sexta-feira, 11 de abril de 2008

Escolas da rede de educação tecnológica constam entre as melhores do país

No último dia 3, o Ministério da Educação (MEC) divulgou os resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2007. De acordo com o órgão, os dados confirmam o bom desempenho dos alunos dos centros federais de educação tecnológica (Cefets). Em 2007, cerca de 3 milhões de alunos realizaram o exame.

O MEC divulgou, em notícia publicada em seu site que entre as 20 melhores avaliações das escolas públicas do país, oito fazem parte da rede federal de educação profissional e tecnológica: Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Colégio Técnico-Pedagógico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Cefets de São Paulo, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais e a unidade de ensino de Cubatão, ligada ao Cefet-SP. A UTFPR e o Cefet-SP também permanecem entre as 20 melhores instituições de ensino do país em um ranking que inclui as escolas particulares.

A rede federal também se destaca nos levantamentos estaduais. Ao se contabilizar as instituições públicas e privadas do Espírito Santo, por exemplo, o Cefet fica em segundo lugar. No Estado de Goiás, ao se considerar apenas as escolas públicas, a unidade de Goiânia surge na primeira posição e a de Jataí, na terceira. A mesma situação se repete em São Paulo. O Cefet do Estado consta entre as primeiras instituições públicas e em oitavo quando também são contabilizadas as particulares.

“O nível dos docentes, a qualidade da infra-estrutura e o projeto pedagógico das escolas federais, com o ensino médio integrado ao profissional, estão refletidos nos resultados do Enem”, destaca o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Eliezer Pacheco, em notícia divulgada pelo ministério.

Hoje, a rede federal de educação profissional e tecnológica possui 12.664 professores. Deste total, 4.379 têm mestrado (34,5%); 1.130, doutorado (8,9%); 4.748, especialização (37,4%); 2.209, graduação (17,4%); 177, aperfeiçoamento; e 21, pós-doutorado.

Informações sobre a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica podem ser obtidas no endereço.

Fonte: Gestão CT

Capes estuda criação do programa para nanobiotecnologia

No último dia 2, pesquisadores e representantes do Ministério da Saúde, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) estiveram reunidos para debater a necessidade de expansão da pesquisa e formação profissional qualificada na área de nanobiotecnologia. No encontro ficou definido que os participantes deverão propor as diretrizes para a criação do Programa de Formação de Recursos Humanos para a Nanobiotecnologia no Brasil (Pnanobiotec).

De acordo com a Capes, por parte da entidade, o programa terá os objetivos de fomentar a qualificação de recursos humanos no segmento em questão; buscar a formação de redes temáticas; estabelecer cooperação internacional para intercâmbio de docentes e estudantes (estes em pós-graduação do tipo sandwich); incentivar mobilidade de estudantes e orientadores em programas como o Nacional de Cooperação Acadêmica (Procad); e criar cursos de pós-graduação temáticos em rede e multi-institucionais. Ainda segundo a Capes, as ações serão feitas principalmente por meio de editais específicos para o setor.

Também foi agendada, para o início do próximo mês, uma nova reunião. Ela terá o objetivo de debater as ações apresentadas para a criação do programa e a possibilidade de participação de outras agências de fomento e instituições públicas e privadas.

Mais informações, no site www.capes.gov.br .

Fonte: Gestão CT

Ministério do Planejamento lançará o novo Portal do Software Livre


No próximo dia 14, o Ministério do Planejamento lançará o novo Portal do Software Livre. O redesenho do site tem o objetivo de dar mais visibilidade às iniciativas nacionais no âmbito dos softwares livres.

A nova página apresentará um layout remodelado. Outra novidade será a criação de ferramentas interativas para os usuários e a publicação de documentos produzidos por diversos órgãos. A proposta é permitir uma maior atualização das informações.

Além disso, o site terá apresentação de casos do governo de sucesso em relação ao uso de software livre e um calendário com eventos sobre o segmento.

