sexta-feira, 25 de abril de 2008

MEC, Mapa e Sebrae lançam o Prêmio Técnico Empreendedor

Os ministérios da Educação (MEC) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) lançaram, em parceria com o Sebrae, o edital do Prêmio Técnico Empreendedor. A chamada foi publicada na edição do dia 17 do Diário Oficial da União e as inscrições podem ser feitas até 27 de junho.

O objetivo é estimular, reconhecer, premiar e divulgar as atividades de empreendedorismo e cooperativismo desenvolvidas pelos alunos dos cursos técnicos e tecnológicos das Instituições Públicas de Educação Profissional e Tecnológica (IPEPTs).

Podem participar os alunos regularmente matriculados e que estejam freqüentando qualquer curso de nível técnico ou tecnológico. A premiação conta com duas categorias: técnico e tecnólogo. Os projetos serão inscritos por equipes de dois a três alunos, orientados por um professor integrante da respectiva instituição educacional.

As propostas deverão ser caracterizadas como soluções técnicas com possibilidade de se transformar em “negócio” executável pelos alunos, em qualquer área da atividade produtiva, relacionada a bens, produtos ou serviços, pertinentes às áreas de excelência na qual o estudante está inserido. O “negócio” deverá comprovar viabilidade econômica e social, respeitando a ética e a preservação ambiental.

As propostas serão avaliadas em duas fases. Na etapa regional, serão selecionados os três melhores projetos de cada região, por categoria, que serão classificados para a etapa nacional. Na fase nacional, também serão escolhidos três projetos de cada tema que concorrerão nas categorias técnico e tecnólogo.

A equipe e o professor orientador responsável pelo melhor projeto de cada tema, por categoria, na etapa regional receberão: um certificado de reconhecimento pela classificação e R$ 2 mil, sendo que este valor deverá ser dividido igualmente entre os membros da equipe e o professor orientador. Já os três melhores classificados na etapa nacional serão premiados com R$ 5 mil (1º lugar); R$ 4 mil (2º lugar); e R$ 3 mil (3º lugar). Cada vencedor desta etapa ainda receberá um certificado e um troféu. A premiação da etapa nacional será realizada no dia 30 de setembro, em Brasília.

A íntegra do edital está disponível no link:
http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/pte2008_edital.pdf

Fonte: Gestão CT

Finep: R$ 1,3 bilhão para empresas inovadoras

A Finep está finalizando os detalhes do Programa Primeira Empresa Inovadora (Prime), que será um projeto de subvenção econômica para empresas nascentes de caráter inovador.

A proposta é que o programa conte com R$ 1,3 bilhão para serem investidos, em quatro anos, em 1,8 mil empresas incubadas. As incubadoras de empresas de base tecnológica ficarão responsáveis pela seleção dos empreendimentos e repasse direto da verba estatal. “Esta é uma idéia ousada e inovadora que pode se transformar em um dos maiores programas da história desta Casa”, disse o diretor de Inovação da Finep, Eduardo Costa, em notícia divulga pela financiadora.

Costa explicou que no primeiro ano de programa, R$ 120 mil serão repassados para as empresas em forma de bolsas. “No começo do processo, o dinheiro será, literalmente, dado para cada empresa.” Os recursos poderão ser utilizados para a contratação de técnicos, administradores e consultoria de mercado. A idéia é que sejam investidos R$ 240 mil em cada empresa, por dois anos. Metade por meio de bolsas e metade pelo Programa Juro Zero.

A Finep ainda informou que outra proposta do Prime será a de trabalhar para o desenvolvimento regional, a inovação tecnológica e a ascensão das pequenas empresas no país.

Os empresários que forem selecionados para receber os recursos passarão por um curso obrigatório de imersão em negócios, com duração de nove dias. A expectativa é de que o Prime seja lançado no próximo mês de julho.

Informações complementares sobre as ações desenvolvidas pela Finep podem ser obtidas no site www.finep.gov.br .

Fonte: Gestão CT

Promoção da Saúde e Gestão Local

Pesquisadores da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP) acabam de lançar o livro Promoção da Saúde e Gestão Local, cujo objetivo é divulgar estudos relacionados à gestão pública na área de saúde, numa perspectiva integrada e participativa. A obra toma como referência a iniciativa Cidades Sustentáveis, fomentada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O livro, que divulga seis estudos realizados por pesquisadores do Centro de Pesquisas e Documentação em Cidades Saudáveis (Cepedoc) da FSP, foi organizado pela professora da Faculdade de Medicina de Jundiaí Rosilda Mendes e pelo sociólogo Juan Carlos Aneiros Fernandez, doutorando da FSP. Ambos são pesquisadores do Cepedoc.

“O Cepedoc atua em vários projetos de pesquisa e intervenção, promovendo processos que viabilizem políticas públicas participativas integradas e a formação de lideranças visando à eqüidade e qualidade de vida. O livro reúne temas trabalhados pelo centro no decorrer dos últimos anos”, disse Fernandez.

De acordo com ele, os pesquisadores contribuíram com o livro a partir de pesquisas específicas feitas em cada uma das linhas abordadas pelo Cepedoc, traçando um amplo panorama em torno do eixo da gestão na cidade.

“Poucos trabalhos enfocam a cidade na promoção da saúde. A maioria tem foco em doenças, sistemas de saúde, unidades de saúde ou serviços de saúde. Nós procuramos abordar, sempre pensando na cidade, o desenvolvimento dos serviços de saúde voltados para a melhora da qualidade de vida, além de tratar das formas pelas quais gestores e cidadãos podem participar desse processo”, afirmou.

Fernandez afirma que a proposta que está por trás do livro – e que é a origem do centro – é a inciativa Cidades Saudáveis, uma agenda lançada pela OMS que tem como pressuposto a gestão integrada de políticas de cultura, saúde e educação.

“O eixo central do trabalho é a participação social e a gestão participativa voltadas para a busca de eqüidade e diminuição das desigualdades existentes, construindo propostas de gestão que sejam sustentáveis do ponto de vista ambiental e político – isto é, que ultrapassem as mudanças partidárias ao longo do tempo, configurando uma política de Estado”, declarou.

Segundo Rosilda, o livro é resultado de um trabalho coletivo de muitos anos. “Ele traz uma visão geral da construção das nossas ações. Os capítulos todos se conectam, já que estamos tratando da promoção da saúde e de qualidade de vida nas cidades”, disse.

A pesquisadora afirma que a obra era uma demanda dos profissionais da saúde e gestores locais que vivem em suas experiências cotidianas os problemas presentes nas cidades.

“A idéia é que o livro vá potencializar essas discussões, incentivando uma abordagem integrada das políticas públicas. O ponto fundamental é fazer a conexão entre todas as abordagens diferentes da saúde na cidade”, afirmou Rosilda.

O público-alvo são gestores e estudantes do tema, de acordo com a pesquisadora. “Isso está conectado com uma proposta mais ampla: vamos fazer agora uma plataforma para um curso de promoção da saúde para gestores municipais do país todo. O livro é uma base de dados para aprofundarmos a quesão da cidade, contribundo para a pesquisa no setor”, disse.

A obra reúne seis pesquisas: “Promoção da saúde e qualidade de vida”, “Gestão local e políticas públicas para a qualidade de vida”, “Participação social e cidadania em movimentos por cidades saudáveis”, “Intersetorialidade: reflexões e práticas”, “Território: potencialidades na construção de sujeitos” e “Descentralização: cálculo e axioma”.

Mais informações: (11) 3085-4760 ou http://www.hucitec.com.br/

Fonte: Agência Fapesp

Feec da Unicamp desenvolve antena de radar

Pesquisadores da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (Feec) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) são os responsáveis pelo desenvolvimento tecnológico da antena que compõe um radar, fabricado pela empresa nacional Orbisat, que está sendo utilizado no Rio de Janeiro pelo Exército Brasileiro.

