança a hipótese de que na experiência do desamparo terrífico estaria em jogo o masoquismo como figura da servidão.

“Nesse ponto de vista, o masoquismo seria uma modalidade subjetiva em que o sujeito se submete de modo servil a um outro, como forma de se proteger do desamparo terrífico. O que vem em primeiro plano não é o gozo com a dor, mas a posição de humilhação na relação com o outro. A dor é uma conseqüência da posição servil e submissa diante do outro e não um objetivo a ser alcançado. O objetivo, na verdade, é se proteger do desamparo”, disse Lucianne.

O livro Desamparo integra a coleção Clínica Psicanalítica, da editora Casa do Psicólogo, cujas obras tratam das mais diversas formas de manifestações do sofrimento psíquico, integrando aos elementos teóricos freudianos as questões da clínica contemporânea.

Veja o texto anterior. Pânico: efeito do desamparo na contemporaneidade, no site

Mais informações: (11) 3034-3600

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

Impacto de anabolizantes na tireóide

O uso indiscriminado de esteróides anabolizantes pode ser relacionado a uma extensa lista de efeitos colaterais. Apesar de já existir uma série de estudos indicando conseqüências como infertilidade, insuficiência renal e até alguns tipos de câncer, pesquisadores continuam a investigar outros possíveis sistemas afetados pela administração dessas substâncias. Esse recorrente costume entre atletas e não-atletas motivou o grupo do qual faz parte Denise Pires de Carvalho, pesquisadora do Laboratório de Fisiologia Endócrina do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho (IBCCF) a estudar o impacto dessas drogas na glândula tireóide, responsável pela produção de importantes hormônios. A pesquisa foi tema da tese de doutorado de Rodrigo Soares Fortunato, apresentada esse ano, sob orientação de Denise Carvalho.

De acordo com os principais autores, os esteróides anabólico-androgênicos (EAA) são hormônios sexuais masculinos, como os derivados da testosterona. Em condições normais, são responsáveis por manter as características sexuais associadas ao sexo masculino. Normalmente, os efeitos dos EAA são divididos em androgênicos e anabólicos. Os primeiros estão relacionados às características sexuais: aumento de libido e desenvolvimento da genitália, são alguns deles. Os efeitos desejados relacionam-se principalmente aos anabólicos: aumento da massa muscular e diminuição da gordura corporal são os principais.

Denise Carvalho afirma que a função tireoidiana é fundamental para a manutenção do metabolismo. “A glândula tireóide é responsável pela síntese dos hormônios T3 e T4, que interferem em diversos aspectos do funcionamento do organismo, como a capacidade intelectual. Os hipotireóideos, indivíduos que têm diminuição de hormônio tireoidiano, apresentam lentidão de pensamento, além de possibilidade de depressão. Podem apresentar também intolerância ao frio, por causa do metabolismo diminuído”, explica a professora. O excesso da produção hormonal também causa efeitos indesejáveis, como agitação, intolerância ao calor e perda de peso.

A pesquisa
" Há vários efeitos colaterais do uso de esteróides anabolizantes, mas sobre a função tireoidiana, havia poucos estudos ", explica a professora. De acordo com ela, além de raros, esses estudos são baseados em experiências com humanos, o que permite que certos fatores possam interferir no resultado da pesquisa. “Resolvemos fazer estudos em modelos animais, para excluir todos os outros possíveis interferentes, como uso de outras drogas concomitantes, as diferentes populações e diferentes idades”, justifica a pesquisadora.

Depois de serem submetidos durante oito semanas a doses de 10 mg/kg de peso corporal de decanoato de nandrolona (DECA), um dos anabolizantes mais utilizados, os ratos apresentaram diminuição dos níveis de hormônio tireoidiano, além do aumento das dimensões da própria glândula. “O que o anabolizante promove é a redução da função tireoidiana, diminuindo a produção de T3 e T4. Então, os indivíduos que fazem uso crônico dessas substâncias estão sujeitos a efeitos semelhantes aos causados pelo hipotireoidismo”, esclarece a professora.

Apesar da diminuição da função tireoidiana, a pesquisadora afirma que não foram observados quadros clinicamente graves nos modelos animais. “Ocorreu o que costuma acontecer em seres humanos. Houve atrofia testicular, o que podemos relacionar com a esterilidade descrita como efeito colateral do uso prolongado em humanos”, relata Carvalho. Segundo ela, esse efeito está relacionado à deficiência da função da hipófise, também prejudicada pelo uso crônico das substâncias.

Além de avaliar o funcionamento da tireóide, a observação dos ratos possibilitou apontar outras características dos efeitos dos esteróides. Por exemplo, a suposta diminuição da gordura corporal propiciada pelas drogas foi contestada pela análise do modelo animal. “Foi observado, nos animais, certa diminuição da gordura abdominal e nada mais. Não sabemos se o anabolizante é capaz de diminuir a gordura corporal ou se ele somente a redistribui: retira a gordura de um lugar e deposita em outro”, especula Denise Carvalho.

O impacto sobre o coração também foi estudado nos animais. “Em outro estudo do grupo, mostramos que ratos treinados que fazem uso de anabolizantes perdem o benefício do treinamento sobre o sistema cardiovascular. O infarto, nesses ratos, fica mais extenso, mostrando o efeito maléfico, também, sobre o coração”, afirma a professora. Ela não descarta uma possível relação entre os efeitos no coração e a função da tireóide, mas ressalta que o assunto deve ser mais estudado.

Para Denise Carvalho, a pesquisa reforça o perigo do uso dessas drogas. Segundo ela, não há um limite saudável para o uso de anabolizantes. “Na verdade, essas substâncias só devem ser usadas para quem tem deficiência de androgênio, em pacientes que não conseguem produzir testosterona. Nesse caso, o uso é feito em caráter de reposição hormonal”, observa a pesquisadora. “Contudo, não há benefício desse uso, a não ser em casos clínicos comprovados. Portanto, a indicação é de que indivíduos saudáveis não usem esse tipo de artifício, em dose nenhuma”, orienta.

Próximos passos
No momento, a pesquisa se prepara para dar o próximo passo: verificar a função tireoidiana em ratos em treinamento. “Essa fase da pesquisa poderia ser relacionada mais diretamente à situação do praticante de exercício físico regular”, explica a professora. O primeiro grupo já está sendo preparado, com colaboração de professores da Escola de Educação Física e Desportos (EEFD).

Fonte: Marcello Henrique Corrêa / UFRJ

ProInfo apresenta dois novos instrumentos

O Portal do Professor e o Banco Internacional de Objetos, apresentados à imprensa pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, são duas novas ferramentas de auxílio ao trabalho do professor e ao processo de formação. Os instrumentos fazem parte do no Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo). A proposta do MEC é inserir os docentes, principalmente os que estão longe dos grandes centros, no ambiente das novas tecnologias.

