quinta-feira, 29 de março de 2007

Remesp promove 7ª edição do Enqualab

Será realizada, pela Rede Metrológica do Estado de São Paulo (Remesp), com apoio da Sociedade Brasileira de Metrologia (SBM) e do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro), a 7ª edição do Enqualab - Congresso da Qualidade em Metrologia. O evento acontecerá no Centro de Convenções Milenium, em São Paulo (SP), de 11 a 14 de junho.

O objetivo do congresso é ser um instrumento de intercâmbio científico e tecnológico. Para tanto, o intuito é promover o acesso e a disseminação do conhecimento em metrologia e, assim, instigar inovações.

A programação do Enqualab partirá do tema central “Metrologia e Responsabilidade Social”. Já o público esperado é composto por empresários, gerentes da qualidade, avaliadores e técnicos de laboratórios, gestores de projetos, pesquisadores de instituições de ensino e pesquisa, consultores e estudantes, entre outros.

O período de inscrição encontra-se aberto. Para se registrar:
www.remesp.org.br/enqualab/inscricoes.html.

Informações complementares, pelo link www.remesp.org.br/enqualab ou pelo telefone (11) 3283-1073, ramal 23.

Ethanol Summit 2007

Estão abertas as inscrições para o Ethanol Summit 2007, evento que ocorrerá nos dias 4 e 5 de junho, em São Paulo, com a análise de tendências políticas, sociais, ambientais, tecnológicas e mercadológicas do etanol.

De acordo com os organizadores, o objetivo é debater o presente e o futuro do biocombustível no mundo, suas implicações socioeconômicas, ambientais e a contribuição energética que os canaviais brasileiros darão ao desenvolvimento sustentável nas próximas décadas. A promoção é da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica).

Mais informações: www.ethanolsummit.com/.

Fonte: Agência FAPESP

2º Seminário de ciências da terra e ecologia

O Museu Paraense Emílio Goeldi, em parceria com a Associação Brasileira de Química, promoverá, nos dias 23 e 24 de abril, em Belém (PA), a segunda edição do Seminário de Ciências da Terra e Ecologia.

Com o tema central “Ciências da terra e mudanças globais”, o evento tem como objetivo apresentar à sociedade contribuições e descobertas científicas relacionadas às mudanças globais, principalmente na Amazônia. As inscrições são gratuitas.

“Monitoramento climático”, “Uso e funcionamento de solos” e “As conseqüências do desmatamento na Amazônia” serão alguns assuntos em pauta. O seminário integra a programação do Museu Goeldi em comemoração do Ano Internacional do Planeta Terra, celebrado no período de 2007 a 2009 pela Organização das Nações Unidas.

Mais informações pelo site:
www.museu-goeldi.br/sobre/NOTICIAS/28_03_07_inscricoes_seminario.htm.


Fonte: Agência FAPESP

8º Prêmio Henkel de Inovação

Até 15 de abril estarão abertas as inscrições para o prêmio "Henkel Innovation Trophy", lançado pela Henkel com o objetivo de selecionar idéias inovadoras para serem desenvolvidas pela empresa. Poderão participar inventores independentes cujos projetos já foram encaminhados para obtenção de patente ou estão patenteados.

A empresa também está interessada em projetos registrados de design, modelos de utilidade ou aplicações associadas pendentes. Os conceitos precisam ser adequados aos portfolios dos quatro setores de negócios da Henkel: detergentes e produtos de limpeza doméstica; cosméticos e higiene pessoal; adesivos de consumo e industriais e tecnologias em adesivos industriais; selantes e produtos para tratamento de superfícies.

As propostas serão examinadas por um comitê formado por especialistas internos e externos, que irão considerar o grau de inovação e o potencial de mercado do projeto. A Henkel entregará o "Henkel Innovation Trophy" acompanhado de premiações em dinheiro para as melhores idéias recebidas. Os vencedores também terão a chance de participar juntamente com a Henkel da comercialização de produtos com direitos autorais, com a assinatura de contrato com a empresa.

