terça-feira, 27 de março de 2007

Patentes e Gestão da Propriedade Industrial

Patentes e propriedade industrial em palestras na capital paulista
Nos dias 2 e 3 de abril, acontecerá em São Paulo (SP) o curso “Patentes e Gestão da Propriedade Industrial”. O seminário é realizado pela Sociedade Brasileira Pró-Inovação Tecnológica (Protec), Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) e pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Máquinas e Equipamentos (IPD-Maq).

O curso tem o objetivo de informar as empresas sobre as características legislativas que envolvem patentes, tanto no âmbito nacional, quanto no internacional. Será ensinado desde a elaboração do pedido de patente, quanto o uso dos incentivos fiscais relacionados às inovações.

Ministrando as palestras estarão os engenheiros Antônio Abrantes, examinador de patentes do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), e André Korottchenko, consultor em propriedade industrial da Protec.

O evento será realizado no centro de convenções da sede da Abimaq. Para se inscrever e obter outras informações, www.protec.org.br/setoriais.asp?cod=78 ou ligue para (11) 5528-6321.

Fonte: Gestão CT

Novo equipamento irá monitorar produção de plutônio em Angra

O Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas inicia este ano a construção de um detector de neutrinos, partículas que podem monitorar a quantidade de plutônio produzida nas reações nucleares. O equipamento será instalado em laboratório subterrâneo nas proximidades das usinas de Angra dos Reis (RJ) e vai atuar como um “vigia” nuclear nacional.

O professor Ricardo Galvão, que dirige o CBPF, unidade de pesquisa vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia, informou que a construção do detector é mais uma demonstração da participação brasileira na luta pela não proliferação de armas nucleares. O plutônio resultante da fissão nuclear é o material utilizado na fabricação das chamadas bombas sujas.

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCT) aprovou um montante de R$ 1 milhão para o projeto, que foi debatido por mais de 50 físicos de diversos países reunidos no Rio de Janeiro, durante o 4º Workshop on Low-energy Neutrino Experiments, que o CBPF organizou em 2005.

A Agencia Internacional de Energia Atômica (AIEA) deu o seu aval ao projeto, que será o primeiro experimento de grande escala em Física de Partículas construído no Brasil e deverá ficar pronto dentro de 3 anos.

Os neutrinos se assemelham aos elétrons, mas como não têm carga elétrica e possuem pouca massa, dificilmente são detectados.

Desde os anos 30, físicos de partículas pesquisam a composição da matéria e as formas como os neutrinos interagem, estudos que poderão explicar a parte da massa não observada no universo – a chamada matéria escura - e as razões do desaparecimento da antimatéria.

Fonte: Gestão CT

Governo russo oferece bolsas de estudos

O governo russo abriu prazo de inscrições para bolsas de estudo de graduação e pós-graduação para mais de 200 cursos. Ao todo são dez vagas, sendo cinco para formação universitária completa e cinco para curso de pós-graduação e estágio. Os interessados devem enviar candidatura à Divisão de Temas Educacionais (DCE), do Ministério das Relações Exteriores, até o dia 15 de maio deste ano.

Os candidatos não precisam falar russo, mas entre os requisitos é preciso ter formação secundária completa equivalente à da Rússia e notas em disciplinas básicas não menores do que 80% do máximo. O programa oferece o que os russos titulam de "Faculdade Preparatória" quando, por um período de seis meses, o aluno estuda o idioma local e depois cursa as matérias do curso escolhido.

A bolsa oferecida pelo governo russo garante aos alunos condições de estadia. As passagens, no entanto, não serão pagas pelo governo russo, ficando por conta dos estudantes. O candidato também deve dispor da quantia mensal mínima de US$ 500 dólares para o sustento durante o curso.

A bolsa cobre o período referente ao curso completo de graduação ou pós-graduação, que varia de acordo com o curso escolhido. A cidade e o estabelecimento de ensino serão determinados pelo governo daquele país.

Para obter mais informações acesse o site ou entre em contato com o adido cultural da Embaixada da Rússia, Alexandre Baulin, pelos telefones (61) 3223-3094 e 3223-4094.

Fonte: Gestão CT

3º Seminário Rotas Tecnológicas da Biotecnologia no Brasil

A Fundação Instituto Pólo Avançado de Saúde de Ribeirão Preto (FIPASE), com apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Agência USP de Inovação, realiza entre os dias 20 e 22 de junho, em Ribeirão Preto (SP), o 3º Seminário Rotas Tecnológicas da Biotecnologia no Brasil.

O evento tem o objetivo de aprofundar as discussões e o conhecimento sobre as oportunidades de desenvolvimento e investimento em Biotecnologia no País, assim como identificar oportunidades de novos projetos e de investimentos naqueles que estão em fase embrionária.

As discussões serão guiadas por palestras e debates agrupadas nas seguintes mesas temáticas: Biotecnologia e Saúde Humana, Agrobiotecnologia, Biotecnologia Industrial, Biotecnologia e Meio Ambiente. Política de Biotecnologia, Marcos Regulatórios e Incentivos, e Experiências Empresariais em Biotecnologia.

