quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Pesquisa resgata 200 receitas tradicionais de doces do século 19

Uma pesquisa realizada no Centro de Memória (CMU) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) resgatou, a partir de antigos manuscritos, mais de 200 receitas tradicionais de doces paulistas do século 19. Diversas foram fielmente reproduzidas pelos historiadores.

As 82 receitas testadas e aprovadas estão no livro Delícias das sinhás – História e receitas culinárias da segunda metade do século XIX e início do século XX, lançado em dezembro, e podem ser reproduzidas pelos leitores e quituteiros de plantão.

A obra inclui fotos dos doces reproduzidos, além de descrições dos utensílios empregados para preparar e servir as iguarias, da mobília e dos ambientes das casas dos barões do café da região de Campinas, no interior paulista.

De acordo com uma das autoras, Eliane Morelli Abrahão, coordenadora do Arquivo Histórico do Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência da Unicamp, a transcrição das receitas, realizada pelo organizador do livro e diretor de Arquivos Históricos do CMU, Fernando Abrahão, exigiu conhecimentos paleográficos.

“A interpretação dos manuscritos não é uma tarefa trivial, porque muitos tinham caligrafia difícil e estavam degradados. Foi preciso também atualizar as medidas utilizadas pelas cozinheiras da época, do tipo arroba, libra e quartilho”, disse.

Depois da transcrição e digitação de cerca de 200 receitas, 82 foram selecionadas para teste. O grupo convidou o jornalista especializado em gastronomia Fernando Kassab para adaptar as receitas para a linguagem atual, prepará-las e fotografá-las. Os pesquisadores participaram então de sessões de degustação ao longo de 40 dias.

“Uma das principais dificuldades da adaptação foi o tempo de forno, uma vez que as cozinheiras utilizavam forno de barro ou a lenha. Várias das receitas precisaram de diversas repetições até que o resultado ficasse ideal”, disse.

Para servir as guloseimas, Kassab procurou refletir a forma de apresentação original de cada uma delas, baseando-se nas pesquisas de Eliane e de Deborah D’Almeida Leanza, outra co-autora da obra – atualmente, a primeira faz mestrado e a segunda faz doutorado no Departamento de História do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, onde estudam os modos de comportamentos e sociabilidades das famílias campineiras do século 19.

Segredos desvendados
Segundo Eliane, a pesquisa histórica foi iniciada no fim de 2002, quando Fernando Abrahão apresentou a outro dos co-autores, o professor Héctor Hernán Bruit, do Departamento de História, os cadernos de receitas de tradicionais famílias campineiras, que foram doados e que estão sob a guarda da Área de Arquivos Históricos do CMU. No início de 2007, a pesquisa histórica foi concluída e teve início a fase das experimentações culinárias.

Os quatro cadernos de receitas que foram a base da pesquisa pertenceram a Custódia Leopoldina de Oliveira, irmã de Bento Quirino dos Santos, um conhecido personagem campineiro do ciclo do café. Os manuscritos, que estavam nos arquivos da tradicional família, datam de 1863. “Nos valemos também de cadernos do início do século 19, mas em número bem menor de receitas”, explicou Eliane.

Os nomes dos doces chamam a atenção: meiguice da sinhá, beijinho de moça corriqueira, brasileirinhas, cocada gostosa, bolo da imperatriz, bolo da rainha, biscoito da casa, biscoito inglês, bolo da mãe benta, pudim de pinhão, pudim de banana da terra e fatias douradas (hoje conhecidas como rabanadas). “Havia também diversos tipos de bombocado e os beijinhos – que, ao contrário dos atuais, levavam gema de ovo em vez de leite condensado”, disse Eliane.

Nos 40 dias de degustação foram utilizados cerca de 100 dúzias de ovos, 70 quilos de açúcar, 20 quilos de farinhas variadas, 25 quilos de frutas secas e frescas e uma considerável quantidade de manteiga. Durante a produção dos doces, muitas dúvidas surgiram, de acordo com a pesquisadora. “Nem sempre as cozinheiras colocam todos os seus segredos nas receitas”, disse.

