sexta-feira, 4 de abril de 2008

Simpósio Internacional sobre Clima, Conhecimento Local e Vida Cotidiana

De 26 a 30 de maio acontece, no Rio de Janeiro (RJ), o Simpósio Internacional sobre Clima, Conhecimento Local e Vida Cotidiana. O evento tem o propósito de debater a importância do clima no cotidiano das pessoas. O encontro é realizado em parceria pelo International Commission for the History of Metereology (ICHM) e pelo Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), entidade associada à ABIPTI.

Serão apresentados cerca de 60 trabalhos de diversas disciplinas, como sociologia, história e geologia, que se relacionam com o assunto em questão. Os estudos serão discutidos por meio de mesas-redondas. Alguns dos temas exibidos serão: Desastres Naturais e Conhecimentos sobre Meio Ambiente, As Faces Públicas do Clima e Ciência do Clima e da Sociedade.

As inscrições para o evento devem ser feitas mediante envio do formulário de inscrições para o e-mail . O acesso ao formulário pode ser feito no endereço.

O simpósio será realizado no Mast.

Mais informações, no endereço http://www.weatherlife.org/ .

Fonte: Gestão CT

Cetene quer desenvolver biosensores para controlar qualidade de biodiesel

Parcerias nas áreas de biosensores e tecnologia de controle de qualidade de biocombustíveis, especialmente o biodiesel, estão sendo discutidas pelo Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene/MCT) e pela Embrapa Instrumentação Agropecuária. Para que as duas instituições troquem mais informações sobre suas experiências, o chefe geral da Embrapa Instrumentação Agropecuária, Álvaro Macedo, e os pesquisadores Paulo Herrmann Júnior e Cauê Oliveira visitam, nesta sexta-feira (4), as instalações do Cetene, no Recife (PE).

Paulo Herrmann Júnior é um dos pesquisadores envolvidos na criação da língua eletrônica, invenção já patenteada que é utilizada na análise da qualidade de substâncias como o café, sucos e água. A língua eletrônica é um dos projetos mais famosos de nanotecnologia desenvolvidos no Brasil. O equipamento foi criado pela Embrapa e pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em 2001, e utiliza unidades sensoriais que conseguem perceber o gosto de forma ainda mais apurada que a língua humana.

"Queremos utilizar uma espécie de língua eletrônica para fazer o controle digital da qualidade do biodiesel armazenado, que é o uso de biosensores", aponta Fernando Jucá, diretor do Cetene. A idéia é associar estes biosensores a um equipamento de coleta e transmissão de informações, que nada mais é do que uma interface inteligente do sistema desenvolvido pelo Laboratório para a Integração de Circuitos e Sistemas (LINCS/MCT), uma design house que integra a estrutura do Cetene.

Inicialmente, os biosensores deverão ser colocados no tanque de armazenamento de biodiesel da Usina de Biodiesel de Caetés, município do Agreste Meridional de Pernambuco. A usina é administrada pelo Cetene. As informações sobre a qualidade do biodiesel deverão ser transmitidas via microondas pelo dispositivo eletrônico desenvolvido no LINCS para a central de informações no Cetene no Recife.

"Existe hoje uma preocupação em controlar a qualidade do biodiesel, porque a tendência é que a utilização dele na mistura com o óleo diesel seja crescente", aponta Fernando Jucá. O processo de produção do biodiesel faz com que, quando ele é armazenado, sofra um processo natural de degradação, corrosão ou adulteração.

Desde 1º de janeiro desse ano, está em vigor a obrigatoriedade de utilização de 2% de biodiesel no óleo diesel – o B2. O Governo federal quer chegar ao B5 e os pesquisadores do Cetene já avaliam o uso do B20 em motores estacionários no arquipélago de Fernando de Noronha, território do estado de Pernambuco.

Além de conhecer as instalações do Cetene, com ênfase nas áreas de microscopia eletrônica, biofábrica e microeletrônica, os pesquisadores deverão repassar informações sobre pesquisas que estão sendo desenvolvidas pela Embrapa Instrumentação Agropecuária nas áreas onde o Cetene também atua. O pesquisador Cauê Oliveira também deverá fazer uma palestra sobre a experiência da Embrapa na área de nanotecnologia.

Fonte: Agência CT

CNPq divulga o resultado da primeira fase do Edital RHAE - Pesquisador na Empresa nº 32/2007

O CNPq divulgou, na última semana, o resultado da primeira fase do Edital RHAE - Pesquisador na Empresa nº 32/2007. Foram selecionados 44 projetos e os investimentos podem chegar a R$ 20 milhões.

