sexta-feira, 18 de abril de 2008

BNDES apresenta nova política de apoio à inovação

Está em vigor, desde o mês de março, a nova Política de Apoio à Inovação do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Ela foi aprovada no início deste ano e apresentada, hoje (17), pelo economista da Área de Planejamento do banco, João Paulo Braga, durante o fórum dos conselhos nacionais de Secretários Estaduais para Assuntos de CT&I (Consecti) e das Fundações de Amparo à Pesquisa (Confap), que acontece até amanhã, em Manaus (AM).

De acordo com Braga, a nova política conta com três principais instrumentos: a utilização de renda fixa, renda variável, e recursos não-reembolsáveis pelas agências inovadoras, para inovação tecnológica, e com recursos do Fundo Tecnológico (Funtec). “O Funtec é um grande destaque também por ser de recursos não reembolsáveis sendo que foi feita uma reedição na versão do ano passado”, disse.

Entre as novidades em relação ao fundo, ele destaca que foram definidos novos focos estratégicos. Outra mudança diz respeito à operacionalização do fundo, com a criação de um comitê para a avaliação dos projetos.

Em entrevista ao Gestão CT, ele destacou que o apoio à inovação será uma das prioridades do banco. ”Para capital inovador e inovação tecnológica, estima-se um investimento de R$ 1 bilhão contando as duas linhas”, afirmou.

Braga também lembrou que a instituição está estudando a criação de um curso de gestão da inovação nas empresas. De acordo com o economista, o BNDES está preparando técnicos para a implementação da iniciativa. A princípio, o curso será destinado às empresas da carteira do banco e poderá ser estendido a outros participantes que ainda não foram definidos.

Maiores informações podem ser obtidas no site:
http://www.bndes.gov.br/inovacao/default.asp

Fonte: Bianca Torreão / Gestão CT

Centro de Pesquisa do Pantanal avança nas pesquisas sobre bioinseticida para o combate do Aedes Aegypt

No dia 4 de abril, o Centro de Pesquisa do Pantanal (CPP), instituição associada à ABIPTI, realizou o 2º Workshop de Avaliação da Rede Pantaneira de Bioprospecção, na Chapada dos Guimarães, Mato Grosso.

De acordo com o CPP, a rede está desenvolvendo dois grandes projetos: um sobre fitoterápicos, que trabalha com plantas com atividade antiinflamatória, analgésica e antidiabetes, e outro com plantas que possuem ação bioinseticida. Este último está sendo desenvolvido com notável progresso desde a primeira avaliação, pelo MCT, em junho de 2007. O projeto é voltado para a ação inseticida de extratos da planta Anacardium humile, conhecida popularmente como “cajuzinho do cerrado”, usada no combate às larvas do mosquito da dengue.

Sobre essa pesquisa com bioinseticida, o pesquisador da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituição também associada à ABIPTI, Renato Sergio Balão Cordeiro, disse que o trabalho realizado pelos pesquisadores sul mato-grossenses pode ter um grande potencial para o combate às larvas do Aedes Aegypt. “Acredito que pode sair daqui [CPP] a solução para combater o mosquito da dengue”, ressaltou.

Para o secretário executivo do CPP, Paulo Teixeira de Sousa, é importante que os investimentos em C&T sejam distribuídos de forma igualitária em todo o país. “Os trabalhos realizados pelo CPP contribuem também para as políticas públicas voltadas à superação das chamadas assimetrias regionais, porque se a ciência e tecnologia é boa para o país, então tem que ser para todas as regiões. O investimento deve contemplar todas as regiões do país, da forma mais equinânime possível, sempre pautado no mérito acadêmico, respeitadas as características e peculiaridades de cada região”.

CPP
O Centro de Pesquisa do Pantanal é uma organização da sociedade civil de interesse público (Oscip) que tem como objetivo produzir conhecimento e formar recursos humanos para subsidiar políticas públicas voltadas ao uso sustentável do Pantanal. Atualmente, cerca de 120 pesquisadores de instituições de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul participam das ações do CPP, que são voltadas para a pecuária, pesca, bioprospecção e cerrado.

Informações adicionais sobre o CPP, no endereço www.cppantanal.org.br.

Fonte: Gestão CT

União Européia e Brasil lançam edital para cooperação cultural

A União Européia (UE), em parceria com o governo brasileiro, lançou um edital para apoio à cooperação cultural entre o Brasil e os países do Programa de Cooperação Cultural da União Européia. O edital EACEA/05/08 recebe propostas até 1º de junho.

Os projetos devem propiciar a valorização da cultura e o intercâmbio cultural entre as nações envolvidas. Eles devem ser realizados em parceria envolvendo, pelo menos, três organizações culturais, públicas ou privadas, de três países diferentes.

