quinta-feira, 4 de outubro de 2007

Genética dos transtornos afetivos

Reunir um conjunto de evidências que indicam a presença de fatores genéticos em relação à vulnerabilidade para os transtornos afetivos. Esse foi a proposta do estudo de Ivanor Lima e Everton Sougey, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em Recife, e Homero Pinto Vallada Filho, da Universidade de São Paulo (USP).

Os pesquisadores partiram do princípio de que as doenças afetivas são “síndromes caracterizadas por alterações patológicas do humor que podem variar desde uma extrema euforia até uma grave depressão ou disforia”. Com base nesta definição, o estudo, publicado pela Revista de Psiquiatria Clínica, apresenta informações obtidas por meio de estratégias de genética molecular na busca de genes de susceptibilidade para o transtorno afetivo bipolar e para a depressão.

“Todos os seres humanos têm propensão a algum problema de saúde. Além dos componentes biológicos, a depressão está associada a variantes genéticas que levam as pessoas a terem uma tendência maior de desenvolver a doença”, disse Vallada, professor do departamento de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP. “Tais síndromes são bastante comuns e determinam importante prejuízo à sociedade, inclusive por se associarem com elevadas taxas de suicídio.”

A pesquisa baseou-se em artigos da literatura científica internacional, além de estudos comparativos de famílias normais, com gêmeos monozigóticos e dizigóticos e com crianças adotivas. “Até o presente, podemos identificar poucos relatos de investigações com adotados em distúrbios do humor, que são em sua maioria consistentes com a presença de um componente genético na determinação das enfermidades afetivas”, diz o estudo.

Segundo o artigo, a busca das bases etiológicas e fisiopatológicas dessas perturbações afetivas contempla evidências clínicas que apontam para o componente familiar como um dos principais fatores de risco para o aparecimento desses quadros.

“Existe um conjunto de evidências científicas que indica a existência de fatores genéticos na suscetibilidade para as doenças afetivas”, afirma Vallada. Segundo ele, de acordo com a velocidade com que surgem novas tecnologias e abordagens na área de genética molecular, provavelmente nos próximos anos muitos dos genes relacionados à vulnerabilidade para a depressão e para o transtorno afetivo bipolar deverão ser descobertos.

“O grande desafio agora é identificar todos os genes relacionados com a depressão para realizarmos tratamentos mais específicos. Se descobrirmos quais são as causas ou genes que estão alterados, será muito mais fácil suprir as deficiências relacionadas a essas doenças afetivas”, acredita Vallada.

O artigo Genética dos transtornos afetivos está disponível na biblioteca virtual SciELO (Bireme/FAPESP). Para ler, clique aqui.

Fonte : Thiago Romero Agência FAPESP - 04/10/2004

Environmental diagnosis of risk areas related to gas stations

O mapeamento está pronto. A cidade de São Carlos (SP) conta agora com um importante diagnóstico ambiental. Pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) detalharam os riscos de contaminação do solo e das águas superficiais e subterrâneas que podem ser produzidos por eventuais vazamentos dos tanques de armazenamento subterrâneo de combustível que existem na cidade.

A área urbana de São Carlos apresenta um total de 64 postos de combustível. O volume potencial de armazenamento é de 4.595.000 litros. Essa quantidade pode ser distribuída em até 291 tanques subterrâneos, dos quais 40% funcionam há mais de 15 anos.

Todos os tanques mais antigos, mostra o estudo Environmental diagnosis of risk areas related to gas stations, publicado na edição atual da Brazilian Archives of Biology and Technology, estão em terrenos geológicos de risco potencial para a contaminação da água, em zonas da cidade com alta ou média densidade populacional. “Uma das contribuições desse trabalho é quanto à metodologia”, explica o professor José Eduardo dos Santos, um dos três autores do trabalho.

“O que fizemos, dentro da ecologia de paisagens, foi, de uma forma espacial, relacionar o fator de risco com a hidrologia, a densidade populacional, as áreas públicas como creches e hospitais e ainda os tipos de solo”, diz Santos. O trabalho teve ainda a participação de Luiz Eduardo Moschini e José Salatiel Rodrigues Pires. Os três são do Laboratório de Análise e Planejamento Ambiental (Lapa) do Departamento de Hidrobiologia da UFSCar.

