quarta-feira, 4 de junho de 2008

Parceria Brasil e Holanda

O adido econômico da Embaixada do Reino dos Países Baixos em Brasília, Hubertus Sleegers, fala nesta quinta-feira, 5 de junho, às 16h, sobre as parcerias entre a Holanda e o Brasil na sala A1-04 da Faculdade de Direito (FD) da UnB, no campus do Plano Piloto.

Em abril de 2008, as duas nações estreitaram seus laços com a assinatura de um acordo de cooperação no setor de biocombustíveis, durante visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva àquele país.

Na ocasião, também foram assinados documentos sobre portos, transporte marítimo, águas, educação e proteção do patrimônio cultural. A palestra é promovida pelo Instituto de Relações Internacionais (Irel) da UnB e pela embaixada.

Mais informações pelo telefone (61)3307 3977.

Fonte: UnB

Os desafios e avaliação do jornalismo científico ibero-americano

Los desafíos e la evaluación del periodismo científico en Iberomérica

Pesquisadores e jornalistas
Com o objetivo de avaliar a situação atual do jornalismo científico na América Latina, cerca de 40 pesquisadores e profissionais de 13 países da região se reuniram no fim de julho de 2007, na cidade Boliviana de Santa Cruz de la Sierra, no evento Jornadas Ibero-americanas sobre a Ciência e os Meios de Comunicação de Massa.

Os resultados dos debates sobre os desafios da divulgação científica no continente podem ser conferidos no livro Os desafios e avaliação do jornalismo científico ibero-americano, que acaba de ser publicado na internet e pode ser lido gratuitamente.

O evento e a publicação foram produzidos pela Agência Espanhola de Cooperação Internacional (AECI), pelo Programa de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento (Cyted) e pela Rede de Indicadores de Ciência e Tecnologia (Ricyt), com apoio da Rede de Ciência e Desenvolvimento (SciDev.Net) e da Organização de Estados Americanos (OEA).

De acordo com uma das responsáveis pelo livro e pelo evento, Luisa Massarani, coordenadora do SciDev.Net na América Latina, a publicação aborda temas-chave ligados ao jornalismo científico.

“O livro reproduz as principais reflexões, feitas durante o evento, sobre o significado de se fazer jornalismo científico na América Latina. Tratamos não apenas das relações entre o cientista e o jornalista, mas também do interesse do público em ciência e tecnologia”, disse Luisa, que também coordena o Núcleo de Estudos da Divulgação Científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Além de oito artigos escritos por pesquisadores e profissionais da área que atuaram como palestrantes no evento, o livro inclui relatos de experiências dos alunos participantes, que descreveram a realidade da divulgação científica em seus países e nos meios de comunicação nos quais trabalhavam.

O evento teve participantes da Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Guatemala, México, Panamá, Peru, Uruguai e Venezuela. “O resultado foi uma reflexão aprofundada, com abordagem histórica, associada a um panorama geral da realidade do jornalismo científico nesses países”, salientou.

Uma das constatações feitas na publicação, segundo Luisa, foi a importância da própria pesquisa na área de jornalismo científico. “Muitas vezes o pesquisador dessa área não conhece a realidade de uma redação, enquanto o jornalista que atua na área não dá importância aos estudos sobre essa atividade. O livro poderá ser importante para mostrar a necessidade de mais estudos na área”, disse.

Foram debatidas também as controvérsias e questões éticas ligadas à prática do jornalismo científico, assim como a permanente tensão entre jornalistas e cientistas.

“Outro assunto discutido foi a questão da assessoria de imprensa na área. Muitas vezes não se dá importância ao papel do assessor na América Latina, onde o jornalista tende a querer trabalhar em meios de comunicação de massa. Em países europeus, por exemplo, as instituições de pesquisa trabalham com profissionais extremamente qualificados”, disse Luisa.

Segundo ela, o livro mostra que há fragilidades importantes na prática do jornalismo científico. “É comum os meios de comunicação da América Latina fazerem propaganda científica disfarçada de jornalismo. Falamos pouco sobre as controvérsias e limitações da ciência. Temos necessidade de mais reflexão e de um jornalismo mais crítico”, afirmou.