Obrigatoriamente, uma deve ser brasileira. Além dessa, as outras entidades devem ser sediadas nos países da UE, do Espaço Econômico Europeu (EEE), nas nações candidatas a entrar no Programa ou na Sérvia. É necessário também que 50% das atividades realizadas no âmbito do edital sejam promovidas no Brasil.

Os recursos destinados à chamada são da ordem de 1 milhão de euros. O financiamento dado pela UE corresponderá a 50% do total do projeto, atingindo um valor máximo de 200 mil de euros. Cada trabalho deverá ser desenvolvido em um período de 24 meses.

O edital completo pode ser visualizado no link.

Fonte: Gestão CT

Resolução do MCT define regulamento do Sibratec

O ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, publicou, no dia 14, duas resoluções referentes ao Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec). A resolução nº 2 aprova o regimento interno do comitê gestor do sistema e a resolução nº 3 aprova o regulamento do Sibratec.

Pela resolução nº 2, o Comitê Gestor (CG-Sibratec) terá por finalidade coordenar e articular a implementação e gestão do sistema. Entre suas competências, está a proposta de definir os critérios de seleção das entidades que comporão o Sibratec e os termos de compromissos a serem assumidos pelas instituições, definir as redes de entidades que comporão o sistema, além de estabelecer as metas plurianuais para o Sibratec e propor ao Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) os instrumentos de financiamento e os orçamentos.

O regimento manteve a composição do comitê gestor, que foi definida em janeiro. Fazem parte do CG representantes do MCT e de outros seis ministérios, além de representantes da comunidade científica e do setor industrial. A resolução ainda determina a realização de duas reuniões anuais do comitê gestor, uma em cada semestre.

O MCT prevê a participação de representantes de instituições públicas ou privadas nas reuniões, que possam contribuir para a temática da pauta da reunião.

Regulamento
A resolução nº 3, que define o regulamento do Sibratec, determinou a criação de três comitês temáticos para o sistema, são eles: Comitê Técnico de Centros de Inovação (CT - Centros de Inovação); Comitê Técnico de Serviços Tecnológicos (CT – Serviços Tecnológicos); e Comitê Técnico de Extensão Tecnológica (CT- Extensão Tecnológica).

A medida determina que os membros de cada comitê se reúnam, pelo menos, quatro vezes ao ano e entre si, pelo menos, uma vez ao ano. A participação nos comitês será considerada prestação de serviço relevante e não remunerada. A resolução não traz a composição dos comitês temáticos.

Redes
O regulamento do Sibratec prevê que as redes, que vão formar o sistema, serão temáticas e voltadas para atender demandas de um determinado setor empresarial ou demandas estratégicas de interesse do país. As instituições que participarão das redes serão escolhidas por meio de editais e convites.

O MCT lançará, anualmente, chamadas de projetos para a formação e fortalecimento das redes de cada componente do Sibratec. A resolução ainda prevê que os recursos do MCT poderão somar-se aos recursos de fomentos estaduais e municipais para o incremento das redes.

Outra determinação é para que cada rede mantenha um sistema de informação sobre as atividades desenvolvidas, resultados alcançados, entidades envolvidas, serviços prestados, setores empresariais atendidos, indicadores de desempenho e tudo o mais que facilite o acompanhamento e a avaliação da rede e das instituições participantes. A avaliação de cada uma delas será feita a cada dois anos, por uma comissão independente. O regulamento entrou em vigor, na sua data de publicação.

Confira a íntegra das duas resoluções neste link.

Fonte: Gestão CT

Decifrando o genoma e suas implicações na gênese e tratamento de doenças

Segundo o pesquisador brasileiro Marcelo Nóbrega, professor assistente do Departamento de Genética Humana da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, essa corrida pela associação entre variantes genéticas e suscetibilidade a doenças está em ritmo mais rápido do que se imagina.

Em palestra realizada nesta quinta-feira (17/4) na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP), na capital paulista, Nóbrega falou sobre como os mecanismos de diferenciação genética que fazem com que uma célula seja capaz de desempenhar funções específicas no organismo humano são incógnitas que a comunidade científica internacional tem procurado desvendar por vários meios experimentais.

“O genoma não é usado de forma homogênea pelas células. Há uma orquestração de genes ligados e desligados em diferentes órgãos e tecidos, o que faz com que muitas células, apesar de terem as mesmas instruções genéticas, tenham funções bem distintas. Compreender esses mecanismos é um dos grandes desafios atuais”, disse a uma platéia de estudantes e professores da FMUSP.

Nóbrega destacou que muitas pesquisas foram realizadas nos últimos dois anos para tentar identificar trechos do genoma humano que se associam a doenças complexas, como as cardíacas e o diabetes.

