quarta-feira, 2 de maio de 2007

4º Fórum Internacional de Sepse

Sepse, ou sépsis, é uma resposta sistêmica a uma infecção, uma doença que traduz uma resposta inflamatória exacerbada à presença de microrganismo em tecidos previamente estéreis.

Segundo o Consenso Brasileiro de Sepse, a doença apresenta taxa de mortalidade de 30% a 55%, que pode chegar a 75% ao se considerar um tempo maior de acompanhamento. Cerca de 750 mil novos casos da doença são documentados por ano nos Estados Unidos. No Brasil, os dados ainda são escassos.

Para discutir avanços no tratamento de um problema grave, mas pouco conhecido, pesquisadores e médicos de diversos países estarão reunidos em São Paulo, nos dias 18 e 19 de maio, no 4º Fórum Internacional de Sepse.

Entre os temas a serem abordados estão: “Impacto do uso de protocolos gerenciados no tratamento da sepse”, com Sean Townsend, do Hospital Geral de Massachusetts, nos Estados Unidos, e Eliézer Silva, do Hospital Israelita Albert Einstein, Instituto do Coração e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp); “Controvérsias nas recomendações da SSC [Campanha Sobrevivendo à Sepse, na sigla em inglês]”, com Jorge Salluh, do Instituto Nacional de Câncer; e “Função celular”, com Fernando Cunha, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

A promoção do evento é do Latin American Sepsis Institute. O presidente do fórum é Reinaldo Salomão, professor titular de Infectologia da da Universidade Federal de São Paulo.

O evento será realizado no Hotel Golden Tulip Paulista Plaza, Alameda Santos, 85, Paraíso.

Mais informações: www.forumsepse.com.br/.

Fonte: Agência FAPESP

7th International congress of comparative physiology and biochemistry

Os resumos de trabalhos a serem apresentados no 7º International Congress of Comparative Physiology and Biochemistry, que será realizado de 12 a 16 de agosto, em Salvador, devem ser enviados à organização do evento até o dia 15 de maio. O encontro ocorre a cada quatro anos e congrega 12 sociedades científicas internacionais.

Entre os assuntos a serem discutidos, destacam-se “Chemical communication: density control in biological units”, “The biology of blood-sucking cone noses, vectors of Chagas Disease”, “Pumps, porters and channels: functional and evolutional constraints”, “Thermoregulation and temperature effects in tetrapoda”, “Snake: good model for physiological regulation studies”.

Mais informações no site www.ib.usp.br/iccpb-brazil/.

Fonte: Agência FAPESP

Science publica experimento pioneiro de física quântica da UFRJ

Pesquisa realizada no Laboratório de Ótica Quântica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) é reportada na Revista Science no dia 27/4, que também publica um comentário sobre o artigo na seção “Perspectivas”. A experiência mediu o decaimento do emaranhamento de pares de fótons (os corpúsculos elementares da luz), gerados através da iluminação de um cristal com um feixe de laser.

O estudo gerou a primeira demonstração experimental de uma sutil propriedade do mundo quântico, a morte súbita do emaranhamento. A equipe da UFRJ, formada por três professores, Luiz Davidovich, Paulo Henrique Souto Ribeiro e Stephen Patrick Walborn, pelo pós-doutor Marcelo de Almeida, e pelos estudantes Fernando de Melo, Alejo Salles e Malena Hor-Meyll, mostrou que o emaranhamento pode terminar, sob a ação do ambiente, em um instante finito, subitamente, mesmo quando cada constituinte do par decai de forma suave, em um processo que se completa somente para tempos infinitos.

Estados emaranhados são o ingrediente fundamental da computação quântica. “Nosso trabalho mostra que o emaranhamento pode terminar subitamente, mais cedo do que se esperaria. Isso coloca um limite fundamental para o tempo de cálculo dos computadores quânticos. Após o desaparecimento do emaranhamento, o computador quântico transforma-se em um computador clássico”, explica o Prof. Davidovich. “Esse resultado incentiva também a busca de métodos de cálculo que usem apenas sistemas quânticos mais robustos, para os quais o decaimento súbito não ocorre”, completa.

No experimento da UFRJ, foram gerados pares de fótons com polarizações (direções do campo elétrico) emaranhadas. Sabe-se que as polarizações dos dois fótons são idênticas, mas a polarização de cada fóton é desconhecida. Por outro lado, os momentos dos fótons (associados à direção de propagação de cada fóton) foram usados como o ambiente. O circuito ótico utilizado produz uma interação entre a polarização e o momento de cada fóton, o que leva a um decaimento da polarização e à extinção do emaranhamento.

Para o Prof. Davidovich, a publicação do artigo na Science, uma das mais prestigiadas publicações do gênero, traz não só um interesse científico para o estudo. “A repercussão nacional desse artigo serve, também, para demonstrar que vale a pena investir em laboratórios de pesquisa e que os programas de apoio nacionais, como o Programa Nacional de Núcleos de Excelência (PRONEX) e os Institutos do Milênio, ajudam a criar capacitação científica de alto nível nas várias regiões do País.”

O Laboratório de Óptica Quântica da UFRJ participa do Instituto do Milênio de Informação Quântica, rede de pesquisa apoiada pelo CNPq, que reúne treze instituições nacionais e mais de cinqüenta físicos trabalhando no Brasil, com o objetivo de desenvolver métodos de comunicação e tratamento de dados, utilizando as partículas do mundo quântico como meio de codificação e transporte de informação.