Além da contribuição metodológica, o trabalho desenvolvido em São Carlos traz o problema dos vazamentos para que seja discutido de forma mais ampla pela sociedade. “Esse é um tipo de risco que é previsto, inclusive, pela legislação. Ele é uma fonte potencial de contaminação ambiental e a população, muitas vezes, não conhece direito o tema.”

Em cidades como São Paulo e São Carlos, existem leis municipais que determinam a distância mínima entre um posto e uma creche ou o hospital, por exemplo. Em São Carlos, a primeira regulamentação surgiu no ano 2000. O texto dizia que deveria haver uma separação de 300 metros. Em 2003, explica Santos, foi feito um aditivo. Ao cair para 150 metros a distância mínima, várias situações que estavam irregulares acabaram ficando dentro da lei.

“A lei acabou não resolvendo o problema”, afirma o professor da UFSCar. Para Santos, o que esse diagnóstico recém-publicado mostra é que o problema precisa ser identificado e reconhecido como um risco potencial. “Esse estudo também mostrou que existe, em determinados casos, uma certa inadequação dos estabelecimentos na paisagem da cidade”, diz.

Para ler na íntegra o artigo publicado na Brazilian Archives of Biology and Technology, na biblioteca on-line SciELO (Bireme/FAPESP), clique aqui.

Fonte: Eduardo Geraque / Agência FAPESP - 04/10/2005

Epamig apresenta pesquisas sobre bioenergia e borracha na Inovatec

A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG) vai apresentar aos participantes da 3ª Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação - Inovatec as pesquisas que realiza nas áreas de bioenergia e produção de oleaginosas e de borracha.

Quem visitar o estande da Empresa, no Expominas, entre os dias 08 e 11 de outubro, poderá obter informações sobre as culturas de seringueira, cana-de-açúcar, mamona, girassol e pinhão-manso, dentre outras e sobre as vantagens da utilização de combustíveis renováveis.

A EPAMIG concentra no Norte de Minas as pesquisas com oleaginosas voltadas para a produção de biodiesel, um combustível de queima limpa, capaz de reduzir em até 78% as emissões poluentes. Na região são desenvolvidos estudos com mamona, pinhão-manso, girassol e outras culturas que podem gerar os chamados “combustíveis limpos” e renováveis. A Empresa executa também, no Norte e Centro Oeste de Minas, experimentos com cana-de-açúcar, para a produção de etanol.

Pioneira nas pesquisas sobre seringueira, a EPAMIG tem apoiado esta cultura, por meio de trabalhos desenvolvidos no Centro Tecnológico da Zona da Mata (CTZM), em Viçosa, sobre seqüestro de carbono.

Atualmente, o Brasil é um dos países dependentes da importação de borracha natural, com uma demanda de 320 mil toneladas e produção em torno de 100 mil toneladas. No século passado, era o primeiro e único produtor e exportador de borracha natural do mundo.

O estado de Minas Gerais apresenta condições altamente favoráveis à implantação de seringais de cultivo. Além de possuir bioclima, relevo e solos compatíveis para esta cultura, Minas encontra-se numa posição estratégica em relação aos principais centros consumidores de borracha natural no País.

O tema desta edição da Inovatec é “Vida Sustentável”. E dentro desta proposta, a EPAMIG pretende demonstrar, por meio de banners e folhetos explicativos, como a agroenergia e as demais tecnologias do agronegócio contribuem para a auto sustentalidade do campo e para a melhoria da qualidade de vida.

A 3ª Inovatec é uma realização da Minasplan em parceria com o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Ciência e Tecnologia. A Feira acontece de 08 e 11 de outubro, de 14 às 21 horas, no Expominas, em Belo Horizonte.

Fonte: Epamig

Mais de 50% dos índios do Xingú estão acima do peso

Perfil metabólico e antropométrico de índios Aruák: Mehináku, Waurá e Yawalapití, Alto Xingu, Brasil Central

Metabolic and anthropometric profile of Aruák Indians: Mehináku, Waurá and Yawalapití in the Upper Xingu, Central Brazil, 2000-2002

Um estudo publicado em agosto na revista Cadernos de Saúde Pública da Fiocruz encontrou, entre os índios aruák (como os povos waurá, mehináku e yawalapati) do Alto Xingu, no Mato Grosso, uma elevada prevalência de excesso de peso, aumento da taxa de lipídios no sangue e pressão alta.