Batizado de Saber M-60, sigla de Sistema de Acompanhamento de Alvos Aéreos por Emissão de Radiofreqüência, trata-se de um radar de pequenas dimensões utilizado para o monitoramento do espaço aéreo em baixas altitudes.

A partir de um sistema de emissão de radiofreqüência, o equipamento identifica qualquer aeronave que se encontre em um raio de 60 quilômetros ou sobrevoe a antena em uma altura de até 5 mil metros.

Por meio de um software também desenvolvido em parceria por pesquisadores da Unicamp, da Orbisat e do Centro Tecnológico do Exército (CTEx), o radar rastreia e fornece, em tempo real, a localização exata de até 40 alvos aéreos simultaneamente. Suas funções são semelhantes às de um radar de grande porte usado em aeroportos.

O software identifica as aeronaves observadas e define características como grau de ameaça, no caso de vôos clandestinos, facilitando a tomada de decisão do Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Sisdabra) da Força Aérea Brasileira (FAB).

“As antenas, consideradas os olhos dos radares, são responsáveis pela composição do formato de radiação do Saber M-60”, disse o coordenador do projeto no meio acadêmico, Hugo Hernández Figueroa, professor do Departamento de Microondas e Óptica da Feec/Unicamp.

“Para isso elas são compostas por dois planos principais de radiação, um horizontal e outro vertical. Assim as antenas direcionam a energia eletromagnética que é gerada pelo radar à uma determinada região do espaço aéreo. Essa energia bate no alvo e retorna para a antena para o reconhecimento do sinal pelo software”, explica.

Os testes com o primeiro protótipo do radar, que é relativamente leve e pode ser transportado para qualquer ponto do país, foram realizados no ano passado durante os Jogos Pan-Americanos, no Rio de Janeiro, onde ele auxiliou no monitoramento da chegada de competidores e chefes de Estado.

O valor de mercado do Saber M-60 é de cerca de R$ 3 milhões, custo que, segundo estimativa dos pesquisadores, equivale a aproximadamente 70% do valor de um equipamento similar importado.

Saber M-200
De acordo com Figueroa, o grupo de pesquisa do Departamento de Microondas e Óptica da Feec está se preparando para uma nova empreitada. Trata-se do desenvolvimento de uma antena, com dimensões maiores, que será utilizada por outros modelos de radares que deverão ter 200 quilômetros de alcance e altitude de mais de 10 mil metros.

“Os estudos para a elaboração da antena desse novo modelo, já nomeado de Saber M-200, devem começar oficialmente em junho deste ano”, explica o professor. O objetivo é que eles sejam utilizados em sistemas de defesa antiaérea como, por exemplo, para a defesa de instalações estratégicas em centrais de energia, instalações militares, refinarias ou instituições governamentais.

Esses novos equipamentos também serão fabricados pela Orbisat, empresa que tem sede em Manaus e dois centros de pesquisa e desenvolvimento (P&D), um voltado ao desenvolvimento de tecnologias para radares, em Campinas, e outro onde são realizados experimentos na área de engenharia eletrônica, em São José dos Campos, ambos no interior paulista.

Calcula-se que menos de dez países, a maioria na Europa, além dos Estados Unidos, dominem as tecnologias de fabricação de radares. Além do domínio nacional da tecnologia, outro ponto alto da parceria entre a Unicamp e a Orbisat é a formação de recursos humanos.

“Vários estão sendo os desdobramentos do projeto, mas talvez os principais deles sejam a sua grande contribuição para o desenvolvimento do parque industrial brasileiro e a transferência de conhecimento para o setor privado. Quatro alunos do nosso departamento já estão em fase de contratação pela Orbisat”, disse Figueroa.

O projeto do Saber M-60 foi desenvolvido com recursos da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

Fonte: Thiago Romero / Agência Fapesp

Sebrae: Três editais com chamadas abertas

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) está com os prazos para submissão de propostas de três editais abertos. As chamadas têm o objetivo de promover empreendimentos inovadores, de estruturar Indicação Geográfica e apoiar projetos de certificação de produtos.

Empreendimentos Inovadores
O Edital Sebrae nº 01/2008 – Promoção de Empreendimentos Inovadores dará apoio técnico a novas micro e pequenas empresas por meio da seleção de propostas feitas pelas incubadoras de empresas. A chamada recebe projetos até 31 de maio.

As incubadoras devem buscar, nos projetos, melhorias empresariais e na gestão, além de acesso a mercado, tecnologia, inovação e a serviços financeiros. Assim, indiretamente, o apoio será dado às empresas incubadas. Além disso, em um ano, as incubadoras deverão se comprometer a duplicar o número de entidades incubadas.

O edital conta com recursos da ordem de R$ 3,6 milhões. O apoio máximo dado será de R$ 120 mil. As inscrições devem ser feitas conforme regras previstas no roteiro para elaboração de propostas, disponível neste link. A íntegra do edital pode ser acessada neste link.

Indicação Geográfica
A chamada se propõe a apoiar projetos de estruturação de Indicação Geográfica. Este processo consiste na agregação de valor e credibilidade a um produto por meio da vinculação deste às características diferenciadas de seu local de origem. O edital recebe chamadas até 15 de maio.

O objetivo é beneficiar micro e pequenas empresas e produtores rurais. Para configurar a Indicação Geográfica são exigidas, no projeto, a manifestação de interesse de cinco empresas ou produtores rurais, identificando sua atuação.

Serão apoiadas até dez propostas e o valor limite do financiamento é de R$ 150 mil.

As inscrições devem ser feitas mediante envio da proposta impressa à Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia (UAIT) do Sebrae. O endereço pode ser visualizado no site da instituição. A íntegra do edital pode ser acessada neste link.

Certificação
A chamada selecionará projetos de micro e pequenas empresas para certificação de produtos ou processos de empreendimentos rurais. O edital recebe propostas também até 15 de maio.

É necessário que as propostas evidenciem a viabilidade da certificação e a importância para a regulamentação de um produto ou a sua melhoria da imagem.

Serão financiadas até 50 propostas no valor de R$ 10 mil. As inscrições devem ser feitas mediante envio da proposta impressa para a Unidade de Acesso à Inovação e Tecnologia (UAIT) do Sebrae. O edital completo pode ser visualizado neste link.

Fonte: Gestão CT

Inovação tecnológica como motor para vencer o desafio energético

Solving the Energy Puzzle Through Innovation

Os investimentos em inovação tecnológica são o principal motor para vencer o desafio energético do futuro. É o que conclui o estudo "Solving the Energy Puzzle Through Innovation", publicado pelo Fórum Econômico Mundial e pelo Cambridge Energy Research Associates.

O Fórum lembra que a população mundial deve pular de 6,4 bilhões para mais de 8 bilhões em 2030. Com isso, será necessário mais 50% de energia no período. O documento mostra que, se nada mudar, os hidrocarburetos vão corresponder a 80% da energia mundial.

"Nosso relatório não somente demonstra a importância de combinar as forças de investidores, provedores de tecnologia e planejadores para impulsionar a inovação, mas também sinaliza a necessidade do engajamento de consumidores de energia e do aprendizado de experiências inovativas de outras indústrias", disse Christoph Frei, diretor-sênior e chefe de indústria energética do Fórum Econômico Mundial.

Segundo o estudo, a indústria energética vai demandar investimentos de US$ 22 trilhões até 2030. As áreas nas quais o desenvolvimento tecnológico mais avança são de energia renovável e eficiência energética. Essas áreas receberam investimentos de US$ 110 bilhões no ano passado, contra US$ 70 bilhões em 2006. O estudo lembra que o desenvolvimento tecnológico demora a acontecer e, por isso, a eficiência energética pode contribuir com a redução do crescimento da demanda.

