segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

EMBRAPA e ABCZ assinam termo para criação de Centro de Tecnologias Aplicadas em Gado Zebuínio

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), instituição vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa, assinou no último dia 27, em Brasília, com a Associação Brasileira dos Criadores de Zebú – ABCZ, um termo para a criação do centro de validação de tecnologias aplicadas ao melhoramento genético de raças zebuínas.

Trata-se de um projeto que deverá envolver diversas iniciativas, tais como a avaliação genética e a criação de um banco genético de raças zebuínas, bem como uma vitrine das raças comerciais de gado zebú. A iniciativa também conta com a participação da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig.

A solenidade de assinatura do termo contou com a presença do diretor-presidente da Embrapa, Silvio Crestana (à esquerda na foto), e demais diretores da Empresa, do presidente da ABCZ, José Olavo Borges (à direita na foto) e dos deputados Marcos Montes (DEM-MG), presidente da Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural, e Paulo Piau (PMDB-MG), presidente da Frente Parlamentar Mista de Apoio à Pesquisa Agropecuária, Científica, Tecnológica e Transferência de Tecnologia.

Na abertura do evento, o diretor-presidente da Embrapa, Silvio Crestana, agradeceu o empenho dos deputados presentes por suas ações no Congresso em defesa da Embrapa e da pesquisa agropecuária. “Vivemos um momento importante para a Embrapa com esse trabalho conjunto com legislativo e executivo. O melhor prêmio que podemos receber é a oportunidade de estar trabalhando para a construção do país por intermédio de várias mãos”, afirmou Crestana. Quanto à ABCZ, o diretor-presidente evidenciou ainda a relação de mais de 30 anos da Empresa com aquela associação, além de ressaltar a oportunidade aberta pela assinatura do termo, de propiciar à Embrapa a oportunidade de mostrar seu trabalho em genética e nutrição. “A assinatura deste termo significa a defesa do progresso via ciência e tecnologia, em parceria com a competência empresarial da ABCZ”, afirmou.

O projeto de criação do centro de validação de tecnologias aplicadas ao melhoramento genético de raças zebuínas é parte integrante do contrato de comodato, em que a Embrapa cede à ABCZ uma área de sua propriedade para a implantação do Parque Tecnológico de Uberaba, do qual a Empresa também é parceira.

Fonte: Wilson Fonseca Jr. / Embrapa

Reitor da UFES, Rubens Rasseli, é reconduzido ao cargo de por mais 4 anos

O reitor da Ufes, Rubens Rasseli, foi reconduzido ao cargo por mais quatro anos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A decisão foi oficializada em decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU), na edição de 28 de dezembro de 2007. Rasseli deverá ser nomeado ainda no mês de janeiro pelo ministro da Educação, Fernando Haddad. O reitor foi escolhido pela comunidade universitária, em 25 de outubro, quando foi feita uma consulta para a definição do novo reitor. Rasseli foi reeleito, juntamente com o vice-reitor, Reinaldo Centoducatte.

Após ser informado pelo MEC sobre a sua recondução ao cargo pelo presidente da República, Rasseli fez um breve balanço da sua atual gestão. Segundo ele, a Ufes fecha o ano de 2007 com um balanço muito positivo, com uma gestão que agregou professores, servidores e estudantes, a partir de um projeto de desenvolvimento para a universidade. De acordo com o reitor, foi essa contribuição coletiva e a determinação da administração universitária de crescer, que resultaram em indicadores tão satisfatórios para a Ufes.

O reitor salientou que pretende, já em 2008, iniciar o seu plano de metas que prevê a expansão da universidade, com a abertura de 18 novos cursos de graduação, com 910 vagas novas. Segundo ele, também serão abertas mais 480 vagas em 21 cursos já existentes. Rasseli adiantou que já recebeu recursos do MEC, da ordem de R$ 4 milhões, para investimentos em obras de infra-estrutura, visando a expansão da Ufes.

Quanto aos indicadores de crescimento da Ufes, o reitor fez uma avaliação positiva. Segundo ele, na graduação havia 47 cursos em 2002, que foram elevados para 66. Somente no interior do Estado, de acordo com Rubens Rasseli, foram abertos 14 cursos novos nos últimos dois anos. Com isto, foi ampliado o número de vagas de 2.745 para 3.285. A Ufes também ultrapassou o número de 2 mil formandos por ano, o que para o reitor é uma média bastante significativa.

