domingo, 15 de julho de 2007

Brasil e Estados Unidos assinam documento para fomentar a inovação e a competitividade

O documento elaborado em conjunto entre o Movimento Brasil Competitivo (MBC) e o Conselho de Competitividade Americano (CoC), denominado Chamada à Ação, foi assinado hoje (12/07), em Brasília, durante o I US Brazil Innovation Summit. Na ocasião, em coletiva de imprensa, estiveram presentes o presidente fundador do MBC, Jorge Gerdau Johannpeter; a presidente do Conselho de Competitividade Americano, Deborah Wince-Smith; o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Reginaldo Arcuri; e o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Antonio Patriota.

Nesta Chamada à Ação os líderes dos dois países se comprometem a trabalhar juntos para um futuro fomentado em inovação. Para Jorge Gerdau Johannpeter, a inovação é um instrumento necessário para a competitividade. "Na prática você tem dois caminhos: a estagnação, que leva ao desaparecimento da empresa, e a inovação, que é a possibilidade de competir", afirmou Gerdau. Para Deborah Wince-Smith o documento trata dos princípios e condições que permitem a inovação. "É um conjunto de atividades completas para os próximos três anos. Temos o compromisso concreto de fazer isso de uma forma fantástica", garantiu.

O presidente da ABDI, Reginaldo Arcuri, destacou o aspecto de mobilização que o I Us Brazil Innovation Summit tem. "Esta é uma das ações mais centrais para que a inovação penetre no tecido econômico", revelou. Para Arcuri, esta é a hora da ação. "É preciso fazer acontecer. Esta Chamada à Ação dá a dimensão do que se busca nesse momento", afirmou. O presidente da ABDI salientou que a parceria entre Brasil e Estados Unidos é "desejável e necessária". "Estamos com parceiros corretos, por uma causa justa e em um momento especial", concluiu.

Para o embaixador do Brasil nos Estados Unidos, Antônio Patriota "além da capacidade de criar idéias novas é preciso que o setor empresarial possa colocá-las em prática". Patriota salientou a importância do US Brazil Innovation Summit e a aproximação entre Brasil e Estados Unidos. "O Brasil precisa aprender bastante com os Estados Unidos sobre a maneira de interagir entre os setores público e privado para impulsionar a competitividade", afirmou.

"As construções devem ser feitas por meio de políticas governamentais e empresariais", afirmou Gerdau. Ele garantiu que, se o empresariado brasileiro entendesse a importância da competitividade, o país já teria políticas governamentais que apoiassem a causa. "O governo é um meio, mas a mudança tem que estar na cabeça das lideranças", revelou.

Sobre as áreas mais promissoras dessa parceria entre Brasil e Estados Unidos, tanto Jorge Gerdau Johannpeter quanto Deborah Wince-Smith apontaram o desafio da biotecnologia, e as áreas digital, genética, atômica e agrícola. "As possibilidades são ilimitadas", afirmou Gerdau. A presidente do CoC alertou para a necessidade do investimento no registro de patentes. "A proteção à propriedade intelectual é condição necessária para o desenvolvimento da competitividade", ressaltou Deborah.

Talento, investimento e infra-estrutura são os três pilares do documento assinado hoje. Entre as ações propostas no Chamada à Ação estão: criar uma força tarefa para identificar barreiras regulatórias, legais, e tarifárias; estabelecer um Mapeamento das Inovações e Reformas Regulatórias bianual, a fim de medir o progresso na eliminação das barreiras; estabelecer nos próximos dois anos um projeto conjunto para criar um novo Índice de Inovação e Competitividade para as Américas; estimular o intercâmbio entre CEOs dos Estados Unidos e Brasil, em atividades e projetos do MBC e CoC; e planejar a segunda edição do Seminário de Inovação entre Brasil e Estados Unidos em 2009.

Fonte: Abdi

O crescimento de crianças alimentadas com leite materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida

Growth of exclusively breastfed infants in the first 6 months of life

O leite humano se torna cada vez mais soberano. Um estudo realizado em Belém (PA), que acompanhou os seis primeiros meses de vida de 184 crianças atendidas pelo Programa de Incentivo ao Aleitamento Materno Exclusivo, em uma instituição pública, reforça o caráter essencial da amamentação.

Segundo a pesquisa, publicada no Jornal da Pediatria, os bebês que foram alimentados exclusivamente com o leite da mãe cresceram acima da média. Os resultados obtidos em Belém foram comparados com a tabela de peso ideal do Centro Nacional de Estatísticas de Saúde, dos Estados Unidos, e com as médias que haviam sido encontradas por outros pesquisadores no Brasil.

