terça-feira, 4 de março de 2008

2nd Korea-Brazil Joint Symposium on Technology Innovation: Strategy and Alliance

O 2º Simpósio Brasil-Coréia de inovação tecnológica: estratégias e alianças será realizado no dia 25 de março, em São Paulo, na sede da Fiesp (Avenida Paulista 1313). O evento, organizado pela Anpei, ocorre no âmbito de um convênio entre os dois países no campo da ciência, tecnologia e inovação. O primeiro encontro foi realizado em julho de 2005, em Brasília.

O 2º. Simpósio tem como objetivo estimular a cooperação nas áreas de tecnologia industrial e de ciência e tecnologia entre o Brasil e a Coréia. Atuarão como palestrantes dirigentes de instituições empresariais, governamentais e de C&T, dos dois países. O público-alvo do encontro são empresários, dirigentes de instituições de pesquisa e funcionários de órgãos públicos e profissionais vinculados às empresas associadas à Anpei. As inscrições, gratuitas, devem ser feitas pelo telefone (11) 3842-3533 ou anpei@anpei.org.br As vagas são limitadas.

Veja a programação do Simpósio:

09h00 Credenciamento

09h15 Abertura

09h30 Painel I: Promovendo a cooperação tecnológica e industrial entre Coréia e Brasil.
- A inovação como ferramenta estratégica para o crescimento e a competitividade industrial.
- Incentivos governamentais à inovação: as experiências brasileira e coreana do ponto de vista industrial.
- Oportunidades de cooperação tecnológica industrial.
- Ambiente de negócios para as pequenas e médias empresas.

12h30 Brunch

14h00 Painel II - Fortalecendo a cooperação em áreas estratégicas da ciência e tecnologia: Biotecnologia, Aeroespacial, Energia Nuclear, Pesquisa Básica.

17h40 Debates e conclusões

18h00 Encerramento

Outras informações: http://www.anpei.org.br/simposio_2802a.htm

Atlas das Idéias traça mapa da inovação no Brasil

Informar a comunidade científica sobre os novos centros emergentes no mundo é o objetivo principal do projeto Atlas of Ideas, idealizado pela organização inglesa Demos, um think-tank – tanque de idéias - sem fins lucrativos. Estudar o Brasil faz parte da fase atual do projeto, e a Demos escolheu o Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE/MCT) como parceiro. O Centro participa nas indicações de especialistas, na condução da proposta e na elaboração do documento final.

O estudo sobre o Brasil começou em outubro de 2007 (leia mais aqui) e prevê-se sua publicação para julho de 2008. A etapa atual é de pesquisa de campo. “Qualquer um poderia desenhar o que acontece em CT&I no Brasil pesquisando apenas dados estatísticos, mas isso não é suficiente. Queremos saber o que realmente distingue a ciência brasileira”, explica Kirsten Bound, da Demos. A pesquisa de campo inclui visitas a agências de fomento, a empresas inovadoras e instituições de ensino e pesquisa; entrevistas com tomadores de decisão, com pesquisadores e jornalistas. Kirsten começou o trabalho de campo na segunda semana de fevereiro; visitando estados do Sul e do Sudeste e Brasília. No final do mês, o coordenador de ciência e inovação da Demos, James Wilsdon se juntou à pesquisadora. Até o final de março, serão visitados ainda as regiões Norte e Nordeste. Ao todo, serão seis semanas de trabalho no País.

O estudo que resultará da parceria concretiza a primeira atividade de cooperação internacional do CGEE. Fernando Rizzo, diretor do Centro que acompanha sua elaboração, considera instigante a presença de um “observador externo”, que poderá “avaliar de forma isenta nosso efetivo potencial de inovação”. Em janeiro de 2007, a Demos publicou o primeiro volume do Atlas, sobre China, Índia e Coréia do Sul. “Essa experiência anterior da Demos torna o projeto ainda mais interessante, pois permitirá uma comparação com países que tem se destacado no aspecto da inovação”, completa. Escolha de entrevistados e participação na elaboração do documento final são duas das tarefas que cabem ao CGEE.

“Queremos colocar na agenda de discussão do Reino Unido e Europa as relações de CT&I com o Brasil”, resume Kirsten. Segundo a especialista, há pouca informação sobre inovação no Brasil disponível no mundo – o que não acontece quando o país é a China ou a Índia. Além disso, a percepção sobre o estágio de desenvolvimento da ciência e tecnologia no Brasil está desatualizada. A pesquisadora pretende ressaltar no documento o potencial e as competências do Brasil para inovação e assim criar um mapa acessível para a comunidade internacional dos tomadores de decisão e do setor privado. Isso pode ampliar a capacidade de colaboração entre os países, solucionando problemas em rede.

A Demos desenvolve pesquisas focalizando seis áreas: ciência e tecnologia, serviços públicos, cidades e espaço público, arte e cultura, identidade e segurança global. Na última publicação sobre o projeto Atlas, disponível no site www.atlasofideas.org, um artigo sobre o Brasil citava o fato de que “mais da metade dos carros são fabricados no sistema flex fuel" e que "só o estado de São Paulo tem orçamento destinado a C&T maior que o do México inteiro" como fatos comprovadores da capacidade do País para inovar.

