sexta-feira, 27 de julho de 2007

11º Congresso brasileiro de geoquímica


O evento é promovido pela Sociedade Brasileira de Geoquímica como parte das comemorações do Ano Internacional do Planeta Terra, celebrado no período de 2007 a 2009 pela Organização das Nações Unidas.

Segundo os organizadores, o congresso espera reunir contribuições técnico-científicas que contemplem enfoques multidisciplinares das diversas subáreas da geoquímica e suas interfaces com disciplinas e especialidades afins.

“Geoquímica e saúde”, “Qualidade do ar”, “Recursos e desenvolvimento econômico”, “Qualidade das águas”, “Geoquímica e educação” “Decifrando os mistérios do planeta” e “Geoquímica e biodiversidade” serão alguns temas em discussão.

Mais informações no endereço.

Fonte: Agência Fapesp

1º Simpósio sobre Qualificação e Certificação em TI

O 1º Simpósio sobre Qualificação e Certificação em TI, promovido pela Rede de Tecnologia e Serviços em Qualificação e Certificação em Tecnologias da Informação (Rede TSQC), será realizado nos dia 30 e 31 de julho, em São Paulo.

O evento pretende proporcionar espaços de discussão sobre a certificação da qualidade como ferramenta para aumentar a competitividade da indústria brasileira em tecnologia da informação.

“Confiabilidade de produtos”, “Garantia da qualidade na produção”, “Novos processos de fabricação”, “Qualidade no ciclo de desenvolvimento de produtos”, “Requisitos para projetos e produtos de novas tecnologias” e “Sistemas de gestão da qualidade” serão alguns temas em análise.

Mais informações no endereço da Rede TSQC.

Fonte: Agência Fapesp

MCT e MEC lançam edital para produção de material didático digital

Com o crescimento da Internet e o intensivo uso de mídias digitais, a Educação Básica em todo o Planeta vem passando por diversas transformações. Ciente destas mudanças e buscando proporcionar uma boa qualidade de ensino, os ministérios da Ciência e Tecnologia (MCT) e Educação (MEC) lançam um edital de apoio à produção de material didático digital.

O programa contará com o aporte de R$ 75 milhões e irá estimular a realização de iniciativas que promovam a produção de materiais para diversas plataformas. O objetivo principal da iniciativa é tornar disponíveis conteúdos, metodologias, materiais e práticas pedagógicas inovadoras no ensino de Química, Física, Biologia, Matemática e Língua Portuguesa, com ênfase na criatividade, experimentação e interdisciplinaridade.

Poderão apresentar projetos universidades, faculdades, centros tecnológicos, centros e museus de ciências, instituições de ensino superior ou institutos, OCIPs, ONGs, fundações e centros de pesquisa e desenvolvimento sediados no Brasil, públicos ou privados, sem fins lucrativos.

Os projetos devem contemplar 100% dos conteúdos das disciplinas escolhidas, atendendo à carga horária mínima indicada para cada área de conhecimento.

Cada instituição poderá apresentar projetos para a produção de conteúdos em, no máximo, 3 disciplinas e/ou até 3 em regime de parceria. As propostas deverão ser entregues no Protocolo Central do MEC.

Cronograma do edital:
Data limite para submissão dos projetos - 31/09/2007
Análise e Julgamento dos projetos - Até 14/11/2007
Divulgação dos resultados - 21/11/2007
Início da execução dos projetos - a partir de 28/11/2007

Fonte: Carlos Freitas / Agência CT

Embrapa mostra tecnologias para incubação de empresas no DF

Cogumelos comestíveis, mini-cenouras e plantas nativas do cerrado serão os destaques da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, durante a 80ª Feira Botânica do Shopping CasaPark, nos dias 28 e 29 de julho.

Todos esses produtos foram desenvolvidos com a tecnologia da Embrapa e estão disponíveis para incubação de empresas no Distrito Federal. Quem visitar o estande da Embrapa na exposição vai ganhar um saquinho com mini-cenouras suculentas e saudáveis, que podem ser apreciadas cruas, cozidas ou em outras receitas, de acordo com a preferência de cada um.