Das 184 crianças, 55,88% (57) eram do sexo masculino e 44,12% (45) eram meninas. Do total, 71,56% estavam com o peso superior ao da curva padrão aos seis meses de vida. Não apenas o peso mas também o tamanho das crianças seguiu um padrão ideal de crescimento. O peso dos bebês alimentados apenas com o leite materno dobrou antes do quarto mês de vida.

Segundo os pesquisadores, as vantagens do leite materno estão mais uma vez comprovadas. Além disso, as ações educacionais feitas pelo programa paraense também influenciaram nos resultados. Em Belém, as mães foram orientadas, por exemplo, a fazer o aleitamento sob livre demanda. As técnicas adequadas para que a criança desenvolva uma pega correta também foram ensinadas pelas assistentes sociais.

O artigo O crescimento de crianças alimentadas com leite materno exclusivo nos primeiros 6 meses de vida, foi escrito por Rosa Vieira Marques, mestre em pediatria pela Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina (EPM), com Fábio Lopez e Josefina Braga, professores adjuntos do Departamento de Pediatria da EPM.

Para ler o artigo, disponível na biblioteca eletrônica SciELO (Bireme/FAPESP), clique aqui.

Fonte: Agência FAPESP

Inovações para desenvolvimento de aços de elevado valor agregado

Este é o tema do workshop que será realizado em Vitória (ES), no próximo dia 23, como parte da programação paralela do 62º Congresso Anual da ABM – Internacional. Com foco em ‘Tubos de Alta Resistência para Aplicações Estruturais e Transmissão de Fluidos’, o workshop contará com painéis para a discussão de aços microligados de alta resistência utilizados na produção de tubos de grandes diâmetros, tubos "UOE", tubos helicoidais e tubos sem costura.

Também serão apresentados aspectos de mercado, fabricação de produtos laminados: tiras a quente e chapas grossas, processos de produção de tubos, desenvolvimentos técnicos laboratoriais e testes industriais, mecanismos para obtenção de propriedades, recursos requeridos para desenvolvimento e aplicação.

“É um excelente momento para tratarmos desse assunto, devido à grande demanda por tubos estruturais para aplicação em gasodutos e oleodutos”, diz o coordenador do evento, Geraldo Iran Cardoso (ArcelorMittal Tubarão).

O workshop será realizado no Centro de Convenções de Vitória (Rua Constante Sodré, 157, Santa Lúcia), das 13 às 17h50, com entrada franca e vagas limitadas. Inscrição no local.

Programa:

13h00 - Abertura dos trabalhos pelo engenheiro Jardel Ferreira (ArcelorMittal Tubarão)

13h10 - Palestra "Recent X80 pipelines", Dr. J. Malcolm Gray

13h40 - Painel: “Demandas de Mercado e Desenvolvimento de Produto”. Coordenador: José Luiz Brandão(CSN). Painelistas: Rafael Mendoza (ArcelorMittal México), Fúlvio Siciliano (CBMM) e Ed Juarez (Usiminas)

14h50 - Painel: “Processos de Produção de Tubos”. Coordenador: Willy Ank (Cosipa). Painelistas: Júlio Márcio Silveira e Silva (V&M), Marcelo Fritz (Tenaris-Confab e Domingos Zampol Jr (TSA - Tubos Soldados do Atlântico).

16h30 - Painel: “Especificações, Aplicação de Produtos, Simulações Laboratoriais”. Coordenador: Geraldo Iran Cardoso (ArcelorMittal Tubarão). Painelistas: Ronaldo A. N. Barbosa (UFMG), Rajindra Ratnapuli (Confab) e Paulo Cellular (Petrobrás).

Informações sobre toda a programação do 62º Congresso Anual da ABM – Internacional, que acontece de 23 a 27 de julho, podem ser obtidas na homepage da ABM, onde também podem ser feitas as inscrições antecipadas para o evento até o dia 17.


Fonte: Abm

ABENDE participa de grupo de estudos internacional sobre Radiografia Digital

A ABENDE - Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção, participa de um grupo de estudos para desenvolvimento de projeto sobre Radiografia Digital Industrial.

A iniciativa de pesquisar o tema é da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), com sede em Viena, na Áustria. A agência convidou representantes de vários países em desenvolvimento, com associações de Ensaios Não Destrutivos, para participar das pesquisas.

A primeira reunião ocorreu no mês de junho, no Instituto de Pesquisas de Caracterização de Materiais e Ensaios - BAM (Bundesanstalt für Materialforschung und -prüfung) em Berlim, na Alemanha.

A pesquisadora Gabriela Ribeiro Pereira, do Laboratório de Instrumentação Nuclear do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE/UFRJ) representou a ABENDE no encontro.

Fonte: Abende