sexta-feira, 13 de junho de 2008

Cepal /ONU recomenda inovação para impulsionar desenvolvimento da América Latina

La transformación productiva 20 años después. Viejos problemas, nuevas oportunidades

Comissão da ONU recomenda inovação para impulsionar desenvolvimento da América Latina

A Comissão Econômica para América Latina e Caribe da Organização das Nações Unidas (Cepal/ONU) recomenda no estudo “A Transformação Produtiva 20 Anos Depois” a inovação como um dos pontos chaves para o desenvolvimento da América Latina e Caribe. O documento foi apresentado ontem (11) durante a 32ª reunião da Cepal, que acontece em Santo Domingo, na República Dominicana, até amanhã (13). O estudo indica a importância da inovação para o desenvolvimento regional dos países.

A pesquisa aponta a relevância do setor público para impulsionar o processo de inovação, que seria reforçado em cada região por etapas de desenvolvimento e pela a importância dos recursos naturais e de sua estrutura produtiva.

A Cepal considera duas orientações essenciais para o desenvolvimento da América Latina e Caribe. A primeira é a necessidade de se gerar uma cultura da inovação que permita criar e beneficiar as oportunidades sobre a base de novas propostas, sem transitar em caminhos já percorridos. A segunda propõe detectar e fazer um bom uso das oportunidades que o mundo oferece, assim como aprender com as experiências e os avanços de outras regiões.

Caminhos
Outra recomendação é para que as políticas públicas impulsionem as cadeias regionais de produção, compartilhem e potencializem o processo de inovação. “Para tal fim, é necessário ampliar os esquemas de integração existentes e abarcar novas áreas como os serviços, as comprar governamentais, a infra-estrutura e as pesquisas em áreas específicas”, sugere o estudo.

Além disso, a Cepal orienta aos países para que melhorem os marcos institucionais, criando regras mais claras, e ampliando a integração regional num marco que reconheça as assimetrias e o estabelecimento de mecanismos de compensação em favor dos países de desenvolvimento relativo.

Para formar essa base, a proposta da pesquisa é implementar políticas e programas que tenham os mesmos níveis de tendências microeconômicas e que induzam as mudanças estruturais necessárias com o ênfase na inovação.

Economia
A pesquisa ainda destaca que a situação atual, em que se encontra a América Latina e o Caribe, são mais favoráveis. Nos últimos 30 anos, a maior parte dos países não sofre com embargos e sugiram, neste período, novas oportunidades de aprendizagem setoriais, de inovação e de desenvolvimento da capacidade tecnológica.

O estudo ressalta que os núcleos, de qualquer estratégia de desenvolvimento futuro, devem ser formados pela diversificação e pelo desenvolvimento de espaços que conjuguem aprendizagem tecnológica e competitividade.

As novas tecnologias, como nanotecnologia, pesquisas sobre novos materiais e fontes renováveis de energia impulsionam também as grandes inovações de processos, produtos e modelos de negócio, de acordo com a comissão da ONU. “Todas essas tecnologias são convergentes e têm a capacidade de afetar e redefinir as trajetórias de um conjunto muito mais amplo de setores”, diz o estudo.

A Cepal ressalta que a macroeconomia está favorável ao crescimento e considera que os elos devem ser fortalecidos. A pesquisa recomenda os seguintes elos para que os países alcancem o desenvolvimento: inovação (no seu sentido amplo), qualidade da educação geral e técnica, infra-estrutura, iniciativa empresarial e a qualidade das instituições públicas.

O secretário executivo do MCT, Luiz Antonio Elias, participa dos debates sobre a pesquisa em Santo Domingo.

Para conferir a íntegra do estudo acesse este link.

A próxima reunião da Cepal acontecerá em 2010, no Brasil. A proposta será de revisar as iniciativas de políticas de desenvolvimento produtivo e inovação na região, com ênfase nos sistemas nacionais.

Informações complementares sobre a Cepal podem ser obtidas no site www.eclac.org.

Fonte: Tatiana Fiuza / Gestão CT

Mild Mitochondrial Uncoupling in Mice Affects Energy Metabolism, Redox Balance and Longevity

Viver mais sem comer menos
Na década de 1930, cientistas demonstraram que uma dieta com poucas calorias retardava o envelhecimento, aumentando a longevidade dos animais. Agora, pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) conseguiram promover em camundongos os mesmos efeitos benéficos da dieta de restrição calórica sem precisar diminuir a quantidade de alimento.

A estratégia consistiu em tratar os animais com uma droga que diminui o aproveitamento energético das mitocôndrias. Além de aumentar em cerca de 10% a longevidade, o tratamento reduziu os índices ligados à síndrome metabólica – o conjunto de fatores de risco cardiovascular que inclui diabetes, hipertensão arterial, distúrbios lipídicos e obesidade.

O estudo, coordenado por Alicia Kowaltowski, professora do Departamento de Bioquímica da USP, foi publicado no site e em breve sairá na edição impressa da revista Aging Cell.

A mitocôndria é uma organela celular que, com o uso do oxigênio da respiração, converte a energia dos alimentos em energia química, ou trifosfato de adenosina (ATP), vital às atividades celulares.

De acordo com Alicia, a estratégia utilizada se baseou no mecanismo conhecido como desacoplamento mitocondrial. “O desacoplamento consiste em diminuir a síntese de ATP mantendo a mesma quantidade de alimento”, disse à Agência FAPESP. O estudo tem apoio da FAPESP na modalidade Projeto Temático.

Segundo a cientista, para sintetizar o ATP, a mitocôndria gera um gradiente de prótons – isto é, fica mais positiva do lado de fora do que em seu interior. Esse gradiente serve como fonte de energia para a síntese de ATP.