O portal atual, hospedado no endereço http://www.softwarelivre.gov.br/ , é administrado pelo Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI). Já o novo, que substituirá o existente, ficará sob o comando da Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI), que coordenou o redesenho do site.

Mais informações, no endereço http://www.planejamento.gov.br/ .

Fonte: Gestão CT

Instituto Chico Mendes estabelece normas para pesquisas em unidades de conservação federais

Foi publicado no Diário Oficial da União, do dia 8 de abril, a instrução normativa nº 4 do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) que estabelece procedimentos para a autorização de pesquisas em unidades de conservação federais, das categorias reserva extrativista (Resex) e reserva de desenvolvimento sustentável (RDS), que envolvam acesso ao patrimônio genético ou ao conhecimento tradicional associado.

De acordo com o texto, compreendem pesquisa em unidade de conservação qualquer atividade relacionada com pesquisas científicas, bioprospecção ou desenvolvimento tecnológico. Tais atividades, que envolvam acesso ao patrimônio genético proveniente de Resex e RDS federais, ou ao conhecimento associado de populações tradicionais beneficiárias dessas categorias, que compreendem informação ou prática individual ou coletiva de comunidade indígena ou de comunidade local, necessitam de autorização de pesquisa do ICMBio.

Além disso, a instrução também determina que seja necessária, ainda, a assinatura de um termo de anuência prévia (TAP) que será elaborado em conjunto com as comunidades diretamente envolvidas e examinado pelo conselho deliberativo da unidade de conservação, que será instituído.

No TAP deverão constar as seguintes informações: título da pesquisa científica, bioprospecção ou desenvolvimento tecnológico; nome e endereço da instituição requerente e seu representante legal; objetivo do projeto, metodologia, duração, orçamento, possíveis benefícios, fontes de financiamento, o uso a que se pretende dar ao componente do patrimônio genético a ser acessado, e a área abrangida pelo projeto; impactos sociais, culturais e ambientais decorrentes do projeto, entre outros.

Ainda de acordo com a instrução normativa, as comunidades terão o direito de recusar o acesso ao patrimônio genético da unidade de conservação.

A íntegra da portaria está disponível no endereço.

Fonte: Gestão CT

Orçamento da Finep é de R$ 2,55 bilhões

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) anunciou que destinará R$ 2,55 bilhões para instituições de ensino e pesquisa e empresas inovadoras em 2008. Trata-se do maior orçamento da história da agência da inovação do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

De acordo com a Finep, o Projeto de Lei Orçamentária encaminhado ao Congresso Nacional previa, originalmente, investimentos de R$ 2,8 bilhões no setor de ciência, tecnologia e inovação, mas sofreu reduções e contingenciamentos durante a sua aprovação.

Dos R$ 2,55 bilhões aprovados, R$ 1,2 bilhão será destinado a operações com empresas. O restante do orçamento – em um total de cerca de R$ 1,35 bilhão – será destinado ao apoio a pesquisas em áreas prioritárias de cada um dos 14 fundos setoriais, como Petróleo, Infra-Estrutura, Energia, Transportes e Amazônia.

Da parcela de recursos reservada às empresas, R$ 740 milhões ficarão disponíveis para contratos de financiamento com retorno. Nesse caso, os encargos financeiros são reduzidos. O programa de Subvenção Econômica à Inovação, modalidade que não prevê a devolução à Finep do valor investido no projeto, levará R$ 325 milhões. Os recursos restantes serão usados na equalização (redução) das taxas de juros dos empréstimos e em ações de capital de risco.

Segundo a Finep, existe a expectativa de que seja possível recuperar, até o final do ano, os R$ 250 milhões cortados pelo contingenciamento no orçamento. Mas, mesmo com o corte, a agência irá operar em 2008 com o maior volume de recursos de toda a sua história. Em 2007, os investimentos da Agência em inovação somaram R$ 1,9 bilhão.

