terça-feira, 13 de março de 2007

Estudo da vulnerabilidade sociodemográfica

A capacidade de resposta de um indivíduo a riscos potenciais, como a pobreza, enfrentados em grandes aglomerações urbanas, depende da disponibilidade de três tipos de capital: o financeiro (renda mensal e bens do indivíduo); o humano (educação formal e capacidades intelectuais); e o social, que permite a resolução de problemas a partir das relações sociais com outras pessoas.

Tais conceitos, utilizados pelos pesquisadores do Núcleo de Estudos de População (Nepo) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) para determinar as condições de vulnerabilidade de um indivíduo, serviram de eixo teórico para o projeto Dinâmica intrametropolitana e vulnerabilidade sociodemográfica nas metrópoles do interior paulista, que estuda as regiões metropolitanas de Campinas e Santos. Os resultados dos dois primeiros anos de trabalho estão em livro que acaba de ser lançado.

Com uma tiragem inicial de 500 exemplares, o livro Novas metrópoles paulistas: População, Vulnerabiliade e Segregação será distribuído para universidades, bibliotecas e instituições de pesquisa.

Fonte: Agência Fapesp

Brasil desenvolve chips de alta complexidade

Pesquisadores de três universidades brasileiras desenvolveram circuitos integrados de alta complexidade, projeto que integra o programa Brazil-IP, financiado pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) e administrado pelo Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene).

O objetivo do projeto Brazil-IP é formar recursos humanos qualificados para projetar circuitos integrados e estruturar a área de design de módulos de propriedade intelectual (IP-cores) no Brasil. Grupos de alunos do Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), do Instituto de Computação da Unicamp e do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) trabalharam em todas as etapas de desenvolvimento dos três circuitos integrados: um processador 8051, um decodificador MP3 e um decodificador MPEG-4.

Os três chips, conhecidos internacionalmente, compõem vários sistemas utilizados na área de TV Digital e multimídia. Uma versão ampliada do decodificador MPEG-4, por exemplo, é parte importante do set-top box, equipamento que converte o sinal digital em analógico.

No Brasil, apenas uma indústria, a norte-americana Freescale, instalada em Jaguariúna (SP), desenvolve projetos de circuitos integrados dessa complexidade.

Os três grupos que desenvolveram os circuitos integrados fazem parte do Laboratório para Integração de Circuitos e Sistemas (LINCS), uma design house do Cetene. Este laboratório é membro do programa CI-Brasil, uma das iniciativas do MCT, que tem por missão executar a política industrial para semicondutores do governo federal.

Fonte: Mct

O projeto Mamona ganha prêmio Péter Murányi 2007

Os biocombustíveis são obtidos pela transformação de matéria-prima vegetal. De grande importância é o biodiesel, que pode ser obtido pelo aproveitamento de óleos vegetais, entre eles o da mamona. É possível ampliar a atual oferta de matéria-prima através da participação do agricultor familiar. Para o sucesso é necessário se oferecer um conjunto de conhecimentos que permitam a obtenção da maior produção a menor custo na menor unidade de área.

A Pesquisa e Desenvolvimento com a cultura da mamona implementa a tecnologia de produção da matéria-prima, sem a qual as fases decorrentes da agroindústria são inviabilizadas. O melhoramento vegetal visando à obtenção de novos cultivares é primordial para o sucesso econômico da cultura da mamoneira, pois é através do plantio de material com alto potencial de produtividade aliado à tecnologia de produção adequada que o potencial produtivo é expresso.

O Instituto Agronômico de Campinas (IAC) iniciou as atividades com a cultura da mamona em 1936, pelo delineamento das bases científicas para o programa de pesquisa e desenvolvimento tecnológico visando ao cultivo racional e econômico da mamoneira. Este programa tem sustentado a produção nacional e pretende alavancar a manutenção e ocupação de novas áreas para o retorno do Brasil ao nível de principal produtor mundial. O programa visa à obtenção de cultivares com características agronômicas que permitam maximizar o rendimento econômico e industrial da cultura da mamoneira.

O cultivar ideal de mamona é aquele que tem os seguintes caracteres: 1) Porte baixo, para facilitar a colheita e economizar espaço no campo de cultura, e possuir um mínimo de órgãos vegetativos; 2) Grande produtividade; 3) Elevada resistência às moléstias; 4) Frutos indeiscentes no campo, para evitar perdas antes e durante a colheita; 5) Sementes de tamanho médio, uniformes e com alto teor de óleo.

O fato de ter desenvolvido cultivares de mamona que podem ser melhor utilizados tanto pelo grande como pelo pequeno agricultor, e neste caso cultivares cujas arquiteturas permitem o cultivo intercalar de culturas de subsistência, permite afirmar que a tecnologia apresentada é inovadora e passível de amplo uso abaixo do Paralelo 20 Norte e, portanto, de indicação ao Prêmio Péter Murányi 2007.

Mais informações no site da Fundação.

Fonte: Fundação Peter Murányi

Brasil incentiva a expansão do mercado de biocombustíveis

Para incentivar a produção de biocombustíveis e promover a diversificação da matriz energética no Brasil e em outros países, os governos brasileiro e americano firmaram um memorando de cooperação na última sexta-feira. O acordo prevê investimentos no desenvolvimento de tecnologias para a fabricação de biocombustíveis, o estabelecimento de um padrão global na sua produção e a transferência de tecnologia para outros países. A intenção do governo federal é expandir o mercado de fontes de energia baratas e sustentáveis e ainda estimular a geração de riqueza e emprego nas regiões produtoras.