“A droga que utilizamos, o dinitrofenol, diminui esse gradiente de prótons, deixando que alguns deles voltem para dentro da mitocôndria sem que haja síntese de ATP”, explicou.

O dinitrofenol é conhecido há muito tempo e, na década de 1930, já era utilizado como droga para o emagrecimento. Mas, apesar de eficaz, seu uso causava controvérsias, uma vez que a dose terapêutica estava muito próxima da dose tóxica.

“O que fizemos foi utilizar o dinitrofenol em uma dose muito menor para mostrar que a diminuição do aproveitamento de energia da mitocôntria é capaz de prevenir os efeitos do envelhecimento”, afirmou Alicia.

O estudo teve participação da professora Marisa Medeiros e das estudantes Camille Caldeira da Silva, Fernanda Cerqueira e Lívea Barbosa, que realizaram os experimentos.

Segundo Alicia, o grupo já havia realizado um estudo semelhante, em 2004, em um modelo de envelhecimento de leveduras. “A partir daquele estudo em células in vitro resolvemos testar a estratégia em animais”, disse.

O objetivo da pesquisa foi mimetizar os efeitos de uma dieta de restrição de calorias para diminuir o aproveitamento energético, mas sem reduzir a quantidade de comida ingerida.

“Assim como os humanos, os camundongos tendem a engordar quando envelhecem. Os que foram tratados com o dinitrofenol, no entanto, ganharam menos peso à medida que envelheciam, apesar de comerem a mesma quantidade do que os outros”, afirmou.

O ganho de peso, segundo a pesquisadora, está associado ao aumento dos níveis de glicemia, triglicérides e insulina, características da síndrome metabólica. “Nos camundongos submetidos à estratégia todos esses indicadores estavam diminuídos.”


Lesões por radicais livres

Segundo a professora do Departamento de Bioquímica da USP, o estudo não pretende sugerir o dinitrofenol como opção terapêutica, devido a seus efeitos tóxicos. “A idéia foi demonstrar que a manipulação das funções da mitocôndria é muito eficaz para controlar o envelhecimento e o ganho de peso”, disse.

O estudo demonstrou também que a estratégia é eficiente para diminuir as lesões provocadas por radicais livres – outra das causas do envelhecimento.

“À medida que envelhecemos, acumulamos lesões por radicais livres nas moléculas. Sabemos que a restrição calórica diminui a geração de radicais livres na mitocôndria, diminuindo também essas lesões. Comprovamos que o tratamento com o dinitrofenol também é eficiente para diminuí-las, configurando uma estratégia antioxidante muito mais eficaz que o uso de vitaminas, por exemplo”, disse.

Um dos objetivos do grupo, a partir de agora, é modificar o dinitrofenol para gerar novas drogas que possam ser utilizadas para o desacoplamento mitocondrial.

“Outra possibilidade é ativar vias naturais de desacoplamento presente nas mitocôndrias, como os canais para potássio, ou certas proteínas desacopladoras. Uma droga que ativasse essas vias seria muito interessante para promover, sem depender de nenhuma proteína, os efeitos que conseguimos produzir quimicamente”, destacou.

Alicia salienta que a FAPESP acaba de aprovar novo pedido de bolsa de pós-doutorado para o Projeto Temático que coordena, de modo a dar continuidade a essa linha de pesquisa. “Estou selecionando candidatos. Além de continuar essa pesquisa aplicada, com fins farmacêuticos, queremos estudar os mecanismos e os processos celulares envolvidos no envelhecimento”, disse.

Para ler o artigo Mild mitochondrial uncoupling in mice affects energy metabolism, redox balance and longevity, de Alicia Kowaltowski e outros, publicado na Aging Cell, clique aqui

Fonte: Fábio de Castro / Agência FAPESP

Estudo aponta municípios mais dinâmicos do país

O município de Ananindeua (PA) é o mais dinâmico país. É o que revela o estudo “Atlas do Mercado Brasileiro”, encomendado pelo jornal Gazeta Mercantil e desenvolvido pela consultoria Florenzano Marketing. A pesquisa, que está em sua 9ª edição, foi divulgada pelo jornal no dia 9, em São Paulo (SP), em cerimônia que contou com a participação de diversas autoridades, como o ministro das Cidades, Márcio Fortes de Almeida.

O trabalho pesquisou os 300 maiores mercados do país, ou seja, aqueles que têm os 300 maiores potenciais de consumo. O estudo foi feito levando em consideração uma série de indicadores de desempenho econômico e social que têm como objetivo apontar quais municípios são os mais dinâmicos, que são os que estão crescendo mais que a média nacional e que estão mais avançando no aspecto social.

De acordo com a consultoria responsável pelo estudo, a pesquisa surgiu como uma alternativa à “mesmice” das informações de dados econômicos que mostravam sempre “quem é o maior” apontando, logicamente, São Paulo como o primeiro lugar. Em nota divulgada à imprensa, a Florenzano Marketing destaca que mostrar o dinamismo das cidades também passou a permitir ver onde “onde as coisas estavam acontecendo”, onde o progresso era maior, onde valia a pena investir, em que cidades havia melhor administração, entre outros pontos.

Foram utilizados os seguintes indicadores: IPC Florenzano – Renda Geral das Famílias do Município; Produto Interno Bruto (PIB); depósitos bancários e operações de crédito; criação de empresas; licenciamento de veículos; população do município; e “cesta” de gastos municipais per capita composto por saúde, educação, saneamento, ciência e tecnologia, e habitação.

