segunda-feira, 13 de agosto de 2007

Embrapa e BASF assinam acordo inédito

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, instituição líder em pesquisa para a agricultura tropical, e a BASF, uma das maiores indústrias químicas do País, anunciam hoje, 7 de agosto, acordo de cooperação para o desenvolvimento e comercialização de variedades de soja geneticamente modificadas tolerantes a herbicidas.

Segundo o acordo, a BASF é responsável pelo fornecimento do gene ahas. Já os pesquisadores brasileiros da Embrapa são responsáveis pelo processo de inserção desse gene em plantas de soja. Da associação entre o gene e o processo desenvolvido pela Embrapa, foram obtidas plantas geneticamente modificadas tolerantes a herbicidas da classe das imidazolinonas.

O contrato de cooperação técnica formaliza a definição e o reconhecimento dos direitos da Embrapa e da BASF em relação a essa tecnologia, que possui patente no Brasil, concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), e em outros países. As duas empresas são co-detentoras da tecnologia.

Esse será o primeiro produto geneticamente modificado a ser disponibilizado no mercado brasileiro obtido pelo “pacote tecnológico” de propriedade da BASF e da Embrapa. A expectativa é que as novas variedades de soja, decorrentes do trabalho de parceria formalizado hoje, possam estar disponíveis para o produtor de sementes em 2010 ou 2011. Para o agricultor, a partir de 2012.

Dada a importância da soja na economia brasileira - o Brasil é o segundo maior produtor mundial de soja e maior exportador do grão -, é estratégico para o país contar com sistemas viáveis de controle e manejo das plantas daninhas na cultura. Com a inovação apresentada pela BASF e Embrapa, os sojicultores brasileiros terão uma nova opção no manejo de plantas daninhas, uma alternativa diferente das atuais encontradas no mercado.

“Este é um excelente exemplo de como as empresas podem criar sinergias em pesquisa, desenvolvimento e comercialização que resultam em soluções feitas sob medida para os agricultores. Também é uma demonstração clara de que o Brasil é um centro de competência em biotecnologia e o berço de inovação em pesquisa e desenvolvimento no campo de organismos geneticamente modificados”, afirma Walter Dissinger, Vice-presidente de Produtos para Agricultura da BASF para a América Latina.

“Na chamada ‘economia do conhecimento’, na qual vivemos, a inovação é um fator diferencial”, diz Silvio Crestana, diretor-presidente da Embrapa. “Estamos mostrando ao mundo nossa capacidade de gerar inovação, de gerar conhecimento. Nesse processo, buscamos as várias possibilidades de pesquisa. E a biotecnologia avançada, conduzida de forma atenta aos princípios da sustentabilidade, traz resultados que nos permitem vencer os desafios de gerar riqueza e bem-estar e nos colocam à frente do nosso tempo”, continua Crestana.
Maiores informações pelos telefones (61) 3448-4012 ou (61) 3340-7015 ou pelo e-mail.

Fonte: Rose Lane / Embrapa

Victor Kac (MIT) ministra curso de álgebra de vértices na USP

O desenvolvimento da teoria quântica dos campos, uma área relativamente nova da física, é crucial para descrever interações fundamentais da matéria. Mas a tarefa não é fácil, pois ainda faltam ferramentas matemáticas adequadas para lidar com essa teoria, em plena construção.

Conceber esse tipo de ferramentas é uma das principais especialidades do matemático russo naturalizado norte-americano Victor Kac, professor do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT). Em visita de um mês ao Brasil, Kac é considerado um dos matemáticos que mais têm contribuído para o desenvolvimento da álgebra moderna.

Kac (pronuncia-se “Katz”) começou, na última semana, a ministrar, no Instituto de Matemática e Estatística (IME) da Universidade de São Paulo (USP), o curso “Álgebras de vértices e suas aplicações em matemática e física”, organizado pelos professores do IME Frank Michael Forger e Vyacheslav Futorny.

“A matemática fornece ferramentas para entender os modelos usados na física. Entre elas as álgebras de vértices, estruturas matemáticas que têm um papel importante na teoria dos campos e outras áreas da física e da matemática”, disse Kac.

