terça-feira, 6 de março de 2007

5º Congresso de engenharia de áudio

O 5º Congresso de Engenharia de Áudio, promovido pela Sociedade de Engenharia de Áudio, ocorrerá de 21 a 23 de maio, em São Paulo, reunindo as comunidades científicas e tecnológicas das áreas de áudio, engenharia, computação, música e acústica. O tema será "Inovação em Áudio".

“Técnicas de gravação e reprodução”, “Eletroacústica”, “Eletrônica aplicada a áudio”, “Acústica de ambientes”, “Controle e redução de ruído”, “Processamento analógico e digital de sinais de áudio”, “Sistemas audiovisuais”, “Psicoacústica e percepção auditiva” e “Restauração de sinais de áudio” serão temas de trabalhos apresentados.

Mais informações: www.aesbrasil.org/congresso2007.html.

Fonte: Agência FAPESP

Seminário de pesquisa Mudanças climáticas e estratégias empresariais

O Seminário de Pesquisa Mudanças Climáticas e Estratégias Empresariais, promovido pelo Núcleo de Política e Gestão Tecnológica da Universidade de São Paulo (PGT/USP), será realizado no dia 14 de março, na capital paulista.

Na ocasião, Jacques Marcovitch, professor titular e ex-reitor da USP, irá discutir resultados de pesquisas sobre mudanças climáticas, analisar estratégias empresariais para a redução de gases do efeito estufa e relatar iniciativas para a construção de competências humanas e tecnológicas na área.

Pedro Wongtschowski, diretor-presidente da Ultrapar, empresa com atuação nos setores de distribuição de gás liquefeito de petróleo, químico e de logística de produtos combustíveis, Vahan Agopyan, diretor-presidente do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), e Ricardo Abramovay, professor titular da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP, serão os debatedores do evento, mediados por Guilherme Ary Plonski, coordenador científico do PGT/USP.

Mais informações pelo e-mail ou pelo telefone (11) 3818-4011.

Fonte: Agência FAPESP

Usp realiza ciclo de palestras sobre supercondutividade aplicada

Divulgar as aplicações e os avanços tecnológicos que a supercondutividade, descoberta há quase 100 anos, tem tornado possível em diversas áreas do conhecimento que utilizam campos magnéticos.

Essa é a proposta do Ciclo de Palestras sobre Supercondutividade Aplicada, que será realizado de 5 a 12 de março, nas cidades de Campinas, São Paulo, Lorena e Rio de Janeiro. O evento tem promoção da Escola de Engenharia de Lorena (EEL) da Universidade de São Paulo (USP).

Aplicações de materiais supercondutores em larga escala para geração de campo magnético intenso, pesquisas em fusão nuclear e aplicações médicas serão os principais temas em discussão.

Mais informações: www.eel.usp.br/.

Fonte: Agência FAPESP

Universidades fluminenses capacitarão mão-de-obra para pólo petroquímico

Representantes de cinco universidades fluminenses estiveram reunidos, no dia 26 de fevereiro, para acertar um convênio que será assinado entre as instituições com a proposta de atuar em conjunto na capacitação de mão-de-obra para o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro.

Segundo informações da Universidade Federal Fluminense (UFF), uma nova reunião está marcada para o fim deste mês de março, quando será assinado o convênio. Ainda de acordo com a universidade, os reitores vão atuar em cooperação com a idéia de mudar a imagem de que universidades devem atuar competitivamente.

A Petrobras informa que o pólo petroquímico vai entrar em operação em 2012. Serão investidos US$ 6,5 bilhões. Esse é o maior projeto da empresa e vai gerar 210 mil empregos, com o andamento das obras de implantação do pólo, e mais 50 mil quando ele for instalado.

Saiba mais sobre o projeto do complexo petroquímico, acesse o site:
www.comperj.com.br/.

Fonte: Gestão CT

1º Simpósio paulista de farmacognosia

Pesquisas científicas e temas populares sobre plantas medicinais e fitoterápicos serão abordados na primeira edição do Simpósio Paulista de Farmacognosia, de 4 a 6 de junho, em Araraquara (SP).

O prazo para a submissão de trabalhos termina no dia 15 de abril.

Assuntos relacionados à produção, distribuição, fornecimento e controle de qualidade das plantas medicinais, além da regulamentação do uso e comercialização de medicamentos fitoterápicos, estarão na pauta no evento.

A promoção é da Sociedade Brasileira de Farmacognosia e da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Mais informações no site: www.fcfar.unesp.br/.