O processo para produção de mini-cenouras foi desenvolvido pela Embrapa Hortaliças (Brasília-DF) e consiste no torneamento de pedaços da raiz de cenoura, por atrito em superfície áspera em uma máquina, transformando-os em bolinhas (Catetinho) e cenourinhas (Cenourete). As vantagens desse processo são a simplicidade de processamento, o baixo custo de investimento e a possibilidade de instalação de uma rede de agroindústrias familiares próximas aos mercados consumidores. Além disso, permite a utilização de cenouras abaixo do padrão comercial como matéria-prima, um modo simples de agregar valor ao produto.

Essa é uma das tecnologias que a Embrapa está disponibilizando para incubação de empresas no Distrito Federal. Outras duas tecnologias também serão apresentadas ao público de Brasília durante a Feira Botânica do CasaPark.

Produção de cogumelos comestíveis e medicinais - A produção de cogumelos comestíveis e medicinais pela técnica chinesa Jun-Cao foi adaptada pela Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília-DF) para o Brasil com o objetivo de diminuir o custo de produção de cogumelos, já que substitui os meios de cultivo tradicionais (troncos de árvore ou serragem) por substrato de capim com alguns nutrientes. Essa tecnologia permite que o cultivo de cogumelos seja mais rápido e ambientalmente mais saudável, além de contribuir para aumentar o mercado consumidor.

A empresa Cultives Ltda., primeira a formalizar a participação no programa de incubação de empresas utilizando tecnologias da Embrapa em 2005, também estará presente na Feira Botânica, onde vai mostrar os resultados alcançados até o momento.

O mercado para cogumelos no Brasil ainda tem muito potencial para crescer, já que o consumo desses produtos no país (30 gramas/ano per capita) ainda é quase inexpressivo, quando comparado ao de outros países, como a França, por exemplo, onde chega a 2 kg/ano.

Espécies nativas do cerrado - Outra tecnologia que será apresentada ao público da capital federal no Shopping CasaPark será a produção de espécies nativas do cerrado, um serviço específico prestado pela Embrapa Cerrados (Brasília-DF) para o aproveitamento alimentar das espécies nativas do Cerrado a partir do processamento e beneficiamento dos frutos de baru, pequi, cagaita, jatobá, araticum e da comercialização dos seus subprodutos.

Incubação de empresas: conhecimento científico e tecnológico mais próximo do produtor - O programa de incubação de empresas da Embrapa tem como objetivo disponibilizar tecnologias geradas na área de agropecuária para empresas de base tecnológica que queiram se instalar em incubadoras parceiras do Programa de Apoio ao Desenvolvimento de Novas Empresas de Base Tecnológica Agropecuária (PROETA). Esse programa é parcialmente financiado pelo Banco interamericano de Desenvolvimento (BID) e destina-se a estimular a utilização de tecnologias da Embrapa, por meio da incubação de empresas em incubadoras já existentes.

O programa de incubação de empresas da Embrapa tem como alvo principal empreendedores com potencial para absorver conhecimento científico ou tecnológico e que queiram desenvolver empresas inovadoras ligadas às cadeias produtivas do agronegócio.

Segundo o chefe-geral da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, José Manuel Cabral, coordenador da Unidade Piloto do Distrito Federal, o objetivo é buscar parcerias com incubadoras em várias regiões do Brasil. “Considerando que existem, no país, cerca de 300 incubadoras de empresas, é muito provável que o modelo de incubação da Embrapa seja eficiente para expandir significativamente a utilização das tecnologias geradas pela Empresa para novos empreendedores de diferentes regiões brasileiras”, ressalta Cabral.

A exposição da Embrapa na Feira Botânica do Shopping CasaPark pode ser visitada no sábado, dia 28 de julho, das 10h00 às 22h00, e no domingo, dia 29, das 10 às 20h00.

Fonte: Fernanda Diniz / Embrapa

Mapa atualiza legislação sobre erradicação da febre aftosa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou na sexta-feira, dia 20, no Diário Oficial da União, portaria colocando em consulta pública projeto de Instrução Normativa para aprovar os procedimentos visando a erradicação e a prevenção da febre aftosa no país.