Mapa da pesquisa
Para mapear a inovação no Brasil, a Demos dividiu o trabalho em seis temas. Fará um levantamento exaustivo do sistema de inovação – identificando instituições, centros de pesquisa e infra-estrutura; oferecerá também uma visão do sistema educacional, com detalhamento do tema diáspora de pesquisadores. O Atlas das Idéias vai traçar ainda a geografia de C&T no Brasil – quer dizer, localizar quem produz conhecimento. Haverá também um relato sobre aspectos culturais do Brasil, em especial sobre as relações do País com o resto do mundo. O setor privado faz o quinto tema: atmosfera da inovação e vida empresarial; finalmente, o tema cooperação internacional com outros países e programas. O projeto Atlas das Idéias é financiado por instituições britânicas tanto do setor privado quanto público.

Próximos passos
A próxima etapa envolverá a elaboração do documento, no Reino Unido, amparado por um grupo diretivo (Steering Group) conformado pela consultoria inglesa, de aproximadamente 20 especialistas, que serve como termômetro para testar as hipóteses propostas e avaliar os resultados encontrados. Haverá também um outro grupo para acompanhamento do projeto formado por especialistas brasileiros e ingleses do setor privado e do meio acadêmico. Em todo o processo será mantida uma estreita interação com uma equipe do CGEE, para cumprir o cronograma de lançamento em julho, em Londres. O lançamento no Brasil será organizado pelo CGEE.

Fonte: Agência CT

Ministério da Saúde cria programas para beneficiar o Complexo Industrial da Saúde

O Ministério da Saúde publicou, na última sexta-feira (29), duas portarias que criam programas para o Complexo Industrial de Saúde, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). A portaria nº 374 cria o Programa Nacional de Fomento à Produção Pública e Inovação. Já a portaria nº 375 cria o Programa Nacional para Qualificação, Produção e Inovação em Equipamentos e Materiais de Uso em Saúde. As duas portarias foram publicadas na edição do dia 29 no Diário Oficial da União (DOU).

Os programas passam a integrar um conjunto de políticas adotadas para estimular a eficiência produtiva no Complexo Industrial da Saúde, constituindo uma prioridade tanto do SUS quanto da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (Pitce).

Inovação
A proposta do Programa Nacional de Fomento à Produção Pública e Inovação é promover o fortalecimento e a modernização do conjunto de laboratórios públicos encarregados da produção de medicamentos e imunobiológicos por intermédio da ampliação da participação no Complexo Produtivo da Saúde, do aumento da capacidade inovadora e da mudança de patamar competitivo.

Entre as diretrizes do programa está a proposta de promover melhorias na gestão dos produtores públicos, estimulando o planejamento estratégico e a adoção de estruturas organizacionais e modelos de gestão capazes de dotá-los de maior agilidade, flexibilidade e eficiência.

O programa será coordenado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do ministério de forma integrada e coordenada com as ações de Assistência Farmacêutica também desenvolvida no âmbito do ministério.

O próximo passo será compor a secretaria executiva de coordenação do programa, que irá deliberar sobre sua estrutura e organização. A íntegra da portaria nº 374 está disponível no endereço.

Equipamentos
O objetivo do Programa Nacional para Qualificação, Produção e Inovação em Equipamentos e Materiais de Uso em Saúde é fortalecer e modernizar o setor de equipamentos e materiais visando à ampliação da capacidade inovadora das empresas e a mudança de seu patamar competitivo.

Entre os objetivos específicos do programa está a proposta de expandir e modernizar a infra-estrutura de tecnologia industrial básica (TIB) para o setor, além de estimular a interação entre empresas, universidades e instituições científicas e tecnológicas (ICTs), com o setor produtivo e incentivar o intercâmbio tecnológico entre os setores industriais.

O programa também será coordenado por um comitê gestor que estará vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, e que executará ações de forma integrada e coordenada com a Secretaria de Atenção a Saúde (SAS) do ministério. Para conferir a íntegra da portaria nº 375, acesse o endereço.

Vigência
As portarias definem um prazo de 120 para que a Secretaria de C&T e Insumos Estratégicos organize os dois programas. A iniciativa faz parte do Programa Mais Saúde, desenvolvido pelo ministério e conhecido como PAC da Saúde. O programa foi lançado no fim do ano passado e sua total operacionalização estava ameaçada por conta da não aprovação da CPMF.

O Complexo Industrial da Saúde representa o eixo 3 do PAC. A expectativa do ministério é investir R$ 2 bilhões no setor. Para conhecer os detalhes das metas e propostas para este eixo do Programa Mais Saúde acesse o endereço.

Fonte: Gestão CT

Histórias em quadrinhos como instrumento na divulgação científica e no ensino de ciências em salas de aula

Antes vistas como subliteratura, as histórias em quadrinhos podem ser um importante instrumento na divulgação científica e no ensino de ciências em salas de aula.

A conclusão é da bióloga Claúdia Kamel, do Departamento de Inovações Educacionais do Instituto Oswaldo Cruz (IOC), que analisou o potencial educacional de cerca de 400 histórias em quadrinhos da Turma da Mônica, de autoria de Maurício de Sousa.