Mais informações: www.finep.gov.br

Fonte: Agência Fapesp

Radiação ultravioleta no tratamento de fluidos de corte

Elementos de extrema importância nos processos de usinagem e retificação, os fluidos de corte são substâncias que, aplicadas na ferramenta e no material, facilitam a operação de corte. Encontrados na forma líquida (óleos e emulsões), gás e até mesmo sólida, os fluidos têm duas funções principais na usinagem: reduzir o atrito entre a ferramenta e a superfície de corte (lubrificação) e diminuir a temperatura na região de corte (refrigeração).

De uso mais comum nas indústrias, as emulsões constituem-se de um sistema água/óleo que alcança os objetivos de lubrificação e refrigeração desejados, mas, em contrapartida, são considerados um ambiente propício à manutenção e reprodução de microorganismos.

A presença de microorganismos nos fluidos de corte altera suas propriedades, diminui a vida útil da substância com conseqüente necessidade de descarte, tarefa esta que requer cuidados especiais e custos à indústria, pois se trata de um potente poluidor ambiental. Além disso, a presença microbiana apresenta riscos à saúde dos trabalhadores, como infecções dermatológicas e respiratórias.

Buscando as melhores maneiras de controlar o crescimento microbiano nos fluidos de corte, um estudo realizado na Unesp de Bauru-SP, com o apoio do Instituto Fábrica do Milênio, mostra que a radiação ultravioleta possui uma poderosa ação sobre microorganismos, se tornando uma alternativa viável para o tratamento dos fluidos.

Para o estudo, o Laboratório de Usinagem por Abrasão da Faculdade de Engenharia – Unesp/Bauru, construiu um reservatório possuindo um tampo com 12 lâmpadas ultravioleta germicidas instaladas. Este reservatório foi acoplado a uma máquina retificadora cilíndrica externa e interna.

O sistema permitiu que os raios emitidos pelas lâmpadas fossem direcionados exclusivamente para o interior do depósito de fluido de corte atingindo, assim, os microorganismos contaminadores.

O estudo foi realizado durante 30 dias de avaliação e constitui-se em importante alternativa para os processos de usinagem e retificação. A radiação ultravioleta atuou inativando os microorganismos por ação direta, impedindo sua concentração, sem provocar qualquer alteração nas propriedades do fluido de corte e com total segurança para os trabalhadores.

Atualmente, os métodos mais utilizados no combate ao crescimento microbiano nestas emulsões envolvem o uso de biocidas. Eficaz sobre microorganismos, a ação do biocida querer aplicações em altas concentrações, que podem provocar reações alérgicas nos operadores das máquinas. Além disso, o princípio ativo dos principais biocidas é o formoldeído, substância que se suspeita possuir ação cancerígena.

“Este é o método mais tradicional e conhecido. Nossa proposta é nova e precisa ser divulgada nas indústrias. Por ser muito recente, ainda não temos o custo desta aplicação, mas se pensarmos em meio ambiente, é ecologicamente mais correta”, acrescenta o Prof. Dr. Eduardo Carlos Bianchi, coordenador do estudo.

O estudo teve o apoio da Fapesp e o registro da patente foi financiado pelo Instituto Fábrica do Milênio.

Fonte: Cimm

124º Encontro de Comércio Exterior - Encomex


No próximo dia 16, acontece, no Rio de Janeiro (RJ), o 124º Encontro de Comércio Exterior (Encomex). O evento tem o objetivo de incentivar nas micros e pequenas empresas a participação no comércio internacional. O encontro é promovido pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex/Brasil) e com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Para alcançar sua meta central, o evento oferece a apresentação de painéis e cases de sucesso, oficinas temáticas, exibição de serviços e atendimento individual aos participantes que tiverem interesse em conhecer mais sobre o tema. Alguns dos assuntos debatidos são as políticas e ações relativas ao comércio exterior, os instrumentos de estímulo à atividade e os financiamentos que podem ser obtidos.

O encontro será realizado na sede do BNDES. Ele é gratuito e as inscrições podem ser feitas no endereço eletrônico do evento.

