terça-feira, 6 de maio de 2008

Regulamentado o uso de animais em pesquisa

O Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) regulamentou, no último dia 25, os procedimentos para uso de animais vivos em pesquisas. A resolução nº 879 de 15 de fevereiro, foi publicada no dia 25 no Diário Oficial da União (DOU).

A medida institui normas regulatórias para balizar o uso científico e didático de animais e a atuação das Comissões de Ética no Uso de Animais em ensino e experimentação (CEUAs) pelas instituições de ensino superior (IES) e de pesquisa em áreas de interesse da medicina veterinária e da zootecnia.

A resolução considera como atividade científica as ações que buscam obter informações significativas ao entendimento de ecossistemas, animais e seres humanos; a realização de experimentos científicos que visam desenvolver novas técnicas de diagnóstico e tratamento de doenças do homem e dos animais; o melhoramento dos sistemas de produção animal; e o fortalecimento dos métodos educativos.

Outra determinação é para que não sejam utilizados animais nas pesquisas se houver método substitutivo e, também, que não sejam usados métodos que induzam o sofrimento. Os animais devem estar ainda em boas condições de saúde.

Comissões
A resolução prevê que as Comissões de Ética no Uso de Animais sejam um órgão de assessoria institucional autônomo, colegiado, multidisciplinar e deliberativo do ponto de vista ético em questões relativas ao uso de animais no ensino e na experimentação.

A norma obriga que toda instituição de ensino ou pesquisa deva criar e manter uma CEUA que deverá ser registrada e atualizada no CFMV. Entre as atividades previstas para a CEUA está a proposta de examinar previamente os protocolos de pesquisa e ensino em animais a serem realizados na instituição, com base no ordenamento jurídico brasileiro e na legislação específica do CFMV, nos aspectos éticos e do mérito científico.

As comissões deverão ser compostas por, no mínimo, sete membros. A resolução determina que a metade dos membros da comissão seja formada por profissionais das áreas de ciências agrárias ou biomédicas e pelo menos um médico veterinário. A outra metade será composta por representantes da sociedade civil e de profissionais das ciências exatas e humanas, sendo pelo menos um representante de associações de proteção e bem-estar animal, e um discente quando se tratar de instituição de ensino superior.

As instituições terão até 180 dias, contados a partir do dia 25, para se adequarem as novas normas. Confira a íntegra da resolução no link:
http://www.cfmv.org.br/portal/legislacao/resolucoes/resolucao_879.pdf

Fonte Gestão CT

Inaugurado o Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira

Um dos maiores hospitais públicos especializados em tratamento de câncer da América Latina, o Instituto do Câncer de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (ICESP), será inaugurado nesta terça-feira (6/5), às 15 horas, em cerimônia aberta ao público que contará com a presença do governador do Estado de São Paulo, demais autoridades e dirigentes do hospital.

O instituto, que terá gestão da Universidade de São Paulo (USP) por meio da Fundação Faculdade de Medicina, irá atender pacientes de todo o Estado. A previsão é que, com o novo hospital, a cidade de São Paulo tenha três vezes mais vagas públicas exclusivas para tratamento de pacientes com câncer.

“Depois das doenças cardiovasculares, o câncer é hoje a segunda causa de morte no país. Além disso, há uma relação direta entre o envelhecimento da população e o aumento de incidência de câncer, que também está relacionada a diversos efeitos, sendo os principais o genético e o ambiental”, disse Giovanni Guido Cerri, diretor-geral do instituto.

Cerri destaca a forte tendência de aumento contínuo de novos casos da doença nas próximas duas décadas, o que poderá fazer com que o câncer se torne a primeira causa de morte por doenças no país.

“Atualmente, cerca de 100 mil casos novos são diagnosticados por ano só no Estado de São Paulo e há estimativas de que esse número cresça, até o fim da próxima década, para 130 mil. Essas informações justificam a criação de um instituto inteiramente voltado para o tratamento do câncer”, afirmou o ex-conselheiro da FAPESP.

O governo do Estado tem hospitais dedicados a doenças cardiovasculares, como o Instituto do Coração (InCor) e o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, “mas, até agora, não tínhamos nenhum hospital público em São Paulo dedicado exclusivamente ao câncer. Esse será o primeiro em todo o Estado e o maior da América Latina”, disse Cerri, que também é professor titular da Faculdade de Medicina da USP.

Com a inauguração, inicialmente o Instituto do Câncer de São Paulo oferecerá atendimento ambulatorial em oncologia clínica e ginecológica, quimioterapia e 12 leitos de UTI, além do pronto-atendimento e todas as unidades de apoio.

Até o fim do ano está prevista a ampliação do atendimento ambulatorial e início das internações clínicas e cirúrgicas. O hospital, que terá 580 leitos, deverá estar em pleno funcionamento até o fim de 2009, para realizar, por mês, cerca de 1,5 mil internações, 33 mil consultas ambulatoriais, 1,3 mil cirurgias, 6 mil sessões de quimioterapia e 420 de radioterapia.

Ensino e pesquisa
Além do atendimento médico, os profissionais da instituição, caracterizada como um hospital-escola, desenvolverão atividades educacionais, visando a posicionar o instituto como um centro de referência internacional na área.

“Ao lado da assistência, o ensino e a pesquisa terão lugar de destaque no cotidiano do instituto, que será um importante centro formador de recursos humanos especializados em oncologia. Depois de formados, esses médicos, enfermeiros e farmacêuticos, entre outros profissionais da área da saúde, deverão servir hospitais de todo o país”, disse Cerri.

O hospital, que tem 28 pavimentos, conta ainda com uma sala cirúrgica inteligente, totalmente automatizada, que inclui o controle dos focos cirúrgicos, sistema de comando de voz e câmeras que permitem a transmissão em tempo real de cirurgias por videoconferência.

“Com o auxílio de ferramentas da telemedicina, o instituto pretende se envolver com programas focados nos aspectos preventivos do câncer. A idéia é que também sejamos um grande centro difusor de conhecimentos sobre a prevenção da doença”, apontou.

O diretor-geral do instituto afirma ainda que uma importante linha de pesquisa a ser iniciada em breve, assim que um cíclotron (acelerador de partículas) for instalado, será o estudo de radioisótopos com aplicação em oncologia.