“Em 2006, descobriu-se que o gene TCF7L2 está envolvido com o diabetes tipo 2. Em 2007, outros dez genes foram identificados e, hoje, são conhecidos mais de 30 genes relacionados à doença. E mais de 50 estudos ao redor do mundo já associam o TCF7L2 ao risco de desenvolver o diabetes. Ao combinar os efeitos das variantes desse gene no organismo humano, esses trabalhos sinalizam para o aumento da previsibilidade da doença em pelo menos cinco vezes”, apontou.

A identificação dos genes relacionados ao diabetes foi conseguida, segundo ele, devido a uma mudança fundamental ocorrida nas plataformas experimentais utilizadas nas linhas de pesquisa da área. “Antes de descobrir os genes causadores de doenças foi preciso criar novas ferramentas. A grande revolução atual da genômica é tecnológica”, afirmou o médico graduado pela Universidade Federal de Pernambuco.

Comparação em larga escala
Os chips de DNA, minúsculas lâminas com capacidade de registrar mais de um milhão de variantes genéticas do genoma humano, representam, para Nóbrega, um dos avanços tecnológicos mais importantes dos últimos anos na área.

“Com apenas um chip desse tipo, que custa em torno de US$ 100, é possível traçar o perfil das variações genéticas de uma pessoa ao longo de seu genoma. Só para ter idéia de quão rápido essa área evolui, há menos de um ano esse mesmo chip custava US$ 1 mil e tinha uma capacidade dez vezes menor do que a atual”, contou.

Segundo Nóbrega, o mapeamento por meio desses chips, realizado em amostras de DNA de várias pessoas, algumas portadoras de determinadas doenças e outras tidas como controle, permite, em um tempo relativamente curto, identificar características genéticas iguais e distintas das pessoas.

“Esse cruzamento de dados é realizado por meio de uma estratégia conhecida como associação genômica ampla, que tem permitido a identificação, por exemplo, de pessoas mais resistentes ao diabetes e as com chances mais elevadas de desenvolver a doença. Com o estudo aprofundado dos genes nas regiões alteradas do genoma, novos processos experimentais poderão explicar, em um futuro próximo, a gênese de diversas doenças”, afirmou.

Há, no entanto, fatores econômicos limitantes para esse tipo de comparação genética de indivíduos com e sem doenças. “Hoje, o preço para o seqüenciamento do genoma de um único indivíduo varia entre US$ 50 mil e US$ 60 mil. Trata-se de um grande avanço, no entanto, uma vez que há seis anos esse mesmo procedimento custava em torno de US$ 3 bilhões”, apontou.

“É quase certo que esse custo seja reduzido para US$ 1 mil nos próximos anos. Mas, enquanto isso não ocorre, os chips de DNA, que mesmo sem o genoma completo de um indivíduo são capazes de oferecer uma visão global da variação genética de uma pessoa a partir de seqüências menores de seu DNA, continuarão a ser utilizados”, disse o professor da Universidade de Chicago.

A palestra de Marcelo Nóbrega, intitulada Decifrando o genoma e suas implicações na gênese e tratamento de doenças, faz parte da série de conferências internacionais Fronteiras da Medicina, promovida pela FMUSP e pelos Laboratórios de Investigação Médica do Hospital das Clínicas da FMUSP.

Outras matérias sobre a série de conferências internacionais Fronteiras da Medicina acesse o link.

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP

Caracterização físico-química e sensorial de hambúrguer vegetal elaborado à base de caju

Physical chemical and sensory characterization of vegetal hamburger elaborated from cashew apple

Uma pesquisa realizada na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) testou hambúrgueres à base de caju como alternativa para possibilitar o consumo fora do período de safra e aproveitar o excedente de produção.

Os testes mostraram que os hambúrgueres feitos com caju apresentam menores teores de gordura quando comparados a produtos similares à base de soja e de carne, disponíveis no mercado. Além disso, o produto obteve boa avaliação no teste de aceitação sensorial.

De acordo com a autora da pesquisa, Janice Ribeiro Lima, um dos objetivos do estudo era sugerir estratégias para estimular a comercialização do caju, uma vez que cerca de 88% da produção é perdida anualmente. O pedúnculo, que corresponde a 90% do fruto, é desperdiçado devido ao curto período de safra, à reduzida estabilidade pós-colheita e à pequena capacidade de absorção da indústria.

“O hambúrguer pode ser elaborado no período de safra e consumido no restante do ano, quando o caju não está disponível”, disse Janice. O estudo, realizado pela Embrapa Agroindústria Tropical, em Fortaleza, foi publicado na Revista Ciência e Agrotecnologia.

Segundo a pesquisadora da Embrapa, a agroindústria de caju do Nordeste tem relevante importância socioeconômica: ela explora 700 mil hectares de cajueiros, mobiliza cerca de 280 mil pessoas no campo e produz 200 mil toneladas de castanha e 2 milhões de toneladas de pedúnculo por ano. Desse total, 60% da produção vêm da agricultura familiar.

