sábado, 28 de julho de 2007

Física Hoje – Uma aventura pela natureza: dos átomos ao Universo

O livro Física Hoje – Uma aventura pela natureza: dos átomos ao Universo, que acaba de ser lançado pelo Instituto Ciência Hoje (ICH), em parceria com o Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF/MCT), traz 11 artigos sobre diversos temas dessa disciplina.

A obra é uma coletânea de textos encomendados a renomados pesquisadores brasileiros e publicados na revista Ciência Hoje em 2005, declarado 'Ano Mundial da Física', para comemorar o centenário da publicação dos cinco artigos de Albert Einstein (1879-1955) que tiveram importância ímpar na história da física e provocaram uma completa mudança na forma de pensar o Universo.

Esses trabalhos tratavam da relatividade do tempo e do espaço (teoria da relatividade restrita); da explicação do fenômeno no qual a luz arranca elétrons dos metais (efeito fotoelétrico); e do movimento errático das moléculas (movimento browniano).

O primeiro capítulo do livro discute o contexto histórico das descobertas de Einstein em 1905. Os outros dez artigos tratam dos avanços passados e recentes de várias áreas da física – muitas delas influenciadas diretamente pelos trabalhos publicados no que hoje é denominado 'Ano Miraculoso' da ciência.

Organizado pelo físico Ivan Oliveira, pesquisador do CBPF, e pelo jornalista Cássio Leite Vieira, o livro foi produzido para aguçar, principalmente nos jovens leitores, a curiosidade e o interesse pela ciência. A linguagem é simples, e, ao final, está uma longa lista de 'sugestões para leitura', para quem quiser saber mais sobre tópicos apresentados nos capítulos.

Os temas e autores
1) '1905 – um ano miraculoso', de Ildeu de Castro Moreira, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ);

2) 'Raios cósmicos – um 'Einstein' gigantesco nos pampas', de Ronald Cintra Shellard, do CBPF e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio);

3) 'Magnetismo e suas aplicações no dia-a-dia', de Marcelo Knobel, do Instituto de Física Gleb Wataghin, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp);

4) 'Cosmologia – a aventura espetacular da descoberta do universo', de Thyrso Villela Neto, da Divisão de Astrofísica, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCT);

5) 'Nanociência e nanotecnologia – o gigantesco e promissor mundo do mundo pequeno', de Henrique E. Toma e Koiti Araki, do Laboratório de Química Supramolecular e Nanotecnologia, do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (USP);

6) 'Matéria condensada – a aventura da física da matéria em estado sólido', de Sérgio Machado Rezende, do Departamento de Física da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE);

7) Mecânica estatística, caos e complexidade – a física da desordem, do imprevisível e do complexo', de Paulo Murilo Castro de Carvalho, do Instituto de Física da Universidade Federal Fluminense (UFF);

8) 'Energia nuclear e seus usos na sociedade', de Odair Dias Gonçalves e Ivan Pedro Salati de Almeida, da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen/MCT);

9) 'Ressonância magnética nuclear e suas aplicações atuais', de Tito José Bonagamba, Klaus Werner Capelle e Eduardo Ribeiro de Azevedo, do Instituto de Física de São Carlos, da USP;

10) 'Laser – aplicações modernas de uma solução magnífica em busca de problemas', de Vanderlei Salvador Bagnato, do Instituto de Física de São Carlos, da USP;

11) 'Mecânica quântica – uma nova imagem do mundo', de A. F. R. de Toledo Piza, do Instituto de Física da USP.

Franciane Lovati Dal´Col / Agência CT

Brasil sedia congresso mundial de imunologia

O Brasil sediará, entre 21 e 25 de agosto, o 13º Congresso Internacional de Imunologia, maior encontro mundial da área. Com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT), participam pesquisadores de destaque na área, como dois ganhadores e dois indicados ao Prêmio Nobel.

O evento é apoiado por meio de edital para Promoção de Eventos Científicos, com recursos do próprio CNPq e do Fundo Setorial de Saúde.

Já confirmaram presença os pesquisadores Peter Doherty e Rolf Zinkernagel, ganhadores do Prêmio Nobel de 1996 por trabalhos sobre o sistema imunológico, e Leonard Herzenberg e Tasaku Honjo, indicados ao Prêmio.

Entre as apresentações inéditas programadas estão estudos sobre as bases genéticas de doenças como a esclerose múltipla, o lupus e a diabetes do tipo 1.