Para mais informações: http://www.encomex.desenvolvimento.gov.br/ .

Fonte: Gestão CT

Fapema com apoio da iniciativa privada viabilizará 200 bolsas de mestrado e doutorado

A Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema) firmou, no dia 7, uma parceria com a empresa privada Aurizonia Empreendimentos, que financiará a formação de pesquisadores de alto nível no Estado. Por meio da iniciativa, serão concedidas 200 bolsas de estudo para mestrado e doutorado.

De acordo com a fundação, a ação será desenvolvida durante três anos e contemplará pesquisadores de todas as áreas do conhecimento. A seleção dos bolsistas deverá ser feita até o mês de outubro. A única exigência da empresa privada é que os pesquisadores atuem em programas maranhenses de pós-graduação. No total, serão concedidas 180 bolsas para mestrandos e 20 para doutorandos.

Para o diretor-presidente da Fapema, Sofiani Labidi, a parceria irá fortalecer a produção de pesquisa no Estado, garantindo aumento e melhoria do quadro de pesquisadores. “Uma empresa privada financiando bolsas para a formação de mestres e doutores é algo inédito no Brasil. Esse tipo de parceria é comum na Europa e nos Estados Unidos”, destaca em notícia publicada pela fundação.

Aurizonia
A empresa Aurizonia foi fundada em 1983 e atua na área de transformação e comercialização de bens minerais. A sua sede é no Rio de Janeiro. A Fundação Getúlio Vargas prestará assessoria ao programa firmado.

Mais informações: www.fapema.br .

Fonte: Gestão CT

Brapenta lança equipamento de raios x para detecção de contaminantes em alimentos

É possível uma pequena empresa brasileira desenvolver um produto inovador, com tecnologia de ponta mundial, tendo apenas três engenheiros na equipe interna de pesquisa e desenvolvimento (P&D)? Pela experiência da Brapenta Eletrônica, com sede em São Paulo (SP), a resposta é sim. Em julho deste ano, após cinco anos de trabalho, a empresa lançará no mercado um equipamento de inspeção por raios X que detecta contaminantes sólidos em produtos alimentícios. O equipamento, que consumiu mais de R$ 2,5 milhões em P&D, deverá dar um retorno rápido do investimento. Com preço de venda 40% menor que os modelos importados, já há fila de espera de clientes no Brasil e exterior.

Para desenvolver o produto, a Brapenta contou com uma dezena de parceiros, entre empresas, instituições de pesquisa e agências fomento à inovação. Trata-se de um exemplo de gestão eficiente da inovação tecnológica, que será apresentado durante a VIII Conferência Anpei de Inovação Tecnológica, de 19 a 21 de maio, em Belo Horizonte (MG). Promovido pela Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), o evento é o mais tradicional e representativo do setor no País.

Segundo o diretor da Brapenta, Martin Izarra, o projeto do aparelho de inspeção de alimentos por raios X passou a ser concebido em 2003, quando começaram a ser estudadas as tecnologias possíveis de aplicação no equipamento. “A curva do conhecimento é a parte mais demorada de um projeto”, conta ele. “Por isso, fomos atrás de especialistas para reduzir esse tempo.” Do Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN), saiu um projeto que converte os raios X em luz visível. As empresas Kognitus e Inovax, ambas da incubadora da Coope/UFRJ, foram responsáveis pelo desenvolvimento dos mecanismos para processamento de imagens, morfologia e interface homem-máquina. Já a empresa de software JR ficou incumbida do processamento digital. A Brapenta, por sua vez, desenvolveu a parte da engenharia mecânica, eletrônica e parte do software considerado segredo industrial.

