terça-feira, 3 de abril de 2007

Fapesb investirá R$ 13 milhões em 1,8 mil bolsas

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) lançou o Programa de Bolsas 2007. Este ano serão oferecidas 1,8 mil bolsas, em oito diferentes modalidades: Iniciação Científica Jr., Iniciação Científica, Apoio Técnico (2 e 3), Mestrado, Doutorado, Pós-doutorado 1, Pós-doutorado 2 e Pesquisador Visitante. O total de recursos é de R$ 13 milhões. As bolsas de Apoio Técnico destinam-se a apoiar grupos de pesquisa, mediante a participação de técnicos engajados no desenvolvimento de projetos de pesquisa.

Segundo a Fapesb, do total de investimentos, R$ 4,5 milhões são para novas bolsas e o restante para o pagamento daquelas já aprovadas em 2006.

Para as modalidades de Mestrado, Doutorado e Apoio Técnico, os interessados podem enviar as propostas até o próximo dia 9 de maio, pelos Correios, ou até o dia 11 de maio de 2007, se forem entregues na sede da instituição. Para consultar a íntegra do edital:
www.fapesb.ba.gov.br/apoio/bolsas/apresentacao.

Ainda de acordo com a fundação, no caso das instituições cotistas, as bolsas para estudantes do ensino médio e de graduação serão concedidas por meio de editais internos, elaborados pelas próprias instituições, que também ficam responsáveis por fazer a seleção dos candidatos.

Outra forma para concessão dos recursos do Programa de Bolsas é o Apoio Contínuo. Durante todo o ano, pesquisadores poderão solicitar bolsas de Iniciação Científica, Pesquisador Visitante e Pós-Doutorado 1 e 2.

A Fapesb informou ainda que as bolsas de Inovação Tecnológica, que até 2006 eram oferecidas por meio do Edital do Programa de Bolsas, a partir de agora integrarão os editais de apoio à pesquisa para a inovação. Outra mudança anunciada é em relação aos valores das bolsas de Mestrado e Doutorado, que passam a ser equivalentes aos utilizados pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Outras informações podem ser obtidas no site www.fapesb.ba.gov.br/.

Fonte: Gestão CT

4º Fórum ciência e sociedade de Brasília

Alimentação, tema para o 4º Fórum ciência e sociedade de Brasília
A Alimentação foi o tema central escolhido para a 4ª edição do Fórum Ciência e Sociedade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O tópico foi definido, em reunião realizada na tarde de ontem (3), na sede da Fiocruz, em Brasília, da qual participaram coordenadores, professores e monitores do evento. Assim, os alunos das seis escolas selecionadas trabalharão o tema em três motes: ambiente, saúde e cultura.

Para a próxima etapa, os professores devem indicar os estudantes das escolas de Brasília e das cidades satélites Guará, Gama e da área rural do Gama para ingressar no evento. Os alunos irão compor nove grupos que, a partir de junho, participarão de visitas a centros de pesquisas, debaterão o tema com pesquisadores da área e com os próprios colegas, além de, eles mesmos, confeccionarem um dossiê sobre o que foi aprendido.


O Fórum Ciência e Sociedade é um projeto criado na França e implementado no Rio de Janeiro e em Brasília por Luciana Sepúlveda, coordenadora geral do evento. De acordo com ela, estudantes cariocas, de Petrolina (PE) e da França estarão presentes ao fórum deste ano, que deverá acontecer, em Brasília, entre os dias 2 e 6 de julho.
“Os franceses virão em retribuição à visita dos brasileiros feita no ano passado”, informa Luciana.

Rafael Candeira, coordenador dos monitores do fórum, explica que os temas dos fóruns deste ano estão relacionados. Segundo ele, a abordagem da França também será a Alimentação. Já o do Rio de Janeiro terá como foco as Mudanças Climáticas, que, de acordo com ele, tem relação direta.

A próxima reunião do grupo acontecerá na próxima segunda-feira (9), para sugestão de lugares a serem visitados e construção do cronograma.

Fonte: Gestão CT

Bionova cria biorreatores de plantas

De um início tímido, a Bionova, localizada em Ribeirão Preto, interior de São Paulo, foi crescendo, aparecendo e multiplicando seus serviços ao longo de dez anos de mercado, assim como aconteceu com seu produto principal, as mudas de plantas.