A identificação dos genes que predispõe ao aparecimento de doenças auto-imunes é um passo fundamental para o diagnóstico precoce destas doenças, assim como para o desenho de novos medicamentos que possam controlar ou impedir o aparecimento da patologia.

O Congresso de Imunologia também abre espaço para a pesquisa de vacinas contra a Aids, com apresentações de 12 dos maiores cientistas que atualmente trabalham no tema. Um grupo de pesquisadores brasileiros vem obtendo resultados promissores na pesquisa de uma vacina que possa conter ou controlar a Aids.

A epidemia do HIV-1 afeta hoje mais de 40 milhões de indivíduos e já matou mais de 20 milhões, com 15 mil infectados por dia. O Brasil é um dos países mais afetados pelo HIV na América Latina, com 500 mil infectados.

O encontro se realizará no Rio de Janeiro (Riocentro). Mais informações podem ser obtidas no endereço.

Fonte: Agência CT

International Meeting on Retina

O Departamento de Anatomia do Instituto de Ciências Biomédicas III da Universidade de São Paulo (USP) realizará, no dia 3 de agosto, das 8h30 às 12h40, o International Meeting on Retina.

O objetivo é apresentar pesquisas feitas sobre retina na USP e no Instituto Max Planck para Pesquisa do Cérebro, na Alemanha. O evento é gratuito e certificados serão entregues a todos os interessados.

As palestras serão:

“Colocalization of synaptic GABA receptors with GABAa-and glycine- receptors in the rodent central nervous system”, com Renata Frazão, do Programa de Ciências Morfofuncionais do ICB/USP
“Degeneration and regeneration of the retina: possible role of Rho GTPases”, com Dânia Hamassaki Britto, do Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento do ICB/USP
“Functional expression of connexins in the retina”, com Alexandre Kihara, do Departamento de Fisiologia e Biofísica do ICB/USP
“Retinal losses in mercury intoxication”, com Dora Fix Ventura, do Instituto de Psicologia da USP
“Parallel processing in the mammalian retina”, com Heinz Wässle, do Instituto Max Planck.

O ICB III fica na Av. Lineu Prestes 2.415, na Cidade Universitária.

Mais informações pelo e-mail ou (11)3091-7401.

Fonte: Agência Fapesp

Monitoramento biológico d'água dos rios

A partir da combinação de diferentes indicadores biológicos colhidos em bacias hidrográficas da Serra dos Órgãos, no Rio de Janeiro, pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, desenvolveram um índice para ser usado na mensuração da qualidade da água em rios.

Segundo o coordenador do trabalho, o biólogo Darcilio Baptista, chefe do Laboratório de Avaliação e Promoção da Saúde Ambiental do IOC, o índice multimétrico é composto por seis medidas biológicas que têm como ponto de partida a presença de organismos aquáticos que vivem nos rios, particularmente insetos.

“Alguns organismos são bons indicadores de desmatamento, outros são muito sensíveis ou tolerantes à poluição. Com base na riqueza total de organismos de um determinado ecossistema, montamos um índice com todos os parâmetros biológicos do rio analisado, para classificação como ‘muito bom’, ‘bom’, ‘regular’ ou ‘pobre’”, disse Baptista.

Para o cálculo, são coletadas nos rios amostras de areia, folhas ou pedras e, no laboratório, são identificados os organismos presentes no material. Uma das medidas biológicas analisadas é o percentual de insetos aquáticos das ordens Diptera (mosquitos), cujas larvas normalmente são resistentes à poluição, e Coleoptera (besouros), em que as espécies costumam ser mais sensíveis à poluição.

“Com o percentual das larvas de mosquitos na amostragem biológica, uma vez que esses insetos são extremamente tolerantes à poluição, temos um bom indicador de que o rio pode estar comprometido ambientalmente”, disse Baptista.

“Com o cruzamento da quantidade de mosquitos encontrados – independentemente do tipo das espécies –, com as outras cinco medidas que compõem o índice, é possível apontar a riqueza da biodiversidade aquática da amostra e indicar a qualidade da água”, afirmou o biólogo.

Em outras regiões
Outra medida utilizada é a porcentagem de organismos que se alimentam de folhas que, ao serem depositadas no fundo do leito, podem indicar o grau de desmatamento das margens do rio. Como a fauna varia de acordo com a região geográfica, as medidas biológicas precisam ser adaptadas a cada local.

“Fizemos esse primeiro levantamento biológico na área central do Rio de Janeiro, mas a idéia é expandir essas medidas para o sul e para o norte do estado”, disse Baptista.