O portal faz parte da política de informatização das escolas, que prevê a instalação de 25 mil laboratórios de informática, 22 mil escolas com banda larga e a capacitação de cem mil professores ainda este ano. Estão incluídos sugestões de aulas de acordo com o currículo de cada disciplina e recursos como vídeos, fotos, mapas, áudio e textos, que tornam o conteúdo mais dinâmico para o aluno. Nele, o professor poderá preparar a aula, se informar sobre os cursos de capacitação oferecidos em municípios e Estados e no âmbito federal e sobre a legislação específica. Chats, blogs e seminários online vão estimular a comunicação e a interação entre os professores, que contarão com uma série de links de bibliotecas digitais e museus.

O Banco Internacional de Objetos Educacionais permitirá o acesso rápido a vídeos, animações, jogos, textos, áudios e softwares educacionais. No banco, professores terão acesso a conteúdos produzidos pata todos os níveis de ensino. A produção de outros países também estará disponível.

O secretário de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do MCT, Joe Valle, afirmou que o Portal do Professor e o Banco Internacional de Objetos são ferramentas tecnológicas capazes de melhorar a educação brasileira, sobretudo no que diz respeito à área de ciências.

O investimento do portal e do banco foi de R$ 75 milhões, sendo 50% financiados pelo MCT. Segundo o secretário, além do aporte financeiro, o ministério participa da iniciativa fornecendo conteúdos didáticos por meio das agências e das unidades de pesquisas.

Fernando Haddad lembrou que quando o ProInfo foi implementado, era destinado apenas a compra de laboratórios de informática. Entretanto, hoje, se tornou um instrumento de inclusão digital, com a participação de vários ministérios.

Mais informações podem ser obtidas no site www.mct.gov.br

Fonte: Gestão CT

How long does the Atlantic Rain Forest take to recover after a disturbance?

How long does the Atlantic Rain Forest take to recover after a disturbance? Changes in species composition and ecological features during secondary succession

Recuperação da Mata Atlântica leva de séculos a milênios
Espalhada em áreas que vão do Nordeste ao Sul do Brasil, a Mata Atlântica é uma das prioridades no que diz respeito às políticas de conservação, tendo inclusive leis específicas para este fim desde 1993. Se antes cobria boa parte do País, hoje se restringe a apenas 7% da área original, segundo dados estimados pela SOS Mata Atlântica. Mas o que fazer para saber qual a forma ideal de preservá-la? Uma das principais medidas é conhecer melhor as florestas remanescentes. Saber como caminha a resiliência da floresta e, acima de tudo, como garanti-la.

É por este motivo que o trabalho de um grupo de pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR) vem ganhando destaque em publicações internacionais como a revista de divulgação NewScientist que, no último dia 11, publicou a matéria intitulada "How long does it take a rainforest to regenerate?".

O material é baseado na pesquisa do aluno de mestrado em Botânica, Dieter Liebsch, orientado pelos professores Márcia Marques e Renato Goldenberg, do Laboratório de Ecologia Vegetal do Departamento de Botânica da UFPR.

Utilizando dados próprios e também secundários, eles fizeram uma meta-análise gerando modelos matemáticos que permitem estimar o tempo - em anos - que a floresta leva para se recuperar depois de uma interferência humana. Foram analisados dados de 18 florestas do Sul e Sudeste brasileiros, nas quais são registradas mais de 400 espécies de árvores. E os resultados apontaram que, dependendo do parâmetro ecológico utilizado, a floresta se regenera de centenas a milhares de anos, destacando ainda mais a importância da conservação.

METODOLOGIA
"Analisamos quatro diferentes parâmetros de resiliência e vimos que as velocidades de recuperação deles são variáveis", explica Márcia Marques. "Avaliamos: a proporção das espécies que são dispersas pelos animais; a proporção de espécies não pioneiras; a proporção das espécies tolerantes à sombra e, por último, a proporção das espécies endêmicas da Mata Atlântica. Os resultados mostraram que os três primeiros parâmetros levam de 100 a 300 anos para se recuperar, enquanto o quarto pode levar de 1mil a 4mil anos. Ou seja, estamos falando de períodos que variam de centenas a milhares de anos. Cada vez que a floresta sofre um distúrbio, o processo começa novamente. A magnitude do problema é muito maior do que se pensava", alerta.

A professora explica que alguns estudos já feitos por outros pesquisadores abordaram liminarmente o tema, mas a pesquisa da UFPR ganha destaque porque pela primeira vez está sendo utilizado um modelo matemático para calcular o tempo de recuperação das florestas. "Se não prestarmos atenção nestes prazos e continuarmos com os níveis atuais de devastação da Mata Atlântica, no futuro teremos apenas representantes de uma floresta completamente descaracterizada", comenta. "Todas as florestas tropicais estão ameaçadas em algum nível. Mas a Mata Atlântica, que vai do Nordeste ao Sul do Brasil, é aquela onde está concentrada a maior faixa de população do País e, portanto, sofrendo maior pressão. É na área de ocorrência da Mata Atlântica que estão cidades como São Paulo e Rio de Janeiro. Por isso dados como estes que levantamos são tão importantes. Para que se possa, nas instâncias decisórias, planejar melhor a política de conservação do que ainda resta da desta floresta", conclui.

Veja o artigo: How long does the Atlantic Rain Forest take to recover after a disturbance? Changes in species composition and ecological features during secondary succession, no site.

Fonte: UFPR

Fiocruz abre inscrições para evento de arte e cidadania

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição associada à ABIPTI, está com inscrições abertas para o evento Ciência, Arte e Cidadania 2008, que será realizado de 17 a 19 de setembro, no Rio de Janeiro (RJ).

A iniciativa é do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) e do Museu da Vida. Durante o encontro, também acontecerá o Fórum de ex-alunos dos cursos de Ciências e Arte do IOC, e a 4º Olimpíada de Saúde e Meio Ambiente.

Os interessados em participar podem enviar trabalhos em forma de pôsteres até o dia 15 de julho para o e-mail .

A programação conta com mesas redondas, exposição de trabalhos em pôsteres, exibição de vídeos científicos e quadrinhos. O encontro tem como público alvo cientistas, artistas, jornalistas, divulgadores e profissionais da saúde e da educação.

Para mais informações, acesse www.ioc.fiocruz.br/cienciaearte2008.

Fonte: Gestão CT

Olimpíada USP da Inovação

Desafio aos inovadores da USP
A Universidade de São Paulo (USP) lançou no dia 18 a Olimpíada USP da Inovação, cujo objetivo é estimular a comunidade da universidade para a atitude empreendedora de criar projetos de desenvolvimento de tecnologias e processos inovadores em qualquer setor industrial ou de serviços.