A proposta, feita para dissertação de mestrado, era verificar se gibis poderiam ser usados como subsídios didáticos para introduzir, elaborar e complementar conhecimentos científicos. “É preferível usar, como apoio, materiais que as crianças já lêem. Os quadrinhos são publicações acessíveis a grande parte da população, podendo, portanto, ser trabalhadas em contextos diferenciados, tanto em escolas públicas como nas particulares”, disse.

Segundo o estudo, intitulado Ciências e quadrinhos: explorando as potencialidades das histórias como materiais instrucionais, as publicações escolhidas contemplam os três grupos temáticos que são trabalhados nas aulas de ciências naturais do ensino fundamental brasileiro, com base nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN): ambiente; corpo humano e saúde; e ciência e tecnologia.

Das 392 revistas da Turma da Mônica analisadas (que incluem títulos dos personagens Mônica, Cebolinha, Cascão, Magali e Chico Bento), 274 apresentavam referências aos tópicos em questão, sendo o tema “ambiente” o mais citado (em um total de 162 gibis).

“Muitos têm a percepção de que a tecnologia está estritamente ligada aos artefatos de última geração da atualidade, e não a todos os artefatos desenvolvidos para a melhoria da condição de vida humana”, disse Cláudia.

Segundo ela, as histórias do Piteco, o homem das cavernas criado por Maurício de Souza, mostram o uso da tecnologia – e sua origem – de forma clara. “O tacape do Piteco representa um instrumento que possibilitou ao homem caçar e garantir sua subsistência. O abridor de latas é um desses instrumentos. Então, a partir do tacape, podemos estimular as crianças a pensar e a enumerar esses artefatos até os dias atuais”, sugeriu.

Hábitos de higiene e de alimentação também podem ser trabalhados. “Em uma história do Rolo, por exemplo, a questão da automedicação é abordada. Os quadrinhos não têm a pretensão ou o compromisso de formar conceitos: as crianças constroem padrões de certo e errado”, observou.

Para a bióloga, a aversão do Cascão por tomar banho e o mau hábito da Magali em comer demais despertam o senso crítico da criança. “As histórias do Cascão podem trazer para a sala de aula um contraponto. O fato de a Magali comer demais permite discutir o que pode ser uma dieta saudável”, disse.

Pouco usados
Claúdia ressalta que pelo menos 20 competências cognitivas são acionadas durante a leitura de uma história em quadrinhos, entre as quais a perspectiva e a profundidade. “Em um quadrinho, dois personagens podem estar desenhados em um só plano, mas as crianças sabem quem está mais próximo ou mais distante. A leitura dos quadrinhos, assim como em qualquer outro tipo de leitura, não é meramente uma leitura linear sujeita somente a um único tipo de interpretação. Nesse sentido, eles podem levar seus leitores a ampliar seus conceitos de compreensão de ambientes diversos”, afirmou.

Ao analisar a forma com que os autores de livros didáticos de ciências utilizam tiras e histórias em quadrinhos para introduzir ou complementar tópicos curriculares dessa disciplina no ensino fundamental, a pesquisa também destaca que a utilização de quadrinhos nessas coleções de livros ainda é fraca ou simplesmente não ocorre.

“A pesquisa evidenciou que nos livros didáticos de ciências naturais analisados essa linguagem ainda é muito pouco explorada, o que nos conduz a pensar em estudos posteriores acerca de sua aplicabilidade como elemento articulador em aulas”, disse Cláudia.

A pesquisadora do IOC lembra que, em décadas passadas, os quadrinhos eram vistos como formas de promover a preguiça mental de seus leitores. “Atualmente, constata-se, cada vez mais, que a linguagem deles pode e deve ser utilizada não somente para entreter os leitores, como também – ainda que de forma indireta – para promover e desenvolver competências cognitivas por meio do processo de conclusão e abstração”, afirmou.

Fonte: Washington Castilhos / Agência Fapesp

Biofábrica no Recife amplia produção de mudas de cana-de-açúcar

Duas novas estufas para aclimatização de mudas de cana-de-açúcar começam a ser construídas, na segunda quinzena de março, pelo Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene/MCT). As unidades serão instaladas nos municípios de Vicência, na Zona da Mata Norte, e Ribeirão, na Zona da Mata Sul de Pernambuco. Com as novas estufas será possível aumentar a capacidade atual de aclimatização (adaptação para o campo) das mudas reproduzidas in vitro pela Biofábrica Governador Miguel Arraes, que é administrada pelo Cetene.

Os investimentos na biofábrica são voltados para a pesquisa e produção de mudas de cana-de-açúcar utilizando modernas técnicas de propagação in vitro. A estrutura atual da biofábrica é composta de um laboratório, localizado no Cetene, em Recife (PE), onde é feita a multiplicação da cana-de-açúcar in vitro, e um conjunto de seis estufas, construídas no município de Catende, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, para a etapa ex vitro, que é a aclimatização das mudas.

As mudas micropropagadas têm alta qualidade genética e fitossanitária. As estufas de Catende têm capacidade para aclimatizar 400 mil mudas em ciclos de dois meses. Cada uma das duas novas estufas terá capacidade para aclimatizar 150 mil mudas a cada ciclo, o que aumentará a quantidade total de aclimatização da biofábrica para 700 mil mudas a cada dois meses. "Com as novas estufas, vamos ampliar a área de atuação da biofábrica para outros municípios, difundindo tecnologia para o setor sucroalcooleiro de Pernambuco", afirma a coordenadora da Biofábrica Governador Miguel Arraes, Andréa Baltar Barros.

