quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Método sugere ações mais precisas de manutenção de pistas de aeroportos

Uma nova metodologia para análise da aderência em pistas de aeroportos permite tomadas de decisão mais precisas em relação à manutenção, conservação e projeto de misturas asfálticas. Entre 2001 e 2003, o engenheiro de infra-estrutura aeroportuária Oswaldo Sansone Rodrigues Filho realizou ensaios no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, onde aferiu as características de aderência da pista e propôs o novo método.

“A aderência entre os pneus de uma aeronave e a superfície das pistas é um fator importante quando se trata de segurança”, diz o engenheiro. Segundo ele, a contribuição de seu estudo foi principalmente no sentido de fornecer informações detalhadas que auxiliem em ações de manutenção mais eficientes.

Normalmente, a análise da aderência em pistas de aeroportos se resume a medições de atrito dinâmico com um aparelho chamado MuMeter. “Esta medição fornece um índice padronizado internacionalmente”, lembra Sansone. Esta aferição, segundo ele, é obrigatória e acontece em média a cada quatro meses, dependendo do volume de tráfego do aeroporto. As recomendações são estabelecidas pela ICAO, sigla em inglês para Internacional Civil Aviation Organization, órgão técnico da ONU para a aviação civil.

Sansone lembra que as medições com o MuMeter fornecem índices que são medidos em Mu. “Para aeroportos como o de Congonhas por exemplo, valores de atrito acima de 0,5 Mu são considerados satisfatórios. A ICAO admite até 0,4 Mu, mas com algumas restrições”, conta.

Novos parâmetros
Além das aferições com o MuMeter e devidamente regulamentadas pela ICAO, Sansone adicionou outros três parâmetros para enriquecer as informações técnicas: medições de microtextura, macrotextura e de drenabilidade da pista.

Para tanto, o engenheiro se utilizou de aparelhagens relativamente simples. No caso da microtextura ele usou um Pêndulo Britânico, padronizado por norma internacional, disponível no laboratório da Escola Politécnica da USP. Para os ensaios de macrotextura, Sansone utilizou o ensaio de mancha de areia, uma técnica bastante comum, criada pela agência espacial norte-americana NASA. Este ensaio também é normatizado por especificação internacional. Para análise de drenabilidade, Sansone usou um outro equipamento igualmente simples, o drenômetro, que é semelhante a um tubo de ensaios, réplica de equipamento suíço para uso em campo.

Esses três tipos de aferições aliadas à convencional ofereceram um retrato mais detalhado das condições de atrito da pista do aeroporto de Congonhas. Os resultados constam no estudo Características de Aderência de Revestimentos Asfálticos Aeroportuários – Estudo de Caso do Aeroporto Internacional de São Paulo/ Congonhas apresentado no final de 2006 como sua dissertação de mestrado. A pesquisa foi orientada pela professora Liedi Légi Bariani Bernucci, do Departamento de Engenharia de Transportes da Poli.

As análises de Sansone foram realizadas em quatro faixas da pista de acordo com os graus de uso. “A faixa central é a mais utilizada. Além dela, avaliamos também locais sem tráfego intenso, nas faixas laterais à central”, conta, lembrando que uma outra faixa, sem qualquer tipo de tráfego e também sem grooving foi analisada.

Serviços de remoção de borracha em pista de aeroporto (à esquerda); Após remoção da borracha impregnada, pista é lavada para limpeza dos resíduos soltos (à direita)

As aferições do engenheiro forneceram dados estatísticos importantes que podem sugerir, de acordo com a situação, outras técnicas de manutenção além das convencionais. “Em geral, se usa a lavagem com jato d´água de alta pressão ou abrasão com limalha de ferro para retirada de resíduos de borracha da pista”, conta. “Os resultados dos ensaios de macrotextura e drenabilidade podem servir de subsídio para o projeto de misturas asfálticas com melhores características de aderência”, diz Sansone.

Segundo ele, os resultados de medições em regiões da pista submetidas a diferentes intensidades de tráfego e diferentes ações de manutenção permitem melhor avaliar como estas atividades influem no resultado da aderência pneu-pavimento. “Nosso estudo sugere caminho para outras pesquisas que venham a favorecer a segurança, de modo que esta seja cada vez maior”, conclui Sansone.

Mais informções pelo e-mail.