Dos R$ 2,5 milhões investidos no projeto, 70% saíram do caixa da empresa. Os 30% restantes, de órgãos de fomento à inovação. O projeto do IPEN teve apoio financeiro da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). A Brapenta ainda conseguiu receber recursos do Programa de Subvenção Econômica da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), que banca projetos inovadores com recursos não-reembolsáveis. A equipe de P&D interna da empresa também foi reforçada com a participação de engenheiros bolsistas do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

“Foram muitos fracassos até conseguir encontrar os parceiros certos e obter os recursos adicionais por parte do governo”, conta Izarra. Mas o principal de tudo, diz ele, é que a Brapenta encarou o projeto como um negócio independente. “Fizemos um plano de negócio e avaliamos muito, antes de investir”, conta Izarra. Na sua avaliação, o fato de a Brapenta ter certeza de que o equipamento agregaria valor à empresa foi essencial para não desistir diante dos obstáculos.

Além da Brapenta, mais duas empresas de pequeno porte mostrarão na Conferência Anpei como fazem a gestão da inovação: a Exsto Tecnologia e a 24x7 Cultural. Experiências nesse campo serão mostradas também por empresas de médio e de grande porte. Entre as primeiras estão a Nansen Instrumentos de Precisão, a Vallée e a Villares Metals. As grandes empresas são a Braskem, a Vale e O Boticário.

Mais informações sobre a VIII Conferência Anpei de Inovação Tecnológica estão no site www.anpei.org.br/viiiconferencia , onde também podem ser feitas as inscrições.

Fonte: Anpei

Criado o Comitê Técnico Permanente para a área de Insumos Estratégicos na área de Saúde

A Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS), em conjunto com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE), ambas do Ministério da Saúde (MS), além da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), instituiu um Comitê Técnico Permanente para a área de Insumos Estratégicos, que compreende vacinas e imunobiológicos, reativos para diagnósticos, fármacos e medicamentos, utilizados nos programas Vigilância e Controle.

A instância foi criada por meio da portaria nº 60, publicada no Diário Oficial da União, do dia 2 de abril.

As ações estratégicas estão relacionadas ao atendimento de demandas dos serviços públicos de saúde, além da qualidade dos insumos e dos protocolos de avaliação de novos insumos. Também estão voltadas para a obtenção de insumos de referência e abastecimento nacional em situações de rotina em emergências de saúde pública.

Compõem o referido Comitê: Fabiano Geraldo Pimenta Junior, secretário adjunto de Vigilância em Saúde do MS, que o coordenará; Dirceu Brás Aparecido Barbano, diretor do departamento de Assistência Farmacêutica da SCTIE do MS; Ary Carvalho de Miranda, vice-presidente de Serviços de Referência e Ambiente da Fiocruz, instituição associada à ABIPTI; Carlos Augusto Grabois Gadelha, vice-presidente de Produção e Inovação em Saúde da Fiocruz; Eduardo Hage Carmo, diretor do departamento de Vigilância Epidemiológica da SVS do MS; e Mariângela Batista Galvão Simão, diretora do Programa Nacional de DST e AIDS, também da SVS do MS.

A íntegra da portaria está disponível no endereço.

Fonte: Gestão CT

Palestra: Explosões solares: nova explicação para a radiação observada

A palestra Explosões solares: nova explicação para a radiação observada será apresentada, na próxima segunda-feira (14/4), por Pierre Kaufmann, professor titular do Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica Mackenzie (Craam) da Escola de Engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

O evento, que terá início às 15 horas, integra a programação da série Colóquios de Pesquisa Ciências Espaciais, realizada pelo Craam em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Kaufmann é pesquisador sênior, em tempo parcial, da Universidade Estadual de Campinas, membro titular da Academia Brasileira de Ciências e atua nas áreas de radiociências, astronomia e astrofísica, com ênfase em radioastronomia, geodésica espacial, física solar e climatologia espacial.

A recente descoberta de picos de emissão sub-THz em explosões solares desafia interpretações utilizando modelos vigentes. Esses novos padrões espectrais podem trazer elementos para a compreensão das emissões nas explosões.

Feixes de elétrons podem atingir energias relativísticas quando injetados em campos magnéticos de tipo helicoidal. Kaufmann abordará as expressivas similaridades entre o processo de aceleração e a radiação coerente produzida por feixes de elétrons compactados (“bunched”) em aceleradores de laboratório.