A proposta é reunir as legislações, dando um corpo único ao programa; tratando das responsabilidades; do atendimento a focos; reconhecimento e manutenção de zonas livres; vacinação e trânsito de animais susceptíveis; seus produtos e subprodutos; assim como introduzir novos conceitos, como o de ‘zona de contenção’, aprovado durante a 75ª reunião ordinária da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), realizada em maio deste ano em Paris. Outro ponto importante é que a proposta contempla recomendações da última missão da União Européia, cumprindo compromissos assumidos pelo Brasil com países importadores.

Os trabalhos contra a febre aftosa no país, de forma organizada e oficial, vêm se desenvolvendo há mais de 40 anos. Já em 1992 a política e as estratégias de combate à febre aftosa foram revisadas objetivando a erradicação desta doença do território nacional. Desde então o Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (Pnefa) obteve grandes avanços, com incorporação de mais de 50% das terras brasileiras e mais de 80% dos rebanhos bovino e suíno na zona livre de febre aftosa com vacinação.

Diante da mudança de cenários, nacional e mundial, e dos novos desafios para a erradicação e prevenção da doença no país, o Mapa movimentou-se para atualizar os procedimentos técnicos e operacionais do Pnefa, com base nas diretrizes internacionais e nos conhecimentos científicos disponíveis. Normas produzidas durante décadas foram reunidas, organizadas e atualizadas.

O prazo para as manifestações à consulta pública é de 30 dias a partir da publicação. Os comentários, tecnicamente fundamentados, deverão ser encaminhados por escrito até o dia 18 de agosto para o seguinte endereço: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento / Secretaria de Defesa Agropecuária / Departamento de Saúde Animal / Coordenação de Febre Aftosa (Mapa/SDA/DSA/CFA) – Esplanada dos Ministérios, Bloco D, Anexo A, Salas 314 e 316, CEP 70043-900 – Brasília / DF, ou para o e-mail.

A Portaria nº 94 e a proposta de Instrução Normativa podem ser lidas na íntegra no site do Ministério.

Fonte: Embrapa

Simpósio sobre Plantio Direto Na Palha

Dois precursores do sistema de Plantio Direto na Palha do Brasil e grandes agropecuaristas da Região dos Campos Gerais, Manoel Henrique Pereira (Nonô) e Frank Dijkstra, visitaram na tarde desta terça-feira (24/07), o reitor da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), professor João Carlos Gomes.

O objetivo foi o de anunciar e de convidar o reitor para participar da realização do Simpósio sobre Plantio Direto na Palha – Gestão Sustentável do Agronegócio, que acontece de 29 a 31 de agosto, com ampla programação, no Bristol Vila Velha Hotel, em Ponta Grossa.

De acordo com Manoel Henrique, a promoção é da Federação Brasileira de Plantio Direto na Palha, com o apoio da própria UEPG, Prefeitura Municipal, Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Fundação ABC, entre outras instituições. “O evento tem o objetivo de enriquecer o conhecimento dos participantes, através de informações e discussões sobre a gestão sustentável do agronegócio, tendo o sistema plantio direto na palha como base do processo”, explicou Pereira. Ele frisou que “entendemos o plantio direto na palha como uma das mais importantes ferramentas para que a meta da produção sustentável seja atingida”.

Para Frank Dijkstra, produzir com sustentabilidade é o grande desafio do agricultor. “Não podemos mais conceber um bom resultado produtivo desvinculado do cuidado com o meio ambiente”, disse Frank, acrescentando que “é com esta premissa que a Federação propõe a realização deste simpósio”.

O evento pretende propiciar maior conscientização e permitir o avanço da discussão relacionada com o tema, além de reunir produtores, pesquisadores, profissionais, ambientalistas e estudantes, a fim de estimular a troca de experiências.

O reitor, ao confirmar sua presença, aproveitou a visita de ambos para lembrar a criação do Bacharelado em Agronomia, na UEPG, afirmando que, justamente por influência de Manoel Henrique Pereira, com o apoio de Frank Dijkstra e Américo Conrado Meinicke, o curso foi o primeiro a incluir em sua grade curricular a disciplina de Plantio Direto. “Sem dúvida nenhuma essas personalidades fizeram escola e, através de seus ensinamentos conseguiram disseminar a tecnologia pelo Brasil afora”, destacou João Carlos.

Fonte: Uepg