Segundo os organizadores, a competição, com o tema “Da idéia ao produto, da academia para o mercado”, será desenvolvida no contexto das diretrizes que a Agência USP de Inovação empreende na geração de spin-offs, na implantação de Incubadoras de Empresas Universitárias e de Parques Tecnológicos no Estado de São Paulo e na aproximação da USP com as empresas, com o objetivo de promover o desenvolvimento socioeconômico do Estado de São Paulo e do país.

A 1ª Olimpíada USP de Inovação reunirá sete competições simultâneas, em cada uma das seguintes áreas de aplicação: Saúde, Biotecnologia, Agronegócio, Tecnologias sociais e ambientais, Tecnologia da informação e da comunicação, Tecnologias e processos industriais e Tecnologias e produtos domésticos.

O prêmio em dinheiro será de R$ 5 mil para os primeiros colocados nas sete categorias. As inscrições devem ser feitas até 5 de setembro. No dia 17 de setembro será divulgada a lista de aprovados na primeira etapa.

“A olimpíada é uma competição cujo objetivo é estimular a comunidade da USP para a atitude empreendedora de criar projetos visando ao desenvolvimento de tecnologias e processos inovadores em qualquer setor empresarial”, disse Oswaldo Massambani, diretor da Agência USP de Inovação.

Segundo José Antonio Lerosa Siqueira, diretor de Empreendedorismo da agência, a competição vem para estimular a comunicação, a integração e a competitividade por meio da criatividade dos alunos.

“Ganha aquele que gerar melhor pesquisa com potencial de transferência para o mercado. É muito mais fácil do que parece, basta trabalhar de forma criativa seu projeto de pesquisa e se inscrever”, apontou.

Segundo Siqueira, a competição será entre planos de produto, sem os capítulos que tratam dos aspectos econômicos e de marketing característicos dos tradicionais planos de negócio. Este é um grande diferencial em relação a outras competições similares, uma vez que foca na técnica e não exige dos participantes conhecimentos profundos de administração e economia.

No entanto, de acordo com o diretor, os planos de produto que competirem na Olimpíada USP de Inovação poderão depois ser complementados, com o apoio de treinamento a ser proporcionado por meio da Agência USP de Inovação, para que possam participar de outra competição de planos de negócio, com a vantagem de já terem o seu produto validado em uma primeira etapa extremamente rigorosa.

Durante o desenrolar da competição – de junho a novembro – a organização disponibilizará cursos de capacitação em empreendedorismo para os professores, funcionários, alunos e pesquisadores agregados em geral, de modo a despertar a ousadia para inovar. Alguns dos cursos serão fornecidos pelo Sebrae-SP e outros aproveitarão cursos oferecidos por docentes da USP.

Mais informações: www.inovacao.usp.br

Fonte: Agência FAPESP

Estados da Amazônia Legal iniciam cadastro de florestas

Quatro Estados da Amazônia Legal já iniciaram o cadastramento das florestas estaduais da região. Acre, Amapá, Amazonas e Pará incluíram no Cadastro Nacional de Florestas Públicas matas estaduais, que totalizam 12,6 milhões de hectares.

O cadastro das florestas deve ser realizado pelos Estados e a ação é acompanhada pelo Ministério do Meio Ambiente. Segundo informações do site AmbienteBrasil, a expectativa é que o cadastro seja concluído no próximo ano.

Os dados recolhidos serão posteriormente divulgados no site do Serviço Florestal Brasileiro com informações sobre tipo de solo da área e as espécies de animais raros que a habitam, por exemplo.

Ainda de acordo com o site AmbienteBrasil, a iniciativa servirá para auxiliar a elaboração do plano anual de outorga florestal.

Cadastro
O Cadastro Nacional de Florestas Públicas é um instrumento de planejamento da gestão florestal que foi instituído em março de 2006. A idéia é reunir dados georreferenciados sobre as florestas públicas brasileiras, de modo a oferecer aos gestores públicos e à população em geral uma base confiável de mapas, imagens e dados com informações relevantes para a gestão florestal. Para mais informações, acesse este link

Fonte: Gestão CT

2º Congresso Brasileiro de Ciência Aeroagrícola e 3º Simpósio Internacional sobre Prevenção e Combate Aéreo a Incêndios em Campos e Florestas

O Aeroporto Tancredo Neves, em Botucatu, será sede, de 23 a 28 de junho, de uma série de eventos para a compreensão dos aspectos sobre a capacitação, formação e informação sobre o uso de aeronaves agrícolas no combate a incêndios.

Entre eles está o 3º Simpósio Internacional sobre Prevenção e Combate Aéreo a Incêndios em Campos e Florestas no Brasil, que terá a participação de profissionais, pesquisadores, empresas, entidades e órgãos governamentais ligados ao tema.

Na ocasião, o 2º Congresso Brasileiro de Ciência Aeroagrícola discutirá temas como tecnologia de aplicação de insumos e defensivos, padronização das aplicações aeroagrícolas, novos mercados para a aplicação aérea, combate aéreo a vetores de doenças e segurança de vôo.

Paralelamente ao congresso, de 26 a 28 de junho, será realizada a Feira Nacional Aeroagrícola (Aeroagro), com exposição de aviões, peças, equipamentos e outros produtos e serviços.

A promoção é da Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais (Fepaf), do Núcleo de Tecnologia Aeroagrícola (NTA) e da Associação Brasileira da Ciência Aeroagrícola.

Mais informações: www.fca.unesp.br

Fonte: Agência FAPESP

FAP-DF recebe propostas para seis novos editais

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), instituição associada à ABIPTI, está recebendo propostas para novos editais que foram lançados nessa semana. A idéia é fomentar iniciativas na área de eventos, de demandas espontâneas e induzidas, além de participação em eventos. Confira a seguir os detalhes de cada um dos editais.

Eventos
O edital 04/08 - Apoio a Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e de Inovação – vai apoiar eventos marcados entre o período de 1º de agosto a 31 de dezembro de 2008. Os interessados em participar podem mandar as propostas até o dia 15 de novembro.

A chamada conta com R$ 1,24 milhão e ainda prevê que até 30% desses recursos vão compor a reserva técnica da FAP-DF para a realização de eventos considerados prioritários pelo governo do Distrito Federal.

O objetivo do edital é apoiar, financeiramente, no todo ou em parte, a realização no Distrito Federal de congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclos de conferências, mesas redondas, exposições, feiras e outros eventos similares, de âmbito local, regional, nacional ou internacional, relacionados a CT&I.

Os eventos de abrangência local ou regional poderão solicitar um valor máximo de R$ 15 mil. Já os eventos de abrangência nacional o valor máximo será de R$ 35 mil e para os internacionais, até R$ 50 mil. A íntegra da chamada está disponível neste link.

Demanda espontânea
O edital FAP-DF nº 05/2008 - Demanda Espontânea – tem como objetivo apoiar atividades de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, mediante o apoio financeiro a projetos, em todas as áreas do conhecimento. As propostas podem ser remetidas até o dia 28 de julho.