O documento diz que incrementar a eficiência energética em 2% ao ano teria como resultado um ganho de 22% em uma década. "Os ganhos de eficiência energética podem ainda ser acumulados numa cadeia de suprimento; ou seja, pequenos ganhos em cada nível gera melhoras significativas no processo como um todo", afirma o texto do estudo.

Veja a entrevista com Frei em: Solving the Energy Puzzle Through Innovation

Veja o arquivo, em inglês, no site:
http://www.weforum.org/pdf/energy_industry/EnergyVision.pdf

Fonte: Agência UDOP/ Canal Energia

MEC convoca instituições para participarem da Rede de Educação da Diversidade

O Ministério da Educação (MEC) está recebendo propostas de instituições de ensino superior para participação no programa Rede de Educação da Diversidade. A iniciativa faz parte do programa Universidade Aberta do Brasil (UAB).

A chamada pública tem o objetivo de convocar as instituições de ensino para a formação da rede e selecionar propostas de cursos de formação continuada a distância nas modalidades de extensão, aperfeiçoamento e especialização a serem ofertados por instituições de ensino superior nos pólos municipais de apoio presencial da UAB. Outro objetivo é selecionar propostas para a gestão do portal da rede de formação para a diversidade.

Para participarem da rede, as instituições devem se cadastrar até o dia 16 de julho. Já as instituições que desejarem participar enviando propostas de curso devem encaminhar os projetos até o dia 16 de maio. E aquelas que quiserem fazer a gestão do portal da rede têm também como prazo final o dia 16 de maio. As propostas devem ser remetidas pelos Correios para o Ministério da Educação.

A Rede de Educação para a Diversidade (Rede) pretende estabelecer um grupo permanente de formação inicial e continuada a distância para a disseminação e desenvolvimento de metodologias educacionais de inserção dos temas das áreas da diversidade como, por exemplo, educação do campo, indígena, ambiental, relações étnico-raciais, gênero e orientação sexual.

Informações complementares podem ser obtidas pelos e-mails 1 e 2 . A íntegra do edital está disponível no link:

Fonte: Gestão CT

35 anos da EMBRAPA

No último dia 23, em solenidade realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, durante as comemorações dos 35 anos da Embrapa, o presidente da instituição, Silvio Crestana, disse que o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, deu à empresa um programa de fortalecimento, o PAC da Embrapa - Programa de Fortalecimento e Crescimento da Embrapa. “E reforça ainda mais o PAC da C&T. Ele faz um esforço inédito de inovação institucional, é como um braço privado para a Embrapa concretizar as oportunidades de negócios tecnológicos e projetos de monitoramento por satélite de todas as áreas, de todos os PACs, em apoio a esse esforço gerencial do presidente Lula e do gabinete civil da Presidência da República”.

Já o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Reinhold Stephanes, informou que o PAC compreende quase R$ 1 bilhão em recursos adicionais para os próximos dois anos e sete meses. “Corresponde a R$ 264 milhões para reforçar os recursos das instituições da rede estadual de pesquisa”. O programa prevê a contratação de 750 novos pesquisadores, a recuperação de campos experimentais, a construção de laboratórios e equipamentos nas unidades estaduais e a formação de pessoal a nível de mestrado, doutorado e pós-doutorado, além da criação de três centros novos de pesquisa em Mato Grosso, Tocantins e Maranhão.

Segundo o ministro, o PAC contempla toda a rede de pesquisas do Brasil, inclusive das instituições estaduais. “Temos que considerar que 60% do aumento da produtividade se deve diretamente à pesquisa e como o Brasil é um país que consegue alimentar toda sua população, que consegue atender à demanda crescente da população que está comendo, nosso desafio é continuar a questão de compatibilizar a segurança alimentar”.

O presidente Lula, também presente ao evento, reforçou a importância das instituições de pesquisa estaduais. “A Embrapa é responsável pela revolução da agricultura brasileira e, agora, com esse sistema de trabalhar junto com as entidades estaduais de muita competência, mas que trabalhavam isoladas, cada uma para si. Estou convencido que a Embrapa precisa ocupar um espaço maior no cenário mundial”.

Lula disse que o PAC só dará certo se houver um conselho gestor para acompanhar o gasto do dinheiro, que se reúna mensalmente e acompanhe cada centavo que for aplicado e os que não forem aplicados. “Nós temos três anos para que a gente prove que valeu a pena acreditar em pesquisa”, finalizou o presidente.

Alimentos
O presidente disse que o Brasil vive um momento de definições que vão exigir muita disposição política de fazer a “boa briga” em defesa dos interesses nacionais. “Na hora em que o Brasil começa a se apresentar ao mundo não mais como coadjuvante, mas como o artista principal de um cenário de produção de produtos agrícolas se tornando mais competitivo em vários deles e tendo possibilidade de se transformar no celeiro do mundo, as pessoas começam a ficar incomodadas com o Brasil”, afirmou o presidente.

Lula reclamou que em reuniões com organismos multilaterais, muitas vezes, o Brasil é acusado de desmatamento, trabalho escravo e que, agora, há uma novidade, que é a falta de alimento por conta do biocombustível.

O presidente lembrou que há problemas de alimentos em vários países do mundo, problemas de inflação causada pelo aumento dos alimentos no Chile e na China, passando pelo Brasil e por outros países. “As pessoas começaram a dizer que o problema da crise de alimento se deve ao fato de o Brasil produzir muita cana e estar produzindo biodiesel. Essas pessoas, que estão criticando os bicombustíveis e que estão preocupadas com o preço do alimento, nunca fizeram crítica ao preço do petróleo que salta de 30 para 120 dólares”.

Para o presidente, o que está escondido atrás deste debate é a “manutenção da velha política do alimento, o aumento do preço do petróleo”.

Balanço Social
O presidente da Embrapa entregou ao presidente Lula, na mesma ocasião, o Balanço Social 2008 da instituição. “Fizemos 550 ações de relevante interesse social e ajudamos a criar quase 115 mil empregos. Tivemos um lucro social de mais de R$ 15 bilhões, o que dá um retorno maior que R$ 13 para cada real aplicado em pesquisa”.

Segundo Crestana, hoje o país está de novo em tempo de crise mundial, por conta dos estoques baixos, consumo crescente e maior custo de energia e de insumos, que fazem crescer todos os preços, inclusive dos alimentos. Ele explica que, no Brasil, a agricultura tropical continua a ser o grande esteio da política de estabilidade da moeda e de controle da inflação. “Os paradigmas que sustentam a agricultura tropical ainda estão válidos, mas eles serão logo superados. É a natureza do processo tecnológico. Foi num tempo de incertezas como esse que o Brasil se antecipou aos problemas e multiplicou as universidades e os cursos de pós-graduação para criar o talento humano que faz a civilização tecnológica em que vivemos. O Brasil precisa agora buscar a solução para os outros biomas”.

Frederico de Menezes Veiga
O Prêmio Frederico de Menezes Veiga também foi entregue ontem. Foram contemplados Wania Fukuda, da Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, e Glauco Olinger, consultor da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri-SC). O ex-ministro da Agricultura Luiz Fernando Cirne Lima foi homenageado na ocasião.

O ex-ministro lembrou que a Embrapa teve seu contrato de fundação assinado no dia em que se assinava o contrato de Itaipu. “O Brasil tinha 50% da suas exportações, que andavam na casa dos US$ 3,5 a US$ 4 bilhões de café. O barril do petróleo naquele ano saltou de US$ 4 para US$ 8 e o mundo parecia que ía acabar. E hoje na situação de grande potência de energia líquida renovável, o Brasil entrega o prêmio de nome Frederico Menezes Veiga, que homenageia o grande geneticista brasileiro de cana-de-açúcar”.