Ranking
Após Ananindeua, o estudo aponta, como mais dinâmicos, os municípios de Macaé (RJ) e Aparecida de Goiânia (GO), respectivamente. Os três são filiados ao Fórum Nacional de Secretários Municipais da Área de C&T. Em entrevista, o secretário de Indústria do município goiano, Nélio Fleury, comemora o resultado. No ano passado, a cidade ocupou a 10ª posição do ranking.

Segundo ele, o município conquistou a nova colocação devido à preocupação com a geração de empregos. Fleury destaca que Aparecida é, atualmente, uma “cidade empresa”. O secretário lembra que o município era considerada uma “cidade dormitório” há quatro anos. “Nós não tínhamos postos de trabalho. Hoje, nós somos cidade-empresa. A população de Aparecida está empregada e nós ainda captamos mão-de-obra de fora do município, das cidades limítrofes”, afirma.

Fleury avalia que Aparecida é atualmente uma cidade dinâmica porque possui uma oferta de empregos superior às suas taxas de crescimento. De acordo com ele, houve um investimento prioritário na geração de oportunidades de emprego e negócios dentro do município.

O secretário afirma que o setor terciário, de prestação de serviços, é o mais forte do município. De acordo com ele, esse é um dos grandes diferenciais da cidade em relação aos outros municípios bem classificados. Fleury destaca que o primeiro colocado, Ananindeua, é atualmente um ponto logístico da empresa Vale do Rio Doce. O segundo classificado, Macaé, possui um pólo petroquímico.

O secretário afirma que Aparecida de Goiânia foi bem classificada exatamente pela sua logística de distribuição. Ele lembra que o município está próximo a duas grandes cidades, que são Brasília e Goiânia. “Se você pegar um raio de 200 km a partir de Aparecida de Goiânia, você atinge uma população de quase seis milhões de pessoas”, diz.

Fórum
O secretário, Nélio Fleury, que também é diretor regional Centro-Oeste do Fórum Nacional de Secretários Municipais da Área de C&T, destaca a importância da entidade para o desenvolvimento dos municípios. “A ABIPTI e o fórum são instituições que facilitam o diálogo, que fazem a intermediação do debate dos municípios com o ministério”, afirma.

De acordo com ele, por meio do fórum, as demandas dos municípios passam a ser ouvidas diretamente no MCT e demais ministérios. “Isso que o fórum nos facilita e nos torna mais fortes”, ressalta.

Informações sobre as ações do Fórum Nacional de Secretários Municipais da Área de C&T, cuja secretaria executiva está a cargo da ABIPTI, podem ser obtidas pelo site www.forum-municipal.org.br.

Fonte: Bianca Torreão / Gestão CT

Ministério da Saúde lança área temática em arquitetura e engenharia

O Ministério da Saúde (MS) lançou, na semana passada, a Área Temática Arquitetura e Engenharia em Saúde.

A iniciativa faz parte de um projeto desenvolvido em parceria entre a Coordenação-Geral de Documentação e Informação (CGDI) da Subsecretaria de Assuntos Administrativos (SAA), por meio da Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde (BVS MS) e a Coordenação-Geral de Projetos (CGP) da Diretoria de Programas (DP), por meio do Sistema de Apoio à Elaboração de Projetos de Investimentos em Saúde (SOMASUS) também do ministério.

Segundo informações do MS, a nova área temática vai reunir serviços de bases de dados, agenda de eventos, palestras, publicações em texto integral, dicas em saúde e links.
A idéia é divulgar fontes de informação de planejamento e projetos físicos e tecnológicos. Para consultar a nova base, acesse:
bvsms.saude.gov.br/bvs/somasus/index.php

Fonte: Gestão CT

CNPq divulga novos valores de bolsas

Novos valores de bolsas são publicados no Diário Oficial

O MCT publicou, no último dia 11, no Diário Oficial da União os novos valores de bolsas de mestrado e doutorado que serão concedidas pelo CNPq.

O anúncio do reajuste foi feito no dia 30 de abril, durante as comemorações dos 57 anos do CNPq, mas os novos valores de fato valerão para os pagamentos feitos a partir de 1º de junho.

As bolsas serão de R$ 1,2 mil para mestrado e de R$ 1,8 mil para doutorado, o aumento médio é de 30%.

Fonte: Gestão CT

Inpe do Brasil e CNES da França, lançam o Spirale dentro da campanha Scout

Campanha Scout tem novo balão
O Spirale, lançado na segunda-feira (9/6) da base instalada no Aeroporto Domingos Rego, em Timon (MA), pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e pelo Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES) da França, foi o quarto experimento lançado no mês de junho no âmbito da campanha Scout, conduzida por pesquisadores dos dois países.

Depois de voar por cerca de sete horas em um balão de 150 mil metros cúbicos, o experimento Spirale (Infrared Absorption Spectroscopy by Tunable Diode Lasers, na sigla em inglês), que pesa 511 quilos e chegou a atingir 33,6 mil metros de altitude, foi resgatado próximo à cidade de Coivaras, no Piauí.

O Spirale é formado por um conjunto de espectrômetros desenvolvidos por laboratórios da Universidade de Orléans e do Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS). Seu objetivo foi fazer medições dos perfis verticais de concentrações de gases minoritários e aerossóis.

A campanha de balões Scout é fruto do programa de cooperação estabelecido entre o CNES e a Agência Espacial Brasileira (AEB), que tem término previsto para o fim deste mês. Ao todo serão lançados do Maranhão sete experimentos científicos, de vários países da União Européia, para, entre outros objetivos, o estudo da camada de ozônio, previsão de mudanças climáticas e a validação de instrumentação dos satélites Metop e Envisat da Agência Espacial Européia (ESA).