Fonte: Usp online

1º Conecta - Seminário de Inovação e Transferência de Tecnologias


Fonte: Instituto Inovação

Brasil promove a maior olimpíada de Matemática do mundo

A terceira edição da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), com 17,3 milhões de estudantes, já é a maior iniciativa do gênero no mundo. Participam da competição alunos do ensino médio e do fundamental da rede pública, a partir da 5.ª série. São 38.453 escolas de 5.197 municípios - 98% das cidades brasileiras - presentes na olimpíada. Atualmente, cerca de 80 países realizam olimpíadas de Matemática.

O torneio é promovido pelos ministérios da Ciência e Tecnologia e da Educação, em parceria com o Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA) e a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). A primeira fase foi realizada em 14 de agosto passado e a segunda está programada para 20 de outubro.

Na primeira edição, em 2005, a olimpíada registrou a participação de 10,5 milhões de estudantes. Em 2006, foram inscritos 14,1 milhões. A competição, que premia também professores e as escolas dos mais bem colocados, distribui três mil medalhas aos estudantes que se destacam: 300 de ouro, 600 de prata e 2.100 de bronze. Todos recebem bolsas de estudo, oferecidas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Além disso, outros 30 mil alunos recebem menção honrosa pela participação no evento.

"A iniciativa tem grande efeito de estímulo entre os estudantes, professores e toda a escola. A premiação e a bolsa concedidas aos vencedores também é um diferencial, o que amplia ainda mais o poder multiplicador da iniciativa", explicou Joe Valle, secretário para Inclusão Social do Ministério da Ciência e Tecnologia. O IMPA, por exemplo, oferece curso de aperfeiçoamento para os professores dos alunos mais bem posicionados no certame. As escolas recebem laboratórios de informática, livros e certificados de mérito nacional.

Conforme Valle, esse tipo de competição representa apenas o passo inicial para a afirmação de especialistas na área."Esperamos em longo prazo formar profissionais e, se possível, até ganhador do prêmio Nobe", completa.

Premiados
No ano passado, os três primeiros colocados com medalha de ouro foram Tiago Leandro Estevam Dias, do Colégio Militar do Rio de Janeiro (RJ); Maria Clara Mendes da Silva, da Escola Estadual "Coronel Oscar de Castro", de Pirajuba (MG), e Wladimir José Lopes Martins, do Colégio Militar do Recife (PE). Eles ainda receberam do CNPq bolsas juniores de iniciação científica.

A edição do ano passado também premiou os professores Aurenísio Barbosa Farias, da Escola de Ensino Médio "Professor José Rodrigues Leite", e Ricardo Gelete de Oliveira, do Colégio Acreano, ambas as escolas de Rio Branco (AC). Foi igualmente agraciado Antonio Nivaldo de Lima, da Escola Estadual "Professor José Q. Cavalcanti", de Arapiraca (AL)

Fonte: Em questão

Música, comportamento social e relações interpessoais

Music, social behavior and interpersonal relationships

Atração musical
A música exerce um papel importante nas relações interpessoais, sendo responsável por determinados efeitos na atração entre os indivíduos. Embora completamente diferentes, a atração e a música têm algo em comum: ambas estão ligadas ao surgimento dos sentimentos.

A importância da música para o relacionamento humano está discutida no artigo Música, comportamento social e relações interpessoais, de Beatriz Ilari, professora do Departamento de Artes da Universidade Federal do Paraná (UFPR), publicado na revista Psicologia em Estudo.

O estudo envolveu 50 adultos não-músicos, com média de 27 anos de idade, que tiveram que escolher parceiros em classificados. Cada participante foi exposto a cinco pares de anúncios de jornais e de sites na internet para a escolha do parceiro que lhe parecesse mais atraente. A variável música foi colocada em alguns anúncios.

Além disso, eles tiveram que descrever impressões sobre os ouvintes de sete gêneros musicais diferentes. O entrevistado deveria ler uma pergunta e escrever um mínimo de dois adjetivos para cada um dos estilos musicais propostos. Os voluntários responderam ainda a questões sobre o uso da música em seus relacionamentos afetivos, incluindo questões abertas sobre sexo, idade e experiência educacional e musical.

A análise do comportamento dos voluntários selecionados para o estudo diante dos classificados e sites de namoro e paquera mostrou que a música é possivelmente mais uma variável dentre as muitas que são consideradas na escolha de parceiros. Os testes estatísticos indicam que o grupo que optou por textos que faziam alguma referência à música não era diferente estatisticamente daquele que não fazia.