“Na receita do beijo de clara, por exemplo, pensamos que havia uma transcrição errada, porque havia necessidade de bater as claras de ovos por três a quatro horas. Descobrimos que o doce virava um suspiro comum se fosse levado à batedeira elétrica, com resultado bem diferente do que se esperava. Era mesmo preciso que as escravas batessem à mão todo aquele tempo”, explicou.

Segundo a pesquisadora, o resgate histórico das receitas permitiu detectar as transformações de uma culinária de origem portuguesa para a junção de influências das culturas africana e indígena na cozinha da região.

“Os doces portugueses levavam muita gema de ovo e açúcar, mas havia uma sobra de clara. Vários doces aproveitavam essa sobra: o pudim de clara, o suspiro do coração e as diversas variações de merengues, por exemplo”, afirmou.

Elegância fundamental
Segundo Eliane, os doces tinham grande importância social para as senhoras de elite, que faziam questão de criar, supervisionar o preparo e dar o toque final ao trabalho das escravas.

“A tradição de doçaria vem desde a época colonial. Servir os doces nos banquetes e festas era o momento em que a sinhá mostrava o diferencial de sua casa. As escravas eram escolhidas a dedo para fazer os doces, porque o requinte era fundamental. Para aquelas mulheres, receber bem um convidado do marido era um ingrediente fundamental na manutenção de alianças políticas e econômicas”, destacou.

Além do sabor, as cozinheiras davam grande importância para a apresentação dos doces. “As salvas de prata – como eles chamavam as bandejas – eram adornadas, por exemplo, com fitilhos de coco, que criavam um efeito colorido impressionante. A elegância era fundamental”, afirmou.

A base dos doces, como na culinária portuguesa, eram o açúcar e o ovo. Mas as receitas incorporavam elementos disponíveis na região, como essência de flor de laranjeira, marmelo, pêra, doce de leite, caju, amendoim, arroz doce, além de especiarias importadas, nozes e amêndoas.

“Tinham acesso também a elementos muito utilizados pelos indígenas, como o milho e o fubá. E outros como o pinhão, que certamente vieram da influência dos tropeiros do Paraná”, disse Eliane.

Delícias das sinhás – História e receitas culinárias da segunda metade do século 19 e início do século 20
Autor: Fernando Abrahão (Org.)
Editora: Arte Escrita
Preço sugerido: R$ 70
Mais informações: www.editorartescrita.com.br

Fonte: Fábio de Castro / Agência Fapesp

Programa Nacional de Formação de Projetista de Circuitos Integrados

Buscando a inserção do Brasil no cenário mundial de alta tecnologia, o Ministério de Ciência e Tecnologia está investindo par desenvolver o setor de Microeletrônica no país.

O Programa Nacional de Formação de Projetistas de Circuitos Integrados visa treinar mais de 1000 projetistas em 4 anos, iniciando-se me Março de 2008.

O Programa de Formação de Projetista treinará e formará profissionais para atuarem nas seguintes áreas:

Projetos de Sistemas Digitais
Projeto de Sistemas Analógicos e Mistos (Analog & Mixed Signal Systems)
Projeto de Sistemas de Rádio Frequência - RF
Estrutura do Programa de Formação

Fase Duração Bolsa de CI Brasil

I 4 meses R$ 2000,00 (100 vagas)

II 8 meses R$ 2000,00 (36 vagas)

Estágio (*): Até 12 meses, Em função da qualificação e enquadramento funcional na Empresa

Em 2008, as FASES I e II serão ministradas por instrutores da CADENCE INC.
(*) O estágio complementará a formação dos profissionais e será ofertado aos profissionais que concluírem a Fase I ou a Fase II.



