sexta-feira, 31 de agosto de 2007

VII Congresso Brasileiro de Sistemas de Produção

Com o tema “Agricultura Familiar, Políticas Públicas e Inclusão Social”, o VII Congresso Brasileiro de Sistemas de Produção acontece em Fortaleza (CE) e tem a coordenação da Embrapa Agroindústria Tropical.

Os principais objetivos são analisar a situação atual das políticas públicas focadas na inclusão social e o papel da agricultura familiar no combate à fome e à miséria.

Segundo a pesquisadora da Embrapa Agroindústria Tropical e presidente da comissão organizadora do congresso, Helenira Ellery Marinho Vasconcelos, o encontro também pretende subsidiar as instituições públicas e privadas de pesquisa, ensino e extensão no tocante às demandas e necessidades para o desenvolvimento sustentável da agricultura familiar, “além de criar um ambiente de discussão sobre as possibilidades e limites da abordagem sistêmica na perspectiva ética e debater sobre a utilização de áreas urbanas não rurais como alternativa para a produção de alimentos e de produtos que possam contribuir para a geração de renda”.

A programação inclui mesas redondas, conferências e apresentação de trabalhos. O secretário executivo do Congresso, João Bosco Cavalcante Araújo, conta que a conferência de abertura será “Novas Políticas, Novas Práticas e Balanço dos Impactos das Políticas Recentes de Desenvolvimento Rural”. Alguns temas das mesas-redondas também já foram definidos, segundo João Bosco, como Iniciativas para o fortalecimento da agricultura familiar”; “Formação de novos quadros e competências para o desenvolvimento da agricultura familiar”; “sustentabilidade técnico-econômica da agricultura familiar”, “Políticas públicas e práticas dos atores: dilemas teóricos e práticos”, dentre outros.

O evento ocorre de 03 a 06 de setembro.

Maiores informações no endereço .

Fonte: Embrapa

Finep disponibiliza R$ 450 milhões para empresas inovadoras

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT) anuncia nesta sexta-feira (31) um novo pacote de subvenção econômica de R$ 450 milhões para empresas que tenham projetos inovadores em áreas estratégicas, incluindo produção de biocombustíveis, equipamentos de acesso à TV digital e remédios para hanseníase e tuberculose.

Empresas inovadoras de setores tradicionais como construção civil e fruticultura também poderão concorrer.

Os financiamentos são não-reembolsáveis, ou seja, as empresas beneficiadas não terão que pagar pelo dinheiro emprestado.

A Finep é a agência do Ministério da Ciência e Tecnologia voltada para a inovação tecnológica.

O presidente da Finep, Luis Fernandes, anuncia o pacote de subvenção econômica em entrevista coletiva nesta sexta-feira (31), às 14h, na sede da agencia – Praia do Flamengo, 200 – 13° andar - Rio de Janeiro (RJ).

Fonte: Finep

Petrobrás - Biocombustível para aviação

Depois de se consolidar na liderança da venda de biodiesel no país, a Petrobras Distribuidora já começa a se preparar para a inserção dos biocombustíveis no mercado de aviação com o Bio QAV (biocombustível misturado ao querosene de aviação).

Na abertura do seminário “Biodiesel BR: Consolidado em Terra, Iniciado no Mar e a Caminho do Ar”, a presidente da Petrobras Distribuidora, Graça Foster, afirmou que, em apenas 13 meses, a empresa montou a maior cobertura na venda de biodiesel no país, estando preparada para atender a todo o mercado nacional a partir de 13 de janeiro de 2008, quando começa a valer a obrigatoriedade da comercialização do B2 (mistura de 2% de biodiesel ao óleo diesel comum ou aditivado).

A empresa já realiza estudos para adequar as 13 bases que movimentam querosene de aviação no país e as instalações fixas (tanques) e móveis (caminhões abastecedores) nos 120 aeroportos em que opera. Também irá estender as adaptações do Sistema de Garantia da Qualidade (SGQ) às normas e procedimentos técnicos relativos ao novo combustível, aos seus fornecedores e ao treinamento de sua força de trabalho. “É possível que no fim de 2008 estejam sendo realizados vôos em caráter experimental com o Bio QAV, e a Petrobras Distribuidora quer e vai participar deste processo”, disse Graça Foster.

A presidente apresentou ainda dados sobre o mercado de biodiesel e as vendas para os setores automotivo, ferroviário, marítimo, industrial e de geração de energia.

Fonte: Petrobrás

USP desenvolve pesquisa para substituição do amianto

A Universidade de São Paulo (USP), com o apoio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT), investiga o uso de diferentes fibras e resíduos agro-industriais (fibras de malva, banana, coco, sisal e eucalipto), além de resíduos siderúrgicos (escória de alto-forno) na fabricação de fibrocimento vegetal, uma alternativa para a substituição do amianto.

Coordenadas pelo professor Holmer Savastano Júnior, as principais frentes de pesquisa envolvem a seleção das fibras e sua adequação ao cimento, a determinação das propriedades mecânicas, físicas, químicas e microestruturais do novo material, além de estudos de envelhecimento para avaliação da durabilidade.

A USP já depositou duas patentes junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI). Um dos pedidos de proteção foi depositado em maio de 2006 e resguarda um método para melhoria do comportamento mecânico de componentes de fibrocimento - mistura de cimento, fibras vegetais e sintéticas. A outra patente, depositada em 2002, solicita proteção intelectual do produto e dos processos de produção de uma telha de fibrocimento vegetal.

A solicitação da patente para a telha de fibrocimento vegetal mostra a consolidação de uma linha de pesquisa que vem sendo desenvolvida desde 1996 pelo Grupo de Construções Rurais e Ambiência, da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). O grupo surgiu na Escola Politécnica da USP e continua trabalhando em cooperação com seus pesquisadores. A meta dos estudos é a substituição do amianto, fibra mineral usada na fabricação de telhas e caixas d´água, entre outros componentes.

Além da Finep, as pesquisas contam com apoio financeiro de empresas e outras instituições financiadoras de pesquisa, como Fapesp, através do Programa de Tecnologia de Habitação (Habitare). Junto ao Habitare foram apoiados os projetos ´Desenvolvimento de tecnologia para fabricação de telhas de fibrocimento`, ´Sistemas de cobertura para construções de baixo custo: uso de fibras vegetais e de outros resíduos agroindustriais` e ´Tecnologia para fabricação de fibras acrílicas de baixo custo para produtos de fibrocimento`.

No caso da patente que resguarda a metodologia para melhoria do comportamento mecânico do fibrocimento, são inovações e modificações do processo Hatschek - o mais empregado na produção de chapas planas e telhas de fibrocimento para a construção civil. Este processo consiste em produzir chapas de fibrocimento compostas de diferentes camadas e que, ainda no estado fresco, podem ser modeladas para produzir telhas onduladas e acessórios para a construção civil. Essa patente está sob responsabilidade do professor Vanderley M. John, do Departamento de Engenharia de Construção Civil da Escola Politécnica da USP.

De acordo com os professores envolvidos, a metodologia tem grande potencial de aplicação nas indústrias de fibrocimento, pois proporciona melhor desempenho mecânico sem aumentar o custo dos componentes.

Mais informações com os professores : Holmer Savastano Jr. / (19) 3565-4153 e Vanderley M. John / (11) 3091-5794

Fonte: Agência CT