terça-feira, 29 de abril de 2008

Pesquisa da UERJ alerta para o uso de crack por crianças e adolescentes

Uma bomba prestes a explodir nas ruas do Rio – é assim que o professor doutor Jairo Werner Júnior, da Faculdade de Educação da UERJ, especialista em uso de drogas por crianças e adolescentes classifica o perigo do aumento do uso de crack no Rio de Janeiro. Para ele, a sociedade não está preparada para lidar com os problemas decorrentes do uso desta droga, que é uma das mais letais e viciantes que existe.

O professor Jairo Werner participou, em 2005, de uma pesquisa realizada pelo Ministério Público com menores de 8 a 14 anos de idade recolhidos pela operação Zona Sul Legal, que mostrou indícios de uso de cocaína por todos os examinados. O resultado da pesquisa mostra que moradores de rua têm contato constante com drogas, o que pode se tornar um problema social de grandes proporções, principalmente pela entrada do crack no Rio de Janeiro, uma droga extremamente viciante e com um grau de letalidade altíssimo.

O crack é basicamente a cocaína fumada, portanto tem o mesmo princípio ativo; a grande diferença entre o crack e a cocaína é justamente o modo como as duas drogas são usadas. A cocaína é absorvida pela mucosa do nariz, metabolizada pelo fígado e liberada gradualmente para o cérebro; já o crack é absorvido pelo pulmão e enviado diretamente ao cérebro, de uma vez só, provocando efeitos muito mais intensos que os da cocaína, porém menos duradouros, o que faz com que o usuário fique facilmente viciado. Assim como os efeitos da droga, os danos que ela provoca são grandes. Viciados em crack costumam sofrer de distúrbios psicológicos como delírios, agressividade, transtornos de humor e personalidade, além de problemas de ordem fisiológica, como febre alta, hipertensão e outros problemas cardíacos e circulatórios.

Nas crianças usuárias o crack provoca danos ainda mais devastadores, pois uma dose usada por um adulto é grande para uma criança, devido ao peso menor, o que aumenta muito o risco de uma overdose. A isso soma-se o fato de que as crianças estão em uma fase delicada de formação psicológica, portanto os distúrbios desta ordem são muito mais comuns, mais intensos e mais difíceis de serem revertidos.

O crack transforma o usuário de tal forma que os métodos convencionais de tratamento de viciados em drogas se mostram pouco ou nada eficientes no combate ao vicio na chamada ‘pedra’. Nas palavras do doutor Jairo Werner; “está sendo criada uma outra espécie de ser humano, com alterações no humor, personalidade e valores, que não poderá ser tratada pelos métodos convencionais”.

Atualmente no Rio de Janeiro, apenas a FIA (Fundação Para a Infância e Adolescência do Estado do RJ) está preparada para tratar viciados no crack. Ele destaca que o Rio de Janeiro corre o risco de passar por uma grande crise anunciada, que cresce pouco a pouco e irá tomar proporções gigantescas, assim como aconteceu com a dengue. “Se não combatermos e nos prepararmos para enfrentar esta droga desde já, em alguns anos o Rio de Janeiro estará enfrentando uma verdadeira epidemia do crack, com aumento significativo da violência, tráfico e prostituição”- alerta o professor.

Maiores informações pelo telefone: (21) 2569-8803

Fonte: André Coelho/ UERJ

Mobilização Brasileira para a Inovação - Mobit

Ainda que tenham governos e composições políticas diferentes, os países desenvolvidos têm algo em comum: a inovação ocupa lugar central em suas políticas industriais, tornando-se motor das estratégias nacionais para a construção de economias mais competitivas no cenário internacional.

Essa é uma das conclusões da pesquisa Mobilização Brasileira para a Inovação (Mobit), cujo relatório final foi apresentado na última sexta-feira (25/4) no seminário “O desafio da inovação no Brasil e as estratégias em sete países”, na sede do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista.

Encomendado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) ao Observatório da Inovação e Competitividade, sediado no IEA, e executado pelo Centro de Análise e Planejamento (Cebrap), o estudo compara as políticas industriais de base tecnológica dos Estados Unidos, França, Canadá, Irlanda, Reino Unido, Finlândia e Japão, de modo a avaliar o papel da inovação no crescimento econômico brasileiro.

A pesquisa Mobit foi elaborada a partir de entrevistas com planejadores públicos, empresários e pesquisadores dos sete países. Trata-se de um estudo comparativo das principais estratégias internacionais para o estímulo de economias inovadoras. A partir desse estudo a idéia é aprimorar e conceber, no Brasil, políticas industriais e tecnológicas que reúnam governos, base empresarial, universidades e centros de pesquisa.

“A pretensão não foi estabelecer exatamente uma comparação no sentido de extrair desses sete países políticas a serem implementadas no Brasil. Isso é muito difícil de ser feito, se é que é possível”, disse Glauco Arbix, coordenador geral da pesquisa e professor do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Os dados coletados pelo trabalho são referentes ao ano 2000 em diante.

