terça-feira, 1 de maio de 2007

Japão realiza o " Seminário sobre Epidemiologia e Medidas de Controle de Vacinas Preventivas de Doenças "

Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA), informou que estão abertas as inscrições para o "Seminário sobre Epidemiologia e Medidas de Controle de Vacinas Preventivas de Doenças", a ser realizado de 11 de junho a 22 de julho de 2007, no Japão.

O evento é destinado a profissionais de saúde em atividade no serviço público e será ministrado na língua inglesa, na modalidade "Treinamento em Grupo", no âmbito do Programa bilateral de Cooperação Técnica.

Maiores informações no site: portal.saude.gov.br/saude/

Fonte: Portal da Saúde/MSA

Mais mortes no trânsito

O número de mortes por acidentes de trânsito aumentou mais de 9% em três anos no Brasil. Em 2005, foram 35.753 óbitos, contra 32.753 em 2002. Os dados mostram que houve uma reversão da tendência de queda notada a partir de 1998 como resultado da entrada em vigor do novo Código de Trânsito.

Os dados são de avaliação do Ministério da Saúde, divulgada na semana passada, em Brasília. O levantamento também destaca que o problema não está mais restrito às grandes cidades, pois houve um aumento de 72% nas mortes por acidentes de trânsito nos municípios com menos de 100 mil habitantes entre 1990 e 2005 – de 9.998 para 17.191.

As faixas etárias mais afetadas foram as dos 20 aos 39 anos (45%) e dos 40 aos 59 anos (26%), totalizando 25.375 óbitos em 2005. Do total de mortes nessas faixas, 85% (21.529) ocorreram entre homens. Entre os adolescentes, o acidente de trânsito é a segunda principal causa de morte – a primeira é o homicídio. De acordo com a nova avaliação, 3.976 pessoas entre 10 e 19 anos perderam a vida no trânsito em 2005.

Quanto às internações no Sistema Único de Saúde (SUS), dados de 2006 indicam que foram 123.061, ao custo estimado de R$ 118 milhões. A maioria das internações (41.517) ocorreu por atropelamentos, seguidos pelos acidentes com motociclistas (34.767).

Segundo o Ministério da Saúde, as principais causas das ocorrências estão relacionadas ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas, alta velocidade, não uso de capacetes ou de cinto de segurança e problemas na infra-estrutura de rodovias e vias públicas.

Grande parte dos óbitos por acidentes de trânsito é devida aos atropelamentos de pedestres ou acidentes envolvendo automóveis, embora nos últimos anos tenha ocorrido um aumento no risco de morte por acidentes de trânsito envolvendo motos.

Pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), entre 2001 e 2003, quantificou os custos dos acidentes de trânsito em áreas urbanas. O resultado: perdas anuais da ordem de R$ 5,3 bilhões. Outro levantamento feito pelo Ipea, em 2006, calculou os impactos sociais e econômicos dos acidentes de trânsito nas rodovias brasileiras, que seriam de R$ 24,6 bilhões por ano.

O Ministério da Saúde, desde 2001, elegeu como uma de suas prioridades a redução da mortalidade e das lesões por acidentes de trânsito. Entre as principais ações já implantadas estão a instituição das Políticas Nacionais de Redução da Morbimortalidade por Acidentes e Violências, do Projeto de Redução da Morbimortalidade por Acidentes de Trânsito e da Vigilância de Violências e Acidentes em Serviços Sentinela (Viva).

Mais informações: www.saude.gov.br/.

Fonte: Agência FAPESP

Capes lançará edital para TV Digital - SBDTV

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior do Ministério da Educação (Capes/MEC) irá financiar a formação de recursos humanos para o Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD).

Um edital será lançado ainda no primeiro semestre deste ano para que grupos de pesquisa apresentem projetos interdisciplinares nas áreas de engenharia da computação, microeletrônica, novos materiais, nanotecnologia, ciências da informação e outras relacionadas ao assunto.

A decisão ocorreu durante reunião promovida pela Capes, nesta semana em Brasília, com o grupo que discute a criação do Programa de Formação de Recursos Humanos para a TV digital no Brasil. A iniciativa da Capes tem o apoio de diversos órgãos governamentais, entre eles, Casa Civil, ministérios das Comunicações, Ciência e Tecnologia, além da participação de engenheiros, pesquisadores, e do Fórum Brasileiro da TV Digital.

A projeção digital deverá alcançar até 2009, o número de 34 mil estações implantadas em todo o Brasil. Segundo o presidente da Capes, Jorge Guimarães, o país abriu espaço para competir com inovação. “O crescimento é garantido, com mão-de-obra gerenciada e capacitação na área de engenharias”.

O edital ainda será formatado e apresentado ao Fórum Brasileiro da TV Digital. O cronograma oficial de implantação do sistema digital no Brasil prevê que as transmissões sejam iniciadas pelo estado de São Paulo, em dezembro de 2007.

Fonte: Capes

Programa concederá bolsas para doutores trabalharem em empresas

O governo federal preparou um programa que irá financiar a fixação de jovens doutores em áreas estratégicas de pesquisa, relacionadas à Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE).

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) lançará editais com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) pelos quais grupos de pesquisa de todo país e empresas das áreas tecnológicas poderão encaminhar projetos de pesquisa que visem à absorção dos doutores.