As inscrições e informações adicionais podem ser obtidas online através no endereço: www.nscad.org.br ou pelo e-mail

Período de Inscrições: de 01 de Dezembro de 2007 até 15 de Janeiro de 2008

Fonte: GESIT

V Pasantía de Neurología y Neurocirurgía y III Curso Teórico de Neurología y Neurocirurgia

La Sociedad Científica de San Fernando de la Facultad de Medicina de la Universidad Nacional Mayor de San Marcos tiene el agrado de invitar a toda la comunidad médica peruana y latinoamericana a la:

V PASANTÍA de NEUROLOGÍA y NEUROCIRUGÍA y III CURSO TEÓRICO de NEUROLOGÍA y NEUROCIRUGIA, que se llevará a cabo del 4 al 29 de febrero del 2008 - Lima, Perú

Cierre de Postulaciones Ampliada: lunes 14 de enero del 2008
Publicación de Pasantes seleccionados: 16 de enero del 2008

Valor Curricular
Curso Teórico : 3 créditos
Lunes, Miércoles y Viernes de 2:00pm a 6:00pm

Pasantía: 5,5 créditos
Servicio de Neurocirugía del Hospital Nacional Daniel Alcides Carrión
Servicio de Neurocirugía del Hospital Edgardo Rebagliati Martins (EsSalud)
Instituto Especializado de Ciencias Neurológicas "Oscar Trelles Montes"
De lunes a viernes de 8:00am a 12:30pm

Inversión
Curso Teórico-Práctico (Pasantía)
Curso + Hospedaje: US$ 160
Solo curso: US$ 70

Curso Teórico
Estudiantes SCSF/UNMSM: S/.40
Estudiantes otras universidades: S/.50
Médicos y otros profesionales: S/.60

REQUISITOS PARA ACREDITAR COMO PASANTES
1. Solicitud simple pidiendo una vacante para la Pasantía, especificando el motivo por el cual quiere
desarrollarla.
2. Carta de aval del Director o Presidente de su SOCEM
3. Ser miembro activo de una SOCEM federada o asociada a FELSOCEM o SOCIMEP
4. Constancia de ser estudiante de Medicina (carné universitario y/o ficha de matrícula)
5. Haber aprobado el curso de Medicina Interna o su equivalente (Referencia principal: haber culminado el curso de Neurología)
6. Curriculum vitae

Enviar solicitudes a: e-mail(1) , e-mail(2)

Para más información, visítanos en: www.cursoneuro2008.es.tl

Fuente: Comisión Pasantía Neurociencias 2008

Morcegos são atores principais no reflorestamento de áreas degradadas

Espécies de três gêneros de morcegos frugívoros são os atores principais de uma técnica inovadora para o reflorestamento de áreas degradadas, desenvolvida por biólogos da Universidade Estadual Paulista (Unesp) e da Embrapa Florestas, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária em Colombo (PR).

Os morcegos, que voam por grandes distâncias e se alimentam de frutas, carregam no intestino sementes de espécies pioneiras, consideradas as mais importantes na redefinição da estrutura vegetal de uma floresta e que, por isso, devem ser plantadas antes de qualquer outra espécie. Ao defecar durante o vôo eles fazem o plantio natural das sementes.

A técnica funciona com base na atração dos morcegos por meio de óleos essenciais isolados a partir de frutos usualmente consumidos por eles, em especial dos gêneros Ficus, Solanum e Piper, acelerando a dispersão de sementes em regiões que precisam ser convertidas em florestas novamente para atender à legislação ambiental, como áreas de agricultura e pastagem abandonadas.

“Como os morcegos são atraídos pelo aroma dos óleos essenciais, nós os induzimos a depositar em locais que desejamos recuperar sementes contidas em suas fezes, colhidas em regiões não degradadas. Dessa forma, podemos aumentar a chuva de sementes vegetais de interesse em qualquer região devastada”, disse um dos autores do trabalho, Gledson Bianconi, pesquisador do Instituto de Biociências da Unesp, em Rio Claro (SP).

O estudo, desenvolvido em parceria com a pesquisadora Sandra Bos Mikich, da Emprapa Florestas, trabalhou com morcegos frugívoros de três gêneros: Artibeus, Carollia e Sturnira, comuns em matas brasileiras e em outros países das Américas do Sul e Central.