Assinado em 2007, o acordo entre as entidades brasileira e francesa prevê, em cinco anos, o lançamento de dezenas de balões para o desenvolvimento de pesquisas atmosféricas na região equatorial brasileira.

“O acordo faz parte de um consórcio europeu capitaneado pela CNES, que promove várias campanhas de lançamento de balões ao redor do mundo. Recentemente, as pesquisas têm ocorrido com mais intensidade na África e América Latina”, disse Saulo Freitas, pesquisador do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos do Inpe.

Os sete experimentos da campanha Scout, segundo Freitas, têm foco no estudo da troposfera superior e da estratosfera inferior. “A grande quantidade de nuvens nos trópicos promove a intensa troca de gases da troposfera para a estratosfera e vice-versa. A meta desses estudos é tentar entender o estado químico e a variabilidade de gases como ozônio, monóxido de carbono e metano nessas regiões”, explicou.

A campanha Scout teve início em 30 de maio com o lançamento do experimento OPC (Optical Particle Counter, na sigla em inglês), que voou por cerca de três horas e foi resgatado próximo à cidade de Altos (PI). O segundo vôo ocorreu no dia 1º de junho com o experimento Triple, que consistiu em um conjunto de instrumentos da Universidade de Frankfurt, da Forschungszentrum Jülich e da Universidade de Reims, para medição de vapores de água envolvidos na química do ozônio na estratosfera.

A meta do terceiro experimento, o Mipas-B, lançado no dia 5 de junho, foi medir as propriedades dos gases residuais e das nuvens na camada troposférica e na estratosfera por meio de técnicas de sensoriamento remoto. Todos os lançamentos foram realizados a partir da base instalada no Aeroporto Domingos Rego.

Segundo Freitas, o quinto balão da campanha será lançado dentro de poucos dias. “Essa fase de coleta de dados observacionais será seguida por sucessivas pesquisas no Inpe voltadas à validação de diferentes tipos de modelos numéricos de química da atmosfera”, disse.

“Uma das grandes vantagens é que pesquisadores do instituto estão aprendendo muito com essa parceria, devido à oportunidade de se especializar em novas técnicas de lançamento de balões estratosféricos, com instrumentação eletrônica, que envolvem tecnologias que o Brasil ainda não domina”, destacou.

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

CNPq lança edital de apoio a criação de LIA’s - Laboratórios Internacionais Associados

O CNPq lançou, no dia 10 de junho, o edital 08/2008 que prevê seleção pública de propostas para a criação de Laboratórios Internacionais Associados (LIA), por meio dos convênios bilaterais entre o CNPq e o Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) e com o Institut National de la Recherche Médicale (Inserm), instituições francesas. As proposições devem ser encaminhadas, unicamente via internet, até o dia 8 de julho, sob forma de projeto. O preenchimento do Formulário de Propostas On line está disponível no site www.cnpq.br/formularios.

O edital tem por objetivo apoiar, de forma complementar, a criação dos LIA’s, e destina-se ao financiamento das mobilidades de pesquisadores e especialistas que desejam criar os laboratórios, com contrapartida financeira de fontes nacionais ou internacionais.

O recurso total para financiamento das propostas é de R$ 1,92 milhão, oriundos do Programa de Capacitação de Recursos Humanos para Ciência, Tecnologia e Inovação, do PPA 2008/2011, sendo distribuídos R$ 640 mil por ano, até 2011. Os LIA’s devem ter o valor máximo de R$ 240 mil para gastos com passagens aéreas, diárias, seguro-saúde e auxílio custeio. Serão financiados até oito projetos para os convênios apoiados pelo edital.

No convênio entre o CNPq e o CNRS serão aceitas propostas de trabalho com duração de quatro anos nas áreas de engenharias, materiais, nanotecnologia e química. O acordo entre o CNPq e o Inserm prevê o apoio a projetos com quatro anos de duração nas áreas de ciências da saúde e medicina.

Poderão apresentar propostas pesquisadores, especialistas com vínculo empregatício/funcional nas instituições de ensino superior (IES), em centros e institutos de pesquisa e desenvolvimento públicos e privados, grupos de pesquisa e especialistas franceses vinculados a instituição executora estrangeira, necessariamente, vinculados ao CNRS ou ao Inserm.

Veja a íntegra do edital: www.cnpq.br/editais/ct/2008/008.htm

Fonte: Gestão CT

Anvisa modifica regras para pesquisas sobre novos medicamentos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, no dia 6, no Diário Oficial da União (DOU), novas regras para pesquisa clínica. A resolução nº 39 define o regulamento para a obtenção do comunicado especial único para a realização de pesquisa clínica em território nacional.

A resolução se aplica a todas as pesquisas clínicas com medicamentos e produtos para saúde, ou seja, para pesquisas envolvendo intervenções terapêuticas ou diagnósticas não registradas no Brasil que poderão subsidiar, junto à Anvisa, o registro de medicamentos ou qualquer alteração pós-registro.

O texto traz os procedimentos necessários a serem adotados pelos patrocinadores das pesquisas. São patrocinadores a pessoa física ou jurídica, pública ou privada, que apóia financeiramente a pesquisa. Além dos recursos financeiros, os patrocinadores deverão acompanhar a implementação das pesquisas clínicas, garantir a correta condução do protocolo previamente aprovado pelas autoridades reguladoras competentes, e verificar a veracidade dos dados coletados e as demais atribuições que envolvam a garantia das "Boas Práticas Clínicas".