A elaboração dos hambúrgueres foi feita a partir da carne de caju liquidificada. Depois de peneirada, a fim de adquirir uma fibra enxuta, a carne de caju foi refogada com outros ingredientes (cebola, pimentão, alho, tomate, tempero comercial e cheiro-verde) e misturada com farinha de trigo.

Para os testes comparativos, foram utilizados quatro tipos de hambúrgueres de marcas nacionais. Dessas amostras, uma era à base de carne bovina e três de proteína vegetal. Os hambúrgueres de caju apresentaram baixo teor de proteína, mas, de acordo com a pesquisadora, esse resultado já era esperado.

“A falta de proteínas na composição poderá ser corrigida, no futuro, com incorporação de outros ingredientes à formulação básica, como a proteína de soja. A elaboração de novas formulações, com a utilização de outros temperos, pode melhorar as características nutricionais e sensoriais do produto”, explicou.

Em contrapartida, o teor de gordura foi inferior e o de carboidratos maior em relação aos produtos comerciais, tornando o hambúrguer de caju uma boa alternativa de alimentação para as pessoas que não ingerem derivados de carne ou que buscam produtos menos calóricos.

“Trata-se de um produto vegetal que apresenta fibras, sais minerais e vitamina C em sua composição. A principal desvantagem é que o produto deve ser conservado congelado”, disse Janice.

Na merenda escolar
Os testes de aceitação sensorial foram realizados por 50 provadores não treinados. Foi utilizada uma escala hedônica, com nove pontos, variando de “desgostei muitíssimo” (nota 1) a “gostei muitíssimo” (nota 9).

A média de aceitação do hambúrguer composto com caju foi de seis pontos, de acordo com os resultados – o que é considerado um padrão aceitável. A incorporação de temperos da culinária local e o hábito de consumo podem melhorar esse nível, segundo a pesquisadora.

O pH também foi inferior ao dos hambúrgueres comerciais, acidez maior que pode ter influenciado de forma negativa a aceitação sensorial do produto. “Os consumidores tendem a rejeitar novas formulações que pretendem substituir produtos tradicionais existentes no mercado. Por isso, é importante salientar que com o hambúrguer de caju não se pretende substituir o hambúrguer tradicional, mas sim fornecer uma nova alternativa de alimento à população”, explicou.

De acordo com Janice, a pesquisa dá um exemplo de como produtos locais, que muitas vezes são subutilizados, podem ser transformados para se tornar uma fonte de alimentação. “É importante procurar novas formas de utilização e consumo dos alimentos, de maneira a evitar o desperdício”, destacou.

A pesquisadora da Embrapa sugere que o produto seja incluído na merenda escolar da rede pública. “Além disso, seria interessante incentivar a criação de pequenas unidades de produção, que seriam uma nova alternativa para geração de emprego e renda na região, valorizando um produto tipicamente regional”, disse.

Para ler o artigo Caracterização físico-química e sensorial de hambúrguer vegetal elaborado à base de caju, de Janice Ribeiro Lima, disponível na biblioteca on-line SciELO (Bireme/FAPESP), clique aqui.

Fonte: Alex Sander Alcântara /Agência Fapesp

Fapespa divulga resultado de editais do PPP e do Pronex

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Pará (Fapespa), entidade associada à ABIPTI, divulgou o resultado de dois editais de apoio à C&T estadual, dos programas Jovens Pesquisadores (PPP) e Apoio aos Grupos de Excelência (Pronex), ambos desenvolvidos em parceria com o CNPq.

Para o edital nº 03/2007 – PPP, 27 propostas receberão um total de R$ 896 mil em recursos. O edital pretende promover a aquisição, modernização, ampliação ou recuperação de infra-estrutura de pesquisa de instituições envolvidas com a C&T do Estado. O objetivo é possibilitar a fixação de jovens pesquisadores e a criação de novos grupos de estudo. Das propostas aprovadas, 23 são oriundas de universidades públicas instaladas no Pará. Há também, entre os contemplados, um projeto do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG), entidade associada à ABIPTI. Os valores dos financiamentos variam entre R$ 25 mil e R$ 35 mil.

O resultado completo do PPP pode ser conferido no link:
http://www.fapespa.pa.gov.br/files/FAPESPAPPP2008.pdf .

Já para a chamada pública nº 02/2007 – Pronex, foram seis projetos selecionados. Eles terão uma verba total de pouco mais de R$ 2,32 milhões. A chamada busca dar apoio aos grupos estaduais de pesquisa já consolidados e cujo trabalho é considerado de excelência. Todos os projetos selecionados são oriundos da Universidade Federal do Pará (UFPA). A variação do suporte financeiro dado aos aprovados está entre R$ 265 mil e R$ 440 mil.

