quinta-feira, 26 de julho de 2007

Fatea realiza o 1º Congresso Integrado do Conhecimento em Lorena

Nos dias 29, 30 e 31 de agosto, em Lorena - São Paulo, a FATEA promoverá o 1º Congresso Integrado do Conhecimento, cujo tema é Vida, Sociedade e Futuro. Com o objetivo de promover troca de experiências e atualidades, a FATEA espera receber três mil pessoas a cada dia.

O evento foi dividido em três áreas: Saúde, Educação e Tecnologia, terá três palestras principais, 42 palestras, 36 mini-cursos, 20 oficinas e 10 mesas redondas. Além disso, acontecerão apresentações culturais, exposições de livros, danças e outros. O inscrito deverá montar a sua própria programação, já que muitas atividades coincidirão de data e horário.

Dentro da programação do Congresso o ISPIC e o PROPÓS, Instituto Superior de Iniciação Cientifica e Proda FATEA promoverão o IV Encontro de Iniciação Científica e a II Mostra de Pós-graduação.

As inscrições podem ser feitas pelo site da FATEA e as taxas variam de R$ 15 a R$ 110. As inscrições serão feitas por categorias e variam de preço a cada mês.

Mais informações sobre o congresso através do endereço, informações específicas sobre o IV Encontro de Iniciação Científica e a II Mostra de Pós-Graduação no endereço.

Fonte: Fatea

ITA coordena Congresso Técnico na Intertooling Brasil 2007

A Intertooling Brasil 2007 - Feira e Congresso Internacional de Tecnologia de Ferramentais - que acontece de 24 a 27 de julho, das 10 às 19 horas, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo/SP, traz muitas novidades.

A segunda edição do evento apresenta as novas tecnologias de ferramentais e ainda promove pela primeira vez, por meio do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), o Congresso de Tecnologia para Ferramentais e o Prêmio Excelência Técnica Intertooling Brasil.

A Intertooling Brasil 2007 tem como objetivo criar soluções alternativas e mostrar o melhor que o setor tem para oferecer, reunindo fornecedores e usuários de sistemas e manufatura. Além disso, o evento visa abrir novas oportunidades de negócios e parcerias na cadeia produtiva, com a valorização dos produtos técnicos brasileiros.

No Congresso serão apresentadas as mais recentes tecnologias aplicadas no mercado e ainda tem como proposta o aprimoramento do conhecimento técnico dos participantes, com temas como a redução de custos e a melhoria da qualidade no segmento de ferramentais.

Os temas selecionados para o evento deste ano são:

"Visão dos compradores de moldes e matrizes" - Astra
"Uma Reflexão sobre moldes da China" - Revista Ferramental
"Modelo de gestão de requisitos tecnológicos e organizacionais" - DaimlerChrysler
"Desenvolvimento do ITA em fabricação de superfícies complexas de moldes e matrizes" - ITA
"Escolha do Aço para diferentes situações" - Villares Metals
"Técnicas TPM de gerenciamento em ferramentarias" - Ferramentaria Bosch Campinas
"Desenvolvimentos em prototipagem rápida e ferramental rápido" - Sisgraph
"Desenvolvimentos em Projetos de moldes" - High Tech
"Desenvolvimentos em Revestimento de Moldes" - Oerlikon
"Técnicas de Engenharia Reversa" - Robtec

Maiores informações pelo endereço ou pelo telefone (47) 3451-3000

Fonte: Cimm

Afinal, o que é ser homem?

“Afinal, o que é ser homem? Essa é uma pergunta de difícil resposta”, diz a antropóloga e doutora em demografia Sandra Garcia, pesquisadora do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap).

Segundo a autora do estudo recém-lançado Homens na intimidade: masculinidades contemporâneas, baseado em tese de doutorado apoiada pela FAPESP, sabe-se ainda menos sobre a relação dos homens com a reprodução, sua ótica particular sobre a contracepção e os significados que atribuem à esfera reprodutiva. “O fato é que os homens têm constado nas pesquisas de forma secundária, embora participem da concepção das crianças”, disse.