Inscrições e informações: www.fipase.org.br/biotecnologia.

Fonte: ANPEI

3º Seminário de capacitação em agroecologia e desenvolvimento rural sustentável

O 3º Seminário de Capacitação em Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável será realizado de 9 a 13 de abril, em Florianópolis, reunindo profissionais e estudantes das ciências agrárias que desenvolvem projetos de agricultura baseada na agroecologia, sistema menos agressivo aos recursos naturais.

Entre os temas que serão debatidos, destacam-se “Desenvolvimento rural sustentável”, “Extensão rural e políticas públicas”, “Produção animal agroecológica”, “Controle biológico de pragas e manejo de biodiversidade”, “Integração lavoura-pecuária” e “Situação atual dos transgênicos e perspectivas”.

O evento é promovido em parceria por duas universidades brasileiras, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e duas norte-americanas, a Universidade da Califórnia, em Berkeley, e a Universidade de Nebraska, em Lincoln.

Mais informações:www.agroecologia.ufsc.br/.

Fonte: Agência FAPESP

1º Congresso Brasileiro de Energia Solar - CBENS

Fortaleza receberá o 1º Congresso brasileiro de energia solar
A Associação Brasileira de Energia Solar (Abens) realizará, nos dias 8 a 11 de abril, em Fortaleza (CE), o 1º Congresso Brasileiro de Energia Solar (1º CBENS). O objetivo é reunir pesquisadores, profissionais, empresários e representantes governamentais para exposição, publicação e difusão dos trabalhos de tecnologia solar.

Mais de 200 trabalhos foram enviados pelos participantes. O evento, realizado pela primeira vez no Brasil, acontece em espaço específico para apresentação e debates de informações e experiências técnico-científicas.

A organização tem a iniciativa de estender a repercussão sobre as atividades da tecnologia de energia solar, possibilitando a troca de conhecimentos e experiências a fim de estimular jovens pesquisadores a criar novas áreas temáticas e promover o desenvolvimento do setor.

Veja a programação no site: www.icbens.dee.ufc.br/.

Fonte: Gestão CT

ICTs devem enviar informações sobre propriedade intelectual até 31 de março

O prazo para que instituições científicas e tecnológicas (ICTs) enviem ao MCT informações sobre a sua política da propriedade intelectual, segundo o artigo 17 da Lei de Inovação e a Portaria nº 942, de dezembro de 2006, termina no próximo dia 31.

Essa portaria aprovou um modelo de formulário para que as ICTs enviem anualmente ao MCT informações sobre a política de propriedade intelectual da instituição, as criações desenvolvidas no âmbito da instituição, as proteções requeridas e concedidas e os contratos de licenciamento ou de transferência de tecnologia firmados.

Ainda de acordo com a portaria, as informações serão divulgadas pelo ministério, com exceção daquelas que possuam caráter sigiloso.

Para ter acesso ao formulário, acesse www.mct.gov.br/.

Para conhecer a Portaria nº 942 de dezembro de 2006 acesse o site.

Fonte: Gestão CT

Expansão geográfica da leishmaniose visceral

Geographical expansion of visceral leishmaniasis in the State of Pernambuco 
Prevalência preocupante
O melhor amigo do homem é o principal hospedeiro do ciclo doméstico de transmissão da leishmaniose visceral. Segundo dados da Secretaria de Saúde de Paulista, município com cerca de 300 mil habitantes no litoral norte de Pernambuco, apenas 3% dos cães da cidade estariam infectados com o parasito causador da doença, a Leishmania infantum chagasi.

Mas, segundo estudo feito no Centro de Pesquisa Aggeu Magalhães (CPqAM), unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Recife, o número de cães infectados em Paulista pode ser mais de dez vezes maior. O veterinário Filipe Dantas Torres selecionou aleatoriamente 322 cães da cidade durante uma campanha de vacinação contra a raiva realizada em 2006 na cidade. Todos os cães tinham proprietários.

Amostras sangüíneas dos animais foram coletadas com o auxílio de kits de testes para diagnóstico da doença fornecidos pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz). Após análises em laboratório, Torres detectou a presença de anticorpos contra a Leishmania infantum chagasi em 130 animais (40% da amostra).

“Essa é a maior soropositividade da doença em cães já relatada em Pernambuco. A prevalência da Leishmania em cães estava sendo subestimada pelos inquéritos municipais de Paulista”, disse Torres, pesquisador do Departamento de Imunologia do CpqAM. O trabalho, apresentado como dissertação de mestrado, foi orientado pelo professor Sinval Brandão Filho.

A leishmaniose visceral é transmitida pelo mosquito-palha (Lutzomyia longipalpis), vetor que primeiramente pica um animal hospedeiro infectado para depois atingir o homem. “A alta prevalência da doença em cães hospedeiros pode estar relacionada com um possível surto da doença na região. Os cuidados com prevenção devem ser redobrados a partir de agora”, disse Torres.