A lista das propostas selecionadas pode ser visualizada no link:
http://www.fapespa.pa.gov.br/files/ResultadoPronex2007.pdf .

Fonte: Gestão CT

Portal do Software Público Brasileiro ganhou duas novas soluções

O Portal do Software Público Brasileiro (www.softwarepublico.gov.br) ganhou duas novas soluções nesta quinta-feira, dia 17 de abril. A disponibilização do Sistema de Apoio à Gerência Unificada de Informações (Sagui), desenvolvido pelo Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e do Sistema Bilhetador de Impressão (Curupira), desenvolvido pela Caixa Econômica Federal, foi assinada durante a abertura do 9º Fórum Internacional de Software Livre (Fisl 9.0) que ocorre na cidade de Porto Alegre até sábado, dia 19 de abril.

O documento foi assinado pelo secretário de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI) do Ministério do Planejamento, Rogério Santanna, e pelo diretor-presidente do Serpro, Marcos Mazoni, e pela vice-presidente de Tecnologia da Informação da Caixa Econômica Federal, Clarisse Copetti.

O Sagui é uma ferramenta de gestão de computadores em rede que utilizam sistema operacional GNL/Linux e é capaz de automatizar as atividades de instalação, customização, atualização, correção e monitoramento de estações de trabalho e servidores. É uma ferramenta voltada para o uso em redes corporativas, principalmente as que estão distribuídas em diferentes pontos geográficos porque permite a gerência centralizada e a otimização do suporte técnico.

Já o Curupira permite que cada unidade de uma empresa gerencie seus gastos com papel e outros insumos de impressão, estimulando o uso racional de equipamentos e materiais. A solução adota padrões abertos e aderentes à política de software livre do governo federal. Segundo os desenvolvedores desse software, o nome Curupira é uma alusão ao ser folclórico que, segundo a crença popular, habita as florestas e é protetor das árvores e animais.

Essas são as primeiras soluções disponibilizadas pelo Serpro e pela Caixa no Portal do Software Público. Além dessas, outros 14 softwares desenvolvidos por órgãos públicos já estão disponíveis no portal e acessíveis à sociedade mediante cadastramento.

Compartilhamento
Administrado pela SLTI, o Portal do Software Público inaugura um novo modelo de licenciamento e de gestão das soluções desenvolvidas na Administração Pública ao compartilhar soluções que podem ser úteis aos mais diferentes órgãos públicos e também à sociedade. Cerca de 18 mil pessoas participam das comunidades de compartilhamento do Portal. O objetivo é reduzir custos, aprimorar os aplicativos disponibilizados e, conseqüentemente, a melhoria do atendimento à população.

Entre elas está o Coletor Automático de Informações Computacionais (Cacic) que verifica diversas informações sobre o hardware e o software das estações de trabalho. Também está disponível nesse portal o Ginga que é o middleware - camada de software intermediário - da Televisão Digital Brasileira.

Para disponibilizar soluções do setor público no Portal do Software Público Brasileiro é preciso entrar em contato através do correio eletrônico .

Fonte: MP /Findes

Ampliado novamente prazo para consulta da Lei de Biodiversidade

A ministra-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Dilma Rousseff, ampliou para o dia 13 de julho o prazo final para a consulta pública do anteprojeto de Lei de Biodiversidade. O novo prazo foi publicado no Diário Oficial da União no dia 15.

O anteprojeto, que está sob consulta pública, dispõe sobre a coleta de material biológico; acesso aos recursos genéticos e seus derivados, para pesquisa científica ou tecnológica; bioprospecção ou elaboração ou desenvolvimento de produtos comerciais; remessa e o transporte de material biológico; acesso e a proteção aos conhecimentos tradicionais associados e aos direitos dos agricultores, e a repartição de benefícios.

Essa é a segunda vez que o governo amplia o prazo para a proposta da Lei da Biodiversidade, que tem recebido diversas críticas da comunidade científica. O último prazo estabelecido pelo governo terminou no dia 13 de abril. O texto do anteprojeto está disponível neste link.

As sugestões e as críticas à proposta devem ser remetidas à Casa Civil da Presidência da República, no seguinte endereço: Palácio do Planalto, 4o andar, sala 3, Brasília-DF, CEP 70.150-900, com a indicação “Sugestões ao projeto de lei que dispõe sobre o acesso aos recursos genéticos e seus derivados”,ou pelo e-mail .

Fonte: Gestão CT

Capes recebe propostas para projetos no Timor Leste

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação (Capes-MEC) está recebendo projetos para o Programa de Qualificação de Docente e Ensino de Língua Portuguesa. As propostas podem ser remetidas até o dia 14 de maio.

A duração dos projetos será de 12 meses. Os bolsistas receberão um valor mensal de mil euros, mais seguro saúde e passagem de ida e volta. O objetivo do programa é a formação em língua portuguesa de professores em exercício nas escolas primárias do Timor-Leste.