No programa de rádio Pesquisa Brasil do próximo fim de semana, Sandra falará sobre a pesquisa em que entrevistou homens entre 25 e 55 anos, pertencentes às classes médias, para refletir sobre a identidade masculina e as mudanças nas relações de gênero.

Pesquisa Brasil é transmitido pela Rádio Eldorado AM (700 kHz) aos sábados, às 11h e, especialmente neste final de semana, reapresentação no domingo às 20 horas. Nos mesmos horários, pode ser acompanhado pela DirecTV, no canal de áudio 883, ou pela internet, no endereço.

Baixe a publicação :  Dimensões do processo reprodutivo e da saúde da criança de Sandra Garcia


Fonte: Agência Fapesp

Prêmios de reconhecimento técnico distribuem mais de R$ 100 mil

Neste ano, a premiação elegeu 16 contribuições técnicas que foram premiadas na solenidade de abertura do 62º Congresso Anual da ABM - Internacional, na noite de segunda-feira (23). Diversos profissionais receberam o Prêmio de Reconhecimento Técnico, por serem os autores dos melhores trabalhos apresentados nos eventos da ABM em 2006, quando foram apresentadas 745 contribuições técnicas.

Um dos prêmios (Siemens de Automação) será entregue em outubro, durante o XI Seminário de Automação e corresponde a uma viagem à Áustria. Os demais prêmios são em dinheiro, totalizando mais de R$ 100 mil.

A seleção dos premiados envolve um longo processo de análise e seleção por comissões técnicas, formadas por profissionais altamente especializados. "A primeira triagem ocorre com a avaliação dos resumos das contribuições técnicas encaminhadas aos seminários e ao congresso anual. Uma vez aceitos, são avaliadas as íntegras e, se novamente aceitos, são apresentados nos eventos da ABM", explica o coordenador Administrativo e Financeiro da ABM, Reinaldo Nascimento.

Durante as apresentações, os trabalhos são novamente avaliados e pontuados, sendo que os melhores são encaminhados para novas comissões de especialistas, que definirão os ganhadores da premiação.

Abaixo, os prêmios que foram entregues na abertura do 62º Congresso Anual da ABM - Internacional, autores e respectivos trabalhos.

Prêmio Acesita
Empresa instituidora: Acesita
Trabalho vencedor: ‘Estudo da Cinética de Oxidação a Quente no Aço Inoxidável Ferrítico ABNT 430’, apresentado no 43º Seminário de Laminação.
Autores: Luiz Fernando Andrade de Castro, Dagoberto Brandão Santos, Vicente Tadeu Lopes Buono, Geovane Martins Castro e Edson Hugo Rossi

Prêmio Luiz Dumont Villares
Empresa instituidora: Aços Villares
Trabalho vencedor: ‘Ligações Interfaciais em Filmes Nanométricos de TIN/TI Aço AISI M2 Nitretado a Plasma’, apresentado no 61º Congresso Anual da ABM
Autores: Telmo Roberto Strohaecker, Marco Durlo Tier, Flávio Kieckow, Carlos Fortis Kwietniwski, Israel Baumovol e Afonso Reguly

Prêmio Bodycode Brasimet
Empresa instituidora: Bodycode Brasimet
Trabalho vencedor: ‘Gradiente de Deformação e Textura em Chapas de Aço Submetidas a Laminação de Encruamento’, apresentado no 61º Congresso da ABM
Autores: Fernando José Gomes Landgraf, Nicolau Apoena Castro, Ronald Lesley Plaut e Taeko Yonamini

Prêmio ArcelorMittal Tubarão – Aciaria
Empresa instituidora: ArcelorMittal Tubarão
Trabalho vencedor: ‘Otimização do Processo Cal-Mg de Dessulfuração do Gusa Através do Uso de Lança Rotativa’, apresentado no 37º Seminário de Aciaria
Autores: Sérgio Luiz de Souza Costa, Eugénio Pacelli M. de Araújo, Ivan Lopes Alves e Jorge Lima de Siqueira

Prêmio ArcelorMittal Tubarão – Qualidade e Produtividade
Empresa instituidora: ArcelorMittal Tubarão
Trabalho vencedor: ‘Relacionamento com Clientes: Transformando Visitas Num Diferencial Competitivo’, apresentado no 61º Congresso Anual da ABM
Autor: Rosane Aparecida Vasques