Rasseli comemorou também o desempenho da Ufes na pós-graduação. O número de doutorados dobrou e hoje são seis; e no mestrado, de 16 para 36 cursos. Em relação aos projetos de pesquisa em andamento na universidade ele declarou que há quatro anos o número era de 180, e que hoje são cerca de 500. Isto acontece, na avaliação do reitor, porque a Ufes está investindo em laboratórios, equipamentos e na capacitação de professores e técnicos.

Em relação à extensão universitária, o reitor ponderou que a Ufes está mais próxima da comunidade capixaba. Segundo observou, a universidade possui 190 projetos de extensão em todos os municípios capixabas. Rasseli pontuou que a Ufes ampliou o número de estágios e bolsas para estudantes, o acervo bibliográfico, e que a Ufes vem realizando um projeto arrojado de interiorização do ensino superior. Rasseli acentuou que foram criados nove cursos em São Mateus, no Norte do Estado, e outros cinco em Alegre, no Sul.

No ensino à distância, ele salientou que a Ufes formou em Pedagogia cerca de 6 mil professores do ensino básico da rede pública, e que pretende abrir cinco novos cursos este ano, na área de licenciatura. Em relação ao Programa de Expansão e Reestruturação das Universidade Federais (Reuni), o reitor informou que os primeiros recursos já estão sendo repassados pelo MEC, para investimento em 2008.

Sobre as ações que deixaram de ser realizadas, Rubens Rasseli afiançou que cumpriu todas as metas do planejamento estratégico. Porém, destacou duas realizações importantes não foram executadas por razões orçamentárias, mas que está na agenda de 2008. Uma é o Museu da Ufes, já que a universidade possui o maior acervo de artes plásticas do Estado, com mais de 2 mil obras, e a proposta é disponibilizar esse importante acervo para que a comunidade em geral tenha acesso e possa conhecê-lo e estudá-lo.

A outra proposta é o Observatório de Inovação e Empreendedorismo, que irá estimular e investir em projetos dos alunos na criação de programas de negócios nas mais diferentes áreas. Ele destacou, inclusive, que este ano uma equipe de alunos da Ufes ganhou o Prêmio Desafio Sebrae de Empreendedorismo, que reuniu mais de 80 mil estudantes de todo o país.



METAS DA UFES PARA 2008

Promover a capacitação do quadro docente e técnico-administrativo. Adequar o quadro técnico-administrativo às funções que são exercidas por cada servidor, e promover a ampliação e capacitação do quadro.

Na área da cultura, promover a integração do Cine Metrópolis, Teatro Universitário, Rádio Universitária e TV Ufes no circuito estadual e nacional de produção cultural, de modo a torná-los instrumentos cada vez mais importantes na promoção e divulgação do conhecimento, ciência, cultura, arte e lazer.

Na segurança, implantar um projeto de melhoria da iluminação e da segurança física e patrimonial no interior dos campi, aumentando os investimentos para cerca de R$ 5 milhões/ano. O plano é implantar cancelas eletrônicas e um sistema moderno de monitoramento eletrônico, como já fazem diversas empresas, a Polícia Militar e prefeituras.

Diagnosticar os fatores que causam a evasão escolar e criar mecanismos que a reduzam. Atualmente o índice de evasão é da ordem de 26%, que ocorre por inúmeras razões. A meta é criar um grupo técnico que vai trabalhar na identificação das razões da evasão, para adotar as políticas necessárias para reduzi-la.

Otimizar os espaços físicos a partir da implantação de um novo Plano Diretor Físico da Ufes, visando o uso mais equilibrado dos espaços disponíveis e implementação de ações de humanização. Criar melhor acessibilidade nos espaços físicos para portadores de deficiência e organizar um organograma de ocupação dos espaços, para evitar que eles fiquem ociosos.

Investir fortemente na modernização da informatização da Ufes, melhorando o fluxo de informações técnico-administrativas na universidade, assim como gerenciar de forma otimizada o uso de equipamentos. Esses investimentos começarão em 2008 no Ceunes, em São Mateus.

Apoiar os estudantes em condições sócio-econômicas de risco, por meio de um Plano de Assistência Estudantil. Esse plano também será criado em 2008, com uma estrutura própria, para receber os alunos com algum tipo de dificuldade de permanecer na universidade, e encontrar as melhores alternativas para resolver os problemas de forma individualizada.

Atuar na melhoria da infra-estrutura dos programas de pós-graduação e dos laboratórios de ensino, pesquisa e extensão. Em 2008 já começam os investimentos nessa área, em vários centros.

Fonte: Luiz Vital / Secom UFES