A data limite para a submissão de propostas para a segunda rodada termina no dia 2 de maio. O CNPq prevê divulgar o resultado no fim do mesmo mês. A proposta do Programa de Recursos Humanos para Atividades Estratégicas em Apoio à Inovação Tecnológica (RHAE) é apoiar atividades de pesquisa tecnológica e de inovação, mediante apoio financeiro a projetos que visem estimular a inserção de mestres e doutores nas empresas.

Na segunda rodada, os projetos serão avaliados e classificados quanto ao mérito técnico-científico e sua adequação orçamentária que serão analisados por um comitê do CNPq. Cada proposta poderá receber até R$ 300 mil. O edital terá três fases. Na terceira, todas as propostas recomendadas pelo comitê serão submetidas à apreciação da Diretoria Executiva do CNPq, que emitirá a decisão final sobre sua aprovação.

Os detalhes do edital estão disponíveis no endereço:

Arquiteta brasileira assumirá cargo de relatora especial da ONU para o direito à moradia

Considerada uma das principais especialistas brasileiras em habitação, a arquiteta Raquel Rolnik assumirá, em maio, o posto de relatora especial da Organização das Nações Unidas (ONU) para o direito à moradia.

Professora titular da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC-Campinas), onde leciona desde 1985, Raquel foi eleita por unanimidade pelos representantes de todos os governos. Ela será a segunda titular da relatoria desde sua criação em 2002, substituindo o indiano Miloon Khotari.

Entre 2003 e 2007, Raquel chefiou a Secretaria Nacional de Programas Urbanos do Ministério das Cidades, onde foi responsável pela implementação de uma das mais relevantes iniciativas brasileiras na área de urbanismo e habitação: o Estatuto da Cidade.

Especialista em planos diretores, a urbanista também foi chefe do Departamento de Planejamento da Prefeitura de São Paulo entre 1989 e 1992. Em 1995, concluiu doutorado no Departamento de História das Ciências e das Artes da Universidade de Nova York, nos Estados Unidos.

Ao lado de Raquel, o único brasileiro a ocupar um posto de relatoria na ONU é o sociólogo Paulo Sérgio Pinheiro, relator especial de Direitos Humanos em Mianmar (antiga Birmânia).

Experiência internacional é algo que não falta à Raquel, após ter atuado como consultora de política urbana e habitacional no Uruguai, Argentina, Colômbia e Equador. Também trabalhou junto ao UN-Habitat – órgão da ONU voltado para a habitação – e no Banco Interamericano de Desenvolvimento. Recentemente elaborou um plano de urbanização para o governo de transição do Kosovo.

A arquiteta exercerá suas funções no órgão internacional em paralelo à atividade acadêmica. Ela acaba de ser concursada na instituição na qual se graduou – a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (USP) – e passará a lecionar ali no segundo semestre de 2008.

Em entrevista à Agência FAPESP, Raquel explica as principais atribuições do cargo e comenta a contribuição da experiência brasileira nas políticas de habitação.

Quais são as principais funções exercidas pelo relator especial para o direito à moradia?
O cargo consiste em uma assessoria ao Conselho de Direitos Humanos da ONU, que tem sede em Genebra, na Suíça. O conselho acompanha a implementação dos chamados direitos econômicos e sociais, entre os quais está o direito à moradia. O relator fornece ao conselho uma visão de qual é a situação no mundo em relação à implementação desse direito: ele recebe denúncias de violações do direito, faz inspeções independentes nos países e apresenta relatórios ao conselho.

A atuação se baseará principalmente na apuração de denúncias?
Uma das missões da relatoria é apurar denúncias. Mas minha expectativa é ter uma ação mais proativa. O objetivo, além de apurar as denúncias, é procurar uma plataforma para resolver o conflito. Isto é, encontrar uma solução, em nível de políticas públicas, que seja capaz de dar diretrizes para uma ação efetiva. O cargo tem uma relação muito grande com o Estado. Meu perfil de atuação será mais propositivo.

Qual é a situação atual do Brasil em relação ao resto do mundo na questão de moradia?
Quase um terço da população do planeta mora em favelas e outros tipos de assentamentos precários. A situação do Brasil nesse contexto não está nem entre as melhores, nem entre as piores. Mesmo assim, temos problemas graves. Hoje, 60% da produção de moradia no Brasil é ilegal e irregular. Isso significa que a precariedade ainda avança. Por outro lado, temos uma série de iniciativas importantes para combater esse problema.