Prêmio Antônio Mourão Guimarães
Empresa instituidora: Magnesita.
Trabalho vencedor: ‘Utilização de Modificadores de Fluxo no Distribuidor da Máquina de Lingotamento Contínuo da Aços Villares - Usina Mogi das Cruzes’, apresentado no 37º Seminário de Aciaria
Autores: José Roberto Bolota, Marcelo Carboneri Carboni, Wender Andrade Alves, Marcos Antonio Miranda, Wilson da Silva Barbosa, Alexandre Silveira de Azevedo e Carlos Roberto dos Santos

Prêmio Intendente Câmara
Empresa instituidora: Usinas Siderúgicas de Minas Gerais – Usiminas
Trabalho vencedor: ‘Utilização de Coque de Petróleo nas Misturas Injetadas nos Altos-Fornos da CSN’, apresentado no 36º Seminário de Redução de Ferro e Matérias-primas Autores: Agenor Medrado da Silva, Sebastião Jorge Xavier Noblat, Swami Botelho Medrado e João Andrade de Carvalho Júnior

Prêmio Samarco
Empresa instituidora: Samarco Mineração
Trabalho vencedor: ‘Fatores Influenciadores da Determinação de Ferro Total em Minério de Ferro Po Fluorescência de Raios-X’, apresentado no 36º Seminário de Redução de Minério de Ferro e Matérias-primas
Autores: Marcelo Milheiro Silva, Paulo de Souza Júnior e Cláudio Batista Vieira

Prêmio Usina Presidente Vargas
Empresa instituidora: Companhia Siderúrgica Nacional – CSN
Trabalho vencedor: ‘Utilização de Sulfato de Sódio como Eletrólito Suporte no Processo de Eletrogalvanização da Usiminas’, apresentado no 43º Seminário de Laminação
Autores: Carlaine Fonseca de Souza, Gileno Antonio de Oliveira e Luiz Carlos de Paiva

Prêmio Recuperação do Valor Econômico de Resíduos Metálicos Gerados na Siderurgia
Empresa instituidora: Multiserv
Trabalho vencedor: ‘Metodologia de Controle no Consumo de Co-Produtos na Sinterização da CST-Arcelor Brasil’, apresentado no 61º Congresso Anual da ABM
Autores: Hugo Guimarães Menezes, Marcos Aurélio Larcher, Marcelo Wendling M. Andrade, Edson Luiz Massanori Harano e Humberto Luiz Martins de Oliveira

Prêmio Siemens VAI de Meio Ambiente
Empresa instituidora: Vöest-Alpine
Trabalho vencedor: ‘Avaliação do Uso de Supressor Químico de Particulados Nas Operações de Manuseio de Pelotas de Minério de Ferro da Samarco Mineração S/A’, apresentado no 61º Congresso Anual da ABM
Autores: Vinícius Oliveira Fonseca, Maurício Marcos Otaviano, Paulo Cezar Siqueira Silva e Mauro Pinto dos Reis

Prêmio Cosipa
Empresa instituidora: Companhia Siderúrgica Paulista - Cosipa
Trabalho vencedor: ‘Influência das Variáveis de Processo Sobre o Escorregamento Avante na Primeira Cadeira do Laminador de Tiras a Frio da Cosipa’, apresentado no 43º Seminário de Laminação
Autores: Karl Kristian Bagger, Mateus Alexandre da Silva, Maurício F. Giovannetti, Sérgio Luiz Muratori e Carlos Thadeu de Ávila Pires

Prêmio Belgo-Bekaert de Solda
Empresa instituidora: Belgo-Bekaert Arames
Trabalho vencedor: ‘Sistema de Monitoração e Controle (Em Tempo Real) da Soldagem GTAW Utilizando Espectroscopia Óptica de Emissão como Sensor de Temperatura Eletrônica’, apresentado no 61º Congresso Anual da ABM
Autores: Diogo de Souza Mendonça, Sadek Crisóstomo Absi Affaro e Geovany Araújo Borges