“A intenção foi montar um painel de programas e diretrizes e, a partir dos estudos realizados anteriormente no Brasil, captar e traduzir tendências internacionais que servirão de recomendações ao setor público brasileiro no que diz respeito às políticas de inovação, com base na atual Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior do governo federal”, acrescenta.

Segundo ele, apesar de todas as diferenças estruturais, todos os sete países pesquisados transitam para um novo paradigma em que o conhecimento ocupa lugar central na produção econômica. A preocupação de tornar suas economias permanentemente mais inovadoras é algo consensual entre essas nações.

“Isso significa que os sete governos, juntamente com associações de representação de classe e os centros universitários e de pesquisa, desenvolvem ativamente políticas, programas e planos que colocam a inovação no centro de suas estratégias nacionais de desenvolvimento”, aponta Arbix.

Ganhos e desafios à inovação
Em todos os países pesquisados a preocupação em tornar os mercados mais amigáveis à inovação também é algo permanente, o que se traduz em políticas específicas no que se refere à infra-estrutura, ao sistema regulatório, aos incentivos e aos instrumentos necessários para otimizar o desempenho das empresas.

Por outro lado, o trabalho mostra que, por ter criado nos últimos anos novas instituições, leis e políticas específicas, como os fundos setoriais, Lei de Inovação, “Lei do Bem” e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Industrial (CNDI), o Brasil avançou no que se refere aos instrumentos legais e institucionais voltados à inovação.

Isso faz com que, segundo o estudo, as leis e políticas existentes não impeçam o Brasil de planejar e executar estratégias de crescimento econômico com base na inovação. No entanto, o emaranhado burocrático que constrange a atuação dos órgãos públicos ainda dificulta a coordenação das iniciativas voltadas para a construção de uma economia baseada nas atividades de inovação.

“O Brasil ainda não tem a maturidade necessária quando se trata de definição de políticas industriais, tecnológicas e de inovação”, destacou Arbix. “Em contrapartida, todos os sete países analisados têm sólidas políticas nessas áreas, definem setores prioritários de atuação e conseguem manter essas definições ao longo do tempo e com as mudanças de governo”, afirma.

Entre os grandes obstáculos brasileiros à inovação apontados pelo estudo destacam-se a falta de ordenação política dos órgãos do governo envolvidos com a inovação, a desinformação em relação aos instrumentos de apoio existentes e o prazo longo para liberação de recursos.

“É totalmente errada a idéia de que basta elevar os níveis de investimentos para alterar qualitativamente a estrutura produtiva e de serviços do Brasil. Não há confirmação ou evidências de que esse seja o caminho mais viável. Os investimentos são sempre fundamentais, mas é necessário analisar os setores em que os recursos serão alocados”, disse.

“Se não determinar a qualidade dos investimentos, o governo brasileiro não dará conta de um dos principais entraves da economia brasileira, que é o atraso do país em relação a sua capacidade inovadora. O aumento de investimentos e o aumento da inovação são duas questões distintas, mas que precisam ser trabalhadas de forma combinada", concluiu Arbix.

Maiores informações no site: http://www.iea.usp.br/iea/index.html

Fonte: Thiago Romero / Agência Fapesp

LDO 2009 - Inovação tecnológica é uma das prioridades

O projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2009 começou a tramitar no Congresso Nacional na semana passada. Entre as prioridades estabelecidas pelo governo federal na LDO está a meta de elevar a competitividade sistêmica da economia, com a inovação tecnológica.

Essa é uma das dez metas e prioridades estabelecidas pelo governo federal no Anexo 1 da LDO. Segundo o projeto encaminhado pelo Executivo, a proposta é atuar na formação e capacitação de recursos humanos para a CT&I, por meio da concessão de bolsas de formação e qualificação de pesquisadores e profissionais de CT&I. Outra proposta é ampliar e modernizar a infra-estrutura para o estudo da biodiversidade, inovação tecnológica e sustentabilidade dos ecossistemas amazônicos frente às mudanças globais.

A proposição também traz metas para alguns programas considerados prioritários como o Nacional de Atividades Espaciais (PNAE), Nacional de Atividades Nucleares e para o Programa Ciência, Tecnologia e Inovação para a Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (Pitce). A íntegra do anexo 1 encaminhado pelo Executivo pode ser conferida neste link.

Tramitação
A relatora da LDO na Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização (CMO) do Congresso Nacional é a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT). No último dia 24, segundo noticiou a Agência Senado, a senadora acertou com líderes partidários que as 27 bancadas (representando os Estados e o Distrito Federal) deverão apresentar as cinco emendas (por bancada) a que têm direito na LDO somente sobre o que estiver previsto no Plano Plurianual (PPA) para 2008/2011. O PPA, que estabelece as diretrizes para as ações do governo nos próximos quatro anos, foi aprovado pelo Congresso no ano passado.

Estão previstas para esta semana as primeiras audiências públicas para debater a LDO. Outra novidade é que o Congresso Nacional também fará audiências em cada uma das cinco regiões do país para debater a proposta. A expectativa da senadora Serys Slhessarenko é que o relatório preliminar da LDO seja votado em maio. Para conferir a tramitação da LDO acesse este link.