A chamada é voltada para pesquisadores ou grupos de pesquisadores vinculados às instituições públicas ou privadas de ensino, ou a institutos e centros de pesquisa e desenvolvimento, públicos ou privados. Os recursos a serem investidos são de R$ 2 milhões e cada proposta poderá pedir um valor máximo de R$ 50 mil. Os projetos deverão ser executados em 24 meses. O edital pode ser conferido neste link.

Cerrado
Até o dia 11 de agosto a fundação recebe propostas para o edital nº 6/2008 - Demanda Induzida Bioma Cerrado: Biotecnologia e Conservação da Biodiversidade. A idéia é apoiar propostas que gerem conhecimento da flora, fauna, dos recursos hídricos e do solo do Cerrado do Distrito Federal, no sentido de desenvolver metodologias que possibilitem a exploração sustentável capaz de gerar produtos inovadores e realizar a recuperação, conservação e manejo do Cerrado.

A chamada prevê nove áreas prioritárias que receberão apoio. São elas: produtos naturais bioativos; microorganismos; monitoramento climático; recuperação, conservação e manejo da biodiversidade do cerrado; ecoturismo no cerrado; desenvolvimento sustentável do cerrado; plantas medicinais; conhecimento da fauna, flora, solos e recursos hídricos do cerrado; gestão ambiental do cerrado.

Cada projeto poderá solicitar um valor máximo de financiamento de R$ 150 mil. Os recursos totais previstos na chamada são de R$ 1,25 milhão. A íntegra do edital está neste link.

Políticas Sociais
O edital nº 07/2008 também será de demanda induzida e pretende apoiar projetos de políticas públicas em ciências humanas e sociais. Os projetos devem ser enviados até o dia 11 de agosto.

O objetivo do edital é apoiar a execução de projetos de pesquisa que contribuam para a eficiência das políticas públicas do Distrito Federal e, assim, para a melhoria de nossos indicadores sócio-econômicos. A fundação vai fomentar projetos nas linhas de segurança pública, habitação, saneamento, transporte, educação, geração de empregos, saúde, ciência e tecnologia e meio ambiente. A chamada conta com R$ 500 mil em recursos e cada proposta poderá solicitar um valor máximo de R$ 50 mil. O edital completo está disponível neste link.

Cooperação
A terceira chamada de demanda induzida (edital nº 08/2008) é voltada para a seleção pública de projetos de cooperação científica interinstitucionais de pesquisa, desenvolvimento e inovação no Distrito Federal. As propostas podem ser enviadas até o dia 11 de agosto. O objetivo do edital é apoiar o desenvolvimento de projetos conjuntos de pesquisa científica, tecnológica e de inovação, por meio do financiamento a atividades que visem a incorporação de grupos de pesquisa em consolidação com aqueles já consolidados.

Entre as áreas consideradas prioritárias na chamada estão: biotecnologia; nanotecnologia; tecnologia da informação e comunicação; ciências da saúde e farmacologia de produtos naturais; biodiversidade e desenvolvimento sustentável.

O valor máximo a ser financiado será de R$ 300 mil. O edital dispõe de R$ 2 milhões para financiar as propostas. A íntegra da chamada pode ser acessada por este link.

Participação em eventos
A FAP-DF também recebe propostas até o dia 15 de novembro para o edital nº 09/2008 - Participação em Eventos Técnico-Científicos Nacionais e Internacionais. A idéia é apoiar a apresentação de trabalhos em eventos de caráter científico ou técnico-científico, no país ou no exterior, de pesquisadores, autores ou co-autores de trabalhos científicos ou tecnológicos, aceitos pela comissão organizadora de eventos a serem realizados de 1º de agosto a 31 de dezembro de 2008. Os recursos são da ordem de R$ 150 mil. O valor máximo a ser financiado por evento nacional é de R$ 2 mil e de internacional é de R$ 5 mil. Confira neste link a íntegra do edital.

Fonte: Gestão CT

6º Física nas Férias e a 4ª Escola Avançada de Física


O Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) promoverá, durante as férias de julho, dois eventos de divulgação científica para estudantes do ensino médio.

São eles o 6º Física nas Férias e a 4ª Escola Avançada de Física, de 14 a 19 de julho. No evento, cujas inscrições estão abertas, os alunos serão divididos em grupos para participar de aulas teóricas e de experimentos sobre problemas propostos pela comissão organizadora, que envolvem conceitos de física moderna não abordados no ensino médio.

Além do contato com esses conceitos, os alunos terão uma introdução à análise e ao tratamento de dados experimentais, utilizando metodologia científica.

Para complementar o evento serão realizadas atividades da SBPC Jovem, evento da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência que ocorrerá em paralelo, possibilitando o contato do aluno com outros estudantes do país.

Mais informações: www.ifi.unicamp.br/osa/fife6

Agência FAPESP

Secretário de Políticas de Desenvolvimento Regional destaca prioridades de sua gestão

Consolidar a Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR) como uma política de Estado e não apenas de governo. Essa é uma das prioridades do novo secretário de Políticas de Desenvolvimento Regional do Ministério da Integração Nacional, Henrique Villa. “A maturação de um processo de retomada do desenvolvimento regional, ou de um processo de desenvolvimento regional qualquer, é uma maturação longa”, afirma o secretário, em entrevista ao Gestão CT.

Outra prioridade, segundo ele, é a discussão do Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional (FNDR), que está inserido no debate da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Reforma Tributária do governo federal (233/08). “É fundamental para o amadurecimento desse processo de resgate da questão regional no Brasil”. O fundo deverá contar com R$ 10 bilhões.

A expectativa do secretário é que a proposta seja amplamente discutida até o final deste ano, para entrar em votação no âmbito da PEC e, até 2010, estar implantada. “Esse é o cronograma que estamos trabalhando para, com esses recursos, efetivamente aplicá-los num processo de redução das desigualdades do Brasil.”

De acordo com o secretário, o FNDR vai englobar, de certa forma, os recursos dos fundos constitucionais de financiamento do Norte (FNO), do Nordeste (FNE) e do Centro-Oeste (FCO), que hoje são destinados apenas para crédito. No ano passado, foram aplicados R$ 7 bilhões.

Apesar de destacar a importância dos fundos, Villa lembra que a verba é destinada, exclusivamente, para crédito ao setor privado. Os recursos dos fundos constitucionais não podem apoiar, por exemplo, uma prefeitura que tenha uma obra de infra-estrutura fundamental para alavancar a sua micro-região. “São recursos eminentemente para crédito e para a iniciativa privada. Por isso que estão sobrando. Hoje, o Brasil tem de sobra recursos dos fundos constitucionais e esses recursos que estão sobrando não podem ser alocados para infra-estrutura”, ressalta.