Radioisótopos são elementos químicos obtidos pela irradiação de elementos naturais. Ao serem inseridos no organismo, seja por via oral, venosa ou inalação, esses materiais radioativos auxiliam no diagnóstico precoce de vários tipos de câncer.

“Nesse sentido, destacam-se os estudos na área de imagens moleculares, feitos a partir da utilização de radioisótopos obtidos pelo cíclotron, que no começo de 2009 estará em funcionamento. Essa é uma área de vanguarda que permite o diagnóstico do câncer em sua fase molecular, antes que o tumor apareça no organismo. Teremos no instituto um andar exclusivo para as pesquisas científicas”, destacou Cerri.

Endereço : O Instituto do Câncer Octavio Frias de Oliveira está localizado na avenida Doutor Arnaldo 251, em Cerqueira César, zona oeste de São Paulo.

Por Thiago Romero /Agência FAPESP

Cyted abre Convocatória 2008 para três modalidades

O Programa Iberoamericano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento (Cyted) está recebendo inscrições para a Convocatória Cyted 2008 para projetos de Redes Temáticas, Ações de Coordenação de Projetos e Pesquisa, e Ações Transversais.

As propostas podem ser enviadas até as 13h (horário de Brasília) do dia 10 de junho.

As redes temáticas têm como objetivo principal o intercâmbio de conhecimentos entre grupos de pesquisa e a potencialização da cooperação como método de trabalho numa temática científica ou tecnológica determinada, com o fim de incrementar a sua visibilidade na região Ibero-Americana.

Já as Ações de Coordenação de Projetos de Investigação (AC) têm como finalidade apoiar a coordenação mediante a mobilidade dos grupos de pesquisa participantes em projetos de P&D financiados por entidades públicas e privadas dos seus respectivos países para constituir uma equipe pluridisciplinar de caráter internacional.

As Ações Transversais (AT) facilitam proativamente a interação, a cooperação e a transferência de conhecimentos e tecnologias entre grupos de diferentes áreas de conhecimento em torno de um tema interdisciplinar prioritário de interesse comum.

Os projetos nessa modalidade deverão ser desenvolvidos nas seguintes áreas temáticas: agro-alimentação; saúde; promoção do desenvolvimento industrial; desenvolvimento sustentável; mudanças globais e ecossistemas; tecnologias da informação e da comunicação; ciência e sociedade; e energia.

Podem participar centros públicos ou privados de P&D, além de empresas públicas ou privadas dos seguintes países: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Uruguai e Venezuela. Os interessados devem se inscrever no Cyted.

Os projetos serão apoiados por quatro anos e cada proposta poderá solicitar um valor máximo de 35 mil euros por ano, com exceção da modalidade Ação Transversal nas temáticas saúde, TIC e ciência e sociedade que poderão receber até 105 mil euros por ano.

A íntegra do edital está disponível neste link. Para mais informações sobre a documentação necessária, acesse este link.

Fonte: Gestão CT

Fundação Ford - Abertas as inscrições para as bolsas de pós-graduação

Estão abertas, até 26 de maio, as inscrições para as bolsas de pós-graduação da Fundação Ford. A chamada pretende incentivar a formação de recursos humanos em áreas acadêmicas, artísticas, de políticas públicas e de tecnologias aplicadas ligadas aos setores de atuação da Fundação Ford.

Ao todo, o programa ofertará 40 bolsas de mestrado ou doutorado em áreas como desenvolvimento comunitário, meio ambiente, educação e ensino superior, mídia, governo e direitos humanos. As bolsas podem ser em programas de pós-graduação do Brasil ou do exterior e têm duração de 24 meses, para mestrado, e 36 meses, para doutorado.

Podem se candidatar as pessoas residentes no Brasil, com diploma de bacharel ou equivalente e experiência na área em que se inscreveu. Além disso, é necessário que os interessados tenham disponibilidade de tempo integral para se dedicar à pós-graduação.

As inscrições devem ser feitas mediante preenchimento e envio do formulário, disponível no site do programa.

Mais informações pelo link: www.programabolsa.org.br/selecao.html.

Fonte: Gestão CT

4º Congresso da Indústria Química do Mercosul e o 8º Congresso Brasileiro de Petroquímica

De 18 a 20 de maio acontecem, paralelamente, no Rio de Janeiro (RJ), o 4º Congresso da Indústria Química do Mercosul e o 8º Congresso Brasileiro de Petroquímica. Os eventos têm o objetivo de promover o aprofundamento de debates sobre o tema “Competitividade da Indústria Química da América Latina”.

Por meio de conferências, apresentações de painéis e sessões técnicas, serão apresentados assuntos como a responsabilidade social, sustentabilidade ambiental e impactos econômicos gerados pela indústria química, o acesso às matérias-primas e o futuro do setor na América Latina.

O encontro será realizado no hotel Sofitel. As inscrições podem ser feitas tanto pela internet, quanto mediante envio do formulário impresso para o Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombústiveis (IBP), instituição que organiza os eventos. Informações sobre o processo de inscrição podem ser obtidas neste link.

Mais informações, neste link.

Fonte: Gestão CT

Workshop Reação Álcali-Agregado: Normalização e Estudos de Caso

O workshop Reação Álcali-Agregado: Normalização e Estudos de Caso será realizado no dia 9 de maio, no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), na capital paulista.

Conhecido por “câncer do concreto”, a reação álcali-agregado é uma reação, na maior parte das vezes, entre álcalis (sódio) e potássio, que pode ser desencadeada em função da umidade ambiental. Esse tipo de reação expande e fissura o concreto, levando ao seu enfraquecimento e conseqüentes riscos estruturais.

Segundo a organização do evento, até a o final do século passado a reação álcali-agregado era considerada, no Brasil, como um problema que afetava grandes obras de infra-estrutura, como barragens e pontes, sem relevância para as obras civis, como edifícios comerciais ou residenciais. Essa visão mudou quando vários casos foram verificados nas últimas décadas no país.

O evento, que ocorrerá das 8h30 às 18 horas, contará com a participação do professor António Manoel dos Santos Silva, do Laboratório Nacional de Engenharia Civil  (LNEC), de Portugal.