Fonte: Tatiana Fiuza / Gestão CT

Desempenho funcional de idosos nas atividades instrumentais da vida diária: uma análise no Município de São Paulo, Brasil

Functional performance of the elderly in instrumental activities of daily living: an analysis in the municipality of São Paulo, Brazil 

A idade é um dos principais fatores associados às dificuldades para execução das chamadas atividades instrumentais da vida diária (AIVD). Mas, segundo uma pesquisa feita na Universidade de São Paulo (USP) entre pessoas acima de 60 anos, o fator mais importante é a presença de duas ou mais doenças, o que aumenta em cinco vezes o risco de dificuldades cotidianas.

O estudo foi realizado com 2.143 entrevistados maiores de 60 anos, no ano de 2000. Além da idade, foram investigadas variáveis independentes como gênero, renda, escolaridade, etnia, doenças, atividade física e consumo de álcool. O trabalho é parte do Projeto Sabe (Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento), realizado em sete países da América Latina e do Caribe.

De acordo com o professor Jair Licio Ferreira Santos, da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto (FMRP), o estudo, cujo objetivo era traçar o perfil das condições de vida, saúde e bem-estar dos idosos no município de São Paulo, trouxe importantes indicações para o setor de saúde.

“As dificuldades sofridas na AIVD estão diretamente relacionadas à participação comunitária e social menos intensa e a uma qualidade de vida diminuída. Um atendimento mais adequado e um cuidado mais eficiente podem propiciar melhoras nessas condições”, disse Santos. O trabalho foi publicado na revista Cadernos de Saúde Pública.

Os idosos que responderam afirmativamente a pelo menos uma das cinco questões propostas foram considerados portadores de dificuldade. As perguntas avaliaram as dificuldades em relação a “administrar seu próprio dinheiro”, “sair sozinho para ir ao médico, igreja etc”, “comprar comida”, “usar telefone” e “dificuldade para tomar os remédios”.

Para o total da amostra da variável independente, cerca de 21,6% dos entrevistados afirmaram apresentar uma ou mais dificuldades nas cinco atividades instrumentais consideradas.

Os idosos foram divididos em dois grupos: um com faixa etária entre 60 e 75, e o segundo acima dos 75 anos. De acordo com o pesquisador, a “divisão em dois grupos etários facilita a interpretação dos resultados, que foram consistentes com a informação já existente”.

Os dados demonstraram que, entre os idosos acima de 75 anos, quase metade das dificuldades apontadas (48,9%) têm relação com a idade. Entre os voluntários de 60 a 75 anos, a porcentagem caía para 15,3%. “Estudos anteriores já mostravam o crescimento do número de dificuldades nas atividades cotidianas com o aumento da idade”, afirmou Santos.

Em relação à variável “duas ou mais doenças”, cerca de 31,3% dos entrevistados, acima dos 75 anos, assinalaram afirmativamente, contra 13,2,% dos que têm entre 60 e 75. Ao aplicar um modelo de regressão logística na análise dos dados, os pesquisadores concluíram que a presença de duas ou mais doenças é a variável mais importante, aumentando em cinco vezes os índices de probabilidades de dificuldades. O fator idade apareceu em segundo, aumentando as chances de dificuldades em 3,4 vezes.

Depressão, gênero e álcool
Um dado preocupante diz respeito à depressão: 34,4% contra 12,3% dos idosos, respectivamente, apresentaram sintomas da doença. “A depressão no idoso é muito prevalente, geralmente não valorizada ou considerada como alguma outra “manifestação da idade”. Sabe-se que ela está associada à presença de outras doenças, ao maior risco de óbito e, conforme se comprovou neste estudo, à maior presença de dificuldades nas AIVDs”, afirmou Santos.

De acordo com o pesquisador, a variável “sexo” também foi significativa. “Ser do sexo feminino representa 67% a mais de chances de ter dificuldades nas AIVDs. Entre os homens, 13,4% relatam ter alguma dificuldade, porcentagem que aumenta para 27,1% entre as mulheres."

O pesquisador chama a atenção para, no grupo sociodemográfico, a variável “dinheiro suficiente” não ter apresentado resultado significativo, embora a variável “renda” tenha alcançado um percentual elevado, 35,2% contra 14%, respectivamente.

“Interessante notar que, embora a renda seja importante, a disponibilidade de dinheiro não o é: isto é uma indicação de que são as condições de vida ligadas ao passado – que determinam a renda de hoje – que têm efeito nas AIVDs, e não a disponibilidade do dinheiro”, explica Santos.

A pesquisa apresentou ainda, na variável “consumo de álcool, 8,4% para os idosos acima de 75 anos, contra 28,3% para o grupo de 60 a 75 anos. Esse resultado, a ser confirmado na análise multivariada, deve representar, assinala o artigo, “apenas a maior possibilidade de ingestão de álcool pelos idosos que não apresentam dificuldades nas atividades do dia-a-dia.”

Segundo o pesquisador, o estudo deverá prosseguir com entrevistas a serem realizadas a cada cinco anos com os idosos sobreviventes da coorte original de 2000. Em cada etapa, um novo grupo é acrescentado, para completar as idades mais jovens de 60 a 65 anos.