Infra-estrutura
Em sua avaliação, a questão principal é que o Fundo Nacional de Desenvolvimento Regional vai propiciar ao governo federal e aos atores regionais algo que hoje não está disponível no mercado, que é o recurso para infra-estrutura. “Qualquer processo de redução de desigualdade, qualquer processo de jumping de qualquer território em processo de desenvolvimento regional ele se faz muito a partir da infra-estrutura”, destaca.

Ele cita, como exemplo, o caso da Europa. De acordo com o secretário, a transformação que foi feita em países como a Irlanda, Portugal, Espanha e Grécia foi patrocinada com recursos destinados à infra-estrutura. Ainda segundo Villa, nos últimos 34 anos, o fundo regional europeu, que tem cerca de 3 bilhões de euros por ano, tem aplicado cerca de 70% desse valor na área.

Ele ainda explica que, com o FNDR, vai ser mantida a percentagem de verba voltada para crédito, mas também vai surgir uma margem importante de utilização de recursos para a infra-estrutura, vai ser possível trabalhar com inovação, com a capacitação e reforço institucional e com outras ações que hoje não podem ser desenvolvidas no âmbito dos fundos constitucionais.

Fundos estaduais
O FNDR também viabilizará a implementação dos fundos estaduais. Segundo o secretário, parte dos recursos do fundo nacional poderão ser alocados em fundos estaduais. “Então, por exemplo, vou ter recursos do fundo nacional que podem ser alocados num fundo estadual de desenvolvimento regional do Estado da Paraíba”, explica o secretário. Os fundos estaduais também contarão com uma contrapartida das unidades da Federação. “Cada Estado vai poder criar o seu e receber recursos do fundo nacional a partir da PNDR e de políticas estaduais de desenvolvimento regional, o que também é uma inovação importante”, destaca.

Desafios
O secretário cita dois grandes desafios para a implantação da PNDR. O primeiro é o de mudar o padrão de desenvolvimento regional ou o seu padrão de financiamento. “O desenvolvimento regional no Brasil sempre foi feito de cima para baixo e a partir de grandes projetos”, analisa. De acordo com ele, esse é o padrão clássico de desenvolvimento regional do país.

Villa acredita que os grandes projetos têm espaço e destaca que propostas como a integração das bacias do São Francisco e a Transnordestina são fundamentais, mas que isso não basta para tirar uma região de situação de desigualdade para uma situação de prosperidade. “Você precisa organizar os atores no território e fazer com que esses atores possam ser partícipes do processo de valorização dos territórios. Essa é uma das coisas que a gente defende”, afirma.

Outra questão, em sua opinião, é a qualificação das pessoas e instituições. Para o secretário, não é possível reduzir desigualdades se não tiverem pessoas capacitadas para encarar o desafio e instituições apropriadas. Nesse contexto, ele destaca que um dos objetivos da secretaria é tornar as superintendências de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e do Nordeste (Sudene) fortalecidas. “Então, essa é uma das nossas preocupações, formar gente”, aponta.

Ele ainda lembra que a secretaria vem apoiando vários cursos de formação de agentes de desenvolvimento regional, mas ainda muito aquém da demanda. Além disso, o órgão também pretende apoiar as secretarias estaduais de integração regional que estão sendo criadas no país. “A gente tem uma preocupação muito grande de formar pessoas e capacitar, estruturar instituições para o desafio”, ressalta.

Informações sobre as ações da Secretaria de Políticas de Desenvolvimento Regional podem ser obtidas neste link.

Fonte: Bianca Torreão / Gestão CT

IPT recebe manifestações de apoio pelo trabalho feito no Metrô de São Paulo

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), instituição associada à ABIPTI, recebeu diversas manifestações de apoio após a divulgação, no dia 6, do relatório resultado do Termo de Ajustamento de Conduta sobre as causas do acidente ocorrido no ano passado nas obras da Estação Pinheiros do Metrô.

Segundo informações do instituto, o relatório aponta que o modelo geológico proposto em 1994, confirmado pelo IPT em 1997, para a construção da Estação Pinheiros não foi seguido pelo Consórcio Via Amarela (CVA) que ganhou a licitação para a realização das obras.

Ainda de acordo com o instituto, o consórcio optou pela adoção de parâmetros simplificados que resultaram num projeto inadequado. “Ainda que o modelo estivesse errado, o CVA teria a prerrogativa de corrigi-lo ao verificar eventuais diferenças durante a execução das escavações”, disse o instituto.

O relatório entregue, no dia 6, foi restrito apenas aos aspectos relacionados ao acidente na Estação Pinheiros. O IPT, porém, também realizou outro estudo para análise da segurança das 23 frentes de obra da Linha 4 do Metrô e respectivas áreas de influência.

O relatório com 24 capítulos sobre o acidente na Estação Pinheiro envolveu 30 especialistas que trabalharam em três turnos 24 horas por dia, durante quase 15 meses. Foi feito o acompanhamento das escavações, simulações, análises, serviços laboratoriais e elaboração de vídeo.

Em nota divulgada ontem (18), junto com as manifestações do apoio, o IPT se confirma como uma instituição séria e independente. “Essa é uma condição essencial para realização dos trabalhos de maneira tecnicamente precisa e isenta, no sentido de se apurar a verdade”, diz em nota.

Os técnicos da equipe dedicada aos estudos têm, segundo o IPT, competência reconhecida e zelam pela sua reputação e credibilidade. “Fazem parte de um importante patrimônio humano paulista e nacional. Nunca se sujeitaram e nem se sujeitariam a possíveis interesses comerciais ou políticos”, finaliza a nota.

Informações complementares sobre o IPT podem ser obtidas no site www.ipt.br.

Fonte: Gestão CT

8º Congreso de Ciencias del Mar y el 13ºCongreso Latinoamericano de Ciencias del Mar

El Comité Oceanográfico Nacional (CON) de Cuba y la Asociación Latinoamericana de Ciencias del Mar (ALICMAR), han decido organizar, de manera conjunta, el VIII Congreso de Ciencias del Mar y el XIII Congreso Latinoamericano de Ciencias del Mar, denominado ColacMarCuba’2009. Estos importantes eventos se realizarán del 26 al 30 de Octubre de 2009, en el Palacio de las Convenciones de La Habana.

ColacMarCuba’2009 convoca a científicos y demás profesionales vinculados a las ciencias, servicios y tecnologías costeras y marinas, educadores, sociólogos, economistas, hombres de negocios y gestores de políticas, entre otros.