Mais informaçõespelo e-mail. ou pelo e-mail

Fonte: Agência Fapesp

Entre discursos: Sentidos, Práticas e Identidades Leitoras de Alfabetizadores de Jovens e Adultos

Os alfabetizadores de jovens e adultos que atuam em programas organizados pela sociedade civil, em sua maioria, não são formados para a docência e são provenientes de famílias de baixa escolaridade e de alta vulnerabilidade social.

Um estudo realizado na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) analisou o universo desses alfabetizadores, enfocando como eles adquirem seu conhecimento, como se relacionam com a leitura e a escrita e como superam dificuldades sociais para assumir papel importante na luta contra o analfabetismo.

A tese de doutorado, defendida por Claudia Vóvio no Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Unicamp, ganhou o prêmio de teses do Centro de Cooperação Regional para a Educação de Adultos na América Latina e Caribe (Crefal). O organismo internacional, com sede no México, foi criado em 1950 por iniciativa da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco).

A pesquisa, intitulada Entre discursos: Sentidos, Práticas e Identidades Leitoras de Alfabetizadores de Jovens e Adultos, foi orientada por Angela Kleiman, coordenadora do Grupo de Pesquisa Letramento do Professor do IEL. Para o trabalho, Claudia contou com apoio da FAPESP por meio de bolsa de doutorado.

De acordo com Claudia, o estudo foi feito a partir de sua participação em processos de formação continuada de educadores de pessoas jovens e adultas em programas organizados pela sociedade civil.

“As inquietações que motivaram o estudo eram relativas às necessidades formativas e de profissionalização desses alfabetizadores. A pesquisa investiga e descreve os sentidos, as identidades leitoras, os acervos e as práticas de leitura em que eles estão envolvidos”, disse.

Segundo ela, os programas de alfabetização de jovens e adultos criados por iniciativa da sociedade civil – incluindo movimentos sociais, centros comunitários e sindicatos – têm grande relevância, uma vez que o ensino público não tem vagas para absorver toda a demanda potencial por alfabetização. Os dados da última Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), de 2006, mostram que o país tinha então 15,5 milhões de analfabetos com mais de 10 anos de idade.

“Esses alfabetizadores não têm uma formação específica para a docência. A problemática central da tese diz respeito ao estudo dos letramentos dessas pessoas, que têm percursos irregulares de escolarização e estão em condição de vulnerabilidade social”, destacou.

A pesquisa foi realizada junto a alfabetizadores que atuam em um programa de alfabetização de jovens e adultos de iniciativa não-governamental: o Programa Educar para Mudar, do Conselho Comunitário de Educação e Cultura e Ação Social, uma organização não-governamental localizada em Itaquaquecetuba (SP).

“A organização não-governamental tem uma parceria com o governo federal e recebe verbas para a organização das turmas e pagamento de professores e coordenadores. Os locais são cedidos pela comunidade”, explicou Claudia. A região de Itaquaquecetuba, segundo ela, não tem um programa público que ofereça alfabetização para jovens e adultos.

Auto-imagem positiva
Os programas de formação continuada oferecidos aos alfabetizadores, de acordo com o estudo, têm papel fundamental. “É a instância na qual eles dão continuidade à sua formação como leitores e que lhes permite dar conta de uma atribuição educativa tão complexa”, afirmou.

A pesquisadora utilizou uma metodologia etnográfica, que incluiu dinâmica de rodas de conversas, de práticas de leituras conjuntas, entrevistas, visitas a salas de aula e aplicação de questionários. “Trabalhei dessa maneira junto a nove dos 49 professores da unidade. A metodologia permitiu a geração de dados. Os encontros foram feitos quinzenalmente”, explicou.

Claudia procurou descrever como os alfabetizadores tomam posse de significações culturais atribuídas à leitura, à condição de leitor e aos modos de ler, além de investigar os sentidos atribuídos por eles a suas histórias como leitores. Outra questão era saber como se apropriam de objetos culturais relacionados ao universo da escrita a partir da participação em espaços onde se pratica a leitura.

Segundo ela, ao contrário dos professores que trabalham em programas formais de alfabetização, os alfabetizadores comunitários, apesar de toda adversidade, constroem uma auto-imagem bastante positiva como leitores.

“Os professores constróem uma imagem bastante autodepreciativa, manifestando uma falta de confiança em sua própria capacidade de cumprir o papel de alfabetizadores. Esses alfabetizadores, por outro lado, se afirmam como leitores e discutem seu papel de uma perspectiva muito positiva, de autolegitimação”, afirmou.

Outro fato destacado na tese é que os alfabetizadores do programa, que atua desde 1997 no local, criaram uma rede de intercâmbios sociais altamente dinâmica. “Mesmo com condições de trabalho bastante improvisadas, por falta de espaço, material e apoio, eles conseguem gerar alternativas para dar conta de todo o processo de alfabetização”, disse.

Fonte: Fábio de Castro /Agência FAPESP

Brasil e de Cuba firmaram acordo de cooperação para o compartilhamento de tecnologias da informação em ciência e tecnologia

Os governos do Brasil e de Cuba firmaram um acordo de cooperação para o compartilhamento de tecnologias da informação em ciência e tecnologia.

A parceria prevê o estímulo à cooperação, ao intercâmbio e o apoio recíproco entre o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), unidade de pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), e o Instituto de Informação Científica e Tecnológica (Idict), ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Cuba.

O memorando de entendimentos, assinado pelo diretor do Ibict, Emir Suaiden, e pela diretora do Idict, Carmen Sanchez Rojas, prevê o desenvolvimento de ações para a promoção, disseminação e recuperação de informações sobre ciência e tecnologia, além da capacitação de recursos humanos nos níveis de graduação e pós-graduação.

Segundo o Ibict, o primeiro passo será o desenvolvimento conjunto de um diagnóstico sobre as potencialidades e necessidades de cada nação. Em seguida, os institutos darão início a um processo mais estreito de cooperação com o envio de missões técnicas aos dois países.

A principal possibilidade nessa cooperação, no entanto, será o repasse pelo Brasil do conhecimento sobre produtos e serviços como a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações, o Sistema de Editoração Eletrônica de Revistas e o Sistema Brasileiro de Respostas Técnicas.

“Cuba está muito avançada em universalidade e qualidade da educação, mas o país vive um relativo atraso no acesso às novas tecnologias e à sua disseminação. O Brasil, por sua vez, está bastante avançado na área da informação em ciência e tecnologia, embora possa explorar a expertise cubana em tecnologias de informação bibliográfica, usuários e bibliotecas”, disse Emir Suaiden, diretor do Ibict.