“O trabalho conseguiu avaliar a importância de cada fator na prevalência das dificuldades. A equipe de pesquisadores do estudo Sabe investe agora nos estudos de incidência. Isso se tornou possível porque a pesquisa prosseguiu por meio de entrevistas realizadas em 2006 com os sobreviventes dos 2.143 idosos que haviam sido entrevistados em 2000. Essa nova fase conta também com apoio da FAPESP, pretendendo-se trazer mais e melhores subsídios para pesquisadores e formuladores de políticas de atenção ao idoso”, disse Santos.

Para ler o artigo Functional performance of the elderly in instrumental activities of daily living: an analysis in the municipality of São Paulo, Brazil, de Jair Licio Ferreira Santos, disponível na biblioteca on-line SciELO (Bireme/FAPESP), clique aqui.

Fonte: Alex Sander Alcântara / Agência Fapesp

Conselho Nacional de Saúde apoiará as pesquisas com células-tronco embrionárias

O Conselho Nacional de Saúde (CNS) vai apoiar as pesquisas com células-tronco embrionárias e a manutenção do artigo 5º da Lei de Biossegurança, que permitem a realização de tais estudos.

Segundo informações do Ministério da Saúde, na última reunião do CNS realizada em Brasília (DF), no dia 17, que contou com a participação de 39 conselheiros, 38 votaram em favor das pesquisas. O voto contrário foi da representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a médica Zilda Arns.

O CNS é a instância deliberativa do Sistema Único de Saúde (SUS). "É a sociedade brasileira, representada em toda sua pluralidade, apoiando a ciência e a esperança de milhares de brasileiros", disse o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, por meio de sua assessoria, depois do encontro.

Com a aprovação do CNS, será enviado um documento ao Supremo Tribunal Federal (STF), que analisa a constitucionalidade do artigo 5º da Lei de Biossegurança, encaminhando a posição do conselho a fim de dar novo subsídio para a decisão dos ministros no julgamento.

O secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Reinaldo Guimarães, acredita que a manifestação quase unânime do conselho, é extremamente relevante para auxiliar na formação da opinião dos ministros do supremo.
Ainda de acordo com o Ministério da Saúde, Guimarães, que participou da reunião do CNS, lembrou que o ministério é favorável às pesquisas com células-tronco embrionárias dentro do que prevê a Lei de Biossegurança. "É importante frisar que a lei só permite a utilização de embriões que sejam cedidos por seus genitores e proíbe a comercialização dos mesmos", explicou o secretário.

Julgamento
O plenário do STF iniciou o julgamento sobre a constitucionalidade das pesquisas com células-tronco no dia 5 de março deste ano. O ministro Carlos Ayres Britto, relator do processo, considerou constitucional o artigo 5º que prevê as pesquisas. O voto foi seguido pela ministra Ellen Gracie que também julgou pela constitucionalidade das pesquisas.

O julgamento foi interrompido pelo pedido de vista do ministro Carlos Alberto Menezes Direito. Ainda não há uma data definida para que o julgamento seja retomado. Para conferir os detalhes da tramitação do processo, acesse do link:
http://www.stf.gov.br/portal/processo/verProcessoAndamento.asp

Fonte: Gestão CT

Debate: "Como a mídia noticia e examina a questão das drogas"

O tema “Como a mídia noticia e examina a questão das drogas” será debatido por Dráuzio Varella, médico e colunista da Folha de S. Paulo, por José Arbex Júnior, jornalista da revista Caros Amigos e por Ana Cecília Marques, professora da Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas (Uniad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O debate integra a programação do IX São Paulo Research Conference “Drogas – uma abordagem interdisciplinar” e ocorrerá na quinta-feira (1/5), às 10 horas, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), no Largo São Francisco.

O evento tem o objetivo de apresentar ao público interessado uma atualização ampla e eclética sobre substâncias psicoativas, englobando temas como neurobiologia, antropologia, história, narcotráfico, mídia, justiça, tratamento e políticas públicas.

Mais informações: www.eventus.com.br/bioconferences

Fonte: Agência Fapesp

9º Congresso Nacional de Empresas Certificadas - CNEC

De 6 a 8 de maio acontece, em São Paulo (SP), o 9º Congresso Nacional de Empresas Certificadas (CNEC). O evento tem o objetivo de promover a melhoria dos sistemas de gestão das entidades que primam pela certificação de seus processos e produtos. O encontro é realizado pelo Centro da Qualidade, Segurança e Produtividade para o Brasil e América Latina (QSP).

Durante o congresso haverá conferências sobre temas diversos. Entre os assuntos abordados estão: a produtividade para as áreas administrativas; a agregação de valores por meio de auditorias; a gestão de pessoas; e os sistemas de gestão. Será realizado, também, um workshop sobre inovação com métodos e processos baseados no Modelo de Excelência em Inovação (MEI).

O evento é direcionado aos executivos, representantes de empresas, coordenadores e técnicos de instituições privadas e públicas. As inscrições podem ser feitas no link: http://www.qsp.org.br/ficha_congresso.shtml

Mais informações, no site www.qsp.org.br/9cnec.shtml .