Por outro lado, segundo a pesquisadora, pontos positivos foram detectados, como o momento atual bastante promissor para o jornalismo científico, à medida que o interesse pela prática cresce continuamente, tanto entre jornalistas como entre os meios de comunicação e os governos.

“Há uma evidente vontade de melhorar e um aumento de interesse em vários países. Os meios de comunicação começam a dar mais espaço ao tema, inclusive fora das editorias exclusivamente dedicadas à ciência, e os governos já percebem a importância de divulgar a ciência”, disse.

O interesse dos estudantes de jornalismo – mesmo com pouco estímulo – também é crescente, segundo Luisa. “Poucas universidades têm disciplinas de jornalismo científico ou professores que se dedicam ao assunto, mas é possível ver um interesse crescente, à medida que temas como transgênicos, nanotecnologia e células-tronco embrionárias colocam em pauta a necessidade de um diálogo maior entre a ciência e a sociedade”, destacou.

O livro Os desafios e avaliação do jornalismo científico iberoamericano, com 136 páginas, pode ser lido em clique aqui.

Fonte: Fábio de Castro / Agência FAPESP

Fiocruz desenvolve e valida teste molecular para o diagnóstico da tuberculose de alta complexidade

Nova ferramenta contra a tuberculose
Pesquisadores do Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães (CPqAM) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Pernambuco, desenvolveram e validaram um teste molecular para o diagnóstico da tuberculose de alta complexidade, em especial a tuberculose infantil e a tuberculose extrapulmonar.

O teste funciona com a identificação do IS6110, um elemento genético da bactéria causadora da doença, o Mycobacterium tuberculosis. O objetivo é detectar, de maneira precoce, os casos de tuberculose em que a presença do bacilo no organismo é muito baixa, gerando um tipo da doença que pode ocorrer nos gânglios linfáticos, ossos, articulações, fígado, pele e sistema nervoso central.

Ao ser validado em amostras de sangue de 117 crianças de ambos os sexos, com idades entre seis meses e 14 anos, atendidas no Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no Hospital Barão de Lucena e no Instituto Materno Infantil Professor Fernando Figueira (Imip) – todos no Recife –, o novo método apresentou especificidade de 100%, ou seja, capacidade de descartar a presença do M. tuberculosis em indivíduos saudáveis. Apresenta também 92,6% de sensibilidade, ou a capacidade de confirmar a presença do bacilo.

A eficácia do teste molecular foi comprovada por meio do método conhecido como Nested-PCR, que amplifica, em crianças com suspeita de tuberculose, um trecho específico do DNA da bactéria em milhares de vezes. De acordo com a coordenadora do trabalho e chefe do Laboratório de Imunoepidemiologia do CPqAM, Haiana Schindler, o método molecular que acaba de ser validado é capaz de detectar uma quantidade de DNA menor que a existente em uma célula bacteriana.

“Com o teste, a presença de apenas um bacilo pode ser suficiente para indicar, em cerca de 24 horas, se o paciente está infectado”, disse ela. “A tuberculose é particularmente difícil de ser diagnosticada em crianças. O quadro clínico clássico geralmente é ausente, sendo mais comum a presença de sintomas não específicos.”

Por conta disso, atualmente o diagnóstico laboratorial da tuberculose infantil apresenta diversas dificuldades: as imagens radiológicas pulmonares nem sempre são conclusivas e o teste conhecido como Mantoux pode ser de difícil interpretação devido, sobretudo, à vacinação prévia das crianças com a vacina BCG. Além disso, a cultura de sangue tem baixa sensibilidade e requer muito tempo para obtenção do resultado, uma vez que o bacilo Mycobacterium tuberculosis necessita de oito a dez semanas para se multiplicar.

Segundo Haiana, que também é professora do Departamento Materno Infantil da UFPE, hoje o procedimento mais comum, devido à dificuldade das crianças menores em expectorar, é a cultura de lavado gástrico nos suspeitos de tuberculose pulmonar, que detecta a presença do bacilo em cerca de 40% dos casos.