Esta é a 30ª edição do Prêmio Frederico de Menezes Veiga. O tema deste ano é “Integração Pesquisa e Extensão: Fator de Sucesso da Moderna Agricultura Brasileira”. A premiação é promovida pela Embrapa e conta com o apoio da revista Globo Rural, publicação da Editora Globo. A premiação consiste numa peça de arte, um diploma e uma quantia de R$ 77,8 mil para cada um dos vencedores.

Segundo a Embrapa, desde 1975 foram indicados 340 pesquisadores, sendo 142 da Embrapa e 198 de instituições parceiras. Deste total, 84 foram premiados.

Fonte: Isadora Lionço / Gestão CT

11º Prêmio Finep de Inovação

Está marcado para a próxima terça-feira (29), às 19h30, no teatro Maison de France, no Rio de Janeiro (RJ), o lançamento do 11º Prêmio Finep de Inovação. Neste ano, a Finep traz muitas novidades para a premiação.

Uma delas é a mudança de nome, que deixa de ser Prêmio Finep de Inovação Tecnológica e passa a ser Prêmio Finep de Inovação. Outra grande novidade é a concessão de financiamentos para os projetos inovadores vencedores que variam de R$ 500 mil a R$ 10 milhões.

Também no dia 29 de abril estará aberto o período de inscrição para o concurso, que terminará no dia 28 de agosto. Em notícia divulgada pela Finep, a coordenadora nacional do prêmio, Vera Marina da Cruz e Silva, disse que mais do que bater recordes no número de inscrições, o prêmio vai passar a refletir, também, a real aplicação do esforço inovador no desenvolvimento do país.

Neste ano, serão quatro categorias: micro/pequena empresa; média empresa; instituição de ciência e tecnologia; e tecnologia social. Haverá ainda outras duas categorias especiais: Grande Empresa – Casos de Sucesso em Inovação; e Inventor Inovador. Para essas, não será preciso inscrição.

Outros detalhes sobre o Prêmio Finep podem ser obtidos no site:
www.finep.gov.br/premio

Fonte: Gestão CT

CTNBio aprova pesquisas, mas não decide sobre comercialização

A Comissão Nacional Técnica de Biossegurança (CTNBio) aprovou, em sua última reunião realizada no dia 17, mais de 30 solicitações para realização de pesquisas com transgênicos. Segundo informações do MCT, 17 foram pedidos de estudos nas áreas vegetal e ambiental e outros 14 para projetos em saúde humana e animal.

A terceira reunião realizada pela CNTBio este ano não chegou a nenhuma aprovação sobre a liberação comercial de organismos geneticamente modificados. Na pauta da última reunião, 12 pedidos para a liberação comercial estavam para ser analisados. “As discussões sobre os pedidos de liberação comercial avançaram, mas ainda não foi possível decidir”, disse o secretário executivo da CTNBio, Jairon do Nascimento, em notícia divulgada pelo ministério.

Pesquisas
As pesquisas aprovadas nas áreas vegetal e ambiental são as seguintes: de milho resistente a inseto e tolerante ao glifosato, de algodão resistente a inseto, de algodão tolerante a herbicida, de soja resistente a inseto e tolerante ao glifosato (tipo de herbicida), e de cana-de-açúcar para aumento do teor de sacarose.

Já nas áreas de saúde humana e animal, foram aprovados dois pedidos de Certificado de Qualidade de Biossegurança (CQB) para o Laboratório de Microorganismos de Referência do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e para o Laboratório de Biotecnologia e Bioluminescência da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

A próxima reunião da CTNBio está marcada para o dia 14 de maio. Para mais informações, acesse o site http://www.ctnbio.gov.br/index.php .

Fonte: Gestão CT

Ciclo: As Transformações Recentes do Ensino Superior

Em todo o mundo, o ensino superior e a profissão acadêmica têm apresentado fortes mudanças nas últimas décadas. Segundo a cientista política Elizabeth Balbachevsky, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, no Brasil, essas mudanças são constatáveis em aspectos como: o forte crescimento da população estudantil, que permanece em descompasso com o crescimento mais lento das instituições; as limitações orçamentárias, freqüentemente associadas a pressões para a ampliação do controle e burocratização dos sistemas de avaliação; as novas tecnologias de informação, que ampliam os processos de internacionalização e mudam o processo de produção do conhecimento.

Essas mudanças serão discutidas na conferência "As Transformações Recentes do Ensino Superior", que Balbachevsky fará no dia 30 de abril (quarta-feira), às 10h, no Auditório Alberto Carvalho da Silva, sede do IEA. O evento integra o Ciclo "Formação Universitária: como Preparar o Brasil para o Futuro?". Os debatedores do encontro serão Eunice Durham (Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas da USP) e Renato Pedrosa (Comissão Permanente para os Vestibulares da Unicamp).

PESQUISA
Na palestra, Balbachevsky apresentará alguns resultados preliminares da pesquisa "Evolução Recente da Profissão Acadêmica no Brasil: uma Análise Comparada", trabalho apoiado pela Fapesp e que viabilizou a participação brasileira no projeto "The Shifting Boundaries of the Changing Academic Profession" (Projeto CAP, As Fronteiras em Mudança da Profissão Acadêmica), que está sendo realizado por uma rede de instituições acadêmicas em 20 países.

O CAP pretende examinar a natureza e a extensão das mudanças ocorridas na profissão acadêmica nos anos recentes, suas razões e conseqüências. Serão estudadas as implicações dessas mudanças para a atratividade da atividade acadêmica como carreira e a capacidade da comunidade acadêmica de contribuir para o desenvolvimento econômico, social e cultural de cada país. A partir de um modelo de transformação de seis estágios (leia abaixo), serão feitas comparações sobre esses temas entre diferentes sistemas educacionais, tipos institucionais, disciplinas acadêmicas e gerações.

Balbachevsky ressalta que participar desse projeto representa uma rara oportunidade para o estudo, numa perspectiva comparada, do sentido das mudanças que estão ocorrendo no sistema de ensino superior brasileiro: "Os resultados da pesquisa em escala mundial permitirão, pela primeira vez, avaliar em que medida as mudanças observadas no Brasil convergem ou divergem daquelas que podem ser observadas nas experiências de outros países."

Perfil
Elizabeth Balbachevsky é professora associada do Departamento de Ciência Política da FFLCH/USP. Suas áreas de atuação são: análise de pesquisas de opinião, políticas de CT&I e políticas de ensino superior. Em 2005 e 2006 foi Fulbright Scholar no Programa New Century Scholars, onde desenvolveu estudo comparado sobre o impacto da globalização nas políticas de ensino superior em países emergentes. Em 2007 passou a integrar o Projeto CAP e a Rede Latino-Americana de Políticas Regionais. Nessa rede, participa da pesquisa "Percepções da Elite Sul-Americana sobre os Impactos da Desigualdade para a Sobrevivência da Democracia no Continente".

Mais informações podem ser obtidas com Cláudia Regina, telefone (11) 3091-1686 ou pelo e-mail. Quem não puder comparecer poderá assistir ao evento pela internet em www.iea.usp.br/ aovivo.

Fonte: Contato IEA/USP

INPI cria comitê de política industrial

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) criou, no início deste mês, o Comitê Permanente de Política Industrial, que terá como objetivo definir a representação e o posicionamento do INPI, com o intuito de aperfeiçoar a gestão da propriedade intelectual e contribuir para os resultados da Política Industrial.