Mais informações: www.ibict.br

Fonte: Agência Fapesp

Jornadas Ibero-Americanas sobre Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social

A Rede Ibero-Americana de Indicadores de Ciência e Tecnologia (Ricyt, sigla em espanhol) do Programa Ibero-Americano de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento (Cyted, espanhol) vai promover, de 7 a 11 de julho, as Jornadas Ibero-Americanas sobre Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social, na Colômbia.

As jornadas se propõem a ser um marco conceitual e metodológico para análises das vinculações entre a C&T e o desenvolvimento social, com ênfase nos processos de produção e de transferências de conhecimentos em problemáticas de alto interesse social das regiões ibero-americanas.

Durante o evento, serão discutidas as experiências regionais em matéria de evolução e orientação da pesquisa em demandais sociais, as análises do impacto social da C&T, além de um diagnóstico sobre os processos de transferência do conhecimento do sistema científico para as instituições do campo social.

A iniciativa conta com o apoio do Departamento de Desenvolvimento Humano da Organização dos Estados Americanos (OEA) e da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID).

Os interessados em participar devem enviar a ficha de inscrição acompanhada do currículo para o e-mail , aos cuidados de María Elina Estébanez. Outros detalhes sobre o evento e a ficha de inscrição podem ser obtidos no link: http://www.ricyt.org/interior/interior.asp?Nivel1=3&Nivel2=1&Idioma=#52

Fonte: Gestão CT

Alagoas seleciona projetos para fortalecer recursos humanos no Estado

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal, Instituição associada à ABIPTI, está recebendo inscrições de pesquisadores no Banco de Contexto Científico e Tecnológico (BCCT) para apoiar projetos por meio da concessão de bolsas nas seguintes modalidades: auxilio à pesquisa, auxilio à organização de reunião científica; bolsas de iniciação científica; bolsas de mestrado; e bolsas de doutorado.

Com exceção da modalidade de organização de reunião científica, o prazo final para a submissão de projetos nas demais modalidades é o dia 30 de maio. Para se cadastrar no BCCT acesse o link: http://www.fapeal.br/destaque/aviso-a-todos-os-pesquisadores

Auxílio Pesquisa
Os projetos devem ser solicitados para complementar os recursos necessários ao desenvolvimento de projetos específicos, que já estão em desenvolvimento. O prazo do auxílio é de 12 meses e o pesquisador deve candidato ter vínculo permanente com uma instituição pública do Estado de Alagoas. Outros detalhes estão disponíveis o link: http://www.fapeal.br/atuacao/auxilios/auxilio-a-pesquisa

Auxílio à organização de reunião
A modalidade de auxilio à organização de reunião científica a chamada é de fluxo contínuo, porém os projetos devem ser encaminhados com antecedência mínima de 30 dias. O objetivo é apoiar a realização, no Estado de Alagoas, de congressos, workshops e outros eventos similares que contribuem para o intercâmbio de conhecimentos científicos. Mais informações, por o link: http://www.fapeal.br/atuacao/auxilios/organizacao-de-reuniao-cientifica

Iniciação Científica
A modalidade bolsas de iniciação científica é destinada a alunos de graduação e objetiva despertar e estimular vocações para a pesquisa. As bolsas podem ser utilizadas para o treinamento de estudantes em projetos de adaptação e transferência de tecnologia envolvendo universidades, institutos de pesquisas ou empresas. Podem participar estudantes da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), da Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet-AL), da Fundação Raimundo Marinho, da Universidade Estadual de Ciências da Saúde (UNCISAL) e do Centro de Estudos Superiores de Maceió (Cesmac). Os detalhes para a solicitação de auxílio podem ser consultados o link: http://www.fapeal.br/atuacao/bolsas/bolsa-de-iniciacao-cientifica

Mestrado e Doutorado
As bolsas de mestrado e doutorado serão destinadas para cursos existentes em outros Estados, em áreas de pesquisa diferentes das existentes nos cursos de pós-graduação em funcionamento em Alagoas. O prazo máximo da bolsa de mestrado é de dois anos. Informações complementares o link: http://www.fapeal.br/atuacao/bolsas/bolsa-de-doutorado

Já o prazo máximo para as bolsas de doutorado são de quatro anos. Para outros detalhes, acesse o link: http://www.fapeal.br/atuacao/bolsas/bolsa-de-doutorado

PPP
A Fapeal ainda está recebendo projetos para a segunda chamada do Edital 02/2008 - Programa Primeiros Projetos (PPP), desenvolvido em parceria com o CNPq. As propostas podem ser submetidas até o dia 13 de junho. O objetivo é apoiar a instalação, modernização, ampliação ou recuperação da infra-estrutura de pesquisa científica e tecnológica nas instituições públicas de ensino e pesquisa visando dar suporte à fixação de jovens pesquisadores no Estado.

Os pesquisadores que desejarem participar devem ter o título de doutor obtidos há menos de 10 anos e serem vinculados instituições de ensino superior, fundações, institutos, centros de pesquisa e desenvolvimento, todos públicos e sem fins lucrativos.

A Fapeal pretende investir R$ 400 mil nos pesquisadores, sendo que R$ 300 são do Fundo-Setorial de Infra-Estrutura (CT-INFRA) e os outros R$ 100 mil da fundação. Cada proposta poderá solicitar um valor máximo de R$ 25 mil. O modelo de projeto a ser apresentado está disponível no link: http://www.fapeal.br/destaque/programa-primeiro-projetos-ppp . Já para conferir a íntegra do edita, acesse o link: http://www.fapeal.br/editais-vigentes/arquivos-editais-fapeal/Edital%20FAPEAL%20no%20022008.pdf

Fonte: Gestão CT

UnB sedia encontro de luta antimanicomial

Historicamente, o espaço social destinado aos ditos “loucos” foi o da exclusão. Confinados em manicômios ou em hospitais psiquiátricos, essas pessoas não têm acesso efetivo à prevenção, tratamento, reabilitação e reinserção social.

Na Semana de Luta Antimanicomial, o Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB) prepara uma série de atividades entre os dias 7 e 12 de maio, com o objetivo de fazer um apelo ao poder público para a promoção de políticas na saúde mental do DF e a ampliação dos serviços prestados.