As respostas das questões sobre o uso da música no cotidiano, na outra parte do trabalho, evidenciaram dois fatores importantes, segundo a pesquisadora. O primeiro é que para 67% das pessoas a música teve algum papel relevante em determinado momento da vida. A tabulação das opiniões permitiu ainda a elaboração de quatro grupos de usos do universo musical.

O primeiro foi chamado de “objetivos de excitação”. Nesse caso, a música tem a função de aumentar ou diminuir o estado de excitação dos ouvintes. Os indivíduos podem escolher gêneros musicais diferentes dependendo do contexto social em que se inserem. Ritmo e andamento musicais parecem ter uma função importante.

A outra função é de “fundo acústico”. Para as pessoas que se encaixaram nesse agrupamento a música é um elemento importante na criação de atmosferas ou ambientes sonoros, inclusive no preenchimento de “lacunas” deixadas pela ausência de conversação ou interação entre as pessoas no decorrer de um evento social.

A música pode ser ainda, conforme mostra a pesquisa, “facilitadora de atividades” ou “artefato mnemônico”. Enquanto no primeiro caso ela promove a aproximação de indivíduos, no segundo facilita o armazenamento de eventos significativos na memória. Isso é comum em casais e amigos que elegem uma canção musical como um ícone de representação de seu relacionamento.

Do ponto de vista da psicologia cognitiva, a música está relacionada à atração interpessoal, conclui o estudo, com base nos resultados obtidos. “Alguns estereótipos de personalidade associados aos gêneros musicais foram encontrados, como a associação de samba com a pobreza e da música clássica com idosos. Isso sugere que o gosto musical pode acabar tendo influência na escolha de parceiros”, explica a autora. “A música parece aproximar os indivíduos, além de promover a interação social e de trazer riqueza cultural e diversidade".

Para ler o artigo na biblioteca on-line SciELO (Bireme/FAPESP), clique aqui.

Fonte: Agência FAPESP - 16/08/2006

Prorrogado o prazo para envio de trabalho para congresso de Biodiesel

Prorrogado para 31/08/07, o prazo para envio de artigos técnico-científicos para o 2º Congresso da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel, para o dia que é realizado pela Associação Brasileira das Instituições de Pesquisa Tecnológica (Abipti) e pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT).

O evento ocorre de 27 a 29 de novembro próximo, em Brasília, e será uma oportunidade ímpar de reunir pesquisadores, estudantes e técnicos dos setores público e privado, atuantes nas entidades e empresas envolvidas com pesquisa, desenvolvimento e inovação na cadeia de produção e uso do biodiesel.

As temáticas abordadas no Congresso serão: Agricultura; Armazenamento; Caracterização e Controle da Qualidade; Co-Produtos; Produção; Uso de Biodiesel; e Biodiesel e Desenvolvimento Sustentável.

Essa realização faz parte do projeto de Consolidação da Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel, iniciado em 2005 pela Abipti com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (Setec/MCT).

No primeiro dia do evento haverá apresentação sobre o Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB); sessão coordenada de agricultura e apresentação sobre a Rede Brasileira de Tecnologia de Biodiesel (RBTB).

No segundo dia ocorrerá sessão coordenada com o tema de co-produtos, e outra sobre armazenamento e produção. Para o dia 29 está programada sessão coordenada sobre o uso de biodiesel; conclusões, recomendações e encerramento.

Veja a programação preliminar no endereço.

Fonte: Comissão Organizadora do Evento

Pós em Saúde Pública da Ensp divulga editais 2008

Terminam em 31/08 os prazos para inscrições nos Programas de Pós-Graduação Stricto sensu da ENSP. Os editais, disponíveis na Plataforma Siga e nas páginas dos Programas de Pós-Graduação da ENSP, são voltados para os cursos de Mestrado e Doutorado em Saúde Pública e Mestrado e Doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente para o ano de 2008. Repetindo os anos anteriores, as inscrições para os dois programas deverão ser feitas pela internet, através da Plataforma Siga. Em breve, o edital para o curso de Epidemiologia em Saúde Pública será divulgado.