Esses resultados, se comparados aos de pesquisas anteriores, revelam uma piora das condições de saúde dos índios, sobretudo dos homens. Esta população, cujos hábitos de vida conferiam proteção contra doenças crônicas, está se tornado vulnerável a problemas cardiovasculares, diabetes e outros agravos.

O estudo foi coordenado pelo professor Roberto G. Baruzzi, do Departamento de Medicina Preventiva da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Integrante da equipe de pesquisa, a doutora em saúde pública Suely Gimeno relata que a alimentação das tribos está passando por mudanças. Peixe assado ou cozido, mandioca, amendoim, milho, banana, cana, mel e frutas ainda são destaques nas refeições. No entanto, em tempos mais recentes, outros ingredientes têm sido adicionados, como o sal comum, o açúcar e o óleo de cozinha – este responsável pela ingestão mais freqüente de frituras. As dietas dos índios são, hoje, mais ricas em carboidratos e gorduras e mais pobres em fibras.

Essas mudanças na alimentação, somadas a outras transformações no estilo de vida, como redução da atividade física, têm como conseqüência o maior risco de obesidade e de doenças associadas ao excesso de peso. Os pesquisadores da Unifesp, após examinaram cerca de cem índios adultos do sexo masculino, verificaram que 52% deles se encontravam acima do peso ideal, sendo que 15% estavam obesos. Além disso, 38% apresentavam pressão alta e 77% tinham taxas elevadas de lipídios no sangue. Entre as cerca de cem índias adultas que participaram do estudo, mais da metade apresentava obesidade abdominal.

“O processo de transição epidemiológica e nutricional observado em nosso meio (e também nas populações indígenas) tem em comum a consolidação do excesso de peso como um agravo nutricional associado à presença de diversas doenças crônicas não-transmissíveis”, diz o artigo publicado na revista da Fiocruz. “Esses achados sugerem a necessidade de implementação de medidas urgentes que visem tanto ao controle quanto à prevenção da obesidade e outros fatores de risco cardiovasculares também entre esses indivíduos

Leia o texto no endereço da Fiocruz.

Leia o artigo complteo clicando aqui.

Fonte: Agência Fiocruz

4ª Semana de Ciência e Tecnologia no Espírito Santo

A abertura oficial da IV Semana Estadual de Ciência de Ciência e Tecnologia aconteceu às 17h30 desta segunda-feira (01), no Palácio Anchieta. Durante a solenidade, houve diversas homenagens a personalidades e empresas de destaque na área de ciência, tecnologia e informação.

O evento, coordenado pela Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia (Sect) e a Ufes, conta com a parceria de diversas instituições de ensino e pesquisa, representantes do setor produtivo, professores, pesquisadores e inventores, todos com interesse e trabalho no campo científico e tecnológico e que organizam e apresentam variadas atividades que geram benefícios para a qualidade de vida da população capixaba.

O secretário Estadual de Ciência e Tecnologia, Rogério Silveira Queiroz, saudou a todos e disse que a IV Semana Estadual de Ciência e Tecnologia traduz a disposição dos diversos grupos ligados à ciência e tecnologia no Estado e a motivação que é sentida em muitos setores na maioria dos municípios do Estado. “Os parceiros e apoiadores da Semana sentem-se recompensados pela missão de incentivar a juventude a pensar sobre o futuro como um legado promissor, onde conhecimento e discernimento sejam inerentes ao exercício da cidadania. Uma prova desta recompensa é o quantitativo de atividades inscritas, mais de 700, provavelmente um dos maiores do país”.

No Espírito Santo, a Semana foi instituída pelo Governo Estadual, por meio do decreto nº 1377-R de setembro de 2004. O tema deste ano é “Planeta Terra” e a idéia é despertar o interesse da população capixaba, principalmente crianças e jovens, para a importância do tema e, com isso, valorizar a criatividade, a atitude científica e a inovação.

Na edição deste ano, a Sect já contabiliza a inscrição de mais de 700 atividades científicas para o evento. No ano passado, foram registrados 355 eventos científicos.