Haverá debates, apresentações musicais e exposição com a participação de professores da UnB, funcionários de centros de saúde mental e pacientes dessas unidades.

No dia 7, o Grupo de Intervenção Precoce nas Psicoses (Gipsi) do IP realizará debate a partir das 12h, na entrada do ICC Norte. A semana será comemorada em todo o DF entre os dias 14 e 18 de maio, período em que haverá atividades realizadas por diversas ins tituições.

Outras informações pelo telefone (61)3273 8894.

Fonte: UnB

Homeopatia contra a Dengue

A Profª Walcymar Estrela, Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do Instituto de Medicina Social da UERJ desenvolve pesquisa sobre a criação de um protocolo para pesquisas do uso da Homeopatia na prevenção e no tratamento da Dengue e de outras epidemias.

Para a pesquisadora, a formulação de um protocolo é fundamental para o avanço das pesquisas em homeopatia, pois trata-se de um conjunto de regras e procedimentos que esclarece os “caminhos” percorridos para se chegar a um determinado resultado. Walcymar revela que a falta de um protocolo para as pesquisas sobre a aplicação da homeopatia na contenção de epidemias é um dos entraves para o desenvolvimento de trabalhos nesta área que sejam reconhecidos como de “nível A”. “Geralmente, os trabalhos desenvolvidos são muito pontuais, específicos” – esclarece a pesquisadora.

Walcymar lembra que o tratamento homeopático é historicamente individualizado. Isto porque cada pessoa possui, realmente, um medicamento que “funciona” de forma mais eficaz sobre cada organismo. Desta forma, como existe um medicamento “potencial” para cada individuo, a estratégia de tratamento convencional é a de tentar encontrar esta substância individual que dê conta de equilibrar o organismo de uma determinada pessoa. Este é o fator que torna difícil desenvolver uma terapêutica eficaz no tratamento de um conjunto de pessoas.

O protocolo apresentado pela Profª Walcymar propõe uma estratégia para contornar esta dificuldade. A pesquisadora pensa que a solução seria encontrar o “Gênio Epidêmico” e tratá-lo como um indivíduo. A estratégia apresentada pela professora é a de que encontrando este “gênio” é possível encontrar a substância que melhor age sobre ele, possibilitando que se combata ele num número expressivo de pessoas.

A estratégia é a de que a partir dos primeiros indícios de um surto epidêmico se aplique uma série de procedimentos – Protocolo – que identifique o “gênio epidêmico”, encontrando a substância que melhor age sobre ele e desenvolvendo a partir dela, medicamentos que a inibam, debelando a sua potência de ação.

Maiores informações pelo telefone (21) 2569-8803

Fonte: Henrique Galvão/UERJ

BNDES amplia crédito para preservação de acervos

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aumentou em 33% o valor oferecido pelo edital de Seleção Pública de Projetos de Preservação de Acervos. Neste ano, o edital conta com R$ 8 milhões em recursos não reembolsáveis. As propostas devem ser submetidas ao BNDES até o dia 6 de junho.

O objetivo é apoiar a modernização de museus, arquivos e bibliotecas visando a preservação e segurança de seus acervos e a melhoria das condições de atendimento e acesso ao público. Podem participar da seleção pessoas jurídicas de direito público ou privado, sem fins lucrativos. Serão apoiados projetos em três modalidades: acervo arquivístico para o conjunto de documentos textuais, iconográficos, sonoros, audiovisuais ou naturais; acervo museológico para o conjunto de testemunhos materiais, nos mais diversos suportes, que se encontram sob a proteção de um museu ou de uma instituição de caráter museológico; e acervo bibliográfico para o conjunto de obras impressas, incluindo livros e periódicos. Neste último caso, serão considerados exclusivamente os acervos constituídos por obras raras.

Cada proponente poderá apresentar apenas uma proposta e os projetos serão avaliados em duas etapas. A primeira de pré-seleção e a segunda de visita técnica. O limite máximo de financiamento será de R$ 800 mil. A íntegra do edital está disponível neste link. Para mais informações e para obter a ficha de inscrição acesse o link:

Ceitec e Fundação Certi firmam acordo de cooperação

No dia 14 de abril, o Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) e a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi) firmaram um acordo de cooperação. O objetivo da parceria é cooperar, de forma científica e tecnológica, buscando as melhores e mais avançadas soluções no campo da ciência, tecnologia e inovação.

De acordo com informações divulgadas pelo Ceitec, a iniciativa viabilizará a atuação conjunta das duas instituições em projetos com vistas à pesquisa e ao desenvolvimento. Com o acordo, os chips produzidos pelo centro integrarão placas eletrônicas projetadas e produzidas pela fundação. Da mesma forma, os projetos desenvolvidos pela Fundação Certi deverão considerar a viabilidade do uso do chip nacional.

“A assinatura desse acordo com a Certi acontece porque a referida instituição é uma parceira estratégica no que se refere à inovação e tecnologia, dado o alto nível de seu capital intelectual”, disse o diretor presidente do Ceitec, Sérgio Dias, em notícia divulgada pelo centro.

Informações sobre as ações do Ceitec podem ser obtidas pelo site www.ceitecmicrossistemas.org.br/portal/home.phpv. Já para conhecer as ações da Fundação Certi acesse www.certi.org.br .

Fonte: Gestão CT

Incubadoras têm até este mês para ingressar no Prime

As incubadoras que foram selecionadas para participar da primeira edição do Programa Primeira Empresa Inovadora (Prime) da Finep têm até o fim deste mês para aceitarem a proposta de ingressar no programa.

A iniciativa é inédita é vai investir R$ 1,3 bilhão nos próximos quatro anos em empresas inovadoras. Segundo informações da Finep, 18 incubadoras foram selecionadas para participar do programa. A expectativa é que o Prime seja lançado em julho e beneficie 1,8 mil empresas.

O programa será operado em parceria com as incubadoras de empresas que ficarão responsáveis pela seleção dos empreendimentos e repasse direto dos recursos. Cada empresa poderá receber um financiamento de até R$ 240 mil, sendo que a primeira parte, R$ 120 mil, será oferecida em forma de bolsa, por meio do Programa de Subvenção Econômica à Inovação. Já a segunda parcela será operada pelas regras do Programa Juro Zero, em que o empréstimo poderá ser quitado em até 100 parcelas.