Para o aproveitamento das mudas, cultivadores e fornecedores de cana firmaram com o Cetene um acordo de cooperação técnica para o plantio das mudas originárias da biofábrica. As primeiras 120 mil mudas - produzidas pela biofábrica e aclimatizadas nessas estufas - serão doadas pelo Cetene ao Sindicato dos Cultivadores de Cana-de-Açúcar de Pernambuco e à Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco, para serem distribuídas gratuita e exclusivamente aos produtores e fornecedores de cana. Depois, as mudas passarão a ser comercializadas pelas duas entidades.

A Biofábrica Governador Miguel Arraes tem capacidade total de produção de 1,5 milhão de mudas/mês e é considerada a maior da América Latina em capacidade de micropropagação de mudas de cana-de-açúcar. Essa produção só é possível por causa do Sistema de Imersão Temporária por Biorreatores para a micropropagação in vitro, tecnologia importada de Cuba e adaptada pelos pesquisadores do Cetene à realidade regional.

Fonte: Fabiana Galvão / Agência CT

CNPq lança editais de apoio técnico e de apoio a inclusão e qualidade de vida de comunidades rurais e periferia urbana

O CNPq publicou, na edição do dia 29 do Diário Oficial da União, edital de nº 04/2008. O objetivo da chamada é apoiar a execução de projetos de pesquisa científica, tecnológica ou de inovação, financiados com recursos públicos, por meio da concessão de bolsas de Apoio Técnico. A data limite para submissão das propostas é o dia 24 de abril.

A chamada conta com R$ 18,8 milhões e disponibilizará dois tipos de bolsas, que serão concedidas por quota ao proponente: para técnicos de nível superior e para técnicos de nível médio. Cada proponente poderá solicitar uma bolsa de apoio técnico de nível médio e uma de nível superior, pelo prazo de 24 meses.

Podem participar do edital os pesquisadores com título de doutor ou perfil equivalente, que estejam desenvolvendo um projeto de pesquisa aprovado e financiado por órgão ou entidade pública e que mantenham vínculo com instituição de ensino superior; institutos ou centros de pesquisa e desenvolvimento, públicos ou privados; ou empresas públicas. O proponente será necessariamente o coordenador do projeto. Já a instituição com a qual o proponente mantém vínculo empregatício será considerada a instituição executora do projeto.

A íntegra do edital está disponível no endereço: http://www.cnpq.br/editais/ct/2008/004.htm.

Seap/PR
O CNPq também lançou, na semana passada, em parceria com a Secretaria Especial de Aqüicultura e Pesca da Presidência da República (Seap/PR), um edital que destinará R$ 5 milhões a projetos que contribuam com alternativas econômicas, sociais e ambientais para a geração de renda das comunidades tradicionais, povos indígenas, pescadores artesanais, aquicultores familiares e assentados dos programas de reforma agrária. As propostas devem ser encaminhadas até o dia 14 de abril, por meio do formulário de propostas online do CNPq.

A idéia da chamada é melhorar a inserção no mercado dos produtos dessas comunidades, que vivem na zona rural, ou na periferia dos centros urbanos, e gerar renda utilizando tecnologias. Podem participar as instituições de ensino superior públicas, comunitárias e confessionais, instituições públicas de pesquisa e/ou extensão, desde que sejam sem fins lucrativos, com capacidade e infra-estrutura de recursos humanos e materiais para realizar as atividades propostas.

Serão apoiados projetos que estejam inseridos em uma ou mais das dez linhas temáticas do edital. Entre elas, constam: desenvolvimento de produtos e subprodutos com fins terapêuticos, cosméticos, ornamentais e outros; processos artesanais e agroindustriais de produção, incluindo o controle de qualidade de produtos adaptados à produção em pequena escala; e tecnologias para pesca artesanal e aqüicultura familiar, envolvendo todas as etapas da cadeia produtiva.

O edital pode ser acessado no endereço eletrônico: http://www.cnpq.br/editais/ct/2008/007 .

Fonte: Gestão CT

Capes lança o Cartão Pesquisador

No dia 29, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) do Ministério da Educação divulgou, por meio de notícia disponibilizada no seu site, que adotará uma nova sistemática de repasse de auxílio à pesquisa: o Cartão Pesquisador. O novo instrumento deverá ser adotado a partir do mês de junho.

De acordo com a instituição, esse novo modelo operacional de movimentação de recursos atenderá à Instrução Normativa nº 04/2004, da Secretaria do Tesouro Nacional, assim como ao Decreto nº 6.370/08, substituindo o uso de cheques vinculados às contas tipo B. O desenvolvimento do sistema para a emissão e manutenção do Cartão Pesquisador, que também será adotado pelas demais agências de fomento, já está sendo priorizado pelo Banco do Brasil.

Em nota, a Capes avalia que a adoção do cartão facilitará o desenvolvimento das atividades de pesquisa, já que trará maior segurança, agilidade na utilização dos recursos por parte dos pesquisadores e maior transparência na aplicação dos recursos públicos. A instituição também destaca que a utilização do novo instrumento eliminará a possibilidade de emissão de cheques sem fundos e a conseqüente inclusão da agência como inadimplente, “o que tem causado inúmeros transtornos para toda a comunidade científica”.