El Comité Organizador de ColacMarCuba’2009 está cursando invitaciones a diversas personalidades, organizaciones gubernamentales y no gubernamentales, y otros organismos nacionales e internacionales que darán mayor relevancia y lucidez al evento

Temas Principales
Integración para el desarrollo: Papel de las Ciencias Marinas
Impactos Humanos sobre la zona costera y los oceanos
Cambio Climático, Desastres Naturales y Ecosistemas Marinos
Mares y Oceanos como fuentes de energia renovable
Biodiversidad Marina, Conectividad y Conservación
Biotecnología y Acuicultura
Manejo de mamíferos marinos en ambientes controlados

Organizadores y Patrocinadores
Comité Organizador ColacMarCuba’2009
M.Sc. Isabel Torna Falco
Secretaria de Promoción y Comunicación
ColacMarCuba2009
Comité Oceanográfico Nacional,
Avenida 1ra y Calle 60, Playa, Ciudad de La Habana, Cuba,
Telef. (537) 203 6401 al 06 FAX. (537) 209 2737, E-mail ,
www.colacmarcuba2009.com

Fuente: Pesca & Aquicultura

Distrito Federal lança Prêmio Jovem Inventor

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF), instituição associada à ABIPTI, lançou, nesta semana, o Prêmio Jovem Inventor. A proposta é estimular a inovação, revelar talentos e investir em estudantes e profissionais que procuram alternativas para problemas que podem ser melhorados ou sanados por meio da CT&I. As inscrições podem ser feitas até 31 de agosto.

A iniciativa vai premiar estudantes em três categorias: graduado; estudante do ensino superior; e estudante do ensino médio, técnico ou fundamental.

Na categoria Graduado, podem concorrer candidatos que já concluíram o curso de
graduação, estudantes de pós-graduação e pós-graduados das instituições de ensino do DF e que, até 31 de dezembro de 2007, tinham menos de 35 anos de idade. Já na categoria Estudante do Ensino Superior poderão concorrer estudantes que estejam freqüentando cursos de graduação em instituições do DF e que, até 31 de dezembro de 2007, tinham menos de 30 anos de idade.

Poderão ainda participar da premiação estudantes regularmente matriculados em escolas públicas ou privadas, de ensino médio, fundamental ou em escolas técnicas do DF e que, até 31 de dezembro de 2007, tinham menos de 25 anos. Neste caso, a categoria será Estudante do Ensino Médio, Técnico ou Fundamental.

Para cada uma das categorias haverá até três jovens inventores vencedores. Os primeiros colocados em cada categoria receberão R$ 10 mil, os segundos R$ 5 mil e os terceiros R$ 3 mil.

Os resultados do concurso devem ser divulgados até o fim do mês de outubro.

Confira o regulamento do concurso:
www.fap.df.gov.br/sites/100/172/00000204.pdf

Fonte: Gestão CT

Seminário: "Ciência e Tecnologia nos Portos Brasileiros"

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática realiza, no dia 24 de junho de 2008, das 9h30 às 16h30, no Plenário 13, Anexo II da Câmara dos Deputados, o seminário "Ciência e Tecnologia nos Portos Brasileiros".

Trata-se de iniciativa que pretende, em primeiro lugar, promover, divulgar e estimular a pesquisa e a inovação tecnológica relacionadas ao desenvolvimento do país e, em particular, do setor portuário brasileiro.

A política de desenvolvimento produtivo, recentemente lançada pelo Presidente da República, veio somar-se ao Plano de Ação em Ciência e Tecnologia e Inovação, coordenado pelo MCT.

Esse plano de ação prevê mais de R$ 40 bilhões em investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação, até 2010, e uma parcela significativa será aplicada em questões relacionadas aos portos brasileiros.

O desenvolvimento do país está cada vez mais atrelado à modernização e ao aperfeiçoamento das atividades portuárias. O setor portuário movimenta anualmente 700 milhões de toneladas das mais diversas mercadorias e responde por aproximadamente 90% do comércio exterior. Nesse cenário, enormes são os desafios tecnológicos portuários para atender a esse comércio cada vez mais forte e em permanente expansão. O debate de alternativas de respostas a esses desafios é o principal objetivo do evento.


PROGRAMAÇÃO

9h30 - ABERTURA
CONVIDADOS:
Deputado ARLINDO CHINAGLIA - Presidente da Câmara dos Deputados
Deputado WALTER PINHEIRO - Presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados
Deputada IRINY LOPES - Autora do requerimento
SERGIO REZENDE - Ministro de Estado da Ciência e Tecnologia
MIGUEL JORGE - Ministro de Estado do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior
PEDRO BRITO DO NASCIMENTO - Secretário Especial de Portos

10h30 - Painel I – "Desafios tecnológicos portuários em face do fortalecimento e expansão do comércio exterior"
Moderadora: Deputada IRINY LOPES
Palestrante: REGINALDO ARCURI - Presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI)
Debatedores:
ALESSANDRO TEIXEIRA - Presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex)
LUIZ FERNANDO BARBOSA SANTOS - Secretário da Intersindical da Orla Portuária do Espírito Santo
Representante da Associação Brasileira de Entidades Portuárias e Hidroviárias (ABEPH)

12h30 – ALMOÇO

14h30 - Painel II – "As TICs aplicadas às operações portuárias no marco da política de desenvolvimento produtivo e da competitividade dos portos brasileiros"
Moderador: Deputado da CCTCI
Palestrante: Representante do MCT
Debatedores:
CARLOS ALBERTO LA SELVA - Subsecretário de Planejamento e Desenvolvimento Portuário da Secretaria Especial de Portos
PAULO PROTÁSIO - Presidente da Associação Nacional dos Usuários do Transporte de Cargas (Anut)
Representante do Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe)
Representante do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC)

16h30 – ENCERRAMENTO
Apresentação de propostas
Coordenação: Deputada IRINY LOPES

LOCAL: Plenário 13, Anexo II da Câmara dos Deputados
Data: 24.06.2008
Outras informações: (61) 3216-6458

Fonte: Gabinete da Deputada Iriny Lopes

17º Prêmio de Ciência e Tecnologia

SME abre inscrições para a 17ª Edição do Prêmio de Ciência e Tecnologia
A Sociedade Mineira de Engenheiros (SME) está com inscrições abertas para a 17ª Edição do Prêmio SME de Ciência e Tecnologia. As inscrições, que são gratuitas, vão até 5 de agosto e são feitas por meio do site da SME.

O prêmio consiste na elaboração de um trabalho acadêmico que pode ser feito em grupo ou individual.

O concurso é aberto a todos os estudantes regularmente matriculados nos cursos de graduação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de instituições de ensino superior no Estado de Minas Gerais. Para os trabalhos apresentados em grupo, poderão participar estudantes de outras profissões regularmente matriculados em cursos de graduação de instituições de ensino superior no Estado de Minas Gerais, desde que o líder do grupo seja um estudante das profissões de Engenharia, Arquitetura e Agronomia.

Serão entregues 20 mil reais em prêmios e uma menção honrosa para a instituição de ensino que tiver mais inscritos. O prêmio será dividido em três etapas: inscrições, entrega dos trabalhos e análise dos juizes, profissionais qualificados e referência em suas áreas.