A experiência brasileira com o Estatuto da Cidade teve relação com a sua escolha para o cargo?
Não tenho a menor dúvida de que pesou muito na escolha. Temos uma longa trajetória de protagonismo social na questão da moradia. Tivemos um processo coletivo, da qual fui apenas uma das participantes, de construção de políticas pioneiras no campo das políticas habitacionais. Além disso, temos uma pauta que vai no sentido de políticas urbanas voltadas para o reconhecimento de direitos. O Estatuto da Cidade inscreveu o direito à moradia no nosso marco regulatório. Toda a sociedade, a universidade e o Estado tiveram um papel importante nesse processo.

Por que o problema da habitação continua sendo tão grave?
Esse novo marco regulatório ainda está em um processo lento de regulamentação. Embora o Brasil esteja em uma situação de vanguarda no tema da habitação – com o protagonismo social e participação de todas as esferas de governo –, o problema está muito longe de ser resolvido.

Quando falamos em vanguarda, podemos dizer que o Brasil inovou nessa área?
Sim, diversas iniciativas nos deram uma projeção internacional. Mostramos que estamos agindo efetivamente, com mais de 20 anos de prática de urbanização de favelas, por exemplo. Agora temos uma imensa responsabilidade, no sentido de provar que essas teses são corretas. Para isso, é preciso implementar essas políticas. Levar a experiência do Estatuto da Cidade para outros países seria uma iniciativa importante.

Qual a participação de movimentos sociais nesse contexto?
O Brasil tem uma experiência ímpar nesse aspecto. Os movimentos sociais começaram a se estruturar porque moradores de assentamentos precários ou movimentos de sem-teto, com contribuição de pesquisadores e técnicos, passaram a ter consciência de que a habitação era um direito que lhes havia sido negado. Cada vez mais esses movimentos passaram a ser formuladores e elaboradores de políticas. Uma das principais conquisas do novo marco regulatório, que é o Sistema Nacional de Habitação de Interesse Social (SNHIS), foi fruto de um projeto de lei reivindicado por 16 anos pelos movimentos. E agora está virando realidade.

Como funciona o SNHIS?
Ele foi aprovado pelo Congresso Nacional em 2005 e começou a ser implantado no fim de 2007. Foi inspirado no funcionamento do SUS [Sistema Único de Saúde]. É um fundo especial voltado para auxílio à moradia a pessoas com renda até três salários mínimos. O aspecto principal é que ele envolve as três esferas de governo e, de acordo com um plano, cada instância repassa os recursos à outra, até que a esfera municipal agregue sua porção para intervenções junto à população.

Os movimentos sociais parecem ser especialmente efetivos na questão da moradia. Por que isso ocorre?
Isso não é algo regular, há altos e baixos na participação dos movimentos. Mas posso dizer que os movimentos de moradia têm uma trajetória muito particular. Um dos pontos mais importantes é que houve um processo de formação das lideranças. Isso ajudou os movimentos a saírem, muito cedo, da esfera da pura pressão para o debate efetivo das políticas públicas. A articulação com profissionais da área, das universidades e ONGs foi muito importante.

Desde quando a moradia passou a ser considerada um direito fundamental?
Os direitos econômicos e sociais são um novo campo, em relação a outros direitos. No Brasil, eles estão inscritos na Constituição apenas desde 2000. Não constavam em 1988. A ONU criou a relatoria há pouco mais de seis anos.

Qual o principal gargalo para a questão da moradia no Brasil?
O gargalo fundamental, máximo, no Brasil é o chamado acesso ao solo urbano. Os mais pobres não têm esse acesso e é por isso que eles produzem moradia na irregularidade e na ilegalidade. É por isso também que as políticas públicas são geralmente voltadas para a produção de moradia em lugares distantes do centro, reproduzindo a situação de exclusão. Isto é, as próprias iniciativas do Estado seguem uma lógica de manter os mais pobres na periferia. Os mecanismos que levam a isso são o principal gargalo.

As suas atividades acadêmicas serão mantidas?
Sim, o cargo não é uma missão em tempo integral. Eu acabei de passar em um concurso para docente da USP, onde começarei a lecionar no segundo semestre, em dedicação exclusiva. Vou desempenhar a função na ONU como meu projeto de extensão na USP. É um cargo voluntário, não remunerado, cujo trabalho será feito a distância, com duas ou três missões anuais.

Fonte: Fábio de Castro / Agência Fapesp

Brasil tem cinco finalistas no Prêmio Regional de Integração Estatística do BID

O Brasil teve cinco programas finalistas no Prêmio Regional de Integração Estatística, concedido pelo Banco Mundial (BID). Desses, dois são do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), dois do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e um do Ministério das Cidades.