“Já pelo teste molecular, a detecção do M. tuberculosis pode ser obtida com sensibilidade de uma cópia de DNA alvo em uma única célula bacteriana, extraída de amostras clínicas de naturezas variadas. Esse novo método detecta a presença do material genético específico da microbactéria presente na tuberculose-doença, com sintomas, e também na tuberculose-infecção, ainda sem os sintomas”, explicou.

Amplificação de seqüências de DNA
A técnica da Fiocruz para o diagnóstico rápido da tuberculose é baseada na reação em cadeia da polimerase (PCR). A amplificação específica de seqüências de ácidos nucléicos por meio da PCR, que permite a síntese enzimática in vitro de seqüências de DNA, também tem sido empregada no diagnóstico de várias doenças infecciosas.

“Para o controle da tuberculose é importante o diagnóstico precoce e, como existem falhas nos métodos rotineiros utilizados atualmente, a necessidade de um teste rápido, sensível e prático levou ao desenvolvimento desse novo teste diagnóstico molecular”, explicou Haiana.

Se entre as vantagens do novo teste estão a alta sensibilidade, especificidade e rapidez na obtenção do resultado, a pesquisadora aponta que uma das desvantagens pode ser o custo mais elevado, apesar de os pesquisadores da Fiocruz ainda não terem realizado estudos de custos.

“A vantagem é que, quando comparada com os gastos da saúde com outros exames laboratoriais, dias de internação, medicamentos e outras seqüelas ocasionadas por falta de diagnóstico precoce, os benefícios desse novo teste poderão compensar a sua implantação nos principais serviços de referência do Brasil”, afirmou.

Atualmente, o teste molecular só está sendo utilizado em contexto de pesquisa. “Estamos trabalhando no desenvolvimento e validação de um kit de diagnóstico para ser implantado nos principais centros e instituições de referência da tuberculose no Brasil em casos de difícil elucidação. Para isso, a relação custo-benefício do método já está sendo avaliada”, disse a pesquisadora do Departamento de Imunologia do CPqAM.

A intenção é fazer com que a utilização do teste molecular, associada aos métodos tradicionais, contribua para um diagnóstico mais preciso em qualquer fase da doença, permitindo o tratamento precoce e o controle da sua transmissão. A tuberculose infantil é um problema de saúde pública que atinge 1,3 milhão de crianças por ano no Brasil.

Estima-se que cerca de 50 milhões de pessoas estejam infectadas pela Mycobacterium tuberculosis no Brasil, o que resulta na 16ª posição entre os 22 países com mais alta carga de tuberculose do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Entre os casos notificados no país, 10% acometem menores de 15 anos.

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

LabMov - Laboratório de Ensaios em Móveis da UnB - é acreditado pelo INMETRO

O Laboratório de Ensaios em Móveis (LabMov) recebeu em maio de 2008, o selo de laboratório acreditado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO) pelo trabalho e sistema padrão de qualidade implantado pelo Labmov e pela exigência dos órgãos públicos para que os laboratórios emitam certificados de ensaio emitidos pelo Instituto.

Para a gerente técnica do LabMov, Valéria Pazetto, ver o Laboratório acreditado pelo INMETRO, significa mais um importante passo para a consolidação de todo trabalho desenvolvido. “Nós somos os únicos acreditados pelo Centro-Oeste, recebemos uma grande demanda em função do governo federal e o selo do INMETRO é um atestado de qualidade do trabalho que realizamos”, declara.

O LabMov tem como objetivo atender as demandas de fornecedores de móveis e órgãos públicos que buscam obter um certificado de ensaio (laudo técnico), conforme as normas da ABNT. O programa Disque Tecnologia do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB), gestor do Laboratório, recebe a demanda do cliente e a encaminha ao Laboratório para atendimento e emissão dos laudos técnicos, facilitando a interação universidade-empresa.