Fonte: Gestão CT

Dia 30 é o último dia para inscrições no Desafio Sebrae 2008

Terminam no próximo dia 30 as inscrições para o Desafio Sebrae 2008. Promovido anualmente pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a competição é um jogo virtual de empreendedorismo direcionado para universitários de todo o país. O torneio tem o objetivo de desenvolver o espírito empreendedor e as capacidades gerenciais em pequenos e médios negócios.

Para participar, os universitários devem formar equipes de três a cinco integrantes. Cada time é responsável por dirigir virtualmente uma empresa. Durante a competição, as equipes tomarão decisões sobre situações semelhantes às vividas cotidianamente por empresários. Essas decisões serão colocadas num software que simula o funcionamento do mercado. Além do comportamento da empresa no mercado simulado, os pontos serão contados comparando as decisões das instituições entre si.

A competição possui cinco etapas: Classificatória Estadual, Semifinal Estadual, Final Estadual, Semifinal Nacional e Final Nacional. Nas três primeiras, toda a simulação é feita a distância, pelo ambiente virtual. Nas duas últimas, a competição é desenvolvida presencialmente. Os vencedores das finais estaduais receberão troféu e um curso gratuito, à escolha dos ganhadores, realizado pelo Sebrae.

Já os integrantes de cada uma das 8 equipes que vencerem a Semifinal Nacional ganharão um notebook. Por fim, a equipe vencedora da Final Nacional receberá uma viagem internacional de dez dias para visitar um centro de excelência em empreendedorismo a ser definido.

Podem concorrer quaisquer estudantes de graduação de instituições de ensino superior credenciadas pelo Ministério da Educação. As inscrições devem ser feitas no site do desafio e há necessidade de pagamento de taxa de R$ 30 por equipe.

O acesso às regras e às informações adicionais pode ser feito no site www.desafio.sebrae.com.br .

Fonte: Gestão CT

Iniciados os estudos para instalação de uma rede sismográfica no Brasil

No último dia 23, o chefe do Departamento de Sismologia da Universidade de Brasília (UnB), Lucas Barros, se reuniu com assessores do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. O encontro foi realizado para debater a instalação de uma rede sismográfica no país.

De acordo com Barros, para a construção da rede nacional seriam necessários investimentos de aproximadamente US$ 1 milhão. Com 40 estações sismográficas, a rede seria capaz de detectar tantos os tremores de maior intensidade, quanto os de menor. Segundo o chefe do Departamento de Sismologia da UnB, as 50 estações atualmente instaladas no Brasil não são capazes de identificar os tremores mais fracos que ocorrem, por exemplo, na Amazônia.

Recentemente, dois abalos sísmicos estiveram em evidência no país. Em dezembro do ano passado, um tremor de terra matou uma criança e destruiu seis casas no município de Itacarambi, no norte de Minas Gerais. Já no último dia 22, um abalo de 5,2 pontos na escala Richter foi sentido em quatro Estados brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná. O tremor foi o 6º maior registrado no país.

Mais informações, no site http://www.unb.br/ .

Fonte: Gestão CT

Simpósio de Iniciação Científica e Tecnológica

Palestras e exposições tecnológicas integram a programação do “Simpósio de Iniciação Científica e Tecnológica”, realizado pelo Centro Universitário de Itajubá Universitas. O evento ocorrerá entre os dias 27 e 29 de maio, na sede da instituição, em Itajubá (MG).

O município de Itajubá, localizado 290 quilômetros a nordeste de São Paulo, possui uma das maiores concentrações de pesquisadores por habitante no Brasil. Além de várias universidades, a região possui um pólo industrial diversificado, com destaque para o setor de eletrônica e tecnologia.

O evento tem os objetivos de promover intercâmbios e a apresentação, a discussão e a divulgação de trabalhos de pesquisa para alunos de graduação e de pós-graduação, além de incentivar o interesse pela pesquisa nas diversas áreas da ciência e tecnologia.

Mais informações: www.universitas.edu.br/?noticia/8

Fonte: Agência Fapesp

Governo estadual do Amazonas e Cuba poderão desenvolver fitoterápicos conjuntamente

No dia 23, o secretário de Ciência e Tecnologia do Amazonas, José Aldemir, recebeu, em Manaus (AM), uma comitiva de Havana, Cuba, comandada pelo médico Roberto Reyes Lorente. O grupo foi acompanhado por Luís Amadeu Teixeira, da empresa Bioamazonas.

Na ocasião, foi debatida a possibilidade de ser firmada uma parceria entre o governo do Amazonas e de Cuba para desenvolver projetos na área de fitoterápicos. Durante a viagem, os cubanos conheceram o trabalho de instituições como a Embrapa, Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Os integrantes da comitiva irão elaborar um relatório sobre a capacidade local para entregar ao governo de Cuba. De acordo com José Aldemir, existe um interesse forte pelo incentivo a projetos no setor, por já ter sido definida como demanda prioritária, juntamente com os biocosméticos.