O processo de seleção será realizado em duas etapas. Na primeira, será avaliado o currículo dos pesquisadores. Na segunda, será feita uma entrevista com os candidatos. O número final de bolsas concedidas ficará condicionado à disponibilidade orçamentária da Capes. A íntegra do edital e o formulário de inscrição estão disponíveis no link:

Pernambuco discute sua Lei de Inovação

Na próxima semana, em data a ser definida, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco (Sectma) realiza reunião para discutir a instalação de um grupo de trabalho que irá formular a Lei de Inovação do Estado. De acordo com a secretaria, a expectativa é que Pernambuco tenha a lei definida até o final do primeiro semestre deste ano.

O grupo será composto por representantes do MCT, da Assembléia Legislativa do Estado, do Parque Tecnológico de Pernambuco (ParqTel), do Porto Digital, do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (Cesar), da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe) e do Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep).

Na última segunda-feira (14), a Sectma iniciou as discussões em torno da Lei de Inovação do Estado. Para o secretário Aristides Monteiro, que também é vice-presidente da ABIPTI pela região Nordeste, este será um instrumento a mais para a implantação da Política Estadual de CT&I, que está em construção. “O nosso objetivo é promover o conhecimento de modo a aumentar a competitividade do Estado, abrir novos postos de trabalho e melhorar a renda e a qualidade de vida da população pernambucana”.

A Sectma informou que tem realizado workshops com professores, empresários, políticos, entidades de classe e com a população da região metropolitana do Recife, Zona da Mata, do Agreste e Sertão para incluir as demandas de cada localidade no documento base da Política de CT&I, que deverá ser lançada também no primeiro semestre deste ano.

Informações sobre a secretaria, no endereço www.sectma.pe.gov.br .

Fonte: Gestão CT

CNPq inicia consulta pública para renovação de membros dos comitês de assessoramento

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) iniciou, na quarta-feira (16/4), uma consulta a pesquisadores, associações e sociedades científicas nacionais e entidades atuantes na pesquisa tecnológica e em inovação para renovação de membros de seus comitês de assessoramento.

Segundo o CNPq, o objetivo é ter uma relação de nomes que possam contribuir efetivamente para o avanço da ciência e tecnologia no país e para uma melhor atuação do órgão.

Podem ser indicados bolsistas de produtividade em pesquisa da categoria I do CNPq ou pesquisadores de qualificação equivalente, excluídos os que atualmente integram os comitês, cuja composição pode ser encontrada no endereço www.cnpq.br/cas/membros.htm .

As indicações serão feitas exclusivamente on-line por meio do site do CNPq até o dia 16 de maio. As informações sobre essa consulta, incluindo os procedimentos, áreas para renovação e relação das entidades, podem ser obtidas em www.cnpq.br/cas/renovacao_cas.htm .

Os comitês de assessoramento são instâncias de assessoria que julgam os pedidos de bolsas, auxílios e ações por editais recebidos pelo CNPq, relacionados às atividades regulares dos programas de formação de pesquisadores e de estímulo à pesquisa científica e tecnológica.

Mais informações: www.cnpq.br

Fonte: Agência Fapesp

Seminário Tecnologia sem Mistério acontece em Patos - Paraíba

Entre os dias 24 e 25 de abril, será realizado o seminário Tecnologia sem Mistério, na cidade de Patos (PB). A proposta é discutir os benefícios do sistema de tecnologia da informação e comunicação (TIC) para as micro e pequenas empresas. O evento é voltado para empresas do setor do comércio, serviços, indústria, empreendedores em fase de desenvolvimento de negócios e empresários em geral.

No primeiro dia, serão ministradas palestras sobre “Os benefícios da informatização das empresas” e “O processo de informatização – escolha, implementação e uso”. No dia 25, os temas abordados serão: “Mudanças são necessárias - a importância de não resistir as mudanças no ambiente organizacional” e “Como ganhar mais dinheiro na empresa com a Informática”. Todas as palestras serão realizadas no período da tarde, a partir das 16h.

Nos dois dias de evento, sempre a partir das 18h, também acontecem exposições de soluções, produtos de TIC e mini-palestras de promoção comercial. Na ocasião, consultores estarão à disposição para prestar informações e orientações adicionais para os interessados.

O evento acontece no auditório das Faculdades Integradas de Patos (FIP). O seminário, que também será realizado em Campina Grande e João Pessoa, em data a ser divulgada, é realizado pelo projeto Farol Digital, Sebrae (PB) e FIP.

Serão disponibilizadas 130 vagas para cada palestra. Os interessados já podem efetuar a inscrição pelo site www.faroldigital.org.br ou pelos telefones (83) 3421-2403 e (83) 3421-2742.