Criado em 1998 e pertencente ao Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade, o LabMov colabora na melhoria da qualidade dos móveis existentes no mercado, realiza ensaios em móveis para escritório emitindo laudos de conformidade com as normas. Avalia as características técnicas dos móveis, executa ensaios de estabilidade, resistência e durabilidade segundo as normas técnicas da ISO e ABNT, realiza também, avaliações ergonômicas e testes de caráter qualitativo, incluindo conforto e estética.

O Laboratório oferece cursos de curta duração visando capacitar profissionais de instituições públicas e privadas a elaborar especificação de móveis segundo as normas técnicas. O curso é destinado aos técnicos responsáveis pela compra de mobiliário (especificação, recebimento e manutenção de móveis) e é dividido em 5 módulos no total de 16 horas, nos quais se procura abranger as questões mais importantes a serem exigidas na compra de um móvel: atendimento as normas técnicas, materiais e componentes de móveis, ensaios, ergonomia e análise dimensional.

A acreditação de laboratórios do INMETRO é concedido a qualquer laboratório que realize serviços de calibração e/ou de ensaios, em atendimento a própria demanda interna ou de terceiros, independente ou vinculada a outra organização, público ou privado, nacional e estrangeiro, independente do seu porte ou área de atuação.

O INMETRO é de caráter voluntário e representa o reconhecimento formal da competência de um Organismo de Avaliação da Conformidade (OAC) para desenvolver tarefas específicas. Criado em 1973, o Instituto tem como por objetivo fortalecer as empresas nacionais, aumentando sua produtividade por meio da adoção de mecanismos destinados à melhoria da qualidade de produtos e serviços.

Mais informações nos endereços: www.cdt.unb.br, www.labmov.unb.br, www.inmetro.gov.br

Informações para imprensa: Núcleo de Comunicação do CDT/UnB, no telefone (61) 3347-0617 ou pelo e-mail

Fonte: Denise Porfírio / CDT - UnB

Prêmio Marta Rossetti Batista de História da Arte e Arquitetura

O Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da Universidade de São Paulo (USP) convida para a cerimônia de entrega da primeira edição do Prêmio Marta Rossetti Batista de História da Arte e Arquitetura.

O evento, que ocorrerá no dia 6 de junho, às 17 horas, na capital paulista, premiará a monografia Quimeras da modernidade nas imagens de Marcelo Grassmann (vol. I e vol. II), de Priscila Rossinetti Rufinoni.

O objetivo da competição é premiar a melhor monografia inédita de história da arte e arquitetura, escrita em português, sobre o período barroco e o modernismo no Brasil, temas esses que foram objeto das pesquisas da professora Marta.

Marta Rossetti Batista (1941-2007) foi, durante a década de 1990, diretora do IEB/USP, tendo se destacado como historiadora de arte e museóloga. Formada em Arquitetura e Urbanismo pela USP em 1964, tornou-se docente do instituto em 1966, chegando ao cargo de vice-diretora em 1990 e diretora em 1994.

Em seus últimos anos no IEB dedicou-se a estudar a vida e a obra de Anita Malfatti, pesquisa que resultou na publicação Anita Malfatti no tempo e no espaço, vencedora do Prêmio Jabuti de Melhor Biografia em 2007.

Mais informações: www.ieb.usp.br/premio

Congresso Nacional de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção


Congresso Nacional de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção & Conferencia Internacional sobre Evaluación de Integridad y Extensión de Vida de Equipos Industriales (CONAEND & IEV) , de 9 a 12 de junho, no Centro Fecomercio de Eventos, em São Paulo. O tema da conferência de abertura é "O Setor Elétrico e as Perspectivas para o Setor de END” e será ministrada por Luiz Soares, diretor técnico da Eletronuclear.

Paralelamente ao CONAEND&IEV2008 serão realizados outros eventos, como o 2º Encontro Nacional de Profissionais Certificados em Ensaios Não Destrutivos (END), 7º Encontro Mercosul de Normalização em END, Workshop em Integridade Estrutural em Alta Temperatura, Reuniões das Comissões Técnicas da ABENDE, 3° Workshop de Profissionais N3 Certificados pelo SNQC/END, mini-cursos e a feira 16ª EXPOEND - Exposição Técnica de Equipamentos, Produtos e Serviços de END e Inspeção.

