segunda-feira, 19 de maio de 2008

Arquitetura genética de características de desempenho zootécnico e de carcaça em frangos de corte (Gallus gallus) através do mapeamento de QTL´s

Frango mapeado

Uma tese de doutorado apresentada no Programa de Pós-Graduação em Genética e Melhoramento da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba (SP), possibilitou a identificação de duas novas regiões no genoma do frango que contêm genes associados a características de interesse para a indústria avícola.

Com o objetivo de compreender como as características de desempenho e de rendimento de carcaça de frangos de corte são controladas geneticamente, essas regiões – denominadas QTLs (Quantitative Trait Loci, na sigla em inglês) ou posições no genoma que controlam características quantitativas dos animais – foram obtidas a partir da associação de informação fenotípica (da característica) e genotípica (do DNA).

A identificação das regiões no genoma só foi possível devido à implementação de uma nova metodologia de análise, adaptada pelo então doutorando Millor Fernandes do Rosário, pesquisador do Laboratório de Biotecnologia Animal do Departamento de Zootecnia da Esalq, e outros colaboradores da instituição de pesquisa.

Segundo ele, 360 frangos, fornecidos pela Embrapa Suínos e Aves, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária em Concórdia (SC), foram selecionados para ter seus DNAs investigados por marcadores moleculares localizados nos cromossomos 1, 3 e 4, que representam 29,2% de todo o genoma da ave.

“A aplicação de um método mais elaborado, chamado mapeamento por intervalo composto, é um dos grandes méritos do estudo em relação aos já publicados por diversos grupos de pesquisa”, disse Rosário. “Ele foi implementado a partir da adaptação de outro método proposto por pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte.”

“Com esse método por nós aperfeiçoado, conseguimos mapear, no genoma do frango, um total de 21 QTLs, o que correspondeu a 50% mais QTLs mapeados em relação ao mapeamento por intervalo que vem sendo empregado pela comunidade científica da área”, afirmou.

“A grande diferença é que o mapeamento por intervalo apresenta algumas limitações que foram aperfeiçoadas pelos pesquisadores da universidade norte-americana em plantas, mas ainda não tinha sido implementado em populações de animais”, explicou Rosário.

Duas regiões inéditas
Com dados em mãos, como medidas de desempenho e rendimento de carcaça dos frangos, os pesquisadores realizaram diversas análises utilizando conceitos de genética e estatística. Computadores com alta capacidade de processamento foram utilizados e foi desenvolvido um software próprio.

“Dos 21 QTLs mapeados foram definidas duas regiões do genoma do frango ainda não descritas na literatura – uma associada ao ganho de peso e outra ao consumo de ração pelos animais. Não sabemos, no entanto, quantos e quais genes são responsáveis por essas características”, disse Rosário.

Segundo ele, no Brasil, que é o terceiro maior produtor mundial de carne de frango, 75% do custo de produção do animal vem da ração. “Temos ainda um longo período de estudos pela frente, considerando que nossos resultados são experimentais e agora precisam ser validados em populações de animais comerciais”, apontou.

“Mas, se conseguirmos diminuir, por exemplo, um grama no consumo diário de cada animal, o custo de produção poderá cair significativamente. O Brasil produz anualmente cerca de 4,3 bilhões de aves por ano”, disse o pesquisador, que desenvolveu seu estudo com bolsa de doutorado concedida pela FAPESP. “E como a ração é feita à base de soja e milho, essa redução de consumo seria acompanhada por um excedente desses alimentos no mercado.”

Além de mapear os QTLs, o estudo deu outra importante contribuição à genômica avícola ao estudar a base da correlação genética entre as características dos animais avaliadas, ou seja, como elas se relacionam entre si, o que também poderá contribuir para o melhoramento genético dos animais.

“Verificamos que, apesar de as características de desempenho e de rendimento de carcaça apresentarem elevada correlação, em alguns casos essa correlação se deveu à ligação gênica, ou genes distintos localizados no mesmo cromossomo que controlam uma característica e, em outros casos, à pleiotropia, ou genes que controlam, ao mesmo tempo, diversas características”, explicou.

O trabalho, orientado pelo professor Antonio Augusto Franco Garcia, do Departamento de Genética, e co-orientado pelo professor Luiz Lehmann Coutinho, do Departamento de Zootecnia, ambos da Esalq, contou com a colaboração de mestrandos e outros doutorandos da instituição, além de pesquisadores da Embrapa Suínos e Aves e da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

O cardiologista Enio Buffolo tem seu nome inscrito no monumento a Hipócrates

No coração da medicina

Médicos com destaque internacional por suas contribuições foram homenageados com a inscrição de seus nomes nas pedras de mármore que sustentam o monumento a Hipócrates (460 a.C / 377 a.C), na ilha grega de Kós, onde nasceu o “pai da medicina”. Um dos nome é o do cardiologista brasileiro Enio Buffolo, professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

A homenagem foi feita durante o 18º Congresso da Sociedade Mundial dos Cirurgiões Cardiotorácicos em Kós, no dia 29 de abril. Segundo a instituição, os nomes dos médicos homenageados “serão conservados para a eternidade, no lugar de nascimento da profissão médica”.

Professor titular de cirurgia cardiovascular e chefe do Departamento de Cirurgia da Unifesp, Buffolo desenvolveu, em 1982, a técnica de revascularização do miocárdio sem circulação extracorpórea.

“A cirurgia cardíaca brasileira é muito respeitada internacionalmente. É um dos nichos de excelência da nossa ciência, como foi demonstrado recentemente em publicação da Academia Brasileira de Ciências”, disse Buffolo.