"Com esse programa vamos atingir outros três objetivos diferentes: grupos de pesquisa nacionais serão reforçados; haverá renovação de quadros; e apoio às empresas de base tecnológica com real aplicação da Lei de Inovação e da política industrial", afirma o presidente da Capes, Jorge Guimarães. O programa espera contar com a participação das Fundações de Amparo à Pesquisa (Faps), centros de pesquisa e organizações não-governamentais.

Como participar - Os projetos deverão ser apresentados por instituições de ensino superior (IES), centros de pesquisa, programas de pós-graduação e empresas da área tecnológica. Por meio desse mecanismo serão concedidas bolsas de pós-doutorado a candidatos titulados nos últimos cinco anos e que estejam vinculados ou aceitem se vincular aos projetos apresentados ao edital. Terão prioridade os projetos que envolvam a interação universidade e centro de pesquisa-empresa ou de formação de pós-graduandos.

Cada bolsista receberá R$ 3.300,00 mensais e R$ 12.000,00 anuais destinados à aquisição de insumos e material de consumo. O projeto terá duração de cinco anos. Inicialmente, estão previstas 1.500 bolsas. O primeiro edital deve sair no início do segundo semestre deste ano.

Ao mesmo tempo, o programa irá incentivar que as Faps, empresas, centros de pesquisas e organizações não-governamentais complementem o valor das bolsas oferecidas pelas agências federais. Adicionalmente, tais entidades poderão alocar como contrapartida ao projeto recursos para passagens e diárias, custeio, e capital para aquisição de máquinas e outros equipamentos.

Fonte: ANPEI

Prêmio Embrapa de Reportagem 2007

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lançou a 11ª edição do Prêmio Embrapa de Reportagem. O tema deste ano é “O Brasil e a Agricultura Tropical: Liderança Movida a Conhecimento”. O prêmio visa o reconhecimento dos trabalhos jornalísticos que mais contribuíram para a acessibilidade às informações geradas pela pesquisa agropecuária.

Segundo a organização, podem participar reportagens publicadas entre 1º de julho de 2006 e 15 de agosto de 2007. Serão quatro categorias contempladas: televisão, impresso, rádio e internet. A inscrição pode ser feita pessoalmente ou pelos Correios. O prêmio, para cada vencedor, é de R$ 10 mil.

Para conferir a íntegra do regulamento, acesse www.embrapa.br/.

Fonte: Gestão CT

UFSCAR realiza curso de ecologia e agroflorestas em parceria com universidade alemã

O curso de pós-graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Rural da UFSCar, em conjunto com a Universidade de Leipzig, Alemanha, promoveram o Curso de Ecologia de Agroflorestas. Esta associação foi realizada com o apoio do Programa de Intercâmbio Brasil-Alemanha e do projeto Protetab-Paraty, do Banco Mundial.

O curso visou propiciar a vivência prática dos conhecimentos científicos adquiridos pelos alunos da pós-graduação e a aplicação de conceitos de ecologia em sistemas de agroflorestas.

A primeira etapa do projeto contemplou pesquisas de campo nos municípios de Paraty (Rio de Janeiro), nas comunidades quilombolas do Campinho e Patrimônio, e Itirapina (São Paulo). As unidades demonstrativas de agroflorestas nessas localidades serviram de base tanto para o aprendizado dos alunos quanto da própria comunidade.

O objetivo da etapa foi a troca de experiência entre a comunidade acadêmica e as unidades de estudo, visando a realização de levantamentos de campo, debates e discussões sobre o tema. Na oportunidade, os participantes puderam conhecer produtos da agrofloresta que foram utilizados na fabricação dos alimentos servido aos participantes.

Para a comunidade quilombola, a iniciativa reforçou o potencial da agrofloresta e do turismo científico na geração e alternativa de renda.

Nas comunidades visitadas, as agrofloerestas são fonte de subsistência para a população. Os estudos e pesquisam buscam alternativas de desenvolvimento sustentável para essas regiões.

O curso foi realizado em abril e contou com a participação de 15 alunos e dois professores da Universidade de Leipizig, Alemanha, e cinco alunos e dois professores do curso de pós-graduação da UFSCar, além dos grupos das comunidades, monitores e auxiliares nas pesquisas desenvolvidas. A parceria com a Universidade de Leipizig ocorre devido a aproximação e convergência de pesquisas na área de ecologia das duas universidades.

A Professora Fátima Conceição Marquez Pina Rodrigues, Coordenadora do Curso de Engenharia Florestal da UFSCar, participante do curso, avalia que o contato com as unidades de estudo é essencial para o intercâmbio entre o conhecimento teórico e o conhecimento prático.

Como um dos primeiros resultados do curso, Rodrigues aponta também a produção de trabalhos científicos e o estabelecimento de um convênio formal entre a UFSCar e a Universidade Leipizig, Alemanha. Como continuidade desse curso, está sendo formulado um projeto de convênio que prevê o intercâmbio entre pós-graduandos e pesquisadores da UFSCar e da Universidade de Leipizig, além da aprovação de dois projetos na comunidade quilombola de Paraty, no Rio de Janeiro, financiados pelo Ministério do Meio Ambiente.

Fonte: Click Ciência