Em notícia publicada no site do Ministério da Educação (MEC), o diretor do Departamento de Redução da Pobreza e Gestão Econômica da Região da América Latina e do Caribe, do Banco Mundial, Marcelo Giugale, disse que o prêmio tem como objetivo acentuar o impacto que os dados exercem sobre as decisões tomadas pelos governos e outras partes interessadas, em âmbito nacional e regional.

Para Giugale, as estatísticas possibilitam aos formuladores de políticas obter as informações certas e tomar decisões adequadas sobre a maneira de tratar uma gama de questões importantes para a vida das pessoas comuns, como emprego, educação e assistência à saúde

Os vencedores serão conhecidos no próximo dia 10. Do Inep, os programas finalistas foram o Sistema Integrado de Informações Educacionais (Sied) e o Banco de Avaliadores do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (BASis). Concorrem ao prêmio pelo IBGE a Pesquisa de Assistência Médico-Sanitária e a Pesquisa de Informações Básicas Municipais. E, pelo Ministério das Cidades, o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

Informações adicionais sobre o prêmio e a lista com os finalistas podem ser obtidas no endereço.

Fonte: Gestão CT

Minas Gerais lança o SIMI - Sistema Mineiro de Inovação

O Sistema Mineiro de Inovação (Simi) foi lançado na semana passada, em cerimônia realizada no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte.

O objetivo do sistema é encontrar soluções integradas e promover a convergência das iniciativas governamentais, empresariais e universitárias nas áreas de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias.

Segundo a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais, os investimentos em infra-estrutura, pessoal e desenvolvimento do Simi para 2008 somam R$ 750 mil e foram destinados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

Na mesma ocasião ocorreu a primeira reunião de trabalho do Fórum Mineiro de Inovação e a posse dos membros do Colegiado do Fórum, que é presidido pelo governador. O fórum pretende traçar estratégias integradas entre governo, academia e empresas para o fomento da inovação no estado.

O fórum também realizará, periodicamente, um balanço anual das atividades da ciência, tecnologia e inovação no Estado, de modo a apontar os resultados alcançados em função da execução das políticas públicas.

Mais informações: www.sectes.mg.gov.br

Fonte: Agência Fapesp

Curso aborda normalização, regulamentação e avaliação da conformidade adotadas pela UE (BRA/B7-311)

De 22 a 30 deste mês acontece, em Xerém (RJ), o curso básico Nova Abordagem e Abordagem Global BRA/B7-311. Realizado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), o curso tem o objetivo de disseminar informações sobre a normalização, regulamentação técnica e avaliação da conformidade adotadas pela União Européia (UE).

A iniciativa acontece no âmbito do Projeto Redes de Centros Tecnológicos e Apoio às Pequenas e Médias Empresas (PMEs) Brasileiras, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e co-financiado pela UE e pelo governo brasileiro. O projeto, lançado em 2004, tem o objetivo de aumentar a competitividade internacional das PMEs nacionais.

A candidatura a uma das vagas deve ser feita por meio de indicação da empresa na qual o interessado atua. O candidato deve ter, no mínimo, cinco anos de experiência prática em normalização, metrologia legal, regulamentação técnica, avaliação da conformidade ou barreiras técnicas e acesso ao comércio internacional e disponibilidade para ficar no Rio de Janeiro durante o período do curso. A indicação deve ser enviada, juntamente com currículo do candidato, para o e-mail , até 11 de abril. O curso é gratuito.


Mais informações no endereço: http://www.inmetro.gov.br/noticias/conteudo/cursoAbordagem.pdf

Fonte: Gestão CT

38ª Jornada Paulista de Radiologia


A 38ª Jornada Paulista de Radiologia será realizada entre os dias 1º e 4 de maio no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

O maior evento de radiologia da América Latina tem o objetivo de apresentar avançadas técnicas de diagnóstico por imagem. Os organizadores esperam a participação de cerca de 10 mil pessoas.

Mais 350 profissionais de todo o país apresentarão 23 cursos. As apresentações, que reunirão 30 professores dos Estados Unidos, Europa, América Latina e Austrália, discutirão tecnologias de raios X, ultra-som, tomografia computadorizada, ressonância magnética, mamografia, radioterapia, PET-CT e outras.

Entre os destaques da programação científica estão o seminário da International Breast Ultrasound School (Ibus), entidade que promove estudos e pesquisas na área de mama, e o Simpósio de Radiologia Intervencionista Não-Vascular. O evento é promovido pela Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR).