Informações sobre as ações da Capes podem ser obtidas no endereço www.capes.gov.br .

Fonte: Gestão CT

Prêmio Telecentros de Informação e Negócios 2008

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) abriu, até 30 de junho, as inscrições para o Prêmio Telecentros de Informação e Negócios 2008. O concurso tem o objetivo de identificar as unidades de telecentro para inclusão digital que mais se destacaram na aproximação e incentivo às micro e pequenas empresas do país.

Serão concedidos, no máximo, três prêmios às unidades de todo o país. As vencedoras serão selecionadas de acordo com o grau de apoio dado às micro e pequenas empresas, com a contribuição para o aumento da competitividade e com o impacto das iniciativas promovidas. Os ganhadores receberão um troféu e um diploma explicitando os motivos de sua vitória.

Podem concorrer à premiação os centros de inclusão digital que fazem parte da rede Telecentro de Informação e Negócios do Fórum Permanente da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte (Rede TIN). Para se candidatar, os interessados devem preencher um formulário de inscrição e enviá-lo ao e-mail .
O acesso à ficha de inscrição pode ser feito no endereço.

A entrega dos prêmios será realizada na última reunião do ano do Fórum Permanente da Microempresa e Empresa de Pequeno Porte.

Mais informações, no site www.telecentros.desenvolvimento.gov.br .

Fonte: Gestão CT

Aberta vaga de professor na área de Nanociências na USP

Encontram-se abertas as inscrições para a contratação de docente/pesquisador junto ao Departamento de Física dos Materiais e Mecânica da Universidade de São Paulo.

O objetivo do concurso público é prover uma vaga de Professor Doutor, na área de “NANOCIÊNCIAS”, em regime de dedicação exclusiva, com salário de R$ 5.850,92, nos termos do artigo 125, § 1º, do Regimento Geral da USP e no programa que segue:

Física do Estado Sólido (FMT5814) – Estrutura Eletrônica em Cristais. Fônons e Propriedades Térmicas. Propriedades de Transporte. Magnetismo em Sólidos. Propriedades Ópticas. Supercondutividade.

As inscrições estão sendo feitas na Assistência Acadêmica do Instituto de Física da USP, à Praça do Oceanográfico, Travessa E, s/n, Edifício Principal Ala I, sala 339, Cidade Universitária “Armando de Salles Oliveira”, das 9h às 12h e das 14h às 17h em dias úteis, exceto aos sábados. As inscrições encerram-se no dia 10/03/2008.

Informações adicionais: http://www.if.usp.br/concursos/concursos.shtml
Sobre o edital: http://www.if.usp.br/concursos/Ed8207.pdf
Sobre o departamento: http://www.fmt.if.usp.br/

Fonte : IFUSP

Simpósio Internacional “Uma sociedade pós-humana?”

A Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) promoverá, de 26 a 29 de maio, em São Leopoldo (RS), o Simpósio Internacional “Uma sociedade pós-humana?”, que terá como tema central “Possibilidades e limites das nanotecnologias”.

O objetivo do evento, promovido em parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), é proporcionar um debate transdisciplinar sobre os impactos das nanotecnologias na sociedade humana e no mundo, além de mapear seus possíveis impactos sociais, econômicos, antropológicos, ecológicos e religiosos.

O encontro reunirá palestrantes nacionais e internacionais para a discussão de temas como “Os nanossistemas – Possibilidades e limites para o planeta e a sociedade”, com um dos pioneiros da nanotecnologia, o norte-americano Eric Drexler, autor de Engines of creation (1986) e Nanosystems molecular machinery manufacturing and computation (1992).

Entre os outros palestrantes do simpósio estão Timothy Lenoir, da Universidade Duke (Estados Unidos), Elena Pulcini, da Università degli Studi di Firenze (Itália), Paulo Roberto Martins, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas, Paulo César de Morais, da Universidade de Brasília, e Luiz Alberto Oliveira, do Centro Brasileiro de Pesquisas Física.

Mais informações: http://www.unisinos.br/

Fonte: Agência Fapesp

Centro de Nanociência e Nanotecnologia Cesar Lattes (C2Nano ) será inaugurado hoje

A indústria nacional e as comunidades científicas brasileira e internacional passam a contar com uma das mais avançadas unidades de pesquisa na área de ciência, tecnologia e inovação. Trata-se do Centro de Nanociência e Nanotecnologia Cesar Lattes (C2Nano), que será inaugurado nesta terça-feira (4), às 12h, no campus do Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), instituição de pesquisa do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) localizada em Campinas, interior paulista. A solenidade terá as presenças do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e do ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende.

O novo centro é o resultado da evolução de um programa de pesquisa em micro e nanotecnologia que vem se consolidando no LNLS desde 1999. O complexo é aberto à comunidade científica do mundo inteiro e vai reunir, em um mesmo ambiente, um conjunto de laboratórios dedicados aos estudos para investigar as propriedades em nível atômico e molecular das matérias.

As instalações funcionarão de forma integrada com as estações experimentais da fonte de luz síncrotron, um acelerador de partículas que produz luz de alta intensidade e brilho, desde o infra-vermelho, ultra-violeta até raios X duros, que permite visualizar a estrutura dos materiais até o nível atômico e molecular.