Atrações
Entre as atrações desta edição está a II Mostra Capixaba de Ciência e Inovação. O público terá oportunidade de conhecer trabalhos de destaque em ciência, tecnologia e inovação de diversas instituições de ensino e pesquisa do Espírito Santo.

Paralelo à Mostra também será realizado o 11° Salão do Inventor Brasileiro, que tem como objetivo criar oportunidades para as pessoas, em especial os pequenos inventores, que procuram chances de divulgar o que descobriram e encontrar parceiros para desenvolver suas invenções.

Os dois eventos serão realizados no ginásio da Emescam, em Vitória, a partir de quarta-feira (03), e terminam no sábado (06). A entrada é franca. Os estandes para visitação ficarão abertos das 18 às 20 horas, na quarta (03), das 9 às 17 horas, de quinta a sábado. E no dia 08, às 19 horas, no auditório do Centro Federal de Educação Tecnológica do Espírito Santo (Cefetes), acontece a cerimônia de encerramento da Semana, na qual os melhores inventores serão premiados.

Interiorização
A meta desse ano é trabalhar a interiorização e fazer com que diversos municípios possam promover atividades de ciência, tecnologia e inovação. Como parte da programação já foram realizadas a Feira de Ciência e Tecnologia de Castelo; a II Feira de Ciências e II Mostra Científica de Venda Nova do Imigrante; a I Semana Regional de Ciência e Tecnologia de Santa Teresa; e a I Mostra Científica e Cultural de Vitória. Além disso, os municípios de Cachoeiro de Itapemirim, São Mateus e Alegre também terão atrações.

Fonte: Sect

R$ 39,1 bilhões para Ciência, Tecnologia e Inovação para o período 2007-2010

O Plano de Ações do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) para o período 2007-2010 foi debatido na manhã desta quarta-feira (3), no Palácio do Planalto, pelo ministro Sergio Rezende, com os integrantes do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT). O grupo é presidido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O Plano foi muito elogiado pelos integrantes do CCT e pelos 13 ministros que participaram da reunião. O documento também mereceu o reconhecimento de representantes de instituições civis como a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e recebeu novas propostas que serão discutidas por um comitê gestor. A versão final do texto será anunciada pelo presidente da República na última semana de outubro.

O total de investimentos para o quadriênio é de R$ 39,1 bilhões e estabelece quatro prioridades estratégicas. Do volume total de recursos, R$ 8,9 bilhões serão destinados para a expansão e consolidação do Sistema Nacional de C,T&I; R$ 13,5 bilhões para a promoção da inovação tecnológica nas empresas; R$ 15,3 bilhões para a pesquisa e desenvolvimento em áreas estratégicas; e R$ 1,4 bilhão para o desenvolvimento social.

O texto apresentado está em discussão desde o primeiro semestre com diversas entidades representativas do segmento científico e tecnológico, como a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciência (ABC). A elaboração do Plano ainda recebeu colaborações de outros ministérios e órgãos do governo.

Fonte: Agência CT

Prazo do programa de inovação agroindustrial termina dia 31

Termina, no dia 31 deste mês, o prazo para envio de propostas ao edital 20/2007 do programa Rede Estadual de Ciência e Tecnologia para Inovação Agroindustrial da Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapemig).

O edital busca promover a adaptação, o desenvolvimento científico e tecnológico das cadeias produtivas do café, do leite, da fruticultura, da olericultura e da área de tecnologia de alimentos do Estado. A Fapemig é uma instituição associada à ABIPTI.

Para conferir a íntegra do edital 20/2007, acesse o endereço.

Outras informações na Fapemig ou pelo e-mail.

Fonte: Agronegócio e Inovação

9° Fórum Abag - Certificação do Agronegócio.

A Associação Brasileira de Agribusiness (Abag) realiza, no dia 17 de outubro, o 9° Fórum Abag, Certificação do Agronegócio. O evento acontece no Hotel Maksoud Plaza, Alameda Campinas, 150, Sala Brasil, em São Paulo.

Está previsto um café da manhã às 8h30 que contará com a presença do presidente do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), João Alziro Herz da Jornada, do diretor de Normalização da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Eugênio de Simone, e do coordenador geral de Serviços Tecnológicos do Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), Reinaldo Ferraz.

Mais informações, pelo telefone (11) 5181-2905 e pelo e-mail.

Fonte: Agronegócio & Inovação