Prêmio Tharcísio Damy de Souza Santos
Empresa instituidora: Cia. Brasileira de Alumínio – CBA
Trabalho vencedor: ‘Estudo Experimental da Tixolaminação de Tiras Metálicas’, apresentado no 61º Congresso Anual da ABM
Autores: Antonio de Pádua Lima Filho, Márcio Yuji Yamasaki, Suelen Cristina dos Santos e Leandro Akita Ono

Prêmio Vale do Rio Doce
Empresa instituidora: Companhia Vale do Rio Doce - CVRD
Trabalho vencedor: ‘Flexibilidade de Matérias-Primas No Processo Tecnored’, apresentado no 61º Congresso Anual da ABM
Autores: José Henrique Noldin Júnior, José Carlos D'Abreu, Pedro Henrique Carpinetti Costa e Edmar Saul Mardreze.

Fonte: Cimm

Projeto conjunto de universidades analisa uso da High Speed Cutting

Desenvolvido pelo Dr. Carl Salomon na década de 20, a High Speed Cutting (HSC) é a tecnologia mais eficiente para os processos de usinagem atualmente. Voltada para indústrias que exigem velocidade de produção e precisão, proporciona redução do tempo de fabricação e dos custos, além de proporcionar maior qualidade de acabamento e menor distorção na peça final.

Trata-se de uma tecnologia em constante desenvolvimento que pode ser utilizada em diferentes processos de fabricação. Por essas razões, um projeto temático da Fapesp promove experimentos e estudos para a sua aplicação. Criado em 2000, o projeto é realizado em conjunto pela Universidade de São Paulo (USP) campus de São Carlos e de São Paulo, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e pela Universidade Metodista de Piracicaba (Unimep) e recebe apoio do Instituto Fábrica do Milênio.

Nos processos de usinagem, o uso da HSC chega a eliminar ou diminuir em até 90% a necessidade de polimento das peças. “As ferramentarias nacionais que conseguem absorver a tecnologia se destacam. Adquirem potencial para concorrer com as indústrias européias e asiáticas”, observa Reginaldo Teixeira Coelho, professor doutor do laboratório de Otimização de Processos de Fabricação da USP de São Carlos.

Para a produção de um molde, por exemplo, o tempo de fabricação cai cerca de 50 a 60% em relação aos processos tradicionais. Além do tempo, a HSC amplia o alcance de aplicação dos moldes e matrizes. “A fabricação mais rápida resultando em produtos mais precisos faz com que os custos sejam rateados tornando viável a fabricação de moldes para quantidades menores de produtos. O que é inviável economicamente usando processos tradicionais”, afirma Reginaldo.

O projeto analisa, atualmente, a aplicação da tecnologia na produção de moldes de fundição para peças miniaturizadas, de um milímetro de comprimento, por exemplo. “Somente com a tecnologia High Speed é possível a produção desses moldes com o nível de precisão necessário”, diz Reginaldo.

Desenvolvido sempre em conjunto com representantes do setor, o projeto também conta com o apoio de empresas interessadas em adaptar a tecnologia, das áreas de ferramentaria, fabricação de máquinas e etc.

Fonte: Cimm

Brasil pode produzir biodiesel com tecnologia nacional em 2008, afirma Petrobras

O Brasil pode começar a produzir biodiesel comercialmente com tecnologia 100% nacional já no próximo ano. Duas usinas desenvolvidas por pesquisadores da Petrobras estão em fase de testes em Guamaré (RN), a 180 quilômetros de Natal, com produção do óleo a partir de mamona e capacidade para outras oleaginosas, como girassol, dendê e pinhão manso.

Para a estatal, mais do que para a produção em escala, as duas plantas são importantes para desenvolver a tecnologia do biodiesel no Brasil. Outras três unidades do produto em construção pela Petrobras foram desenvolvidas nos Estados Unidos, mas devem ser adaptadas com tecnologia nacional para poder processar as plantas brasileiras.

"O domínio tecnológico é o que faz a diferença entre os países. Eles não crescem vendendo matéria prima, crescem vendendo tecnologia. O objetivo é vender um produto a um menor custo, com a melhor qualidade", disse o gerente de Desenvolvimento Energético de Gás e Energia da Petrobras, Mozart Schmitt.