Em notícia divulgada pela Finep, Gina Paladino, superintendente da Área de Pequenas Empresas Inovadoras da financiadora, disse que o Prime vai trabalhar para o desenvolvimento regional, a inovação tecnológica e a ascensão das pequenas empresas no país.

As empresas selecionadas pelo programa ainda deverão participar de um curso de imersão em negócios, com duração de nove dias. O objetivo, segundo a Finep, é dar oportunidade para que os empreendedores decidam se realmente estão aptos a receber investimentos.

As 18 incubadoras que poderão participar do Prime são: Incubadora Tecnológica Gênesis (PUC-RJ), Habitat Incubadora de Empresas (Fundação Biominas-MG), Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec-SP), Incubadora de Empresas e Projetos do Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel-MG), Incubadora de Empresas da Coppe (RJ), Incubadora de Empresas de Base Tecnológica em Informática (INSOFTBH – MG), Centro de Incubação e Desenvolvimento Empresarial (Cide-AM), Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi -SC), Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar-PE), Incubadora Tecnológica Univap (SP), Centro Incubador de Aracaju (Cise-SE), Instituto Gene de Blumenau (SC), Fundação Parque Tecnológico da Paraíba (PaqTcPB), Incubadora de Empresas Bio-Rio (RJ), Incubadora Tecnológica Cientec (RS), Incubadora de Empresas de Base Tecnológica da Unicamp (Incamp-SP) e Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (RS).

Informações complementares sobre o Prime podem ser obtidas pelo telefone (21) 2555-0502.

Outras informações: www.finep.gov.br/

Fonte: Gestão CT

Finep divulga agenda de lançamento regional do Prêmio de Inovação

A Finep promoveu no último dia 29, no Rio de Janeiro (RJ), a cerimônia de lançamento do Prêmio Finep de Inovação 2008. Na ocasião, foi apresentado o calendário dos lançamentos regionais da premiação, que começará pelo Nordeste

No dia 6 de maio, o concurso será apresentado em Fortaleza (CE), no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC) a partir das 13h30. A programação conta com palestras sobre a “Perspectiva de Financiamento à Inovação no Brasil” , “Perspectiva da Ciência, Tecnologia e a Inovação no Estado do Ceará” e sobre a “A Política Industrial e Inovação - perspectivas e desafios”.

Regiões
No dia 7 de maio está marcado o lançamento na região Sudeste, que acontecerá em Belo Horizonte (MG), na sede da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) a partir das 14h30.

A região Sul conhecerá os detalhes da premiação no dia 15 de maio em Curitiba (PR) e a região Norte no dia 19 de maio, em Belém (PA). A cerimônia de apresentação do concurso na região Centro-Oeste acontecerá em Goiânia (GO), com data ainda a ser confirmada.

Prêmio
A edição 2008 do Prêmio Finep de Inovação traz muitas novidades. A principal delas é a possibilidade de a inovação vencedora do concurso receber financiamentos que podem chegar a R$ 10 milhões. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas até o dia 28 de agosto.

Outra mudança é nas categorias da premiação que extinguiu as categorias Produto e Processo com o objetivo de privilegiar, como um todo, o perfil inovador de empresas e de instituições de ciência e tecnologia.

Nesta edição, serão quatro categorias abertas para inscrições. São elas: micro/pequena empresa; média empresa; instituição de ciência e tecnologia; e tecnologia social. O Prêmio Finep ainda vai contemplar outras duas categorias especiais por indicação: grande empresa – casos de sucesso em inovação -, e inventor inovador. Outros detalhes sobre a premiação podem ser conferidos no site www.finep.gov.br/premio .

Fonte: Gestão CT

Avaliação Neuropsicológica: estudos atuais na normatização e validação de testes no Brasil

Avaliação Neuropsicológica: estudos atuais na normatização e validação de testes no Brasil será o tema do simpósio que ocorrerá nos dias 9 e 10 de maio, em São Paulo.

Promovido pela Sociedade Brasileira de Neuropsicologia (SBNp), o evento tem o objetivo de propor discussões sobre instrumentos de avaliação em psicologia, fonoaudiologia e terapia ocupacional.

“Modelo psicobiológico de personalidade através do inventário de temperamento e caráter”, “Teste breve de performance cognitiva”, “Avaliação da impulsividade cognitiva através da versão brasileira do Iowa Gambling Task” e “Avaliação da consciência fonológica” serão alguns temas em análise.

Mais informações: http://www.sbnp.com.br/

Fonte: Agência Fapesp

Análise de 10 marcas de rações para alimentação de camarões revela contaminação por metais

Pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e da Universidade Federal do Ceará (UFC) analisaram dez marcas diferentes de rações utilizadas para alimentação de camarões em cativeiro e concluíram que todas elas estão contaminadas por metais como mercúrio e cobre.

A colaboração entre as duas universidades faz parte da Rede de Carcinicultura do Nordeste, uma iniciativa da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), do Ministério da Ciência e Tecnologia.

A descoberta foi feita durante um experimento realizado, no âmbito da parceria, no complexo estuário do rio Jaguaribe, no Ceará. O objetivo do estudo, que durou dois anos, era identificar os mecanismos de detoxificação de metais pesados nos camarões cultivados no Nordeste.

O trabalho correspondeu à pesquisa de mestrado de Diogo Azevedo Coutinho, orientada pelo professor Mauro Rebelo, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho da UFRJ.

De acordo com Rebelo, os índices de contaminação não são suficientes para afetar a saúde humana, mas é provável que estejam impedindo o desenvolvimento dos camarões, causando prejuízos aos produtores.

“A concentração máxima de mercúrio admitida pela legislação em pescados é de 500 nanogramas. Encontramos rações com até 140 nanogramas. Nos camarões analisados, encontramos no máximo 40 nanogramas. Mas acreditamos que esse mercúrio é suficiente para impedir o crescimento dos animais”, disse Rebelo.

Os pesquisadores sugerem a hipótese de que os mecanismos biológicos utilizados pelos camarões para eliminar os contaminantes implicam alto dispêndio energético. “O estudo não foi conclusivo quanto a isso, mas achamos que o animal pára de crescer para se descontaminar”, afirmou.

Segundo Rebelo, metais pesados como o mercúrio não têm nenhuma função biológica e, portanto, qualquer concentração deles é indesejável. Por outro lado, mesmo que o mercúrio não seja suficiente para prejudicar a saúde humana, ele compromete a produção de camarões.