Para as pesquisas fomentadas por patrocinadores, os pesquisadores responsáveis pela coordenação dos estudos deverão assumir perante a Anvisa o papel de representante do patrocinador, caso não haja uma Organização Representativa para Pesquisa Clínica (ORCP) responsável pelos estudos.

Já os estudos independentes, que não contarem com patrocinador, o pesquisador que coordenar o trabalho deverá assumir o papel de investigador-patrocinador.

A íntegra da resolução RESOLUÇÃO-RDC No- 39, DE 5 DE JUNHO DE 2008, está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

Joint Live Demonstration Course

O Joint Live Demonstration Course reunirá em São Paulo, no dia 17 de junho, representantes da cardiologia intervencionista do Brasil e Japão, que demonstrarão, por meio de transmissões de procedimentos, as mais recentes técnicas para desobstrução das artérias coronarianas.

O evento é organizado pelo Hospital Dante Pazzanese, em parceria com a TRI Network e o Hospital Santa Cruz. O objetivo é homenagear os 100 anos da imigração japonesa para o Brasil e estimular a troca de experiências científicas entre os dois países.

Um dos destaques é a participação do cardiologista japonês Shigeru Saito, presidente da organização não-governamenal TRI Network, considerado um dos principais representantes da área no Japão, especialmente pela técnica com artérias totalmente obstruídas.

Saito realizará uma apresentação ao vivo da cirurgia do acesso radial (pelo pulso), que, segundo os organizadores, oferece menos riscos de sangramento, menos desconforto ao paciente, além de uma recuperação mais rápida.

Mais informações pelo site.

Fonte: Agência FAPESP

Olimpíada de Astronomia e Astronáutica terá abrangência Pan-Americana

A Agência Espacial Brasileira (AEB), instituição associada à ABIPTI, propôs a ampliação da Olimpíada de Astronomia e Astronáutica. A versão Pan-Americana do concurso será lançada já no próximo ano.

A proposta foi divulgada pela coordenadora do Programa AEB Escola, Ivette Rodrigues, no evento "Campamentos Espaciales, Ecuador 2008", realizado no Equador no mês de maio.

Segundo informações da Agência, a medida vai ao encontro do Ano Internacional da Astronomia, comemorado em 2009. A olimpíada acontecerá na Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Paraguai, Peru e Uruguai, no mês de maio.

Caberá ao Brasil dar todo o apoio técnico para a realização do evento.

Ainda de acordo com a AEB, os países que participarem da iniciativa ficam responsáveis por sensibilizar e mobilizar suas escolas, dando condições aos alunos e professores de realizarem as atividades.

Além disso, está prevista a criação de comitês nacionais com representantes de instituições ligadas aos temas de astronomia e astronáutica, e de um fórum intergovernamental, que será responsável pela organização do evento.

Informações complementares sobre as ações desenvolvidas pela AEB podem ser obtidas no site www.aeb.gov.br.

OBA
A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica é realizada anualmente pela Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), pela AEB e por Furnas Centrais Elétricas S/A entre alunos de todas as séries do ensino fundamental e médio do país.

A proposta é fomentar o interesse dos jovens pela astronomia e pela astronáutica e ciências afins, além de promover a difusão dos conhecimentos básicos de uma forma lúdica e cooperativa. Mais informações sobre a OBA podem ser obtidas no site www.oba.org.br.

Fonte: Gestão CT

Mais de 18 milhões de estudantes vão participar da Obmep - Olimpíada de Matemática

A proposta de popularizar a matemática e torná-la mais atrativa para os estudantes de todo o país tem trazido bons resultados. Os primeiros números da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep) foram apresentados no último dia 11, pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende.

Mais de 18 milhões de estudantes estão inscritos para participarem do concurso. “É uma iniciativa importante, pois alunos com melhor formação em matemática resultam em jovens interessados em estudar ciências e engenharias. O Brasil está crescendo e precisa de mais técnicos, cientistas, pesquisadores e engenheiros”, ressaltou o ministro, em notícia divulgada pelo MCT.

Essa é a quarta edição da olimpíada e a cada ano os resultados são mais satisfatórios. Dados do ministério mostram que em 2005, primeiro ano de realização da Obmep, 10,5 milhões de estudantes participaram. Este ano, o aumento de inscrições foi de 74%.

As propostas da primeira fase vão acontecer no mês de agosto, no dia 26. Segundo o ministro, a olimpíada é dirigida a alunos dos ensinos fundamentais e médios de escolas públicas, que dificilmente teriam condições de ingressar nas universidades. “O que nós estamos fazendo é estimulando o estudo e, com isso, ajudando esses jovens a passar no vestibular e ingressar no ensino superior”, salientou.

Rezende ainda destacou que essa olimpíada está exatamente abrindo caminho para que o jovem se interesse pelo estudo e busque a ciência por meio da matemática.

Mais informações sobre a Obmep podem ser obtidas pelo telefone (21) 2529-5084 ou pelo site: www.obmep.org.br/

Fonte: Gestão CT

4º International Symposium on GIS/Spatial analyses in Fishery and Aquatic Sciences

O 4º International Symposium on GIS/Spatial analyses in Fishery and Aquatic Sciences ocorrerá entre os dias 25 e 29 de agosto no Rio de Janeiro.

O objetivo é discutir o Geographic Information System (GIS) como uma ferramenta para conduzir análises espaciais em ciências aquáticas. Serão debatidos temas relacionados a ecossistemas marinhos, águas continentais e outros.

Em cada um dos temas serão discutidos tópicos como pesca, ecologia, ecossistemas marinhos, lacustres e fluviais, sensoriamento remoto, análise de recursos marinhos, modelagem geoestatística, teoria e conceitos, bases de dados e hardware.