Segundo o pesquisador do IOC, a mesma metodologia pode ser usada em outras regiões, mas, para isso, os pesquisadores precisam analisar se as medidas biológicas usadas para os rios fluminenses terão a mesma eficácia em outros ecossistemas.

“Nesse caso, a metodologia pode ser aplicada com as devidas adaptações. O ideal, como ocorre na Europa e nos Estados Unidos, é que cada estado desenvolva um índice multimétrico específico e faça periodicamente uma intercalibração entre os modelos para verificar o grau de semelhança entre a diversidade de espécies que serão usadas para a análise da água”, ressaltou.

Fonte:Thiago Romero / Agência Fapesp

Biosafety meetings in Brazil will discuss international cooperation and perspectives for implementation of the Biosafety protocol.

The V Biosafety Congress and V Latin American Symposium organized by Brazilian Biosafety Association- ANBio with support of national and international agencies will be held in Brazil, city of Ouro Preto, UNESCO´s humankind inheritance from September 18-21, 2007.

One of the topics to be discussed is the enhancement of cooperation between South-South and North-South in capacities to the implementation of the Biosafety protocol and biosafety risk assessment procedures.

A Preparatory Symposium for the 4th Meeting of the Parties to the Cartagena Protocol on Biosafety (MOP4) and the 9th Conference of the Parties to the Convention on Biodiversity (COP9), organized by Public Research and Regulation Initiative (PRRI) and the Brazilian Biosafety Association (ANBio).

Another parallel meeting will be an International Symposium on Bioenergy organized by the United Nations University - UNU-BIOLAC. A special course on Biosecurity is also in the agenda and it is a joint effort of the Brazilian Biosafety Association- ANBio and the Biosecurity Engagement Programme from the US State Department.

Back to back with the Congress is been organized by ANBio with the support of the International Center of Genetic Engineering and Biotechnology-ICGEB a workshop on Biosafety of GMOs and a Course on Biosafety supported by Brazilian-Argentinean Center of Biotechnology (CABIO), REDBio and UNU-BIOLAC.

Besides the international agencies of funding, all the meetings are supported by the Brazilian Government through the funding agencies of the Ministry of Science and Technology and the State Government of Minas Gerais. Information and registration on the meetings can be done at ANBio´s web site.

Source: ANBio

Catálogo descreve parasitos de peixes da América do Sul


Acaba de ser lançado livro South American Trematodes Parasites of Fishes, de autoria de Anna Kohn, Berenice M. M. Fernandes e Simone C. Cohen, pesquisadoras do Laboratório de Helmintos Parasitos de Peixes do Instituto Oswaldo Cruz (IOC) da Fiocruz. O livro, editado com auxílio do CNPq, reúne cerca de 500 espécies de trematódeos parasitos de peixes marinhos e de água doce do continente sul-americano, com seus hospedeiros, distribuição geográfica, principais medidas e figuras. A obra atualiza e amplia para os demais países da América do Sul o conhecimento sobre os parasitos de peixes referidos no catálogo Trematódeos do Brasil, publicado em 1969 na revista Memórias do Instituto Oswaldo Cruz pelos pesquisadores Lauro Travassos, Teixeira de Freitas e Anna Kohn.

“A importância do livro é reunir todas as publicações referentes a esse grupo de parasitos de peixes, além de agregar informações de trabalhos publicados em revistas de difícil acesso”, sintetiza a pesquisadora Anna Kohn, acrescentando que outras publicações sobre os trematódeos parasitos dos demais vertebrados estão sendo desenvolvidas pela equipe.

Entre os trabalhos realizados recentemente pelo Laboratório de Helmintos Parasitos de Peixes do IOC, as autoras destacam os catálogos Checklist of Monogenea parasites of freshwater and marine fishes, amphibians and reptiles from Mexico, Central America and Caribbean, publicado por Anna Kohn, Simone Cohen e Salgado Maldonado em 2006; South American Monogenea – List of Species, Hosts and Geographical Distribution, publicado em 1998 por Anna Kohn e Simone Cohen; e o capítulo Fishes Parasitized by Monogenea in South America, publicado por Anna Kohn e Melquiades Pinto Paiva no livro Metazoan in the Neotropics: A Systematic and Ecological Perspective, editado em 2000.

South American Trematodes Parasites of Fishes será distribuído para as principais bibliotecas nas áreas de ciências biomédicas e entre a comunidade científica no país e no exterior, que desenvolve linhas de pesquisa sobre o tema.

Fonte: Agência Fiocruz