De acordo com Futorny, Kac é um dos principais especialistas nessa conexão entre matemática e física. “As álgebras de vértices são um instrumento matemático apropriado para a teoria quântica dos campos da física. Algumas das estruturas matemáticas mais importantes nesse contexto foram descobertas pelo professor Kac, como as álgebras de Kac-Moody”, explicou.

Segundo Kac, a teoria quântica dos campos é uma aplicação conjunta da mecânica quântica e da relatividade, que fornece uma estrutura teórica usada na física das partículas e também da matéria condensada.

“É uma teoria com grande potencial unificador, porque combina álgebra, geometria, análise, equações diferenciais e topologia – em suma, todos os campos da matemática. Essas conexões são importantes, porque podem ajudar a conciliar previsões teóricas e observações experimentais”, disse Kac.

O mesmo se aplica, segundo Kac, a outro campo teórico relacionado, que também está em desenvolvimento: a teoria das cordas. “A teoria da gravidade não é parte da teoria quântica. A teoria das cordas concilia ambas, abrangendo todas as forças do universo”, explicou.

De acordo com Forger, no entanto, a teoria quântica dos campos é ainda bastante desconhecida, embora tenha começado a se desenvolver a partir de 1905, quando Albert Einstein propôs o conceito de fóton – a primeira partícula quântica.

“É uma área que ainda não está fechada, mas é uma das bases da física moderna, pois descreve todas as interações fundamentais da matéria – exceto a gravitação – no contexto quântico. No entanto, sua compreensão completa ainda está além do nosso alcance”, disse Forger.

Laboratório teórico
Segundo Forger, as álgebras de vértices aparecem em “modelos bidimensionais”: modelos simplificados da teoria quântica dos campos que funcionam como um “laboratório teórico”. Ao reduzir o espaço a uma única dimensão, simplificam-se as equações, o que possibilita avanços teóricos. No entanto, apesar dessa simplificação, as álgebras de vértices constituem estruturas de altíssima complexidade.

“Com tal redução, criamos modelos que talvez não sejam realistas para análise direta da natureza, mas que ajudam a entender aspectos estruturais da teoria quântica dos campos. Eles têm um potencial interdisciplinar que aumenta muito a capacidade inovadora da pesquisa”, disse.

Segundo Futorny, embora desenvolvida em resposta aos desafios da teoria quântica dos campos, a teoria das álgebras de vértices tem aplicações em outras áreas da matemática, tais como álgebra, equações diferenciais e geometria.

“Como já ocorreu tantas vezes na história da ciência, novas estruturas matemáticas são encontradas em um fenômeno físico, estudadas à parte e depois encontradas em outros locais que antes não poderíamos imaginar”, destacou.

Todos concordam, no entanto, que os pesquisadores ainda têm pela frente um caminho longo e cheio de surpresas. “Quando Isaac Newton e Gottfried Leibniz inventaram o cálculo diferencial e integral, no século 17, não se imaginava seu impacto no futuro. De modo semelhante, não podemos prever hoje aonde o desenvolvimento da teoria quântica dos campos nos levará, mas há grande expectativa”, afirmou Forger.

Por enquanto, para Kac, o principal é disseminar a física matemática entre estudantes e pesquisadores. “Por isso, achei importante apresentar esse curso no Brasil. A idéia é fomentar o interesse nesse campo de estudos, aproveitando que no país há um desenvolvimento fantástico da matemática, mas principalmente em áreas como sistemas dinâmicos”, disse o professor do MIT.

O curso de nove aulas, iniciado na semana passada no IME, é oferecido por meio do programa Escola de Altos Estudos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e prosseguirá até o dia 24 de agosto. As aulas estarão disponíveis em vídeo no site do IME.

Nascido na Rússia, Kac estudou na Universidade de Moscou e trabalha como professor do MIT desde 1977. Publicou mais de 160 artigos científicos, criou a teoria das álgebras de Kac-Moody, desenvolveu a teoria de representações de peso máximo para álgebras de dimensão infinita, a teoria das superálgebras de Lie, a teoria dos sistemas infinitos de raízes e a teoria das álgebras de vértices, entre dezenas de outras contribuições.

