sexta-feira, 5 de outubro de 2007

44ª Seminário de Laminação – Processos e Produtos Laminados e Revestidos

Com uma programação totalmente alinhada às expectativas do mercado, será realizada entre os dias 16 e 19 de outubro, a 44ª edição do Seminário de Laminação – Processos e Produtos Laminados e Revestidos. Os trabalhos serão desenvolvidos no Campos do Jordão Convention Center, em Campos do Jordão (SP), com a discussão de temas de relevância nacional como novas tecnologias, aperfeiçoamento dos processos de produção e cuidados com o meio ambiente.

“Neste encontro anual são divulgados os fundamentos e as melhores práticas criadas e estabelecidas na área de conformação mecânica e de laminação nas empresas e nas instituições brasileiras”, diz o coordenador do evento e gerente Técnico-Comercial da Aços Villares, Marcelo Arantes Rebellato, acrescentando que o objetivo do evento é elevar a competitividade da siderurgia sul-americana, através da difusão do conhecimento e sua aplicação no meio industrial.

”Esperamos que, ao final do Seminário, todos possam aplicar as técnicas ou práticas apreendidas através da troca de experiências, alcançando, assim, o aumento de produtividade e competitividade de suas empresas”, observa o coordenador.

A programação técnica do 44º Seminário de Laminação – Processos e Produtos Laminados e Revestidos prevê a apresentação de 96 trabalhos nas áreas de Laminação a frio, Laminação a quente – planos / longos, Equipamentos e Cilindros.

Na véspera da abertura do evento, no dia 15, será realizado o curso ‘Cilindros para Laminação de Produtos Longos’. No dia 19, a Aços Villares, empresa anfitriã do evento, recebe os participantes para uma visita técnica em sua usina localizada no município de Pindamonhangaba (SP).

As inscrições antecipadas podem ser feitas até o dia 9 de outubro exclusivamente via site, no endereço.

Fonte: ABM

Projeto Soldagem da UFSC ganha prêmio da ABS

Dentre as linhas de pesquisa do Laboratório de Soldagem (LABSOLDA) da Universidade Federal de Santa Catarina encontra-se o desenvolvimento de processos especiais de soldagem. Integrante desta linha, o projeto que estuda a Soldagem Híbrida Plasma-MIG, ganhou o prêmio da Associação Brasileira de Soldagem (ABS) na categoria “processos não convencionais”.

Trata-se de uma metodologia híbrida, no qual o processo plasma e o MIG atuam simultaneamente numa mesma tocha de soldagem, com o objetivo de combinar as características de cada processo.

Como resultado, obtém-se um controle independente entre o aporte de calor e de material, o que amplia a capacidade de melhoria, tanto da qualidade dos produtos, quanto de produtividade.

Segundo Tiago Vieira da Cunha, pós-graduando, responsável pelo projeto, este processo pode ser utilizado na indústria para a soldagem de diversos materiais. “O processo de soldagem híbrida Plasma-MIG apresenta grande potencial para soldar alumínio, ferro fundido e até mesmo chapas zincadas”, afirma.

Os estudos começaram em 2004 e estão em andamento. Atualmente, o LABSOLDA é único laboratório do país a estudar este processo. Outro objetivo é formar parcerias com empresas para que o processo seja implantado em indústrias nacionais.

Mais informações sobre o projeto clicando aqui.

Fonte: Cimm

Destilador solar produz água potável a partir de água do mar

Um destilador solar natural que pode produzir água para beber sem uso de eletricidade, sem produtos químicos e sem uso de elementos filtrantes suscita a curiosidade dos visitantes da feira.


O equipamento está instalado no estande da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) do Ministério da Saúde, que é um dos parceiros na programação da Semana Nacional de C&T 2007, no Museu Nacional, em Brasília.

A partir da água salgada, salobra e doce contaminada, o destilador pode produzir até 8 litros de água potável por dia, utilizando para isso somente a destilação solar natural.

“É uma tecnologia simples, barata e de fácil operação, capaz de tratar água para famílias pobres que não têm acesso a água potável”, explica Rodrigo Handan, assistente adiministrativo do Departamento de Engenharia de Saúde Pública, da Funasa.

Rodrigo diz que o destilador já foi testado em Florianópolis (SC) e em Natal (RN) e que nessas cidades, por exemplo, a salinidade da água salgada era de 33,4% antes de ser tratada, e de 0% depois de tratada pelo destilador.

A eficiência do equipamento foi medida pela produção e qualidade da água e temperatura. Ele tem a forma de pirâmide e seus lados são de vidro, para permitir a entrada dos raios solares durante todo o tempo, independente da posição do Sol e do próprio equipamento, tornando o interior da pirâmide uma estufa, informa o material de divulgação da Funasa.

Com recursos do MS, o projeto de pesquisa foi realizado pelo Laboratório de Potabilização de Águas (LAPOÁ) da Universidade Federal de Santa Catarina(UFSC).

Fonte: Lúcia Pinheiro / Agência CT

Projeto Homem Virtual é apresentado a alunos do primeiro grau

Chao Lung Wen, professor de Telemedicina da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) realizou, nesta quinta-feira (4), uma palestra para alunos do ensino fundamental de uma escola do Distrito Federal (DF), na qual apresentou o projeto Homem Virtual.

O projeto faz parte do programa de Telemedicina dos Institutos do Milênio, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT), e integra a programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2007.

A apresentação do professor Chao aconteceu na Escola Classe Engenho Velho, colégio público situado na cidade satélite de Sobradinho/Fercal, a 30 minutos de Brasília. Chao conversou sobre a telemedicina, seus recursos tecnológicos e aplicações no cotidiano, com cerca de 60 crianças que cursam a terceira série na Escola.

A Semana Nacional de C&T, que acontece entre os dias 1o e 7 de outubro, promove este ciclo de palestras com o objetivo de atingir as escolas que não têm condições de participar do evento. O Projeto Homem Virtual foi convidado pelo CNPq para participar da Semana.

São 18 palestras que abordam a temática do desenvolvimento social e ambiental em diversos locais carentes do entorno de Brasília.

As escolas são todas públicas e foram indicadas por não terem recursos para levar os alunos à Semana. Por isso, o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), que promove o evento, disponibilizou a infra-estrutura necessária para a realização das palestras.

A realidade digital nas escolas
“Vocês gostam de astronautas?” Foi assim que o professor Wen introduziu uma temática tão distante da realidade de crianças pobres que têm pouco acesso à tecnologia. Ele mostrou às crianças títulos do Homem Virtual, como a estrutura do ouvido, fonação, bebê virtual e hepatite C.

Introduziu também o conceito dos Museus Digitais, que utilizam o Homem Virtual como recurso para levar a cultura e o conhecimento sobre saúde por meio do projeto.

Michel Dias, de 11 anos, é aluno da terceira série e gostou muito de ver o corpo humano por dentro. “Isso ajuda a gente a aprender, não é sempre que temos esse tipo de coisa na escola”.

A Semana segue até domingo (7).
Participe e visite a exposição no Museu Nacional, Complexo da República, na Esplanada dos Ministérios.

Fonte: Julia Zanolli - USP / Agência CT