As duas plantas de biodiesel do Rio Grande do Norte terão capacidade para produzir cerca de 17 mil toneladas de biodiesel por ano --20 milhões de litros. A quantidade é a mesma necessária para acrescentar 5% do óleo ao diesel no Estado, o que será obrigatório a partir de 2013.

A partir de janeiro do ano que vem, as distribuidoras terão que acrescentar 2% do biodiesel ao diesel vendido em todo o país. Isso gerará uma demanda de cerca de 800 milhões de litros por ano, dos quais a Petrobras pretende entrar com 171 milhões de litros.

"O objetivo da Petrobras é ser líder na produção de biodiesel. Acredito que no B-5 (em 2013) já teremos aprendido bastante para isso", disse Schmitt.

As plantas do Rio Grande do Norte serão usadas prioritariamente para pesquisa. A partir dos modelos, os pesquisadores da Petrobras pretendem, já em 2008, desenvolver projetos para a instalação de unidades maiores com a mesma tecnologia, que produziriam cerca de 100 milhões de toneladas por ano.

As duas usinas funcionam com tecnologias diferentes. A primeira produz o biodiesel a partir do óleo vegetal, como ocorre nos outros países. Já a segunda unidade retira o biodiesel diretamente das sementes, sem a necessidade de processar o grão antes para a extração do óleo vegetal, o que não é feito em nenhum lugar do mundo.

"As duas tecnologias terão méritos diferentes para cada local. Em um lugar mais isolado, a tecnologia do grão é mais vantajosa", explica Schimitt.

As unidades vem sendo desenvolvidas desde 2004 e demandaram investimentos de R$ 10 milhões cada. As duas usinas já produziram cerca de 110 mil litros de biodiesel experimentalmente de acordo com as especificações da ANP (Agência Nacional do Petróleo).

Outras usinas
A Petrobras está construindo outras três plantas de biodiesel em Candeias (BA), Montes Claros (MG) e Quixadá (CE), que deverão entrar em operação no fim deste ano. As três unidades demandaram investimentos de cerca de R$ 227 milhões.

O biodiesel será produzido com oleaginosas fornecidas pela agricultura familiar, como mamona, amendoim, girassol e algodão, e por grandes agricultores que fornecem principalmente soja.

Fonte: Linsnet

Pesquisa sobre efeitos da fragmentação em florestas tropicais sob ameaça no Amazonas

O maior e mais antigo experimento do mundo dedicado ao estudo dos efeitos da fragmentação em florestas tropicais está seriamente ameaçado por assentamentos agrícolas, caçadores e madeireiros.

O alerta foi feito na edição desta quinta-feira (26/7) da revista Nature, em artigo assinado pelos pesquisadores Regina Luizão, do departamento de Ecologia do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), e William Laurence, do Instituto de Pesquisas Tropicais Smithsonian, nos Estados Unidos.

O projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais (PDBFF), parceria entre o Inpa e o Smithsonian, tem o objetivo de quantificar mudanças no ecossistema da floresta tropical na região de Manaus, que ocorrem à medida que a floresta é fragmentada. Criado há 28 anos, o projeto já gerou mais de 500 artigos, além de 115 teses e dissertações.

As pesquisas são realizadas em fragmentos florestais de 1 a 100 hectares, distribuídos pelo Distrito Agropecuário da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa), ligada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. A área, com 1 mil quilômetros quadrados, situa-se a cerca de 40 quilômetros ao norte da capital amazonense.

Coordenadora científica do PDBFF, Regina Luizão define o artigo agora publicado como “um pedido de socorro para a sociedade e para a comunidade científica internacional”. Segundo ela, há cerca de cinco anos houve um acirramento nas políticas de colonização da floresta próxima ao projeto, estabelecidas pela Suframa e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

“A situação é muito grave. Os novos colonos não param de chegar. Conforme os assentamentos se proliferam, agricultores, caçadores e madeireiros sitiam as áreas de estudo”.