Dos 130 animais infectados, 111 não apresentavam sintomas clínicos característicos da doença como perda de peso, dermatite, úlceras na pele e conjuntivite. “O risco de infecção humana nesse caso é ainda maior. Os donos desconhecem que os animais têm o parasito, pois eles aparentemente estão sadios”, afirmou.

O trabalho aponta que, nos últimos 16 anos, 32 casos de leishmaniose visceral foram registrados em Paulista, sendo 80% em crianças menores de 10 anos. Os dados foram extraídos do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) da Secretaria de Saúde do município.

Em Pernambuco, há uma média anual de 170 notificações. De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil ocorrem em média 3 mil novos registros da doença por ano. “Como a detecção desses casos, na maioria das vezes, ocorre apenas quando os pacientes chegam ao hospital, esses números também podem estar subestimados”, disse Torres.

Uma das conclusões do estudo é que, embora seja uma doença originalmente de áreas rurais, a leishmaniose visceral é cada vez mais constante em áreas urbanas. A migração da população traz um grande contigente de pessoas e animais infectados para as grandes cidades.

“Podemos dizer que a leishmaniose visceral está urbanizada em todo o Brasil, principalmente em ambientes ligados à pobreza. Paulista foi escolhida para o estudo justamente por ser um município 100% urbano”, explicou o pesquisador.

Três artigos científicos sobre o trabalho foram publicados em duas revistas científicas nacionais, a Revista da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical e a Revista de Patologia Tropical, e uma norte-americana, a Veterinari Parasitology.

Fonte: Thiago Romero / Agência FAPESP - 27/03/2007

CNPq abre inscrições para Prêmio José Reis de Divulgação Científica

Estão abertas as inscrições para o Prêmio José Reis de Divulgação Científica. Concedido pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCT) desde 1978, o Prêmio é destinado àqueles que contribuem significativamente para tornar a ciência, a tecnologia, a pesquisa e a inovação conhecidas do grande público. Neste ano será atribuído à categoria Divulgação Científica, premiando o pesquisador ou o escritor que tenha atuação expressiva como divulgador.

O vencedor desta 27ª edição será agraciado com um diploma e premiação em dinheiro. Além de participar da reunião anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em julho, em Belém do Pará, onde acontecerá a entrega do Prêmio.

As inscrições podem ser feitas até o dia 11 de maio deste ano. Os interessados deverão enviar, pelos Correios, o Currículo Lattes atualizado, justificativa, cópias dos trabalhos mais importantes e a ficha de inscrição preenchida para o endereço: CNPq – Serviço de Prêmios – SEPN 507 Bloco B Sala 207 Brasília – DF, CEP 70740-901.

Os trabalhos inscritos serão julgados por uma comissão designada pelo presidente do CNPq composta por quatro membros de sua livre escolha e outros quatro indicados pelas entidades: Associação Brasileira de Divulgação Científica, Associação Brasileira de Editores Científicos, Associação Brasileira de Jornalismo Científico e a SBPC.

Veja a íntegra está no site: www.cnpq.br/premios/2007/josereis/index.htm

Fonte: CNPq

Embrapa discute gestão e organização de recursos genéticos

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, começou a discutir nessa semana a gestão e organização dos recursos genéticos no âmbito da instituição, que guarda 100 mil amostras de sementes de quase 500 espécies vegetais.

Conservadas em câmaras sob temperatura de 20 graus Celsius abaixo de zero, estão guardadas sementes de soja, arroz, trigo e milho, entre outras. O diretor da unidade, José Manuel Cabral, explicou que a gestão desse material acontecerá por meio de uma rede formada por um comitê gestor, com nove membros, responsável pelo planejamento de pesquisas, e por comitês técnicos, criados para acompanhar os estudos com os “grupos de espécies”, como grãos e plantas medicinais.

Integrarão esses comitês técnicos membros da Embrapa, fazendeiros, representantes de cooperativas e produtores de sementes que façam uso dos “grupos de espécie”. Cada comitê, com cinco conselheiros, poderá fazer sugestões e recomendações sobre as pesquisas.

“O comitê técnico poderá recomendar, por exemplo, que se vá colher material para estudo em locais onde existe agricultura familiar, tribos indígenas ou assentamentos", explicou Cabral, acrescentando que até o dia 19 de abril uma reunião com especialistas discutirá as normas de composição dos comitês. Também farão parte da gestão dos recursos genéticos instituições como universidades, instituições de pesquisa, associações de produtores.

Uma das funções da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia é promover e distribuir o conhecimento de tecnologia vegetal, animal e de microorganismos, a fim que promover melhoria da qualidade dos produtos da agropecuária.

“A pesquisa agropecuária busca o desenvolvimento de novas variedades, novos materiais com mais vitaminas, proteínas ou resistentes a insetos e doenças. Para fazer esse melhoramento genético é necessário ter material diferente, o que a gente chama de variabilidade genética”, esclareceu Cabral.

Entre os atendidos pelo banco genético da Embrapa estão os índios da etnia Krahô, do Tocantins. Em 1995, eles buscaram na unidade sementes primitivas de milho, que não possuíam mais.

Fonte: Agência Brasil