Mais informações: 061- 33177515/7514

Fonte: Agência CT

Pós-doutorado na França dentro do programa Hermes

Está aberto até o dia 31 de março o prazo para inscrição no Programa Hermes, que tem como objeto a recepção de jovens pesquisadores estrangeiros da área de ciências humanas e sociais em universidades e centros de pesquisa franceses.

O programa, promovido pela Fundação Maison des Sciences de l’Homme (FMSH), pelo Ministério de Relações Exteriores e pelo Centro Nacional de Pesquisa Científica (CNRS), da França, é destinado a atender a residentes da África do Sul, Argentina, Brasil, Chile, China, Índia, Indonésia, Malásia, México e Peru.

O programa dará bolsas de três a nove meses de modo que os selecionados possam conduzir na França projetos de pesquisas individuais e estabelecer formas de cooperação entre as instituições de origem e de destino.

O valor mensal das bolsas será de 2 mil euros. Aos selecionados também será oferecido seguro-saúde e eventual cobertura de gastos adicionais com documentação e participação em atividades científicas.

Os candidatos devem ter até 40 anos, doutorado e pertencer a uma instituição de pesquisa associada a universidade, academia ou instituto. Devem também ter fluência em francês ou inglês.

Mais informações: www.msh-paris.fr/index.php?id=566&L=2

Fonte: Agência Fapesp

Líquidos iônicos como solventes industriais

Applications of ionic liquids in carbohydrate chemistry: a window of opportunities

Uma nova pesquisa acaba de aumentar a compreensão do comportamento dos líquidos iônicos – uma alternativa de baixo impacto ambiental aos solventes utilizados em processos químicos industriais. O trabalho é capa da edição de março da revista European Journal of Organic Chemistry.

De acordo com o autor principal do estudo, Omar El Seoud, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP), o uso de líquidos iônicos como solvente tem gerado grande número de publicações em patentes desde o início da década, graças ao potencial para aplicações dentro do conceito de “química verde”, um conjunto de diretrizes voltado à redução do impacto ambiental dos processos químicos.

O trabalho foi feito em co-autoria com Michelle Lima e Clarissa Martins, do Instituto de Química da USP, e Erick Bastos, da Fundação Universidade Federal do ABC (UFABC)– os dois últimos, bolsistas da FAPESP.

“Os solventes têm papel central na maioria dos processos químicos. Os líquidos iônicos têm maior estabilidade química e térmica e permitem a reciclagem do solvente no processo. Eles já são bastante utilizados, mas queremos compreender melhor seu funcionamento para aperfeiçoar suas aplicações”, disse El Seoud.

Segundo o professor, as publicações na área de líquidos iônicos começaram a aumentar em 2000, chegando a mais de cem. Em 2002, somaram cerca de 600. Em 2004, passaram de mil e, em 2006, de 1,6 mil artigos publicados no ano em revistas internacionais. As patentes também dispararam no mesmo período.

“Há possibilidades de aplicações economicamente importantes e, por isso, o interesse é tão grande na área, o que explica também que um trabalho original sobre o tema tenha chamado a atenção dos editores de uma das revistas mais conceituadas da área”, destacou.

Uma das potenciais aplicações do solvente com base em líquidos iônicos é o processo químico de extração de fibra de celulose a partir do bagaço de cana-de-açúcar, que pode dar ao resíduo uma destinação nobre.

“A extração de fibras de celulose a partir do algodão, por exemplo, é um processo trivial. Mas fazer o mesmo a partir de fontes de celulose não-fibrosa – como madeira ou o bagaço de cana-de-açúcar – requer um processo químico com uso de solventes. O líquido iônico seria uma alternativa verde que poderia viabilizar o uso em larga escala”, explicou.

Cor e temperatura
De acordo com El Seoud, o estudo indica que, quanto menos lipofílico é um líquido iônico, mais eficiente é seu desempenho como solvente para aplicação em processos químicos. A lipofilicidade é a capacidade de um composto químico de se dissolver em gorduras, óleos e lipídios. “O que queríamos compreender era o papel dos líquidos iônicos nos processos químicos – isto é, seu mecanismo de solvatação”, disse.

Para entender o mecanismo de solvatação, os cientistas fizeram estudos de solvatocromismo. “Um pequeno grupo de substâncias tem a característica de mudar de cor conforme ocorre sua interação com o solvente. Utilizamos essa propriedade para entender a solvatação”, explicou.

Como muitos processos são realizados em temperaturas elevadas, é necessário entender como a temperatura afeta o sistema, em particular a solvatação dos reagentes e as interações substância-solvente. “Essa informação é obtida pelo estudo de termossolvatocromismo: o efeito da temperatura sobre solvatocromismo”, disse Al Seoud.

A conclusão do estudo, segundo o professor, pode ajudar a compreender como o líquido iônico funciona como solvente e, no futuro, criar uma técnica para indicar, de maneira sistemática, quais líquidos iônicos são adequados para cada aplicação.

“A contribuição é importante para compreender o papel dos líquidos iônicos e criar condições para usá-los de maneira racional, uma vez que eles são mais caros do que os solventes convencionais. As pesquisas sempre andam simultaneamente em duas direções: utilizamos o que está funcionando empiricamente e procuramos compreender os processos para prever de antemão como melhorá-los”, afirmou.