Fonte: Agência FAPESP

Abertas as inscrições para o programa de aperfeiçoamento profissional em propriedade intelectual

A Organização Mundial da Propriedade Intelectual (Ompi) vai promover, nos dias 16 a 19 de abril, em Genebra, na Suíça, o curso Gestão de Inovação, da Tecnologia e da Propriedade Intelectual. O curso faz parte do Programa de Aperfeiçoamento Profissional da Ompi.

As inscrições já estão abertas e podem ser feitas por meio eletrônico. O curso é voltado para pesquisadores e cientistas que tenham interesse em aprofundar seus conhecimentos em propriedade intelectual.

Os participantes terão aulas sobre gerência estratégica de inovação e de P&D; gerência de tecnologias de propriedade intelectual; uso estratégico do regime do IP; entre outros temas.

Informações complementares sobre o curso podem ser obtidas no site:
www.wipo.int/academy/en/execed/siipm/gva_apr_07/

Fórum permanente de conhecimento e tecnologia da informação

“Credenciamento e indexação de periódicos científicos” será o tema do Fórum Permanente de Conhecimento e Tecnologia da Informação, que ocorrerá no dia 8 de março, em Campinas (SP).

Serão discutidas questões relativas ao aumento do número de periódicos científicos publicados em diversas áreas do conhecimento e que, segundo os organizadores do encontro, “tem sido motivo de preocupação para aqueles que se interessam pela qualidade da informação científica como os autores, editores, indexadores, centros de documentação, bibliotecas e pesquisadores”.

Promover a criação de programas de credenciamento e apoio a publicações científicas, visando à padronização de critérios com vistas à qualidade da informação registrada, será um dos assuntos em análise. O evento é promovido pela Coordenadoria Geral (CGU) e pela Coordenadoria de Relações Internacionais (Cori), ambas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Mais informações: www.cori.unicamp.br/.

Fonte: Agência FAPESP

Análise do comportamento sexual de adolescentes usuários e não usuários de substâncias psicoativas

Risco subestimado
Por terem um comportamento sexual em média mais intenso, jovens usuários de drogas seriam mais vulneráveis à infecção pelo vírus da Aids e de outras doenças sexualmente transmissíveis (DST). Além de usarem menos preservativos, eles subestimariam mais os riscos de contaminação quando comparados com indivíduos que não usam drogas.

As conclusões são de estudo feito por Thiago Marques Fidalgo no Departamento de Psiquiatria da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Foram entrevistados 41 adolescentes de 15 a 18 anos, usuários de álcool, maconha ou cocaína, submetidos a intervenção terapêutica no Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes (Proad) da Unifesp. Um grupo de controle formado por 43 não usuários de drogas, oriundos de escolas públicas da capital paulista, também participou da avaliação.

O comportamento sexual foi analisado em dois momentos distintos: seis meses antes e 30 dias antes das entrevistas. A partir desses momentos, foi estimada uma média de relações para cada indivíduo. O trabalho identificou que o índice do uso de camisinhas foi de 55% para os usuários de drogas, contra 58% para os não usuários.

Os usuários estariam mais expostos às DST por terem maior número de parceiros e de relações sexuais. “Os usuários de drogas apresentaram, em média, quatro parceiros sexuais, enquanto os não usuários tiveram apenas um. Além disso, o número de relações sexuais foi 2,5 vezes maior entre os usuários”, disse o autor da pesquisa.

“Apesar de o índice de uso do preservativo não ter variado tanto nos dois grupos, o comportamento sexual dos usuários de drogas os deixou mais expostos à contaminação. Outro ponto é que, apesar de uso absoluto semelhante, o uso proporcional acabou sendo bem menor entre os usuários de drogas”, explicou Fidalgo.

A pesquisa indicou também que o HIV parece estar distante da realidade dos dois grupos: 95% dos usuários e 84% dos não usuários de drogas do sexo masculino disseram não acreditar na possibilidade de contaminação. “Esses indivíduos acham que a infecção nunca irá acontecer com eles, um pensamento típico de adolescente”, afirmou.

Fidalgo verificou ainda que apenas 15% dos indivíduos dos dois grupos fizeram o teste de HIV após o início da vida sexual, que começa mais cedo entre os usuários de droga: entre 13 e 14 anos. A primeira relação entre os não usuários ocorreu, em média, aos 15 anos de idade.

O estudo Análise do comportamento sexual de adolescentes usuários e não usuários de substâncias psicoativas foi premiado pelo Programa Nacional de DST e Aids e será publicado em breve em livro pelo Ministério da Saúde, ao lado de outros quatro trabalhos.

Fonte:Thiago Romero / Agência FAPESP