Mestrado em Saúde Pública
O Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da ENSP, credenciado pelo Conselho Federal de Educação, completa 30 anos em 2007 e tem como objetivo a formação de docentes, pesquisadores e gestores numa perspectiva interdisciplinar e multiprofissional. É desenhado para capacitar profissionais para a análise, planejamento, desenvolvimento, implementação e avaliação de políticas públicas e tecnologias, considerando os contextos epidemiológico, social e ambiental, nos cenários nacional e internacional. Conta atualmente com as seis subáreas de concentração: Endemias, Ambiente e Sociedade; Planejamento e Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde; Políticas Públicas e Saúde; Saneamento Ambiental; Saúde e Sociedade; Saúde, Trabalho e Ambiente.
Coordenação:
Dra. Maria Cristina Rodrigues Guilam (guilam@ensp.fiocruz.br)

Doutorado em Saúde Pública
O Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública da ENSP, credenciado pelo Conselho Federal de Educação, visa à formação de profissionais para atuar em diferentes áreas de docência e pesquisa. A Coordenação de Pós-Graduação ENSP divulgará, a partir de 13 de julho de 2007, a lista de docentes do programa com vagas de orientação de doutorado disponíveis para o ano de 2008, bem como suas respectivas linhas de pesquisa, que são: Alimentação e Nutrição; Assistência Farmacêutica; Avaliação de Políticas, Sistemas e Programas de Saúde; Avaliação de Serviços e Tecnologias de Saúde; Biossegurança e Ambiente; Construção do Conhecimento Epidemiológico Aplicado às Práticas de Saúde; Desenvolvimento, Estado e Saúde; Desigualdades Sociais, Modelos de Desenvolvimento e Saúde; Determinação e Controle de Endemias; Direito, Saúde e Cidadania; Economia em Saúde; Educação e Comunicação em Saúde; Epidemiologia de Doenças Crônicas; Epidemiologia de Doenças Transmissíveis; Ética Aplicada e Bioética; Formulação e Implementação de Políticas Públicas e Saúde; Gênero e Saúde; Habitação e Saúde; Informação e Saúde; Instituições, Participação e Controle Social; Modelagem Estatística, Matemática e Computacional Aplicada à Saúde; Paleopatologia, Paleoparasitologia e Paleoepidemiologia; Pesquisa Clínica; Planejamento e Gestão em Saúde; Política e Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) em Saúde; Políticas e Sistemas de Saúde em Perspectiva Comparada; Profissão e Gestão do Trabalho e da Educação em Saúde; Promoção da Saúde; Saneamento e Saúde Ambiental; Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente; Saúde e Trabalho; Saúde Indígena; Saúde Mental; Toxicologia e Saúde; Vigilância Epidemiológica; Vigilância Sanitária; e Violência e Saúde.
Coordenação:
Dra. Maria Cristina Rodrigues Guilam (guilam@ensp.fiocruz.br)


Mestrado em Saúde Pública e Meio Ambiente
O Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública e Meio Ambiente, credenciado pelo Conselho Federal de Educação, tem como objetivo a capacitação de docentes, pesquisadores e gestores em saúde e ambiente, numa perspectiva interdisciplinar, multiprofissional e interinstitucional, para a análise e proposição de soluções sobre os efeitos decorrentes das exposições ambientais na saúde humana. Está voltado para profissionais e pesquisadores das áreas de saúde e do meio ambiente, com formação em nível de graduação, em diferentes campos do conhecimento e interessados na análise de problemas de saúde e ambiente. O Mestrado em Saúde Pública e Meio Ambiente conta atualmente com três subáreas de concentração, a saber: Epidemiologia Ambiental; Gestão de Problemas Ambientais e Promoção de Saúde; e Toxicologia Ambiental.
Coordenação:
Dr. Sergio Koifman (koifman@ensp.fiocruz.br)
Dr. Aldo Pacheco Ferreira (aldoferreira@ensp.fiocruz.br)

Doutorado em Saúde Pública e Meio Ambiente
O Programa de Pós-Graduação em Saúde Pública e Meio Ambiente, credenciado pelo Conselho Federal de Educação, tem como objetivo a capacitação de docentes, pesquisadores e gestores em saúde e ambiente, numa perspectiva interdisciplinar, multiprofissional e interinstitucional, para a análise e a proposição de soluções sobre os efeitos decorrentes das exposições ambientais na saúde humana. Está voltado para profissionais e pesquisadores das áreas de saúde e do meio ambiente, com formação em nível de graduação, em diferentes campos do conhecimento e interessados na análise de problemas de saúde e ambiente.
Coordenação:
Dr. Sergio Koifman (koifman@ensp.fiocruz.br)
Dr. Aldo Pacheco Ferreira (aldoferreira@ensp.fiocruz.br)