Os patrocinadores do evento e representantes de instituições de ensino do Estado de Minas Gerais são a Fundação Mineira de Educação e Cultura (Fumec), a Universidade Presidente Antonio Carlos de Minas Gerias (Unipac), o Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet), a Faculdade de Engenharia de Minas Gerais (Feamig), a Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Informações sobre a SME podem ser obtidas pelo site www.sme.org.br e pelos telefones (31) 3292-3296/3678.

Inpe supera meio milhão de imagens de satélite distribuídas gratuitamente

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT) comemora a marca de meio milhão de imagens de satélites distribuídas gratuitamente pelo site www.dgi.inpe.br/CDSR, alcançada recentemente. “Esta distribuição aumentou de forma significativa com a disponibilização de imagens do satélite Cbers-2B, lançado em setembro de 2007, e do Landsat-5. Desde janeiro estamos distribuindo cerca de 800 imagens por dia”, informa Luís Geraldo Ferreira, da Divisão de Geração de Imagens (DGI) do Inpe.

A política de dados livres adotada pelo instituto, em 2004, fez do Brasil referencia mundial na área de Observação da Terra, tornando o Sensoriamento Remoto uma ferramenta de fácil acesso. Destas 500 mil imagens distribuídas nos últimos quatro anos, 435 mil são dos satélites do Programa Sino-Brasileiro Cbers.

A distribuição gratuita, por meio da Internet, começou com imagens dos satélites Cbers-2 e Landsat-1, 2 e 3. De início para usuários brasileiros, a iniciativa representou importante avanço no uso dos recursos de sensoriamento remoto no País. Em seguida, o benefício foi estendido para a América do Sul e, hoje, as imagens do Centro de Dados de Sensoriamento Remoto do Inpe estão acessíveis para o mundo inteiro. Além dos satélites Cbers, o usuário tem à disposição imagens dos satélites Landsat 1, 2, 3, 5 e 7.

Imagens Cbers
Apenas para o Brasil foram distribuídas mais de 430 mil imagens do Cbers para cerca de 15 mil usuários de várias instituições públicas e privadas. Na China, após a adoção de uma política similar à brasileira, foram distribuídas mais de 200 mil imagens, sendo o Ministério da Terra e de Recursos Naturais seu principal usuário.

No final de 2007, Brasil e China decidiram oferecer gratuitamente as imagens do Cbers para todo o continente africano. A distribuição contribuirá para que governos e organizações monitorem desastres naturais, desmatamento, ameaças à produção agrícola e riscos à saúde pública.

Fonte: Agência CT

Recursos para Inovação no Complexo da Saúde

Abimo e a Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica realizam seminário
A Associação dos Fabricantes de Produtos Médicos e Odontológicos (Abimo), em parceria com a Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica organizam, no dia 25 de junho, o seminário Recursos para inovação no complexo da saúde.

O evento será realizado no dia 25 de junho, no Centro de Convenções da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo (SP). As inscrições podem ser feitas no site www.protec.org.br.

O objetivo do seminário é de informar as empresas sobre os recursos financeiros e fiscais disponíveis, assim como os técnicos, para o desenvolvimento e a incorporação de inovações tecnológicas, que aumentem a competitividade dos produtos e serviços no mercado interno e também para a exportação.

Novas linhas e programas de financiamento à inovação, o papel da inovação no crescimento da empresa e do país serão alguns dos temas discutidos. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Finep farão exposições sobre novas linhas de financiamento à inovação.

Na ocasião, os participantes vão receber o manual Mecanismos de Apoio à Inovação Tecnológica.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 3285-0155 ou pelo e-mail .

Fonte: Gestão CT

Japão quer parceria com o Brasil

O presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA) do Japão, Isami Miyata, reafirmou hoje ao secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Silas Brasileiro, o interesse do país em firmar parceria para a produção do etanol brasileiro. "O Japão tem todo o interesse em abrir um diálogo em torno da parceria na produção do etanol. Já estamos estudando a importação do produto da Petrobrás", disse Miyata.

Segundo o presidente da CNA japonesa, o país importa 61% dos produtos que consomem. "É nossa intenção aumentar a importação dos produtos agrícolas do Brasil, investir no intercâmbio de tecnologia e nas parcerias", completou.

No encontro, Silas Brasileiro lembrou que o Brasil tem a maior empresa do mundo em pesquisa agropecuária tropical, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). "Estamos investindo para que, no período de 10 anos, dobremos a nossa produção de grãos que hoje é de 143 milhões de toneladas", afirmou. As informações são da assessoria de imprensa da pasta. (Agência Estado)

Fonte: Cimm

São Paulo terá parque tecnológico de biocombustíveis

O secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Alberto Goldman, anunciou no dia 13, a criação do primeiro parque tecnológico paulista voltado à pesquisa do combustível renovável. O parque funcionará na cidade de Piracicaba e receberá investimentos de R$ 100 milhões.

A área prevista para a construção dos empreendimentos é de 400 mil metros quadrados. Segundo informações da secretaria, o foco das atividades do parque será a pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I), nas seguintes áreas: biocombustíveis, matéria-prima renovável, tecnologias de conversão de biomassa, resíduos agroindustriais, além de tecnologias ambientais.

O secretário adjunto de Desenvolvimento, Luciano de Almeida, avalia que a iniciativa representa a convergência do conhecimento na área de biocombustíveis, seja ele público ou privado.

A expectativa é de que a primeira fase do parque seja entregue em agosto de 2009. O parque ainda terá uma incubadora de empresas e laboratórios voltados a descobertas de novas tecnologias para produção de biocombustíveis. Para Alberto Goldman, a criação da área coloca São Paulo na segunda etapa de pesquisas sobre biocombustíveis, o que significa a busca de mais produtividade com menos área plantada.

Além do governo do Estado, estão participando da iniciativa a Prefeitura de Piracicaba, instituições de pesquisa e a iniciativa privada local. Informações complementares sobre os parques tecnológicos de São Paulo podem ser obtidas neste link.

Fonte: Gestão CT

São Paulo contará com agência de investimentos

O Estado de São Paulo contará com uma agência de investimentos. A informação foi dada pelo governador em exercício, Alberto Goldman, no dia 12, durante a abertura do Congresso da Indústria 2008. O evento foi uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP).

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento de São Paulo, o projeto de lei que regulamenta a criação da Investe SP já está tramitando na Assembléia Legislativa do Estado. Com a iniciativa, o governo estadual pretende fortalecer o parque industrial da unidade da Federação, que é o maior do Brasil e responde por 31% do Produto Interno Bruto (PIB) do país.

“A ação do Estado deve ser permanente para receber investimento. Nossa meta é dar apoio a pequena e média empresa que é a base do desenvolvimento econômico mais democrático de um Estado”, disse.