Mais informações: www.craam.mackenzie.br

Fonte: Agência Fapesp

Palestra: Leveraging investment insights from around the world

Diretora-gerente do IBM Venture Capital Group e vice-presidente de Estratégia Corporativa da IBM, Claudia Fan Munce apresentará, no dia 17 de abril, em São Paulo, a palestra Leveraging investment insights from around the world.

O evento será realizado pelo Núcleo de Política e Gestão Tecnológica da Universidade de São Paulo (USP), a partir das 14 horas, na Sala da Congregação da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da Universidade de São Paulo (USP).

A palestrante apresentará as melhores práticas de Venture Capital, obtidas a partir de experiências em todo o mundo, com foco especial em mercados emergentes. Serão analisados casos práticos de sucesso e dicas sobre como investimentos globais podem ser postos em prática no Brasil.

Será discutido também o conhecimento necessário às empresas nascentes para lidar com grandes corporações como a IBM.

Nascida em Taiwan, Claudia cresceu no Brasil e realizou nos Estados Unidos seus estudos de pós-graduação em engenharia elétrica e ciências da computação. Desde 1985 tem desempenhado na IBM funções como a de supervisão das atividades de licenciamento de tecnologia e a definição de novas oportunidades de negócios com parceiros diferenciados da empresa.

Mais informações pelo e-mail ou (11) 3818-4011

Fonte: Agência Fapesp

"Ciências Florestais e da Madeira" recebe professores e palestrantes da Alemanha para o Summer School

O objetivo é fazer com que estudantes graduados com bons rendimentos acadêmicos possam ampliar sua experiência profissional e conhecer possibilidades de realização de estudos de pós-graduação – mestrado, doutorado e pós-doutorado – em universidades alemãs. Ao mesmo tempo, a “Escola de Verão” reflete o tema das Florestas de Produção, falando desde a implantação até o produto final, na busca por maior produtividade, competitividade, eficiência e qualidade em consonância com as questões socioambientais.

A programação, que teve início ainda no dia 31 de março, com a realização de uma série de palestras, continua nesta semana com diversas visitas às organizações e empresas como a EMBRAPA em Colombo, a Klabin de Telêmaco Borba, a EMATER, e as empresas Berneck e Pizzatto do Vale do Ribeira e de General Carneiro.

O professor da Universidade de Freiburg, Reiner Mühlsiegl, conta que as Escolas de Verão são organizadas desde 2001 pela instituição e incluem a promoção em países como o Chile, a Argentina, além de outras regiões do Brasil, a exemplo da Amazônia. O tema central é sempre relacionado à área na qual está sendo organizado o encontro.

“A idéia do evento veio de uma promoção de marketing do DAAD – Serviço de Intercâmbio Alemão”, explica Mühlsiegl. “O objetivo é promover as possibilidades que estudantes de outros países podem ter na Alemanha. Quando organizamos uma escola, procuramos sempre envolver professores não alemães – do país de origem – mas que já tenham tido uma experiência na Alemanha e possam compartilhá-la com os participantes. A UFPR possui convênios com a nossa universidade desde 1972.”

A Escola de Verão organizada em parceria com a Federal é aberta a graduandos e recém-formados em Ciências Florestais e Ambientais, potenciais mestrandos e doutorandos. Os alunos não-curitibanos têm parte de suas despesas custeadas pelo DAAD. São argentinos, chilenos, uruguaios, moçambicanos, mexicanos, que compartilham as palestras com estudantes brasileiros de Belém, Acre, Rio de Janeiro, Brasília, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná.

“O interessante da formação deste grupo é que podemos fazer também o nosso marketing para estes estudantes de fora”, comenta o professor Jorge de Matos, professor do Departamento de Engenharia e Tecnologia Florestal da UFPR e responsável pela Summer School no Brasil.