Fonte: Portal Fiocruz

Programa interministerial foca jovens doutores em áreas de pesquisas estratégicas

Nesta quarta-feira (15), o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, recebeu em seu gabinete os presidentes da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC), Jorge Guimarães, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Marco Antonio Zago, e Eugenius Kaszkurewicz, representante da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT), para discutir o Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD). O secretário executivo do MCT, Luis Antonio Elias, participou da reunião.

O PNPD está na pauta dos ministérios da Ciência e Tecnologia (MCT) e da Educação (MEC). Como atividade interministerial, o programa faz parte da política de formação de recursos humanos para dar suporte à Lei de Inovação, à renovação de quadros nos programas de pós-graduação e apoio à Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (Pitce).

O objetivo do PNPD é apoiar projetos de pesquisa científica e tecnológica inovadores apresentados por instituições e organizações que incluam a participação de jovens doutores.

O PNPD será implementado pela Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e a Financiadora de Estudos e Projetos.

As três agências federais convocarão, por edital conjunto, instituições de ensino superior, centros de pesquisa, programas de pós-graduação e empresas da área tecnológica para apresentar projetos de pesquisa, visando à concessão de bolsas de pós-doutorado a candidatos titulados a menos de cinco anos, com currículo compatível, e que estejam vinculados ou aceitem se vincular aos projetos apresentados ao edital.

Terão prioridade os projetos que envolvam a interação universidade-empresa, centro de pesquisa-empresa e/ou de formação de novos pós-graduandos, prevendo-se também a concessão de recursos de custeio aos mesmos.

O programa concederá bolsa de pós-doutorado, no valor de R$ 3,3 mil, a serem pagas diretamente ao bolsista pelas agências de fomento à qual esteja vinculado o projeto. E o repasse de recursos de custeio, no valor de R$ 12 mil anuais, por bolsista, destinados à aquisição de informática e computação, insumos e material de consumo.

Nesta quarta-feira (15), o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, recebeu em seu gabinete os presidentes da Capes, Jorge Guimarães, do CNPq, Marco Antonio Zago, e Eugenius Kaszkurewicz, representante da Finep, para discutir o PNPD. O secretário executivo do MCT, Luis Antonio Elias, participou da reunião.

Lúcia Pinheiro / Agência CT

ANPEI elabora plataforma de dados de brasileiros no exterior

A Associação Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia das Empresas Inovadoras (ANPEI) está realizando um levantamento para a estruturação de uma base de dados de profissionais brasileiros no exterior. A intenção é divulgar informações sobre pesquisa em tecnologia no país e incentivar investimentos na área, assim como proporcionar experiências profissionais no exterior.

Para isso, a ANPEI realizou uma pesquisa com 48 multinacionais que atuam no Brasil, como Rhodia, Siemens, Pirelli e Bosch, e constatou que as empresas não estão satisfeitas com a situação atual da pesquisa no país. Segundo Silvia Matrice, responsável pelo projeto da ANPEI, as empresas se queixam que países como a China, a Índia e Taiwan realizam muito mais investimentos em pesquisas.

A intenção do projeto é disponibilizar as informações obtidas para enfatizar os atrativos do Brasil, evitar a perda de investimentos para o exterior e divulgar oportunidades. “É muito importante divulgar as vantagens do Brasil para ganharmos competitividade”, diz Silvia.

Elaborado no âmbito do projeto “Oportunidades de Investimentos em Pesquisa e Desenvolvimento de Empresas Transnacionais no Brasil”, executado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o projeto conta com o apoio de diversos órgãos, como Ministério de Ciência e Tecnologia (MCT), Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Ministério da Casa Civil, Agência de Promoção de Investimentos e Exportações (APEX) e Ministério das Relações Exteriores (MRE).

Depois de construída, a base de dados de profissionais brasileiros no exterior será hospedada, através da rede Brazil Trade Net. Os interessados em se cadastrar no projeto devem preencher o formulário disponível no endereço.

As informações da plataforma só serão divulgadas para terceiros mediante autorização prévia dos cadastrados.

Fonte: Anpei