O professor lidera o Grupo de Tensoativos e Polímeros do Instituto de Química da USP, que trabalha há alguns anos com os líquidos iônicos. Os estudos resultaram também em outro artigo sobre o uso desses solventes na química de carboidratos publicado na revista Biomacromolecules, em outubro de 2007.

O artigo Thermo-solvatochromism of merocyanine polarity probes – What are the consequences of increasing probe lipophilicity through annelation?, de Omar El Seoud e outros, pode ser lido por assinantes da European Journal of Organic Chemistry (edição 7/2008, março) em:
http://www3.interscience.wiley.com/cgi-bin/abstract/117885298/ABSTRACT.

O artigo Applications of ionic liquids in carbohydrate chemistry: a window of opportunities, de Omar El Seoud e outros, pode ser lido no endereço eletrônico: http://pubs.acs.org/cgi-bin/abstract.cgi/bomaf6/2007/8/i09/abs/bm070062i.html.

Fonte: Fábio de Castro / Agência Fapesp

IBQP lança projeto de apoio à certificação no turismo

No próximo dia 6, o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP), entidade associada à ABIPTI, fará, em parceria com o Ministério do Turismo, o lançamento do Programa de Apoio à Certificação no Turismo. O programa, resultado de um estudo realizado pelo IBQP, tem o objetivo de promover melhorias nos serviços turísticos do país. O evento acontecerá no Rio de Janeiro (RJ).

De acordo com o instituto, o projeto prevê ações para o incentivo à acreditação de organismos de certificação para sistemas de gestão da sustentabilidade, sistemas de segurança no turismo de aventura e de pessoas e produtos relacionados com o setor. O programa deverá capacitar cerca de 300 auditores na área do turismo e avaliar cerca de 500 empresas e 32,5 mil profissionais em ocupações que se relacionem com o setor.

O projeto propõe também a realização de eventos de divulgação e incentivo à certificação e ao turismo sustentável. Esses encontros visam gerar, em toda a cadeia produtiva do turismo, a consciência sobre a importância de se fomentar o segmento.

O lançamento do programa será feito no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), às 9h.

Mais informações, no site www.ibqp.org.br .

Fonte: Gestão CT

3ª Conferência Distrital do Meio Ambiente ocorrerá no Distrito Federal

Nos dias 11 e 12 de março, o Distrito Federal (DF) realiza a 3ª Conferência Distrital do Meio Ambiente, cujo tema será Mudanças Climáticas. O evento acontece no auditório do Museu Nacional e será promovido pelo governo do DF (GDF), juntamente com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais (Ibama) e com o Instituto Brasília Ambiental (Ibram).

O objetivo da Conferência é informar e sensibilizar a sociedade e o governo, do Distrito Federal, a respeito das mudanças climáticas, bem como promover o diálogo e a interação entre os gestores públicos do DF e os setores da sociedade interessados nas políticas ambientais. O encontro servirá também para sugerir prioridades de atuação ao Ministério do Meio Ambiente e aos órgãos ambientais do GDF, além de proporcionar a elaboração de propostas e avaliações para a Política e Plano Nacional sobre Mudança do Clima.

Na conferência distrital serão realizadas palestras, exposições, grupos de trabalho e a eleição de delegados que representarão o DF na Conferência Nacional, prevista para acontecer entre os dias 8 e 11 de maio, em Brasília. O evento é aberto ao público.

Outras informações pelo telefone (61) 3325-6849.

Informações também podem ser obtidas no site da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, no endereço www.seduma.df.gov.br.

Fonte: Gestão CT

A Gestão do Conhecimento Ambiental na Universidade Latino-Americana e o Desenvolvimento Sustentável: Necessidade ou Utopia?

A Gestão do Conhecimento Ambiental na Universidade Latino-Americana e o Desenvolvimento Sustentável: Necessidade ou Utopia? Esse será o tema da palestra que a Fundação Memorial da América Latina promoverá no dia 11 de março, em São Paulo.

O palestrante será o professor Gilberto Javier Trimiño, vice-presidente da Cátedra de Estudos do Caribe da Universidad de La Habana (Cuba). Trimiño é também responsável pelo Grupo População, Ambiente e Desenvolvimento do Centro de Estudos Demográficos e coordenador nacional da Rede de Meio Ambiente do Ministério de Educação Superior de Cuba.

Serão discutidos temas como a necessidade de aperfeiçoamento da gestão da ciência, da inovação tecnológica e do conhecimento ambiental, destacando seu caráter integrador como condição essencial para o desenvolvimento sustentável. Trimiño apresentará resultados de diferentes pesquisas universitárias sobre o assunto.

A entrada é franca e não é preciso fazer inscrição.

Mais informações: www.memorial.sp.gov.br

Fonte: Agência Fapesp

Fapemat investe R$ 400 mil em eventos científicos e tecnológicos

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Mato Grosso (Fapemat), instituição associada à ABIPTI, lançou, no último dia 27, o edital de apoio à realização de eventos científicos e tecnológicos. A expectativa é investir R$ 400 mil.