Com uma grande densidade populacional, a Alemanha tem vasta experiência em florestas manejadas, trabalhando sempre com assessoria técnica adequada e forte controle. E é um pouco dessa experiência que vem sendo repassada aos alunos da Summer School, ao mesmo tempo em que conhecem sobre as florestas industriais no Brasil e as formas de manejo que contribuem para a economia de diversas regiões.

“É minha primeira vez no Brasil, primeira vez em Curitiba e primeira vez numa Escola de Verão”, comenta o chileno Fabian Cid Yañez, aluno da Universidade Austral do Chile. “É surpreendente ver que há tantas diferenças de um estado para outro do Brasil e que há pessoas que não conhecem essas realidades distintas. Isso também se estende aos países latino- americanos. Nunca estive na Alemanha, mas agora, no meu projeto profissional, gostaria de ir para lá e também de vir a Curitiba para um semestre do meu doutorado”, explica comentando sobre o mestrado que está concluindo no Canadá.

Aluno de mestrado da UFPR, Djeison César Batista, já esteve em Freiburg, onde ficou dois meses aprendendo a utilizar um software aplicado na área da análise da qualidade da madeira. “A idéia é trazermos este software para a Federal e quando isso acontecer deveremos treinar as outras pessoas que usam os nossos laboratórios”, esclarece. “A Summer School nos ajuda muito neste contato com a Alemanha. Pretendo voltar a estudar lá por mais um ano. Às vezes, muitas coisas que são faladas nas palestras podem parecer, para nós brasileiros que participamos, um pouco repetitivas. Mas são um acréscimo importante para os estudantes dos outros países. E é este o espírito da Summer School. Essa troca de experiências.”

Fonte: UFPR/ Vivian de Albuquerque

Internet chegará a mais de 56 mil escolas públicas até 2010

O governo federal lançou, nesta terça-feira (8), o projeto Banda Larga nas Escolas que prevê, até 2010, a instalação de laboratórios de informática com internet banda larga em todas as escolas públicas do país com mais de 50 alunos.

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), a previsão é que, ainda este ano, 40% das escolas públicas de educação básica sejam equipadas com esses laboratórios e que, em 2009, mais 40% sejam atendidas, chegando a 2010 com todas as 56.865 mil escolas públicas equipadas.

O ministério informou ainda que o Banda Larga nas Escolas beneficiará 37,1 milhões de estudantes, o que representa 86% dos alunos, quando estiver totalmente implantado. Somente em junho deste ano, quando a rede estará instalada em 2 mil escolas, cerca de 2,4 milhões de estudantes já serão beneficiados.

O projeto compreende a instalação dos laboratórios de informática, além da conexão de internet em banda larga, que será levada gratuitamente às escolas, bem como a capacitação dos professores por meio da oferta de cursos a distância. Esse atendimento será possível mediante parceria entre o governo federal, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e quatro operadoras de telefonia, a Telefônica, a Brasil Telecom, a Cercontel, e a Companhia de Telecomunicações do Brasil Central (CTBC).

Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, é importante que o projeto se estenda às escolas rurais. “A cidadania não pode estar limitada ao âmbito das cidades. Precisamos de laboratórios também nas escolas rurais”, disse, em notícia publicada no site do MEC.

Já o ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou que esse projeto é uma grande conquista para o Brasil e para a educação. “Não podemos ignorar que estamos na era da informação e que a internet é uma ferramenta muito valiosa para promover não só a inclusão digital, mas também a social”, ressaltou, em notícia publicada no site do ministério.

Participaram do lançamento do Banda Larga nas Escolas o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, os ministros Fernando Haddad e Hélio Costa, além do presidente da Anatel, Ronaldo Mota Sardenberg.

Informações adicionais sobre o MEC, no endereço www.mec.gov.br .

Fonte: Gestão CT

Bacilo de Koch é tema de debate

A tuberculose será o assunto em foco do programa de rádio Pesquisa Brasil do próximo fim de semana. O entrevistado será o pneumologista Fernando Fiuza de Melo, diretor do Instituto Clemente Ferreira, centro médico na cidade de São Paulo que detecta, em média, três novos casos de tuberculose por dia.