O comitê será composto por representantes sete diretorias do instituto, além de representantes da Procuradoria, do Gabinete da Presidência e da Secretaria Geral. A portaria nº 139/2008 do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), que cria o comitê, prevê ainda a realização de pelo menos uma reunião mensal. Para conferir os detalhes da medida, acesse este link.

Dados de pedido
Outra novidade criada pelo INPI, neste mês, é sobre a publicação dos pedidos feitos ao instituto. Segundo o INPI, os pedidos de registro de programa de computador passarão a ser publicados na Revista da Propriedade Industrial (RPI) com seus dados bibliográficos completos, informando o tipo de programa a que se refere (classificação) e o seu número de identificação.

Os interessados nessa área contarão com mais informação sobre os pedidos depositados. A publicação com a nova classificação será feita a partir da RPI 1946, neste mês.

De acordo com o INPI, com a publicação dos dados bibliográficos do pedido, o interessado poderá saber o número de seu pedido, se ficou faltando algum dado ou, ainda, se algo foi informado incorretamente.

A Revista da Propriedade Industrial está disponível em formato TXT no link:
http://www.inpi.gov.br/menu-superior/revistas

Fonte: Gestão CT

Brasil coopera com Cabo Verde na estruturação de centro de formação

Com o objetivo de reforçar a cooperação com Cabo Verde, que teve início em junho de 2007, o governo brasileiro enviou, no dia 21, três pesquisadores que auxiliarão técnicos cabo-verdianos a estruturar o Centro de Formação da Ilha do Fogo. A instituição oferecerá cursos nas áreas de construção civil, meio ambiente e telecomunicações.

Os professores Claudionor Lima de Oliveira, Antônio Eduardo Bezerra e Raimundo Benvindo Comes, do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) do Ceará, serão responsáveis por elaborar um diagnóstico das potencialidades locais, analisar a demanda por formação profissional e avaliar a infra-estrutura física. Após essa fase, eles deverão iniciar o planejamento do apoio brasileiro para a formação de professores e a elaboração de material didático.

De acordo com o Ministério da Educação, numa primeira fase do acordo bilateral, foram qualificados profissionais cabo-verdianos em turismo e hospitalidade. Esta nova missão, que também conta com a participação de representantes do Cefet de Goiás, deverá ser encerrada no dia 25.

Informações sobre as ações do Ministério da Educação podem ser obtidas no site www.mec.gov.br .

Fonte: Gestão CT

Bolsas de doutorado na França na área de engenharia para o desenvolvimento sustentável

O Cemagref (Instituto de pesquisa em engenharia, agricultura e meio ambiente), órgão público francês dedicado à gestão de águas e territórios, oferece bolsas para doutorado na áera de engenharia para o desenvolvimento sustentável.

As inscrições podem ser feitas até 15 de maio. As bolsas, no valor de 1.813 € mensais, têm duração de três anos. Os resultados da seleção serão divulgados entre julho e setembro e as atividades se iniciam no dia 1º de dezembro de 2008. O limite de idade é de 27 anos na data de inscrição.

O instituto se localiza em nove regiões da França: Antony, Nogent-sur-Vernisson, Rennes, Lyon, Grenoble, Clermont-Ferrand, Bordeaux, Montpellier e Aix-en-Provence.

As atividades de pesquisa do Cemagref são voltadas para as áreas de riscos naturais e interações entre agricultura e hidrossistemas.

As teses financiadas deverão tratar prioritariamente de 6 temas gerais: “Compreensão e diagnóstico de sistemas complexos”, “Gestão de ecossistemas aquáticos e florestais degradados”, “Estudo e compreensão de fluxos polifásicos”, “Gestão de resíduos”, “Caracterização física de produtos biológicos e alimentares” e “Funções não comerciais da agricultura e das florestas: economia do meio ambiente, economia pública e sociologia”.

Mais informações: http://www.cemagref.fr/

Fonte: Agência Fapesp

5º Prêmio de Literatura Juvenil Ferreira de Castro

O dia 21 de julho é a data limite para as inscrições na 5ª edição do Prêmio de Literatura Juvenil Ferreira de Castro. A premiação visa promover a troca de experiências de estudantes brasileiros com organismos portugueses e estrangeiros. Ela é promovida pela Associação do Prêmio Nacional de Literatura Juvenil Ferreira de Castro, que tem sede em Portugal.

Além de divulgar as obras dos alunos selecionados, a iniciativa promove atividades padagógicas, culturais, recreativas e literárias. Em 2002, o prêmio que homenageia o escritor português Ferreira de Castro também passou a ser destinado a estudantes brasileiros.

Um dos trabalhos selecionados na última edição do prêmio veio de Roraima. Foi o poema “O preço do tempo”, da estudante Emily Monteiro Costa, que foi premiado no escalão A (jovens de 12 a 15 anos), na categoria poesia. Já a categoria prosa, do mesmo escalão, contemplou Alessandra Barbieri, de São Paulo, com o trabalho “Dia de Visita”.

No escalão B (16 a 20 anos), Rafael Weidman Barijan, do Paraná, foi o contemplado na categoria poesia, com o conjunto de poesias de R.W.Batruk. A goiana Louisse Rodrigues de Souza foi a vencedora na categoria prosa, com “Pra não dizer que não falei das flores”.

Informações sobre o prêmio podem ser obtidas no site www.apnljfc.pt.

Fonte: Gestão CT

R$ 470 mil aos melhores projetos de responsabilidade econômica e socioambiental

R$ 470 mil é o valor total que o prêmio Valores do Brasil, iniciativa do Banco do Brasil em parceria com a UnB, dará aos melhores projetos de responsabilidade econômica e socioambiental.

Os interessados podem se inscrever nas categorias nacionais e regionais, que abrangem os seguintes temas: Nacionais - Aspectos distributivos e inclusão social; Meio ambiente; Geração de trabalho e renda; Formas de organizações sociais e Educação e Geração de Conhecimento. Regionais - Bioma Amazônia; Bioma Caatinga; Bioma Cerrado; Bioma Mata Altântica; Bioma Pantanal e Bioma Pampa.

Podem participar pessoas físicas de nacionalidade brasileira, estrangeiros residentes no Brasil e empresas legalmente constituídas no Brasil.

A premiação para experiências reais nos temas nacionais será de R$ 50 mil. Os melhores trabalhos científicos, também nas categorias nacionais, rec eberão R$ 20 mil. Já as categorias regionais receberão R$ 20 mil.

As inscrições podem ser feitas até as 18h do dia 30 de abril, no site http://www.bb.com.br/premiovaloresdobrasil , onde podem ser obtidas mais informações.

Fonte: UNB Pauta

Seminário Integranorte 2008

Os interessados em participar do Seminário Integranorte 2008 já podem fazer as suas inscrições.

O evento ocorrerá em Belém (PA), de 7 a 9 de maio, no Centro de Convenções e Feiras da Amazônia (Hangar). Organizado pela Secretaria de Programas Regionais do Ministério da Integração Nacional, o encontro reunirá representantes de diversas entidades do setor público, setor privado e da sociedade civil, visando o fortalecimento da articulação para a implementação de iniciativas sustentáveis de desenvolvimento e de superação dos desequilíbrios regionais.

Esta edição do evento está sendo planejada nos mesmos moldes dos já realizados no Sul e Nordeste. A idéia do encontro é favorecer o diálogo entre as diferentes esferas governamentais e a sociedade civil para o fortalecimento de ações para dinamização econômica, inclusão social e redução das desigualdades sociais e regionais na região Norte.

Os palestrantes debaterão temas de interessa do desenvolvimento regional do Brasil, integrando atores e iniciativas que atuam nas escalas sub-regionais priorizadas pela Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR). Na ocasião, serão apresentadas experiências de beneficiários dos programas de desenvolvimento regional coordenados pela Secretaria de Programas Regionais nas mesorregiões do Norte e na Faixa de Fronteira Norte.