“Escolhemos os morcegos porque, além de voar por longas distâncias, esses mamíferos têm um consumo preferencial de frutos de plantas utilizadas na recuperação de áreas florestais. Outra vantagem é que eles defecam muito rápido, minutos após o consumo de alimento”, conta o pesquisador da Unesp.

O trabalho ficou em primeiro lugar na 11ª edição do Prêmio Ford Motor Company na categoria Iniciativa do Ano em Conservação, concedido pela Ford Brasil e pela Conservação Internacional do Brasil.


Vôos intensos

Testes para a validação da técnica foram realizados em uma área degradada da Mata Atlântica no entorno do Parque Estadual Vila Rica do Espírito Santo, no município de Fênix, no Paraná. Os óleos essenciais dos frutos foram impregnados em septos de borracha, estruturas de aproximadamente 1 centímetro que retêm por mais tempo os odores no ambiente.

“Dividimos parte da região em parcelas de 1 hectare e colocamos os septos para fazer a contagem dos animais atraídos pelo cheiro, utilizando filmadoras com infravermelho”, explicou Bianconi. Em cerca de uma hora de observação noturna os pesquisadores identificaram mais de 50 vôos de morcegos sobre cada uma das parcelas nas quais foram instalados os atrativos odoríferos.

O mesmo tempo de observação foi destinado para outras parcelas de terra, também com 1 hectare cada e utilizadas como controle, porém sem os odores. “Nessas áreas, contamos menos de 20 vôos por hectare, menos da metade daquelas que continham os aromas”, disse Bianconi.

Com o auxílio de botânicos da Universidade Federal do Paraná, a pesquisa está em fase de avaliação quali-quantitativa do crescimento das plantas que germinam na área de pesquisa em Fênix.

“Estamos também realizando outros testes em cativeiro, no laboratório e no campo para descobrir e isolar os compostos químicos dos óleos essenciais que são responsáveis pela atração dos morcegos, com o objetivo de sintetizar esses compostos para produzi-los em larga escala. Dependendo da espécie do fruto, cada óleo pode ter dezenas de compostos”, contou Bianconi.

Fonte: Thiago Romero / Agência Fapesp

IPT abre inscrições para estágio

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) está selecionando estudantes de cursos de graduação e de nível técnico, em diversas áreas do conhecimento, para seu Programa de Estágio 2008.

Segundo o IPT, o objetivo é criar oportunidade para que os universitários tenham contato com situações reais de trabalho, preparando-os para serem absorvidos pelo mercado, parceiros e clientes do instituto. O estágio será realizado na sede do IPT, no campus da Universidade de São Paulo na capital paulista.

Os candidatos devem estar matriculados, em 2008, do primeiro ao último ano de seus cursos, além de terem disponibilidade para trabalhar entre quatro a seis horas por dia, de segunda a sexta-feira.

O preenchimento do formulário para se candidatar às vagas de estágio pode ser feito a qualquer momento, por meio do banco de currículos. Esses serão selecionados e os candidatos serão chamados para participar de processo seletivo, que consiste em entrevistas, provas de proficiência (português, inglês, informática ou área específica), provas situacionais e dinâmicas de grupo.

Os selecionados receberão bolsa-auxílio compatível com o mercado, alimentação no restaurante no local de trabalho e transporte. O limite de vigência do estágio é de até dois anos, condicionado à renovação anual.

Segundo Marisa Alves de Lima, da Coordenadoria de Recursos Humanos do IPT, o processo seletivo dos alunos está com novo formato. “Este ano o concurso foi ampliado para candidatos a estágio com formação técnica em diversas áreas do ensino médio até superior. As vagas estão abertas para técnicos de laboratório, engenheiros e psicólogos, entre outros”, disse.