“Se levamos em conta que 70% do custo da produção corresponde ao preço da ração, concluímos que o produtor está tendo um imenso prejuízo. Está investindo num alimento que não vai se transformar em biomassa, porque o camarão come e permanece do mesmo tamanho”, disse.

O objetivo mais aplicado das pesquisas, segundo Rebelo, é dar ao produtor de camarão um subsídio para que ele tome decisões gerenciais. “Se constatarmos essa hipótese, o produtor poderá tirar o camarão do viveiro antes do tempo, ou questionar os fabricantes de ração”, declarou o pesquisador.

Rebelo afirmou que os cientistas ainda não desenvolveram nenhum biomarcador para verificar os índices de contaminação, o que daria às empresas de cultivo uma alternativa mais barata que as análises químicas para monitorar a produção. “Mas, com base nos estudos, eles poderão exigir que os fabricantes façam as análises químicas”, disse.

O cientista afirmou que os testes foram realizados em dez marcas e em lotes diferentes de cada uma delas. Todas apresentavam contaminação e havia grande variação de índices entre os lotes.

Segundo ele, isso indica que a contaminação pode vir dos insumos utilizados e não de procedimentos específicos do processso de fabricação. “O principal insumo utilizado na fabricação da ração é a farinha de peixe. É provável que a contaminação venha daí”, declarou.

Por Fábio de Castro /Agência FAPESP

InfoHab - Centro de Referência e Informação em Habitação possui quase 30 mil registros de documentos em seu banco de dados

O Centro de Referência e Informação em Habitação (InfoHab) atingiu a marca de quase 30 mil registros de documentos em seu banco de dados. Em nove anos de funcionamento, já foram realizados no acervo do centro, cuja consulta é gratuita, mais de 300 mil downloads.

O portal foi criado para estimular a difusão e o intercâmbio de informações tecnológicas na área da construção civil, funcionando como uma fonte atualizada para pesquisadores, estudantes e empresas do setor.

Do total de registros do site, 63% são artigos de congressos, 13% artigos de periódicos, 7% teses e dissertações e o restante outros tipos de bibliografias. Dos 63% de artigos de congressos constantes na base de dados, 86% estão disponibilizados na íntegra.

Constituído a partir do conceito de rede cooperativa de instituições de ensino superior, o InfoHab tem uma estrutura organizacional composta por núcleos vinculados, que são responsáveis pela coleta primária de informações, de acordo com sua especialização e competência, além de uma coordenação geral e uma secretaria executiva. A gestão ocorre por meio de um fórum de coordenadores.

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) abriga a secretaria executiva do InfoHab, sendo responsável pela administração, gerenciamento, controle da qualidade dos processos de trabalho, elaboração de procedimentos, novos projetos, parcerias e suporte na criação de novos núcleos. A secretaria também agrega funções de captação e catalogação de documentos.

O Centro de Referência e Informação em Habitação é um projeto liderado pela Associação Nacional de Tecnologia do Ambiente Construído (Antac) e financiado pelo Programa de Tecnologia de Habitação (Habitare), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pela Caixa Econômica Federal.

Mais informações: www.infohab.org.br

Fonte:Agência Fapesp

Faperj lança edital para estudos sobre males como dengue e doença de chagas

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj) lançou, no último dia 30, uma chamada pública para incentivo ao desenvolvimento de pesquisas sobre doenças negligenciadas e reemergentes. O Edital Faperj nº 10/2008 – Programa de Apoio ao Estudo de Doenças Negligenciadas e Reemergentes recebe propostas até 17 de junho.

O principal objetivo é estimular a ampliação do conhecimento sobre males como dengue, doença de chagas, esporotricose, esquistossomose, febre amarela, hanseníase, leptospirose, leishmaniose, malária, paracoccidiose, riquetsiose e tuberculose. Os estudos devem ser desenvolvidos por equipes formadas por pesquisadores vinculados a instituições de ensino superior ou pesquisa com sede no Estado.

Os recursos disponíveis são da ordem de R$ 10 milhões, sendo que 30% será direcionado aos projetos que tratem sobre a dengue. O valor direcionado às propostas varia de acordo com o número de pesquisadores envolvidos nas equipes. As que possuem um mínimo de três profissionais receberão até R$ 100 mil. Os projetos que envolvam, no mínimo, 5 pesquisadores terão financiamento entre R$ 100 mil a R$ 200 mil. Já as propostas provenientes de equipes de, no mínimo, oito pesquisadores terão apoio de R$ 200 mil a R$ 400 mil.

As inscrições devem ser feitas mediante preenchimento de formulário na internet e envio de documentação impressa à Faperj. A lista dos documentos necessários e o endereço da fundação podem ser obtidos no edital.

A íntegra da chamada pode ser acessada neste link.

Fonte: Gestão CT

CNPq - Reajustes para bolsas de mestrado e doutorado a partir de junho

O ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, anunciou na última quarta-feira (30/4) que as bolsas de estudo oferecidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) terão, em junho, reajuste em torno de 23% para mestrado e de 25% para doutorado.

Com a medida, já acertada com o poder executivo, o valor da bolsa para o mestrado passa a ser, aproximadamente, de R$ 1.200, e para o doutorado, de R$ 1.800. “Estou autorizado pelo presidente Lula e pela equipe econômica do governo a anunciar esse reajuste, que gira em torno de 24%”, disse Rezende em cerimônia comemorativa dos 57 anos do CNPq, em Brasília, de acordo com nota divulgada no site do MCT.

Segundo o mesmo texto, o aumento era uma reivindicação esperada pela comunidade científica, mas o anúncio só foi feito agora por causa da demora da aprovação do Orçamento Geral da União, que só ocorreu em março.

Em 2007, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, no lançamento do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação 2007-2010, conhecido como PAC da Ciência, fez o anúncio do aumento, apesar de não ter precisado o percentual.

A cerimônia de comemoração do aniversário da agência de fomento premiou pesquisadores e funcionários que se destacaram por ações em prol da ciência e da tecnologia.