Os eventos são promovidos pela Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção (Abendi) entidade técnico-científica sem fins lucrativos.

Fonte: IPEN

Exposição Flora Brasiliensis On-line

Em comemoração ao Dia Internacional do Meio Ambiente, o Instituto Martius-Staden e o Hospital Alemão Oswaldo Cruz, com a colaboração da FAPESP e do Kulturfest, promovem a exposição Flora Brasiliensis On-line.

A mostra, que estará de 5 a 30 de junho em São Paulo, no Hospital Alemão Oswaldo Cruz, é formada por painéis com reproduções de ilustrações originais da Flora Brasiliensis, obra enciclopédica organizada pelo naturalista alemão Carl Friedrich Philipp von Martius (1794-1868).

A exposição, pertencente ao acervo da FAPESP, foi apresentada inicialmente em março de 2006 em Curitiba, durante a Oitava Reunião da Conferência das Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica (COP 8), ocasião em que foi feito o lançamento da obra original na internet, por meio de uma parceria entre FAPESP, Fundação Vitae e Natura Cosméticos.

Na obra original de Martius estão 3,8 mil ilustrações de plantas e biomas. A exposição também narra o percurso da expedição e a posterior importância da obra.

Entre os destaques estão ilustrações sobre a Floresta Primitiva da Serra dos Órgãos e Floresta do Morro do Corcovado, ambas situadas na então província do Rio de Janeiro, paisagens da Mata Atlântica e da Floresta Amazônica e árvores às margens do rio Amazonas, além do mapa com o itinerário das expedições de Martius.

Mais informações: www.martiusstaden.org.br

Fonte: Agência FAPESP

Máquinas de lavar roupa com cerca de 70% de polipropileno

Inovação no segmento de lavadoras de roupa
Máquinas de lavar roupa com composição de cerca de 70% de polipropileno, combinando qualidade e design inovador. Esse é o resultado da parceria entre a Braskem, terceira maior produtora de resinas termoplásticas das Américas e líder do mercado latino-americano, e a Whirlpool, líder do segmento de eletrodomésticos na América Latina, presente no País com as marcas Brastemp, Consul e KitchenAid. São duas máquinas automáticas e duas semi-automáticas, todas da marca Consul, que apresentam uma série de vantagens para o consumidor.

A nova linha é composta por máquinas mais leves e fáceis de transportar. Fabricados com polipropileno da Braskem, resina plástica de grande resistência e flexibilidade, os novos modelos possuem exclusivo design arredondado, são mais fáceis de limpar, não enferrujam e não ficam amarelados ou encardidos com o tempo. Os produtos apresentam também outros benefícios: os modelos automáticos trazem o sistema "Nível Fácil", único no mercado, que ajuda o consumidor a definir a quantidade correta de água e sabão a ser utilizada durante a lavagem, evitando desperdícios. Já as lavadoras semi-automáticas possuem a maior capacidade da categoria.

Para permitir à Whirlpool colocar as novas lavadoras em polipropileno no mercado, a Braskem disponibilizou todo o seu portfolio de resinas, além de desenvolver outras exclusivas para o projeto, como o PP ultra clarificado Prisma® 3410, lançado no mercado brasileiro no início deste ano. "Essa resina abre uma nova fronteira para que o polipropileno possa ser utilizado na confecção de peças que exigem grande transparência, entre outras propriedades", ressalta Rui Chammas, diretor Comercial de Polipropileno da Braskem. Ele destaca a capacidade da companhia em desenvolver novas resinas e lançá-las no mercado em tempo recorde.