Mais informações: http://www.spr.org.br/

Fonte: Agência Fapesp

Seminário Democracia e Direitos Humanos

O Seminário Democracia e Direitos Humanos será realizado na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista, no dia 14 de abril, a partir das 18 horas.

O evento será organizado pela Associação Nacional de Direitos Humanos – Pesquisa e Pós-Graduação (Andhep), em parceria com a Pós-Graduação em Direitos Humanos da Faculdade de Direito da USP.

Participarão do seminário os professores Marcelo Galuppo, coordenador do curso de Pós-Graduação da Faculdade de Direito da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas), e Marcelo Cattoni, da Pós-Graduação da Faculdade de Direito da PUC-Minas e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

A coordenação é de Eduardo Bittar, professor do Departamento de Filosofia e Teoria Geral do Direito da Faculdade de Direito da USP e presidente da Andhep.

Mais informações: (11) 3111-4015 e (11) 3111-4027 ou pelo e-mail

Fonte: Agência Fapesp

I Prêmio Libertas: enfrentamento ao tráfico de pessoas

Trabalhos acadêmicos de estudantes de graduação e dos já graduados podem ajudar no combate ao tráfico de pessoas no Brasil.

O I Prêmio Libertas: enfrentamento ao tráfico de pessoas é iniciativa da Secretaria Nacional de Justiça do Ministério da Justiça, em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e o Escritório das Nações Unidas contra Drogas e Crime (Unodc), para pensar políticas públicas mais efetivas para combater esse problema no país.

Com o apoio do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub), o prêmio dará um total de R$ 32 mil em bonificação para os seis primeiros colocados.

Quem quiser participar tem até o dia 25 de abril para se inscrever. Os interessados devem enviar o trabalho para a sede do Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (ETP) do Ministério da Justiça, na Esplanada dos Ministérios, ou comparecer pessoalmente ao local.

O edital do Prêmio Libertas pode ser acessado no site www.mj.gov.br , no item Segurança Pública.

Fonte : UNB

Divulgadas as diretrizes gerais do Sibratec

Divulgado ontem, dia 3, o documento que traz as diretrizes gerais do Sistema Brasileiro de Tecnologia (Sibratec), aprovado na última reunião do Comitê Gestor do sistema no dia 17 de março. O documento traz o detalhamento das ações do sistema em seus três eixos: Centros de Inovação, Serviços Tecnológicos, e Extensão e Assistência Tecnológica.

Segundo as diretrizes do sistema, o Sibratec terá como objetivo principal proporcionar condições para o aumento da taxa de inovação das empresas brasileiras e, assim, contribuir para aumentar o valor agregado do seu faturamento, sua produtividade e sua competitividade nos mercados internos e externos. Os clientes do Sibratec serão as empresas.

A primeira fase do sistema será voltada para a estruturação das redes de Centros de Inovação, de Serviços Tecnológicos e de Extensionismo Tecnológico. O documento diz ainda que outros mecanismos para a consolidação do Sibratec deverão vir das análises de experiências relevantes que vêm ocorrendo no Brasil e no exterior.

Outra proposta é que o Sibratec consolide as ações dos institutos de pesquisa tecnológica (IPTs). O documento diz que a proposta do sistema é articular os IPTs com o modelo de desenvolvimento, por meio da definição de temas e prioridades para a definição e para a implementação dessas redes. As redes serão coordenadas por núcleos de orientação, com as atividades programadas por comitês técnicos.

Centros de Inovação
As Redes Centros de Inovação terão como proposta gerar e transformar conhecimentos científicos e tecnológicos em produtos, além de apoiar o surgimento de novas empresas de base tecnológica. A idéia é que os centros de inovação sejam unidades ou grupos de desenvolvimento pertencentes aos IPTs. Entre os critérios para a instituição pertencer a um centro de inovação, está a determinação de que a entidade possua um núcleo de inovação tecnológica estruturado e atuante.

O comitê gestor do Sibratec irá organizar os processos de fomento em três etapas para os centros de inovação. São elas: lançamento de cartas convites ou editais para a formação de redes temáticas; promoção e articulação institucional para estabelecimento e formalização das redes; e estruturação e encaminhamento de projetos e encomendas. Segundo o documento do MCT, as encomendas serão elaboradas pelos comitês técnicos, associadas às prioridades dos Estados.