De acordo com Regina, o PDFBFF tem um valor científico incalculável, devido à sua configuração experimental rigorosa. “Na área de estudos, há fragmentos isolados, mas comparáveis, de 1, 10 e 100 hectares, ilhados em áreas desmatadas desde a década de 1970, quando o projeto começou.” Tal característica faz do projeto um verdadeiro laboratório na mata, permitindo o monitoramento antes mesmo de as áreas terem sido alteradas.

Regina afirma que a aceleração da colonização na região começou no fim da década de 1990, após a pavimentação da BR 174, estrada que liga Manaus à Venezuela. Mas, nos últimos anos, a Suframa passou a assentar famílias em áreas diretamente contíguas aos projetos de estudos.

“A Suframa não nos revela o número de assentamentos feitos nos últimos anos, mas é uma onda incessante. Sabemos que há pelo menos seis projetos de colonização a curto prazo, envolvendo 180 famílias. Eles alegam apenas que há uma pressão social para a ocupação e que estão regularizando áreas já invadidas”, disse.

De acordo com Regina, as áreas de pesquisa são unidades de conservação legalmente constituídas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) como Áreas de Relevante Interesse Ecológico.

A presença maciça no local, segundo Regina, colocou em risco a própria segurança dos pesquisadores. “No ano passado, as equipes sofreram dois assaltos em acampamentos, com a perda de equipamentos muito caros. Ouvimos ruídos de motosserras durante dias inteiros. Os estudantes voltaram dos acampamentos trazendo cartuchos vazios e relatando terem ouvido tiros”, contou Regina.

A queimada em um assentamento contíguo a uma área de estudos causou a perda de duas parcelas de florestas, arruinando trabalhos de pesquisa. “Um pós-doutorando havia coletado dados por um ano para um estudo de interação entre formigas e plantas. Faltavam dois meses para a conclusão quando ele chegou à área isolada e viu que tudo havia sido queimado”, disse.

Em 2004, de acordo com a cientista, a Suframa fez uma chamada para a realização de um projeto de Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) no distrito. Produzido pelo Serviço Geológico do Brasil, ligado ao Ministério de Minas e Energia, o relatório concluiu que a região é um hotspot de biodiversidade, ou seja, uma das áreas prioritárias para a conservação global.

“O relatório indica expressamente que a área não é própria para ocupação urbana. A Suframa está ignorando seu próprio documento. Ele ficou pronto em maio de 2006 e até agora não foi tornado público”, disse Regina.

De acordo com a cientista, os pesquisadores do PDBFF, com apoio da secretaria estadual de Desenvolvimento Florestal, do Ibama e do Experimento de Grande Escala da Biosfera-Atmosfera na Amazônia (LBA), fizeram toda a pressão possível para dissuadir a Suframa de criar assentamentos no local, mas não obtiveram resultados.


Orientar atividades agroindustriais
Procurada pela Agência FAPESP, a Suframa informou que a entrega do estudo de ZEE é apenas o primeiro passo de um amplo processo para sua implementação.

Uma comissão interdepartamental da instituição está finalizando uma análise do conteúdo e recomendações do estudo. “Terminada essa etapa, o ZEE deve obrigatoriamente passar pela Comissão Estadual de Zoneamento Ecológico-Econômico do Amazonas”, destaca a nota encaminhada pela assessoria de imprensa da Suframa.

Em seguida, o ZEE será remetido ao Ministério do Meio Ambiente para análise e aprovação e, depois disso, será encaminhado à Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas, para ser transformado em lei.

De acordo com a Suframa, o estudo foi encomendado com o objetivo de orientar, de forma sustentável e ambientalmente correta, as atividades agroindustriais no Distrito Agropecuário.

A instituição diz ainda que os trabalhos de alienação de áreas para produtores rurais constituem o fim principal do Distrito Agropecuário e não poderiam ser paralisados. Mas, em 2003, houve uma tentativa de acordo com o Inpa para o estabelecimento de uma área de segurança nas cercanias das parcelas dedicadas a pesquisas estabelecidas em Áreas de Relevante Interesse Ecológico.