O trabalho conjunto entre as duas empresas foi fundamental para viabilizar o lançamento das novas máquinas. Segundo Marcelo Fischer, gerente geral de Tecnologia de Lavanderia da Whirlpool, a aliança foi essencial para que as novas máquinas evoluíssem da condição de projeto para um produto com qualidade diferenciada. "É muito importante estabelecer parceria com uma empresa como a Braskem, que, como a Whirlpool, tem em seus pilares estratégicos a inovação, a tecnologia e o compromisso de buscar as melhores soluções para os consumidores e o mercado", ressalta o executivo da Whirlpool.
O Programa de Inovação da Braskem tem o objetivo de identificar oportunidades e incentivar o desenvolvimento de soluções inovadoras com seus clientes. "Este tipo de parceria reforça o compromisso da Braskem em atuar em conjunto com toda a cadeia produtiva do setor, em busca das melhores soluções. O consumidor final também é beneficiado ao ter à sua disposição um produto altamente inovador, moderno, acessível e de qualidade", explica Chammas.

A linha branca é um segmento estratégico para a Braskem, que prevê um aumento de 6 mil toneladas/ano na produção de polipropileno por conta desta nova linha de lavadoras de roupa. Mais do que aumentar o volume das vendas de resina, a parceria entre a Braskem e a Whirlpool abre uma grande oportunidade para ampliar a utilização de plásticos de maior valor agregado em outros produtos eletrodomésticos.

Fonte: Anpei

Vagas para assistentes técnicos no GridUnesp

A coordenação geral do GridUnesp, Programa de Integração da Capacidade Computacional da Universidade Estadual Paulista, tendo em vista a inovação tecnológica representada pela implantação do primeiro campus grid (para computação em grade, ou em alto desempenho) na América Latina, constituiu um comitê de busca para preenchimento de duas funções de assistente técnico associadas ao projeto.

O GridUnesp foi implantado por meio de convênio entre a Financiadora de Estudos e Projetos, a Fundação para o Desenvolvimento da Unesp (Fundunesp) e a Unesp.

O comitê de busca deverá ser responsável por selecionar os candidatos que comporão as listas tríplices para cada uma das funções, a serem encaminhadas ao coordenador-geral do GridUnesp.

O contrato de trabalho a ser firmado com a Fundunesp será por tempo indeterminado e regido pela Consolidação das Leis do Trabalho. Além do salário de R$ 6,5 mil, terá como benefícios vale-refeição, assistência médica e vale-transporte. Os funcionários ficarão lotados na sede do GridUnesp, no bairro da Barra Funda em São Paulo.

O comitê de busca será presidido por Antonio Saverio Rincon Mungioli (diretor do Serviço Técnico de Informática da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo) e terá como integrantes Marco Vinicio Ostrovski (consultor de tecnologia da informação), os coordenadores do GridUnesp, Eduardo de Moraes Gregores (Universidade Federal do ABC) e José Roberto Bollis Gimenez (Unesp), e Rogério Luiz Iope (coordenador técnico do São Paulo Regional Analysis Center – Sprace).

Os candidatos devem ter formação acadêmica e experiência compatíveis com a função, reconhecida competência profissional na área, capacidade de gerenciamento e liderança, além de habilidade de planejamento, organização e coordenação de equipe.

Caberá ao ocupante de uma das funções de assistente técnico implantar e administrar a infra-estrutura de processamento em grid; liderar as equipes de suporte técnico do sistema de processamento local e remoto; servir de contato para parcerias internacionais de grid; e manter-se atualizado na área e participar da formação de recursos humanos, elaborando e aplicando treinamentos.

Ao ocupante da outra função de assistente técnico caberá atuar como facilitador junto a equipes de desenvolvimento de sistemas e suporte aos usuários, prestando orientações técnicas sobre aplicativos científicos para processamento de alto desempenho, buscando agilizar e assegurar a qualidade dos desenvolvimentos científicos.

O processo de seleção envolverá o exame da documentação exigida para inscrição dos candidatos: curriculum vitae e texto de no máximo cinco páginas, descrevendo as diretrizes que pretende adotar na coordenação do GridUnesp e seu projeto de gestão e plano de trabalho.

Os candidatos selecionados serão convocados para uma entrevista a ser realizada pelo comitê de busca.

As inscrições devem ser encaminhadas até dia 14 de junho para Sérgio Novaes, coordenador-geral do GridUnesp, pelo e-mail

Fonte: Agência FAPESP