Os homenageados deste ano são os pesquisadores Alfredo Scheid Lopes, Luiz Hildebrando Pereira da Silva, Ricardo Renzo Brentani e Warwick Estevam Kerr, da área de Ciências da Vida; Antonio Fernando Ribeiro de Toledo Piza e Roland Köberle, Ciências Exatas; José Murilo de Carvalho e Wilson Cano, Ciências Humanas; além de José Thomaz Senise e Walter Arno Mannheimer, Engenharias.

Ao longo de seus 57 anos, o CNPq já apoiou mais de 10 mil pesquisadores pelo Programa de bolsas de Produtividade em Pesquisa, concedeu mais de 17 mil bolsas de mestrado e doutorado, além de ter contribuído ainda com a iniciação científica e tecnológica de mais de 25 mil estudantes de graduação e de 8 mil estudantes de ensino médio.

Fonte: Agência Fapesp

R$ 1 milhão para TIB em Minas Gerais

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), instituição associada à ABIPTI, lançou, na semana passada, o edital 09/2008 - Apoio a Tecnologia Industrial Básica: Consolidação dos Laboratórios Metrológicos do Estado. Os recursos são da ordem de R$ 1 milhão e as propostas podem ser remetidas até o dia 30 de junho.

O objetivo da chamada é financiar propostas de tecnologia industrial básica (TIB), para a consolidação de laboratórios metrológicos mineiros e suas adequações aos métodos e técnicas de produção de materiais de referência, ou a padrões, processos e métodos de medição, em consonância com as normas nacionais e internacionais de produtos e serviços das áreas do café, do leite, mínero-metalúrgico, madeira e móvel, recursos hídricos, biocombustível e eletroeletrônico.

As propostas deverão ser apresentadas em três linhas temáticas. São elas: padrões e métodos de medição; processos de medição; e materiais de referência. As instituições que apresentarem projetos deverão oferecer uma contrapartida financeira de até 10% do valor solicitado.

A íntegra do edital está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

2ª Semana USP da Propriedade Intelectual

Com atividades em todos os campi da Universidade de São Paulo (USP), a 2ª Semana USP da Propriedade Intelectual será realizada entre os dias 6 e 9 de maio. O objetivo do evento é difundir a cultura da proteção à propriedade intelectual na universidade.

A programação deste ano abordará a valorização do capital intelectual da universidade por meio de palestras sobre proteção dos resultados de pesquisas das diversas áreas do conhecimento, como: medicina, farmácia, biotecnologia, além de relato de experiências internacionais, legislação para acesso ao patrimônio genético, direitos autorais, entre outras.

O evento, gratuito, será promovido pela Agência USP de Inovação e contará com o apoio do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI). As palestras realizadas no campus de São Paulo serão transmitidas ao vivo pelo site www.iptv.usp.br

A Agência USP de Inovação auxilia todos os pesquisadores que queiram proteger o conhecimento gerado por meio de suas pesquisas, definindo uma estratégia de proteção e dando suporte às questões ligadas ao encaminhamento desse pedido junto aos órgãos responsáveis.

Mais informações: www.inovacao.usp.br

Fonte: Agência Fapesp

Empresas mostrarão como utilizam os incentivos à inovação

O Brasil dispõe de uma série de incentivos fiscais à inovação, mas o número de empresas que os utilizam é ainda bastante reduzido. Em 2006, apenas 130 empresas se beneficiaram dos incentivos previstos na Lei do Bem, o principal deles a possibilidade de abaterem no IR e na Contribuição sobre o Lucro Líquido até 200% dos gastos com pesquisa e desenvolvimento (P&D). Uma vez que o Brasil conta com cerca de 5.000 empresas que fazem atividades de P&D de forma contínua, as 130 que utilizaram os incentivos da Lei do Bem em 2006 representam apenas 2,6% daquele universo.

Como mudar esse quadro? As respostas estarão na VIII Conferência Anpei de Inovação Tecnológica, a ser realizada de 19 a 21 de maio, em Belo Horizonte (MG). Representantes da Bosch, Embraer, Fiat, Natura, Oxiteno e Pirelli – empresas que investem continuamente em P&D no Brasil – vão participar do painel “Experiência das empresas na utilização dos fomentos à inovação”, que ocorrerá na manhã do dia 20 de maio.

Bruno Bragazza vai falar sobre a criação, em janeiro deste ano, de uma área na Bosch com a função exclusiva de cuidar da inovação tecnológica de todas as unidades de negócio da empresa, justamente com foco nos incentivos disponíveis no País. “Em 2007 já nos beneficiamos da Lei do Bem, com alguns projetos. Para 2008 queremos ampliar a utilização desses benefícios e estamos planejando multiplicar por quatro o número de projetos incentivados”, informou Bragazza. Para isso, a Bosch está criando um processo interno visando à melhor utilização da Lei do Bem, o que implicará o acompanhamento de cada projeto de inovação tecnológica, desde o seu início até a conclusão. Com os projetos incentivados, em 2007 a Bosch deduziu no IR 180% das despesas com P&D.

Já Márcio Tavares Lauria vai mostrar na Conferência Anpei que a Oxiteno conta com um sistema de TI centralizado para gestão do portfólio de projetos de inovação. “O sistema evidencia o caráter inovador de nossas atividades no desenvolvimento e na otimização de produtos, processos e aplicações na indústria química”. A Oxiteno também tem um modelo de gestão da inovação e uma estrutura interna para cuidar dos processos de trabalho. “Isso nos permite a utilização dos incentivos fiscais, bem como o pleito para financiamentos e subvenções”, explica Lauria. Ele vai falar na Conferência Anpei também sobre as principais dificuldades e as propostas de melhoria para a utilização dos fomentos à inovação.

Roberto Falkenstein, por sua vez, vai abordar, entre outros aspectos, como a legislação brasileira pró-inovação ajuda o centro de P&D da Pirelli no Brasil a crescer. “Graças aos incentivos que existem hoje no País, estamos executando aqui alguns projetos que antes eram feitos pela matriz, em Milão, ou pelos centros de pesquisa e desenvolvimento da Pirelli nos Estados Unidos ou na Alemanha”. Com isso, o centro de P&D da Pirelli no Brasil se tornou o segundo maior da empresa: cresceu 30% em número de projetos nos últimos anos e só perde para a sede na Itália. “Desenvolvemos aqui produtos a serem 100% exportados para os EUA”, exemplifica Falkenstein.

Mais informações em www.anpei.org.br

Fonte: Anpei