O evento é promovido pelo laboratório de Aqüicultura e Sistemas de Informação Geográfica da Universidade Santa Úrsula, no Rio de Janeiro.

Mais informações: www.laquasig.bio.br

Fonte: Agência FAPESP

Finep lançará todos os seus editais deste ano ainda em junho

A Finep deverá concluir, até o dia 30 de junho, o lançamento de todos os seus editais. A informação foi dada ontem (11) pelo diretor de Inovação da instituição, Eduardo Costa, durante uma reunião na Subcomissão de Ciência, Tecnologia e Informática da Câmara dos Deputados.

“Nós estamos tentando agora acertar o calendário da Finep com o orçamento para que antes do final do ano o orçamento tenha sido todo executado, evitando os atropelos que aconteceram nos anos anteriores, de a gente ter que executar toda a ação da Finep no segundo semestre”, disse Costa.

De acordo com ele, um dos exemplos dessa nova sistemática é o edital de subvenção de 2009, que será divulgado no mês de novembro deste ano. Costa destacou que, em 2009, todos os programas da instituição serão executados ao longo do ano.
Durante a reunião, o diretor explicou que a Finep opera com três formas de dinheiro. A primeira, segundo ele, são os recursos orçamentários, que são transferidos para as instituições científicas e tecnológicas (ICTs) e não são reembolsáveis. A segunda é a subvenção econômica, onde a financiadora contrata diretamente projetos de P&D nas empresas. Neste caso, os recursos também são não reembolsáveis. A terceira forma é o dinheiro do capital de risco.

Costa explicou, aos parlamentares e consultores presentes, os entraves para se operar com o mecanismo de subvenção econômica. Na sua avaliação, a principal dificuldade é que a subvenção é um instrumento novo e que, pelo lado das empresas, muitas delas ainda não tomaram conhecimento do potencial deste mecanismo.

“Nós precisamos divulgar melhor e as empresas e as suas entidades de classe precisam se conscientizar que existe essa oportunidade, que é muito boa”, destacou.
O dirigente lembrou que a Finep também está se modernizando para poder oferecer um instrumento mais ágil para as empresas para que elas possam submeter e ter os seus projetos analisados e julgados de forma mais rápida e eficiente.

Debate
Costa ainda ressaltou a importância do debate entre a subcomissão e a Finep. Para ele, a reunião “abriu uma porta” muito interessante porque existem várias modificações que serão necessárias na legislação relacionada à inovação, como a Lei do Bem, a Lei de Inovação e as leis de Diretrizes Orçamentárias e Orçamentária Anual.

“Nós temos que trabalhar essa avenida que se abre aqui. É uma oportunidade muito boa para a gente colocar essa demanda da sociedade. A gente faz a lei e dois anos depois ela precisa ser modificada. Então, isso aqui é o canal de comunicação para fazer as modificações necessárias”, afirmou.

Na ocasião, foi acertado que a Finep e a subcomissão realizarão, uma vez por mês, debates em torno de diversos temas relacionados à área de ciência, tecnologia e inovação. Em princípio, foram definidos os seguintes temas: a questão das mudanças da legislação, o empreendedorismo, a formação de pessoal e a Lei do Bem. A ABIPTI, por meio da Agência Gestão C&T de Notícias, foi convidada a participar das reuniões.

Prioridades
Durante a reunião, o presidente da subcomissão, deputado Rodrigo Rollemberg, informou que a instância definiu, a pedido do presidente da CCTCI, Walter Pinheiro (PT-BA), alguns temas prioritários que serão discutidos para que a subcomissão tenha informações qualificadas para o seu relatório. Entre eles, a questão da execução dos fundos setoriais e as dificuldades na execução orçamentária. “A comissão luta pelo descontingenciamento, mas o que está autorizado não tem sido executado”, destacou.

O parlamentar também ressaltou que a CCTCI tem um papel suprapartidário. Ele citou, como exemplo, a votação do PL que regulamentou o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), que foi apreciado pela Câmara dos Deputados em uma semana.

Informações sobre as ações da Subcomissão de Ciência, Tecnologia e Informática da Câmara dos Deputados podem ser obtidas neste link.

Fonte: Bianca Torreão / Gestão CT

3° Sipid - Seminário Internacional de Patentes, Inovação e Desenvolvimento

Seminário discute as dimensões econômica, jurídica e social da propriedade industrial

Nos próximos dias 19 e 20 de junho, acontece o 3° Seminário Internacional de Patentes, Inovação e Desenvolvimento (Sipid), no Rio de Janeiro (RJ). O encontro, organizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Química Fina (Abifina), conta com a presença de especialistas brasileiros e estrangeiros que vão discutir questões relacionadas ao sistema de propriedade industrial e seus reflexos na viabilidade do desenvolvimento do país. As inscrições para o seminário foram encerradas. A programação do evento está disponível neste link.

No encontro, haverá três mesas de discussão. O tema da primeira mesa será sobre os aspectos da dimensão econômica da propriedade industrial, inovação tecnológica, direitos patentários e leis de competição como alavancas de desenvolvimento. Entre os palestrantes, estão Ronaldo Fiani do Instituto de Economia da Universidade do Rio de Janeiro, Susan k. Sell da George Washington University dos Estados Unidos e Mario Cimoli da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal).

No dia 20, sexta-feira, a segunda mesa abordará os aspectos da dimensão jurídica da propriedade intelectual, harmonização, governança e a nova arquitetura do sistema sob a ótica do desenvolvimento. Para esta mesa foram convidados Frederick M. Abbott da Flórida State University e Pierluigi Bozzi da Universita di Roma “La Sapienza” da Itália.