Autor de sete livros, incluindo Álgebras de vértices para iniciantes, Kac foi agraciado com as bolsas Sloan e Guggenheim, ganhou a Medalha do Colégio da França e a Medalha Wigner, é titular da cátedra Condorcet da Escola Normal Superior de Paris e é membro honorário da Sociedade Matemática de Moscou.

Mais informações no endereço.

Fonte: Fábio de Castro /Agência Fapesp

SBF prepara portal de divulgação científica

A Sociedade Brasileira de Física (SBF) anunciou o lançamento de seu novo portal de divulgação científica, voltado a professores, alunos e ao público interessado em ciência, tecnologia e educação.

De acordo com informações divulgadas pela SBF, o nome do serviço na internet será escolhido a partir de sugestões de seus futuros usuários, que deverão enviá-las a partir do endereço. O vencedor do concurso receberá uma assinatura anual da revista Física na Escola, publicada pela SBF.

O portal apresentará textos de divulgação sobre artigos selecionados da revista, acompanhados de ilustrações, vídeos e animações. Os usuários também poderão participar de fóruns de debate interativo com os autores dos artigos.

Haverá, ainda, um canal permanente para colaboração. Estudantes, professores, pesquisadores e profissionais interessados em física poderão submeter artigos e materiais multimídias para publicação diretamente por meio do portal.

Materiais didáticos, jogos educativos, simulações de experiências, fotografias, ilustrações, além de filmes selecionados do serviço YouTube, terão espaço em galerias temáticas e repositórios virtuais, com acesso livre para os internautas.

O projeto é coordenado pelo professor Nelson Studart, do Departamento de Física da Universidade Federal de São Carlos. O portal é todo desenvolvido com tecnologias de software livre.

Mais informações no endereço.

Fonte: Agência Fapesp

Empresários sudaneses conhecem pesquisas brasileiras sobre o setor sucroalcooleiro

A Embrapa Monitoramento por Satélite recebeu, na quarta-feira(8) , uma comitiva da empresa Kenana Sugar, do Sudão.

O grupo, que incluía também um representante do Ministério das Minas e Energia do país africano, visitou diversas instituições do setor sucroalcooleiro além da Embrapa e foi acompanhado no Brasil por integrantes da Câmara de Comércio Árabe Brasileira.

A empresa Kenana Sugar está entre as três maiores do setor no continente africano e o propósito da visita ao Brasil foi de conhecer melhor as pesquisas desenvolvidas no país, incluindo as técnicas de mistura do etanol com a gasolina, os esforços mercadológicos, transporte manuseio e estoque e a legislação.

Na Embrapa Monitoramento por Satélite, a comitiva pôde assistir a uma apresentação com informações gerais sobre a magnitude do agronegócio brasileiro, focada principalmente na cultura da cana-de-açúcar.

A Unidade apresentou também o estudo de caso realizado numa área de 125 municípios da região Nordeste do Estado de São Paulo, que utilizou imagens de diversos satélites para o mapeamento do uso e cobertura das terras entre os anos de 1988 e 2003, destacando-se a expansão da da cana-de-açúcar.

Fonte: Graziella Galinari / Embrapa

Simpósio Inovações em Saúde

As inscrições para o Simpósio Inovações em Saúde, que será realizado nos dias 27 e 28 de agosto, em São Paulo, com promoção da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP), devem ser feitas até 23 de agosto.

O objetivo é oferecer uma ampla visão de inovações na área da saúde geradas a partir das pesquisas desenvolvidas no ambiente acadêmico da USP, além de promover novas oportunidades de parcerias entre a universidade e os setores empresariais.

Serão abordados assuntos como as oportunidades de desenvolvimento de novos medicamentos no país, as demandas da industria farmacêutica, eletromédica e biotecnológica e questões sobre o financiamento de pesquisa e desenvolvimento na área da saúde.

Mais informações no endereço.

Fonte: Agência Fapesp