O objetivo da chamada é apoiar a realização de congressos, simpósios, workshops, seminários, ciclos de palestras e conferências, de âmbito nacional, regional e local, destinados exclusivamente à CT&I e que venham a ser realizados no Estado de Mato Grosso nos períodos de abril a julho de 2008 (1º semestre), e de agosto a dezembro de 2008 (2º semestre).

Para eventos que acontecerão no primeiro semestre, os projetos devem ser remetidos até o dia 14 de março. Para os eventos do segundo semestre o prazo final é 14 de abril.

Cada evento poderá solicitar um valor máximo de R$ 20 mil. A Fapemat investirá R$ 150 mil para os eventos do primeiro semestre e o restante para os eventos do segundo semestre. A íntegra da chamada está disponível no endereço. Já a ficha de inscrição poderá ser acessada no endereço http://www.fapemat.br/editalv.php?edital=6

Fonte: Gestão CT

Embrapa e Emater do Pará assinam convênio

A Embrapa Amazônia Oriental e a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater-Pará), assinaram um convênio, na última sexta-feira (29), visando o desenvolvimento rural do Estado. Essa é a primeira vez que as duas instituições firmam parceria, oficialmente. De acordo com informações da Emater, pesquisadores da Embrapa e extensionistas da Emater se associavam antes em condição informal, atuando em projetos, mas sem um padrão oficial.

A Embrapa Amazônia Oriental informou que a Emater terá um escritório na sua sede, em Belém, que deverá ser instalado ainda no primeiro semestre. Essa iniciativa de aproximar os pesquisadores e técnicos da extensão rural facilitará o intercâmbio de conhecimento científico entre as duas instituições, o acompanhamento da adoção das tecnologias no campo, além de proporcionar o compartilhamento de laboratórios e informações.

As pesquisas e estudos vão abranger diversas áreas como agricultura, pecuária, silvicultura, de acordo com as necessidades de cada município do Estado. A parceria, além de contribuir com a capacitação de técnicos e produtores, também prevê o desenvolvimento de pesquisas participativas no âmbito da agricultura familiar e ações demonstrativas de transferência de tecnologias. O documento estabelece vigência de cinco anos, podendo ser prorrogado.

Mais informações pelo telefone (91) 3256-1931.

Fonte: Gestão CT

Fapemig lança 2 novos editais voltados ao setor acadêmico

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), instituição associada à ABIPTI, lançou os editais 04 e 05 de 2008, voltados para a aquisição de livros técnico-científicos para pós-graduação e para a publicação de periódicos científicos institucionais, respectivamente.

As propostas para a chamada 04 devem ser enviadas até o dia 28 de abril. O objetivo é financiar a aquisição de livros técnico-científicos, visando a atualização e ampliação do acervo de bibliotecas utilizadas por cursos de pós-graduação stricto sensu, recomendados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e regularmente oferecidos por instituições públicas ou privadas sem fins lucrativos, sediadas no Estado de Minas Gerais.

Para esse edital, a Fapemig destinará um aporte de R$ 2 milhões. Com este apoio, a fundação espera contribuir para o fortalecimento dos cursos de pós-graduação stricto sensu.

As propostas devem ser enviadas, obrigatoriamente, em versão eletrônica, pelo endereço www.fapemig.br/agilfap . O edital está disponível no endereço.

Edital 05/2008
O objetivo dessa chamada é apoiar, financeiramente, a editoração e publicação de periódicos científicos brasileiros, impressos ou por via eletrônica, em todas as áreas do conhecimento, mantidos e editados por instituições de pesquisa e desenvolvimento ou de ensino e pesquisa, públicas ou privadas sem fins lucrativos sediadas em Minas Gerais. O intuito é ampliar a divulgação de resultados das pesquisas científicas e tecnológicas.
Os interessados têm até o dia 5 de maio para encaminhar as propostas. A Fapemig destinará um total de R$ 500 mil para essa chamada. O edital está disponível no endereço.

Fonte: Gestão CT

Aula inaugural e lançamento de centro computacional de alto desempenho marcam os 45 anos do Coppe

Na próxima quinta-feira (6), o Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ), celebrará 45 anos de atividades. Para comemorar a data, a instituição convidou o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Guimarães, para proferir uma aula inaugural. O tema apresentado será “A Pós-Graduação de Engenharia e o Desenvolvimento do País”.

Além de ministrar a aula, Guimarães aproveitará a visita para lançar o primeiro centro de computação que passou pela reestruturação do programa “Sistema Nacional de Processamento de Alto Desempenho (Sinapad)”. Desenvolvido pelo MCT, o programa interligará os núcleos de processamento das entidades participantes para que projetos acadêmicos e pesquisas científicas sejam partilhados em uma ampla rede de informática de grande rendimento. O objetivo é fomentar o uso da computação de alto desempenho e, assim, o desenvolvimento científico.

O centro computacional inaugurado será o Núcleo de Atendimento em Computação de Alto Desempenho (Nacad), da Coppe. Além desse, também participam do Sinapad os centros do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e das universidades federais de Minas Gerais (UFMG), do Rio Grande do Sul (UFRGS), de Pernambuco (UFPE) e do Ceará (UFC). O LNCC e o Inpe são associados à ABIPTI.

Mais informações, pelo telefone da Coppe (21) 2562-7022.

Fonte: Gestão CT