Veja a tese Aplicações de estados emaranhado sem posição-momento transversal dos fótons produzidos pela conversão paramétrica espontânea de freqüências de Marcelo Pereira de Almeida, clicando aqui

Fonte: Agência CT

POLI - USP vai aos EUA na SAE Aerodesign East Competition

Alunos de 2º ao 5º ano de Engenharia da POLI/USP vão representar o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em Fort Worth, Texas (EUA), nos dias 4 a 6 de maio de 2007.

O Projeto, desafiante, foi também apresentado para a NASA e gerou a criação de um software de projeto inédito – A equipe Keep Flying, da Escola Politécnica da USP (POLI/USP), campeã pela Classe Regular da VIII Competição SAE BRASIL AeroDesign 2006, parte no próximo dia 30 de abril para a Flórida, onde irá representar o Brasil na SAE AeroDesign East Competition, prova internacional que reúne equipes dos Estados Unidos, Colômbia, Venezuela, Marrocos e países europeus.

Segundo a SAE BRASIL, instituição promotora da etapa brasileira, os eventos AeroDesign tem por objetivo propiciar a difusão e o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia aeronáutica entre estudantes de graduação e pós-graduação em Engenharia, Física e Ciências Aeronáuticas, por meio de aplicações práticas e de uma desafiante competição entre equipes.

De acordo com o capitão do time, Rodrigo Sauri Lavieri, estudante do quinto ano, a equipe é formada por alunos de todas as áreas da engenharia, uma vez que o projeto exige conhecimentos específicos, como Elétrica, Mecânica, Mecatrônica, Naval, Aeronáutica, entre outras.

O projeto do avião é criado e desenvolvido pelos alunos. Ele parte da concepção, passa por orçamento, viabilidade técnica e financeira, busca de patrocínio, entre outras etapas. Educativo, prevê incutir no aluno hábitos de pesquisadores, como preenchimento de relatórios, defesas em banca etc.

Em 2006, os alunos da POLI/USP conquistaram o maior prêmio da competição brasileira, com o projeto e fabricação de um avião cargueiro controlado por rádio capaz de transportar 12,135 quilos de carga útil. O projeto brasileiro para a competição Internacional é completamente diferente. Foi necessário conceber, em apenas 6 meses, um novo avião, com restrições geométricas desafiadoras. A título de comparação, o avião de 2006 foi um biplano de envergadura de 1,84 m2 e agora, para 2007, foi desenvolvido um monoplano de 0,6 m2 de envergadura.

Veja abaixo a relação completa dos alunos que integram a equipe Keep Flying:
Adriano Akio Koga – 5º ano / Mecatrônica
Angeline R. Dos Santos – 4º ano / Mecatrônica
Antonio Braulio Neto – 5º ano / Mecatrônica
Danilo Augusto Salgado – 3º ano / Elétrica
Felipe Augusto Mutschler - Formado 2006 / Mecânica
Flávio Amorati – 4º / Mecânica
Frederico Guerrero Schultz – 5º / Naval
Gustavo Fujiwara – 2º ano / Mecânica
Leonardo C. de O. Gaboardi – 4º ano / Elétrica
Marcelo Pereira Pinto – 3º / Elétrica
Marcos Felipe B. de Araújo – 3º / Naval
Mauricio Medaets – 4º / Mecânica
Rodrigo Sauri Lavieri – 5º / Naval
Rodrigo Trevisan Okamoto – 2º / Mecânica
Rogério M. Kimura – 5º / Mecatrônica
Sophia Marzouk – 4º / Naval

Fonte: Poli – USP

Fapesp e fundação alemã lançam chamadas para projetos de pesquisa e intercâmbio científico

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e uma fundação alemã de pesquisas, a Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG), acabam de lançar uma chamada conjunta de pesquisas. O objetivo é estimular a cooperação entre pesquisadores e grupos de pesquisas do Estado de São Paulo e da Alemanha. A data limite para envio de propostas é o dia 20 de junho.

Segundo informações da Fapesp, todas as propostas apresentadas a uma agência deverão ter contrapartida na outra, sendo apresentadas simultaneamente pelos parceiros paulistas e alemães. A fundação paulista receberá propostas de pesquisadores de instituições superiores de ensino e pesquisa do Estado nas modalidades Auxílio à Pesquisa e pré-propostas para Projeto Temático, enquanto a DFG receberá propostas de pesquisadores e grupos de pesquisa alemães.

As propostas apresentadas a esta chamada poderão ser inscritas dentro de qualquer área do conhecimento. A cooperação apoiará a realização de atividades de projetos de pesquisa e de intercâmbio científico, como visitas, workshops e seminários, além da mobilidade de jovens cientistas, e outras ações. O acordo para esse convênio foi assinado em setembro do ano passado.

Deutsche Forschungsgemeinschaft
A DFG é a principal organização da Alemanha de fomento à pesquisa básica, com recursos estaduais e do governo federal. A instituição foi fundada em 1920, e disponibiliza apoio científico a todas as áreas do conhecimento.

Informações adicionais, no link ou pelo telefone (11) 3838-4000.

Fonte: Gestão CT