A agência será uma autarquia vinculada à Secretaria de Desenvolvimento de São Paulo. O órgão contará com um conselho deliberativo composto por secretários estaduais e representantes de entidades empresariais, além de uma diretoria formada por um presidente e até três diretores.

O governador em exercício também informou que, paralelamente à Investe SP, a Secretaria de Desenvolvimento aguarda o sinal verde do Banco Central para dar início às atividades da Agência de Fomento do Estado de São Paulo (Afesp). De acordo com ele, a iniciativa será um verdadeiro banco de fomento, cujo orçamento para transações será de R$ 1 bilhão. “Esse capital orçamentário será complementado no decorrer do tempo”, afirmou. A Afesp deverá fazer a captação de recursos junto a organismos financeiros e repassar a pequenas e microempresas paulistas.

Na ocasião, Goldman destacou que o Congresso da Indústria é promovido em um momento oportuno, sobretudo pelo fato de o Congresso Nacional ter aprovado a cobrança da Contribuição Social da Saúde (CSS), que seguiu para discussão no Senado Federal. "A FIESP tem uma liderança muito expressiva e essa posição é fundamental”, afirmou.

Informações sobre as ações da Secretaria de Desenvolvimento podem ser obtidas no site www.desenvolvimento.sp.gov.br.

Fonte: Gestão CT

Cursos gratuitos na Reduc oferecem 550 vagas

Serão assinados nesta quinta-feira, 19 de junho, às 17h, na Reduc (Refinaria Duque de Caxias), dois convênios voltados para a capacitação gratuita de soldadores, caldeireiros, mecânicos de manutenção e eletricistas industriais, totalizando 550 vagas. Junto com o Programa Petrobras Jovem Aprendiz, os projetos ‘Cidades da Solda’ e ’Centro Profissionalizante Duque de Caxias’ integrarão o Programa de Qualificação da Mão-de-Obra Local – PQMOL – da Reduc.

O projeto Cidades da Solda começou no município de Contagem (MG), em dezembro de 2005, e teve por objetivo qualificar mão-de-obra voltada ao atendimento da demanda crescente de profissionais para a indústria de petróleo e gás.

Atualmente, o estado de Minas Gerais conta com três Cidades da Solda (Contagem; Betim e Coronel Fabriciano). Também em São Paulo, está em funcionamento uma unidade em São José dos Campos (estruturada com apoio da REVAP – Refinaria Henrique Lage).

A unidade de Duque de Caxias será a quinta a implantar o projeto, só que com abrangência maior que as já implantadas, tendo em vista que desenvolverá aptidões de níveis básico, médio e avançado na área de soldagem. Está sendo estruturada, ainda, uma unidade em Mesquita, com previsão para início de atividades também no segundo semestre do ano.

O projeto Cidades da Solda adota a metodologia do Senai e tem duração de 300 horas de curso. As aulas serão ministradas no bairro de Campos Elíseos, seguindo as Normas Reguladoras vigentes. Até o momento, cerca de 250 soldadores estão formados. Em Contagem e São José dos Campos, 48 alunos estão em fase de treinamento. Betim e Coronel Fabriciano estão em processo de seleção de 60 alunos, que iniciarão as aulas em julho.

Já o Centro Profissionalizante vai formar profissionais nas áreas de Calderaria, Mecânica de Manutenção e Eletricista Industrial. Realizado em parceria com a Fundec (Fundação de Apoio à Escola Técnica, Ciência, Tecnologia, Esporte, Lazer, Políticas Sociais e Cultura de Duque de Caxias), capacitará 300 alunos, com 25 em cada turma e duração prevista de sete meses. Para o amparo técnico-pedagógico, a Fundec formou aliança com o Cefet de Química, que ficará responsável pela metodologia do projeto.

Outras informações no site da Petrobras

Fonte: Maria Fernanda Romero / Agência Petrobras

CTNBio aprova liberação comercial de vacina contra circovirose suína

A Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) aprovou hoje (19) a liberação comercial da vacina contra circovirose suína, produzida pela empresa Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica. A doença é provocada por um vírus que causa infecção em leitões na fase de crescimento. Os animais infectados apresentam palidez de mucosas, perda de peso, diarréia e infecções.

Na quinta reunião plenária do ano, realizada hoje em Brasília (DF), os integrantes da Comissão também aprovaram o Comunicado 04, que estabelece regras para o isolamento do cultivo de algodão geneticamente modificado. De acordo com o texto, em áreas onde houver ocorrência de algodão crioulo o isolamento será de 800 metros. Em áreas onde a há plantio de sementes tradicionais a distância entre os cultivos deve ser de 250 metros.

Também foi aprovado o texto base da Resolução Normativa 06, que estabelece regras para a liberação planejada no meio ambiente (pesquisa) para a área vegetal. O texto consolida as determinação expressas nas Resoluções Normativas 03, 10 e 16, que serão revogadas.

Fonte: Rafael Godoi Agência CT

Sebrae-TO prorroga prazo para envio de trabalhos ao projeto Estruturante de Madeira e Móveis da Amazônia

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado do Tocantins (Sebrae-TO) está desenvolvendo o projeto Estruturante de Madeira e Móveis da Amazônia que tem como objetivo integrar projetos da cadeia produtiva de madeira e móveis desenvolvidos pelo Sebrae na região norte. O prazo para envio de propostas a serem validadas pelos gestores foi prorrogado para o dia 26 de junho.

O objetivo geral do projeto é desenvolver um portfólio de metodologias disponíveis em redução de desperdícios e aproveitamento de resíduos para o setor madeireiro e moveleiro do Brasil.

O público alvo do projeto é composto por empreendedores e empresários de micro e pequenos negócios do setor de madeira e móveis da região Norte, centros tecnológicos, entidades de classe ligadas ao setor de madeira e móveis e universidades.

As propostas podem ser enviadas para a gestora do projeto Estruturante Madeira e Móveis da Amazônia, Izana Assunção Alves, pelo e-mail

Informações adicionais podem ser obtidas pelo site www.sebrae.com.br e pelo telefone (63) 3219-3335.

Fonte: Gestão CT

Fapesq divulga resultado dos projetos do edital do PPP aprovados pelo CNPq

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq), instituição associada à ABIPTI, vinculada a Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente (Sectma) da Paraíba, em parceria com o CNPq, divulgou o resultado do edital 01/2008 do Programa de Infra-Estrutura Para Jovens Pesquisadores-PPP. Foram aprovados 30 projetos de pesquisa.

Veja neste link a relação dos projetos selecionados.

Os projetos passaram pela avaliação de duas bancas examinadoras. A primeira avaliação aconteceu no início do mês de junho na Fapesq, por uma equipe de pesquisadores doutores de universidades de Pernambuco. Após essa primeira avaliação, os projetos foram submetidos à avaliação do CNPq, que deu o parecer final.

Veja a íntegra do edital: www.fapesq.rpp.br/editais/editalPPP2008.pdf

Fonte: Gestão CT