Serviços Tecnológicos
O objetivo das Redes de Serviços Tecnológicos é a implantação e a consolidação das redes de metrologia, normalização, avaliação da conformidade, compreendendo os serviços de calibração, análises, atividades de modernização, redes de serviços e ensaios. As redes serão coordenadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

As diretrizes do Sibratec ainda prevêem a possibilidade dessas redes serem estruturadas tendo por base características reais do setor empresarial. Para fazer parte da rede, o IPT deve possuir procedimentos definidos e amplamente divulgados para acreditação de laboratórios, deve demonstrar que participa de atividades técnicas de intercomparação laboratorial ou de ensaios de proficiência, entre outros requisitos. O fomento às redes acontecerá por meio de editais e cartas-convites ou, em casos específicos, por meio de encomendas.

Extensão Tecnológica
As Redes de Extensão Tecnológica deverão promover a assistência especializada ao processo de inovação, por meio do acesso das micro, pequenas e médias empresas a redes de instituições especializadas na extensão e assistência tecnológica. As redes deverão ser integradas com as necessidades regionais e com a parceria, quando possível, do Sebrae.

Para uma instituição participar da gestão da rede ela deverá comprovar a participação institucional e financeira nas atividades de extensão tecnológica. Já para as instituições que desejarem ser executoras dos serviços de extensão, elas deverão comprovar domínios de metodologias para extensão tecnológica, entre outros critérios. A operacionalização das ações dessas redes será por meio de arranjos institucionais, gerenciais e financeiros.

Em cada Estado, essas redes poderão ter como parceiro principal as secretarias de C&T ou as fundações de amparo à pesquisa (FAPs). O aporte de recursos para atendimento às empresas será feito da seguinte forma: o Sibratec aportará em até 70% do valor da assistência tecnológica, a rede estadual participará com no mínimo 20% e a empresa com os outros 10%. A organização do processo será feita por meio de carta-convite.

Fonte: Tatiana Fiuza / Gestão CT

Marinha cria Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação

Foi criado, dentro da estrutura organizacional do Comando da Marinha, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha (SecCTM), uma organização militar com semi-autonomia administrativa, que terá sede em Brasília, Distrito Federal. A instância foi instituída por meio da portaria nº 115 do Ministério da Defesa, publicada no Diário Oficial da União do dia 2 de abril.

A SecCTM será subordinada e apoiada pelo Estado-Maior da Armada e terá como propósito atuar como órgão central executivo do Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha (SCTM), sob a direção de um vice-almirante do Corpo da Armada.

Mais informações pelo site .

Fonte: Gestão CT

Acordo entre MG e ES beneficiará pesquisas sobre recursos hídricos

Os governos de Minas Gerais e Espírito Santo assinaram, ontem (2), um acordo de incentivo a pesquisas científicas na Bacia do Rio Doce. A oficialização da parceria foi feita durante a abertura do 4º Fórum das Águas do Rio Doce, em Linhares (ES). A proposta é financiar a realização de estudos científicos capazes de promover melhorias para a bacia em questão.

Para atingir o seu principal objetivo, as fundações de Apoio à Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Fapes) e de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) lançarão um edital conjunto no âmbito do acordo. A chamada pública contará com recursos da ordem de R$ 3 milhões, sendo R$ 1 milhão do governo mineiro, R$ 500 mil do governo capixaba e R$ 1,5 milhão do Fundo Setorial dos Recursos Hídricos (CT-Hidro), um dos signatários da parceria. De acordo com a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo (Sect/ES), o governador do Estado, Paulo Hartung, afirmou que os recursos disponíveis estão garantidos para 2008 e 2009, mas a parceria poderá ser estendida até 2010, dependendo dos resultados obtidos.

O termo de cooperação técnica foi assinado pelo governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, pelos secretários de Ciência e Tecnologia do Espírito Santo, Rogério de Queiroz, e de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais (Sectes/MG), Alberto Duque Portugal, e pelo conselheiro do CT-Hidro, José Edil Benedito.

Mais informações, pelo telefone da Sect/ES. O número é (27) 3380-3776

Fonte: Gestão CT

Capes lança edital para professor e pesquisador visitante nos EUA

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) lançou o edital 5/2008, em parceria com a Comissão para o Intercâmbio Educacional entre os Estados Unidos e o Brasil (Fulbright), referente ao Programa de Professor e Pesquisador Visitante nos EUA. As inscrições estão abertas até o dia 30 de maio. A chamada tem como objetivo promover a divulgação da ciência, tecnologia e cultura brasileiras naquele país.

De acordo com o edital, o programa possibilitará a inserção acadêmica de professores e pesquisadores brasileiros, das diversas áreas do conhecimento, em renomadas instituições de ensino superior nos EUA para ministrar aulas, realizar pesquisas e desenvolver atividades de orientação técnica e científica.