Estão disponíveis apenas 250 inscrições que podem ser feitas no site:
www.mi.gov.br/integranorte .

Fonte: Gestão CT

Resultados do 1º Seminário de Jornalismo Científico da Fapeam

Seminário debate os desafios da divulgação científica no país

A necessidade de traduzir a linguagem científica e divulgar a ciência nacional, ao mesmo tempo com precisão, criatividade e senso crítico foi um dos destaques do 1º Seminário de Jornalismo Científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), realizado no dia 18, em Manaus (AM).

Na ocasião, o editor especial da revista Pesquisa Fapesp, Carlos Fiovaranti, ressaltou que a única forma de trabalhar e fazer uma boa matéria na área é por meio do diálogo e, em sua opinião, isso pressupõe igualdade. Ele acredita que os profissionais da mídia não devem “endeusar” os pesquisadores, nem fazer a matéria para eles.

“Estamos sempre despreparados frente a diversos especialistas de várias áreas. É necessário ouvir o pesquisador com interesse, respeito, mas não com tanto respeito. Até que ponto, nós jornalistas não atribuímos um poder de ação aos pesquisadores que não sei se eles têm”, disse.

Para ele, o diálogo entre os profissionais da mídia e os pesquisadores deve ser orientado em torno de três eixos: igualdade, respeito mútuo e confiança. Fiovaranti acredita que o jornalista não deve se limitar apenas a traduzir o que vê. “Devemos comover, incomodar, fazer diferença, se possível salvar o mundo, dentro dos nossos limites, comentando a matéria, perguntando, entendendo, vendo o pesquisador como um aliado, tendo um objetivo comum”, afirmou.

O editor da revista Pesquisa Fapesp foi um dos participantes da mesa-redonda “A ciência no Brasil e os desafios do jornalismo científico”. Durante o evento, ele apresentou a publicação, que é editada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo.

A mesa-redonda também contou com a participação do editor executivo do Jornal da Ciência, Luís Amorim. Ele apresentou os dois informativos que são editados pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), o JC e-mail, que é diário, e o JC impresso, quinzenal. “O JC e-mail tem uma rapidez e uma agilidade e o impresso goza de uma grande credibilidade no meio”, avaliou.

De acordo com Amorim, hoje 20 mil pessoas estão cadastradas para receber a edição online e 10 mil para receber o impresso. Ele apontou que o público-alvo dos informativos é composto por pesquisadores que estão no Brasil e no exterior, sócios da SBPC, estudantes de pós-graduação, deputados e senadores. “O JC é um canal importante da comunidade científica”, disse.

Foco regional
Também participante da mesa-redonda, Fabiana Santos, editora geral da Agência Gestão C&T de Notícias, da ABIPTI, apresentou e contou um pouco a história dos informativos Gestão C&T online e Gestão C&T impresso. Ela lembrou que as publicações são especializadas em política científica e tecnológica e têm, como grande diferencial, o foco regional. “Esse é o nosso diferencial, de acompanhar permanentemente as ações dos Estados e municípios”, ressaltou.

Para seguir essa orientação, a editora explicou que cada profissional da Agência é responsável por buscar pautas em determinada região do país. Neste sentido, ela solicitou a colaboração das fundações de amparo à pesquisa e das secretarias estaduais de C&T. “Peço para que as assessorias de imprensa colaborem, enviando sugestões de pauta porque temos todo interesse em divulgar”, afirmou.

Santos lembrou que os informativos Gestão C&T online e Gestão C&T impresso foram criados em 2000, por uma demanda do então ministro da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Sardenberg, que solicitou à ABIPTI uma publicação que noticiasse as ações dos sistemas estaduais de C&T.

O primeiro a ser implementado foi a versão online, que teve início com uma edição semanal, com dez matérias, sendo distribuído a cerca de 200 leitores. Hoje, o informativo é bissemanal e conta com 8,2 mil assinantes de todo o país.

Em 2006, o projeto se expandiu, dando origem à criação da Agência Gestão C&T de Notícias que, além dos produtos citados, ainda conta com o Informe ABIPTI, com o Informe TIB e com os mais recentes informativos online Inovação Energética e Agronegócio e Inovação.

Avaliação
Em entrevista ao Gestão C&T online, o diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), Odenildo Sena, avaliou os resultados do 1º Seminário de Jornalismo Científico da instituição de forma positiva.

“Ele causou bastante inquietação, mas ao mesmo tempo confirmou a necessidade premente de se investir mais nessa área”, destacou.

Sena voltou a ressaltar que tão importante quanto aplicar recursos no desenvolvimento da ciência e tecnologia no país, é investir na divulgação do que é produzido no setor pela necessidade de ganhar a compreensão, a simpatia e a cumplicidade da sociedade com o tema.

“Não é pura falácia dizer que em outros países, que têm investimentos altos nessa área, a população é muito consciente sobre a importância do setor. E a população sendo consciente, ela pressiona o poder público para manter a aplicação de recursos na área”, disse.

Informações sobre as ações da Fapeam podem ser obtidas no site www.fapeam.am.gov.br .

Fonte:Bianca Torreão / Gestão CT

Fapesc - R$ 600 mil para eventos de C,T&I

A Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado de Santa Catarina (Fapesc) lançou edital com o objetivo de apoiar a realização de eventos que contribuam para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação no estado.

Serão destinados R$ 600 mil, sendo que o valor máximo de apoio para os projetos de caráter local será de R$ 5 mil. Para as propostas de caráter regional o valor será de R$ 10 mil. Para aquelas no âmbito nacional e internacional, de R$ 15 mil.

Os prazos para envio das propostas variam de acordo com a data de realização dos eventos. Para aqueles a serem realizados entre 1º de junho e 30 de novembro de 2008, as inscrições podem ser feitas até 9 de maio. Já para os eventos a serem realizados de 1º de fevereiro a 30 de junho de 2009, as propostas devem ser encaminhadas até 10 de outubro.

Podem participar organizações de direito público ou privado, sem fins lucrativos, com fins estatutários de ensino ou pesquisa, sediadas no Estado de Santa Catarina e por ele reconhecidas como de utilidade pública. Os projetos devem ser entregues diretamente na Fapesc.

Mais informações: www.fapesc.rct-sc.br ou telefone (48) 3215-1245 .

Fonte: Agência Fapesp

Natal inaugura rede de transferência de dados em alta velocidade

Será inaugurada hoje (25), em Natal (RN), a Rede Metropolitana de Natal (Giganatal). O projeto tem o objetivo de interligar as instituições de pesquisa e ensino superior da região metropolitana da capital do Estado do Rio Grande do Norte. A proposta é possibilitar a troca rápida de dados entre as entidades participantes e promover o desenvolvimento científico na região.

A Giganatal é mais uma das redes de alta velocidade que integram o programa Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa (Redecomep), coordenado pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP). O projeto possibilitará aos seus integrantes o acesso mútuo, via fibra óptica, à produção científica, o compartilhamento de trabalhos e a interação por videoconferência e telefonia Voz sobre IP (VoIP). O custo total foi de cerca de R$ 870 mil, investidos pela Finep.

Atualmente, o Giganatal possui oito entidades participantes: Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do Norte (Cefet/RN), Faculdade de Natal (FAL), Faculdade Natalense para o Desenvolvimento do Rio Grande do Norte (FARN), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – Centro Regional de Natal (Inpe/CRN), Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), Centro de Tecnologias do Gás (CTGás), Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e Universidade Potiguar (UnP).

Apesar de ser direcionada às instituições da capital potiguar, outras entidades podem se candidatar a integrar a rede. Para tanto, é necessário entrar em contato com os coordenadores do projeto.