As inscrições devem ser feitas pela internet, no endereço: www.ipt.br/institucional/rh/talentos

Fonte: Agência Fapesp

CBA - Centro de Biotecnologia da Amazônia será coordenado por comitê interministerial

O projeto do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA), que teve sua criação publicada na segunda-feira (7/1) no Diário Oficial da União, será coordenado por um comitê formado por representantes de seis ministérios.

Coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), o comitê conta também com os ministérios da Ciência e Tecnologia (MCT), do Meio Ambiente (MMA), do Desenvolvimento Agrário (MDA), da Saúde (MS) e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo o MDIC, além de propor um modelo de gestão para o CBA, o comitê decidirá sobre as diretrizes e prioridades do plano estratégico do centro, bem como irá monitorar a execução das tarefas de seu plano de trabalho.

Nos próximos dez dias, cada ministro indicará um representante e, dentro de 15 dias, o comitê deverá ser instalado para trabalhar em consonância com a Política de Desenvolvimento da Biotecnologia, lançada em fevereiro de 2007.

O CBA é um centro tecnológico voltado para a promoção da inovação tecnológica a partir de processos e produtos da biodiversidade amazônica. Está inserido na Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior e tem ação integrada com universidades e centros de pesquisa do setor público e privado por meio Rede de Laboratórios Associados.

Entre seus objetivos, destacam-se a agregação de valor a produtos e a processos tecnológicos, o aumento da densidade tecnológica no setor industrial e a promoção de ambiente favorável à inovação tecnológica.

Fonte: Agência Fapesp

SBCM promove palestra "Atividade Física e Alimentação Saudável"

A Sociedade Brasileira de Clínica Médica (SBCM) promoverá, no dia 29 de março, em São Paulo, uma palestra gratuita e aberta ao público com o tema “Atividade Física e Alimentação Saudável”.

O evento, que ocorrerá paralelamente ao 7º Congresso Paulista de Clínica Médica, será conduzido pelo presidente da Regional São Paulo da SBCM, Abrão José Cury Jr. As inscrições estão abertas e as vagas são limitadas.

Mais informações: www.clinicamedicaonline.com.br

Fonte: Agência Fapesp

5º Encontro de Pesquisadores Latino-Americanos de Cooperativismo

O 5º Encontro de Pesquisadores Latino-Americanos de Cooperativismo será realizado de 6 a 8 de agosto, na Universidade de São Paulo (USP), campus de Ribeirão Preto, reunindo especialistas sobre o assunto de diversos países.

A promoção é da Rede Latino-Americana de Pesquisadores em Cooperativismo, do Comitê de Pesquisa da Aliança Cooperativa Internacional e da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da USP.

Estudos, artigos e pôsteres sobre o tema serão apresentados no encontro, que terá o tema central “Movimento cooperativo, transnacionalização e identidade cooperativa na América Latina”.

Mais informações: www.fundace.org.br

Fonte: Agência Fapesp

Inscrições até dia 29/02 para bolsas na Alemanha (CNPq / DAAD)

Encerram-se no dia 29 de fevereiro as inscrições para bolsa de estudos na Alemanha. Poderão participar brasileiros que estejam cursando mestrado em curso credenciado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação (Capes/MEC) e que tenham qualificação acadêmica acima da média, plano de trabalho específico sobre o estudo que pretende realizar e a confirmação de orientação científica na Alemanha.

As bolsas são financiadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT), pelo Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico (DAAD) e Capes/MEC.

São oferecidas bolsas de doutorado-sanduíche e pleno. A duração para a segunda modalidade é inicialmente de um ano, podendo ser renovada por até 48 meses. As bolsas de tipo sanduíche podem ser prorrogadas em até dois anos.

É oferecido, ainda, curso intensivo de língua alemã de até seis meses antes do início do programa acadêmico. Além da bolsa de estudos, os selecionados receberão seguro saúde e passagem aérea de ida e volta.

As inscrições são feitas diretamente no DAAD.

Mais informações pelo telefone (21) 2553 3296 , pelo fax (21) 2553 9261 ou no endereço: http://rio.daad.de

Fonte: Capes/MEC