A empresa, hoje premiada e reconhecida, teve momentos de glória com sua técnica inovadora de micropropagação de mudas "de alta quantidade e baixo custo", de acordo com Clemência Noriega, fundadora da empresa. Um financiamento do Programa Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas (PIPE) da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) ajudou a empresa a incluir mudas de banana entre seus produtos e expandir seus negócios.

Em 2005, a morte de um de seus sócios desestabilizou a Bionova; mas não abateu a empresa — que continuou sendo expert na multiplicação de plantas em grandes quantidades, mas foi obrigada a mudar o foco de seus serviços. Agora, ao invés de fornecer mudas, a empresa presta consultoria e vende a tecnologia de suas incubadoras de mudas — tecnicamente chamadas de "biorreatores".

Em relação à metodologia tradicional, os biorreatores da Bionova (de "alto volume") garantem a proliferação de até 200 vezes mais mudas no mesmo espaço de tempo. Além da escala, outra vantagem dos reatores de 50 litros da empresa é o fato de ocuparem menos espaço, proporcionalmente à produção.

A mudança de foco já rendeu um bom negócio: em outubro de 2006, a filial brasileira da holandesa SBW International, localizada em Holambra, São Paulo, adquiriu da Bionova 24 biorreatores, que serão utilizados na produção de mudas in vitro de abacaxi, cana-de-açúcar e banana, entre outras. Apesar de ainda estar em fase de testes, os biorreatores brasileiros já foram aprovados pelo grupo holandês.

Mais informações no endereço.

Fonte: Inovação Unicamp

Governo cria comissão e integra atividades de meteorologia

Decreto presidencial, publicado no Diário Oficial da União, no último dia 22, regulamenta a Comissão de Coordenação das Atividades de Meteorologia, Climatologia e Hidrologia (CMCH). A comissão é parte integrante do MCT, como órgão colegiado.

Segundo notícia divulgada pelo MCT, espera-se que todas as atividades ligadas à área meteorológica no país - até então realizadas por vários órgãos federais, estaduais, municipais e entidades privadas - atuem de forma coordenada.

Além da coordenação, acompanhamento e avaliação das ações, a comissão será responsável pela formulação da Política Nacional de Meteorologia e Climatologia e articulação do Sistema Nacional de Meteorologia e Climatologia com o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos.

Ainda de acordo com o MCT, a instância tem como presidente e vice-presidente, respectivamente, o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCT, Luiz Antônio Barreto de Castro, e o diretor do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antonio Divino Moura.

Ela será composta também por: um representante do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe); representantes de ministérios, agências reguladoras, sociedades científicas, de indústrias de peças, equipamentos e sistemas de uso em meteorologia, climatologia e hidrologia; representantes dos centros estaduais de Meteorologia e de Recursos Hídricos; e um representante do conjunto das empresas prestadoras de serviços.

A Secretaria Executiva da CMCH será exercida pela Coordenação Geral de Meteorologia, Climatologia e Hidrologia do MCT.

Para obter mais informações, acesse www.mct.gov.br

Fonte: Gestão CT

44,4% da energia brasileira é de fontes renováveis

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) divulgou, no dia 29 de março, os dados preliminares do Balanço Energético Nacional (BEN). O balanço aponta que 44,4% da energia produzida no país origina-se de fontes renováveis. Por outro lado, a média mundial de utilização de energias limpas é de apenas 13,2%.

Segundo a EPE, entre 2005 e 2006, o percentual de energias renováveis no Brasil manteve-se praticamente estável, mas houve expressivo crescimento na produção de cana-de-açúcar (12%) e de seus derivados. Esse fato gerou aumento de 10,8% na produção de etanol. De acordo com notícia divulgada pela Agência Brasil, também foi registrado crescimento de 50% nas exportações de etanol, entre 2005 e 2006.

Segundo Maurício Tolmasquim, presidente da EPE, a expectativa é de que a participação do etanol na matriz energética nacional mantenha a trajetória de crescimento. “Um dado muito interessante neste processo é que o etanol já se equipara à energia hidroelétrica, e a tendência é de que em breve ele venha a superá-la, dado que, cada vez mais, os produtos da cana-de-açúcar ganham uma importância maior no cenário energético brasileiro”, afirmou. A despeito desse crescimento, os derivados de petróleo continuam a liderar o volume de participação na matriz energética, com 38,8% do total.