Fonte: Gestão CT

O desafio da inovação no Brasil e as estratégias em sete países

Os principais resultados da pesquisa Mobilização Brasileira para a Inovação (Mobit) serão discutidos no seminário O desafio da inovação no Brasil e as estratégias em sete países, no próximo dia 25 de abril, em São Paulo.

O evento será realizado pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade de São Paulo (USP), em parceria com o Brazil Institute, a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e a Prospectiva Consultoria.

O estudo, encomendado pela ABDI ao Observatório da Inovação e Competitividade, sediado no IEA, foi executado pela equipe do Centro de Análise e Planejamento (Cebrap).

Seu objetivo é comparar as políticas industriais de base tecnológica dos Estados Unidos, França, Canadá, Irlanda, Reino Unido, Finlândia, Japão e Brasil, tratando a inovação como alavanca para o crescimento econômico brasileiro e a inserção ativa do país no cenário internacional.

O seminário, que será realizado na sede do IEA, na Cidade Universitária, a partir das 14 horas, será dividido em duas partes. Na primeira, o diretor da ABDI, Evando Mirra, falará sobre a política de inovação do governo brasileiro, e Glauco Arbix, professor do Departamento de Sociologia da USP, apresentará os resultados do Mobit, coordenado por ele.

Na segunda parte, os resultados serão debatidos pelo diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique Brito Cruz, por David Kupfer, professor do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, e por Mario Salerno, professor do Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da USP.

Mais informações: www.iea.usp.br/iea/observatorio/mobit.html

Fonte: Agência Fapesp

Fundação Araucária lança editais no valor de R$ 3,45 milhões

A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná lançou duas chamadas públicas, nessa semana. Uma voltada para a implementação de infra-estrutura de pesquisa e ensino nas faculdades públicas estaduais do Paraná, e outra direcionada para apoio a cursos de pós-graduação stricto sensu interinstitucionais.

Edital 3/2008 – Infra-estrutura
As inscrições estão abertas até o dia 15 de maio. O objetivo é proporcionar apoio financeiro para projetos institucionais destinados a implementar a infra-estrutura de pesquisa nas faculdades públicas estaduais em qualquer área do conhecimento ou em diferentes unidades (campi, setores, departamentos), para consolidação das atividades de pesquisa e ensino nessas instituições.

Podem participar as faculdades públicas estaduais do Paraná, sendo que cada instituição poderá ser executora de apenas um projeto. Para esta chamada será destinado um aporte de R$ 2,9 milhões oriundos do Fundo Paraná.

Os projetos serão financiados em um prazo de até 12 meses. Para tanto, as propostas deverão explicitar, obrigatoriamente, as metas e resultados a serem alcançados nesse período.

De acordo com a chamada, constituirá objeto da proposta a ser encaminhada, um projeto de implementação da infra-estrutura de pesquisa e ensino, o qual deverá estar fundamentado em diagnóstico institucional que identifique o estado atual das atividades de ensino e pesquisa na área ou unidade de interesse e sua inserção no contexto de CT&I, em consonância com as necessidades e demandas da sociedade.

As propostas deverão ser submetidas via cadastramento no Sistema de Gestão Eletrônica de Projetos (Sigep), disponível no site da fundação, no endereço http://www.fundacaoaraucaria.org.br/. A íntegra do edital está disponível neste link.

Edital 4/2008 – Minter e Dinter
As inscrições estão abertas até o dia 30 de maio. O programa de apoio a cursos de pós-graduação stricto sensu interinstitucionais, nas modalidades Minter e Dinter, tem como objetivos viabilizar a formação de mestres ou doutores, assegurando o padrão de qualidade requerido desses níveis de curso, além de explorar o potencial de programas de pós-graduação já consolidados, dentro ou fora do Estado do Paraná.

Esta chamada dispõe de recursos financeiros no valor de R$ 550 mil. Para o financiamento de despesas, os projetos poderão ter os seguintes valores máximos, de acordo com a modalidade: projetos minter, que terão duração de até 24 meses, no valor de R$ 150 mil, e para projetos dinter, com duração de até 48 meses, limite máximo de R$ 250 mil.

Os interessados devem descrever de forma sucinta e objetiva, para os itens de
custeio e capital, especificados no orçamento contido no formulário único de projetos (FUP) do Sistema de Gestão Eletrônica de Projetos (Sigep), a justificativa da sua necessidade e utilidade para a realização do projeto.

As propostas deverão ser submetidas via Sigep disponível no site da Fundação Araucária. A íntegra do edital está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

Methods and Principles in Medicinal Chemistry

Especialistas brasileiros e norte-americanos da academia e de indústrias farmacêuticas participarão do workshop Methods and Principles in Medicinal Chemistry, no dia 26 de maio, em Águas de Lindóia (SP).