“O papel da secretaria é justamente articular as ações entre instituições e empresas para incrementar os processos de C&T e inovação”, destaca o secretário em notícia divulgada pela Sect/AM. Na nota, ele reitera o seu apoio ao grupo e se compromete a auxiliar na construção de uma agenda para acelerar as discussões de viabilização dos acordos.

Informações sobre as ações da Sect/AM podem ser obtidas no site www.sect.am.gov.br .

Fonte: Gestão CT

Acre aplicará R$ 1 milhão em pesquisas

O governo do Acre reafirmou o compromisso, no último dia 24, de investir R$ 1 milhão em pesquisas científicas e tecnológicas, neste ano, com recursos do Fundo Estadual de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FDCT).

Em solenidade de assinatura de 26 termos de outorga de projetos aprovados pela Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), o governador do Estado, Binho Marques, disse que seu desejo é ampliar a cada ano os investimentos em pesquisa. "Os projetos são focados nas comunidades e têm o envolvimento dos jovens, o que é algo muito importante", disse o governador por meio de sua assessoria.

Segundo informações do governo do Acre, os termos de outorga assinados serão as primeiras atividades a serem desenvolvidas com recursos do FDCT, desde a sua criação em 2003. No fim de 2007, foram lançados três editais para seleção de projetos de pesquisadores atuantes em instituições de ensino e pesquisa. "O Estado faz um esforço grande para garantir esses recursos", disse César Dotto, diretor-presidente da Funtac, em notícia divulgada pelo governo do Estado.

Os 26 projetos contemplados pela Funtac receberam R$ 450 mil do FDCT e mais R4 598 mil do CNPq. As pesquisas serão desenvolvidas a partir de dois programas da Funtac executados em parceria com o CNPq. São eles: Programa Primeiros Projetos (PPP) e Programa de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Regional (DCR).

Mais informações no site www.funtac.ac.gov.br

Fonte: Gestão CT

Fapesb lança edital para sistemas locais de inovação em ICTs

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb), entidade associada à ABIPTI, lançou, no último dia 24, uma chamada pública para apoio à instalação de sistemas locais de inovação em instituições científico-tecnológicas (ICTs) do Estado.

As inscrições para o Edital Fapesb/Secti - nº 04/2008 podem ser feitas até 19 de maio, no entanto, o acesso ao formulário de inscrição online está permitido apenas até o dia 16.

Os sistemas locais de inovação devem abranger ferramentas capazes de incentivar o desenvolvimento de atividades inovadoras para a Bahia. Alguns desses mecanismos podem ser incubadoras de empresas ou de tecnologias, núcleos de inovação tecnológica, empresas juniores, escritórios de projetos, entre outros.

Podem concorrer ao apoio universidades e ICTs sediadas no Estado. Além disso, serão permitidos projetos envolvendo mais de uma instituição. O edital conta com recursos na ordem de R$ 2 milhões. O financiamento máximo dado às propostas selecionadas será de R$ 300 mil, se a proponente for uma universidade, e de R$ 150 mil, se for de uma ICT convencional.

A submissão dos projetos deve ser feita mediante preenchimento de formulário online, disponível no site da Fapesb, e envio, via Correios, de documentação impressa. A lista completa dos documentos deve ser conferida na chamada pública.

A íntegra do edital pode ser visualizada neste link.

Fonte: Gestão CT

Instalado o comitê diretor da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais - Rede-Clima

O MCT instalou, no dia 25, o comitê diretor da Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais (Rede-Clima), uma ação que será desenvolvida como parte do Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional (PAC C&T).

O comitê, que foi designado pela portaria nº 171 de 31 de março, prevê a participação de dez membros e mais os suplentes. A partir de agora, o comitê vai elaborar um programa para o tratamento do governo frente às mudanças climáticas.

A idéia da rede é gerar e disseminar conhecimentos e tecnologias para que o Brasil possa responder aos desafios representados pelas causas e efeitos das mudanças climáticas globais, bem como produzir dados e informações necessárias ao apoio da diplomacia brasileira nas negociações sobre o regime internacional de mudanças do clima.

Participam do comitê representantes dos ministérios do Meio Ambiente (MMA), das Relações Exteriores (MRE), da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da Saúde. Ainda participam representantes da SBPC, do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas e dos conselhos nacionais dos Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti) e das Fundações Estaduais de Amparo à Pesquisa (Confap).

Para conferir a íntegra da portaria nº 728 de 22 de novembro de 2007 que cria da Rede-Clima, acesse este link.

Fonte: Gestão CT

CCJC aprova fórum de pesquisa franco-brasileiro

No início deste mês, a Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados aprovou o protocolo de cooperação entre o Brasil e a França para a criação de um fórum binacional do ensino superior e da pesquisa. Assinado em maio de 2006, em Brasília, o texto integra o Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 404/07, proposto pela Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional. Agora, a proposta será avaliada pela Comissão de Educação e Cultura da Casa e depois seguirá para o Plenário.