As inscrições podem ser feitas por meio de um formulário disponível no site www.innovation.henkel.com/. Os documentos podem ser preenchidos e enviados pelo correio para o endereço Henkel KGaA, 'Henkel Innovation Trophy', 40191 Düsseldorf, Alemanha.

Fonte: ANPEI

O futuro em jogo

O problema do aquecimento global é o maior desafio já enfrentado pela humanidade, de acordo com sir David King, conselheiro científico do governo britânico. Por isso, o tema será o foco central do Ano Brasileiro-Britânico da Ciência & Inovação, cujo lançamento oficial foi nesta quinta-feira (29/3), em Brasília.

Em visita ao Brasil para o lançamento da iniciativa, o cientista, cujo cargo é equivalente ao do ministro da Ciência e Tecnologia no Brasil, apresentou nesta quarta-feira (28/3) conferência sobre mudanças climáticas na Universidade de São Paulo (USP), em evento promovido pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) e pelo British Council.

De acordo com King, o objetivo da iniciativa envolvendo os dois países é aumentar o nível da colaboração entre cientistas britânicos e brasileiros no conjunto total da agenda de inovação e geração de riqueza.

A iniciativa conjunta dos dois governos foi planejada em 2006, durante visita oficial do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Reino Unido.

King, que também é diretor da Agência de Ciência e Inovação do Reino Unido, apontou que há um grande potencial para sinergia entre os dois países nas áreas em questão. “Estamos muito interessados nos notáveis desenvolvimentos obtidos no Brasil sobre a conversão de cana-de-açúcar em álcool, em um processo de alta eficiência”, afirmou.

Outra razão para a visita ao Brasil é discutir esses temas com o governo brasileiro e procurar posições confluentes tendo em vista a reunião do grupo G8+5 – formado pelos sete países mais ricos do mundo mais Rússia e o bloco de Brasil, Índia, China, México e África do Sul – marcada para junho, na Alemanha.

Segundo King, o governo britânico está empenhado em criar condições para que haja uma ação mais rápida com o objetivo de mitigar o problema do aquecimento global. “Esse é, sem dúvida, o principal desafio do século e está se tornando um desafio urgente. Precisamos agir rápido e o Brasil tem um papel dramaticamente importante nesta discussão.”

King iniciou sua visita ao país em Manaus, na segunda-feira (26/3). Acompanhado de cinco cientistas britânicos, visitou o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e o Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA).

“Nossa visita, em primeira instância, dará seguimento a uma discussão prévia com o presidente Lula para observar o fenômeno brasileiro da biodiversidade e examinar a possibilidade de usar o know-how científico britânico na área de biotecnologia a fim de agregar riqueza aos sistemas de biodiversidade da floresta”, afirmou. De acordo com o conselheiro científico, o governo britânico enviará cientistas durante todo o ano para levar esse processo adiante.

Urgência global
Durante a palestra na USP, King afirmou que o governo Blair apresentou projeto de lei que estabelece a meta de redução de 60% das emissões de gás carbônico no Reino Unido até 2050. “Se conseguirmos fazer com que todos os países líderes reduzam as emissões em taxas similares, teremos dado um substancial passo adiante”, afirmou.

Entretanto, para o conselheiro científico, mesmo no melhor cenário tudo o que se poderá fazer é mitigar o problema. “Já estamos em uma situação em que o que se pode fazer é evitar uma catástrofe completa. É muito tarde para reduzir o problema, mas podemos trabalhar para torná-lo gerenciável. Para isso, é necessária a colaboração de todos”, analisou.

De acordo com King, as emissões atuais de dióxido de carbono excederam todos os níveis históricos. Entre as conseqüências, uma das mais dramáticas seria o degelo da Groenlândia. “As imagens de satélites indicam que o gelo ali some em um ritmo de 200 quilômetros cúbicos por ano, muito acima das projeções feitas anteriormente com base em modelos”, disse.