O evento, organizado conjuntamente pelas Divisões de Química Medicinal da Sociedade Brasileira de Química (SBQ) e da American Chemical Society, integra a programação da 31ª Reunião Anual da SBQ.

O workshop discutirá as últimas tendências no processo de descoberta e desenvolvimento de novos fármacos. “Design, síntese e avaliação de inibidores de enzimas”, “Aplicação de dinâmica molecular em modelagem de proteínas” e “Integração de abordagens experimentais e computacionais no design de drogas” serão alguns dos temas tratados.

Para ver a programação do workshop:
http://www.sbq.org.br/31ra/WORKSHOP_MD.pdf.

Para saber mais sobre a 31ª Reunião Anual da SBQ: http://www.sbq.org.br/31ra

Fonte: Agência Fapesp

Fapemat lança três editais de pesquisa

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Mato Grosso (Fapemat), instituição associada à ABIPTI, lançou, nesta segunda-feira (14), três editais de pesquisa, com o objetivo de apoiar projetos que venham a colaborar com o desenvolvimento científico e tecnológico do Estado.

Edital Universal
O objetivo é financiar projetos de pesquisa científica e tecnológica, nas diversas áreas do conhecimento. A carta consulta deverá ser encaminhada até o dia 30 de maio. Já as propostas devem ser encaminhadas até o dia 6 de junho.

Podem participar doutores e mestres, vinculados às organizações públicas ou privadas de ensino e pesquisa, fundações de pesquisa, centros de pesquisa e organizações não-governamentais (ONGs).

Para este edital, serão disponibilizados recursos da ordem de R$ 2,2 milhões, sendo R$ 1,5 milhão destinado aos projetos cujos coordenadores possuem título de doutor e R$ 750 mil destinado aos projetos em que os coordenadores possuem grau de mestre. O orçamento das propostas não pode ultrapassar o valor de R$ 30 mil.

Os projetos deverão ser encaminhados sob o formato de carta consulta contendo os objetivos e justificativas, conforme modelo disponível no site da Fapemat, no endereço http://www.fapemat.mt.gov.br/ .

Informações adicionais pelos telefones (65) 3613-3508 e 3613-3516 ou pelo e-mail . A íntegra do edital está disponível neste link.

Edital de Governo
Para esta chamada, a carta consulta também deverá ser encaminhada até o dia 30 de maio e os projetos até o dia 6 de junho. O objetivo é financiar projetos de pesquisa científica e tecnológica, que contribuam para o melhor desempenho das funções dos órgãos de Governo, no contexto de suas necessidades estratégicas.

O aporte destinado para este edital será de R$ 550 mil, sendo que os projetos poderão apresentar orçamento no valor máximo de R$ 50 mil. O prazo de execução de cada proposta contratada é de até 24 meses.

Nesta chamada, doutores e mestres, vinculados às organizações públicas ou privadas de ensino e pesquisa, fundações, centros de pesquisa, e ONGs podem propor, coordenar e executar projetos de pesquisa.

A instituição à qual o proponente estiver vinculado deverá dispor de infra-estrutura básica, em termos físicos, administrativos e de apoio técnico, adequada ao tipo e porte do projeto proposto.

A íntegra do edital está disponível neste link.

Edital Induzido
O objetivo desta chamada é conceder auxílio à execução de projetos de pesquisa que contribuam para o avanço científico e tecnológico nas seguintes áreas: arranjos produtivos locais (APLs); resíduos sólidos: uso e tecnologias; diversidade cultural em Mato Grosso; diagnóstico e controle de doenças tropicais; e estudos sobre o turismo regional.

A data limite para envio da carta consulta e dos projetos é o mesmo dos editais anteriores. Para este edital será destinado recursos da ordem de R$ 750 mil. O orçamento das propostas não pode ultrapassar o valor de R$ 30 mil.

Informações adicionais pelos telefones (65) 3613-3508 e 3613-3516 ou pelo e-mail . A íntegra desta chamada está disponível neste link.

Fonte: Gestão CT

Piauí concederá 200 bolsas de iniciação científica

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) lançou, no dia 15, o edital nº 005/2008 do Programa de Bolsas de Iniciação Científica Júnior (Pibic-Jr), desenvolvido em parceria com o CNPq. A expectativa é oferecer 200 bolsas em todo o Estado. As inscrições podem ser feitas até o dia 15 de maio.

O objetivo da chamada é despertar a vocação para os campos das ciências e as carreiras tecnológicas, incentivando talentos potenciais entre estudantes do ensino médio da rede pública. As bolsas serão de R$ 100 mensais e terão a vigência de 12 meses.

Poderão concorrer ao edital, professores e pesquisadores de instituições públicas de ensino superior e de pesquisa tecnológica. Cada professor poderá orientar até dez alunos do ensino médio. O formulário de apresentação dos trabalhos e a íntegra do edital estão disponíveis no link:

Fonte: Gestão CT