O Redecomep é uma iniciativa do MCT que tem o objetivo de implementar redes de alta velocidade em diferentes regiões metropolitanas do país. Ao todo, 27 cidades já assinaram o memorando de entendimentos para implantação do sistema. Dessas, seis já estão em funcionamento: de Recife (PE), Vitória (ES), Manaus (AM), Belém (PA), Florianópolis (SC) e do Distrito Federal.

Mais informações, no site www.pop-rn.rnp.br/giganatal .

Fonte: Gestão CT

UFRJ instalará pólo de ensino científico-tecnológico

Será instalado, no município de Duque de Caxias (RJ), mais um campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Inicialmente, a unidade oferecerá cursos de graduação em nanotecnologia, metrologia, bioinformática, ciências forenses e biotecnologia. O projeto conta com o apoio dos governos Estadual, da prefeitura de Duque de Caxias, e do Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (Inmetro).

A expectativa é de que, no próximo semestre, a nova unidade já esteja em funcionamento. Inicialmente, serão oferecidos apenas os cursos de bioinformática e biotecnologia. No entanto, no início de 2009, outros cursos estarão à disposição. De acordo com o professor do Instituto de Biofísica da UFRJ, Olaf Malm, em entrevista à Agência Brasil, a formação será feita de forma diferenciada. Durante os dois primeiros anos, no chamado “ciclo básico”, todos os alunos estudarão as mesmas disciplinas. Posteriormente, cada um seguirá para a seu segmento de especialidade. Além disso, há a proposta de a UFRJ oferecer no novo campus cursos na área de humanas.

O terreno onde será construída a nova unidade foi cedido pelo Inmetro. As obras e o fornecimento de pessoal de apoio serão de responsabilidade da prefeitura local.

Mais informações, no site www.ufrj.br .

Fonte: Gestão CT

Palestras: “A Aplicação da Medicina Nuclear e da Angiotomografia na Cardiologia”

O tema “A Aplicação da Medicina Nuclear e da Angiotomografia na Cardiologia” será debatido numa série de palestras voltadas para médicos nucleares, cardiologistas e outros profissionais da saúde. O evento ocorrerá no dia 12 de maio de 2008, a partir das 20 horas, em São Paulo.

As palestras serão apresentadas por José Soares Jr., médico nucelar do Instituto do Coração (Incor) e presidente da Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear (SBBMN), Ibraim Masciarelli Pinto, cardiologista do Hospital do Coração, e João Fernando Monteiro Ferreira, cardiologista do Incor.

De acordo com os organizadores, a cardiologia é uma das primeiras especialidades a se beneficiar da aplicação da medicina nuclear no diagnóstico e no tratamento de doenças cardíacas, tendo ajudado a compreender a fisiologia do coração e o tratamento de doenças cardiológicas.

As doenças cardiovasculares atingem milhões de pessoas em todo o mundo e são a primeira causa de morte no Brasil. A promoção é da SBBMN. O evento ocorrerá no hotel Golden Tulip Paulista Plaza.

Mais informações: www.sbbmn.org.br

Fonte: Agência Fapesp

Embrapa coordenará projeto para plantio de cana na África

O diretor-presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), intensifica a agenda da instituição na África. No domingo (20), além de inaugurar, junto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, as novas instalações da Embrapa África (Acra-Gana), ele assinou um memorando de entendimento com a Constran S/A Construções e Comércio, para viabilizar projetos conjuntos nas áreas de monitoramento da produção de cana-de-açúcar em Gana.

O memorando abre as portas para novas parcerias da estatal brasileira com a iniciativa privada, no sentido de tornar possível projetos de desenvolvimento sustentável para o continente africano, por meio da transferência de tecnologia.

A parceria com a Constran – uma das maiores empresas do setor da construção civil do Brasil – dará à Embrapa a coordenação de um grande projeto técnico para o plantio de 30 mil hectares de cana na região norte de Gana.

Pacote tecnológico
Essa cooperação incluirá as atividades de avaliação técnica das áreas de produção da cultura, do projeto de produção, elaboração de estudos de viabilidade para o uso de irrigação, acompanhamento e monitoramento das atividades de campo, agricultura de conservação, entre outros pontos.

O memorando de entendimento diz que o contrato para o “pacote tecnológico” a ser construído pela Embrapa terá duração de cinco anos. Os técnicos têm expectativa de que será possível a produção de 180 milhões de litros de álcool ao ano, considerando o plantio dos 30 mil hectares da Constran . O projeto da construtora – que agora investe em agricultura – envolve todas as fases, do plantio até a produção de etanol.

Para Silvio Crestana o formato de projeto a ser desenvolvido com a Constran demonstra, na prática, o quanto a Embrapa África pode contribuir para novas fronteiras para iniciativa privada brasileira, seja em termos de negócios ou de contribuição social. Isso significa que, ao transferir tecnologia, produtos e serviços, sempre haverá mercado para máquinas, equipamentos e investimentos.

Nova sede da Embrapa África
O prédio das novas instalações da Embrapa África, com atividades desde novembro de 2006, também vai abrigar o International Food Policy Research Institute (IFPRI) e a Alliance for Green Revolution in Africa (AGRA). O edificio, conforme informa o coordenador da Embrapa África, Cláudio Bragantini (à direita na foto), é de propriedade do Conselho para Pesquisa Científica e Industrial (CSIR) e foi totalmente reformado para essa finalidade.

A direção do CSIR preparou um andar do prédio somente para as atividades da Embrapa África – entre elas treinamentos para técnicos africanos que deverão ser realizados junto com a Agência Brasileira de Cooperação (ABC). Até agora, os pesquisadores Bragantini e Paulo Galerani (à esquerda na foto) trabalhavam nas dependências da sede administrativa do CSIR.

Fonte: Deva Rodrigues / Embrapa

BNB lança edital de Apoio a Elaboração de Teses e Dissertações em Economia

O Banco do Nordeste, por Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene), está recebendo propostas até o dia 21 de maio para o Aviso Etene/Fundeci - 03/2008 - Apoio a Elaboração de Teses e Dissertações em Economia.

O objetivo da chamada é apoiar a formação de recursos humanos, na área de Economia, mediante a concessão de auxílio financeiro a estudantes de mestrado ou de doutorado de instituições de ensino superior que desenvolvam projetos com temáticas de relevância para o desenvolvimento da região Nordeste e de interesse do BNB.

Os recursos previstos são de R$ 176 mil do Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundeci). O banco pretende apoiar 15 projetos de mestrado, que receberão um total de R$ 114 mil. Os outros R$ 62 mil serão investidos em seis projetos de doutorado. A expectativa é de que os resultados sejam divulgados no mês de julho. Informações complementares podem ser obtidas por meio do e-mail .

A íntegra do edital pode ser acessada neste link.

Fonte: Gestão CT

Waipa - World Association of Investments Promotion Agencies será presidida por brasileiro

A World Association of Investments Promotion Agencies (Waipa) será comandada, a partir de agora, pelo presidente da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), Alessandro Teixeira. Ele foi eleito para o cargo no dia 18 e recebeu apoio de 49 representantes de países da América Latina, África, Ásia e Europa, de um total de 68 votos. Teixeira venceu o concorrente do Egito, Ziad Bahaa-El Din.

A Waipa representa as agências de promoção de investimentos de 149 países. A eleição de Teixeira foi realizada durante o World Investment Fórum (WIF), que é o mais importante evento do calendário da associação. O novo presidente terá um mandato de dois anos na entidade. Também foram eleitos, como vice-presidentes, Raymond Peter Mbilinyi, da Tanzânia, e Jayant Bhuyan, da Índia.