Para o encerramento, Jakkrit Kuanpoth da University of Wollongong da Austrália, Judit Rius Sanjuan da Knowledge Ecology Internacional dos Estados Unidos, Nuno Pires de Carvalho da Organização Mundial da Propriedade Industrial (Ompi), agência especializada da Organização das Nações Unidas (ONU), e Pedro Roffe do Centro de Tecnologias de Informação e Comunicação para o Desenvolvimento Social da sigla em inglês (ICTSD) irão discutir os aspectos da dimensão social da propriedade industrial, o acesso ao conhecimento, o acesso aos medicamentos e transferência de tecnologia.

Mais informações podem ser obtidas no site www.abifina.org.br e pelos telefones (21) 3125-1400/ 2532-1575.

Veja os anais da 2ª Sipid no link.

Fonte: Gestão CT

Regiões N, NE e CO são as mais contempladas por edital do Iphan

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), entidade associada à ABIPTI, divulgou, no dia 3, o resultado do edital nº 01/2007, de apoio a projetos de museus para aquisição de acervos museológicos, equipamentos e material permanente. O resultado foi divulgado na edição da mesma data do Diário Oficial da União.

No total, foram selecionadas 41 propostas, de todas as regiões do país. As que tiveram mais projetos aprovados foram as regiões Nordeste (11), Centro-Oeste (nove) e Norte (oito), respectivamente. A região Sul teve sete propostas aprovadas e a Sudeste, seis.

Pela Norte, foram aprovados os projetos do Museu do Homem do Norte, em Manaus (AM); do Museu Joaquim Caetano da Silva, de Macapá (AP); do Centro de Pesquisas Museológicas – Museu Sacaca, de Macapá (AP); do Museu Amazônico, de Manaus (AM); do Museu da Universidade Federal do Pará, de Belém (PA); do Memorial Coluna Prestes, de Palmas (TO); do Museu da Borracha, de Rio Branco (AC); e do Instituto Chico Mendes, de Xapuri (AC).

Pela região Nordeste, foram selecionadas as seguintes propostas: da Casa do Artista Popular, de João Pessoa (PB); do Museu do Homem Sergipano, de Aracajú (SE); da Casa do Penedo (AL); do Museu de Ciência e Tecnologia da Bahia, de Salvador (BA); do Museu Histórico de São Caetano (PE); do Memorial Coruripense, de Coruripe (AL); do Museu Eugênio Teixeira Leal, de Salvador (BA); do Museu do Ceará, de Fortaleza (CE); do Museu de Arte da Universidade Federal do Ceará (UFCE), de Fortaleza (CE); do Centro Cultural Odilon Nunes, de Amarante (PI); e do Centro de Documentação Cultural Eloy de Souza, de Natal (RN).

As propostas da região Centro-Oeste que foram aprovadas são: do Museu Ferroviário de Pires do Rio, do Museu de Arte Contemporânea, do Museu Pedro Ludovico, do Museu da Imagem e do Som de Goiás, do Museu Goiano Zoroastro Artiaga, todos de Goiânia (GO); do Museu Vivo da Memória Candanga, de Brasília (DF); do Museu de Arqueologia da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS), de Campo Grande (MS); do Museu das Culturas Dom Bosco, de Campo Grande (MS); e do Museu de Pré-história Casa Dom Aquino, de Cuiabá (MT).

Pela região Sudeste, foram aprovados os seguintes projetos: do Museu Histórico e Geográfico de Poços de Caldas (MG); do Museu Histórico e Pedagógico de Garça, de Garça (SP); do Museu Mariano Procópio, de Juiz de Fora (MG); do Instituto Pau Brasil de História Natural, de Arujá (SP); do Museu de Arte do Espírito Santo, de Vitória (ES); e do Museu de Imagens do Inconsciente, do Rio de Janeiro (RJ).

As propostas da região Sul que foram aprovadas são: do Museu de Música, de Timbó (SC); do Museu Antropológico de Osório, de Osório (RS); do Museu Histórico de Londrina “Pe. Carlos Weiss” (PR); do Museu Universitário do Extremo Sul Catarinense, de Criciúma (SC); do Museu da Baronesa, de Pelotas (RS); do Museu Histórico de Jaraguá do Sul (SC); e do Museu Histórico Regional, de Passo Fundo (RS).

O resultado está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

Fapemig lança edital do Programa Mineiro de Biotecnologia e Bioensaios – 2008

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) lançou o edital 15/2008 do Programa Mineiro de Biotecnologia e Bioensaios – 2008, com o objetivo de financiar propostas que promovam o desenvolvimento de plataformas de produção de kits de diagnósticos em áreas de interesse para o sistema público de saúde regional e que apresentem possibilidade de inserção em mercados internacionais, nas áreas de microbiologia, parasitologia e virologia humana e animal. As proposições devem ser encaminhadas, por meio eletrônico, até o dia 18 de agosto. O aplicativo AgilFap, para preenchimento da proposta está disponível no site www.fapemig.br/agilfap.

As propostas devem desenvolver produtos destinados ao uso no diagnóstico de doenças parasitárias, microbiológicas e virais transmissíveis, cujo eixo prioritário atinja doenças negligenciadas ou de impacto econômico para o sistema público de saúde, entre eles AIDS, Citomegalovírus, Dengue, Hepatite B, Hepatite C, Leishmaniose tegumentar, Leishmaniose visceral, Leptospirose, Malária, Rubéola, Sífilis e Tuberculose.