De acordo com a proposição, o protocolo tem validade de cinco anos, com possibilidade de prorrogação. Pelo texto, está prevista a criação de um site bilíngüe na internet, para apresentar o fórum, e a implementação de um conselho de orientação interministerial. No Brasil, o conselho será coordenado pelos ministérios das Relações Exteriores e de Educação. Já na França, a instância estará sob a coordenação dos ministérios dos Negócios Estrangeiros e de Educação Nacional, do Ensino Superior e da Pesquisa.

O conselho se reunirá a cada dois anos, alternadamente em cada país. Ele contará com a participação de representantes dos meios acadêmico, científico e tecnológico, dos ministérios citados, das agências nacionais de avaliação, dos conselhos universitários e das instituições de pesquisa.

O fórum franco-brasileiro será uma instância de diálogo. Entre os seus objetivos, constam: articular parcerias e programas de cooperação no campo do ensino superior e da pesquisa, dando-lhes maior visibilidade; analisar a complementaridade dos programas, seguir sua evolução e avaliar se eles correspondem às prioridades determinadas pelas duas nações, bem como se tais programas realizam os objetivos definidos; e incentivar a mobilidade de estudantes, professores e pesquisadores.

A íntegra do PDC está disponível no link:
http://www.camara.gov.br/sileg/integras/524988.pdf

Fonte: Gestão CT

Comissão rejeita exigência de certificação para bebidas

No dia 16, a Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados rejeitou uma proposição que exige que o Ministério da Saúde (MS) avalie se refrigerantes e bebidas alcoólicas podem causar riscos à saúde, antes de ser liberado o consumo. É o que está disposto no projeto de lei 6380/05, do deputado Edson Duarte (PV-BA).

Antes do MS liberar os produtos, seria feita uma análise da sua composição. No entanto, o relator, deputado B.Sá (PSB-PI), avalia que a legislação brasileira já é suficiente e adequada para garantir a boa qualidade das bebidas.

O parlamentar destaca que a Lei 8.918/94 já atua nesse sentido, determinando que o Sistema Único de Saúde (SUS) inspecione e fiscalize as bebidas em seus aspectos sanitários. Em sua justificativa, ele ainda cita a Lei 9.782/97, que determina que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) regulamente, controle e fiscalize produtos e serviços que envolvam risco à saúde pública, entre eles alimentos e bebidas.

B.Sá concorda com os argumentos do relator da proposta na Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, deputado Edson Ezequiel (PMDB-RJ), que também rejeitou o PL. Na avaliação de Ezequiel, a certificação proposta além de não trazer benefícios ao consumidor, aumentaria a burocracia para a concessão do registro a bebidas.

Ele acredita que a aprovação da proposição ocasionaria mais gastos para as empresas, decorrentes do atraso na colocação dos produtos no mercado, e para o governo, que teria de ampliar sua estrutura para avaliar previamente os registros.
O PL 6380/05 tramita em caráter conclusivo, ou seja, não precisa ser avaliado pelo Plenário, apenas pelas comissões que foram designadas para apreciá-lo. A proposta segue para as comissões de Seguridade Social e Família e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

A íntegra da proposta está disponível no link:
http://www.camara.gov.br/sileg/integras/548640.pdf

Fonte: Gestão CT

FAP-DF divulga resultado do edital de Seleção de Pesquisadores para Fiocruz Brasília

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Distrito Federal (FAP-DF) acaba de divulgar o resultado do edital de Seleção de Pesquisadores para Fiocruz Brasília (nº 01/2008). No total, foram classificados 75 candidatos entre os 16 perfis que constam na chamada.

De acordo com a fundação, as bolsas serão implementadas no mês de maio e a execução do trabalho está prevista para ter início em junho. As bolsas terão vigência de 12 meses, sendo prorrogáveis por igual período. Elas são resultado de uma parceria entre a Fiocruz Brasília e a FAP-DF. Os selecionados serão convocados exclusivamente por meio do site da fundação.

Lançado em março, o edital tem como objetivo fortalecer os projetos de pesquisa científica e de desenvolvimento tecnológico, bem como os programas de pós-graduação stricto e lato sensu nas áreas das ciências da saúde, das ciências biológicas e ciências sociais e humanas na Diretoria Regional da Fiocruz em Brasília, por meio da seleção de pesquisadores.

A íntegra do resultado está disponível no site http://www.fap.df.gov.br/ .

Fonte: Gestão CT

Kaplan Prize Scholarship in Felid Conservation - UK

Pembroke College invites applications for the Kaplan Prize Scholarship (KPS) a four-year doctoral scholarship in Felid Conservation based at the Wildlife Conservation Research Unit (WildCRU).

The successful candidate is likely to be a recent graduate or final year student with either a Bachelors or Masters degree in a relevant scientific discipline. The KPS appointee will be a first class scientist expected to develop an outstanding academic career on the world stage.

This scholarship is open to graduates eligible to start a research degree in Zoology at Oxford University starting in 2008.

Candidates may offer projects of their own choice, or may decide to develop one of a short-list of projects that the WildCRU is already exploring. In the latter case, options that candidates might consider are:

a) aspects of the behavioural ecology and conservation of cheetahs on Namibian farmland, building on the results summarised in Market et al. (2008) Journal of Zoology, 274, 226-238

b) aspects of the community structure and intra-guild relationships in felids, in particular in the guild of wild felids present in Borneo or, for example, in the felid communities in NE Argentina. This theme could include the impact of land-use change on these guilds, and the usefulness of cats as barometers of the conservation status of areas.

c) a spatial modelling, landscape-scale, approach to the metapopulation dynamics of lions in the vicinity of Hwange National Park.