Em notícia divulgada pela assessoria de imprensa da Apex, Teixeira destaca a importância do Brasil estar a frente de uma entidade como a Waipa. “Estamos trabalhando muito para fixar a imagem do Brasil como um país sério e comprometido com excelência e qualidade. A maior visibilidade do país junto à comunidade mundial é essencial para atrair investimentos para o país e ampliar o fluxo de comércio exterior”, afirmou.

A associação é responsável por promover a disseminação de melhores práticas de investimentos, assim como a capacitação para a promoção e atração de investimentos e o intercâmbio entre as agências. A instituição conta com 214 membros, que representam países de todos os continentes. O seu comitê consultivo conta com a participação das mais importantes entidades multilaterais ligadas ao desenvolvimento e promoção de investimentos estrangeiros diretos. Entre elas: Foreign Investment Advisory Service (Fias), do Banco Mundial; International Economic Development Council (IEDC); Organization for Economic Cooperation and Development (OECD); United Nations Conference for Trade and Development (UNCTAD); e United Nations Industrial Development Organization (Unido).

Teixeira
Desde maio de 2007, Alessandro Teixeira preside a Apex-Brasil. Ele é bacharel em ciências econômicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, mestre em economia na América Latina pela Universidade de São Paulo e doutor em competitividade tecnológica e industrial, com ênfase em comércio exterior, pela Universidade de Sussex, Inglaterra.

Entre outras funções, ele ainda é secretário executivo do Joint Economic and Trade Comitte (Brasil-UK), coordenador do Fórum de CEO’s (Brasil-EUA) e é conselheiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e do Sebrae Nacional.

Informações sobre a Apex-Brasil podem ser obtidas no site: www.apexbrasil.com.br .

Fonte: Gestão CT

Exposição "Hans Staden, Unter Menschfresser-Leuthen – Entre as Gentes Antropófagas"

A exposição Hans Staden, Unter Menschfresser-Leuthen – Entre as Gentes Antropófagas comemora os 450 anos da publicação do livro no qual o aventureiro alemão relatou suas viagens ao Novo Mundo e descreveu pela primeira vez os costumes dos indígenas sul-americanos.

A mostra estará aberta até o dia 7 de maio na Biblioteca Florestan Fernandes, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP). De segunda a sexta-feira, das 9 às 22 horas, e sábado, das 9 às 13 horas.

Em 19 painéis, livros e documentos, a exposição descreve o caminho que o aventureiro alemão percorreu no século XVI. Em 1557, Hans Staden publicou o livro Warhaftige Historia - Zwei Reisen nach Brasilien (História de Duas Viagens ao Brasil), narrando suas experiências, com detalhes sobre disputas com piratas, naufrágios e embates entre portugueses, franceses e o povo tupinambá.

A exposição itinerante já esteve em Wolfhagen, Korbach e Hesse, na Alemanha. No Brasil, nas cidades de São Paulo, Valinhos, Santa Catarina, Itanhaém, Bertioga, Recife, Fortaleza e Porto Alegre.

A programação paralela à exposição inclui a exibição do filme Hans Staden, de Luiz Alberto Pereira, no Cinusp, também na Cidade Universitária, na próxima segunda-feira (28/4), às 14 horas.

Mais informações: www.martiusstaden.org.br

Fonte: Agência Fapesp

Paraíba cria fundo de C&T

Foi publicada hoje (24) no Diário Oficial da Paraíba a lei nº 8.514 que cria o Fundo Estadual de Ciência e Tecnologia (Fect). A lei foi sancionada ontem pelo governador Cássio Cunha Lima.

O fundo, que ainda será regulamentado, tem como proposta financiar programas e projetos de P&D para o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado. A iniciativa prevê o apoio financeiro a instituições de ensino, pesquisa e desenvolvimento, formalmente constituídas, públicas ou privadas, em operação no Estado da Paraíba, de acordo com os critérios, mecanismos e procedimentos do Plano Estadual de Ciência e Tecnologia.

Os recursos que vão compor o fundo virão de dotações orçamentárias consignadas para o FECT nos termos da Lei Orçamentária Anual (LOA); de juros e dividendos, indenizações e quaisquer outras receitas decorrentes da aplicação dos recursos do fundo; de doações, repasses, subvenções da União, do Estado, de outras entidades ou de agências de fomento ao desenvolvimento científico e tecnológico, nacionais ou estrangeiras; e de empréstimos financeiros ou recursos não reembolsáveis de qualquer origem.

Aplicação
O dinheiro a ser investido deverá obedecer a diretrizes, planos e normas estabelecidas pelo Conselho Estadual de Ciência e Tecnologia (Cect). A lei ainda determina que os recursos do fundo serão, exclusivamente, orientados para investimentos em C&T, bem como para o custeio de atividades de pesquisa e desenvolvimento. A nova legislação proíbe a utilização do fundo para pagamento de folha de pessoal regular das fundações, empresas, institutos e órgãos das secretarias de Estado.

O Fect será gerenciado pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente (Sectma), que é uma instituição associada à ABIPTI.

Plano
A lei que cria o Fundo Estadual de C&T é mais um passo para a consolidação de uma política estadual de C&T na Paraíba. Em março deste ano, o governador sancionou a lei nº 8.494 que criou o Conselho Estadual de C&T. Tanto o projeto de criação do fundo, como o do conselho foram encaminhados em janeiro pelo governo para a aprovação na Assembléia. Em menos de quatro meses as propostas foram aprovadas e sancionadas.

A implantação do conselho acontecerá no dia 4 de junho, em Campina Grande (PB), durante a abertura do Congresso ABIPTI 2008. A Secretaria de C&T e Meio Ambiente da Paraíba informou que na ocasião serão lançados os primeiros editais com recursos do fundo.

A expectativa é que o fundo conte com um recurso inicial de R$ 3 milhões. Esse dinheiro ajudaria a Fapesq, que também é uma instituição associada à ABIPTI, na implementação de ações para a área de C&T.

Para conferir a íntegra da lei que cria o Fect acesse o link:
http://www.paraiba.pb.gov.br/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=1377

Fonte: Gestão CT

Senado aprova licitação entre governo e ONGs

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado Federal aprovou, no dia 16, o projeto de lei do Senado (PLS) nº 624/07 que determina a necessidade de licitação para celebração de convênio entre pessoas jurídicas de direito privado e a Administração Pública.

Segundo informações da Agência Senado, o relator da proposição, senador Jefferson Péres (PDT-AM) afirmou, na ocasião, que o projeto "tem um caráter moralizador" para os convênios.

Péres disse ainda, em seu relatório, que os convênios compõem o cenário da diminuição da prestação direta de serviços pelo Estado, em favor do crescimento das chamadas organizações não-governamentais na sua prestação. “Temos observado como tendência e que se tem acentuado nos últimos dez anos".

O PLS, que foi proposto pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), prevê que os editais para abertura do processo de licitação deverão ter detalhes sobre o objeto a ser executado; metas a serem alcançadas, descritas qualitativa e quantitativamente; cronograma e limites de desembolso dos recursos a serem repassados; prazo, local, condições e forma de apresentação das propostas; critérios de seleção das propostas; sanções a serem aplicadas no caso de descumprimento das cláusulas do convênio.

O projeto ainda determina que sejam avaliados na licitação a qualidade técnica da proposta; a adequação entre os meios de execução do objeto, seus custos, cronogramas e resultados; a contrapartida oferecida pelo proponente; e a regularidade jurídica, a capacidade técnica e operacional do proponente.

Tramitação
O PLS 624/07 foi aprovado em caráter terminativo pela CCJ, ou seja, ele não será apreciado pelo plenário do Senado. Agora, a proposta segue para a Câmara dos Deputados onde deverá receber a apreciação dos parlamentares. Os detalhes sobre a proposta podem ser acompanhados neste link

Fonte: Gestão CT