O aumento de 2ºC na temperatura média global seria suficiente para desencadear um degelo maior na Groenlândia, que poderia aumentar o nível dos oceanos em 7 metros, causando uma catástrofe principalmente em países pobres.

“Atualmente, a atmosfera contém cerca de 380 partes por milhão (ppm) de dióxido de carbono, contra 275 ppm antes da Revolução Industrial. Para chegarmos à meta de não ultrapassar um aquecimento de 2ºC, precisamos estabilizar os níveis abaixo de 450 ppm. Nos níveis atuais, chegaremos a 400 ppm em 10 anos”, disse.

Fonte: Agência Fapesp

Brasil é o 53º no ranking de tecnologias da informação

O Fórum Econômico Mundial divulgou nesta quarta-feira o ranking de competitividade em Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC), no qual o Brasil aparece em 53º no geral e em terceiro lugar na América Latina.

Entre os países latino-americanos, o país é superado apenas por Chile (31º) e México (49º).

A Dinamarca é a líder, seguida da Suécia. Os Estados Unidos, líder no ranking do ano passado, caiu para a sétima posição, sendo ultrapassado ainda por Holanda, Suíça, Finlândia e Cingapura.

A lista é integrada por 122 economias mundiais e integra o Relatório Global sobre Tecnologia da Informação, publicado pelo sexto ano consecutivo pelo Fórum.
Nele está incluído o Índice de Disponibilidade de Rede (IDR), que mede a propensão dos países a aproveitar as oportunidades oferecidas pelas TIC em relação ao desenvolvimento e ao aumento da competitividade.

O IDR avalia a preparação dos países para utilizar a TIC de maneira eficiente no âmbito comercial, regulador e de infra-estrutura geral, além da disponibilidade de particulares, empresas e governos para aproveitar as tecnologias e seu uso real.

"Os resultados da América Latina parecem marcar uma redução na exclusão digital em relação a outras regiões mais prósperas e em um nível semelhante de desenvolvimento, como a Ásia e o Leste Europeu", afirmou Irene Mia, economista do Fórum e co-editora do relatório.
Os demais países da América do Sul que aparecem na lista ocupam as seguintes posições: Uruguai (60º), Argentina (63º), Colômbia (64º), Peru (78º), Equador (97º), Bolívia (104º) e Paraguai (114º).

Segundo os analistas da instituição, os bons resultados da Dinamarca se devem ao fato de que o país - líder do ranking pela primeira vez - "aproveitou a visão transparente do governo em relação à TIC".

Também destacaram seu alto nível no uso da internet e dos computadores, além do chamado "governo eletrônico" e de um entorno de "e-empresas" muito dinâmico.

A queda dos EUA se deve, segundo os analistas, à "relativa deterioração do contexto regulador e político", mas destacam que o país mantém sua primazia na inovação, conduzida por um dos melhores sistemas de ensino superior, pelo alto grau de cooperação com a indústria e por um mercado interno muito eficiente.

Fonte: Gestão CT

37ª Jornada Paulista de Radiologia

A medicina nuclear, uma especialidade médica que usa radiofármacos para diagnóstico e acompanhamento do tratamento de diversas doenças, será o assunto em pauta na 37ª Jornada Paulista de Radiologia, de 12 a 15 de abril, em São Paulo.

Segundo os organizadores, a tomografia por emissão de pósitrons (PET), exame da medicina nuclear, será um dos assuntos discutidos. Com a PET, em apenas 45 minutos é possível analisar o corpo inteiro e diferenciar tumores benignos de malignos, determinar a fase do câncer e monitorar resultados de tratamentos.

O encontro é promovido pela Sociedade Brasileira de Biologia e Medicina Nuclear (SBBMN) e pela Sociedade Paulista de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (SPR).

Mais informações: www.spr.org.br/.

Fonte: Agência FAPESP