Ao todo, serão disponibilizadas 14 bolsas, com mensalidades de US$ 3 mil, além de auxílio instalação também no valor de US$ 3 mil, seguro saúde e passagem aérea de ida e volta.

Podem participar desta chamada os brasileiros que tenham concluído seu doutorado no Brasil ou em outro país, com exceção dos EUA, após 1996 e antes de 2004. O candidato também deve estar credenciado como docente e orientador em programa de pós-graduação reconhecido pela Capes e não receber bolsa ou benefício financeiro de outras agências ou entidades brasileiras. Além disso, o candidato deve ter currículo atualizado disponível na Plataforma Lattes.

A documentação deverá ser enviada para a Capes. Informações adicionais pelos telefones (61) 2104-8875 e (61) 3248-8600, ou ainda pelos e-mails 1 e 2

Fonte: Gestão CT

Fundação Araucária lança chamada para bolsas de produtividade em pesquisa

A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Estado do Paraná lançou, esta semana, a chamada de projetos 02∕2008 do Programa de Bolsas de Produtividade em Pesquisa. Os projetos devem ser encaminhados até o dia 30 de abril.

O objetivo da chamada é financiar bolsas de produtividade em pesquisa a pesquisadores do Estado de alta produtividade e de reconhecida liderança na sua área, que sejam responsáveis por redes ou projetos de pesquisa de grande relevância para a política estadual de CT&I que atuam na pós-graduação stricto sensu e que não possuam bolsa equivalente de outras agências de fomento. Podem ser submetidos projetos de todas as áreas do conhecimento.

Os investimentos são de R$ 491 mil e a proposta é conceder 42 bolsas. O valor mensal das bolsas é de R$ 976.

Eventos
A Fundação Araucária ainda anunciou que lançará, em breve, a nova Chamada de Projetos de Apoio à Participação em Eventos Técnico-Científicos - 2008. As instituições do Estado, interessadas em participar, devem elaborar o "Plano Anual de Previsão" da participação de seus docentes e pesquisadores em eventos que considerem de relevância técnico-científica. A fundação ainda solicitou que as instituições respondam ao email enviado sobre a chamada até o dia 28 de abril.

Para mais informações, acesse: www.fundacaoaraucaria.org.br .

Fonte: Gestão CT

BNB divulga resultados de oito editais de diferentes áreas

O Banco do Nordeste (BNB) divulgou, nesta semana, os resultados de oito editais das áreas de agroenergia; produção de grãos; apicultura; caprinos e ovinos; agricultura familiar e de convivência com o Semi-Árido; teses e dissertações sobre o desenvolvimento do Nordeste; e arranjos produtivos locais de base mineral.

Foram selecionados mais de 85 projetos das regiões Nordeste e Sudeste. Todas as chamadas foram feitas pelo Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene) e receberão recursos do Fundo de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundeci) do BNB.

Um dos resultados divulgados é do edital nº 02∕2007 - Pesquisa e difusão de tecnologias apropriadas para Agroenergia. O BNB selecionou 18 projetos, sendo que um deles é do Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), instituição associada à ABIPTI. Para conferir o resultado acesse o endereço.

Também foi divulgada a lista com 19 projetos selecionados pelo edital nº 03∕2007 de pesquisa e difusão de tecnologias apropriadas para produção de grãos. O resultado está disponível no endereço.

Outra chamada vai apoiar projetos de pesquisa e difusão de tecnologias apropriadas para apicultura. Para o edital 04∕2007, foram escolhidas dez propostas. A lista com o nome dos projetos contemplados está disponível no endereço.

O banco ainda selecionou 14 projetos, por meio do edital 05∕2007, para financiar pesquisas e difusão de tecnologias apropriadas para caprinos e ovinos nos Estados do Maranhão, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, norte de Minas Gerais e norte do Espírito Santo. A lista pode ser acessada neste endereço.

O edital 06∕2007 pretende incentivar a difusão de tecnologias apropriadas para a agricultura familiar e de convivência com o Semi-Árido. Foram escolhidas 16 propostas. Entre os contemplados, está o Instituto Nacional do Semi-Árido (Insa), instituição também associada à ABIPTI. Confira o resultado neste link.

O BNB ainda vai apoiar a elaboração de 11 teses e dissertações sobre desenvolvimento do Nordeste. Os projetos foram selecionados por meio de dois editais 07∕2007 e 01∕2007. Todas as propostas estão vinculadas a programas de economia. Confira a lista do edital 07∕2007 neste link. Já o edital 01∕2007 está neste endereço.