Em 1983, o médico publicou um estudo em que descrevia a técnica relacionada à revascularização direta do coração sem o emprego da circulação extracorpórea. Os resultados iniciais obtidos com 80 pacientes submetidos à cirurgia cardíaca com a nova técnica foram positivos. O destaque foi a simplicidade do procedimento, que dispensava o uso de sangue homólogo durante a operação.

Em 1996, quando o professor publicou os resultados finais de seu trabalho na revista Annals of Thoracic Surgery, o procedimento passou a ser conhecido e aplicado internacionalmente. O artigo tornou-se um dos trabalhos da literatura médica brasileira mais citados em todo o mundo.

“Durante o evento na Grécia apresentei uma conferência sobre a história e a evolução da cirurgia coronária sem circulação extracorpórea – que oferece uma alternativa pouco invasiva, por permitir que o coração seja operado sem parar de bater”, disse.

Em 2007, uma análise crítica dos 23 anos de uso dessa técnica cirúrgica em 3.866 pacientes concluiu que a dispensa do emprego do coração-pulmão artificial (circuito extracorpóreo) é um importante avanço na operação de ponte de safena.

Na década de 1990, Buffolo desenvolveu, no Hospital São Paulo, da Unifesp, o tratamento dos aneurismas da aorta com endoprótese do aneurisma e da dissecção da aorta. Colaborou também no desenvolvimento de uma prótese nacional. Seu grupo tem mais de mil pacientes operados.

Formado em 1965 pela Unifesp, o médico concluiu seu doutorado em 1973 pela mesma universidade. Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, da Sociedade Européia de Cirurgia Cardiotoráxica e do Colégio Brasileiro dos Cirurgiões, Buffolo foi presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardíaca e da Sociedade de Cirurgia Cardíaca do Estado de São Paulo. Foi ainda vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia

Fonte: Fábio de Castro / Agência FAPESP

Finep - R$ 10 milhões para Rede-Clima

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) aprovou o financiamento de R$ 10 milhões para a implantação da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas (Rede-Clima), coordenada pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Os recursos, que serão recebidos ainda em 2008, deverão permitir o estabelecimento da estrutura básica da rede criada pelo Ministério da Ciência e Tecnologia.

A Rede-Clima envolve diversas instituições brasileiras voltadas para estudos na área de mudanças climáticas, adaptação e mitigação voltados a diversos setores e sistemas, como biodiversidade, agricultura, energias renováveis, zonas costeiras, recursos hídricos, saúde humana, megacidades, desastres naturais e políticas públicas.

Segundo o Inpe, o objetivo da rede é gerar e disseminar conhecimento e tecnologia para que o Brasil possa responder às demandas e aos desafios provocados pelas mudanças climáticas globais. Além disso, ela tem a missão de produzir dados e informações necessários ao apoio da diplomacia brasileira nas negociações sobre o regime internacional de mudanças do clima.

A rede deverá atuar ainda na realização de estudos sobre as vulnerabilidades do país às mudanças climáticas, além de estudar alternativas de adaptação dos sistemas sociais, econômicos e naturais do Brasil a essas mudanças.

A secretaria executiva da Rede-Clima cabe ao Inpe, que deverá articular a integração científica entre os pesquisadores participantes, promovendo o caráter multidisciplinar e de tecnologia social.

Mais informações: www.inpe.br

Fonte: Agência FAPESP

Congresso Internacional de Ciências do Movimento Humano

O Congresso Internacional de Ciências do Movimento Humano será realizado de 25 a 27 de junho, junto com o 2º Simpósio Internacional em Atividade Física, Esporte e Saúde, na Universidade Cruzeiro do Sul (Unicsul), em São Paulo.

As linhas temáticas dos eventos são: Atividade física e saúde; Nutrição aplicada à atividade física; Esporte e saúde; Coordenação e controle motor e Fisiologia do exercício.

Entre as palestras previstas estão “Treinamento concorrente em séries simples para indivíduos HIV/Aids”, com Paulo Ivo Homem de Bittencourt (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), “Regulação central do sistema cardiovascular no exercício”, com Lisete Compagno Michelini (Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo), e “Direct metabolic regulation in skeletal muscle and fat tissue by leptin”, com Rolando Basis Ceddia (Universidade York, Canadá).

Os eventos serão realizados no Auditório Fernando Henrique Cardoso, no Campus Anália Franco, Av. Regente Feijó, 1.295.

Mais informações: http://200.136.79.4/congresso_fisica ou (11) 6137-5856.

Fonte: Agência FAPESP

3º Simpósio Internacional de Pós-Graduação e Pesquisa

“Pós-graduando, o que esperar do futuro?” é o tema do 3º Simpósio Internacional de Pós-Graduação e Pesquisa, que será realizado pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da Universidade de São Paulo nos dias 30 e 31 de outubro.

Segundo os organizadores, os principais objetivos do evento são: proporcionar a divulgação de pesquisas desenvolvidas nos três programas de pós-graduação da FCFRP, promover discussões sobre publicações científicas e periódicos nacionais e internacionais e incentivar a integração entre os alunos de graduação, pós graduação e pesquisadores do Brasil e do exterior.

O encontro, que contará com palestras, conferências e mesas-redondas e apresentação dos trabalhos científicos desenvolvidos pelos participantes, comemora o aniversário de 20 anos da pós-graduação da FCFRP.

Mais informações: (16) 3602-4204

Fonte: Agência FAPESP