“No entanto, houve discordância acerca do raio de extensão, pois o Inpa defendia uma área maior do que a proposta pela Suframa, não havendo definição sobre esse assunto. Mesmo assim, desde esse período não houve assentamento de famílias no entorno da área destinada às pesquisas”, informou a Suframa

A instituição afirma dar total apoio aos trabalhos das instituições de pesquisa desenvolvidos na área, sem prejuízo do objetivo-fim do Distrito Agropecuário, que é “o de possibilitar a atividade de produtores rurais mediante rígidos critérios, de forma sistemática e organizada, de modo a viabilizar a ocupação e exploração econômica, ecologicamente correta e socialmente desejável das áreas ocupadas com atividades agrícolas e agroindustriais”.

Fonte: Fábio de Castro / Agência Fapesp

2ª Escola Avançada do Inpe: Objetos compactos

A 2ª Escola Avançada do Inpe: Objetos compactos será realizada de 10 a 14 de setembro, em São José dos Campos (SP). As inscrições podem ser feitas até o dia 10 de agosto.

A realização é da Divisão de Astrofísica da Coordenação Geral de Ciências Espaciais e Atmosféricas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

As palestras, em inglês, serão:

“Cataclysmic variables”, com Brian Warner, professor do Departamento de Astronomia da Universidade da Cidade do Cabo, África do Sul;
“Generation mechanisms of gravitational waves”, com Kostas Kokkotas, professor do Departamento de Física da Universidade Aristóteles em Thessaloniki, na Grécia;
“Compact objects”, com Feryal Özel, professora do Departamento de Física da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos; e
“Accretion processes in neutron stars and black holes”, com Ronald Remillard, professor do Centro de Pesquisas Espaciais do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

Mais informações no endereço ou (12) 3945-7200

Fonte: Agência Fapesp

Palestra internacional no InRad

“Abordagem prática das alterações da coluna vertebral e medula espinhal” será o tema da palestra de Gregory Katzman, presidente do Departamento de Radiologia da Universidade de Medicina do Texas, nos Estados Unidos, no dia 31 de julho, às 12h, em São Paulo

O evento é promovido e será realizado no Instituto de Radiologia (InRad) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

O InRad fica na avenida dr. Enéas de Carvalho Aguiar nº 255, 3º andar, no bairro de Cerqueira César. A palestra ocorrerá no Anfiteatro Luiz Karpovas, no piso superior.

Mais informações pelo e-mail ou (11) 3069-6718

Fonte: Agência Fapesp

OMQF reúne 10 mil estudantes

Dez mil alunos do ensino médio, de 120 escolas públicas do estado de São Paulo, participaram da 3ª Olimpíada de Matemática, Química e Física (OMQF), promovida pelo Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) da FAPESP.

Nesta edição, participaram escolas de 57 municípios. O número de participantes aumentou em mais de cinco vezes em relação à edição anterior. “Um dos motivos para o crescimento foi atribuído ao sucesso da 2ª OMQF, que premiou 110 estudantes”, disse Antonio Hernandes, diretor de difusão do CMDMC e organizador do evento.

“Com finalidade estritamente educacional, a olimpíada objetiva incentivar o ingresso de jovens nas áreas científicas e tecnológicas, contribuir para a integração das escolas públicas com a universidade e despertar o interesse dos alunos pela atividade universitária”, disse Élson Longo, diretor-geral do CMDMC e professor do Instituto de Química da Universidade Estadual Paulista.

Segundo os organizadores, a 3ª OMQF consistiu de uma prova composta por 30 questões de física, química e matemática, com perguntas que adotaram como base o conteúdo didático do ensino médio e dos vestibulares mais tradicionais de São Paulo. A equipe de difusão do CMDMC foi a responsável pela elaboração das questões.

A premiação será realizada no dia 15 de setembro, no Anfiteatro Jorge Caron, no campus de São Carlos da Universidade de São Paulo. Serão premiados o melhor aluno de cada escola inscrita e os três melhores desempenhos na classificação geral.

Como prêmio serão oferecidos livros e pratos de cerâmica com filetes de ouro. Serão sorteadas duas passagens aéreas (aluno e professor), para os melhores classificados.

Mais informações no endereço.

Fonte: Agência Fapesp