O último edital que foi divulgado pelo BNB vai apoiar pesquisas e difusão de tecnologias para os arranjos produtivos locais (APLs) de base mineral. A iniciativa contemplou cinco propostas, sendo uma do Centec. Confira os detalhes neste link.

Outras informações: http://www.bnb.gov.br

Fonte: Gestão CT

Fapema e instituições francesas assinam acordo para intercâmbio de pesquisadores e estudantes

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Maranhão (Fapema), entidade associada à ABIPTI, assinou, nos dias 18 e 20 do último mês, dois acordos para intercâmbio científico entre instituições maranhenses e francesas. Os convênios foram firmados com o Centro de Pesquisa em Informática da Universidade de Sorbonne e o Laboratório de Pesquisa sobre Gênero, Trabalho e Mobilidade do Centro Francês de Pesquisa Científica, ambos de Paris.

A parceria pretende levar pesquisadores e estudantes do Maranhão para realizarem doutorados e pesquisas conjuntas envolvendo as instituições signatárias. As principais áreas de atuação dos trabalhos serão tecnologia da informação e comunicação e pesquisa sobre gênero e trabalho.

Além dessas ações, durante a assinatura, as diretoras do Laboratório de Pesquisa sobre Gênero, Trabalho e Mobilidade do Centro Francês de Pesquisa Científica, Helena Hirita, e do Centro de Pesquisa em Informática da Universidade de Sorbonne, Colette Rolland, assumiram o compromisso de participar do projeto Colóquios Fapema, promovido pela entidade.

O termo de cooperação foi assinado por Hirita, Rolland e pelo diretor-presidente da Fapema, Sofiane Labidi.

Mais informações, no endereçowww.fapema.br.

Fonte: Gestão CT

Prêmio Fapern de Jornalismo

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (Fapern), instituição associada à ABIPTI, lançou ontem (2), em Mossoró, o Prêmio Fapern de Jornalismo. A idéia é reconhecer a importância do jornalismo potiguar na divulgação de informações científicas e tecnológicas.

Podem participar jornalistas que tenham material publicado entre 1º de outubro de 2007 a 30 de setembro de 2008. Serão aceitas matérias em duas categorias: jornalismo impresso e jornalismo eletrônico. O prêmio será de R$ 4,2 mil para as duas reportagens vencedoras, uma de cada categoria.

Curso
No mês de maio, a Fapern em parceria com a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) e o Instituto Kennedy vão promover um curso de jornalismo científico. Segundo informações da fundação, o curso é destinado a jornalistas que atuam em veículos de comunicação do Estado e também a alunos do curso de jornalismo.

O curso contará com a participação de Cláudio Ângelo, editor do Jornal Folha de S. Paulo, Marcelo Leite, colunista da Folha, Ildeu Moreira de Castro, do Ministério da Ciência e Tecnologia e Luisa Massarani, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), que é uma instituição associada à ABIPTI.

Outros detalhes sobre a premiação podem ser obtidas pelo telefone da Fapern (84) 3232-1729

Fonte: Gestão CT

Fapesq apóia realização de eventos

A Fundação de Apoio à Pesquisa da Paraíba (Fapesq), entidade associada à ABIPTI, lançou ontem (2), uma chamada pública para apoio à promoção de eventos regionais e locais. O edital Fapesq/Finep - 03/2008 – Programa de Apoio a Eventos Regionais e Locais recebe inscrições até 5 de maio.

Os eventos devem ser destinados exclusivamente à difusão de conhecimentos na área de ciência, tecnologia e inovação. Além disso, é preciso que eles sejam realizados de 9 de junho a 30 de setembro deste ano. Para o financiamento, a Finep destinou R$ 120 mil em recursos. O montante será dividido entre cinco eventos: dois de abrangência regional, com financiamento de R$ 30 mil cada, e três locais, que receberão R$ 20 mil cada.

Podem submeter propostas pesquisadores que possuam doutorado e tenham vínculo com universidades, instituições de pesquisa ou demais órgãos públicos. Os trabalhos enviados devem explicitar, entre outras coisas, os objetivos gerais e específicos do evento, a relevância, o cronograma de execução e os gastos previstos.

As propostas e o formulário de inscrição devem ser submetidos pelos Correios.

O endereço para envio está no edital. O formulário pode ser obtido no endereço http://www.fapesq.rpp.br/editais/formulario0308eventos.xls .

A íntegra da chamada pode ser acessada no endereço http://www.fapesq.rpp.br/editais/editalFAPESQ-FINEP-PAE-RL.pdf .

Fonte: Gestão CT