”O memorando é, sem dúvida, a nossa resposta ao grande desafio energético do século XXI. O uso crescente de biocombustíveis será uma contribuição inestimável para a geração de riqueza, inclusão social e redução da pobreza em muitos países pobres do mundo”, disse o presidente da República.

O Brasil é hoje a nação com a tecnologia mais avançada no mundo na produção de biocombustíveis. No caso do álcool, o país produz 18 bilhões de litros por ano a partir de três milhões de hectares de cana-de-açúcar. Mais de 80% dos carros novos vendidos no Brasil são flex-fuel (que permite o uso de álcool e gasolina). Além disso, o etanol brasileiro é mais barato (cerca de 50%) que o americano, feito a partir de milho. Os dois países juntos possuem mais de 70% de participação no mercado mundial de etanol.

Para ambos os governos, a expansão da produção de biocombustíveis é necessária para se reduzir a dependência internacional em relação ao petróleo e promover a redução da emissão de gases de efeito estufa.

O governo federal desenvolve uma política de incentivo a produção de biocombustíveis no Brasil, como o etanol e o biodiesel. Pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), serão aplicados, nos próximos quatro anos, R$ 17,4 bilhões na infra-estrutura de combustíveis renováveis. Os recursos serão investidos na implantação de 46 usinas de biodiesel e 77 de etanol, além da construção de 1.150 quilômetros de dutos para transporte dos combustíveis.

Há ainda financiamentos específicos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) voltados para o setor. O banco prioriza o acesso ao crédito a toda cadeia produtiva do etanol: usinas, setor de bens de capital, empresas de engenharia, cadeia automotiva, entre outros. O governo também reduziu a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide em carros movidos a álcool ou do tipo Flex.

No caso do biodiesel, a legislação brasileira estabelece que até 2013 todo o diesel vendido aos consumidores deverá ter uma adição mínima de 5% de biodiesel, meta que pode ser antecipada para 2010. Para tanto, o BNDES oferece um programa de financiamento especial com condições mais facilitadas que hoje já somam R$ 89 milhões em projetos para produção de 300 milhões de litros por ano. Já os bancos do Brasil, do Nordeste e da Amazônia financiam a agricultura familiar que cultiva matéria-prima para a produção do biodiesel. O BB liberou, por exemplo, R$ 13,5 milhões para o Piauí - o que vai garantir o plantio de 24 mil hectares nesta próxima safra beneficiando oito mil famílias.

O governo criou o Selo Combustível Social concedido pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) aos produtores de biodiesel que promovam a inclusão social e o desenvolvimento regional por meio da geração de emprego e renda para agricultores familiares. O produtor detentor do selo tem a redução de alíquotas de PIS/Pasep e Cofins, o acesso a condições de financiamento facilitadas e pode participar dos leilões de biodiesel. Para ter o selo é necessária uma aquisição mínima de matéria-prima proveniente da agricultura familiar bem como a garantia de fornecimento de assistência técnica a esses agricultores.

Fonte: Em Questão

4º Encontro de Software Livre do Amazonas - Eslam

Manaus terá o 4º Encontro de software livre do Amazonas
Será realizado, nos dias 25 e 26 de maio, em Manaus (AM), o 4º Encontro de Software Livre do Amazonas (Eslam). O evento é de realização da Comunidade Sol Software Livre, da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Sect) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa).

O objetivo do evento é promover discussões sobre a utilização de aplicativos livres, além da inclusão digital e seus desdobramentos na região Norte.

Oito palestrantes já confirmaram presença no encontro, entre eles Jon “Maddog” Hall, um dos fundadores do movimento Open Source Internacional e diretor presidente da Linux International; Marcus Mazoni, diretor presidente da Companhia de Informática do Paraná (Celepar) e ex-presidente da Associação Brasileira de Empresas Estaduais de Processamento de Dados (Abep); e Sandro Melo, membro do Conselho e Examinador do Linux Professional Institute Brasil (LPI) e instrutor autorizado da FreeBSDBrasil, empresa brasileira com a finalidade de apoiar e promover comercialmente o sistema operacional FreeBSD em território nacional. O FreeBSD é um sistema operacional livre do tipo Unix descendente do Berkeley Software Distribution (BSD) desenvolvido pela Universidade de Berkeley (EUA).

Interessados em enviar trabalhos para o evento podem fazê-lo até o dia 16 de março.

Outras informações, pelo site eslam.comunidadesol.org/ ou pelo e-mail .

Fonte: Agência FAPESP

3º Seminário Nacional e 2º Workshop Estadual Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – Políticas Públicas e Econegócio

Instituto Ideias promove eventos sobre gestão de resíduos sólidos
De 3 a 5 de julho, em Vitória (ES), será realizado, pelo Instituto Ideias, em parceria com o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema) e o Sebrae-ES, e com o apoio da ABIPTI, o 3º Seminário Nacional e 2º Workshop Estadual Gestão Integrada de Resíduos Sólidos – Políticas Públicas e Econegócio. O objetivo é promover um debate sobre a situação dos resíduos sólidos no Brasil em consonância com os panoramas internacional e do Estado.

O seminário terá como foco o debate sobre o econegócio e o desenvolvimento sustentável, que serão apresentados em painéis. Durante o evento, também haverá o lançamento da publicação “Estruturando a Gestão Integrada de Resíduos Sólidos no Espírito Santo e da política estadual de resíduos sólidos do Estado”. Já as atividades realizadas no workshop consolidarão o trabalho executado pelos sub-comitês de resíduos. Os resultados serão apresentados no dia 5.

Mais detalhes podem ser obtidos pelo telefone (27) 3324-3983 ou no site:
www.institutoideias.com.br/seminario2007/

Fonte: Gestão CT