Poderão apresentar propostas instituições de pesquisa e desenvolvimento ou de ensino e pesquisa, públicas ou privadas, sem fins lucrativos, em parceria com micro e pequenas empresas do setor de biotecnologia, sediadas em Minas Gerais. Poderão ser apresentadas proposições que envolvam mais de uma instituição desde que uma seja definida para firmar o termo de Outorga Eletrônico, se tornando responsável pelas instituições parceiras e por toda a proposta.

O recurso total disponível para esse edital é da ordem de R$ 1,5 milhão, definido na Programação Orçamentária e Financeira de 2008 da Fapemig.

Veja a íntegra do edital: www.fapemig.br/admin/editais/upload/Edital 15-2008 Biotecnologia.pdf

Fonte: Gestão CT

Ipea aumenta bolsas em 18%

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) reajustou em 18% o valor máximo da bolsa concedida pelo instituto por meio do Programa de Pesquisa para o Desenvolvimento Nacional (PNPD).

O valor das bolsas vai variar, segundo determinação da portaria nº 193 de 10 de junho, entre R$ 750 a R$ 4.500. Antes o valor de variação era entre R$ 750 a R$ 3.800. A medida vale a partir de hoje (12) data da publicação da portaria no Diário Oficial da União (DOU).

A íntegra da medida está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

1º Encontro Internacional de Instituições Participantes do Latin American Knowledge Harverster (LAKH)

Encontro Internacional de Instituições Participantes do Latin American Knowledge Harverster conta com a participação do Ibict

Acontece, até hoje (13), na Universidade do Novo México, em Albuquerque (EUA), o 1º Encontro Internacional de Instituições Participantes do Latin American Knowledge Harverster (LAKH). O evento conta com a participação do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), que está sendo representando pelo seu coordenador geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos Consolidados, Hélio Kuramoto.

O evento é promovido pelas universidades do Novo México (EUA), de Guadalajara (México), Simon Bolívar (Bolívia), pelo Centro Cultural Abya Yala (Equador) e pelo MCT. O representante do Ibict foi um dos convidados do painel sobre “Os avanços dos trabalhos desenvolvidos pelo Ibict, pelo Instituto de Pesquisas Históricas Bolivarium (Bolívia) e pelo Centro Cultural Abya Yala (Equador)”.

O encontro integra o projeto da LAKH, que neste ano tem como tema a “Cooperação Internacional para a Coleta Digital e a Pesquisa Científica”. De acordo com informações do Ibict, o LAKH é um serviço destinado a promover o acesso e a recuperação de conteúdos existentes em coleções digitalizadas miltidisciplinares sobre a América Latina na internet.

O instrumento é coordenado pela Universidade do Novo México e baseia-se no Protocolo para Coleta de Metadados na modalidade de Arquivos Abertos (OAI-P MH).

Informações sobre as ações do Ibict podem ser obtidas no site www.ibict.br.

Fonte: Gestão CT

Fiesp apoiará iniciativa para diminuir o desmatamento na Amazônia

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) firmará, em breve, um termo de cooperação com o Ministério do Meio Ambiente (MMA) para que o setor passe a comprar produtos de fornecedores que não estão desmatando a floresta amazônica. A informação foi dada no dia 10, pelo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, durante reunião do Conselho Superior de Meio Ambiente da Fiesp, em São Paulo (SP).

De acordo com o MMA, a partir do dia 15 de junho, as grandes empresas do país, principalmente frigoríficos, siderúrgicas, madeireiras e agropecuárias serão notificadas para que, em no máximo 60 dias, encaminhem ao governo a listagem dos seus fornecedores de produtos originários da Amazônia, para que seja fiscalizada sua procedência.

Em notícia divulgada pelo ministério, Minc destacou que o órgão não está criando punições novas, mas dando prazos para o cumprimento de leis já existentes. “As empresas serão co-responsáveis pelos crimes ambientais cometidos pelos seus fornecedores e arcarão com as penas da lei. É o ‘cumpra-se’ da fiscalização das cadeias produtivas”, afirmou.

O ministro ainda disse que não adianta ter um policial “atrás de cada um” para se evitar o desmatamento da Amazônia. Em sua avaliação, é preciso dar condições de renda para que os 25 milhões de habitantes da região possam produzir de forma sustentável, sem destruir a floresta.

Ele também defendeu o apoio dos empresários modernos que já perceberam a importância de se ter desenvolvimento econômico aliado à preservação do meio ambiente. Minc acredita que o apoio da Fiesp é fundamental nesse contexto.

O ministro ainda informou que serão adotados no país padrões mais rigorosos de controle da poluição do ar, a exemplo que ocorre em países desenvolvidos. Sobre o combate a crimes ambientais, ele anunciou que, em 15 dias, o presidente Lula deverá assinar um decreto, com 50 artigos, que regulamentará a Lei de Crimes Ambientais.

Fonte: Gestão CT

Fapemig reajusta valores das bolsas concedidas

Reajuste de bolsas em Minas Gerais acompanham valores nacionais
A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), instituição associada à ABIPTI, reajustou os valores das bolsas concedidas no Estado para mestrado e doutorado. Os valores seguem a média de aumento de 30% concedidas pelo governo federal.

As bolsas também serão equiparadas, ou seja, a bolsas de mestrado R$ 1,2 mil e de doutorado R$ 1,8 mil, terão o mesmo valor das bolsas atualmente concedidas pelo CNPq. O reajuste está valendo desde 1º de junho.

Segundo informações da Fapemig, as gestoras que já receberam o repasse trimestral de recursos receberão a diferença na próxima remessa. Informações complementares podem ser obtidas pelo e-mail .

Fonte: Gestão CT