Para obter mais informações, acesse o endereço.

Fonte: Gestão CT

Griaule Biometrics ganha prêmio internacional

A Griaule Biometrics ganhou o primeiro lugar na Fingerprint Verification Competition (FVC) como a melhor tecnologia do mundo para verificação de digitais.

A competição é considerada o “Prêmio Nobel na área de biometria”, de acordo com os sócios, Iron Daher e José Alberto Canedo. A notícia chegou à empresa no dia 29 de março de 2007. Os softwares são testados por representantes de quatro universidades — duas americanas, uma italiana e uma espanhola, que avaliam o desempenho das empresas para verificar qual consegue chegar à melhor impressão digital.

A FVC 2006 teve mais de 150 inscritos de vários países e 53 concluíram a fase de testes. Participaram empresas e pessoas físicas. Um dos principais objetivos da competição, que acontece desde o ano de 2000, é observar os recentes avanços da área. Trata-se ainda da maior competição e a mais importante na área de impressão digital do mundo.

“É uma competição aberta da indústria de biometria”, explica José Alberto. Em 2003, como contamos na reportagem, a Griaule ficou com a oitava colocação no ranking da FVC, o que a possibilitou galgar sete posições. Segundo Iron, a competição permite que seus desenvolvedores comparem algoritmos.

Fonte: Inovação Unicamp

"Cresce Brasil, mais engenharia, mais desenvolvimento"

No dia 28 de março, o presidente da Federação Nacional dos Engenheiros (FNE), Murilo Pinheiro, apresentou, ao ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, o programa “Cresce Brasil, mais engenharia, mais desenvolvimento”.

A iniciativa é um estudo que envolveu cerca de 15 mil pessoas, desenvolvido ao longo de um ano, e conta com propostas que visam fomentar o desenvolvimento e o crescimento do país. O secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCT, Luiz Antônio Elias, também participou da reunião.

De acordo com Murilo Pinheiro, que coordenou o trabalho, o documento é fruto de seminários e congressos que aconteceram em oito capitais e em sete grandes regiões de São Paulo e apresenta propostas claras para que o Brasil cresça 6% ao ano, atuando em segmentos como energia, saneamento e agricultura.

O ministro da C&T já propôs uma nova reunião, com toda sua equipe técnica, para que a federação detalhe o programa. “Dessa forma, será possível ver quais dessas propostas podem ser encampadas pelo MCT”, afirmou Rezende, em notícia divulgada pelo ministério. Outros detalhes podem ser obtidos no site: www.fne.org.br/.

Fonte: Gestão CT

Anprotec seleciona empresa incubada no Itep para participar de reality show de empreendedorismo

A empresa Biologicus Medicina Natural, incubada no Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), foi a única das regiões Norte e Nordeste do Brasil selecionada para participar o “Empreender é Show”. O reality show de empreendedorismo é uma iniciativa da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec).

Segundo informações do Itep, o “Empreender é Show” tem como objetivo apresentar ao público em geral os empreendimentos instalados em incubadoras de empresas brasileiras. A intenção também é criar um espaço em que os empreendedores possam trocar experiências obtidas ao longo do processo de maturação da empresa, por meio do relato da trajetória de cada organização.

A duração do projeto é de 11 meses. Nesse período, estão compreendidas diversas etapas, desde a seleção e divulgação das empresas participantes, até a escolha das melhores histórias de sucesso apresentadas por meio eletrônico pelos participantes. Um júri formado por representantes de instituições que apóiam o empreendedorismo inovador no país, juntamente com as pessoas que acessam o site da Anprotec, será responsável pela avaliação dos projetos.

Ainda de acordo com informações do Itep, o resultado com os nove melhores projetos será divulgado em setembro deste ano. O primeiro lugar ganha uma viagem internacional para divulgar seu produto no exterior, e o segundo recebe de presente um notebook. Os dois ganham ainda um anúncio na revista Locus, voltada para o segmento de empreendedorismo e inovação no país, e também participam do 17º Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, que será realizado no mesmo mês, em Belo Horizonte (MG).

Para saber mais sobre o reality show, acesse o endereço. Já para conhecer as ações do Itep, acesse o endereço.

Fonte: Gestão CT