Mesmo totalmente curável, a tuberculose continua matando seus portadores e são várias as causas para essa grave situação. Fiuza de Melo discutirá algumas razões do problema, as linhagens de bactérias resistentes, os caminhos para o tratamento ideal e a falta de investimento em pesquisas sobre novos fármacos que combatam a Mycobacterium tuberculosis, ou bacilo de Koch, que se instala nos pulmões de 9 milhões de pessoas a cada ano no mundo e mata um indivíduo a cada 15 segundos.

O programa destacará ainda o lançamento dos seis primeiros volumes da reedição completa da obra do escritor baiano Jorge Amado (1912-2001) pela Companhia das Letras, prevista para ser concluída em 2012, com 32 títulos. A reedição propõe uma revisão crítica desse que é um dos escritores mais populares do Brasil.

Pesquisa Brasil é transmitido pela Rádio Eldorado AM (700 kHz) aos sábados, às 11h, e às 20h de domingo. Nos mesmos horários, pode ser acompanhado pela DirecTV, no canal de áudio 883, ou pela internet, no endereço www.radioeldoradoam.com.br .

Fonte: Agência Fapesp

MCT altera portaria que instituiu o Comitê para Ciências do Mar

O ministro da Ciência e Tecnologia, assinou a portaria nº 211, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (9), que altera os artigos 1º, 2º, 3º e 4º da portaria nº 233, de 20 de outubro de 1993, disponível neste endereço.

Entre as alterações, no parágrafo 1º, fica instituído o Comitê para Ciências do Mar (CCM), no âmbito da Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento (Seped), do MCT, que terá as seguintes atribuições: gerar subsídios para a consolidação de uma Política Nacional de Ciência e Tecnologia para o Mar, além de elaborar e acompanhar um Programa para Ciências do Mar, visando garantir a execução dos compromissos firmados pelo Brasil em nível nacional e internacional, entre outros.

O CCM será composto pelo secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento, que o coordenará; o coordenador da Coordenação para Mar e Antártica da Seped; um representante do CNPq; um representante da Finep; e sete cientistas brasileiros com reconhecida atuação, competência e produção científica em Ciências do Mar.

A íntegra da portaria está disponível no endereço.

Fonte: Gestão CT

Programa Formação pela Escola realiza o primeiro curso de capacitação

Este mês, o programa Formação pela Escola desenvolverá, em todo o país, o seu primeiro curso de capacitação destinado a profissionais de ensino, técnicos e gestores públicos estaduais e municipais, representantes da comunidade escolar e da sociedade civil envolvidos com a educação pública. A ação já foi iniciada no Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal. Outros treinamentos estão previstos para ocorrer até o dia 15 nos Estados de Mato Grosso, Bahia, Amapá e Rio Grande do Sul.

Parceria entre o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e a Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação (MEC), o Formação pela Escola é um programa de formação continuada, na modalidade a distância, que tem como objetivo contribuir para o fortalecimento da atuação das pessoas envolvidas com a execução, acompanhamento, avaliação, controle e prestação de contas de programas do FNDE.

O Formação pela Escola promove a capacitação a distância com dois encontros presenciais (aulas inicial e final), onde os participantes tomam conhecimento sobre os detalhes da execução das ações e programas do fundo. Ao final do curso, os alunos apresentam um trabalho com suas experiências.

Entre 2005 e 2006, foi implementado um projeto piloto em municípios de Goiás, Piauí, Rondônia, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro. No total, foram formadas 240 turmas e capacitados 3,9 mil participantes nos módulos de competências básicas e temáticos, que tratam sobre os programas do livro didático, de alimentação e de transporte escolar e do Dinheiro Direto na Escola. A previsão é que, no primeiro semestre deste ano, sejam atendidos 410 municípios e 90 mil participantes.

Informações sobre o programa podem ser obtidas no endereço.

Fonte: Gestão CT