quarta-feira, 25 de julho de 2007

UFRJ organiza o 7º Simpósio de segurança da informação e de sistemas operacionais

O Núcleo de Computação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (NCE/UFRJ) realizará, de 27 a 31 de agosto, no Rio de Janeiro (RJ), o 7º Simpósio Brasileiro de Segurança da Informação e de Sistemas Operacionais (SBSeg). O evento é promovido pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC).

O simpósio é uma oportunidade para a apresentação de novas pesquisas e atividades ligadas à segurança de sistemas de informação. Também possibilita a integração entre os pesquisadores e profissionais da área, além da troca de informações com especialistas estrangeiros. Os participantes terão, ainda, a oportunidade de freqüentar palestras, mini-cursos, workshops, painéis de discussão e sessões técnicas.

Para saber mais sobre o evento visite o sítio.

Fonte: Ufrj

RJ recebe a mostra Leonardo da Vinci - A Exibição de um gênio

A exposição "Leonardo da Vinci - A Exibição de um gênio" abriga mais de 150 peças inspiradas na vida e obra do pintor, escultor, cientista, arquiteto, engenheiro e inventor italiano, considerado um dos maiores nomes da história do Renascimento e da humanidade.

Autenticidade - A mostra contempla a essência criativa de Leonardo da Vinci (1452-1519), em todas as facetas de seu legado. Dada a restrita quantidade de originais existentes e a rígida legislação que restringe a circulação destes, todos os trabalhos foram concebidos em solo italiano, por um grupo de artesãos e especialistas europeus coordenados por Modesto Veccia, presidente da Anthropos Foundation e referência mundial na pesquisa do legado davinciano.

A origem da mostra - Desde a metade da década de 50, famílias de artesãos italianos têm estudado os códigos e os modelos de máquinas desenvolvidos por Da Vinci. As primeiras peças foram encaminhadas para Vinci, cidade de origem do artista, e ao Museu de Milão - onde ainda se encontram em exposição. Nos anos 90, um acervo destas máquinas foi preparado para itinerar por cidades européias como Florença, Veneza, Berlim, Viena, Varsóvia e Atenas. Apesar do formato reduzido, as exposições obtiveram um retorno bem-sucedido, variando entre 50 mil e 100 mil visitas por mês. Em maio de 2006, a Anthropos Foundation e a RYP Australia estabeleceram uma parceria para realizar este conceito, que originou a mostra atual.

A exposição - "Leonardo da Vinci - A Exibição de um gênio" está dividida em treze segmentos: "Estudos Anatômicos", "Arte da Guerra", "Máquinas civis", "Códices", "O pai da aviação", "Máquinas Hidráulicas e Aquáticas", "Instrumentos Musicais e Ópticos", "Estudos sobre Física e Mecânica", "A arte da Renascença", "O Homem Vitruviano", "Desenhos da batalha de Anghiari", "Documentário" e "Vídeos em 2D e 3D sobre o Homem Vitruviano e a Última Ceia".

Com 75 máquinas, entre elas, volantes, sistemas de rolamentos de esferas e molas espirais dividem espaço maquetes e modelos em escala original para itens como bicicleta, escavadeira, perfurador, carro de auto-tração e pontes móveis. No segmento bélico, apresentam-se artefatos como catapulta, canhões e tanques, enquanto os projetos aquáticos mostram sua inventividade visionária, trazendo escafandros, equipamentos para respiração e até mesmo um submarino. Entre as contribuições fundamentais para a conquista do espaço aéreo, que incluem o pára-quedas, o deltaplano, o estudo da asa e o anemômetro, está também a própria "máquina-voadora" - um helicóptero de 4m x 4,5m. Por outro lado, sua relação com a música - Da Vinci era conhecido por sua habilidade em tocar a lira e também por dirigir festivais e espetáculos em Milão - originou projetos e preciosidades como o piano portátil, o tambor e a flauta mecânicos.

Detalhados e precisos desenhos de Da Vinci formam o conteúdo de "Estudos Anatômicos"(40), disciplina que desenvolveu ao dissecar mais de trinta corpos - não só para captar a beleza das proporções, como também o fluxo de energia que emanava da figura em movimento. "A Arte da Renascença" exibe reproduções de dez de suas mais famosas pinturas, como a "Mona Lisa" e "A Última Ceia". "Desenhos da Batalha de Anghiari" traz 14 ilustrações retratando a vitoriosa ofensiva de Florença em 1440. "Códices" reúne cinco conjuntos de manuscritos e desenhos que registram diversas épocas da vida de Leonardo da Vinci e seus projetos, com notas, teorias e assuntos superpostos livremente entre as páginas. Em formato 3D, apresentações em telas de plasma sobre o estudo da proporcionalidade divina, em "O Homem Vitruviano" e, em 2D, o estudo em movimento para a criação da "Última Ceia" formam outro setor da exposição, que se completa com dois murais - uma linha do tempo chamada "A Vida e Realizações de Da Vinci" e outro com suas mais importantes citações - e um "Documentário" sobre sua trajetória.

Maiores informações no endereço.

Fonte: Página do evento