For the first sift of applications, the outline project proposal should be brief, and no more than 1-2 pages.

To apply please complete the University application form (available from: http://www.admin.ox.ac.uk/gsp and include two references from academic referees (follow procedure in Booklet A).

Please submit two copies of the application forms and all supporting material to the Graduate Administrator, Department of Zoology, University of Oxford, South Parks Road, Oxford, OX1 3PS by the 16th May 2008 (please DO NOT apply online and do NOT send to the address
detailed on the application form).

Further particulars are available on the WildCRU website: http://www.wildcru.org/

For additional information about Panthera visit http://www.panthera-foundation.org/ ; for Pembroke College visit http://www.pmb.ox.ac.uk/, for WildCRU visit http://www.wildcru.org/ and for the Department of Zoology visit http://www.zoo.ox.ac.uk/.

The University of Oxford is an Equal Opportunities Employer.

*Funding Notes*
The Scholarship begins in Michaelmas term (October) 2008 and the award includes full fees and maintenance at the level of UK research council studentships, but extending over 4 years and complemented by up to £30,000 of research funding.

Source: Pedro Almada / Nebulis

Giovanni Casertano fala sobre Platão na UnB

O professor da Universitá degli Studi Federico II, em Napoli (Itália), Giovanni Casertano profere a partir da segunda-feira, 5 de maio, o curso gratuito A verdade em Platão.

Quem participar conhecerá mais sobre o pensador, suas dimensões social, política, ética e dialética. O objetivo é desenvolver a idéia de verdade em todos os discursos de Platão, explorar sua necessidade lógica, irrefutabilidade, universalidade e até “incômodo”, e finalmente chegar à sua característica principal: se contrapor à falsidade. As aulas com Casertano serão em Português e ocorrerão no Anfiteatro 15, no ICC Norte, campus do Plano Piloto, das 14h às 17h40 até o dia 30 de junho.

O curso será transmitido pela internet. Os interessados poderão enviar perguntas via Skype ou Windows Live Messenger. Os detalhes do curso estão no site do grupo de pesquisa Archai, ligado ao Departamen to de Filosofia (FIL) da UnB (http://www.cpce.unb.br/unbtv/archai.htm).

A iniciativa tem apoio do Programa Escola de Altos Estudos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Mais informações pelos telefones 3307 2726 ou 3307 2727.

Fonte: UnB

Consecti realizará fórum em Salvador

O Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti) realizará, nos dias 7 e 8 de julho, em Salvador (BA), o seu fórum nacional. O evento debaterá a distribuição de recursos para o setor de C&T nas diversas regiões do país. O encontro deverá contar com a participação de autoridades como o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, e a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff.

A data e o local do evento foram escolhidos no dia 25, no encerramento do Fórum Nordeste do Consecti, realizado em Fortaleza (CE). Durante o evento, cada um dos Estados nordestinos assinou, com o Banco do Nordeste (BNB), um termo de cooperação técnica para apoio a projetos de pesquisa na região. A parceria vai viabilizar a realização de editais conjuntos para investimento em empresas de base tecnológica, projetos de fomento a pesquisas ou fornecimento de novas bolsas de mestrado e doutorado.

Para apoiar os projetos que serão apresentados pelos Estados, o BNB utilizará recursos do Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundeci), do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico (Prodetec) e do Fundo Criatec. Ao todo, eles somam R$ 300 milhões. De acordo com informações da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia (Secti/BA), não há limite de recursos por Estado.

Na avaliação do secretário de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco, Aristides Monteiro, o termo de cooperação técnica com o BNB atende às necessidades dos Estados nordestinos, apontadas pelos secretários na Carta de Aracaju, de maior aproximação com as instituições de desenvolvimento regional.

“Demos um passo à frente no estreitamento das relações entre setor produtivo, governos e a academia. Foi extremamente importante que esta reunião tenha sido realizada na sede do banco”, disse Monteiro, que é diretor regional Nordeste do Consecti.

Para o chefe de gabinete da Secti/BA, Pedro Torres, que representou o secretário Ildes Ferreira no fórum, a parceria com o BNB dará mais autonomia aos Estados nordestinos no aporte de recursos para o setor. Ele também acredita que a medida sinaliza para a prioridade que o governo pretende dar à região do Semi-Árido, “uma das mais carentes do país”.

De acordo com o termo de cooperação, os Estados deverão elaborar e apresentar ao BNB propostas técnicas, dentro dos padrões exigidos pelo banco. Caberá ao BNB analisar os projetos e emitir parecer. As formalizações finais das propostas ficarão condicionadas à aprovação conjunta pelas equipes do BNB e dos Estados, bem como à disponibilidade de recursos.

Informações sobre as ações do Consecti podem ser obtidas pelo site www.consecti.org.br/ .

Fonte: Gestão CT